Fratura de escafoide
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Fratura de escafoide

on

  • 1,132 views

Fratura do Escafoide ou de boxeador

Fratura do Escafoide ou de boxeador

Statistics

Views

Total Views
1,132
Views on SlideShare
1,132
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
11
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Fratura de escafoide Fratura de escafoide Presentation Transcript

  • Allan Franco Tecnólogo em Radiologia - graduando Disciplina – Patologia Básica Prof. Antonione Pinto
  •  Fratura mais comum dos ossos do carpo (50 – 80%).  Mecanismo de Lesão:  Queda da mão espalmada que imponha força de dorsiflexão, desvio e supinação intercarpiana.  Manifestação Clínica:  Dor e edema em punho;  Dor a palpação em tabaqueira anatômica.
  •  Avaliação Radiológica:  Rx de punho AP + P  Rx desvio radial e ulnar  RM  TC
  • Tratamento Conservador: Fx de terço distal sem desvio; Fx de tuberosidade. Gesso axilo palmar até polegar até 6 semanas, substituir por gesso curto até consolidação.
  • Tratamento das Suspeitas de Fraturas de Escafóide: Em pacientes com lesão e achados positivos ao exame físico, mas, radiograficamente normais, indica-se imobilização por 1-2 semanas. Repetir Rx se sintomático. o paciente Considerar RM ou TC. ainda estiver
  • Tratamento Cirúrgico: Fx com desvio > 1 mm Ângulo radiossemilunar > 15° Ângulo escafossemilunar > 60° Deformidade “em corcunda” Pseudoartrose
  • Retorno ao Esporte Reabilitção em 6 a 8 semanas. Quando atingir 80% da força do punho não afetado pode retornar ao esporte com órtese. A órtese deve ser mantida de 3 a 6 meses.
  •  As fraturas do rádio distal estão entre as mais comuns do membro superior.  Mecanismo de Lesão:  O mecanismo mais comum é queda sobre a mão espalmada com o punho em dorsoflexão.  Manifestação Clínica:  Deformidade variável no punho e desvio da mão com relação ao punho.  O cotovelo e o ombro ipsilaterais devem examinados em busca de lesão associadas. ser
  •  Avaliação Radiológica:  Rx do punho AP + P  A TC pode ajudar na demonstração da extensão do acometimento articular.  Relações radiológicas normais:  Inclinação radial: em média 23° (varia 13-30°)  Comprimento radial: em média 11 mm (varia de 818 mm)  Inclinação palmar (volar): em média 11-12° (varia de 0-28°)
  •  Tratamento Conservador:  Todas as fraturas devem ser submetidas a redução fechada.  A redução da fratura ajuda a limitar o edema póslesão, proporciona alívio da dor e alivia a compressão sobre o nervo mediano.  Indica-se imobilização com gesso:  Fx sem desvio ou com desvio mínimo.  Fx com desvio e padrão estável, que se pode esperar que se consolide de acordo com padrões radiológicos aceitáveis.
  •  Tratamento Cirúrgico:  Lesão de alta energia;  Perda de redução secundária;  Cominuição, degrau ou GAP articular;  Cominuição metafisária ou perda óssea;  Perda da inclinação volar com desvio;  Incongruência da ARUD.
  •  Fx do colo do 5° metacarpo  É a fratura mais comum da mão  Mecanismo de Lesão:  Soco contra objeto ou pessoa.
  •  Tratamento Conservador:  As reduções estáveis podem receber imobilização na posição protegida (flexão metacarpofalangiana > 70° para minimizar rigidez articular.  Tratamento Cirúrgico:  Colocação percutânea de pinos pode ser necessária para manter a redução;  A cominuição grave pode precisar de fixação com placa ou fixação externa com distração.
  •  É o análogo ligamentar da Fx de escafóide e representa a ruptura ligamentar mais comum do punho.  Ocorre ruptura dos ligamentos interósseos radioescafossemilunar e escafossemilunar.  Mecanismo de Lesão:  Sobrecarga do carpo estendido em desvio ulnar.
  •  Achados Clínicos:  Equimoses e dor volar sobre o punho.  O pólo proximal dorsalmente. do escafóide é proeminente  Aperto de mão vigoroso que induz dor.  Força que diminui progressivamente com o ato de agarrar repetitivamente objetos.  Flexão-extensão ou desvio radial-ulnar do punho dolorosos.
  •  Avaliação Radiológica:  Sinal de Terry Thomas: alargamento do espaço escafossemilunar (normal < 3 mm).  Sinal do anel cortical causado pelo escafóide anormalmente flexionado.  Ângulo escafossemilunar > 70°, visualizado na incidência lateral.
  •  Tratamento Conservador:  O escafóide frequentemente pode ser reduzido com um clique audível e palpável, seguido por imobilização durante 8 semanas em gesso axilopalmar incluindo o polegar.  Tratamento Cirúrgico:  A redução assistida artrocopicamente com a fixação percutânea de pinos foi descrita, com bons resultados.  A incapacidade de se obter ou manter a redução fechada constitui indicação para redução a céu aberto e fixação interna.
  • Retorno ao Esporte: O atleta pode retornar ao esporte quando tiver amplitude de movimento sem dor. Geralmente ocorre após tratamento conservador. 3 meses de
  •  Pode ocorrer um dedo em martelo (mallet finger) como resultado de uma Fx do lábio dorsal com ruptura do tendão extensor.  Mas, pode ocorrer por ruptura puramente tendinosa e, portanto, não ser visível nas radiografias.  Mecanismo de Lesão:  Impacto de bola ou objeto contra a falange distal.
  •  Ruptura do músculo flexor digital profundo (“dedo de jersey”: observado em jogadores de futebol e de rugby, mais comumente envolvendo o dedo anular).  Mecanismo de Lesão:  Avulsão do flexor profundo dos dedos na inserção da falange distal resultado de extensão forçada da articulação interfalangiana distal durante agarrão.
  •  Dedo de Jersey deve ser suspeitado em todas as lesões de interfalangianas distais em jogadores de vários esportes.
  •  Polegar do caçador é a ruptura ligamento colateral ulnar na articulação metacarpofalangiana.  Mecanismo de Lesão:  A lesão é causada pela abdução forçada e hiperextensão do polegar, e é comum em esquiadores e esportes de contato.  A ruptura do ligamento pode ser proximal ou distal, e pode incluir avulsão óssea.
  • Osteomielite é uma infecção dos ossos causada por bactérias ou outros germes
  • A infecção dos ossos é mais frequentemente causada por bactérias, mas também pode ser provocada por fungos ou outros germes.
  • As bactérias podem se espalhar nos ossos oriundas de pele, músculos ou tendões próximos infectados. Isso pode ocorrer embaixo de uma ferida na pele. A infecção também pode começar em outra parte do corpo e se espalhar pelos ossos através do sangue. Uma infecção nos ossos também pode começar após uma cirurgia nos ossos. Esse problema é mais provável se a cirurgia for feita após um ferimento ou se forem colocadas hastes ou placas metálicas no osso.
  •  http://drauziovarella.com.br/envelhecimento/osteoartrite/  http://www.news-medical.net/health/OsteoarthritisSymptoms-(Portuguese).aspx  http://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-edoencas/334420/o+que+e+osteomielite.htm  http://www.ortopediademo.com.br/Informativos/Osteomielit e-%E2%80%93-INFECCAO-NO-OSSO%7C73  http://emaxilab.com/saude-e-bem-estar-artigo-3-5867.html  http://ortopediasp.wordpress.com/2012/04/30/fratura-doboxer-pugilista/