Coesao e-coerencia

19,894 views

Published on

0 Comments
6 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
19,894
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
79
Actions
Shares
0
Downloads
731
Comments
0
Likes
6
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Coesao e-coerencia

  1. 1. TEXTO,COESÃO E COERÊNCIA PROFA. DRA. ROSANA DEL PICCHIA NOGUEIRA
  2. 2. O QUE É UM TEXTO?
  3. 3. Texto: não é uma simples sequência de frases isoladas, mas uma unidade linguística com propriedades estruturais específicas.Texto: unidade básica de manifestação da linguagem.O que o define não é sua extensão mas o fato de que ele é uma unidade de significação em relação à situação. É o lugar, o centro comum que se faz no processo de interação entre falante e ouvinte, autor e leitor.
  4. 4. • Todas as partes de um texto devem estar interligadas e manifestar um direcionamento único. Essas três qualidades - unidade, coerência e coesão - são essenciais para a existência de um texto.
  5. 5. • A organização e inter-relação de ideias envolveaspectos internos e externos ao texto. Taisaspectos afetam a produção e recepção de textose são chamados de fatores de textualidade. Sãoeles:
  6. 6. ELEMENTOS RESPONSÁVEIS PELATEXTUALIDADECoesão;Coerência;Informatividade;Situacionalidade;Intertextualidade;Intencionalidade;Aceitabilidade.
  7. 7.  Aceitabilidade: consideram-se dois aspectos:1) a maneira pela qual o redator produz o texto,buscando dar-lhe credibilidade e veracidade;2) como o público-alvo interpreta e dá sentido ao texto de acordo com seu repertório.
  8. 8. Intencionalidade: ligado ao objetivo decomunicação;Situacionalidade: refere-se ao lugar e aomomento da comunicação. Todos os dadossituacionais interferem na produção e recepçãodo texto;Intertextualidade: diálogo entre textos,utilização de outros discursos (jornalísticos,poéticos, literários etc) para aumentar o poderde argumentação;Informatividade: refere-se ao grau deprevisibilidade (expectativa) da informaçãopresente no texto;
  9. 9. COESÃO TEXTUALA coesão textual ocorre quando a interpretação de um elemento no discurso é dependente da de outro. Um pressupõe o outro. O filho desobedeceu à mãe e se deu mal.Trata-se de uma relação semântica, realizada por meio do sistema léxico-gramatical, que dá maior legibilidade ao texto. ◦ Ela sabia que isso iria acontecer com ele.
  10. 10. • MECANISMOS DE COESÃOREFERENCIALELIPSELEXICALSUBSTITUIÇÃOCONJUNÇÃO OU CONEXÃO
  11. 11. • Para conectar e relacionar as partes de um textohá uma série de mecanismos, que podem seradotados, de modo a tornar suas ideias mais clarase coerentes e deixar a leitura mais fluente.• Dois principais tipos de recursos de que você podese valer para garantir coesão e legibilidade àquiloque escreve:
  12. 12. 1- Coesão referencialA coesão referencial é estabelecida por meio deexpressões que retomam ou antecipam ideiasmencionadas no texto, estando intimamenterelacionada com as regras de repetição e daprogressão.• Esse tipo de coesão serve para evitar arepetição desnecessária de termos, além degarantir que uma informação nova estejaclaramente conectada a outra que já havia sidomencionada. Tal fenômeno pode se darbasicamente de duas formas:
  13. 13. 1.1- Emprego de pronomesOs pronomes são bastante úteis para evitarrepetições desnecessárias, pois permitem oencadeamento de ideias e podem substituir ostermos a que remetem. Nos cursos de Educação Física está ocorrendo umarevolução. A revolução vem provocando questionamentossobre alguns conceitos.“Nos cursos de Educação Física está ocorrendo umarevolução, que vem provocando questionamentos sobrealguns conceitos...” O Brasil exporta cacau e soja. Esta é plantada na região Sul; aquele, no Nordeste.
  14. 14. Vi no outro lado da rua o João, chamei-o, disse-lhe o quepretendia, e ele acolheu a minha ideia e ajudou-me.Peço-lhe apenas isto: que não se perca.O cão seguia-o para todo o lado, reparou o rapazquando se voltouEsta foi sempre a minha doutrina: tudo que há de bom e útilno mundo, se consegue procedendo por amor ao próximo.O Brasil é um país onde o incentivo à educação é primordial.
