Louvor
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Louvor

on

  • 23,788 views

Louvor

Louvor

Statistics

Views

Total Views
23,788
Views on SlideShare
23,785
Embed Views
3

Actions

Likes
6
Downloads
532
Comments
1

1 Embed 3

http://www.iecitb.com.br 3

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Louvor Louvor Document Transcript

  • Adoração como estilo de vida ...Direi ao Norte: Dá; e ao Sul: Não retenhas; trazei meus filhos de longe, e minhas filhas das extremidades da terra; a todo aquele que é chamado pelo meu nome, e que criei para minha glória, e que formei e fiz (Is 43:6-7) ...Nele, digo, no qual também fomos feitos herança, havendo sido predestinados conforme o propósito daquele que faz todas as coisas segundo o conselho da sua vontade, com o fim de sermos para o louvor da sua glória, nós, os que antes havíamos esperado em Cristo; (Ef 1:11-12). 1. O lugar que era de Lúcifer – O lugar da adoração. - Ezequiel (28:11-19) 11 Veio mais a mim à palavra do Senhor, dizendo: 12 Filho do homem levanta uma lamentação sobre o rei de Tiro, e dize-te: Assim diz o Senhor Deus: Tu eras o selo da perfeição, cheio de sabedoria e perfeito em formosura. 13 Estiveste no Éden, jardim de Deus; cobrias-te de toda pedra preciosa: a cornalina, o topázio, o ônix, a crisólita, o berilo, o jaspe, a safira, a granada, a esmeralda e o ouro. Em ti se faziam os teus tambores e os teus pífaros; no dia em que foste criado foram preparados. 14 Eu te coloquei com o querubim da guarda; estiveste sobre o monte santo de Deus; andaste no meio das pedras afogueadas. 15 Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que em ti se achou iniqüidade. 16 Pela abundância do teu comércio o teu coração se encheu de violência, e pecaste; pelo que te lancei, profanado, fora do monte de Deus, e o querubim da guarda te expulsou do meio das pedras afogueadas. 17 Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; por terra te lancei; diante dos reis te pus, para que te contemplem. 18 Pela multidão das tuas iniqüidades, na injustiça do teu comércio, profanaste os teus santuários; eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo, que te consumiu a ti, e te tornei em cinza sobre a terra, à vista de todos os que te contemplavam. 19 Todos os que te conhecem entre os povos estão espantados de ti; chegaste a um fim horrível, e não mais existirás, por todo o sempre. - Isaías (14 12:15) 12 Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filha da alva! Como foste lançado por terra tu que prostravas as nações! 13 E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono; e no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do norte; 14 subirei acima das alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo. 15 Contudo levado serás ao Seol, ao mais profundo do abismo. Um acontecimento que marcou a história! A soberba leva à desobediência que leva a independência! A humildade leva à obediência que leva a dependência! - Quando no céu, num tempo muito distante, algo de muito terrível havia ocorrido. Deus lança fora a Lúcifer, juntamente com 1/3 dos anjos, agora convertidos em demônios. - Ficou vazio o lugar da adoração, então, Deus teve uma grande idéia: Saiba que você é uma grande idéia de Deus! Fomos criados pra glorificar ao Senhor, porém, com um louvor diferenciado, um louvor espontâneo. Adoração não é apenas o levantar de nossas mãos na hora de um culto, ou ainda, cantar ou tocar uma música de letra sacra, e sim, um viver diário com atitudes santas diante de Deus. Adoração é um estilo de vida, no qual não temos que nos esforçarmos para tal, e sim expressarmos com veracidade o que existe em nosso interior. Adoração é saber separar as circunstâncias que cercam nosso viver, de nossas atitudes de gratidão a Deus. A verdadeira adoração é incondicional, é movida de fé, amor e esperança. 1
  • Vejamos dois grandes exemplos de adoração na Bíblia. (Jó 1:20), Então Jó se levantou, rasgou o seu manto, rapou a sua cabeça e, lançando-se em terra, adorou; (At 16:24-25), Ele, tendo recebido tal ordem, os lançou na prisão interior e lhes segurou os pés no tronco. Pela meia-noite Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, enquanto os presos os escutavam. Nada pode substituir o louvor: - O trabalho na igreja não substitui o louvor! - O Dízimo não substitui o louvor! - Pregar a Palavra e orar pelos outros não substitui o louvor! Nosso louvor individual é a única maneira de nos expressarmos de forma individual! O extraordinário poder da música! Falando entre vós em salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração (Ef 5:19) A realização e a plenitude espirituais se expressam sob formas artísticas; e, neste caso, através da música, que é recomendada para os cultos dos discípulos do Senhor. Todos têm consciência do poder que a música tem para amoldar nossos pensamentos e emoções. A música é, ordinariamente, a expressão do “pulso” ou do “pulsar” do coração das pessoas. A música pode inspirar pensamentos e ações elevados e nobres, como também pensamentos e ações de baixo nível. Há música espiritual, como também há música intelectual e sensual. Alguém já declarou: Permite-me compor o hino de vossa nação, e não me importarei com quem baixará as leis. Não podemos fechar os olhos para o exemplo dos países comunistas, que usam as artes como meio de propaganda, reconhecendo o poder da música. Este versículo dá grande importância da música na vida cristã, pois contém um profundo discernimento. A música, segundo disse Aristóteles, é a mais moral de todas as artes. Sim ela afeta mais diretamente ao caráter do que qualquer outra arte. Um tom marcial pode ser produzido pela marcha; uma atitude de profundo respeito por um nobre coral; e certo relaxamento pagão ao entoar-se um melodioso saxofone. Toda igreja vigilante cuidará muito bem deste ministério - Louvor e Adoração - (Wedel, in loc.). Prossegue o mesmo autor: A música se assemelha ao álcool, quanto ao espírito que propicia. Cria entusiasmo. Quando o cântico comunitário começa a ser negligenciado, isso sempre serve de sinal de uma vida comunitária decadente. Isso já se tem verificado em muitos aspectos de nossa cena social. Muitas religiões seculares têm podido conquistar os corações dos homens nas asas do canto. Podemo-nos lembrar da “Marseillaise”, da Revolução Francesa, da ‘Internacional”, do comunismo,do “horst Wessel”, da Alemanha hitlerista, ou do “Hino de Batalha da República”, da guerra civil Norte-Americana. Um homem com um sonho, com prazer, Sairá e conquistará uma coroa; E três, com a nova medida de uma canção, Podem pisar aos pés um império. (Arthur William Edgar O’Shaughnessy). Triste cena é ver na igreja moderna, a música, que tem sido desenvolvida como uma expressão de impulsos animais, incluindo o impulso sexual, e que, desde o princípio, tem sido a companheira de entorpecentes e de várias formas de deboche. Devemos tomar certos cuidados com a maneira que conduzimos nossos cultos para que não excitemos tais impulsos bestiais, o que existe naturalmente dentro do ser humano. Existem algumas modalidades de música, são usados para que jovens se droguem, se embriaguem, dando o ambiente propício, que se junta com seu contexto, acaba por leva-los à atitudes desgovernadas racionalmente. Um jovem que em seu passado fizera uso de tais músicas em suas aventuras alucinantes, certamente quando as ouvir novamente, mesmo que seja com letras diferentes, sua mente automaticamente o levará ao passado e às lembranças de suas ações que um dia quase o fizeram morrer. Músicas com letras de adultério, traição e vingança é comumente ouvida no repertório da MPB (música popular brasileira), o que tem levado milhares de pessoas a se separarem, contrair um relacionamento extra-conjugal, enfim, tudo pelo extraordinário poder da música. Particularmente, eu Pr. Raul de Sousa, não me atreveria jamais em creditar ao Diabo, a criação deste ou daquele ritmo. Seria muita moral para um ser tão inescrupuloso, que nunca em toda história, foi capaz de criar algo. Ele é um ladrão, e tem se apropriado da música, algo criado por Deus para seu próprio louvor (Ef 1:12), para confundir a mente das pessoas e levá-las como já disse, a ambientes de destruição. Não seja você também uma pessoa levada por pensamentos de outros acerca desses polêmicos assuntos. Você tem o Espírito de Deus que quando consultado em oração, sempre nos guiará em sua verdade (Jo 14:16), não permitindo assim que caiamos no engodo do Diabo. 2
