Introdução a php

  • 5,184 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • Gostei muito Parabéns........
    Are you sure you want to
    Your message goes here
No Downloads

Views

Total Views
5,184
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6

Actions

Shares
Downloads
241
Comments
1
Likes
3

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. facebook.com/allengomesvidal
  • 2. Um pouco de História 1995 Surge o PHP desenvolvido por Rasmus Ledford sob o nome de Personal Home Page Tools 1997 - PHP/FI 2ª versão da linguagem 1998 - PHP 3 (Andi Gutmans e Zeev Suraski ) Conexão com vários bancos de dados Sintaxe mais consistente 10% dos servidores web Seu nome muda para o nome atual
  • 3. Um pouco de História 2000 – PHP 4 Suporte a diversos servidores web Mais funcionalidades a OO. 20% da Internet 2004 – PHP 5 Fortalecimento a Orientação a Objetos Frameworks MVC. 2012 – PHP 5.3.10 Versão Atual Utilizada em 01 a cada 03 sites na internet (35% da web)
  • 4. O que é PHP? PHP é uma linguagem de programação multiparadigma, com tipagem dinâmica, voltada para o desenvolvimento de aplicações web;
  • 5. Curiosidade, Por que o Elefante?
  • 6. Quem Utiliza PHP?
  • 7. Ferramentas
  • 8. Arquitetura Cliente/Servidor Internet Usuário/cliente acessa website PHP
  • 9. Sobre o Wamp É um sistema indicado para os usuários que não têm instalado no windows nenhum dos programas necessários para programar em PHP (Apache, PHP e MySQL).
  • 10. Características Linguagem Interpretada O Código fonte pode ser inserido dentro do arquivo HTML Case Sensitive Sintaxe parecida com C,C++ e Java Software Livre, distribuído sob uma licença na qual os usuários não são obrigados a publicar seu código. Independente de Plataforma
  • 11. Características Linguagem Interpretada Significa que os comandos PHP são executados um a um diretamente por um interpretador, sem que haja necessidade de compilação como nas linguagens de programação convencionais.
  • 12. Características Inserindo PHP no HTML <html> <head><title>Inserindo PHP</title></head> <body> O comando echo, imprimi uma <?php mensagem com o texto echo “Alô Mundo”; Alô Mundo na tela do usuário. ?> </body> </html>
  • 13. Características Case Sensitive O PHP é uma linguagem “Case-Sensitive” ou seja uma função / variável de nome Echo não é igual a uma função / variável de nome echo.
  • 14. Características Sintaxe parecida com C, C++ e Java Em termos de sintaxe, a linguagem PHP herdou suas principais construções e comandos da linguagem C e C++.
  • 15. Características Portabilidade A portabilidade é uma das maiores vantagens do PHP, possibilitando sua instalação em vários Sistemas Operacionais como: Windows, Linux, Unix, IBM iSeries, SGI IRIX, RISC OS, Mac OS X, entre outros.
  • 16. Variáveis Conceitos Variáveis são endereços de memória nos quais podemos armazenar dados ou informações. Usamos variáveis para manipular esses dados mais facilmente e também para não perdê-los no meio do processo. O ponto forte de PHP é que podemos guardar qualquer tipo de dado em uma variável, desde um simples caractere até um objeto.
  • 17. Variáveis Conceitos/regras Toda variável tem nome e devemos tomar alguns cuidados ao nomeá-las. Nunca deve-se começar o nome de uma variável com um número, mas sim com uma letra ou um underline (_). Por PHP ser case-sensitive (diferencia letras maiúsculas de minúsculas), declarar uma variável x será diferente de X. $x; $minhaVariavel;
  • 18. Variáveis Atribuindo dados as variáveis Algo muito interessante em PHP é que uma variável pode ser de um tipo e virar outro a qualquer momento que quisermos. $minhaVariavel= 200; // minhaVariável é um inteiro valendo 200. $minhaVariavel= false; // Agora, é uma variável do tipo boolean falsa. $minhaVariavel= “FJN“; // Então, deixou de ser falsa e virou uma frase. $minhaVariavel= 0.75; // Não é mais frase, agora é um número decimal.