  15. 15. 1.2. Emprego de itens do léxico na coesãoreferencialQuando você escreve um texto, geralmente tem deinterromper mais de uma vez o processo decomposição, em busca de um sinônimo ou umaexpressão que substitua de forma adequadaalguma palavra que você já usou. Isso é umaestratégia de coesão lexical, a qual não se resumea isso, porém.
  16. 16. A coesão lexical conecta as partes do texto e evitaa repetição vocabular por meio do uso desubstantivos, verbos e adjetivos, o que exige umvocabulário amplo, adquirido apenas com a leituraconstante e frequentes consultas ao dicionário.
  17. 17. João Paulo II esteve, ontem, em Varsóvia. Nacapital da Polônia, o papa disse que a igrejacontinua a favor do celibato. Coesão referencialJoão Paulo II esteve, ontem, em Varsóvia. Lá, SuaSantidade disse que a Igreja continua a favor decelibato.Os automóveis colocados à venda durante aexposição não obtiveram muito sucesso. Isso talveztenha ocorrido porque os carros não estavam emum lugar de destaque no evento.
  18. 18. • Coesão por elipse:Ocorre quando elemento do texto é omitido emalgum dos contextos em que deveria ocorrer.-Pedro vai comprar o carro?- Vai!Cazuza viveu intensamente. Tinha fama derebelde, mas queria mesmo era transgredir.Eles acordaram e viajaram.
  19. 19. • Coesão por substituiçãoColocação de um item lexical com valor coesivo nolugar de outroExemplos: Pedro comprou um carro novo e José também. Minha prima comprou um Uno. Eu também quero um. O padre ajoelhou-se. Todos fizeram o mesmo.
  20. 20. • Conjunção ou conexãoA conjunção é um recurso coesivo diferente dosanteriores porque depende das relaçõessignificativas estabelecidas entre orações, entreperíodos ou entre parágrafos. Os principaiselementos conjuntivos são as conjunções/locuçõesconjuntivas, os advérbios/locuções adverbiais,preposições/locuções prepositivas e itenscontinuativos.
  21. 21. •O futebol brasileiro não assusta mais ninguém eadversários mais fracos já nos vencem com certafacilidade. Apesar do quadro adverso, a torcidabrasileira considera o nosso futebol o melhor domundo.• Fomos a Gramado. Depois, jantamos em NovaPetrópolis.
  22. 22. •A coesão por encadeamento pode ser feita por conexão ou por justaposição1) A coesão por conexão traz elementos que:a) fazem uma gradação na direção de uma conclusão: "até", "mesmo", "inclusive" etc;b) argumentam em direção a conclusões opostas: "caso contrário", "ou", "ou então", "quer... quer" etc;c) ligam argumentos em favor de uma mesma conclusão:"e", "também", "ainda", "nem", "não só... mas também"etc;d) fazem comparação de superioridade, de inferioridade ouigualdade: "mais... do que", "menos... do que", "tanto...quanto" etc
  23. 23. e) justificam ou explicam o que foi dito: "porque", "já que","que", "pois" etc;f) introduzem uma conclusão: portanto, logo, porconseguinte, pois etc;g) contrapõem argumentos: "mas", "porém", "todavia","contudo", "entretanto", "no entanto", "embora", "aindaque" etc;h) indicam uma generalização do que já foi dito: "de fato","aliás", "realmente", "também" etc;i) introduzem argumento decisivo: "aliás", "além disso","ademais", "além de tudo" etc;j) trazem uma correção ou reforçam o conteúdo do já dito:"ou melhor", "ao contrário", "de fato", "isto é", "querdizer", "ou seja" etc;
  24. 24. l) trazem uma confirmação ou explicitação: "assim","dessa maneira", "desse modo" etc;m) especificam ou exemplificam o que foi dito: "porexemplo", como etc.
  25. 25. 2) Os elementos coesivos por justaposiçãoestabelecem a sequência do texto, ou seja:a) introduzem o tema ou indicam mudança de assunto: "apropósito", "por falar nisso", "mas voltando ao assunto"etc;b) marcam a sequência temporal: "cinco anos depois","um pouco mais tarde" etc;c) indicam a ordenação espacial: "à direita", "na frente","atrás" etc;d) indicam a ordem dos assuntos do texto: "primeiramente","a seguir", "finalmente“ etc.