  • Seja autêntico. Deus tem algo muito especial para seu ministério. Deus te abençoe muitíssimo, em nome de Jesus! (Texto parcial extraído do “Novo Testamento versículo por versículo”, com minhas considerações). Intimidade na Adoração Falando entre vós em salmos, hinos, e cânticos espirituais, cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração, (Ef 5:19). A Bíblia diz que: a boca fala do que está cheio o coração (Mt 12:34). É verdade! É comum vermos pessoas cheias de ódio, rancor, ressentimentos e mágoas desferirem seus venenos, naturalmente, através de suas palavras. Basta uma pequena oportunidade, que tais pessoas logo descarregam suas metralhadoras verbais. Por quê isto acontece? É que na verdade tais cidadãos só estão deixando extravasar aquilo de que estão cheias. Muitas pessoas têm suas vidas finalizadas em uma briga de trânsito, por exemplo, (o que muito nos espanta), sem grandes motivos aparentes, mas na verdade, o que acontece, é que muitos homens e também mulheres, decepcionados com suas vidas, com seus projetos, saem nas ruas emocionalmente alterados, dispostos a colocar para fora suas frustrações e aí a primeira situação que aparece, lá vai! Essas situações, na maioria das vezes, não são premeditadas e sim acontecem inesperadamente, podendo atingir qualquer um de nós, o que devemos tomar muito cuidado. Ninguém força estes acontecimentos, eles simplesmente acontecem! É a reação natural do interior de daqueles que vivem espiritualmente vazios. Podemos traçar um paralelo neste sentido para compararmos sobre a questão da adoração! Como assim? Adorar não é simplesmente um levantar de mãos na hora do culto ou expressões estapafúrdias num momento de emoção. Não! A verdadeira adoração, com intimidade e sinceridade, na verdade é um ESTILO DE VIDA! Um viver diário com atitudes de louvor, um viver que exalta o nome do Senhor Jesus. Intimidade que somente os filhos podem ter, porém, a questão é: Estamos vivendo como filhos de Deus? Nos relacionamos com Ele como sendo nosso papaizinho querido? Você realmente tem tido momentos a sós com Deus? Tenho percebido nas muitas igrejas por onde Deus têm me levado, que, alguns irmãos têm tido muita dificuldade para louvar ao Senhor. É um verdadeiro sacrifício um momento de adoração individual. Se tais pessoas forem desafiadas a falar suas próprias palavras de louvor, sem que tenha uma referência na vida do irmão ao lado, este em muitos casos fica calado. Como em sua vida cotidiana, este irmão (ã), não se relaciona intimamente com Deus, então normalmente na hora do culto também não o fará. É por isso que digo que ADORAÇÃO É UM ESTILO DE VIDA. UM VIVER DIÁRIO DIANTE DO TRONO DE DEUS! Sendo assim, aqueles que levam uma vida devocional, certamente não terão dificuldade alguma de adorar ao Senhor em qualquer ambiente, hora ou culto. Descubra em sua própria vida o prazer de louvar e adorar ao Senhor intimamente em sem que isso se faça sistematicamente e sim naturalmente. A visão do líder e seus liderados O ministro ou líder de louvor está dentro da mesma responsabilidade de um pastor dentro de sua igreja, estão pisando o mesmo lugar, o altar. 1. O Ministro de Louvor A denominação Ministro de louvor surgiu no princípio do século XX, porém só se tornou popular na década de 40. De acordo com as igrejas batistas, ministro de música é aquele obreiro com aptidão para música e ordenado por uma igreja para servir nesta área ministerial. Hoje é mais conhecido como ministro de louvor ou ainda, líder de louvor. Bem na verdade estamos falando de uma só pessoa e de um mesmo ministério. Tais ministros ou líderes de louvor tem a função de conduzir as músicas nos cultos, como também é responsável pela liderança dos membros do grupo musical, que é o que trataremos neste capítulo. Este capítulo tratará de proporcionar um estudo mais amplo direcionado aos lideres e seus liderados. Há dicas práticas de como interagir (líder e grupo) de uma forma harmoniosa, trazendo assim, o melhor do grupo para Deus e para a igreja. Traremos também conselhos tanto aos líderes, como também aos que estão sob tal direção. Cabe ao líder de louvor ministrar para a igreja a direção e onde quer chegar. Existem formas de se conduzir à congregação de maneira eficiente dentro da vontade de Deus. É o que chamamos de ambientes espirituais. Deve- se notar a importância da necessidade espiritual da igreja para que se programe tal direção corretamente. Os líderes devem ter objetivos definidos e passá-los à equipe e juntos conduzirem a congregação de forma uníssona. Aos liderados vai a dica de estarem sempre ligados nas palavras de direcionamento que o líder deve pronunciar, como também a direção dentro da própria música quanto à repetição de suas partes. Palavras de direcionamento são palavra previamente ensaiadas, que indicam a direção dentro da ministração. Além da palavra de direcionamento, pode-se usar também gestos e sinais, é claro, sinal estes musicais que indicam volume, retorno, pausa, enfim, aquilo que se deseja dentro da música. Tais gestos devem ser feitos 3
  • com discrição, pois tem como objetivo a direção do grupo musical e não da igreja. Com a igreja devemos sempre falar em alto em bom som. É importante que o som da igreja também tenha a qualidade suficiente para todos se ouvirem, quer a igreja como a equipe toda (músicos e vocalistas). Dentre os objetivos do líder estarão: 1) Alegrar a congregação. 2) Batalhar espiritualmente. 3) Levar a igreja em um ambiente de oração. 4) Louvor. 5) Adoração. 6) Ambiente de cura. 7) Batismo no Espírito Santo. 8) Exercitar a fé. 9) Declaração de amor ao Senhor. 10) Comunhão entre os irmãos. De acordo com a direção que Deus dará ao líder, o mesmo terá de usar sua capacitação divina (Unção), sua musicalidade e sua voz para conduzir a congregação. É claro que o líder precisa ter uma sensibilidade acima dos demais para perceber tal direção e ministrá-la à igreja. Por isso se dá a necessidade de uma vida de comunhão constante com o Senhor. Em muitos casos o líder poderá mudar o repertório diante de um ambiente inadequado segundo o que o Espírito Santo lhe revelar. Trata-se de algo muito sério porque a igreja estará sempre seguindo a orientação que vem do altar e irá exatamente para o lugar em que seu líder os conduzir. É de suma importância o manejo da Palavra de Deus (IITm 2:15) e ministração da mesma durante o louvor para gerar fé e confiança à congregação, fazendo assim, com que os objetivos sejam alcançados. Vejamos a ministração de alguns ambientes: Ex. 1) Ambiente de alegria. a) Música que expresse alegria (com palmas – gestos – coreografias) b) Palavra direcionada (Se possível exemplos bíblicos) c) Veracidade do grupo (Todos têm que expressar o mesmo) 2) Ambiente de batalha espiritual. a) Música de guerra (que se refira à vitória de Cristo sobre o diabo) b) Palavra de direcionamento c) Ministração com oração de guerra junta com a igreja 3) Ambiente de adoração. a) Música de exaltação ao nome do Senhor (Existem uma grande variedade) b) Palavra de incentivo à adoração individual a cada membro da congregação c) Ministração do poder do Espírito Santo 4) Ambiente para comunhão. a) Música de comunhão (Citar passagens bíblicas que reforcem o ambiente) b) Direção específica para a igreja c) Direcionar a igreja naquilo que se deve fazer Obs. Normalmente se não for dada nenhuma direção para igreja a respeito do que o líder deseja realizar, muitos ficarão perdidos e não conseguirão entrar no ambiente. É de costume ver pessoas cantando um cântico de comunhão com os olhos fechados e as mãos levantadas. É comum ver pessoas cantando um cântico de adoração com olhos abertos e sorrindo para o irmão. Não cante apenas; Ministre. Devemos entender que para tudo acontecer de forma positiva e agradável diante daquele que nos chamou, temos que nos conscientizarmos que todo líder como seus liderados devem ter uma vida de intimidade com o Senhor Jesus. Faz-se necessário uma vida de jejum e oração, leitura da palavra de Deus e meditação, pois este será o tempo que o Senhor terá para lhe confidenciar suas revelações. Somos porta-vozes do Senhor. Não falamos de nós mesmos, lembre-se, profetizamos, ou seja, falamos em nome de Deus. Também não falamos o que queremos e sim o que o Senhor quer que falemos. Como poderemos então falar para a igreja em nome de Deus sem que tenhamos estado com ele anteriormente recebendo suas orientações? Seria impossível. O ministro ou líder de louvor está dentro da mesma responsabilidade de um pastor dentro de sua igreja, estão pisando o mesmo lugar, o altar. Ele tem a obrigação de conduzir suas ovelhas no caminho, ensinando-as através da palavra de Deus. Ele também tem a responsabilidade de demonstrar amor e interesse especial pelos 4
