ALLINE REGINA CASADO DE LIMAJORNALISMO IMPRESSO E O JORNALISMO ONLINE                  Projeto de pesquisa elaborado como ...
Tema       Este projeto trata-se da comparação entre o jornalismo impresso e o jornalismo online,mais precisamente o jorna...
Justificativa       Para realizar o projeto, faz-se um breve histórico sobre como surgiu o jornalismoimpresso deste veícul...
partir da experiência jornalística impressa já existente. Mas então, se o jornalismo digitalpossui tantos benefícios, porq...
Objetivo       Este projeto será realizado com o objetivo de solucionar os pequenos conflitos que háentre os dois tipos de...
feiras. A vantagem que o jornal possui são os clientes fixos e acostumados com o jornalimpresso que não se importam em pag...
Com isso o jornal “O Guaíra” tem o objetivo de atrair os clientes para o digital. Aintenção e idéia dos diretores deste ve...
Hipótese       Ao conciliar os dois jornais – expandir o jornal online baseado no impresso – o projetoalcançará grandes re...
http://www.unaberta.ufsc.br/artigo5.htmhttp://pt.scribd.com/doc/11036046/Cibercultura-Pierre-Levyhttps://portal.unifran.br...
podem ler o conteúdo dessas na íntegra. O Jornal do Brasil e o Estadão disponibilizam asnotícias integralmente aos interna...
obrigando assim a população a pagar um valor determinado em troca de serviços prestados.Mais uma vez mantém-se a constataç...
conteúdo on-line praticamente no mesmo momento em que esse serviço, prestado porempresas comerciais, surgia na web, em 199...
três estagiários. Essa tendência a empregar jovens profissionais dos veículos on-line éregistrada por vários pesquisadores...
fechamento bem mais tarde, tendem a possuir maior atualidade, o que seria uma característicaesperada da mídia on-line.    ...
Obras consultadas:ARNT, Héris. Do jornal impresso ao digital: novas funções comunicacionais. In:HOHLFELDT, Antonio; BARBOS...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Projeto de pesquisa Jornal O Guaíra

766
-1

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
766
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
7
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Projeto de pesquisa Jornal O Guaíra

  1. 1. ALLINE REGINA CASADO DE LIMAJORNALISMO IMPRESSO E O JORNALISMO ONLINE Projeto de pesquisa elaborado como exigência parcial para obtenção de média bimestral da disciplina Jornalismo Comparado. Orientador: Prof. Maurício Mello UNIFRAN 2011
  2. 2. Tema Este projeto trata-se da comparação entre o jornalismo impresso e o jornalismo online,mais precisamente o jornal diário de uma cidade com menos de 50 mil habitantes chamado “OGuaíra”. Ele falará sobre a evolução de um jornalismo moderno, as conseqüências e asmudanças que isto traz para uma cidade de interior com seus gostos e costumes rígidos. Comoum jornal de 82 anos se adapta à modernidade e evolui, trazendo para Guaíra uma maneiradiferente de se manter informado. O que o jornalismo online muda no jornalismo impresso da cidade. Quais osbenefícios para o veículo de comunicação de papel e os benefícios para um veículo sem amão-de-obra de produção. Atualmente, o jornalismo está mudando, a rapidez e a agilidade com que as notíciassão veiculadas nos sites, nem sempre são acompanhadas pelo jornal impresso. Mas no caso dojornal “O Guaíra”, o jornal anexado no site é exatamente o jornal impresso distribuído nacidade. A diferença é que o jornal online sai colorido, com as propagandas mais destacadas,podendo ter algum vídeo em seu lugar ou até mesmo uma entrevista. Se a tecnologia permite uma cobertura de grande instantaneidade, quase em tempo realaos veículos presentes na web, observa-se, entretanto, que muitas vezes, informações jápublicadas em papel são divulgadas com o mesmo texto na Rede, sem qualquer atualização ecomo isso traz conseqüência para os clientes de anos de jornalismo impresso. Surgimento desta mídia digital para Guaíra traz uma nova era com novos mecanismoscomunicacionais, favorecendo agilidade e modernidade à cidade. Jornalismo digital quaseigual ao jornalismo impresso, trazendo algumas novidades, como vídeos de propagandas e atéprogramas de entrevistas. O jornalismo online traz uma nova interação entre informação, cultura e praticidade. Ojornalismo impresso possui aqueles leitores fixos que preferem parar um tempo do seu diapara ler as notícias da cidade ao ter que abrir uma página da internet para se manterinformado. O projeto tratará deste problema buscando informações e resultados para este veículode comunicação, podendo mostrar diferentes formas de solução. 2