  • 19. Variáveis Arrays Também conhecidos como vetores, são variáveis que servem para guardar vários valores de forma uniforme na memória. Por exemplo, se tivemos que utilizar 20 variáveis para guardar o mesmo tipo de informação, nós não faríamos -> $var1, $var2, $var3, $var4, $var5, ... ao invés disso, criaríamos apenas uma variável do tipo array para guardar todas as 20 informações de uma vez. $cor = array(“Amarelo", “Vermelho", “Azul");
  • 20. Variáveis Arrays Como um único array pode possui vários valores, cada valor fica em uma posição específica da variável. Em PHP, uma das formas de acessar tais valores é utilizando o índice (index) do array que sempre se inicia em 0. Os índices são indicados por colchetes ([]) que vem logo após o nome da variável. Portanto, se quisermos modificar ou acessar algum dado da variável faríamos: $vetor = array(); $vetor[1] = 540; $vetor[3] = 8456;
  • 21. Variáveis Arrays Associativos Uma característica bem interessante dos arrays em PHP é a capacidade de fazer associações. Quando nos referimos a associações, queremos dizer que, ao invés de usarmos números como índices, podemos usar strings (nomes). Dessa forma, fica muito mais simples e intuitivo obter um valor de um array, pois nomes fazem mais sentido do que números.
  • 22. Variáveis Arrays Associativos Para usarmos o array associativo basta apenas substituir o número do índice por uma string. $doc = array(); $doc[rg] = "00.000.000-X"; $doc[cpf] = “020.153.713-39"; $doc[cartaodecredito] = 12345; $doc = array("rg" => "00.000.00-X", Para inicializar o array diretamente usando associações, deve-se usar "cpf" => "020.153.713-39", seta larga para vincular um valor a "cartaodecredito" => 12345); uma chave.
  • 23. Operadores Operadores Aritméticos Nesse grupo de operadores estão as operações matemáticas básicas. Operador Objetivo Exemplo + Adição $valor+$acrescimo - Subtração $valor-$desconto * Multiplicação $valor*10 / Divisão $valor/5 % Módulo (resto da divisão) $valor%2
  • 24. Operadores Demais operadores Operadores mais utilizados (atribuição, comparação, strings) Operador Objetivo Exemplo & E (and) $valor & $valor2 | Ou (or) $valor | $valor2 = Atribuição $valor = $total + 5 == Igualdade $valor == $a != <> Diferente $valor !=10 < Menor $valor < 10 > Maior $valor > 10 . Concatenação $texto01.$texto02
  • 25. Estruturas de Controle IF/ELSE Um fator de extrema importância em qualquer linguagem de programação é a capacidade de tornar nosso código capaz de tomar decisões baseando-se no que é falso e verdadeiro (lógica booleana). Em PHP, usamos if e else para tal ação, em conjunto com operadores lógicos para que possamos fazer comparações.
  • 26. Estruturas de Controle IF/ELSE <?php /*Código que verifica se um número é par ou ímpar */ $numero = 50; if ($numero % 2 == 0) /* * Se o resto da divisão de um número por 2 for 0, * então, quer dizer que este número é par. */ echo ("O número $numero é par"); else //Caso contrário echo ("O número $numero é impar"); ?>
  • 27. Estruturas de Controle SWITCH, CASE E DEFAULT Em PHP, existe um comando que permite utilizar várias opções definidas agrupadas em uma única estrutura. Switch trabalha usando casos (case) que são valores definidos. A estrutura do switch é: switch (variável) { case valor: código a ser executado }
  • 28. Estruturas de Controle SWITCH, CASE E DEFAULT$var1 = 0;switch ($var1) {case 0:echo “valor é zero”; break;case 1:echo “valor é um”; break;case 2:echo “valor é dois”; break;case 3:echo “valor é três”; break;default:echo “Valor fora da faixa”;break;}
  • 29. Estruturas de Repetição While-For While e For são comandos que servem para manter uma porção do código executando repetidamente. Também conhecidos como estruturas de repetição, iterações ou loops, esses comandos mantém a execução até que seu argumento seja falso.