  • membros de seu grupo, discipulando-os dentro do destacado ministério, fazendo parte de sua vida, estando prontamente a lhe ajudar naquilo que for preciso. Líder de louvor não é um acusador e sim ajudador. Deve compreender as dificuldades que este ou a aquele venha a ter e procurar a solução. A presença do ministro de louvor dentro da igreja leva o grupo a ter organização e submissão. O líder deve exigir que os músicos e cantores prestem atenção a ele o tempo todo, recebendo com humildade os seus ensinamentos. Daí dá-se a necessidade desse líder ser uma pessoa capaz em todos os sentidos da palavra, espiritualmente e tecnicamente. No livro de Hebreus encontramos uma ordem em relação a isto: “Obedecei aos vossos guias e sede submissos para com eles; pois velam por nossa alma, como quem deve prestar contas, para que façam isto com alegria e não gemendo; porque isto não aproveita a vós outros” (Hb 13:17). O grupo musical é o reflexo de seu líder, por esse motivo ele tem a responsabilidade de tratar os levitas com amor e paciência, porém se necessário se fizer, com severidade. Se o líder está sempre estudando, se reciclando, buscando a Deus, lendo a bíblia, então terá autoridade para cobrar o mesmo de seu grupo, do contrário, qualquer cobrança será em vão, e ao invés de ser obedecido, acabará por faccionar seu próprio grupo, pois qualquer um que ver em seu líder uma pessoa responsável e dinâmica, se alegrará em seguí-lo. Qualidades de um bom líder de louvor! (por Ron Kenoly) a. Radicalmente salvo e consistentemente andando com Cristo. b. Um estudante dedicado da bíblia c. Capaz de interceder pelo grupo d. Um líder arrojado e. Um músico ou cantor hábil f. Submisso às autoridades g. Ser um verdadeiro adorador 2. Grupo de louvor Com já falamos anteriormente, os músicos e cantores, devem estar sempre ligados às palavras de direcionamento ou aos gestos que o líder sempre está fazendo. Não dá pra aceitar um fato que infelizmente é tão comum: Pessoas conversando na hora em que tocam. Muitos tentam se justificar dizendo estar tratando de assuntos do momento, notas musicas, passagens, etc. É pior ainda, pois tudo que se faz nas músicas, quer introduções, arranjos ou ainda repertório, tudo isso deve ser feito anteriormente com muito ensaio. Risadas, cochichos, gestos para pessoas da platéia, expressões corporais indecentes tais como danças que chamam a atenção (Acredito na dança para o Senhor como expressão de louvor, porém tal dança jamais servirá para o desvio de atenção de alguém). Tem que se algo espiritual onde não tenha escândalo! Tudo isso poderá prejudicar a ministração e ao invés de ser benção passa a ser motivo de crítica e ocasião para o inimigo. Uma coisa muito importante que todos nós precisam saber é que qualquer pessoa que estiver no altar estará se expondo (II Co 3:2). Inevitavelmente nós que constantemente estamos na linha de frente seremos mais notados quanto à conduta, postura, seriedade, vocabulário etc. Haverá uma cobrança muito maior por parte de nossos líderes com também de nossos liderados, então se faz necessário um cuidado todo especial quanto algumas coisas. Exemplos. E como pessoas expostas que seremos, devemos também sempre nos trajar de forma decente e agradável diante dos olhos do Senhor, pois volto a ressaltar que qualquer coisa que chamar a atenção de alguém estará dividindo a glória de Deus, tirando a benção da igreja e tendo conseqüências negativas. Ainda dentro deste mesmo assunto, é de suma importância falarmos sobre a unidade da equipe. Vemos muitos grupos por aí buscando unção de Deus, procurando ser abençoados, etc. Mas alguns destes grupos têm um problema que vai estar sempre os atrapalhando: A falta de comunhão entre os levitas! A desunião do grupo pode ser causada por milhares de motivos. Dentre os mais conhecidos quero citar alguns que talvez o seu grupo se identifique: - Pessoa magoada - Falta de humildade (soberba) - Fofoca (contendas) - Falta de amor pelos membros do grupo - Irmãos com pensamentos e idéias diferentes - Falta de respeito - Irmãos que não estudam e ficam para trás As escrituras sagradas dizem que devemos honrar e amar uns aos outros. Quero que fique bem claro que honrar o próximo não é ser um “puxa-saco” pelo fato de alguém cantar ou tocam muito bem, e sim ser um instrumento de motivação para todos os seus colegas. Podemos elogiar a força de vontade, dizer que o arranjo ficou muito bonito, que foi muito bom ministrar junto com este irmão (ã), enfim, não é exaltar o homem e sim mostrar que seus irmãos são importantes para você e mesmo que haja alguma diferença técnica entre vocês, o maior nunca deve desprezar ou inferiorizar ainda mais aquele que sabe menos. 5
  • Diga sempre para seus amigos de equipe que você os ama, que está orando por eles. Esteja sempre disponível para ouvir suas dificuldades e compartilhar de suas conquistas. Temos que viver como uma grande família que mora em tetos separados, pois com certeza, uma equipe de louvor que quiser crescer acaba passando muito tempo junto. Qualidades dos liderados (por João A. de Souza Filho) a. Humilde b. Submisso c. Que ame e leia Bíblia d. Um músico/cantor de oração e. Responsável f. Dedicado g. Motivado sempre a fazer melhor h. Que respeite seus companheiros h. Organizado i. Técnico Lembre-se! Nunca saberemos o suficiente. Continue buscando PR. RAUL DE SOUSA Contatos: (41) 372-5721 pastorrauldesousa@yahoo.com.br slam@adoracao.com.br As três fases do músico! Estudo explicando as três fases que os músicos evangélicos atravessam. A primeira fase que normalmente todo músico atravessa é justamente o seu próprio início de carreira, onde este, por não saber absolutamente nada, se propõe a aprender de tudo e de todos. Nesta primeira fase, o jovem músico sabe de seu real conhecimento (ou seja, quase nada), o que mediante esse fato aceita conselhos, ensinamentos, toques e até mesmo, repreensões. É a fase em se aceita de tudo para estar perto de um grande músico, para poder obter coisas novas. Tais músicos nesta época estão descobrindo sobre seu instrumento, suas marcas, sobre suas características, enfim, é a época da descoberta e do primeiro amor! Normalmente essas pessoas não se habilitam a tocar em qualquer lugar, ou na presença de outros músicos, justamente por saberem seu patamar. A segunda fase e mais complicada de todas é realmente esta que iremos tratar agora. Neste ponto, na maioria das vezes, o músico já deve ter estudado um pouco, já aprendeu algumas coisas “eu disse algumas” e já se acha dono da cocada preta! Aonde chega quer pegar o instrumento e logo fazer ali um “workshop”, e o que me da pena aqui não é desse tal, e sim, das pessoas que estão escutando. Para os ouvintes surgem logo em seus pensamentos os seguintes questionamentos: será que estou pagando algum pecado; outros dizem: Eu não ganho tanto para ouvir isto! O que acontece é que nesta fase o músico perde sua referência musical e conseguinte o seu devido lugar. Em alguns casos é de chorar, pois, nem o instrumento está afinado direito. Não se tem boa técnica, não conhece de harmonia, não tem profundo conhecimento teórico, ou seja, tal pessoa se torna SOBERBO. A soberba é um sentimento enganoso, que leva a pessoa achar que é melhor do que realmente é, que é maior que realmente é, se colocando em nível de pessoas bem melhores que do que si mesmos, e ainda pior, levando-o pensar que sabem mais. Foi exatamente isso que aconteceu com Lúcifer, e por isso me sinto na obrigação de fazer esta consideração (para que não caiamos na mesma condenação), pois é um perigo que sempre nos ronda nesta época de nossa vida. Lúcifer, através da soberba, teve sua referência de autoridade perdida, o que o levou a pensar que era maior que Altíssimo, imaginando até mesmo que subiria acima das nuvens e ali faria o seu trono (Is 14: 12 - Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filha da alva! Como foste lançado por terra tu que prostravas as nações)! 13 - E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono; e no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do norte;. Foi este terrível engano que o derrubou; Achar que era, quando não era! 6
  • Ainda falando sobre os músicos desta segunda fase, existe um espírito de crítica que o ronda, fazendo que suas palavras sejam sempre negativas a respeito dos demais músicos. Vão ao culto na igreja e assentam-se nos últimos bancos e ali juntamente com outros de seu nível desferem críticas, que na sua maioria não condiz com a verdade, e mesmo que fossem verdades, palavras de chacotas, risadas e críticas destrutivas, devem estar bem longes de nossos lábios. (Tg 3: 5-6) Assim também a [língua] é um pequeno membro, e se gaba de grandes coisas. Vede quão grande bosque um tão pequeno fogo incendeia. A [língua] também é um fogo; sim, a [língua], qual mundo de iniqüidade, colocada entre os nossos membros, contamina todo o corpo, e inflama o curso da natureza, sendo por sua vez inflamada pelo inferno. Ainda: (Mt 7: 2) Porque com o juízo com que julgais, sereis julgados; e com a medida com que medis vos medirão a vós. Bem o fato é que nós, líderes e pastores devemos estar bem próximos de nossos músicos para que eles tenham sempre uma boa e fiel referência para seus ministérios, pois do contrário Satanás os enganará! A terceira fase só é alcançada quem consegue através da Palavra de Deus, amadurecer! A maturidade espiritual do músico o levará a entender coisas que sem tempo e experiências lhe seria impossível. Conforme o músico vai crescendo técnica e espiritualmente, ele passa ver as coisas diferentes, adquiri boa técnica, bons relacionamento e através de seus “tombos” ele aprende a se colocar em seu