  3. 3. Justificativa Para realizar o projeto, faz-se um breve histórico sobre como surgiu o jornalismoimpresso deste veículo de comunicação e em seguida o jornalismo online, registrando,também, as evoluções da internet em uma cidade do interior. Observou-se como é passada anotícia aos internautas, e como ela é passada aos leitores do jornal impresso. A facilidade edificuldade de cada um. Este estudo pretende registrar o desenvolvimento do jornalismoonline nos dias de hoje em Guaíra, comparando as notícias veiculadas, em um meio digital eum impresso, da mesma empresa de comunicação – Jornal e Editora O Guaíra. O estudoanalisa com que freqüência o site coloca o jornal no ar; qual a prioridade da empresa, e contabrevemente sobre a história de como surgiu este meio de comunicação. Esta pesquisa buscou solucionar questões a respeito do jornalismo impresso com ojornalismo online, a fim de obter melhores resultados para a comunicação da cidade deGuaíra. Este estudo pretende registrar o desenvolvimento do jornalismo online nos dias dehoje em Guaíra, comparando as notícias veiculadas, em um meio digital e um impresso, damesma empresa de comunicação. O estudo analisa com que freqüência o site coloca o jornalno ar; qual a prioridade da empresa, e conta brevemente sobre a história de como surgiu estemeio de comunicação. Atualmente a sociedade está em um processo de modernização muito grande.Aparelhos de todos os tipos chegam às mãos da população para trazer uma praticidade à vidade hoje em dia. E as pessoas querem se atualizar e se modernizar para adquirir mais tempo noseu cotidiano. Há aqueles que prezam por alguns minutos para adicioná-los em sua carga detrabalho, sempre com a ambição de uma melhor vida financeira. Com isso produtos chegamao mercado todos os dias. Mesmo sendo uma cidade do interior, onde as coisas chegam umpouco atrasado, Guaíra começa a se modernizar com seus veículos de comunicação. O principal jornal da cidade, “O Guaíra”, entrou nesta trilha moderna, trazendo umanova maneira de se obter as notícias de uma maneira um pouco diferente. O jornalismo onlinedo O Guaíra é um pouco parecido com o jornal impresso – seria o jornal em PDF colocado narede, de forma que você possa folhear e ler as notícias como se estivesse com um jornal depapel à sua frente. Assim, podemos observar ao longo deste projeto que o jornal online chega comdiversos benefícios ao leitor, oferecendo a notícia de uma maneira mais prática e rápida, a 3
  4. 4. partir da experiência jornalística impressa já existente. Mas então, se o jornalismo digitalpossui tantos benefícios, porque fazer uma pesquisa comparando-o com o jornal impresso? O projeto foi realizado para a comparação dos dois tipos de jornais, e também paraesclarecer o porquê do jornal impresso ainda lotar as casas da população. Apesar de as vezesnão parecer, o jornal impresso possui suas qualificações que o mantém no mercado. Esteprojeto aparece para mostrar como este tipo de jornal ainda não foi extinto e se será algum diatotalmente substituído pelo digital. Pode-se dizer que o jornalismo digital, amplia o potencial do jornalismo impresso. Háuma valorização de acesso à cultura, informações que inovam a área da comunicação. A pesquisa se baseia no assunto da atualidade. Mistura de modernidade, rotina ecomunicação, três assuntos que fazem parte do cotidiano da população e que influenciam namaioria dos assuntos