Modelos para o desenvolvimento da Competência Informacional
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Modelos para o desenvolvimento da Competência Informacional

on

  • 2,217 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,217
Views on SlideShare
2,217
Embed Views
0

Actions

Likes
2
Downloads
44
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Modelos para o desenvolvimento da Competência Informacional Modelos para o desenvolvimento da Competência Informacional Presentation Transcript

  • MODELOS PARA ODESENVOLVIMENTO DA COMPETÊNCIAINFORMACIONALFlorianópolis2013UFSC/PGCIN – Programa de Pós-Graduação em Ciência da InformaçãoPCI3304 – 04 – Competência InformacionalProfessora : Elizete Vieira VitorinoAlexandre Pedro de OliveiraO trabalho Modelos para o desenvolvimento da Competência Informacional de Alexandre Oliveira foi licenciado com umaLicença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
  • INTRODUÇÃO/CONCEITUAÇÃO• Sociedade da Informação – a informação não parade crescer. No entanto, as competênciasnecessárias para sua localização, processamento eutilização não acompanham esta tendência na mesmavelocidade (HATSCHBACH, 2002)• Para Lau (2006) competência informacional eAprendizagem ao longo da vida são conceitos inter-relacionados. (relação mútua)
  • INTRODUÇÃO/CONCEITUAÇÃO• A aprendizagem ao longo da vida é um bom hábitoque deve ser adquirido e acompanhado por umaatitude positiva. A disposição para mudar e umacuriosidade para o conhecimento são condiçõesprévias de grande ajuda para a aprendizagem (LAU,2006)
  • INTRODUÇÃO/CONCEITUAÇÃO• O desenvolvimento da competência informacionaldeve ter um lugar durante toda a vida dos cidadãos e,especialmente, em seu período de educação,momento em que os bibliotecários, como parte dacomunidade de aprendizagem e como especialistas nagestão da informação, devem ou deveriam assumir opapel principal no ensino da competência informacional.(LAU, 2006)
  • INTRODUÇÃO/CONCEITUAÇÃO• De que maneira as instituições de ensino superiorpodem estimular o desenvolvimento da InformationLiteracy em seus campi?• Quais temas devem ser abordados? (HATSCHBACH, 2002)
  • PRODUTOS PARA DESENVOLVER: IL• Os programas/revisões de currículo são apenas umdos produtos potenciais para o desenvolvimento decompetência informacional e a aprendizagem aolongo da vida:• Modelos• Encontros• Tutoriais• Técnicas, ferramentas e métodos (LAU, 2006)
  • PRODUTOS PARA DESENVOLVER: IL• Competência informacional pode ser trabalhada,junto aos alunos, de diversas maneiras: “oferecidacomo disciplina acadêmica, integrada ao currículo deuma outra disciplina, desenvolvida através detutoriais online (iniciativas de universidades),apresentada em workshops, etc”. (HATSCHBACH, 2002)• Tutoriais: Característica marcante dasuniversidades para o desenvolvimento de IL(HATSCHBACH, 2002).
  • PRODUTOS PARA DESENVOLVER: IL• As iniciativas brasileiras têm, sem dúvida, evidentesafinidades com vários temas tratados nos tutoriaisinternacionais de Information Literacy : são iniciativasdisponíveis na rede, funcionando como material auto-instrucional e visando a formação e orientação depesquisadores e estudantes de nível superior.(HATSCHBACH, 2002).
  • PROGRAMA IL• O ideal é ter um programa que faça parte docurrículo, uma vez que essas habilidades(competência informacional) requerem odesenvolvimento apoiado em todos os níveis deensino formal: fundamental, médio ou superior.• A competência informacional (processo) deve serentendida como a articulação entre o conteúdo, aestrutura e a sequência do currículo. A competênciainformacional não pode ser o produto de apenas umcurso (BUNDY, 2004 apud LAU, 2006).
  • PROGRAMA IL• Os novos métodos pedagógicos nas escolas e nasuniversidades requerem que os bibliotecáriosparticipem ativamente do processo deaprendizagem.• Um bibliotecário precisa demonstrar competênciaenquanto facilitador da aprendizagem (pedagogia),além de ter em mente as diferenças de aprendizagemdos alunos. (LAU, 2006).
  • MODELOS IL• A fim de ajudar na compreensão e na construção deuma consciência pública da competênciainformacional, com vistas a solucionar os problemasrelacionados à “explosão informacional”, modeloselaborados por bibliotecários e educadores têmsurgido para o desenvolvimento das habilidadesrequeridas, na maioria direcionados a escolas euniversidades. (PIANTOLA, 2011)
  • MODELOS IL• Pode-se dizer que os modelos representam demaneira simplificada e funcional aspectos fundamentaisde um processo, com vistas a uma melhorinterpretação deste ou à previsão de sua evolução,tomando como base certas variáveis observadasexperimentalmente. (PIANTOLA, 2011)