  26. 26. • ConectivosConectivos ou elementos de coesão são todas aspalavras ou expressões que servem paraestabelecer elos, para criar relações entresegmentos do discurso, tais como: então,portanto, já que, com efeito, porque, ora, mas,assim, daí, aí, dessa forma, isto é, embora etantas outras.
  27. 27. •Relação dos principais elementos de coesão: 1) assim, desse modo: têm um valor exemplificativo ecomplementar. A seqüência introduzida por eles servenormalmente para explicitar, confirmar ou ilustrar o que sedisse antes. O Governador resolveu não comprometer-se comnenhuma das facções em disputa pela liderança do partido.Assim, ele ficará à vontade para negociar com qualqueruma que venha a vencer. 2) e: anuncia o desenvolvimento do discurso e não arepetição do que foi dito antes; indica uma progressão queadiciona, acrescenta, algum dado novo. Se não acrescentarnada, constitui pura repetição e deve ser evitada. Ao dizer: Tudo permanece imóvel e fica sem se alterar.
  28. 28. 3) ainda: serve, entre outras coisas, para introduzir mais umargumento a favor de determinada conclusão, ou para incluirum elemento a mais dentro de um conjunto qualquer. O nível de vida dos brasileiros é baixo porque os saláriossão pequenos. Convém lembrar ainda que os serviçospúblicos são extremamente deficientes.4) aliás, além do mais, além de tudo, além disso:introduzem um argumento decisivo, apresentado comoacréscimo, como se fosse desnecessário, justamente paradar o golpe final no argumento contrário. Os salários estão cada vez mais baixos porque oprocesso inflacionário diminui consideravelmente seu poderde compra. Além de tudo são considerados como renda etaxados com impostos.
  29. 29. 5) isto é, quer dizer, ou seja, em outras palavras:introduzem esclarecimentos, retificações ou desenvolvimentodo que foi dito anteriormente. Muitos jornais, fazem alarde de sua neutralidade emrelação aos fatos, isto é, de seu não comprometimento comnenhuma das forças em ação no interior da sociedade.6) mas, porém e outros conectivos adversativos: marcamoposição entre dois enunciados ou dois segmentos do texto.Não se podem ligar, com esses relatores, segmentos quenão se opõem. Às vezes, a oposição se faz entresignificados implícitos no texto. Choveu na semana passada, mas não o suficiente parase começar o plantio.
  30. 30. 7) embora, ainda que, mesmo que: são relatores queestabelecem ao mesmo tempo uma relação de contradiçãoe de concessão. Servem para admitir um dado contráriopara depois negar seu valor de argumento. Trata-se de um expediente de argumentação muitovigoroso: sem negar as possíveis objeções, afirma-se umponto de vista contrário. Observe o exemplo: Ainda que a ciência e a técnica tenham presenteado ohomem com abrigos confortáveis, pés velozes como o raio,olhos de longo alcance e asas para voar, não resolveram oproblema das injustiças. Como se nota, mesmo concedendo ou admitindo asgrandes vantagens da técnica e da ciência, afirma-se umadesvantagem maior.
  31. 31. O uso do embora e conectivos do mesmo sentidopressupõe uma relação de contradição, que, se nãohouve, deixa o enunciado descabido. Exemplo: Embora o Brasil possua um solo fértil eimensas áreas de terras plantáveis, vamos resolvero problema da fome.
  32. 32. 8) Certos elementos de coesão servem para estabelecergradação entre os componentes de uma certa escala.Alguns, como mesmo, até, até mesmo, situam algumacoisa no topo da escala; outros, como ao menos, pelomenos, no mínimo, situam-na no plano mais baixo. O homem é ambicioso. Quer ser dono de bens materiais,da ciência, do próprio semelhante, até mesmo do futuro eda morte. ou É preciso garantir ao homem seu bem-estar: o lazer, acultura, a liberdade, ou, no mínimo, a moradia, o alimento ea saúde.
  33. 33. A tirinha acima, por exemplo, a coesão textual éestabelecida por palavras como então (que tem valorinterjetivo, indicando surpresa, espanto) e que (que ligaduas orações).Além disso, são também marcas da coesão textual aconcordância entre nomes ou entre verbos e nomes, verbose pronomes.
