Diferenças tcc

  • 4,744 views
Uploaded on

Teste Programa.

Teste Programa.

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
4,744
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
158
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Projetos para Monografias, Dissertações e Teses - como se caracterizam e se diferenciam Cláudio Roberto Schmitz Junior Clênia de Oliveira Pires Felipe André Stein Maio/2011
  • 2. Roteiro
    • 1. Introdução
    • 2. Monografia
    • 3. Dissertação
    • 4. Tese
    • 5. Projeto de trabalho acadêmico
    • 6. Estrutura do trabalho acadêmico
    • 7. Particularidades
    • 8. Conclusão
    • Referências
  • 3. 1. Introdução
    • Esta apresentação tem por objetivo discorrer sobre monografias, dissertações e teses, caracterizando-as e diferenciando-as; bem como, expor normas e regras vigentes, atualmente, no país e na presente universidade.
  • 4. 2. Monografia
    • Texto elaborado dentro de regras específicas e resultante de estudo aprofundado sobre determinado tema.
    • Ferreira (2010, p. 514 - Mini Aurélio)
  • 5. 2. Monografia
    • No sentido etimológico:
        • mónos: um só
        • graphein: escrever
    • Monografia pressupõe a realização de um trabalho intelectual orientado pelas idéias de especificação, de foco, de recorte da realidade investigada, de delimitação do campo investigado, de redução da abordagem a um só tema, a uma só problemática.
    • Tachizawa (2004)
  • 6. 2. Monografia
    • É um trabalho acadêmico que tem por objetivo a reflexão sobre um tema ou problema específico e que resulta de um processo de investigação sistemática.
    • A monografia implica em análise crítica, reflexão e aprofundamento por parte do autor.
    • Bastos (2000)
  • 7. 2. Monografia
    • Implica muito mais na atividade de extração do que produção de conhecimento.
    • Sua qualidade é evidenciada pela criatividade do autor durante a exposição da leitura e interpretação do conteúdo tematizado.
    • Martins e Lintz (2000)
  • 8. 2. Monografia
    • Monografia é o estudo sobre um tema específico ou particular, com suficiente valor representativo e que obedece a uma rigorosa metodologia.
    • Marconi e Lakatos (2002, p. 227)
  • 9. 2. Monografia
    • Trabalho de conclusão de curso de graduação, trabalho de graduação interdisciplinar, trabalho de conclusão de curso de especialização e/ou aperfeiçoamento:
    • Documento que apresenta o resultado de estudo, devendo expressar conhecimento do assunto escolhido, que deve ser obrigatoriamente emanado da disciplina, módulo, estudo independente, curso, programa, e outros ministrados. Deve ser feito sob a coordenação de um orientador.
    • ABNT. NBR 14724 (2011, p. 04)
  • 10. 2. Monografia
    • Exemplo de monografia:
    • SOARES, Jeannette Oliveira Santos. Comportamento e relações interpessoais nas organizações: breve análise da SEFAZ/BA após a implementação do PROMOSEFAZ. Monografia (Especialização) – UFBA / Faculdade de Ciências Contábeis. Salvador: UFBA, 2004. Disponível em: <http://intranet.sefaz.ba.gov.br/gestao/rh/treinamento/monografia_jeannette.pdf>. Acesso em 06 maio 2011.
  • 11. 3. Dissertação
    • Exposição desenvolvida de matéria doutrinária, científica ou artística. Exposição de matéria estudada. Discorrer. Discursar.
    • Ferreira (2010, p. 259 - Mini Aurélio)
  • 12. 3. Dissertação
    • A dissertação de mestrado deverá evidenciar conhecimento da literatura existente e a capacidade de investigação do candidato, podendo ser baseada em trabalho experimental, projeto especial ou contribuição técnica.
    • Vergara (2000, ps. 20-21)
  • 13. 3. Dissertação
    • Documento que apresenta o resultado de um trabalho experimental ou exposição de um estudo científico retrospectivo, de tema único e bem delimitado em sua extensão, com o objetivo de reunir, analisar e interpretar informações. Deve evidenciar o conhecimento de literatura existente sobre o assunto e a capacidade de sistematização do candidato. É feito sob a coordenação de um orientador (doutor), visando a obtenção do título de mestre.
    • ABNT. NBR 14724 (2011, p. 02)
  • 14. 3. Dissertação
    • Segundo Lakatos e Marconi (1985, p. 157), a dissertação tem caráter didático, pois se constitui em um treinamento ou iniciação à investigação.
