Dinamicas.pmd
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Dinamicas.pmd

on

  • 756 views

 

Statistics

Views

Total Views
756
Views on SlideShare
756
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
13
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Dinamicas.pmd Presentation Transcript

  • 1. Extraído do livro Introduçao ao Estudo da Pedagogia Espírita Walter O.Alves - Ed.: IDE DINÂMICAS DE GRUPO E SENSIBILIZAÇÃO
  • 2. S DINÂMICAS DE GRUPO E SENSIBILIZAÇÃO SENSIBILIZAÇÃO Apresentamos neste item algumas técnicas de sensibilização, como exemplo de atividades que poderão ser utilizadas nos diversos momentos de nossos estudos, com as crianças e jovens. ENTREVISTA Objetivo:Integraçãoeconhecimentodooutro.Paraoiníciodeatividades de um grupo, onde os elementos ainda não se conhecem. Material: Nenhum Procedimento: Dividir o grupo em duplas. Cada um entrevistará seu parceirodurante2ou3minutos:nome,origem,característicaspessoais, o que faz, seus ideais, etc. A seguir, em círculo, cada um apresentará o seu parceiro, falando sobre ele. ABRAÇOS Objetivos: Sensibilizar, “quebrando o gelo” e despertando a amizade. Materiais: Toca fitas ou CD Procedimento: Todos de pé. Enquando ouvem uma música, tentarão despertar o máximo de sentimentos bons em seu coração. Quando se sentirem prontos, sem nenhum sinal prévio, deverão abraçar os amigos, tentando dividir e transmitir esse sentimento aos demais. Não será necessária avaliação ou comentários finais. EMOÇÕES Objetivos: Sensibilizar e despertar o sentimento de amizade e de amor. Materiais: Toca fitas ou CD Procedimento: Variação da técnica anterior. Todos em pé, de olhos fechados. Informar que será colocada uma música, e que todos deverão caminhar aleatoriamente falando a palavra “emoções”. Ao tocar em outra pessoa, ambos deverão darem-se as mãos. Quando estiver com as duas mãos ocupadas parar de falar. A voz orientará as pessoas para procurarem o outro e dar as mãos. Durante a música, segurando as mãos de seus amigos, deverão “tirar” os bons sentimentos do próprio coração. Quando a música parar, abrir os olhos e comunicar esse sentimento às pessoas a sua volta, da maneira que achar melhor. Deixe a música tocar até o final. Nenhum comentário será necessário. Normalmente as pessoas se abraçam e se emocionam muito. OVALOR DO TRABALHO EM GRUPO Objetivo: Demonstrar o valor do trabalho em grupo. 169 170
  • 3. 171 172 Material: Jornais, tesoura, cola. Procedimento: Um grupo trabalhará individualmente, separando os participantes que deverão recortar braços, pernas, corpo e cabeça de um boneco de papel. Mas atenção: deverão trabalhar individualmente, cada um no seu espaço, sem se comunicarem. Formar outro grupo que deverá executar a mesma tarefa, mas trabalhando juntos. Depois de um tempo pré-determinado, comparar os trabalhos, O primeiro grupo, por falta de comunicação entre si, formará um boneco sem nenhum proporção. O segundo grupo conseguirá montar um boneco com proporções corretas. Comentários: Questionar os participantes quanto ao trabalho em grupo e quanto ao trabalho individual. A competição e a colaboração, as intrigas, os mexericos, a responsabilidade do trabalho bem feito. “Meus discípulos serão conhecidos por muito se amarem.” OSAL DE FRUTA Objetivo: Levar os participantes a perceberem a importância que cada um tem em um grupo. Participar não é apenas estar presente, mas interagir, vivenciar, estar aberto ao trababalho e ao outro. Material: Um copo d’água e um envelope de Sal de Fruta ou Sonrisal Procedimento: O coordenador com um copo de água e um envelope de Sal de Frutas começará perguntando às pessoas o que aconteceria se ele jogasse o Sal de Fruta na água. Em seguida joga o Sal de Fruta com o envelope fechado na água e espera a reação das pessoas. Comentários: Passado o impacto da situação, o coordenador começa a falar do espírito de grupo, da participação verdadeira de cada um, abrindo o Sal de Fruta, fazendo a analogia com a atitude dos que fazem parte de um grupo e não se misturam ( em todos os sentidos ) e da necessidade de se tornar “um Sal de Fruta aberto”, para que produza efeito. VISÃO GLOBAL Objetivos: Demonstrar que, muitas vezes, vemos ape- nas parte de um problema ou de uma teoria. Demons- trar a necessidade de adquirir uma visão global do pro- blema ou fenômeno. Material: Um cubo com cores e figuras diferentes em cada