devido lugar. Nesta altura de sua vida, deve ter pago um preço bem alto para conquistar seus projetos musicas, sabendo assim, que o universo musical não permite que ninguém se glorie batendo no peito e se achando a tal, pois, sempre encontramos alguém melhor que nós. Bem, neste momento o músico não se importa em mostrar o que sabe, não está preocupado com o que as outras pessoas estão dizendo a seu respeito, enfim, está pronto para oferecer pro Senhor o verdadeiro louvor, sem nenhum impedimento. É esta fase que devemos buscar em nossas vidas, a maturidade cristã/espiritual/musical, para que sejamos bênçãos nas vidas com as quais nos relacionamos e não um peso na vida de nossos líderes e amigos. Que estas palavras lhes sirvam de ajuda, independentemente em que fase você se encontra. Lembre-se, você pode mudar o sentido das coisas em sua vida. Seja humilde, pois só assim seu crescimento será moldado na Palavra de Deus e conseqüentemente abençoado todos os teus caminhos! Deus vos abençoe! Pr. Raul de Sousa Ministro de louvor da I.E.Q. J. Vergínia – Curitiba - PR. Email: slam@adoração.com.br (41) 372-5721 – Ministro do seminário SLAM Seminário de louvor, adoração e música Implante você também em sua igreja A Adoração Verdadeira Antes de comerçar-mos nosso estudo sobre o que viria a ser adoração verdadeira, não podemos deixar de frisar dois termos distintos, mas que são comumente confundidos em nossas igrejas: Louvor e Adoração. E uma vez tendo o discernimento de Louvor e Adoração, passaremos a nos aprofundar nesse que é um tema muito extenso e sério, Adoração, aprenderemos o que é Adoração verdadeira ou falsa, e aprenderemos a discernir quando estamos adorando em verdade. LOUVOR Segundo o Dicionário Escolar da Língua Portuguesa, do Ministério da Educação e Cultura, louvar significa elogiar; enaltecer; bendizer; glorificar; aplaudir. O significado bíblico é mais abrangente. Compreende esses aspectos, porém vai além deles ao incluir outros elementos, quando se trata de louvar a Deus. Segundo a bíblia, louvor é reconhecer, demonstrar agradecimento a Deus pelo que ele tem operado em nossas vidas. Salmos 103:1-2 – Bendize oh minha alma ao Senhor, e tudo o que há em mim bendiga seu santo nome. Bendize ó minha alma ao Senhor, e não te esqueças de nenhum de seus benefícios. ADORAÇÃO Quando pensamos em adorar a Deus, geralmente imaginamos algo que emana de nós a fim de expressarmos louvor às qualidades de Deus. Definição de Adoração. O dicionário Aurélio define adoração como culto a uma divindade; culto, reverência e veneração. No sentido Bíblico, adoração vai muito além de um simples culto, muito além de reverencia mas uma intimidade com Deus, é estar na presença de Deus. 7
  • Não existe, ou pelo menos não conheço, alguma passagem das escrituras que nos dê uma definição clara e direta do que viria a ser ADORAÇÂO, mas existem diversas passagens, que vamos estudar hoje, de onde podemos pressupor essa definição. Uma frase que define adoração que me marcou e me chamou a atenção quem me deu foi o Pr. Hilquias. Uma definição tão lógica, mas que nunca eu havia parado pra pensar. “Adoração é um estilo de Vida” O ponto inicial para entender-mos a Adoração como estilo de vida, seria estudar a vida e experiência de duas pessoas que aprenderem esse sentido: Abraão e Paulo. Abraão Vamos começar nossa viagem bíblica ao passado, no século XX A.C, em Gênesis, e conhecer um pouco sobre quem foi Abraão e como foi a sua vida com Deus para entendermos o sentido da palavra Adoração. Abraão, 8ª geração de Noé, amigo de Deus, também conhecido como o pai da fé, se pôs a obedecer a vontade de Deus quando seu povo passava fome em sua caminhada em direção a Canaã, a terra prometida. Liderando o seu povo, enfrentou as contendas do povo contra Deus, mesmo diante todas os sinais e maravilhas que Deus operava naquele lugar, enfrentou todas as dificuldades e diversidades em nome do amor que sentia ao seu Deus. A relação de intimidade de Deus com Abraão se deu nesse momento, quando Deus prometeu a Abraão um filho quando sua esposa tinha já 90 anos. E Abraão mostra sua total obediência ao seu Deus quando acatou o pedido de Deus para sacrificar seu filho Isaque em holocausto. Foi nesse momento que podemos presenciar o maior ato de intimidade e adoração de Abraão para com Deus; quando ele deixa de lado toda lógica, inclusive o amor a seu filho para seguir a vontade de Deus, oferecendo seu filho em sacrifício, conforme Deus o havia pedido. Gn 12:1 – O Senhor disse a Abraão: Sai da tua terra e da tua parentela e da casa de teu pai para a terra que eu te mostrarei. Abraão aqui começa a viver a experiência de seguir o que é lógico aos olhos humanos saindo de sua terra para um lugar desconhecido Gn15:1,3-6 – Depois dessas coisas veio a palavra do Senhor a Abraão em visão dizendo: Não temas Abraão, eu sou o teu escudo, teu grandíssimo galardão. Eis que não tem me dado semente e um nascido de minha casa será meu herdeiro. E eis que veio a palavra do Sehor a ele dizendo: Este não será seu herdeiro, mas o que sair de suas entranhas será teu herdeiro. Então levou-o para fora e disse: Olha agora para o Céu, e conte as estrelas se as pode contar, semelhantemente será tua semente. E creu ele no Senhor e foilhe imputado para que se fizesse justiça. A intimidade, a relação entre Deus e Abraão era de tamanho que ambos conversavam, não em sonhos, mas em visões, e não apenas uma vez, mas várias. Como por exemplos podemos citar: Gn12 – Deus pede a Abraão para que saia de sua terra. Gn15 – A aliança que Deus fez com Abraão quando prometeu a ele filhos mesmo sendo avançado em idade. Gn17 – Deus pede a Abraão sua circuncisão e de sua descendência. Gn18 – Deus revela a Abraão sobre a destuição de Sodoma e Gomorra(Abraão questiona a Deus). Gn21 – Desu promete que Isaac seria conhecido como semente de sua descendência. E do filho de Hagar faria uma grande nação. Gn22 – Deus pede Isaac, seu filho em sacrifício. Isso é adoração, ter uma vida de intimidade com Deus, viver para Deus e viver de Deus. Avançando um pouco no tempo, ano 50 D.C. vamos conhecer outro personagem que aprendeu o sentido da palavra adoração. Paulo Paulo, doutor da lei Judaica, criado em uma seita dos fariseus. Quando ainda se chamava Saulo, antes de sua conversão, foi considerado o maior e mais cruel perseguidor que o povo cristão já conheceu. Além de perseguidor ele consentia com facilidade, na execução dos cristãos da época. Mas após seu encontro com Jesus a sua vida foi transformada. Mesmo estando ciente de todas as conseqüências de sua conversão e de sua nova posição, ele optou por pagar o preço de ser chamado apostolo de Deus, passando nesse momento a ser perseguido. Perseguido, apedrejado, preso, não deixou de seguir ao seu Deus. Mesmo na cadeia ele adorava e louvava seu Deus. Após sua conversão Paulo se tornou um dos um dos maiores responsáveis pela disseminação do evangelho e sobre tudo do capítulo da fé. Escreveu 14 cartas, livros no novo testamento, sendo assim um instrumento usado por Deus para escrever boa parte do Novo Testamento. Paulo permaneceu preso em sua própria casa pelo período de 2 anos, e não foi impedido de continuar a anunciar as boas novas do evangelho. Paulo tinha uma vida tão intima com Deus que preferia a morte que a vida, para se encontrar com Deus. 8
  • Gl2:19-20 – Porque eu pela lei estou morto para a lei, para viver para Deus. Já estou crucificado com Cristo, e vivo não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne vivo-a na fé do filho de Deus, o qual me amou e se entregou a si mesmo por mim. Paulo era tão intimo com Deus, que Deus o escolheu dentre os homens para ver a glória de Deus, o único dentre os homens a contemplar o 3ª Céu. IÇO 2:9-10 – Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus preparou para aqueles que o amam. Nesse ponto você deve estar se perguntando... : Como saber se estou adorando a Deus em verdade ou não? Aliás, existe adoração falsa? A Adoração Falsa A resposta, infelizmente é sim, e o pior, não apenas uma maneira... Conheçamos algumas: • Existe adoração com forma mas sem substância. Nos últimos dias, como nos dias passados, falsos profetas virão (II Tim 3:1-8). Eles terão uma aparência de piedade e aprendem o que diz a Bíblia, mas, na verdade, negam a substância, o próprio poder da verdade e são réprobos quanto àquela fé uma vez dada aos santos. É fácil percebê-los pois eles querem propagar somente as coisas aprazíveis, fábulas e freqüentemente apregoam tradições dos homens como se fossem mandamentos de Deus. A adoração da forma correta leva-nos à substância da verdade, ao aperfeiçoamento (II Tim 3:16,17). • Existe adoração com os lábios, mas não de coração. Essa adoração pode ter uma aparência impecável, como se o povo estivesse chegando a Deus, assentando diante dele como o povo verdadeiro de Deus, ouvindo as palavras de Deus, mas por fim, o coração segue o pecado (Mat. 15:8,9). Essa é uma adoração falsa. Em Isaías 1:2-17, o