tratados e resolvidos de hoje em dia. Tema interessante e ao mesmo tempo importante para o embasamento da história dacomunicação social. Questões conceituais sobre o jornalismo impresso e a influencia dainformática no jornalismo digital em uma cidade de interior. As novas funções comunicativas,o desenvolvimento técnico da mídia. Tudo aparece com a intenção de trazer à tona omoderno, mas continuando com o clássico editorial reproduzido no impresso. Este contexto de aceleração do tempo que a imprensa insiste em salientar,consolidando-se como atividade industrial, trazendo a expansão do digital. O jornalismonecessita cumprir a valorização da informação instantânea. Assim como o escritor LuizFernando Veríssimo afirma “vivemos num tempo maluco em que a informação é tão rápidaque exige explicação instantânea e tão superficial que qualquer explicação serve", há anecessidade de uma maneira prática de se ver a notícia, mas ao mesmo tempo a confiança queeste meio deve passar ao seu leitor. Antes, as novas tecnologias serviam somente para a modernização do processoindustrial. Agora, a tecnologia facilita a comunicação interna e externa. 4
  5. 5. Objetivo Este projeto será realizado com o objetivo de solucionar os pequenos conflitos que háentre os dois tipos de publicação de informação de um meio de comunicação. O propósito aser mostrado será de conciliar os dois tipos de jornais – impresso e online – onde um completao outro de alguma forma. Por mais estranho que pareça, os dois se conectam, nãonecessitando de concorrência entre eles. A questão deste problema se foca na importância do gosto do receptor; o que serámelhor para ele; o que ele está aderindo a cada dia que passa. Nem sempre o público alvo de um será o outro. Muitas pessoas não querem ter queligar um computador, entrar na internet, no site, e carregar a página online do jornal “OGuaíra”. Já outros, aproveitam que se utilizam da internet para trabalho ou lazer, e param paraler o jornal do dia ali mesmo, sem precisar perder alguns minutos do seu tempo para sentar eabrir um jornal impresso. O jornal impresso não desaparecerá, pelo menos por uns bons anos, pois a geraçãomais antiga prefere não de adaptar aos costumes tecnológicos de oje em dia. Há os mais antigos, que não largam o jornal impresso por nada. Assinam o jornal maisantigo da cidade há anos, e adoram acordar cedo, abrir a porta de casa e pegar o seu jornal noquintal e folheá-lo, tomando um café. E preferem o jornal com o seu padrão. Tendo asnotícias da cidade, com algumas notícias da região. E há também os que querem seguir a modernidade da tecnologia. Ler um jornal nocomputador, lap top, ou até mesmo no celular, lhes faz bem. Poder mostrar aos outros queestá informado tão rapidamente quanto parar para ler o jornal impresso. O jornal “O Guaíra” realizou uma pesquisa de gostos e sugestões com os seus clientesperguntando o que achavam do jornal online, e, se deixariam ou trocariam o papel pelodigital. Diversas pessoas afirmaram que sim pela vantagem do jornal online ser gratuito. Emcontrapartida, outras declararam que não abandonam o “gostoso” hábito de parar uns minutosdo seu dia para ler as informações da cidade. Outro problema a ser questionado, seria os clientes que pagam mensalmente ouanualmente o jornal impresso, e o jornal online do “O Guaíra” é gratuito para todos. Não há arestrição para aqueles que não são clientes do jornal. Com isso a empresa de comunicaçãoperdeu alguns clientes que preferem ler de graça através da internet ao pagar apenas R$150,00por ano para receber o jornal impresso todos os dias em casa – com exceção das segundas- 5