face. Procedimento: Os participantes divididos em quatro grupos. O cubo colocado no centro, de forma que cada grupo estará olhando para uma ou no máximo duas faces do cubo.O coordenador pedirá para cada grupo descrever como é o cubo.As descrições serão diferentes. Perguntar se alguém esta mentindo. Questionar o porque das diferen- tes respostas.Girar o cubo para que cada grupo consiga observar de- talhes que antes não via. Comentários: Comparar com a nossa vida e nossos conhecimentos. Cada criatura consegue observar certos detalhes da vida, possui cer- tos conhecimentos, sem todavia saber tudo e tudo compreender. Des- tacar que o estudo em grupos, permitirá que cada um melhore seu ângulo de visão ou seus conhecimentos interiores. BRAÇO QUEBRADO Objetivos: Demonstrar a importância da solidariedade. “Faça aos outros o que você desejaria para si mesmo”. Material: Cartolinas, cola ou fita adesiva. Procedimento: Dobrar as cartolinas formando um canudo. Colocar nos braços dos participantes de tal forma que não consigam dobrar os braços.Ocoordenadordaráumbombomparacadaparticipante,dizendo que pode comê-lo. Alguns poderão pensar que é um teste de habilidade, mas muitos perceberão que se abrir o bombom e der ao outro, este fará o mesmo consigo. PASSADO, PRESENTE E FUTURO
  • 4. 173 174 Objetivos: Demonstrar que passado, presente e futuro “vivem” em nós. Estamos sempre construindo nosso próprio futuro, através do trabalho no presente. Material: Folha de papel e lápis. Procedimento: Fundo musical. Em silêncio, cada participante re- ceberá papel e caneta. Dividir a folha em três partes. Num primeiro momento, escrever na primeira parte as lembranças de sua infância. Num segundo momento, escrever na segunda parte da folha sobre sua vida atual. Num terceiro momento, escrever na terceira parte so- bre o que gostaria de fazer num futuro próximo ou remoto. Seus ide- ais, seus sonhos, esperanças. Comentários: O coordenador procurará lembrar que nós mesmos es- crevemos nosso passado e estamos vivendo nosso presente. Nosso futuro, depende de nossa ação de hoje. Estamos todos construindo nosso próprio futuro. CRIATIVIDADE E PARTILHA Objetivos: Analisar sua própria atitude frente a um grupo de trabalho. Materiais: Argila. Procedimento: Colocar numa mesa do centro, grande quantidade de argila. Solicitar apenas que criem livremente com a argila. Se pergun- tarem como deverão agir, afirmar apenas que são livres. Avaliar: Ao terminar, reunir o grupo e fazer uma auto-avaliação. Cada um dirá se pegou uma grande quantidade de argila, se pensou no outro, se pensou em dividir a argila em partes iguais, se propôs um trabalho em conjunto, etc. Comentários: A importância do trabalho em grupo, de pensar no ou- tro, de saber compartilhar. Ao final, expor os trabalhos. OAMIGO SECRETO Objetivos: Despertar o sentimento de amizade. Sensibilizar para o outro. Materiais: Cartões, lápis preto, lápis de cor ou giz de cera. Procedimento: Escrever os nomes dos participantes em tirinhas de papéis, dobrar e colocar num recipiente qualquer. Cada um deverá retirar um nome. Cada participante receberá um pedaço de cartolina. Deverá fazer um cartão, ilustrando-o livremente e escrever uma frase ou mensagem para seu parceiro. Na entrega, para identificar, deverá citar uma qualidade do seu amigo. SOLIDARIEDADE E CRIATIVIDADE Objetivos: Técnica ideal para redividir os grupos ou formar grupos diferentes. Ao mesmo tempo, estimular o trabalho em grupos e a soli- dariedade. Materiais: Cartolinas de cores diferentes: azul, verde, rosa e amarela. Procedimento: Escrever frases destacando a solidariedade nas fo- lhas de cartolinas. Recortar formando um quebra-cabeças. Misturar todas as cores. Os participantes receberão os pedaços e tentarão for- mar as frases. Eles não serão informados que as frases estão escritas em cartolina da mesma cor. Terão que descobrir por si, ajudando uns aos outros. No final, ao reconstruir as frases, os grupos estão forma- dos pelas cores. AAMIZADE Objetivos: Despertar o sentimento de amizade. Material: Cartolinas, canetas, lápis de cor ou giz de cera. Procedimento: Cada participante receberá uma cartolina inteira. De- verá escrever seu nome em letras grandes no canto superior direito. A seguir, cada um entregará a cartolina ao colega do lado que deverá