  • 30. Estruturas de Repetição While A estrutura principal de while é: while (comparação) { código que será executado }. Ou seja, a comparação é verificada, caso ela seja verdadeira, então, o código é executado.<?php$n = 1;while ($n <= 10){ Isso resultará em:echo ($n." "); 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10$n++;}?>
  • 31. Estruturas de Repetição For A estrutura principal de for é: for (valor inicial; comparação; modificação do valor) { código que será executado }<?phpfor ($n=1; $n <= 10; $n++) { Isso resultará em:echo ($n." "); 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10}?>
  • 32. Variáveis Variáveis Global e Local As variáveis são classificadas em dois tipos, em qualquer linguagem de programação, que são as globais e as locais. Variável Global: Criada ou declarada fora de uma função, portanto podem ser utilizadas a qualquer momento no seu script. Variável Local: Criada ou declarada dentro de uma função, portanto só podem ser utilizadas dentro da função criada.
  • 33. Funções Conceitos/regras Funções são usadas para criar pequenos trechos de códigos separados do script principal. Esses trechos de códigos podem gerar um resultado (o que chamamos de funções com retorno) ou apenas executar uma rotina (funções sem retorno). Funções também são úteis para serem facilmente chamadas quando precisa-se repetir várias vezes um mesmo trecho de código.
  • 34. Funções Funções sem retorno Para criar funções em PHP usamos a palavra-chave function, então, damos um nome para nossa função. Essas primeiras funções que criaremos serão simples e não terão parâmetros. Portanto, a regra geral é a seguinte: <?php function nomedaFuncao ( parâmetros ) { código da função } ?>
  • 35. Funções Funções sem retorno Funções sem retorno são ideais para criar pequenos trechos de script que serão repetidos várias vezes durante o código. Por exemplo, a função abaixo irá mostrar na tela a mensagem Bem vindo ao PHP. <?php function ola () { echo (“<strong>Bem vindo ao PHP<strong><br>"); } ola(); ?>
  • 36. Funções Funções com retorno A principal diferença é que esta função devolve um resultado para o script. Por exemplo, podemos gerar um resultado de uma soma e devolver este resultado para o script. Para que uma função retorne algum valor usamos a palavra reservada return. <?php function somar () { return 5+5; } echo somar(); ?>
  • 37. Funções Funções com parâmetros ou argumentos Muitas vezes, funções devem receber dados para processá-los. A inserção de dados na função é dada por meio dos parâmetros ou argumentos da função. Uma função pode ter quantos parâmetros forem necessários desde que cada um seja separado por vírgula e não tenha a mesma denominação.
  • 38. Funções Funções com parâmetros ou argumentos Exemplo de uma função com retorno e outra sem retorno usando parâmetros. function mostrar ($mensagem){ echo $mensagem; } function somar ($x, $y){ Isso resulta em: return $x+$y; FJN! } 10 echo mostrar(“FJN!"); $resultado = somar (5,5); echo mostrar($resultado);
  • 39. Funções nativas do PHP Exemplo de algumas funções nativas do PHP include isset empty file_exists explode implode date rand
  • 40. Funções nativas do PHP Include Função utilizada para inserir arquivos dentro de uma página PHP. Include (“arquivo.php”);
  • 41. Funções nativas do PHP Isset A função isset() verifica se uma variável existe. /* Neste caso será impresso Variável existe. $nome=“php”; If (isset($nome)) { echo “Variável existe”; }
  • 42. Funções nativas do PHP Empty A função empty() verifica se uma variável está vazia. Uma variável é considerada vazia (empty) em PHP se ela se encaixar em uma das categorias abaixo: a) "" (uma string vazia) b) 0 (0 como um inteiro) c) "0" (0 como uma string) d) NULL e) false f) array() (um array vazio) $nome_da_variavel = 0; if(empty($nome_da_variavel)) { echo "Variável nula."; } else { echo "Variável não-nula."; }
  • 43. Funções nativas do PHP Explode A função explode() serve para dividir uma string em um vetor ou array de strings. $nome_arquivo = "texto.txt"; $arquivo = explode(., $nome_arquivo); echo ("O nome do arquivo é " . $arquivo[0]); echo (" e sua extensão é " . $arquivo[1]); o que fizemos foi separar uma string única a partir do caracter ponto (.) o caracter ou string usado como ponto de quebra ou separador é automaticamente excluído na separação, portanto, no caso acima o caracter ponto (.) deixa de existir.