    • A dissertação de mestrado é um trabalho ainda vinculado a uma fase de formação científica, sendo um exercício diretamente orientado, primeira manifestação de trabalho pessoal sistemático de pesquisa, admite trabalhos sob a forma de monografias de base, trabalhos de sistematização de idéias.
    • Bianchetti e Machado (2002, p. 81)
  • 15. 3. Dissertação
    • Como estudo teórico, de natureza reflexiva, a dissertação requer sistematização, ordenação e interpretação dos dados. Por ser um estudo formal, exige metodologia própria do trabalho científico.
    • A dissertação situa-se entre a monografia e a tese, porque aborda temas em maior extensão e profundidade do que aquela e é fruto de reflexão e de rigor científico, próprio desta última.
    • Lakatos e Marconi (1985, p. 157)
  • 16. 3. Dissertação
    • Exemplo de dissertação:
    • SILVA, Ana Paula Batista da. Um estudo sobre a contribuição da pesquisa científica na prática da profissão contábil. Dissertação (Mestrado) – UNISINOS / Programa de Pós-graduação em Ciências Contábeis. São Leopoldo: UNISINOS, 2010. Disponível na Base de Dados UNISINOS. Acesso em 06 maio 2011.
  • 17. 4. Tese
    • Proposição formulada nos estabelecimentos de ensino superior (...) para ser defendida em público. A publicação que contém uma tese.
    • Ferreira (2010, p. 737 - Mini Aurélio)
  • 18. 4. Tese
    • Salomon (1977, p. 219) define tese como sendo o tratamento escrito de um tema específico que resulte de investigação científica com o escopo de apresentar uma contribuição relevante ou original e pessoal à ciência.
  • 19. 4. Tese
    • Documento que apresenta o resultado de um trabalho experimental ou exposição de um estudo científico de tema único e bem delimitado. Deve ser elaborado com base em investigação original, constituindo-se em real contribuição para a especialidade em questão. É feito sob a coordenação de um orientador (doutor) e visa a obtenção do título de doutor, ou similar.
    • ABNT. NBR 14724 (2011, p. 04)
  • 20. 4. Tese
    • Os cursos de doutorado exigem a defesa da tese para conferir ao discente o grau de Doutor, também chamado como Ph.D. ( Philosophy’s Doctor ).
    • Gradschool (2011)
  • 21. 4. Tese
    • A tese se distingue da dissertação pela contribuição significativa na solução de problemas importantes, colaborando para o avanço científico, na área em que o estudo se realiza.
    • A tese apresenta o mais alto nível de pesquisa. É um tipo de trabalho científico que levanta, coloca e soluciona problemas; argumenta e apresenta razões, baseadas na evidência dos fatos, com o objetivo de provar se as hipóteses levantadas são falsas ou verdadeiras.
    • Lakatos e Marconi (1985, ps. 157 e 165)
  • 22. 4. Tese
    • Enquanto que a dissertação significa discorrer sobre determinado tema de forma abrangente e sistemática, não requerendo normalmente originalidade, a tese tem um rigor maior, tanto do ponto de vista metodológico como teórico.
    • Souza (1991, p 153)
  • 23. 4. Tese
    • Exemplo de tese:
    • MACHADO, Márcia Reis. As informações sociais e ambientais evidenciadas nos relatórios anuais das empresas: a percepção dos usuários. Tese (Doutorado) – USP / Programa de Pós-graduação em Ciências Contábeis. São Paulo: USP, 2010. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12136/tde-29032011-184718/pt-br.php>. Acesso em 06 maio 2011.
  • 24. 5. Projeto de trabalho acadêmico
    • Projeto de pesquisa é um texto que define e mostra, com detalhes, o planejamento do caminho a ser seguido na construção de um trabalho científico de pesquisa. É um planejamento que impõe ao autor ordem e disciplina para execução do trabalho de acordo com os prazos estabelecidos.
    • Roesch (1999)
  • 25. Estrutura de um projeto de pesquisa ABNT. NBR 15287 (2011) 5. Projeto de trabalho acadêmico
  • 26. êmico ABNT. NBR 14724 (2011, p. 05)
  • 27. 5. Projeto de trabalho acadêmico
    • Os elementos textuais devem ser constituídos de uma parte introdutória , na qual deve ser exposto o tema do projeto, o problema a ser abordado, a(s) hipótese(s) , quando couber(em), bem com, o(s) objetivo(s) a ser(em) atingido(s) e a(s) justificativa(s) .