povo de Israel tinha oblações, orações e o levantar das mãos, aproximação a Deus, reuniões solenes, holocaustos abundantes, mas não reconheciam o Senhor em seus corações. Isso era visto por Deus como iniquidade e maldade (v. 13,16) e Ele escondeu os Seus olhos deles. A adoração ocupou os lábios de todo o povo mas o coração deles estava longe de Deus. Não há adoração verdadeira se não houver obediência de um coração singular e temente a Deus. • Existe adoração com a lei, mas não com o espírito. Os Fariseus eram religiosos que faziam tudo pela lei com a esperança sincera de deixar a Deus o mais alegre possível. Socialmente eram bem aceitos. Religiosamente também. A cerimônia era exatamente conforme a lei que Deus estipulava mas, era uma adoração falsa. Deixaram o espírito da lei desfeito (Mat. 23:15,23). Por sinal, quando a Verdade passava por perto, os que adoravam por meio da letra da lei, zangavam-se. No fim da historia, crucificaram a Verdade, para que pudessem continuar em adoração pela lei. Não podemos classificar uma adoração verdadeira aquela que aborrece A Verdade. • Existe adoração com ignorância e é tida como adoração falsa. Jesus, em a sua conversa com a mulher Samaritana chegou a dizê-la que os Samaritanos adoram ao que não sabem (João 4:22). A instrução de Cristo é: que se não está adorando em espírito e em verdade, não está adorando ao Seu agrado. Jesus disse que os Fariseus erraram praticando seus ensinamentos com ignorância da verdade (Mat. 22:29, "Errais, não conhecendo as Escrituras ..."). Paulo notou a existência da adoração com ignorância. • Existe adoração com sacrifício, mas não com obediência. O Rei Saul foi instruído para que destruísse completamente os Amalequitas. Tudo, homem, mulher, crianças e animais deviam ser destruídos. Nada deveria ser perdoado. O Rei Saul foi a cidade e feriu-a mas tomou o Rei Agague, rei dos Amalequitas, vivo, como também o melhor das ovelhas e das vacas, e também as de segunda ordem. Quando Samuel encontrou-se com o Rei Saul na volta da campanha de guerra, Samuel perguntou-o se a palavra do Senhor foi obedecida. O Rei Saul disse que sim. Mas os balidos das ovelhas e o mugido das vacas veio aos ouvidos de Samuel. Saul explicou que estas foram poupados porque podiam ser oferecidas ao SENHOR, em Gilgal. Samuel explicou que essa é uma adoração falsa, pois o obedecer é melhor que o sacrificar, e o atender melhor que a gordura dos carneiros (I Sam 15: 21-22). A Adoração Verdadeira Ouvi uma frase, que ao meu ver traduz exatamente o que devemos buscar para que nossa adoração seja verdadeira e genuina. O Amor leva à verdade, A Verdade purifica o amor. Traduzindo... : É o amor que você sente por Deus que lhe conduz a verdade, a uma adoração verdadeira, e em contrapartida, essa adoração verdadeira purifica o amor que você sente por Deus. Tornando assim um ciclo de amor para com seu Deus. João 4:23,24 – Mas vem a hora e já chegou em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque estes que o Pai procura para seus adoradores. Deus é espírito e importa que os que o adoram, o adorem em espírito e em verdade. É muito claro o que Deus procura no assunto de adoração. Ele quer ser adorado em "espírito e em verdade". Vemos aqui dois novos quisitos para nos enquadrarmos na figura de adoradores, vejamos os dois separadamente: A Adoração Verdadeira: - Em Espírito – 9
  • Por causa destas duas naturezas habitarem no crente, há conflitos. Uma natureza deseja os prazeres da carne e batalha contra a outra que vive segundo a justiça e a santidade (Gal 5:17). As tentações vêm ao crente através da sua carne. A adoração que agrada a Deus não é produto dos esforços do homem natural mas fruto do Espírito Santo que está no novo homem. Isso é o que significa "adorar em espírito". Só o que é produzido por Deus é aceito por Ele pois o que o homem natural toca, suja. Para podermos adorar a Deus verdadeiramente temos que estar "em espírito", movidos e feito por aquela nova natureza nascida de Deus no crente. Isto seria visto naquele que é separado do mundo e obediente à Palavra de Deus. A adoração movida pelas emoções da carne e pelas maneiras e métodos de culto inventados pelo homem, mesmo que sejam dirigidas a Deus, são vãs e não aceitas por Deus, pois não são dEle. O que Deus aceita é feito por Ele e evidenciado pela santidade, silêncio, temor e por uma crescente obediência (Fil. 2:13). - Em Verdade – Mesmo este estudo sobre a adoração verdadeira estando dividido em dois pontos (espírito e verdade) devemos entender que um não existem sem o outro. Importa a Deus que os que O adoram O adorem tanto em espírito quanto em verdade. Se adoramos o Senhor somente em um ponto, estamos adorando incorretamente. Mas, podemos, para maior clareza, os estudar separadamente. A Necessidade da Verdade O homem sempre precisa ter um equilíbrio. Por ele ter as duas naturezas, é preciso ser sempre lembrada a influência que a natureza pecaminosa pode exercer no crente. Por isso há tantos versículos na Bíblia sobre a necessidade do Cristão ser vigilante e sóbrio despertado do sono e ser espiritual. Também, por ter um inimigo astuto, cheio de ardís incansável que arma lutas espirituais contra nós precisamos de um alicerce forte no qual podemos nos estabelecer. A Palavra de Deus é o equilíbrio que o Cristão precisa. Ela é a verdade, mui firme viva e eficaz em meio a mentira e o engano sagaz que opera ao nosso redor. Ela nos aperfeiçoa para a defesa e resistência contra as astutas ciladas do diabo e o engano do nosso próprio coração. São provados os espíritos pela verdade e não por nossos pensamentos manipuláveis ou emoções enganadoras. A esses o Senhor busca para habitar na sua presença Sl 15:1,2 – Senhor, quem habitará no teu tabernaculo? Quem morará no seu santo monte? Aquele que vive com integridade e pratica a justiça, e de coração fala a verdade. O cristão e a música Cuidado com o que entra pelos seus ouvidos, o inimigo trabalha na mente das pessoas e o que ele quer é deixá-lo vulnerável e não permitir que você saiba ou aceite as verdades contidas na bíblia. Dentre as coisas que mais me entristecem hoje está o comportamento dos cristãos em relação à música. Não consigo sentir-me tranquilo em saber que muitos que estão em nossas igrejas evangélicas ouvem músicas seculares e ainda se identificam com algumas delas, posso até estar parecendo quadrado demais, mas não estou sendo. A palavra do nosso Deus diz que o que não é para Ele é para o diabo e temos que levar isto para todas as áreas de nossas vidas, veja bem, pense da seguinte forma, cada música gospel criada é consagrada e oferecida a Deus. Agora pense nas demais que não são consagradas ao Senhor. Responda você mesmo! Lucifer, enquanto anjo de luz e ministro de louvor nos céus, entendia e entende muito de música e aí está a resposta de o por que as músicas seculares mexem tanto com o ser humano e nem precisa de uma bonita letra, e hoje, no inferno, ele usa este talento inspirando os artistas a fazerem músicas que blasfemam o nome de nosso Criador. Exagero? Até as músicas que tem letras românticas como algumas de “Legião Urbana”, “Paralamas” e “Titãs” não escapam desta lista, existe uma técnica em que se pode inserir mensagens em CDs que podem ser ouvidas somente no sentido contrário de rotação do disco, são as chamadas “mensagens subliminares” (consulte: http://www.mensagemsubliminar.com.br), estas ficam registradas somente pelo nosso subconsciente. Até os solos de guitarra ou de outros instrumentos podem ministrar maldição em nossas vidas, uma vez consagrados ao demônio, mas também podem ministrar bênção, um exemplo é o texto de 1ª Samuel 16:23 (“E quando o espírito maligno da parte de Deus vinha sobre Saul, Davi tomava a harpa, e a tocava com a sua mão; então Saul sentia alívio, e se achava melhor, e o espírito maligno se retirava dele”), os cristãos não devem copiar o que há no mundo, Deus nos capacita e nos dá instrumentais mais bonitos, mais preenchidos e que ministram bênção na vida dos que ouvem, tome muito cuidado por que simplesmente ouvindo uma música amaldiçoada você pode estar sendo prejudicado, todo o Dom perfeito vem do Céu (Tg 1:17). Agora, fique atento, não existe ritmo do “Cão”, como já ouvi muitos falarem, todos eles foram criados por Deus e, o Diabo, através do homem, apenas distorce e é somente o que ele sabe fazer, distorcer o que o Criador fez. 10