  • 44. Funções nativas do PHP File_exists A função file_exists() verifica se o arquivo ou diretório informado existe, retornando Verdadeiro (TRUE) em caso de afirmativo e Falso (FALSE) caso contrário. //Verifica se um arquivo existe $arquivo = “teste.txt”; if (file_exists ($arquivo)) { Crie um arquivo chamado teste.txt include (“$arquivo”); Dentro desse arquivo digite seu } nome e salve na mesma pasta do else { arquivo PHP. echo “Arquivo não existe!”; }
  • 45. Funções nativas do PHP Implode Implode faz exatamente o contrário de explode. Ao invés de separar uma string em um vetor ou array, implode une ou junta os índices de um array em uma string única. Isso não importando de que tipo de array se trata, pode ser array de índices comum ou array associativo. $array = array ("www", "fjn", "edu", "br"); $frase = implode (., $array); echo ($frase);
  • 46. Funções nativas do PHP Date Utiliza-se a função date() para formatação de datas. //Exibindo data atual echo date(d.m.y); // H= Hora no formato 24 horas com dois digitos i= minutos s=segundos echo date(H.i.s);
  • 47. Funções nativas do PHP Rand A função rand produz números aleatórios. //Exibindo um número randômico. $numero = rand (1,999) echo “seu número da sorte é $numero”;
  • 48. Funções nativas do PHP Rand Crie/salve 04 imagens com os mesmos nomes que estão no código abaixo dentro da mesma pasta que vai estar o seu arquivo.php $pg = rand(1,4); if($pg == 1){ echo <img src="imagem1.jpg"/>; }elseif($pg == 2){ echo <img src="imagem2.jpg"/>; } elseif ($pg == 3) { echo <img src="imagem3.jpg"/>; }else{ echo <img src="imagem4.jpg"/>; }
  • 49. Exercício de Fixação 01. Crie um laço (for ou while) que receba 20 números e mostre apenas os impares, junto com o número a frase “o numero é impar” em negrito; 02. Crie um array associativo que receba “nome”, “endereço”, “numero da casa” e “cep”. Imprima os dados do array. 03. Crie uma função que multiplique dois números informados pelo usuário e incremente +10 no valor final.
  • 50. Varíaveis Superglobais O PHP disponibiliza variáveis chamadas superglobais, as quais estão disponíveis em qualquer lugar do script, sem que seja necessário declará-las globais. A principal finalidade dessas variáveis é facilitar o acesso a dados enviados pelo servidor web (como por exemplo, campos de um formulário). São elas:
  • 51. Varíaveis Superglobais $_GET O método GET envia uma informação de até 255 caracteres, que são enviados junto ao endereço do browser, por exemplo: http://localhost/pagina.php?x=10&y=20. Neste endereço estamos dizendo que o valor de x é 10. //para usarmos este valor devemos fazer: $variavel1 = $_GET[“x”]; $variavel2 = $_GET[“y”]; echo ($variavel1 + $variavel2);
  • 52. Variáveis Superglobais $_POST O POST é praticamente igual ao GET, porém, ele envia uma informação pelo método HTTP POST. Permite o envio de muito mais informações que o GET e não aparece as informações junto ao endereço(url). //Neste caso o valor será enviado através de um formulário HTML $variavel = $_POST[“x”];
  • 53. QueryString A QueryString é um modelo clássico de manutenção do estado da página. Elas são nada mais do que um conjunto de valores anexados a URL. Seu uso é simples, após a URL de determinada página, adicionamos o primeiro valor usando a seguinte sintaxe: ?pagina=valor.