  • 5. 175 176 escrever uma mensagem ou desenho. A cartolinha vai girando, até voltar ao seu ponto de partida. Será uma recordação da turma. QUALIDADES Objetivos: Perceber que todas as pessoas têm ótimas qualidades. Materiais: Papel e caneta. Procedimento: Anotar o nome de cada participante no cantinho de uma folha de papel. Dobrar, embaralhar e distribuir. Cada um deverá anotar três ou mais qualidades da pessoa cujo nome está em seu papel. O coordenador recolherá os papéis, embaralhando e redistribuindo. Cada um lerá no papel que retirou, o nome e as qualidades escritas. Avaliação: Cada participante poderá comentar o que sentiu ao analisar a pessoa da qual escreveu as qualidades e comentar o que sentiu ao ler as qualidades a ela atribuída. HORA DA VERDADE Objetivos: Aprender a analisar de forma construtiva e a receber críti- cas e elogios com a mesma serenidade. Materiais: Cartões e canetas. Procedimento: Os participantes em círculo, sentados no chão, com um cartão e caneta nas mãos. Cada um escreverá o seu nome no cartão e, a um sinal dado, passará o cartão para o amigo da direita, que deverá escrever uma crítica construtiva ou um elogio para ele. A outro sinal o cartão continua girando até que chegue de volta às mãos do dono. Avaliação: Ao final, cada um se auto-avaliará: como recebe críticas ou como faz críticas? Refletir sobre as diferentes formas de criticar. CRITICAR E PERDOAR Objetivos: Analisar como cada um recebe uma crítica. Aprender a receber uma crítica, perdoar e aproveitar a crítica para se melhorar. Material: Papel e caneta. Procedimento: Colar um papel nas costas de todos os participantes. O coordenador pedirá para que todos os participantes escrevam no papel críticas que se poderia fazer à pessoa que está com o papel. Após 5 minutos o coordenador afirmará que poderão o fazer o que quiserem com o papel colado nas costas, até dobrá-lo e rasgá-lo sem ver quais as críticas escritas. Feito isso, deixa-se livre para que cada um proceda a maneira que quiser. Avaliação: No final, pode-se em grupo cada um expor o que sentiu, quando sabendo que estava sendo criticado, sem poder se justificar. O que sentiu ao ler as críticas ou porque rasgou o papel. Comentários: Comentar sobre a forma de criticar e o valor do perdão. ISOLAMENTO Objetivos: Sentir a alienação, o isolamento, a solidão, sensação de estarexcluídodeumgrupo.Vivenciarodesejodemerecerconsideração e interesse. Material: Nenhum. Procedimento: Seis ou sete pessoas no centro do grupo, formando um círculo apertado com os braços entrelaçados. Tanto podem ficar virados para dentro como para fora. A seguir escolhem-se as pessoas que serão os “intrusos” e que deverão tentar penetrar no círculo da maneiraquepuderem.Oscomponentesdocírculoprocurarãoconservá- los fora. Avaliação: Após o exercício, todo comentam acerca da experiência. Observar se os intrusos tentam entrar à força ou com diálogo.
  • 6. Todas as dinâmicas abaixo tendem a desenvolver a socializa- ção, o sentimento de cooperação, trabalhando também com a energia volitiva do educando, favorecendo a criatividade e o desenvolvimento do raciocínio lógico. O REMADOR Objetivos: Desenvolver a socialização, o espírito de cooperação e o raciocínio lógico. Procedimento: Após a discussão ou estudo em grupo de um assun- to, dividir em grupos de 5 ou 6 elementos. Cada elemento com papel e caneta, deverá anotar a resposta solicitada, ou a conclusão a que chegou. A um sinal dado (apito ou palma) deverá passar a folha para o participante do lado, que deverá completar a questão, e assim su- cessivamente, até a folha retornar ao ponto de origem. Ao receber a folha de volta, cada participante fará uma síntese de tudo aquilo que seus companheiros escreveram. DINÂMICAS DE GRUPOD 177 178 TELEFONE SEM FIO Objetivos: Perceber o perigo de repetir histórias que outros contaram sem ter participado do fato. Cuidado em não espalhar boatos. Materiais: Nenhum. Procedimento: Formar dois grupos. O coordenador relatará a uma pessoa de cada grupo o mesmo fato, de preferência que tenha dados como, local, nomes, que será espalhado seqüencialmente para cada um do grupo. Ao final os dois últimos que ouviram a história irão contar a todos o que entenderam. No final o coordenador poderá ler , a versão real, para que todos vejam como foi distorcida a história. Comentários: Comentar como muitas vezes espalhamos boatos sem ter certeza de sua veracidade. Comentar o perigo dos mexericos, intrigas, comentários maldosos.
