Your SlideShare is downloading. ×
Figuras de som
Figuras de som
Figuras de som
Figuras de som
Figuras de som
Figuras de som
Figuras de som
Figuras de som
Figuras de som
Figuras de som
Figuras de som
Figuras de som
Figuras de som
Figuras de som
Figuras de som
Figuras de som
Figuras de som
Figuras de som
Figuras de som
Figuras de som
Figuras de som
Figuras de som
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Figuras de som

1,157

Published on

Revisão Recuperação 7o Ano

Revisão Recuperação 7o Ano

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,157
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
9
Actions
Shares
0
Downloads
42
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Figuras deLinguagemFiguras ligadas aoaspecto sonoro
  • 2. Recursos sonoros: Figuras de linguagem que investem nonível fonético. Aparecem na poesia e na prosa e, é claro,na música. O aluno deve perceber a implicaçãosemântica do uso desses recursos.
  • 3. Aliteração: É a repetição de um fonema consonantal:Ex:“Leve véus velam nuvem vãs, a lua.”(Fernando Pessoa)
  • 4. Assonância: É a repetição de um fonema vocálico(reiteração de vogal).Ex:“Desejo de ser eu mesmo de meu ser medeu.” (Fernando Pessoa)
  • 5. Assonância:lá?ah!Sabiá...papá...maná...Sofá...sinhá...cá?bah! (J. P. Paes)
  • 6. Paronomásia: Consiste no emprego de palavrassemelhantes na grafia e/ou no som, masdiferentes ou opostos no sentido. Todo trocadilho se vale de paronomásia. Muito usada na publicidade.Ex: “Deve ser legal ser negão no Senegal”(Chico César)
  • 7. Paronomásia:Sobre o sentar-/estar-no-mundo(A Fanor Cumplido Jr.)1 Onde quer que certos homens se sentem2 sentam poltrona, qualquer o assento.3 sentam poltrona: ou tábua-de-latrina,4 assento além de anatômico, ecumênico,5 exemplo único de concepção universal,6 onde cabe qualquer homem e a contento.
  • 8. Paronomásia:1 Onde quer que certos homens se sentem2 sentam bancos ferrenhos de colégio;3 por afetuoso e diplomado o estofado,4 os ferem nós debaixo, senão pregos,5 e mesmo a tábua-de-latrina lhes nega6 o abaulado amigo, as curvas de afeto.7 A vida toda, se sentam mal sentados,8 e mesmo de pé algum assento os fere:9 eles levam em si os nós-senão-pregos,10 nas nádegas da alma, em efes e erres.(J.C. de Melo Neto, A educação pela pedra, 1968)
  • 9. Onomatopéia: Consiste no emprego de palavras quereproduzem sons da natureza, de animais, deobjetos.Ex: Vozes na noiteCloc cloc clocSaparia no brejo?Não, são os quatro cãezinhos policiaisbebendo água.(Manuel Bandeira)
  • 10. Onomatopéia:“A língua do nhemHavia uma velhinhaQue andava aborrecidaPois dava a sua vidaPara falar com alguémE estava sempre em casaA boa velhinhaResmungando sozinha:Nhem-nhem-nhem-nhem-nhem..."(Cecília Meireles)
  • 11. Onomatopéia: “ Não obstante expediente universal epermanente, a onomatopéia tornou-se modadurante a hegemonia do Simbolismo, a pontode atribuir-se a cada vogal uma carga sonora,correspondente a um instrumento: A – orgão E – harpa I – violino O – metais U – flauta”(Maussad Moisés, Dicionário de termos literários)
  • 12. ATENÇÃO: Em certos textos, a aliteração e aassonância criam efeitos onomatopaicos,ou seja, as consoantes são utilizadas parareproduzir certos sons:“Em tempo de tormenta e vento esquivo,De tempestade escura e triste pranto”(Camões, Os lusíadas)
  • 13. Compreendendo osrecursos sonoros:“Vozes veladas, veludosas vozes,Volúpias dos violões, vozes veladas,Vagam nos velhos vórtices velozesDos ventos, vivas, vãs, vulcanizadas.”(Cruz e Sousa)
  • 14. Compreendendo osrecursos sonoros:[...] Num tempoPágina infeliz da nossa históriaPassagem desbotada na memóriaDas nossas novas geraçõesDormiaA nossa pátria mãe tão distraídaSem perceber que era subtraídaEm tenebrosas transações [...] (Buarque, Chico e Hime, Francis, Vai passar)
  • 15. Compreendendo osrecursos sonoros:A ondaa onda andaaonde andaa onda?a onda aindaainda ondaainda andaaonde?aonde?a onda a onda (Manuel Bandeira)
  • 16. Compreendendo osrecursos sonoros:Rio na sombra O frioSom bomfrio. do longo rio.Rio Tão longe,sombrio. tão bom,tão frioO longo som o claro somdo rio do riofrio. sombrio!(Cecília Meireles)
  • 17. Compreendendo osrecursos sonoros: “Ao final do processo de reciclagem, aquele lixo delata vira lata de luxo, embalando as bebidas quetodo mundo gosta, das marcas que todo mundopode confiar.” “Um jornal era isso, o sobressalto da novidade e agarantia de que a nossa rotina continuava.Simultaneamente um espalhafato – um espalhafatos – e um repetidor das nossas confortáveisbanalidades municipais.” (L. F. Veríssimo, OEstado de S. Paulo)
  • 18. Compreendendo osrecursos sonoros:CigarraDiamante. Vidraça.Arisca, áspera asa riscaO ar. E brilha. E passa(Guilherme de Almeida)
  • 19. ATENÇÃO: O uso de tais recursos em situaçãoimprópria pode ser defeito de estilo.ECO: Dissonância produzida pela ocorrênciade terminações iguais ou semelhantes.Ex: “O Biodiesel promete e o Brasil investe”(dissertação de aluno)
  • 20. ECO:Ex:“A constante presença do declarante torna-oparticipante e principal integrante do grupode meliantes.”“Geralmente, ninguém mostra claramente oque é intimamente”“Foi ao casamento sem o meu consentimento”
  • 21. CACÓFATO: Trata-se do mau som resultante da junçãode duas ou mais palavras.Ex: “Nunca gasta além do necessário”“O estudantes cantaram nosso hino”“Acho linda a boca dela”
  • 22. Hiato: É o efeito dissonante produzido por umaseqüência ininterrupta de vogais.Ex: “Ou eu o ouço, ou não saberei o quedizer.”

×