  • MODELOS IL• Desenvolver a competência informacional, significaaumentar as possibilidades do indivíduo em relação aosconteúdos informacionais, sua produção, suadistribuição e consumo, permitindo o primoramento e aintegração de suas quatro dimensões, técnica, estética,ética e política, com o objetivo de alcançar acapacidade de crescer indefinidamente, de maneiracontínua e autônoma. (PIANTOLA, 2011).
  • MODELOS IL• Os modelos para o desenvolvimento da competênciainformacional consistem na descrição de um processocognitivo de aquisição de habilidades econhecimentos relacionados à informação a partir deobservações realizadas em um contexto determinado,visando estabelecer um esquema que possa serimitado ou seguido. (PIANTOLA, 2011).
  • FLIP it! ™• Desenvolvido em 1988 com uma classe de 7 ª série,por Alice H. Yucht (educadora);• Em virtude da não internalização de conhecimentos ehabilidades por parte dos alunos em projetos depesquisa;• Era necessário o desenvolvimento de estratégiaspara a resolução de problemas informacionaisauto-sustentáveis;• Primeiro, Alice identificou quatro etapas básicas noprocesso de pesquisa:
  • FLIP it! ™1. Definir o problema ;2. Identificar e localizar os recursos (fontes deinformação);3. Reunir informações: tomar notas, organizar, analisar esintetizar as informações localizadas (fichamento);4. Unir e apresentar as conclusões.Em seguida, cada etapa foi examinada e avaliadas ashabilidades individuais e estratégias necessárias paracada uma dessas quatro etapas. (YUCHT, 2012).
  • • Etapa 3 – ponto crítico (dificuldade) como usar ainformação;• Finalmente, foi solicitado aos estudantes a elaboraçãode quatro letras mnemônicas (formação acróstico)para o modelo (estratégia): uma simples palavrapara ajudar a lembrar os procedimentos necessáriospara resolver determinado problema;• Houve discussão individual e em grupo, incluindo apercepção de que os quatro passos podem não sersequenciais (YUCHT, 2012)FLIP it! ™
  • FLIP it! ™Exemplo:• Focus: Mulheres cientistas:(escolha dos nomes de mulheres cientistas)• Links: Os estudantes precisam saber: como / ondeencontrar recursos úteis, biográficos, como usar osrecursos biográficos de forma eficaz e eficiente• Imput: Os estudantes irão coletar informações sobrecientistas: principais descobertas / invenções,importância das conquistas científicas, informaçõespessoais (nascimento, morte, etc)• Payoff: Os estudantes irão preparar cartazes sobreseus cientistas, para exibição em um “Hall da fama daCiência " (exposição) (YUCHT, 2012)
  • FLIP it! ™• Progressão lógica de raciocínio;• No processo de pesquisa/questionamento o alunopoderá se mover para frente/trás nas etapas;• O estudante deve ter em mente a seguinte questão(premissa) ao longo da tarefa: Se (Eu sei isso) Então(O que posso/poderia fazer)?• Estrutura para ajudar o estudante a trabalhareficientemente para a busca da solução necessária eapresentação do resultado. (YUCHT, 2012).
  • FLIP it! ™• Um estudante que apenas copia as informações semconsiderar como e por que, ou até mesmo darcrédito ao autor original (referenciar) tem,basicamente, FLOPPed (fracassado) por essa faseparticular do processo, sem um senso de direção,por isto deve sempre questionar –se para o que eleestá fazendo (pergunta central) (YUCHT, 2012).
  • Como FLIP it! ™ trabalha:FOCUSO que eu realmente precisofazer ou descobrir?Como posso aproximaro meu problema?Especificando oassuntoLINKSComo / onde posso"conectar" com o que vaiser mais útil para mim?Qual é o melhor caminhopara continuar?Elaboração de estratégias -processoINPUTQue tipos de informação eupreciso? Como faço paraorganizar o que eu pesquisei?Organização da informação(fichamento)PAYOFFQue tipo de soluçõesachei? Como posso usar oque que aprendi?Resolução, apresentação dosresultadosSe .....Então....Fonte: (YUCHT, 2012)
  • 8Ws of Information Inquiry• Este modelo foi desenvolvido por Annette Lamb noinício de 1990;• Lembra a ferramenta 5ws (quem, o quê, quando,onde e por quê), porém os “Ws” voltados àcompetência informacional:1. Watching (Exploring) (Explorar) - solicita aos alunos aexplorar e tornarem-se observadores de seu ambiente(aquisição de sintonia com o mundo à sua volta apartir de necessidades da família para aspreocupações globais).
  • 8Ws of Information Inquiry• Começar com algumas perguntas simples. Exemplo:- O que você já sabe sobre esse assunto?• Como você explora as possibilidades, é provável quevocê experimente muitas emoções.Kuhlthau (1994) descobriu que esses tipos desentimentos são normais. Observa que é importanteos professores e especialistas em mídia reconheceremessas frustrações, sentimentos e experiências comouma parte normal do processo de pesquisa.( INFORMATION AGE INQUIRY, 2012)