  • 54. QueryString QueryString é um método que tem a função de chamar as páginas de forma dinâmica. Exemplo: meusite.com.br/index.php?pagina=contatos meusite.com.br/index.php?pagina=sobre meusite.com.br/index.php?pagina=equipe
  • 55. QueryString meusite.com.br/index.php?pagina=contatos meusite.com.br/index.php?pagina=sobre//Exemplo de utilizaçãoif (isset($_GET["pagina"])) {$pag = $_GET["pagina"];if ($pag == contatos)include (‘contatos.php);elseif ($pag == sobre)include (‘sobre.php);}
  • 56. Envio de Emails Com PHP Função mail() Enviar emails é a situação mais comum em sites dinâmicos, e enviar e-mails com o PHP é extremamente simples, pois dispomos da função mail() a qual se encarrega de enviar as mensagens de e-mail. $destinatario = “allengomesvidal@hotmail.com”; $assunto = “Aula de PHP”; $mensagem = “Quando será a próxima aula?” mail ($destinatario,$assunto,$mensagem);
  • 57. Envio de Emails Com PHP Função mail() Temos também o parâmetro header, que deve ser utilizado para passar informações sobre o documento. $destinatario = “allengomesvidal@hotmail.com”; $assunto = “Aula de PHP”; $mensagem = “<h1>Quando será a próxima aula?</h1>” $header = “From: fjn@fjn.edu.br rn”; $header .= “Content-type: text/html”; mail ($destinatario,$assunto,$mensagem,$header);
  • 58. PHP e MYSQL Funções Mysql (mysql_connect) Esta função habilita uma conexão com o servidor de banco de dados MySQL. É indispensável a necessidade de chamada dessa função antes de qualquer transação na base de dados. Esta função retorna o número inteiro 1 se a conexão for bem sucedida, caso contrário retorna 0. A sintaxe: mysql_connect("host","usuario","sua_senha");
  • 59. PHP e MYSQL Funções Mysql (mysql_connect) Onde: host - corresponde ao nome do computador que tem o servidor de Banco de Dados MySQL rodando. Pode ser o nome, por exemplo - localhost, ou o endereço de IP. usuário - é o nome de usuário do banco de dados sua_senha - a senha do banco de dados mysql_connect("host",“usuario","sua_senha");
  • 60. PHP e MYSQL Funções Mysql (mysql_select_bd) Esta função seleciona um banco de dados, retornando 1 se a transação foi bem sucedida e 0, caso contrário. Possui a seguinte sintaxe: mysql_select_db("nome_do_db",inteiro_conexao);
  • 61. PHP e MYSQL Funções Mysql (mysql_select_bd) Onde: nome_do_db - é o banco de dados que se quer utilizar. inteiro_conexao - corresponde ao identificador retornado pela função mysql_connect(). mysql_select_db("nome_do_db",inteiro_conexao);
  • 62. PHP e MYSQL Exemplo de Conexão //Conectando com o Mysql $conexao = mysql_connect("localhost",“root",""); //Selecionando o banco de dados //O parametro $conexao é opcional. $banco = mysql_select_db("usuarios",$conexao);
  • 63. PHP e MYSQL Funções Mysql (mysql_query) Utilizada pra executar qualquer consulta ao banco de dados, sua sintaxe é: mysql_query (comando_sql,$conexao); // O parâmetro conexão é opcional.
  • 64. PHP e MYSQL Funções Mysql (mysql_fetch_assoc) Retorna um array em que os índices são os nomes das colunas da consulta executada e os valores o conteúdo do registro (o PHP respeita o formato dos nomes das colunas, ou seja, os caracteres maiúsculos e minúsculos são mantidos da mesma forma especificada na consulta.) mysql_query (comando_sql,$conexao); // O parâmetro conexão é opcional.
  • 65. PHP e MYSQL Funções Mysql (mysql_num_rows) Utilizada para obtermos o número de linhas retornado após o mysql_query. Sua sintaxe é: mysql_num_rows (identificador);