• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
AEROGRAFIA
 

AEROGRAFIA

on

  • 3,611 views

Neste texto, estão resumidas basicamente, todas as informações referentes à técnica de Aerografia. ...

Neste texto, estão resumidas basicamente, todas as informações referentes à técnica de Aerografia.
Esta técnica já vem sendo amplamente utilizada na customização e personalização dos mais variados bens.

Statistics

Views

Total Views
3,611
Views on SlideShare
3,584
Embed Views
27

Actions

Likes
0
Downloads
40
Comments
0

5 Embeds 27

https://cursosrapidosonline.com.br 14
http://cesbonline.com.br 8
https://cesbonline.com.br 2
https://www.xn--cursosonlinedaeducao-7yb1g.com.br 2
https://www.cursosonlinecursos.com.br 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    AEROGRAFIA AEROGRAFIA Document Transcript

    • Aerografia Aerografia (ou airbrush em inglês), é uma técnica de pintura onde seutiliza uma pequena pistola ligada a um compressor de ar para produzir jatosde tinta. Antes da computação gráfica, o aerógrafo era ferramenta fundamentalpara retoques fotográficos, e logo o instrumento foi relacionado à artecomercial. Com o florescimento da cultura de massa, e principalmente seuauge na publicidade, este equipamento foi introduzido no campo das belasartes. Atualmente existem trabalhos feitos com aerógrafo em todas as galeriasdo mundo, e seus preços são comparados a trabalhos feitos de formatradicional, com pincel. Sua aceitação em certos círculos de artistas foi muito lenta, pois eraconsiderada uma arte mecânica. As objeções não se referiam tanto à qualidadealcançada em seus trabalhos, mas a razões mais teóricas. O artista nãoestabelece contato direto com a superfície de trabalho no ato da pintura. O ar équem leva a tinta à tela.História da Aerografia A história da aerografia é muito mais antiga do que a maioria daspessoas podem imaginar. As primeiras imagens feitas pelo homem, na pré-história, foram criadas utilizando técnicas de aerografia. Estas imagens podem ser vistas na parede das cavernasLascauxandPeacl-Merle, no sudoeste da França. Acredita-se que tenham pelomenos 35 mil anos e que foram feitas soprando um pigmento (tinta) através dacavidade de um tubo, feito de osso de animais. Um do primeiros exemplos de aerografia ocorreu quando um pigmentofoi usado como tinta, a mão, como máscara, um cano feito de osso, o aerógrafoe o pulmão do homem, como o compressor. O inventor do aerógrafo moderno foi o americano Abner Peeler, que emmaio de 1878 imaginou ser possível pintar usando um jato de ar passando porum aparelho que aumenta ou diminui o fluxo de tinta sendo jogado nasuperfície a ser pintada.
    • Três anos depois, em 1881, o Sr. Peeler vendeu sua invenção para o Sr.LibertyWalkup. Pelos direitos mundiais sobre o produto ele recebeu US$700,00 (setecentos dólares). Em 25 de abril de 1882, foi feito o registro depatente nos Estados Unidos em nome de LibertyWalkup. Apesar de dizer que também estava trabalhando em um projeto deaerógrafo na mesma época, Walkup nunca teve nenhuma tendência parainventor, ao passo que Peeler continuou criando novos produtos por váriosanos, até sua morte. Em 1883, foi fundada a Rockford Air BrushCompany peloSr. Walkup para fabricar e promover o primeiro aerógrafo ao público. O principal motivo é que o aerógrafo consegue conferir sentimento àimpressão, devido à sua habilidade de pulverizar pontos muito finos e dedesenvolver uma imagem sem que a "pincelada" fique marcada. Durante operíodo compreendido entre 1890/1900, as fotografias artísticas (aquelas quesão "retocadas" por pintores), tornara-se tão populares, que a demanda porcores sépias levou os especialistas a usarem o aerógrafo. Desde então, seuuso tem crescido cada vez mais, na mídia e nas artes. Durante os anos 20, 30 e o inicio dos anos 40, o aerógrafo foi utilizadoem grande escala, dentro da arte comercial e da ilustração. Nos anos 40 amaioria das escolas técnicas e de arte oferecia o curso de aerografia comoparte de seu currículo. O retoque de fotografias já era muito difundido, especialmente emanúncios. Outro campo visual, no qual o aerógrafo foi largamente utilizado, foi odas