  • Cuidado com o que entra pelos seus ouvidos, o inimigo trabalha na mente das pessoas e o que ele quer é deixá-lo vulnerável e não permitir que você saiba ou aceite as verdades contidas na bíblia. Deus abençoe sua vida. Aos pés do Senhor, João Guilherme Ministério Unção e Glória gui@bnb.gov.br gui_worship@hotmail.com Louvor e Adoração Como chegar ao Santíssimo? Caminhando no Tabernáculo de Moisés, você aprende como caminhar no "templo" (que hoje está dentro de você mesmo) e descobre a delícia de se derramar na doce e soberana presença do Pai. Celebrai com júbilo ao Senhor Vós todos moradores da terra Servi ao Senhor com alegria Apresentai-vos a ele com cânticos Sabei que o Senhor é Deus E eterna a Sua bondade E a Sua misericórdia De geração a geração Aleluia! Glória! Aleluia! Aleluia! Glória! Aleluia! Em espírito E em verdade Te adoramos Te adoramos Em espírito E em verdade Te adoramos Te adoramos Rei dos Reis E Senhor Te entregamos nosso viver Rei dos Reis E Senhor Te entregamos nosso viver P'ra te adorar, ó Rei dos Reis Foi que eu nasci, ó Rei Jesus Meu prazer é te louvar Meu prazer é estar Nos átrios do Senhor Meu prazer é viver Na casa de Deus Onde flui o amor Louvai ao Senhor ! Louvai a Deus no seu santuário Louvai-o no firmamento do seu poder ! Louvai-o pelos seus atos poderosos; Louvai-o conforme a excelência da sua grandeza ! Louvai-o ao som de trombeta; Louvai-o com saltério e com harpa ! Louvai-o com adufe e com danças; Louvai-o com instrumentos de cordas e com flauta ! Louvai-o com címbalos sonoros; Louvai-o com címbalos altissonantes ! Tudo quanto tem fôlego louve ao Senhor ! LOUVAI AO SENHOR ! (Salmo 150) 11
  • Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e é necessário que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade. (João 4: 23,24) Vamos agora fazer uma meditação séria e profunda sobre estes textos que você acabou de ler ? O salmo 150 fala de louvor. O que é louvor? De acordo com o Aurélio, louvar é exaltar, enaltecer, glorificar, aplaudir, bendizer... Exaltar é tornar alto, elevar, erguer, celebrar, engrandecer... Louvor é isso. É festa.É alegria. É regozijo. É exaltação. É comemoração de tudo o que Deus fez por nós. É demonstração de gratidão a Deus pelas grandes coisas que ele fez, faz e ainda fará. LOUVOR É JÚBILO. LOUVOR É APLAUSO. João 4:23,34 e o corinho, falam de adoração. Voltemos ao Aurélio : Adoração é ato de adorar, culto, reverência, veneração... Adorar é render culto, reverenciar, venerar, amar extremosamente... Reverenciar é tratar com reverência, honrar, obedecer, acatar, respeitar... Reverência é respeito marcado pelo temor ao que é sagrado. Em espírito é mentalmente, em idéia, em pensamento, sem participação do corpo. Em verdade é emperfeita conformidade com o que se sente, certamente, realmente. Vamos examinar minuciosamente isso ? Por quê devemos louvar a Deus ? Por sua majestade. [Sal. 96:1] Por sua glória. [Sal.138:5] Por suas excelências. [Sal. 148:13] Por sua grandeza. [Sal. 145:3] Por sua bondade. [Sal. 107:8] Por sua misericórdia.[Sal.89:1] Por sua longanimidade e veracidade. [Sal. 138:2] Por sua salvação. [Sal.18:6] Por suas maravilhosas obras. [Sal.89:5] Por suas consolações. [Sal.42:10] Por seus juízos. [Sal.101:1] Por seus conselhos eternos. [Sal.16:7] Porque ele perdoa o pecado. [Sal.103:1-3] Por sua proteção. [Sal.71:6] Por seu livramento. [Sal. 40:1-3] Por sua resposta às orações. [Sal.28:6] Por quê adorar a Deus ? Por tudo que o louvamos... e: Porque ele é Digno. [Sal.18:3] Porque ele é Justo. [Sal. 145:17] Porque ele é Santo. [Sal.99:9] Porque ele é Soberano. [I Tm.6:15] Porque ele é Absoluto. Porque ele é DEUS. Porque ele é Deus e não há outro. Quem louva e adora a Deus ? Os anjos [Sal.103:20] Os santos [Sal. 30:4] Os gentios [Sal. 117:1] Os filhos de Deus [Sal. 8:2] Os exaltados e os humildes Jovens e idosos [Sal.148:1-11] Todos os seres humanos [Sal. 107:8] Como devemos louvar e adorar a Deus ? Devemos entender que ninguém louva ou adora a Deus por vontade própria. É Deus quem escolhe e elege seus adoradores. 12
  • Adorar é a razão primordial e mais profunda do seu relacionamento pessoal com Deus. E em todo relacionamento entre Deus e o homem, a iniciativa parte sempre de Deus. Como ajoelhar-se ou prestar submissão envolvem o aspecto humano, as raízes da adoração bíblica devem ser procuradas não nas emoções humanas, mas no relacionamento divinamente estabelecido entre Deus e o homem. Que emoções e reações humanas estão envolvidas no ato de adoração, é algo inegável, naturalmente. Admiração, temor, gratidão e amor são emoções que devem ser experimentadas na adoração. O que se deve ressaltar, porém, é que elas não constituem a essência da adoração. Biblicamente, o começo da adoração está em Deus e não no homem. Está em quem deve ser adorado e não no adorador. Deus declara sobre simesmo, na Bíblia, como o Deus vivo que existe de eternidade a eternidade; que criou o mundo, que criou o homem à sua imagem e se pôs em posição de relacionamento com ele. Deus julga as falhas humanas e salva o homem dos seus pecados. Deus controla o destino do homem. Deus diz o que o homem pode e o que o homem não pode fazer. Se a adoração envolve amor, é o amor a Deus. Se há admiração, essa admiração é a admiração a Deus. Se há louvor, é o louvor a Deus. Se a adoração é uma reação humana, trata-se de uma reação do homem ao Deus vivo que se fez conhecido do homem através de suas obras, de suas palavras e de seu Filho Jesus Cristo, que se fez homem e se deu a si mesmo como sacrifício definitivo capaz de reatar a relação do homem com Deus (rompida pelo pecado) e restabelecer no homem a condição para a qual ele foi criado : ADORAR A DEUS! Por isso: Porque Jesus esteve aqui. Porque Jesus morreu por nós e se fez caminho,elo, jeito e condição definitiva de ligação entre o homem e Deus, é que na antigüidade Deus era adorado através da oração, dos sacrifícios, nas festividades religiosas, no tabernáculo, na arca da aliança, no sábado (que era guardado como sinal de adoração a Deus em memorial da criação), no templo, nas sinagogas e através dos mais diversos simbolismos que o homem utilizava para demonstrar respeito, amor, honra e adoração a Deus; e hoje, nós adoramos a Deus Pai, na figura do Filho, através da atuação do Espírito Santo em nós. Adorar e louvar são basicamente a mesma coisa Mas é preciso distinguir a tênue característica que diferencia uma coisa da outra. É umaquestão apenas de postura : uma para louvar e outra diferente para adorar. Louvor é festa. Adoração é reverência. Louvor é júbilo. Adoração é respeito. Louvor é regozijo. Adoração é contrição. Na hora do louvor é hora de festejar a Deus pelos seus grandes feitos. Na hora da adoração, é hora de postar-se diante da maior autoridade que existe, que era, que é e que há de vir. É hora de prostrar-se diante do Rei dos Reis, do Senhor dos Senhores, do Deus de toda a terra e se fazer contrito, humilde, silencioso e atento para ouvir o que ELE tem p'ra falar. É hora de reverenciá-lo. É hora de cultuá-lo. É hora de ouvir. Louvar é celebrar com júbilo. Adorar é prostrar-se diante do Pai em espírito e em verdade. Quando Deus mandou construir um templo para si, ele determinou que cada detalhe fosse feito exatamente do jeito que ele queria. Ele determinou o tamanho do pátio, do átrio, do altar e do lugar santíssimo. Determinou as medidas das portas, das janelas, das cortinas, dos adornos, tudo... Ele cuidou de cada detalhe. As figuras e os fatos do Antigo Testamento, sempre simbolizavam o que seria o Novo Testamento. A antiga aliança retratava a nova aliança. Abraão oferecendo Isaque em sacrifício era uma antevisão do sacrifício de Jesus no Calvário. O cordeiro oferecido por Deus em lugar de Isaque era a demonstração clara de que Deus providenciaria o Cordeiro definitivo para ser sacrificado no lugar do homem. Deus não determinou cada detalhe do templo e como seriam feitas as coisas dentro desse templo, por acaso. Ele expressou exatamente o que ele queria e ainda quer. A grande diferença é que na antiga aliança Deus exigia que o homem fizesse no plano físico tudo o que era necessário à propiciação e à adoração e havia uma barreira intransponível entre Deus e o homem Havia o véu do templo. 13