    • É necessário que sejam indicados o referencial teórico que o embasa, a metodologia a ser utilizada, assim como os recursos e o cronograma necessários à sua consecução.
    • ABNT. NBR 15287 (2011, p. 05)
  • 28. 5. Projeto de trabalho acadêmico
    • O tema:
    • É o assunto que se deseja estudar e pesquisar.
    • Deve ser preciso, bem determinado e específico.
    • Responde à pergunta: O que será explorado?
    • Marconi e Lakatos (2002, p. 25)
  • 29. 5. Projeto de trabalho acadêmico
    • Algumas regras para escolha do tema:
    • Que o tema responda aos interesses do candidato
    • Que as fontes de consulta sejam acessíveis
    • Que as fontes de consulta sejam manejáveis
    • Que o quadro metodológico da pesquisa esteja ao alcance da experiência do candidato
    • Que o professor seja adequado
    • Eco (2009, p.6)
  • 30. 5. Projeto de trabalho acadêmico
    • O problema :
    • Na acepção científica, problema é qualquer questão não solvida e que é objeto de discussão.
    • Um problema é testável cientificamente quando envolve variáveis que podem observadas ou manipuladas.
    • Gil (1995, ps. 52-53)
  • 31. 5. Projeto de trabalho acadêmico
    • A(s) hipótese(s):
    • É uma suposta resposta ao tema a ser investigado.
    • É uma proposição que se forma e que será aceita ou rejeitada somente depois de devidamente testada.
    • Gil (1995, p. 60)
  • 32. 5. Projeto de trabalho acadêmico
    • O(s) objetivo(s) :
    • Geral :
    • Define o propósito do trabalho.
    • Roesch (1999, p. 97)
    • Específicos :
    • Apresentam caráter mais concreto. Têm função intermediária e instrumental, permitindo, de um lado, atingir o objetivo geral e, de outro, aplicar este a situações particulares.
    • Lakatos e Marconi (1985, ps. 157 e 165)
  • 33. 5. Projeto de trabalho acadêmico
    • A(s) justificativa(s):
    • Justificar é apresentar razões para a própria existência do projeto.
    • Em termos gerais, é possível justificar um projeto através de sua importância, oportunidade e viabilidade.
    • Roesch (1999, p. 99)
  • 34. 5. Projeto de trabalho acadêmico
    • Segundo Silva et. al. (2004, p. 100), as etapas essenciais para compor o projeto de pesquisa para a dissertação de Mestrado em Ciências Contábeis são:
    • a) Título;
    • b) Introdução;
    • c) Caracterização do Problema;
    • d) Objetivos (Geral e Específicos);
    • e) Justificativa ou Relevância;
    • f) Delimitação do Estudo;
    • g) Proceder Metodológico ou Metodologia;
    • h) Referencial Teórico ou Revisão da Literatura;
    • i) Referências;
    • j) Cronograma.
  • 35. 6. Estrutura do trabalho acadêmico ABNT. NBR 14724 (2011, p. 05)
  • 36.  
  • 37. 6. Estrutura do trabalho acadêmico
    • A ficha catalográfica (verso da folha de rosto), a folha de aprovação e o resumo na língua estrangeira são obrigatórios para Curso de Especialização, MBA, Dissertação e Tese.
    • Aconselha-se a consulta ao orientador sobre essas questões.
    • UNISINOS (2011, p. 07)
  • 38. 6. Estrutura do trabalho acadêmico
    • Os elementos textuais (introdução, desenvolvimento e conclusão) são subdivididos, de modo a facilitar sua compreensão, mas não há regras definidas para isso.
    • Beuren (2008, p. 174)
  • 39. 6. Estrutura do trabalho acadêmico
    • O texto é composto de uma parte introdutória, que apresenta os objetivos do trabalho e as razões de sua elaboração; o desenvolvimento, que detalha a pesquisa ou estudo realizado; e uma parte conclusiva.
    • ABNT. NBR 14724 (2011, p. 08)
  • 40. Estrutura típica de um relatório de pesquisa
    • Fonte: Collis e Hussey, 2005, p. 266.