  6. 6. feiras. A vantagem que o jornal possui são os clientes fixos e acostumados com o jornalimpresso que não se importam em pagar esta quantia, mas que preferem ter o seu jornal ali emcasa todo dia. Manter o jornal impresso pela preferência da alguns anunciantes e até leitoresque memorizam muito mais um assunto ao ler a noticias que pode ser tocada. Outro assunto que dá vantagem ao jornal digital são os vídeos exibidos nas páginas dealgumas edições. Os vídeos nas propagandas chamam a atenção dos leitores, uma vantagemaos anunciantes que já preferem pagar um pouco mais para exibir suas propagandas de modoque fiquem mais chamativas. Uma inovação em um veículo de comunicação que estámudando opiniões de clientes e vendedores. A questão a ser abordada, seria a economia demateriais caso a adesão ao jornal online tornasse completamente adquirida e as pessoaspassassem a lê-lo através do site Outra inovação, que necessita de melhoria, mas já possui um grande destaque, é umnovo quadro no jornal online – um programa – exibida uma vez por semana, onde aapresentadora, Kátia Lacativa, entrevista um convidado. Um programa de entrevistas,chamado “Conta para nós”, com cidadãos da cidade contando sobre suas vidas. Analisamos aedição da versão online do jornal na edição do dia 1º de junho de 2011, página 06. 6
  7. 7. Com isso o jornal “O Guaíra” tem o objetivo de atrair os clientes para o digital. Aintenção e idéia dos diretores deste veículo é aumentar o numero de anunciantes – eautomaticamente o preço das propagandas – para deixar o jornal online aberto a todos,gratuitamente. Isso ocorrerá se os anunciantes perceberem que o número de acessos está acada dia aumentando. Um relatório feito do dia 02/05/2011 à 02/06/2011 mostra que o jornalonline do “O Guaíra” teve 71.274 visualizações de página e 15.503 visitas ao longo do mês,com uma taxa de rejeição de 20,31% e tempo médio acessado ao site de 05 minutos e 55segundos. Para aumentar estes números – com exceção da taxa de rejeição – este veículo decomunicação necessita aprimorar o design e alguns acessos do site. Eventos clicados por esteveículo de comunicação são anexados ao site e com isso também há um aumento de númerode visitantes. A explosão dos jornais diários digitais foi entre 1995 e 1996; e, desde então, muitosteóricos das mais diversas áreas (Filosofia, Informática, Comunicação, Sociologia etc)discutem sobre a extinção do jornal impresso. Mas o que vimos até agora são jornaisdisponibilizando seus conteúdos integralmente na Rede, assim como o “O Guaíra” faz. Nocomeço, não era preciso pagar nada. Entretanto, hoje em dia os portais começam a fecharcada vez mais o acesso gratuito aos seus conteúdos. Entre os primeiros jornais digitais estãoThe Nando Times (1994) e o The San Jose Mercury Center, disponibilizado na web no iníciode 1995, ambos dos Estados Unidos. A iniciativa foi de um grupo de empresários que teve aidéia de distribuir notícias na Internet, por causa da rapidez e agilidade da informação. Um problema que precisa ser solucionado é o modelo do site do “O Guaíra”, que aindadificulta a movimentação de algumas pessoas pelo seu gráfico ser diferente. O jornal tambémnecessita colocar outras matérias avulsas e não apenas o jornal online para folhear. E fazerinovações que atraiam os leitores ao site. Em contrapartida, a desvantagem que o jornal online traz é a dependência de um bomservidor de internet e da rede de sites responsável pelo site do veículo. Sair fora do ar, ou terproblemas com a anexação dos PDFs do jornal é um problema que evita a total confiança docliente para com o jornal online. 7
  8. 8. Hipótese Ao conciliar os dois jornais – expandir o jornal online baseado no impresso – o projetoalcançará grandes resultados. O seu objetivo será aumentar o número de internautas visitantesno site do jornal “O Guaíra” e manter os poucos assinantes que não abandonam o jornalimpresso. Com o número de visitantes online aumentando, há um progresso nas finanças emconseqüência dos anunciantes que pagarão para mostrar suas propagandas a todos e nãosomente aos assinantes do veículo em questão. Conseqüência dessa evolução do jornal será vantajosa aos leitores, anunciantes e aopróprio jornal que terá seus lucros aumentados e a sua exibição para todos e não apenas aoscidadãos guairenses. Vantagem aos leitores que terão um jeito