  • Só o sumo-sacerdote, uma vez por ano, podia ir ao lugar santíssimo levar as reivindicações do povo e trazer a resposta de Deus. Pois bem... Jesus veio. Rasgou o véu do templo. Religou o homem a Deus. Resgatou o homem para Deus. E restabeleceu o relacionamento livre entre o homem e Deus. Ele fez mais que isso. Ele instituiu a Nova Aliança entre Deus e o homem. E uma aliança para ser nova, tinha que ter alguma coisa diferente da antiga. E a diferença está exatamente aí. Se a Antiga Aliança continha várias formas de relacionamento com Deus no plano físico, na Nova Aliança, esse relacionamento se transporta totalmente e se sublima no plano espiritual. Samuel já antevia isso quando disse: Eis que o obedecer é melhor do que sacrificar, e o atender melhor do que a gordura de carneiros. ( l Sm.15:22), salientando claramente que a atitude interna é muito mais importante que a atitude externa durante o culto, o louvor e a adoração. É nessa Nova Aliança que, nesse relacionamento espiritual com Deus, que o Espírito Santo te transforma em TEMPLO. E nesse templo tem o átrio, tem o lugar santo e o lugar santíssimo. Por analogia, quando você louva, canta hinos que exaltam, enaltecem e glorificam a Deus, você está no átrio... Você caminha para o lugar santo quando você apresenta a Deus a sua oferta de sacrifício e gratidão pelo que Ele fez, faz pessoalmente por você. Enquanto você esta no átrio e no altar, você dá testemunho e agradece ao Pai por todas as coisas, você canta hinos que exaltam e hinos de gratidão a Deus. Caminhando ainda nesse templo... não existe mais o véu da separação e você pode entrar no lugar santíssimo e chegar bem de frente ao Pai e prostrar-se diante dele, declarar seu amor a Ele, reverenciá-lo, adorá-lo e beijar a Sua face. É quando você canta os hinos nos quais você fala diretamente ao Pai, de frente p'ra Ele. Como você deve estar internamente? Reverente, temente, humilde, contrito, em espírito e em verdade. Aí você estará pronto para ouvir o que Deus tem p'ra falar com você. Até agora, nesse caminhar no templo, você estava apenas se preparando p'ra isso : CHEGAR DIANTE DO PAI Levitas devem viver no Altar É também no altar que somos remidos, somos libertos do poder do pecado e passamos a pertencer a Deus. Remir significa ser readquirido o mesmo que redimir. Farás também o altar de madeira de acácia; de cinco côvados será o seu comprimento, e de cinco, a largura (será quadrado o altar), e de três côvados, a altura. Dos quatro cantos farás levantar-se quatro chifres, os quais formarão uma só peça com o altar; e o cobrirás de bronze. Far-lhe-ás também recipientes para recolher a sua cinza, e pás, e bacias, e garfos, e braseiros; todos esses utensílios farás de bronze. Far-lhe-ás também uma grelha de bronze em forma de rede, à qual farás quatro argolas de metal nos seus quatro cantos, e as porás dentro do rebordo do altar para baixo, de maneira que a rede chegue até ao meio do altar. Farás também varais para o altar, varais de madeira de acácia, e os cobrirás de bronze. Os varais se meterão nas argolas, de um e de outro lado do altar, quando for levado. Oco e de tábuas o farás; como se te mostrou no monte, assim o farão. (Êxodo 27:1-8 RA) O altar de bronze (cobre) era o primeiro objeto encontrado por quem entrasse no tabernáculo de Moisés. Estava posto à entrada do Átrio do tabernáculo. O simbolismo disto é que ninguém pode chegar-se a Deus sem antes se deparar, compreender e aceitar o sacrifício remidor de Cristo no calvário, que foi imolado como um cordeiro em sacrifício pelo pecador. O simbolismo do altar é REMISSÃO. O Altar é o lugar onde nossas obras são julgadas O Altar era feito do bronze tirado dos incensários dos 250 israelitas que se rebelaram contra Deus, isto fala de julgamento, no altar de bronze nossas obras de natureza carnal são julgadas. Tudo aquilo que é impuro, desonesto, pecaminoso deve ser julgado no altar. Então, saiu fogo do SENHOR e consumiu os duzentos e cinqüenta homens que ofereciam o incenso. E falou o SENHOR a Moisés, dizendo: Dize a Eleazar, filho de Arão, o sacerdote, que tome os incensários do meio do incêndio e espalhe o fogo longe, porque santos são; quanto aos incensários daqueles que pecaram contra a sua alma, deles se façam folhas estendidas para cobertura do altar; porquanto os 14
  • trouxeram perante o SENHOR; pelo que santos são e serão por sinal aos filhos de Israel. (Números 16:35-38 RC) O Altar é o lugar de Remissão É também no altar que somos remidos, somos libertos do poder do pecado e passamos a pertencer a Deus. Remir significa ser readquirido o mesmo que redimir. O Altar é o lugar onde Nossos sonhos são oferecidos a Deus Quando vamos ao altar carregando nossos sonhos e nossos desejos e ali os oferecemos a Deus eles transformam-se em sementes que florescerão. Portanto leve tudo ao altar, seus sonhos, suas frustrações, sua vida tudo deve ir para o altar. Confia no SENHOR e faze o bem; habitarás na terra e, verdadeiramente, serás alimentado. Deleita-te também no SENHOR, e ele te concederá o que deseja o teu coração. Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nele, e ele tudo fará. E ele fará sobressair a tua justiça como a luz; e o teu juízo, como o meio-dia. Descansa no SENHOR e espera nele; não te indignes por causa daquele que prospera em seu caminho, por causa do homem que executa astutos intentos. (Salmos 37:3-7 RC) Altar, lugar de encontro com Deus Os dias em que vivemos são carregados de estímulos ao sucesso e a fama, uma multidão de programas surgem na mídia propondo glória e fortuna, No meio evangélico não é diferente, estamos cheios de artistas e "grandes nomes da música gospel". fãs clubes são criados e há verdadeiros delírios nos palcos de shows evangélicos, autógrafos distribuídos, frenesis gerados, gritos e aclamação ao ídolo da música, as paradas de sucesso das rádios gospel apontam para os the bests (os melhores). Porém, há muitos destes grandes artistas que não são conhecidos no céu, suas músicas não tocam na "rádio celestial". Na verdade Deus só conhece aqueles que se encontram com ele no altar, música que toca o coração de Deus é a música que é servida no altar. Imagine o quadro de alguém querendo ser famoso. Chega diante de Deus em oração e Diz: Deus como eu quero fazer sucesso, ser famoso igual aquele teu filho o cantor (cantora) tal; suas músicas tocam em todas as rádios, seus clipes são exibidos até nas redes de televisão seculares, as revistas exibem seus cds na capa. Deus então volta- se e diz: De quem você está falando mesmo? Do cantor tal, que canta aquela música linda!! - Deus volta-se para a corte angelical e pergunta: Vocês conhecem, toda a corte angelical responde NÃO nunca chegou por aqui. No outro dia o nosso personagem volta-se para Deus em oração e diz: Deus ontem fui a uma igrejinha, lá havia alguém cantando, na verdade eu nunca havia ouvido aquela música antes, muito menos aquela cantora, mas havia algo diferente naquela música e naquela cantora. Deus então diz: Você deve estar falando da minha serva tal. Deus volta-se para a corte angelical e diz ele esta falando dela. A corte celestial volta-se e diz quando ela canta todos nós paramos para ouvir, aqui ela é famosa. A diferença esta no altar, nos tornamos verdadeiramente famosos quando vivemos no altar, Um exemplo bem clássico disto está em Jó o grande patriarca Sucedia, pois, que, tendo decorrido o turno de dias de seus banquetes, enviava Jó, e os santificava, e se levantava de madrugada, e oferecia holocaustos segundo o número de todos eles Jó 1:5 E disse o SENHOR a Satanás: Observaste tu a meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem sincero, e reto, e temente a Deus, e desviando-se do mal.Jó 1:8 Jó entendia que o melhor lugar para um encontro bem íntimo com o Senhor é o Altar. Precisamos entender que o nosso Deus tem marcado um encontro com cada um de nós. Todos os levitas do senhor precisam de um contato íntimo com Deus para legitimar o seu ministério, nada valerá a fama, o estrelato aqui se você não for conhecido no céu, se suas músicas chegarem em todos os cantos do mundo mas não tocarem o coração de Deus isto não valerá absolutamente nada. Pr. Ivaldo Costa ivaldoc@aol.com Estruturando o louvor Caro amigo, na minha experiência de integrante de equipe de louvor ha vários anos, depois de muitas lutas, tribulações e provações, pude aprender que a equipe de louvor é quem tem a responsabilidade de preparar o coração da congregação para ouvir a mensagem que será ministrada. Caro amigo, na minha experiência de integrante de equipe de louvor ha vários anos, depois de muitas lutas, tribulações e provações, pude aprender que a equipe de louvor é quem tem a responsabilidade de preparar o coração da congregação para ouvir a mensagem que será ministrada. Se a equipe de louvor não conseguir ministrar livremente a palavra ou se algum membro da equipe estiver com problemas, certamente será notado por toda a igreja, pois, a equipe de louvor no momento que estiver ministrando, será o centro das atenções, por isso, não vá à frente ministrar se você tem algum problema, ore e concerte-o com Deus! No período de louvor, cada música tem uma função e seu objetivo, por isso temos que além de saber escolher as músicas certas, temos que pô-las em ordem. Mas algo que o ministro jamais deve se confundir na hora de escolher as musicas que montarão o repertório do culto é que Louvor é 15