    Capítulo/seção Descrição Percentagem de relatório Introdução Uma explicação precisa sobre qual é o assunto da pesquisa e por que é importante e interessante; as perguntas ou hipóteses da pesquisa também devem ser apresentadas 10 Exame da literatura Uma análise crítica do que outros pesquisadores disseram sobre o assunto e onde seu projeto se encaixa 20 Metodologia Uma explicação sobre por que você coletou certos dados, que dados você coletou, de onde os coletou, quando os coletou, como os coletou e como os analisou 15 Resultados Uma apresentação dos resultados de sua pesquisa 22 Análise e discussão Uma análise de seus resultados mostrando a contribuição para o conhecimento e apontando quaisquer fraquezas/limitações 20 Conclusões Uma descrição das principais lições a serem aprendidas de seu estudo e quais futuras pesquisas devem ser conduzidas 12 Referências Uma lista detalhada, alfabética ou numérica, das fontes das quais informações foram obtidas e que foram citadas no texto 1 Apêndices Dados detalhados citados, mas não exibidos em outro lugar Total 100
  • 41. 7. Particularidades
    • Alguns autores, apesar de darem o nome genérico de monografia a todos os trabalhos científicos, diferenciam uns dos outros (monografia, dissertação e tese) de acordo com o nível da pesquisa, a profundidade e a finalidade do estudo, a metodologia utilizada e a originalidade do tema e das conclusões.
    • Lakatos e Marconi (1985, p. 153)
    • Fonte: Collis e Hussey, 2005, p. 266.
  • 42. 7. Particularidades
    • Capes (2011); Explicatudo (2011)
  • 43. 7. Particularidades
    • Tamanho aproximado de relatórios de pesquisa
    • Fonte: Collis e Hussey, 2005, p. 266.
    Tipo de relatório de pesquisa Tamanho típico Monografia de graduação 15.000-20.000 palavras Dissertação de mestrado profissional 20.000 palavras Dissertação de mestrado 40.000 palavras Tese de doutorado 80.000 palavras
  • 44. 7. Particularidades
    • Nos programas de pós-graduação, a delimitação e o desenvolvimento da investigação científica precisam ser estruturados a partir de Linhas de Pesquisa .
    • São elas que constituem a referência central para a docência, para a definição dos núcleos de estudos, para o delineamento da temática das dissertações e teses, para a produção científica dos docentes e discentes.
    • Bianchetti e Machado (2002, p. 75)
    • Fonte: Collis e Hussey, 2005, p. 266.
  • 45. 7. Particularidades
    • Exigência formal dos cursos de pós-graduação, o Exame de Qualificação é um momento intermediário importante para o desenvolvimento da pesquisa e da elaboração da dissertação ou da tese.
    • Trata-se de uma avaliação preliminar* dos resultados obtidos pelo pós-graduando numa fase que não seja nem muito inicial nem muito final, de modo que o aluno possa, eventualmente, reorientar suas atividades de pesquisa e reflexão.
    • Bianchetti e Machado (2002, p. 79)
    • * Esta avaliação preliminar é feita por uma banca na qual, além do orientador, atuam dois outros examinadores.
    • Fonte: Collis e Hussey, 2005, p. 266.
  • 46. 7. Particularidades
    • A avaliação em defesa pública da dissertação ou tese, quando conduzida de forma construtiva, tem significado relevante na vida científica, visto que a banca atesta a contribuição trazida pelo trabalho.
    • O mais adequado seria que o pós graduando preparasse, dentro de um prazo mínimo razoável, os exemplares destinados ao acervo permanente da instituição, com o texto revisado, incorporando as sugestões feitas por ocasião da defesa .
    • Bianchetti e Machado (2002, p. 81)
    • Fonte: Collis e Hussey, 2005, p. 266.
  • 47. 8. Conclusão
    • Monografias, dissertações e teses são trabalhos acadêmicos que exigem análise crítica e obediência a uma estrutura, a procedimentos metodológicos e a normas e regras previamente definidas. Entretanto, distinguem-se por obedecerem a esta ordem crescente em relação à originalidade, à profundidade e à extensão.
  • 48. Referências
    • ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 14724: informação e documentação - trabalhos acadêmicos – apresentação. 3. ed. Rio de Janeiro: ABNT, 2011a.
    • ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15287: informação e documentação - projeto de pesquisa - apresentação. Rio de Janeiro: ABNT, 2011b.
    • BASTOS, Lília da Rocha. Manual para a elaboração de projetos e relatórios de pesquisa, teses, dissertações e monografias. 5. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2000-2001.
    • BEUREN, Ilse Maria, et.al. Como Elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2008.