diferente de se manterinformado ou continuar em seu padrão, podendo escolher o modo de receber a notícia ao seugosto. E por fim, vantagem ao anunciante que poderá exibir sua propaganda para um númeromaior de pessoas além dos cidadãos assinantes do jornal. “O Guaíra” não será apenas um jornal diário para uma cidade com menos de 50 milhabitantes. Será divulgado para fora deste pequeno interior, podendo valorizar o veículo eseus seguidores – funcionários. O “O Guaíra” conseguirá evoluir seus trabalhos, produzindoprogramas, vídeos, propagandas, entrevistas, enfim, qualquer novidade que chame a atençãodo leitor que ainda não existe nos veículos de comunicação existentes e renomados. Poderá expandir o veículo de comunicação, até mesmo com revistas, rádio, ou outrasopções de enviar a informação aos cidadãos. Este veículo já possui uma revista publicadaduas vezes ao ano – uma no aniversário da cidade e a outra o final do ano. Com o aumento devisualizações no site, sua rede social também aumentará. Dar a opção de feed back para oleitor o traz para mais perto do jornal “O Guaíra”. 8
  9. 9. http://www.unaberta.ufsc.br/artigo5.htmhttp://pt.scribd.com/doc/11036046/Cibercultura-Pierre-Levyhttps://portal.unifran.br/php/downloads/documentos/normasTCC.pdf Metodologia O acesso às informações de outros locais ficou mais fácil para as pessoas que têm apossibilidade de se conectarem à Internet. Quando é feita essa conexão, os leitores têm acessoa veículos de qualquer lugar do mundo. Isto não seria possível sem a ajuda da Internet, poispara que isso pudesse acontecer, alguém teria que ir até este país buscar o jornal para que elepudesse ser lido, ou dependeria dos serviços de correios internacionais aéreos. Com isto,demoraria muito tempo e faria com que a informação chegasse às mãos do indivíduo,ultrapassada. Quem navega na Internet pode observar que alguns jornais internacionaisdisponibilizam notícias em vários idiomas, primeiramente inglês e espanhol. Entretanto, o grande mar de informação gratuita oferecido pela web até poucos anosatrás parece estar se fechando. No caso do Sinos.net, até o ano de 2004 qualquer internautapodia acessar todas as informações do portal. Hoje só os assinantes podem ter acesso aoconteúdo completo. No Sinos.net, do Grupo Sinos, os assinantes têm acesso a todos os jornais revistas econteúdos. O jornal impresso é colocado em pdf na rede, apenas para esses assinantes. Oportal parece estar seguindo uma tendência observável, também, em outros sites, no sentidodo fechamento e da redução dos conteúdos gratuitos, disponíveis a qualquer internauta. Para observar como diversos sites noticiosos se comportavam com relação àdistribuição gratuita de conteúdo, fez-se uma visitação aos portais mantidos por jornaistradicionais como a Folha de S. Paulo, o Jornal do Brasil, O Estado de S. Paulo, o Correio doPovo e Zero Hora, nos dias 4 e 5 de novembro de 2004. Pôde-se observar, assim, que a Folhade S. Paulo franquia o acesso a várias matérias apenas aos assinantes do portal UOL, que 9
  10. 10. podem ler o conteúdo dessas na íntegra. O Jornal do Brasil e o Estadão disponibilizam asnotícias integralmente aos internautas em geral. No Rio Grande do Sul, os veículos das principais empresas de comunicação do Estadotêm características diferentes. A Empresa Jornalística Caldas Júnior disponibiliza notícias naweb em um jornal on-line, com o mesmo título de seu jornal impresso, o centenário Correiodo Povo, cuja versão on-line é oferecida em pdf, com o conteúdo totalmente igual aodistribuído em papel. A Rede Brasil Sul de Comunicações, que publica Zero Hora, éproprietária do portal ClicRBS, no qual não se precisa ser assinante para ter acesso aoconteúdo. Entretanto, para ter acesso a determinadas matérias é preciso se cadastrar no portal,colocando nome, sobrenome, endereço e um e-mail de uso pessoal. Após esse procedimento,o usuário recebe uma senha e pode usar os serviços do portal. Por enquanto, o serviço égratuito. Conforme Héris