  34. 34. COERÊNCIA
  35. 35. COERÊNCIAÉ o resultado da articulação das ideias de um texto; é a estrutura lógico-semântica que faz com que numa situação discursiva palavras e frases componham um todo significativo para os interlocutores.
  36. 36. •Coerência é uma palavra utilizada no cotidianocom o sentido de “condição para que algo sejacompreensível”. Quando lemos ou ouvimosinformações confusas, dizemos que aquilo não fazsentido, pois está incoerente. Em um contextomais técnico, coerência significa a condiçãopara que um texto seja interpretado por umindivíduo em uma situação específica.
  37. 37. •A coerência transforma uma sequência depalavras em texto e não em um amontoadodesconexo de vocábulos. Essa sequência éentendida como texto quando o leitor é capaz depercebê-la como um todo com significado, que lhecomunica alguma ideia.
  38. 38. Um leitor só é capaz de conferir coerência a umtexto, isto é, torná-lo coerente, quando leva emconta os contextos de produção e recepção, poisalgumas leituras só fazem sentido se soubermosde antemão quando, onde, para quem e porquem o texto foi produzido.
  39. 39. A coerência depende de uma série de fatores,entre os quais vale ressaltar:o conhecimento do mundo e o grau em queesse conhecimento deve ser ou é compartilhadopelos interlocutores;o domínio das regras que norteiam a língua -isto vai possibilitar as várias combinações doselementos linguísticos;os próprios interlocutores, considerando asituação em que se encontram, as suas intençõesde comunicação, suas crenças, a funçãocomunicativa do texto.
  40. 40. Há coerência nesta frase?“Navios brasileiros entravam portugueses na Baíada Guanabara”
  41. 41. Parece incoerente a um primeiro olhar, sepensarmos que o verbo nessa oração é “entrar”,referindo-se a uma ação passada. Porém, umaleitura mais atenta confere coerência a esse texto,percebendo que se trata do verbo “entravar”,indicando uma ação presente.
  42. 42. A LIGAÇÃO A TECNOLOGIAO CELULAR A DUPLA COBERTURA A COMUNICAÇÃO A MENSAGEM A FACILIDADE A CONVERSA A CONVENIÊNCIA A MOBILIDADE A SEGURANÇA A COMODIDADE
  43. 43. •As regras de coerência textual1. Regra da repetição (ou regra da coerênciasintática) •Ao longo da exposição das ideias, é preciso queas partes do texto se conectem entre si, de modoque cada nova informação remeta à antiga. Dessaforma, ao mesmo tempo em que avança em termosde conteúdo, o texto deve sempre explicitar arelação de cada nova informação com asanteriores, para que o leitor não se perca na leitura.
  44. 44. “A Sociedade da Informação, formalizada nosinventos de uma série de máquinas inteligentescriadas ao logo da Segunda Guerra Mundial,origina novas responsabilidades para todos osatores sociais nela inseridos. Taisresponsabilidades representam a necessidadeda provisão do fluxo de informações quepermita desde a geração de novosconhecimentos até o efetivo exercício dacidadania pela sociedade civil.
  45. 45. 2. Regra da progressão •Ao mesmo tempo em que um texto precisaretomar, por meio de mecanismos coesivos,termos que já haviam sido mencionados, é precisoque haja renovação dos conteúdos, comprogressão semântica. Assim, o texto avança nacondução das ideias, não se tornando repetitivo.3. Regra da não-contradição (ou coerênciasemântica)Um texto coerente não pode contradizer umainformação apresentada por ele anteriormente.
  46. 46. COERÊNCIA SEM COESÃOOlhar fito no horizonte. Apenas o mar imenso. Nenhum sinal de vida humana. Tentativa desesperada de recordar alguma coisa. Nada.