    • BIANCHETTI, Lucídio e MACHADO, Ana Maria Netto (organizadores). A Bússola do escrever: desafios e estratégias na orientação de teses e dissertações. Florianópolis: Ed. Da UFSC; São Paulo: Cortez, 2002.
    • CAPES. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior . Disponível em: <http.www.capes.gov.br>. Acesso em 06 maio 2011.
    • COLLIS, Jill e HUSSEY, Roger. Pesquisa em administração: um guia prático para alunos de graduação e pós-graduação. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.
    • ECO, Umberto. Como se faz uma tese. 22.ed. São Paulo: Perspectiva ,2009.
    • EXPLICATUDO. Explica Tudo . Disponível em: <http://explicatudo.com/diferenca-entre-stricto-sensu-e-lato-sensu>. Acesso em 06 maio 2011.
  • 49. Referências
    • FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Mini Aurélio: o dicionário da língua portuguesa. 8. ed. Curitiba: Positivo, 2010.
    • GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1995.
    • GRADSCHOOL. Graduate School. Disponível em: <http://gradschool.about.com/od/admissionsadvice/g/phddef.htm. Acesso em 06 maio 2011.
    • LAKATOS, Eva Maria e MARCONI, Marina de Andrade. Metodologia do trabalho científico: procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório, publicações e trabalhos científicos. São Paulo: Atlas, 1985.
    • MACHADO, Márcia Reis. As informações sociais e ambientais evidenciadas nos relatórios anuais das empresas: a percepção dos usuários. Tese (Doutorado) – USP / Programa de Pós-graduação em Ciências Contábeis. São Paulo: USP, 2010. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12136/tde-29032011-184718/pt-br.php>. Acesso em 06 maio 2011.
    • MARCONI, Marina de Andrade e LAKATOS, Eva Maria . Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, elaboração, análise e interpretação de dados. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2002.
  • 50. Referências
    • MARTINS, Gilberto de Andrade e LINTZ, Alexandre. Guia para elaboração de monografias e trabalhos de conclusão de curso. São Paulo: Atlas, 2000.
    • ROESCH, Sylvia Maria Azevedo. Projetos de estágio e de pesquisa em administração: guia para estágios, trabalhos de conclusão, dissertações e estudos de caso. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1999.
    • SALOMON, Décio Vieira. Como fazer uma monografia: elementos de metodologia de trabalho científico. Belo Horizonte: Interlivros, 1977.
    • SILVA, Ana Paula Batista da. Um estudo sobre a contribuição da pesquisa científica na prática da profissão contábil. Dissertação (Mestrado) – UNISINOS / Programa de Pós-graduação em Ciências Contábeis. São Leopoldo: UNISINOS, 2010. Disponível na Base de Dados UNISINOS. Acesso em 06 maio 2011.
    • SILVA, Maurício Corrêa da, et. al. Procedimentos metodológicos para a elaboração de projetos de pesquisa relacionados a dissertações de mestrado em ciências contábeis. Revista Contabilidade & Finanças - USP, São Paulo, n. 36, p. 97 - 104, setembro/dezembro 2004. Disponível em: <http://www.eac.fea.usp.br/cadernos/completos/cad36/mauricio_marcia_pg97a104.pdf>. Acesso em 06 maio 2011.
  • 51. Referências
    • SOARES, Jeannette Oliveira Santos. Comportamento e relações interpessoais nas organizações: breve análise da SEFAZ/BA após a implementação do PROMOSEFAZ. Monografia (Especialização) – UFBA / Faculdade de Ciências Contábeis. Salvador: UFBA, 2004. Disponível em: <http://intranet.sefaz.ba.gov.br/gestao/rh/treinamento/monografia_jeannette.pdf>. Acesso em 06 maio 2011.
    • SOUZA, Nali de Jesus. Considerações sobre a dissertação de mestrado. Artigo publicado na Revista Análise Econômica. UFRGS. Ano 9, n. 16, set. 1991, p. 153-165. Também disponível em: http://www.nalijsouza.web.br.com/metod_diss.pdf. Acesso em 06 maio 2011.
    • TACHIZAWA, Takeshy. Como fazer monografia na pratica . Rio de Janeiro: FGV, 2004.
    • UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS (UNISINOS). Guia para elaboração de trabalhos acadêmicos: artigo de periódico, dissertação, projeto, trabalho de conclusão de curso e tese. São Leopoldo: UNISINOS, 2011.
    • VERGARA, Sylvia Constant. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas, 2000.