Arnt, os jornais digitais possuindo ou não redações próprias guardamcaracterísticas do jornal impresso, mas o “[...] advento do jornalismo digital redefine funçõesdo jornal impresso que tende a se afirmar como o espaço da reflexão, da contextualização e doaprofundamento dos acontecimentos da sociedade” 1. Devido às possibilidades oferecidas pelaweb, conforme esse autor, os veículos on-line colocam à disposição dos internautas de todo omundo textos literários, científicos e documentais, oferecendo novas e diferentes leiturassobre a história que está acontecendo. O autor destaca a formação das bibliotecas virtuais e doacesso livre ao acervo de jornais, que, possivelmente, se tornariam históricos se fossemdisponibilizadas as informações armazenadas na Rede. Para Héris Arnt, a facilidade de acessoàs edições recentes e antigas digitalizadas poderia conferir aos jornais a função de avaliação evalidação dos eventos sociais. No portal Sinos.net, do Grupo Sinos, quem for assinante tem acesso a todos os jornaisrevistas e conteúdos. O jornal impresso é colocado em pdf na rede, apenas para estesassinantes, diferente do que ocorre com o Correio do Povo, da Caldas Júnior, ao qual qualquerinternauta de qualquer país do mundo pode ter acesso. A partir da visitação aos sites de jornais de referência, pôde-se observar que a Internettende a cada vez mais fechar as possibilidades de navegação para quem não for assinante,1 ARNT, Héris. Do jornal impresso ao digital: novas funções comunicacionais. In:HOHLFELDT, Antonio; BARBOSA, Marialva. Jornalismo no século XXI: a cidadania. PortoAlegre: Mercado Aberto, 2002. 10
  11. 11. obrigando assim a população a pagar um valor determinado em troca de serviços prestados.Mais uma vez mantém-se a constatação de que a notícia chega a aquelas pessoas que podempagar pelo serviço. Primeiramente, os portais oferecem os serviços de graça para fazer apopulação conhecê-los e passar a usá-los. Depois de o serviço ser bem divulgado, elescomeçam a fechar permitindo acesso somente ao assinante. O que deveria ser divulgado paratodos saberem é cobrado. A única informação pela qual não se precisa pagar são as notíciasdos telejornais de canal aberto, mas essas, geralmente, têm um ritmo mais acelerado, nãoaprofundando as matérias como no jornal impresso. Na Internet, a notícia é mais sucinta,tendo outra linguagem.Metodologia do online O destaque conquistado pelos primeiros jornais digitais foi obtido através daexploração das vantagens da Internet, oferecendo muito mais que a transposição dasinformações dos jornais impressos. De acordo com a pesquisadora Claudia Irene de Quadros,essa característica é muito importante, sendo considerada como base para uma classificaçãodos diferentes estágios dos jornais digitais, feita pelo professor John Pavlick, da Universidadede Columbia. A autora considera a classificação feita por Pavlick como fundamental para aanálise e o aprimoramento do jornalismo on-line. O professor da Universidade de Columbia classificou os jornais digitais em trêsestágios. O primeiro deles seria a transposição da versão impressa para a Internet; o segundo,essa transposição e mais alguns produtos diferenciados do jornal de papel, e o terceiro, umproduto totalmente exclusivo para a Internet.Diversas empresas de comunicação espanholas tinham na Rede, em 1995, uma versãoeletrônica de seu diário em papel. Em 1º de abril de 1995, surgiu o diário digital Avui, depoisforam lançados El Periódico de Catalunya e La Vanguardia. No princípio, esses jornaisdigitais tinham o mesmo conteúdo de suas versões impressas, desenvolvendo após serviçosmais interativos.No Brasil, o Jornal do Brasil foi o primeiro a fazer uma cobertura completa no espaço virtualno País. Ele foi disponibilizado integralmente na web em 28 de maio de 1995, seguido porZero Hora, do grupo RBS, em junho do mesmo ano. Coerente com sua característica deinvestimento permanente em inovação tecnológica, embora situado em uma cidadeinteriorana, o Grupo Sinos acompanhou as grandes empresas de comunicação, distribuindo 11