ilustrações médicas, pelo simples fato do instrumento permitir recriarfacilmente a impressão voluptuosa das formas orgânicas. O caminho para a aceitação da técnica da aerografia, como instrumentodas artes clássicas, foi preparado por artistas pop como Andy Warhol e RoyLichtenstein, que, usando de criatividade, fizeram o aerógrafo ser hoje tãorespeitado. Apenas em 1960, com o declínio da pop arte o advento do neo-realismo,é que o aerógrafo conseguiu seu lugar de destaque no mundo das artes. Na área publicitária e nas ilustrações técnicas, o mercado paradesenhistas que utilizam o aerógrafo como ferramenta de trabalho, é muitoconcorrido, pois apenas ele é capaz de criar certos efeitos. Isto faz com que osartistas que dominam esta técnica não tenham problemas de encontrartrabalho Ilustrações técnicas encomendadas por empresas importantes fizeram aarte aerográficase tornar famosa em todo o mundo.
    • Com o advento da arte pop, de novas ferramentas e de uma tendênciaem direção ao realismo, foi muito natural que a aerografia entrasse na modadas artes clássicas. Uma enxurrada de artistas seguiu essa tendência e sefirmou num mercado promissor. Nos anos 70, as agências de publicidade encontraram no airbrush acaracterística do desenho super-realista (quase uma foto) para divulgação deseus produtos no mercado. Deu-se então um "boom" no mundo inteiro. Acomunicação visual gritava pelo aerógrafo. Ainda hoje, apesar dos recursos da informática, o airbrush continua emalta nas agências do mundo inteiro. Outras aplicações foram desenvolvidas e,hoje, não conhecemos nada em que não possamos aplicar a técnica doairbrush. É também bastante utilizada por artistas que produzem efeitos especiaisem filmes e animações. Iluminando, colorindo e texturizando imagens, aspossibilidades para a indústrias cinematográficas são infinitas.Aerógrafo Há muitos milhares de anos oshomens pré-históricos assopravampigmentos corantes através de tubos paradecorar as paredes de suas cavernas. Masnão se pode dizer que a pintura feita atravésde jatos de tinta tenha uma história contínua.No japão já era praticada no século XVII,mas o ocidente teve que esperar até o Fonte: www.aerografia.comséculo XIX para se utilizar desta técnica.: Neste caso, ao assoprar, produz-se um jato de alta pressão que fazdescer a pressão do ar pelo tubo de tinta. A tinta, que se mantém na pressãoatmosférica, é absorvida pelo tubo (onde a pressão do ar é mais baixa), e éempurrada para cima, até juntar-se ao jato de ar. O resultado é um jato de tintaamplo e uniforme. Existem vários tipos de aerógrafos, de diferentes marcas mas com omesmo funcionamento básico. É necessária uma fonte de ar (compressor)ligado ao aerógrafo através de uma mangueira. A pistola é alimentada com arcomprimido e tinta. A tinta é colocada no "copinho" acoplado ao aerógrafo. Esterecipiente para tinta é diferente nos vários modelos de aerógrafos, podendo serremovível ou fixo, lateral ou acoplado na parte superior da pistola. A posiçãodos copos de tinta determina ainda se o aerógrafo é alimentado pela tintaatravéz de sucção, (copo abaixo do bico) ou por gravidade (copo acima dobico).
    • Nas figuras abaixo, observam-se os diferentes caminhos que o ar e atinta podem percorrer antes de se tornarem um jato único e homogêneo.Quando o ar se mistura à tinta é formado o jato de tinta expelido pelo bico doaparelho como uma névoa que deve ser direcionada à base a ser pintada.Nestas figuras, a pistola é alimentada pela tinta através de sucção. Fonte: www.aerografia.comO Aerógrafo pode ser de ação simples ou de dupla ação: No aerógrafo de ação simples, o gatilho quando apertado libera um jatode tinta de espessura pré-determinada, não permitindo o controle de tamanhodo jato. O único movimento possível no gatilho, é apertá-lo para baixo. Otamanho do jato de tinta é pré-determinado pelo fabricante. Já no aerógrafo de dupla-ação, o gatilho possui duas funções distintas:Primeiro, quando apertado para baixo o gatilho abre a válvula que libera aentrada de ar comprimido, e segundo, a medida que se puxa o gatilho para trás(ainda mantendo-o apertado) é acionado o mecanismo que libera a saída datinta. Nas imagens abaixo, pode-se notar um aerógrafo de dupla ação. O jatode tinta é modificado conforme a posição do gatilho. Pressionado ele liberaapenas ar, e a medida que vai sendo puxado para trás, libera o jato de tinta(cada vez maior, quanto mais para trás se posiciona o gatilho). Nestesexemplos, a pistola é alimentada pela tinta através da gravidade. A técnica (emuita prática) permite dimensionar o jato de tinta para quese faça desde traços muito finos até fundos mais amplos. Fonte: www.aerografia.com