  • 7. 179 180 JORNAL FALADO Objetivos: Desenvolver a criatividade, a expressão verbal, a sociali- zação, o espírito de cooperação e o raciocínio lógico. Procedimento: Em grupos. Os participantes pesquisam determinado tema. Em seguida, em grupos, sintetizam o assunto através de um “jornal falado”. Depois de um tempo pré-determinado pelo coorde- na-dor, apresentam o jornal, da forma mais clara e adequada possí- vel. JOGRAL ANIMADO Objetivos: Desenvolver a criatividade, a expressão verbal, a expres- são corporal, a socialização, o espírito de cooperação e o raciocínio lógico. Procedimento: Em grupos. Os participantes pesquisam determinado tema. Em seguida, cada grupo prepara a exposição do assunto em forma de jogral. Depois de um tempo, o grupo apresente o assunto em forma de jogral, se possível com expressão corporal. ENTREVISTA Objetivos: Desenvolver o raciocínio lógico, a cooperação e socializa- ção. Procedimento: No primeiro momento, todos os participantes pesquisam determinado assunto e se preparam para uma entrevista. O coorde- na-dor sorteia alguns elementos para formarem a mesa dos entrevis- tados, que deverão responder às perguntas dos entrevistadores, tam- bém escolhidos por sorteio. Definir com todos as regras da entrevistas: - perguntar em determinada ordem, - as respostas serão em determinada ordem, - os entrevistados poderão se comunicar entre si, antes de res- ponder, ou deverão responder individualmente, etc. DRAMATIZAÇÃO Objetivos: Desenvolver a criatividade, a expressão verbal, a expres- são corporal, a socialização, o espírito de cooperação e o raciocínio lógico. Procedimento: Em grupos. Os participantes pesquisam determinado conteúdo e preparam a representação teatral sobre o conteúdo em estudo. Depois de um tempo determinado, apresentar para toda a turma. TELEVISÃO Objetivos: Desenvolver a criatividade, a expressão verbal, a expres- são corporal, a socialização, o espírito de cooperação e o raciocínio lógico. Procedimento: Em grupos, pesquisarão determinado assunto. Por exemplo: A vida de Allan Kardec. Cada grupo irá apresentar o resul- tado de sua pesquisa usando todos os recursos possíveis, como se fosse uma apresentação de determinado canal de TV, como uma re- portagem especial. Ao final, todos fazem uma avaliação e esco- lhem o melhor canal de TV. Justificar o porque da escolha: foi mais claro, mais animado, mais criativo, usou música, dança, dramatização, etc. RESPOSTA CERTA - AVANÇAR Objetivos: Desenvolver a socialização, o raciocínio lógico e a coope- ração. Procedimento: Os grupos de 5 ou 6, em filas. Traçam-se duas linhas no chão. O coordenador fará uma pergunta para o primeiro elemento
  • 8. 181 182 4 3 1 2 2 3 1 42 4 1 3 1 42 3 43 1 22 31 4 2 4 1 3 1 4 2 3 da fila. Somente ele poderá responder, sem se comunicar com os de-mais. Se acertar ele avançará até a segunda linha. Se errar, passa- ra ao final de sua fila. A próxima pergunta será para o segundo ele- mento, que se acertar, avança para a segunda linha e se errar, irá para o final da fila, e assim por diante. As perguntas serão em rodízio, uma para cada grupo. O grupo terá concluída a sua tarefa quando todos os elementos passarem pela segunda linha. GRUPOS DINÂMICOS Objetivos: Desenvolver a socialização, o espírito de cooperação e o raciocínio lógico. Procedimento: Distribuir cartões com cores e números. Num primeiro momento, dividir os grupos pelas cores. Cada gru-po deverá estudar determinado assunto. Num segundo momento, os grupos se redividem pelos números. Cada participante relata ao novo grupo as conclusões do grupo anteri- or e forma uma síntese do assunto. Ao final, um representante de cada grupo, expõe o resultado da síntese para todos os participantes PERGUNTA E RESPOSTA Objetivos: Desenvolver a socialização, o espírito de cooperação e o raciocínio lógico. Procedimento: Os participantes estudam determinado assunto. Todos elaboram uma pergunta sobre o tema em estudo. Sortear um dos par- ticipantes e vendar seus