  12. 12. conteúdo on-line praticamente no mesmo momento em que esse serviço, prestado porempresas comerciais, surgia na web, em 1995, em todo o mundo.Historia do o Guaíra Completando 82 anos, o jornal e editora O Guaíra é uma das empresas decomunicação do Brasil que distribui jornal diário para uma cidade com menos de 50 milhabitantes. Possui um desenvolvimento em andamento em inovação tecnológica. ornal NH começou a circular há 45 anos; seu primeiro exemplar saiu em 19 de marçode 1960, sob a coordenação dos irmãos Mário Alberto Gusmão e Paulo Sérgio Gusmão, comuma tiragem inicial de 1.500 exemplares semanais. E deste lá foi pioneiro na Região do Valedos Sinos. O Grupo Sinos conquistou sua autonomia com a aquisição de uma rotativa off-set,em 4 de agosto de 1968. Em 1983, utiliza um novo componente eletrônico, que substituiu ofotolito; e, em 1985, o NH montou a primeira redação totalmente informatizada do País.Atualmente, o Grupo Editorial Sinos tem participação em diversas mídias, como rádio,jornais, revistas e Internet. Pioneiro entre as empresas de jornais do Interior a distribuir seu conteúdo on-line, oGrupo Sinos disponibilizava cerca de 10 matérias por dia na Web entre 1995 e 1996. O nomedo portal já era Sinos.net. Os Sinos.net passou, realmente, a conter informações noticiosas em 2002. Até então,ele funcionava mais como provedor, distribuindo apenas algumas notas durante o dia. Noinício do portal, entre 1995 e 1999, de acordo com Lilian Lima, editora do Sinos.net, um robôera abastecido com informações, passando as matérias para a Rede. Era uma cópia do jornalimpresso; as notícias continham de uma a duas linhas, com as informações telegraficamentereduzidas. Mas, em dezembro de 2002, foi colocada na Rede uma página reformulada, comlayout novo, mantida por uma redação pequena, mas própria. Nessa época, trabalhavam noSinos.net um webdesign, um redator e uma estagiária.Em julho de 2004, o portal passou novamente por outra reformulação. Dessa vez, a alteraçãovisou à mudança do conteúdo, e, para isso, foi ampliado o número de pessoas quetrabalhavam na redação. Ao final de 2004, a redação do Sinos.net contava com cinco pessoas.Além da editora e um webdesign, o único que é formado em jornalismo, trabalham no portal 12
  13. 13. três estagiários. Essa tendência a empregar jovens profissionais dos veículos on-line éregistrada por vários pesquisadores. “As redações digitais abriram portas (e continuamabrindo) aos jovens jornalistas. No boom da Internet, nos Estados Unidos, na Espanha e noBrasil, a maioria delas era formada por profissionais com um bom currículo acadêmico, mascom pouca experiência no jornalismo” 2.É o caso da editora Lilian Lima. Ela começou a trabalhar no Sinos.net em 2002, quandoestava sendo planejada a mudança no portal. Essa foi sua primeira experiência profissional. Jáeditora, ela se forma no final do ano de 2004. Acredito que esta composição das redações Webseja porque o jovem tem uma linguagem mais acessível, mais coloquial, de fácilcompreensão; e o Sinos.net tem uma estrutura mais voltada aos jovens, com links coloridos ealgumas promoções de festas e cinema.A partir de julho de 2004, o portal fechou o acesso ao conteúdo para quem não é assinante.Para acessar links de notícias, o usuário tem de colocar seu e-mail e sua senha. Segundo LilianLima, essa mudança é coerente com um investimento maior em matérias jornalísticas e nacontratação de pessoas. “[...] estamos nos preocupando com o nosso assinante, em passar umainformação de qualidade”. Segundo Guilherme Schimdt, editor chefe do jornal impresso, as redações da Web e dogrupo impresso não têm contato. Elas produzem matérias individuais sem nenhuma relação.Segundo ele, atualmente no jornal impresso trabalham cerca de 60 pessoas, e o horário defechamento da redação é variável, entre onze horas e meia noite, dependendo dosacontecimentos os profissionais da redação poderão “virar a