  • 8Ws of Information Inquiry2. Wondering (Questioning) (Questionar) - centra-sesobre as opções de brainstorming: discutir ideias,identificar problemas, refletir. Estimula o aluno apensar e questionar;• Os estudantes precisam explorar todas aspossibilidades antes de se concentrar em um assuntoespecífico ou problema.Ex:- Existe informação suficiente sobre o tema disponívellocalmente ou remotamente?
  • 8Ws of Information Inquiry3. Webbing (Searching) (Localizar) - orienta osestudantes a localizar, procurar e conectar ideias einformações. Uma informação pode levar a novasquestões e áreas de interesse;• Uma vez que os alunos tem uma compreensão doseu problema ou pergunta de pesquisa, énecessário elaborar estratégias de busca(identificar descritores e fontes de informação)Ex:- Você está procurando por fato ou opinião?- Você precisa de informações atualizadas?- Quais termos de busca eu devo utilizar?
  • 8Ws of Information Inquiry4. Wiggling (Evaluating) (Avaliar) - é muitas vezes afase mais difícil para os estudantes, pois muitas vezesestão em dúvida sobre o que eles encontraram(informações relevantes) para o projeto. A ideia éutilizar grupos de discussão.
  • 8Ws of Information Inquiry5. Weaving (Synthesizing) (Sintetizar) - centrado naaplicação, análise e síntese de informações. Osmapas conceituais são maneiras populares paraorganizar as informações durante umapesquisa.- Quais informações são úteis? (Eliminar informaçõespor meio de planilhas, para visualizar as diferentesperspectivas)
  • 8Ws of Information Inquiry6. Wrapping (Creating) (Criar) - envolve a criação deideias e soluções (como irei projetar/transformar ainformação)• Sintetizar a informação pesquisada e transformá-la em novas palavras, desenvolver uma imagem,criar um gráfico, elaborar um vídeo.
  • 8Ws of Information Inquiry7. Waving (Communicating) (Comunicar) - Consiste emcomunicar ideias aos outros através da apresentação,publicação e compartilhamento. Os alunos compartilhamsuas ideias, experimentando novas abordagens e“feedbacks”. É necessário:• Identificar a audiência (público):- Quem precisa de ouvir, ver ou ler sobre as suasideias? Como você pode causar umimpacto/repercussão? Como você vai compartilhar oucomunicar suas ideias com os outros?
  • 8Ws of Information Inquiry• Como comunicar:- Você quer informar, instruir, persuadir ouentreter? Você está interessado em simplesmentetransmitir suas informações ou uma interação?(Finalidade)- Você utilizará vídeo, áudio, texto ou imagens? O queseria mais eficaz? Se você criou um cartaz, você podedigitalizá-lo e enviá-lo através da Internet para outraclasse? (Canais)
  • 8Ws of Information Inquiry8. Wishing (Assessing) (Avaliar) - avaliar e refletir sobreo processo.- O que eu faria diferente?- Usarei uma abordagem/ perspectiva diferente para opróximo projeto ?- Quem mais poderia aprender sobre o assunto?- Peça a opinião/ideias para as pessoas (colegas,familiares) ( INFORMATION AGE INQUIRY, 2012)
  • CONSIDERAÇÕES•Os modelos podem ter nomes diferentes, masrepresentam processos semelhantes ;• Os modelos foram baseados na experiência dosautores e na observação de situações reais. (DUDZIAK,2009).• A maioria dos modelos foi desenvolvida para uso emescolas e no ensino superior, podendo, no entanto,ser aplicados em bibliotecas públicas, empresas ouqualquer comunidade de indivíduos (PIANTOLA, 2011).
  • REFERÊNCIASDUDZIAK, Elizabeth Adriana. Introdução à competência em informação. Set. 2009.Disponível em: <http://www.slideshare.net/elisabeth.dudziak/introducao-a-competencia-informacional-crb8-senac-2009>. Acesso em: 02 ago. 2012HATSCHBACH, Maria Helena de Lima. Information Literacy: aspectos conceituais einiciativas em ambiente digital para o estudante de nível superior. 2002. Dissertação (Mestradoem Ciência da Informação) – Pós-graduação em Ciência da Informação do MCT/IBICT –UFRJ/ECO, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2002. Disponível em:<http://ibict.phlnet.com.br/anexos/mariahelena2002.pdf>. Acesso em: 20 abr. 2012INFORMATION AGE INQUIRY . 8Ws of Information Inquiry. Disponível em: <http://virtualinquiry.com/inquiry/ws.htm >. Acesso em: 02 ago. 2012LAU, Jesús. Guidelines on information literacy for lifelong learning. Disponível em:<http://archive.ifla.org/VII/s42/pub/IL-Guidelines2006.pdf>. Acesso em: 20 abr. 2012.PIANTOLA, Daniela. Análise de modelos para o desenvolvimento da competênciainformacional. 2011. 69f. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Biblioteconomia) –Centro de Ciências da Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis,2011.YUCHT , Alice H. FLIP it! ™. Disponível em: < http://www.aliceinfo.org/flip-it-handouts/>Acesso em: 02 ago. 2012.