    • Tintas e bases As tintas utilizadas na aerografia são geralmente tintas a óleo, devido ofato de ser facilmente diluída em materias solventes e diluentes a basede cloreto de zinco como o thinner, além de misturar-se com outras colorações. Muitos artistas do ramo de personalização, utilizam tintas de pinturaautomotiva (base poliéster, nitrocelulose, acrílico, e até poliuretano) pelafacilidade de compra, disponibilidade em casas de tintas, variedade de cores eaté mesmo fórmulas prontas em máquinas tintométricas. São realizadasmisturas para se conseguir a cor ideal, a tinta não pode ser muito espessa,devido o fato de poder não fluir corretamente dentro do aerógrafo. Alguns estúdios de aerografia maisequipados e avançados possuem laboratórioespecializados para aexperimentação,composição e especialmentecriação de novas cores exclusivas, em especialapós o advento dos pigmentos produzidos pornanotecnologia (cristais) citando como exemploas linhas PPG Liquid Crystal (figura) e Vibrance. A base é uma resina incolor ou quaseincolor, ou seja o material da tinta sem opigmento, como o verniz. Servem parapreparação da área a ser pintada (primer), e para PPG Crystal Pearls™ and Liquidtoque final (verniz incolor), dando brilho ao Crystal™ Fonte: http://www.tcpglobal.comtrabalho. Existem diversos tipos de vernizes para acabamento, entre eles vernizfosco, verniz emborrachado, verniz cerâmico nanotecnologia aeroespacial,verniz epóxi, e outros. A maioria dos vernizes de maior resistência química emecânica, possui natureza química de dois componentes (verniz + catalisador)onde após a reação química (cura) a película formada apresenta todos seusatributos e virtudes.
    • Pinstriping Pinstriping (na língua portuguesa, algo próximo a “tirinhas”) é a aplicaçãode tinta ou outro material em finas tiras para decoração, as tiras geralmentepossuem cerca de 1 milímetro de espessura, dando formatos simétricos etribalados como resultado final. Quando pintado a mão livre, utilza-se umequipamento chamado pinstripingbrush, trata-se de um aplicador de tinta emforma de caneta. Usado em conjunto com técnicas de aerografia, o pinstriping é utilzadoem decoração de carros, motocicletas e outras superfícies como geladeiras,capacetes, etc. Fonte: flickrhivemind.net
    • História do Pinstriping Definição de Pinstriping é a capacidade do artista em realizar um filetede tinta, tão fina quanto possível, similar a um risco deixado por um alfinete.Estas linhas podem formar figuras definidas com significados ou simplesmenterepresentar a arte de forma abstrata. A história do Pinstripe é tão antiga quanto a nossa história. Há relatosque o pinstriping iniciou no antigo Egito. Nesta época não havia oconhecimento de tinturas líquidas, mas havia o conhecimento do processo demanipulação de ceras de abelhas, que pelas propriedades físico-químicasofereciam excelente combinação com os pigmentos naturais, resultando emboa fixação e persistência do pigmento. As pinturas e os detalhes eram feitosatravés da fusão entre a cera e o pigmento, a mistura era aquecida e aplicadasobre madeira através de um palito com uma ponta muito fina. Este processofoi utilizado até o império médio ( 2040 – 1640 a.C) na confecção das máscarasutilizadas nos sarcófagos e na da dinastia XVII (1640 – 1550 a.C) foi utilizadapara pintar e decorar os ataúdes. Com a descoberta da tinta de base oleosa, foi necessário desenvolverum instrumento capaz de “absorver” o produto e promover uma aplicação àsestruturas sem haver escorrimento. Desta forma foi inventado o primeiro pincel,inicialmente com tecido de linho e posteriormente com a utilização de pelos deanimais, sendo o camelo