noite”, montando um plantão denotícias.4 Algumas considerações Pôde-se observar, durante a realização deste estudo, que o jornal impresso do GrupoSinos fecha a redação mais tarde, por volta das 23 horas, podendo virar a noite, dependendoda situação. No on-line, as coisas não vão por esse caminho. Na época da pesquisa, a redaçãodo portal encerrava seu trabalho às 18h30min, porém, em março de 2005, esse horário foiprolongado em mais meia hora, com o término do trabalho de atualização do portal ocorrendoàs 19 horas. Mesmo assim, as notícias publicadas pelo jornal impresso, que tem seu2 IANZITO, Christina. New Media: Its It Journalism?, Columbia Journalism Review, NewYork, Columbia University, nov./dez. 1996. 13
  14. 14. fechamento bem mais tarde, tendem a possuir maior atualidade, o que seria uma característicaesperada da mídia on-line. Mesmo contando com a tecnologia da Internet, que possibilitaria uma maior agilidadee velocidade de atualização na mídia on-line com relação à impressa, como não existe uminvestimento em uma redação que possa acompanhar por um horário maior odesenvolvimento das notícias, o jornal impresso acaba por superar o portal naquelas queseriam as características da nova mídia. A partir da leitura e comparação do conteúdo disponibilizado no Sinos.net e o jornalNH, pôde-se observar que muitas matérias são iguais. Apesar de a editora do site afirmar queas matérias nunca são copiadas, buscando sempre um enfoque diferente, constatou-se umarepetição constante. Apenas uma matéria do site analisada no período possuía um enfoquetotalmente diferente da publicada sobre o mesmo assunto no jornal impresso. Outras duasmatérias possuíam uma redação exatamente igual no papel e na web. Apesar de a instantaneidade ser considerada uma das mais destacadas característicasdos veículos on-line, que podem divulgar notícias praticamente em “tempo real”, o portal doGrupo Sinos inverte a expectativa de que o meio digital teria uma atualização maior do que oimpresso. As potencialidades de um meio de comunicação se desenvolvem a partir de uminvestimento neste sentido, o que, no caso observado, coloca a velocidade na divulgação dasnotícias como uma possibilidade, e não como uma realidade. Como a redação do NH fecha mais tarde do que a do veículo digital, — e em casosespeciais fazendo cobertura vinte e quatro horas — o veículo impresso possui notícias maisatualizadas com relação às disponibilizadas no site. Em alguns portais, as redações trabalham 24 horas, atualizando as informações deminuto a minuto. Não é o caso do portal aqui estudado. Entretanto, como, com as novastecnologias as mudanças ocorrem com rapidez, vale à pena, a partir deste primeiro registro,voltar dentro de algum tempo a estudar o portal Sinos.net, juntamente, com o jornal impressoNH, pertencentes ao mesmo grupo de comunicação, para observar se há um maioraproveitamento das potencialidades do meio digital ou não. É o que pretendemos fazer dandocontinuidade a este estudo, aprofundando não só o estudo de caso, como também a reflexãodos teóricos que têm se debruçado sobre as relações entre o jornalismo impresso e ojornalismo on-line. 14
  15. 15. Obras consultadas:ARNT, Héris. Do jornal impresso ao digital: novas funções comunicacionais. In:HOHLFELDT, Antonio; BARBOSA, Marialva. Jornalismo no século XXI: a cidadania. PortoAlegre: Mercado Aberto, 2002.DE QUADROS, Cláudia Irene.Uma Breve história do jornalismo on-line. CONGRESSONACIONAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA INTERDISCIPLINAR DE PESQUISA EMCOMUNICAÇÃO, 25, 2002. Salvador, 2002. Anais eletrônicos... GT de Jornalismo. Disponívelem: <http://www.intercom.org.br/papers/xxv-ci/np02/NP2QUADROS.pdf>.EQUIPES precisam investir em atualização permanente. Jornal ANJ, São Paulo, AssociaçãoNacional dos Jornais, n., 191 p.24, out. 2004.HARRIS, Stuart. Cyberlive. São Paulo: Berkeley Brasil, 1995.MORETZOHN, Sylvia. Jornalismo em "tempo real": O fetiche da velocidade. São Paulo:Revan, 2002. 15

×