  47. 47. Como se conjuga um empresárioAcordou. Levantou-se. Aprontou-se. Lavou-se. Barbeou-se. Enxugou-se.Perfumou-se. Lanchou. Escovou. Abraçou. Beijou. Saiu. Entrou.Cumprimentou. Orientou. Controlou. Advertiu. Chegou. Desceu. Subiu.Entrou. Cumprimentou. Assentou-se. Preparou-se. Examinou. Leu.Convocou. Leu. Comentou. Interrompeu. Leu. Despachou. Conferiu.Vendeu. Vendeu. Ganhou. Ganhou. Ganhou. Lucrou. Lucrou. Lucrou.Lesou. Explorou. Escondeu. Burlou. Safou-se. Comprou. Vendeu.Assinou. Sacou. Depositou. Depositou. Depositou. Associou-se. Vendeu-se. Entregou. Sacou. Depositou. Despachou. Repreendeu. Suspendeu.Demitiu. Negou. Explorou. Desconfiou. Vigiou. Ordenou. Telefonou.Despachou. Esperou. Chegou. Vendeu. Lucrou. Lesou. Demitiu.Convocou. Elogiou. Bolinou. Estimulou. Beijou. Convidou. Saiu. Chegou.Despiu-se. Abraçou. Deitou-se. Mexeu. Gemeu. Fungou. Babou.Antecipou. Frustrou. Virou-se. Relaxou-se. Envergonhou-se. Presenteou.Saiu. Despiu-se. Dirigiu-se. Chegou. Beijou. Negou. Lamentou. Justificou-se. Dormiu. Roncou. Sonhou. Sobressaltou-se. Acordou. Preocupou-se.Temeu. Suou. Ansiou. Tentou. Despertou. Insistiu. Irritou-se. Temeu.Levantou. Apanhou. Rasgou. Engoliu. Bebeu. Rasgou. Engoliu. Bebeu.Dormiu. Dormiu. Dormiu. Acordou. Levantou-se. Aprontou-se ...
  48. 48. COESÃO SEM COERÊNCIAFui à praia me bronzear porque estava nevando e, quando isso ocorre, o calor aumenta, o que faz com que sintamos frio.• As janelas da casa foram pintadas de azul,mas os pedreiros estão almoçando. A água dapiscina parece limpa, entretanto foi tratadacom cloro. A vista que tenho da casa é muitoagradável.
  49. 49. INCOERÊNCIA NA DISSERTAÇÃO“ O verdadeiro amigo não comenta sobre o próprio sucesso quando o outro está deprimido.Para distraí-lo,conta-lhe sobre seu prestígio profissional,conquistas amorosas e capacidade de sair-se bem das situações.Isso, com certeza, vai melhorar o estado de espírito do infeliz”.
  50. 50. INCOERÊNCIA NA NARRAÇÃO:“ O quarto espelha as características de seu dono:um esportista, que adorava a vida ao ar livre e não tinha o menor gosto pelas atividades intelectuais.Por toda a parte, havia sinais disso:raquetes de tênis,prancha de surf,equipamento de alpinismo, skate,um tabuleiro de xadrez com as peças arrumadas sobre uma mesinha, as obras completas de Shakespeare”.
  51. 51. Tipos de coerênciaCoerência semânticaCoerência sintáticaCoerência estilísticaCoerência pragmática
  52. 52. Coerência SemânticaRefere-se à relação entre os significados dos elementos das frases em sequência; a incoerência aparece quando esses sentidos não combinam,ou quando são contraditórios. Ex:...ouvem-se vozes exaltadas para onde correram muitos fotógrafos e telegrafistas para registrarem o fato.
  53. 53. Coerência SintáticaRefere-se aos meios sintáticos usados para expressar a coerência semântica: conectivos, pronomes etc. Ex: Então as pessoas que têm condições procuram mesmo o ensino particular.Onde há métodos, equipamentos e até professores melhores.
  54. 54. Coerência Estilística Esse tipo de coerência não chega na verdade, aperturbar a interpretabilidade de um texto;é umanoção relacionada à mistura de registroslinguísticos.É desejável que quem escreve ou lêse mantenha num estilo relativamente uniforme.Ex: Prezado Antônio, Neste momento quero expressar meusprofundos sentimentos por sua mãe ter batidoas botas.
  55. 55. Coerência PragmáticaRefere-se ao texto visto como uma sequência ,é preciso que os atos de fala se realizem de forma apropriada,isto é, cada interlocutor, na sua vez de fala,deve conjugar o seu discurso ao ato do seu ouvinte. Exemplo: a) Você pode me dizer onde fica a Rua Alice? b) O ônibus está muito atrasado hoje.

×