  • completamente diferente de Adoração. Louvor = é o ato pelo qual o homem glorifica a Deus com alegria, com danças e palmas, ou seja, agradecer por tudo o que nos tem feito. Podemos ver um claro exemplo disto em: 1 Crônicas 13:8 Então Davi e todo o povo começaram a dançar com todas as suas forças em louvor a Deus. Eles cantavam e tocavam instrumentos musicais, isto é, harpas, tambores, pratos e trombetas e 1 Crônicas 16:25 O Deus Eterno é grande e merece todo o nosso louvor; ele deve ser temido mais do que todos os deuses. Nesse período usamos músicas mais animadas, que fala de forma alegre como na música: Autoridade e Poder. Adoração = é a manifestação em que o homem se reverência a grandiosidade de Deus, onde ele assume a sua infinita inferioridade diante da glória de Deus. Nesse período usamos músicas mais lentas em que deixamos bem claro ao visitante que Deus é bom e que carecemos da sua glória, como na música: Maravilhoso és! O período de louvor pode ser dividido em duas partes, e é isso que quero conversar aqui, como o louvor é estruturado: 1. Louvor horizontal. 2. Louvor vertical • Louvor horizontal É o primeiro momento do período de louvor; onde falamos aos homens. Esta parte se subdivide em outras 2 partes: Confraternização= Onde o Ministro de Música pode escolher músicas que falam aos homens; para que todos, visitantes e igreja se tornem um, isso fará com que os visitantes se sintam mais "em casa". Ex.: Bom estarmos aqui. Conscientização Onde o ministro poderá usar músicas que falam ao pecador, convencendo do seu pecado e mostrando que a solução é Cristo: Ex.: Você precisa de Deus. • Louvor vertical= Onde o ministro irá usar das músicas para levar o visitante até Deus, mostrando a grandiosidade de Deus ou ainda agradecendo a Deus pelas bênçãos recebidas. Nessa fase o visitante estará preparado para receber a mensagem. Ex.: Grande é o Senhor. É no período de louvor é que vamos concretizar como vai ser o culto, por isso, temos que manter a disciplina. A seleção dos hinetos devem seguir a seguinte ordem: Momento Classificação Confraternização Louvor horizontal Falar de Deus (Louvor) Louvor horizontal Falar com Deus (Adoração) Louvor vertical Conscientização Louvor horizontal Apelo Louvor vertical E ainda; quanto ao estilo aconselho a seguinte sequência: Comece com as músicas mais alegres e mais agitadas e vá diminuindo o ritmo mansamente para um toque bem espiritual, de maneira que ninguém perceba a queda! Mas não pense que toda essa organização e estruturação é feita para atingir e "bombardear" a cabeça de todos com a música, pois, a finalidade do período de louvor não é de convencer o homem de seu pecado, afinal esse é o papel do Espírito Santo; a verdadeira função do período de louvor é de dar aquele "empurrãozinho" para ajudar o visitante à tomar uma decisão que realmente, é difícil para ele. Quando a pessoa procura a igreja, é porquê algo está errado em sua vida, ela não vai à igreja só por passear ou passar o tempo, pois "mundanamente falando" , existem muitos outros lugares para ele se divertir, mas não!; ele escolheu justamente a igreja, e sabe por quê? É porque ele sabe e está ciente de que precisa de Deus, e quando ele entra na igreja não é por uma emoção e sim por "razão" , isso depois de ver que não existe saída sem Jesus e é aí que entra em ação o Espírito Santo, pois ele já convenceu o homem do seu pecado. Só que ao entrar na igreja ele se sente perdido, pois ali, é um lugar novo, ele se sente constrangido e jamais, ou quase nunca, irá à frente tomando sua decisão. É preciso criar um "clima" para que ele se sinta mais em casa e que fique maravilhado com o louvor , e após ouvir a palavra de Deus é que ele vai ter segurança de ir diante a igreja declarar a sua conversão Em suma...a tarefa de convencer o homem a tomar sua decisão é única e exclusivamente do Espírito Santo, o ministério de louvor apenas vai se usar do poder que a música tem de tocar os sentimentos do homem e levar a palavra e amolecer o seu coração criando o "clima" de segurança de que ele precisa para ir à frente. Em muitas igrejas já vi o maior erro que o dirigente pode cometer em um culto: Entre o período de louvor e a pregação não pode haver nem um contratempo, pois isso iria quebrar o clima de que o 16
  • pecador está precisando para se converter! Pois a música tem o poder de tocar os sentimentos mais íntimos do homem mais duro; o visitante estará encantado com a mensagem das músicas, se o louvor for bem dirigido, ele estará implorando o momento apelativo e quando alguém dá algum aviso ou convite isso anulará todo esforço da equipe de louvor, por isso, após o louvor nada de avisos ou outra coisa! Isso para que eles não percam esse "clima"! Converse com seu pastor sobre como deveria ser a ordem do culto, vou sugerir a seguinte ordem: • Prelúdio • Abertura • Hinos • Leitura Bíblica • Ofertório • Avisos • Apresentação dos visitantes • Período de louvor • Pregação • Pós-lúdio Evite erros infantis, pois nosso Deus merece todo louvor e toda perfeição. Sei de uma banda secular norte-americana que usa 15 carretas dos mais caros e sofisticados equipamentos musicais para tocar músicas mundanas, dando glórias a quem não merece, enquanto que alguns de nós, evangélicos, não damos tudo de nós para adorar o Deus verdadeiro que nos criou, que nos libertou, que deu o dom de louvar e que deu seu filho unigênito para nos salvar! A palavra de Deus deixa bem claro que ele não se agrada com qualquer coisa, ele quer o melhor de nós! Nada daquele ditado: "Se tocamos pra Deus, qualquer coisa ta bom, pois ele é compreensivo e vai nos entender!" Esse ditado é a maior heresia no sentido do louvor que já ouvi na minha vida! Pois a bíblia deixa bem claro: " Cantai ao Senhor um cântico novo, tocai bem e com júbilo"(Sl 33:3). Não cometa o mesmo erro que muitos cometem, muitos acham que para serem um bom músico tem que estudar música e tocar melhor que todos, mas às vezes esse músico toca tão bem mas as músicas dele não tocam ao coração dos pecadores que vieram à igreja buscar uma palavra de consolo, e quanto muitos que não tocam tão bem assim, conseguem tocar nos sentimentos do pecador e fazer, através da música, com que o pecador se arrependa de seus pecados e se renda aos pé de Cristo, por isso, a perfeição não está apenas no tocar bem mas está principalmente na humildade do músico e na unção do espírito e do talento, sempre ore para que Deus possa estar moldando e transformando seu interior a cada dia de sua vida! Organizando uma equipe de louvor Na igreja, todos os trabalhos são importantes, e cada um dele tem uma característica especifica. O músico precisa entender isso, e principalmente que o domingo tem uma exigência bem diferente das exigências dos outros cultos. Na igreja, todos os trabalhos são importantes, e cada um dele tem uma característica especifica. O músico precisa entender isso, e principalmente que o domingo tem uma exigência bem diferente das exigências dos outros cultos. Se isso for entendido, todas as reuniões da igreja passarão a ter a mesma qualidade. Ao longo da semana, os hinos e os cânticos avulsos são freqüentes, ao passo que ao domingo os grupos tomam conta da programação. É preciso que cada músico entenda que ele é músico da igreja, para atender a demanda da igreja, seja ela nos cultos de semana, seja nos domingos. A igreja, por sua vez, deve lançar mão de seus músicos em todas as suas reuniões, evitando que eles se dividam em grupos: os de domingo e os de outros dias. Claro em que reuniões onde os hinos não são tão complicados, os músicos iniciantes devem ser trabalhados como aprendizes, sendo acompanhado por quem já é músico experiente. 17
  • Como líder do departamento de música, você deve adotar os seguintes medidas como sugestão para a sua igreja. • Conscientize os músicos de que o melhor, e mais importante é o único e só Jesus Cristo. Dele somos servos, e é ele que nos capacita. "A bíblia diz que Deus resiste ao soberbo". O músico ou cantor que se acha melhor que os outros vivem em constante confusão. bom é que todos os músicos tenham oportunidade, havendo. assim, uma divisão de deveres e tarefas musicais na igreja. Exemplo: Se existem dois guitarristas na igreja, um toca em um trabalho e o outro toca no seguinte. Uma coisa é certa, que existem trabalhos variados na igreja, usar uma escala é uma forma para que todos se tornem responsáveis. • Para os cultos mais movimentados coloque uma equipe com mais integrantes, ,mas não faça do trabalho um festival de música onde só se toca e canta. • Se na igreja ha vários conjuntos e/ou grupos, não há necessidade de que todos cantem no mesmo domingo, pois a movimentação de entra e sai de grupos poderia quebrar a reverencia do culto, para isso use uma escala de trabalhos, com isso você descansa mais os conjuntos e dá mais oportunidades a todos e não deixa nenhum grupos em repertório. • Crie uma equipe de louvor de forma que apenas 4 cantores( 2 homens e 2 mulheres) se apresentem numa oportunidade. Com essa equipe você poderá treinar vários tipos de hinos para ocasiões especiais no culto, como: saudação aos visitantes, devocional, ofertório, ministração e preparação para a mensagem. • A equipe de louvor precisa estar sintonizada com o culto e, também, afinada. Para isso precisará ensaiar pelo menos duas vezes na semana. • A equipe de louvor não deve tocar mais de dois hinos de uma só vez no mesmo culto. Tocar três o quatro na mesma noite é cansativo para quem está do outro lado. cantar um hino e depois de 20 minutos outro é desaconselhável devido ao tempo de se deslocar dos bancos até o local de tocar, sem contar o acerto dos instrumentos. • Oriente aos grupos para falarem resumidamente, pois a oportunidade foi dada para cantar e não pregar, o que seria papel do pastor. Estudos extraídos do site: www.adoracao.com.br 18