olhos. O coordenador vai apontando os parti- cipantes e perguntando: - É este? O participante de olhos vendados deverá responder sim ou não. Quando responder sim, o coordenador tira-lhe a venda e a pessoa apontada faz a pergunta. Se acertar, conti- nua na frente mais uma vez. Se errar, cede o seu lugar àquele que perguntou e assim sucessivamente. DISCUSSÃO EM PEQUENOS GRUPOS Objetivos: Desenvolver a socialização, o espírito de cooperação e o raciocínio lógi- co. Procedimento: Divide-se os participantes em sub-grupos de 3 ou 4 elementos, que estudarão o mesmo tema em obras diferen- tes, podendo abranger aspectos diferentes do tema. Por exemplo: Grupo 1: Estuda em O Livro dos Espíritos Grupo 2: Estuda em A Gênese Grupo 3: Estuda em A Caminho da Luz Depois de um período de estudo, 30 min. por
  • 9. exemplo, todos voltam formando apenas um grupo. Um relator de cada sub-grupo fará a exposição resumida do assunto estudado e todos farão perguntas e comentários. EXPOSIÇÃO Procedimento: É a exposição propriamente dita, feita por um ele- mento do grupo ou um convidado. É indispensável que seja dinâmica e ativa, para atrair a atenção e o interesse de todos. Deve-se usar recursos auxiliares como cartazes, slides, mapas, transparências, videos, etc. A exposição dependerá das qualidades do expositor, que deverá se esforçar para desenvolver boa inflexão de voz, boa dicção e bom conhecimento do assunto. Não se deve usar muitas vezes a exposi- ção, pois é uma técnica que não propicia a participação ativa dos de- mais elementos. Recomendamos, todavia que a exposição seja acompa-nhada de outras técnicas, como veremos a seguir. SEMINÁRIO - EXPOSIÇÃO E ENTREVISTA Objetivos: Desenvolver o raciocínio lógico. Procedimento: Após a exposição feita nos moldes do item anterior, os participantes farão perguntas ao expositor sobre o assunto exposto. Poderão fazer comentários, dar sugestões e opiniões, sendo que o ex- positor poderá comentar as sugestões e opiniões. EXPOSIÇÃO E DEBATE Objetivos: Desenvolver o raciocínio lógico. Procedimento: Variação da técnica anterior. Após a exposição, os ele- mentos farão um debate entre si, sobre o assunto exposto. Terminado o debate, o expositor poderá fazer os comentários finais. MESA REDONDA Objetivos: Desenvolver a socialização, o espírito de cooperação e o raciocínio lógico. Procedimento: Forma-se apenas um grupo, sentados em círculo ou em volta de uma mesa. Um dos participantes lê um determinado tre- cho do livro ou apostila e todos comentam, trocando idéias. A leitura dos trechos deverá ser revesada, para que todos participem. Ao coordenador caberá a tarefa de zelar para que a palavra não fique monopolizada em apenas um elemento, estimulando a participação de todos. MESA REDONDA E EXPOSIÇÃO Objetivos: Desenvolver a a socialização, o espírito de cooperação e o raciocínio lógico. Procedimento: Faz-se o estudo em grupo como vimos no item ante- rior e depois, um elemento convidado, o próprio coordenador ou um participante faz uma exposição sobre o assunto, que, naturalmente foi previamente elaborada. Ao final da exposição o grupo poderá fazer perguntas ou acrescentar novos comentários. EXPOSIÇÃO E MESA REDONDA Objetivos: Desenvolver a socialização, o espírito de cooperação e o raciocínio lógico. Procedimento: Variação da técnica anterior, iniciando-se com a expo- sição e em seguida o estudo em grupo com a técnica mesa redonda. PAINEL DE DISCUSSÃO Objetivos: Desenvolver a socialização, o espírito de cooperação e o raciocínio lógico. 183 184