a melhor opção. O pinstripe sempre esteve associado ao desenvolvimento dahumanidade, não como uma técnica específica, mas um complemento aosdiversos processos de pinturas. Por volta do século XVI o pinstripe foi muito difundido entre osconstrutores de navegações e carruagens. Este processo de personalizaçãochegou às Américas junto com a colonização e foi desenvolvido até a primeiradécada do século XX. Com a popularização do automóvel e a queda nasvendas das carruagens as personalizações foram esquecidas. Durante a segunda guerra mundial, a técnica do pinstripe voltou a serutilização na personalização de bombardeiros americanos, no terço final destaguerra, como uma forma de motivação e competição entre os pilotoscombatentes, e com isso surgiu a técnica de Pinups. Os Pinups eram pinturasde mulheres, normalmente na região frontal das aeronaves, contando ohistórico de cada aeronave, mostrando a quantidade de missões e combatesenfrentados, etc. Atualmente, o pinstripe é bastante utilizado em diversos setores daindústria e nos mais variados ramos da arte em geral, com muito êxito edemanda em grandes projetosda indústria cinematográfica mundial.
    • Técnicas de pinstriping Basicamente são três as principais técnicas de pinstriping:Pinstriping mecânico Esta é a forma preferida para fazer filetes em grandes superfícies comocaminhões e vans. A grande vantagem é que o filete conseguido é sempre damesma espessura e com a mesma densidade de tinta, mesmo enquanto suapreocupação maior seja a de manter a linha na posição desejada. Um pequenoequipamento de funcionamento simples e preciso é o que possibilita estetrabalho. Chama-se Beugler (figura) Beugler Fonte: www.google.com Tem diferentes pontas de várias larguras, fazendo linhas simples ouduplas. Diversas aplicações do Beugler Fonte: www.google.com
    • Pinstriping com fitas adesivas Existem vários tipos de fitas adesivas de diferentes larguras utilizadaspara mascaramento em pintura. As fitas "filetes" (também difíceis de seremencontradas no Brasil) permitem que se faça o mascaramento das linhas, epara a aplicação da tinta é necessário um pincel ou uma pistola (que pode sero aerógrafo). Pinstriping com fita adesiva Fonte: www.google.comPinstriping à mão livre Agora chegamos ao ponto altodesta técnica. Sua forma mais avançada,que exige muito treino e seus resultadosincríveis. A forma mais fácil para um iniciantenesta técnica é fazer um esboço dodesenho e depois seguir pintando com opincel sobre as linhas de rascunho. Fitasadesivas também podem ser utilizadascomo guias. Os pincéis disponíveis paraeste trabalho são especiais em seu Prinstripe a mão livre Fonte: www.google.comformato e no corte dos pelos. As linhasproduzidas, mesmo quando curvas, sãoperfeitas, e dão o contorno ideal.
    • O Prinstripe no Brasil O pinstriping no Brasil, como KustomKulture, praticamente inexiste. Astécnicas desta cultura estão nas mãos de poucos adeptos sendo os maisconhecidos: Marcelo Lobão em São Paulo, Neimar em Belo Horizonte eEduardo "BIG" Bignami em Londrina. O movimento Punk, na década de 80, trouxe em evidência apersonalização de cabelos, roupas, tatuagens e na sequência renasceu oKustomKulture. E logo resurgiram nos EUA os velhos Hots e os "novos" Rats epor consequência o pinstriping. Mas, no Brasil, nem tudo são flores, a falta de leis que regulamentam osRats, Hots e Tunning como uma categoria de carros para circulação, impede ocrescimento de mercado para acessórios, peças e dos artesões em construçãode carros e pinstriping. fica limitado aos poucos adeptos destes carros queapós gastarem um dinheirão, na construção e personalização, mal podemcircular com seus sonhos materializados. A história mostra que os primeiros pinstripers brasileiros, na verdadeimigrantes europeus, também eram construtores de carruagens e carroças queutilizavam da técnica de pinstriping para agregar valor ao seu produto. Comparativamente aos norte-americanos, perde-se pelo materialutilizado neste trabalho. Nossos pincéis e tintas não são adequados a melhorprática para o pinstriping. Popularmente, o pinstriping é visto nas carrocerias de caminhões pelo Brasil Fonte: www.google.com