Uploaded on

RUDAMON II, escrito por Demetrio Alexandre Guimarães- COPYRIGHT 2013-All Rights Reserved

RUDAMON II, escrito por Demetrio Alexandre Guimarães- COPYRIGHT 2013-All Rights Reserved

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
2,802
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
7

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
1

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. COPYRIGHT 2013-Direitos Reservados RUDAMON II Uma nova ameaça colocará o planeta Terra em risco! Somente uma força poderá detê-la! Demetrio Alexandre Guimarães 15/07/2013
  • 2. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 2 Rudamon II
  • 3. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 3 Demetrio Alexandre Guimarães 2013 Copyright © 2013 por Demetrio Alexandre Guimarães Rudamon II Demetrio Alexandre Guimarães 1a Edição 1a tiragem Julho de 2013 – 1 exemplar (Publicação Eletrônica) Coordenação Editorial Demetrio Alexandre Guimarães Revisão Demetrio Alexandre Guimarães Projeto gráfico e capa: Demetrio Alexandre Guimarães Copyright © 2013 por Demetrio Alexandre Guimarães Rudamon II Demetrio Alexandre Guimarães 1a Edição 1a tiragem Julho de 2013 –(Publicação Eletrônica) Coordenação Editorial Demetrio Alexandre Guimarães Revisão Demetrio Alexandre Guimarães Projeto gráfico e capa: Demetrio Alexandre Guimarães
  • 4. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 4 ISBN – 978-85-98213-54-5 CIP – (Cataloguing-in-Publication) – Brasil – Catalogação na Publicação _______________________________________________________ _____________________ Ficha Catalográfica feita pelo autor Guimarães, Demetrio Alexandre – 1975 Rudamon - O Novo Herói / Demetrio Alexandre Guimarães ; [Demetrio Alexandre Guimarães]. – 1 ed.Rio Claro: Demetrio Alexandre Guimarães, 2013. 339 p. Tamanho A5- (Publicação Eletrônica ou impressa sob demanda.) ISBN 978-85-98213-54-5 CDU 82-3 CDU 82-3 932 82.93 620 291213 _______________________________________________________ _____________________ Índice para catálogo sistemático 1. Literatura Infanto-Juvenil – 82-3 4. Literatura Infanto-Juvenil – 82.93 2. Egito antigo – 932 5. Egito – 620 3. Ficção – 82- 6. Herói Mitológico – 291213
  • 5. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 5 Índice Dedicatória- página: 7 Palavras do Autor- página:8 Prefácio- página:9 1º Capítulo A Máscara do Mal- página:23 2° Capítulo 25 de Novembro de 2009- página:31 3° Capítulo O Novo Mestre Waja-Hur- página:42 4° Capítulo 2019- página:53 5º Capítulo 05 de Março de 2019- página:66 6º Capítulo Asru, A Bruxa- página:74 7º Capítulo Oito anos depois- página:85 8° Capítulo -Alguns Segredos sobre Osorkon- página:106 9° Capítulo Hiago: O Cigano- página:113 10° Capítulo Doutor Berg- página:125 11° Capítulo A palestra de Doutor Roberto- página:135 12º Capítulo- A doença de Nadila-145 13° Capítulo -O Mal se torna mais forte- página:161 14° Capítulo As sementes do mal- página:174 15° Capítulo Rudamon está de volta! Mas não parece o mesmo- página:191
  • 6. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 6 16° Capítulo As coisas começam a piorar- página:213 17° Capítulo O retorno de Disebek- página:228 18° Capítulo O Prenúncio de uma Guerra Racial- página:251 19° Capítulo A Guerra Sangrenta- página:266 20º Capítulo: Rudamon Voltou!- página:274 21° Capítulo A Viagem pelo Tempo- página:299 22º Capítulo: Consertando o passado- página:311 23° Capítulo: Efeito Borboleta- página:319 24° Capítulo Rudamon versus Serpentus- página:327 25° Capítulo A Armadilha de Seth- página:334 Epílogo- página:338
  • 7. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 7 Dedicatória Eu dedico esse trabalho... - A você que irá ler! -A todos os profissionais que fazem de suas profissões algo muito parecido com o que fazem os super-heróis (principalmente aos professores comprometidos, que podem ser verdadeiros heróis na vida de seus alunos, educando-os adequadamente para a vida!); -A toda minha família, amigos e pessoas que fazem ou fizeram parte da minha vida; -Aos meus pais (A.P) e (W.A.G.P), minha irmã de Jundiaí (A.B.S) e aos meus irmãos de Rio Claro (A.G.P) e (D.G.P); -A todos os meus alunos, ex-alunos e colegas de trabalho; Dedicatória Especial Eu dedico esse trabalho especialmente a você, amor da minha vida! Alma linda que todos os dias me faz feliz! Eu agradeço a você, pelo grande incentivo que me deu para que eu retomasse meu trabalho de escritor! Eu amo muito você!Assim como meu personagem Hor se encontrou no Sol, em também me encontrei em você... Você é o Sol que ilumina minha vida!Pessoa que amo tanto!Minha razão!Meu amor!Minha namorada (C.A.S);
  • 8. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 8 Palavras do Autor Caro (a) leitor: Meu primeiro livro “Rudamon: O Novo Herói” foi escrito no ano de 2007, e publicado em Dezembro de 2008. Naquela época eu tinha a intenção de criar super heróis, e trabalhar com os mesmos em HQs. O tempo passou, muita coisa aconteceu, e eu decidi desistir da idéia das HQs, e focar somente na parte de literatura. Continuarei criando personagens, mas darei vida aos mesmos através dos livros. Meu primeiro trabalho foi publicado pela editora Livre Expressão. Hoje em dia, eu não pretendo mais publicar os meus livros através de editoras. Eu gosto muito de escrever, e pretendo disponibilizar o meu trabalho para quem quiser ler, utilizando a internet. Vou continuar criando, continuar escrevendo, porque isso faz parte de mim. Escrever é o meu hobby, e eu quero dividir isso com você que está lendo agora. Esse livro foi escrito em 2008 e ficou pronto em 2009. Ele ficou todos esses anos guardados no meu pen drive para que em 2013, fosse revisado, modificado e aperfeiçoado. Eu trabalho totalmente sozinho, inclusive sou eu quem faz as revisões. Por conta disso, eu já quero pedir desculpas, de antemão, caso o leitor encontre alguns erros gramaticais e ortográficos nesse trabalho, porque a maioria dos escritores profissionais confere esse serviço a um revisor profissional da área de língua portuguesa. Como sou apenas um escritor amador, que escrevo por hobby, perdoe-me se você encontrar algumas falhas.