  • 10. Procedimento: Três ou quatro convidados ou elementos do próprio grupo que já possuem conhecimentos sobre o tema ou que se dispõem a estudá-lo, debatem entre si o assunto proposto. O restante do grupo apenas observa (grupo de observação). No final do debate o grupo de observação participa com perguntas, ou enriquecendo o assunto com outros comentários, bem como avaliando o painel. SIMPÓSIO Objetivos: Desenvolver a socialização, e o raciocínio lógico. Procedimento: Três ou quatro especialistas num determinado assunto, ou que tenham se preparado muito bem, expõem o assunto den- tro de um tempo determinado (10 min. cada um). Não haverá discussão entre os exposi- tores, mas apenas a exposição. Cada expo- sitor deverá discorrer sobre um aspecto di- ferente do tema, completando-se uns aos ou- tros. Finda as exposições o auditório partici- pa através de perguntas, que deverão, de pre- ferência, ser dirigidas à determinado exposi- tor, por escrito ou verbalmente, dependendo do tamanho do grupo. DISCUSSÃO CIRCULAR Objetivos: Desenvolver a expressão verbal, a socialização, o espíri- to de cooperação e o raciocínio lógico. Procedimento:Apresenta-se à reunião uma questão ou pergunta clara e condensada. Um elemento inicia, respondendo ou tecendo comentá- rios. Terminado o seu tempo (um ou dois minutos apenas), o seu vizi- nho continua e assim por diante, até voltar ao primeiro. Pode-se conti- nuar uma segunda rodada, se houver assunto para isso. Cada partici- pante deverá contribuir com uma nova idéia ou adicionar algo novo à idéia do colega, podendo unir duas ou mais idéias anteriores. Pode também pedir dispensa. Ninguém deve interromper o colega, esperando chegar a sua vez. Os elementos poderão (e deverão) es-tudar o assunto dias antes da reunião. Um ou mais redatores deverão anotar o re- sumo das idéias apresentadas. GRUPO DE VERBALIZAÇÃO (GV) E GRUPO DE OBSERVAÇÃO (GO) Objetivos: Desenvolver a criatividade, a expressão verbal, a sociali- zação, o espírito de cooperação e o raciocínio lógico. Procedimento: Numerar os partici- pantes e formar dois grupos: pares e ímpares. Os números ímpares forma- rão o grupo de verbalização e os pa- res o grupo de observação. O grupo de verbalização discutirá o tema ou questão proposta enquanto o grupo de observação apenas observa- rá a discussão, podendo enviar, por escrito, ao coordenador, perguntas ou comentários que serão lidos ao final do tempo e respondidos pelo grupo de GO GV 185 186
  • 11. 187 188 CRIATIVIDADE Objetivos: Desenvolver a criatividade, a expressão verbal, a expres- são corporal, a socialização, o espírito de cooperação e o raciocínio lógico. Procedimento: Dividir em pequenos grupos que deverão estudar um determinado texto ou assunto e apresentar usando de toda criatividade possível. Após um período para estudo e preparação (30 ou 40 min.), cada grupo apresenta o resultado de seu trabalho. Podem-se utilizar: Música, poesia, teatro, dança, desenho ou pintura, recortes, jornal fala- do, etc. verbalização. A seguir invertem-se os papéis. O novo grupo de verbalização discute o mesmo tema partindo do ponto em que o grupo anterior chegou. Depois os dois grupos se reunem bus- cando um consenso geral. TEMPESTADE MENTAL Objetivos: Desenvolver a criatividade, a expressão verbal, a sociali- zação, o espírito de cooperação e o raciocínio lógico. Procedimento: Define-se o tema ou questão a ser resolvida. Durante alguns minutos (10 min. por exemplo) o grupo deverá dar o maior número possível de idéias ou sugestões para se resolver a ques- tão proposta. A seguir, debater as idéias em profundidade selecionando as melho- res, para pô-las em prática. Regras: As idéias somente serão analisadas e selecionadas após o término da primeira seção. Quanto maior o número de idéias, maior será o número de boas idéias selecionadas. Pode-se aperfeiçoar as idéias uns dos outros. Os participantes poderão falar sem ordem pré- estabelecida, mas um de cada vez. Falar de maneira clara, frases bre-ves e concisas. ESTUDO DIRIGIDO Objetivos: Desenvolver a expressão verbal, a socialização e o racio- cínio lógico. Procedimento: Cada participante estudará individualmente um texto ou trecho de um livro. Leitura silenciosa, anotando-se os aspectos principais, dúvidas, etc. por um período reduzido (15 ou 20 min.) O coordenador acompanha e orienta discretamente. Na segunda fase, cada um exporá suas idéias ou dúvidas a respeito, que serão discuti- das por todos.