  • 9. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 9 Esse livro foi escrito com muito amor e carinho. Ele é o resultado de muitos dias, muitas horas, muitos meses de trabalho! Eu espero de coração que, o mesmo prazer que eu tive em escrevê-lo, você também possa ter ao lê-lo. Esse trabalho dará continuidade ao meu primeiro livro: “Rudamon: O Novo Herói”. A primeira edição do livro mencionado teve uma tiragem de mil cópias, das quais metade eu vendi para recuperar o investimento feito, outra metade eu doei para algumas pessoas, instituições de caridade e projetos sociais. Eu pretendo expor meus trabalhos na internet apenas para entreter as pessoas. Todos os meus trabalhos e personagens são protegidos pela Lei de Direitos Autorais e não possuem fins comerciais. Esse livro é parte integrante do Blog:http://rudamon.blogspot.com.br/ Prefácio Essa é uma história com muitos detalhes, e o melhor modo de fazer um prefácio da mesma, será apresentando uma sinopse dos personagens principais. Doutor Carlos Coadjuvante na primeira história de Rudamon, doutor Carlos, melhor amigo de Osorkon (identidade secreta do super herói) , ganha destaque na segunda história, tornando-se um dos personagens principais da continuação da trama. Após o desaparecimento de Osorkon e da morte de Freda logo após o nascimento de Hor, doutor Carlos passaria a cuidar do filho de Osorkon como se fosse seu próprio filho, na esperança do
  • 10. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 10 amigo regressar. A difícil tarefa de conciliar seu trabalho de médico e criar uma criança ao mesmo tempo, tornar-se-ia mais difícil com o passar do tempo... Osorkon jamais regressaria... E Hor não seria uma criança comum... Doutor Manfred Descendente de alemães e pesquisador em genética humana, doutor Manfred é o vilão que, após a morte de Rudamon, dá o pontapé inicial para a reconstrução do mal no planeta. O personagem é adepto do neonazismo, e ao perceber que Rudamon não ressurge quando fatos ruins acontecem, doutor Manfred traça um maquiavélico plano para que os neonazistas dominem o mundo, fazendo parte de seu plano escravizar eliminar aqueles que forem contra sua ideologia ou considerados “inferiores” pela mesma. Para piorar, um dos seus informantes revela ao mesmo sobre a existência e o código genético diferenciado de Hor. Doutor Manfred persegue e investiga Hor desde o seu nascimento, em busca da criação de uma poderosa arma genética que tornaria o seu exército neonazista indestrutível... Será que doutor Manfred conseguirá concretizar seus planos? Huni Mestre da OSWH (Ordem Secreta dos Waja-Hur), Mago Huni foi um dos protagonistas da primeira história. O personagem (inicialmente, único, a saber, sobre a morte de Rudamon) foi quem revelou a missão a Osorkon, transmitindo ao mesmo todos os segredos do legado Rudamon. Consciente sobre a missão do sucessor do super-
  • 11. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 11 herói (Hor, filho de Osorkon), Huni será peça fundamental para que muitas pistas de alguns segredos que ficaram sem explicação no primeiro livro, possam ser reveladas ao leitor. Bem mais velho e preste a passar seu cajado de mestre ao próximo Waja-Hur eleito para a missão (seguindo as tradições da OSWH), Huni se prepara para o merecido descanso. Quando o personagem pensa que sua missão está terminando, percebe que ela só está começando... Doutor Berg Personagem muito curioso da segunda história, no mínimo surpreendente. Gênio desde criança, doutor Berg é um renomado químico dotado de uma inteligência extraordinária... Além do conhecimento em química, por ter uma inteligência acima do normal, também gosta de fazer experiências com genética e tecnologia. O único problema é que, perturbado desde a infância pelo próprio pai, que cobrava superioridade do filho em relação aos outros, tornou- se obsessivo pelo poder e com idéia fixa de dominar o mundo. Por causa disso, doutor Berg desenvolveu fórmulas químicas que aplicou em si mesmo, que acabaram tornando-o psicótico e esquizofrênico. Judeu e jogador de Golfe nas horas vagas, esse curioso personagem também cria uma serpente de estimação. Ao sentir-se perseguido pelos neonazistas, doutor Berg consegue escapar do hospital psiquiátrico no qual estava internado, e vai atrás de um poder ainda maior do que almejava, com o objetivo de destruir os neonazistas e derrotar Rudamon. O personagem acaba se tornando um perigoso super vilão, autodenominando-se
  • 12. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 12 ÍGNUS. Pelo fato de os inimigos principais serem os neonazistas, nenhum leitor conseguirá imaginar o trabalhão que ÍGNUS dará ao super herói Rudamon. O interessante nesse personagem, é que ele consegue utilizar a inteligência humana para enfrentar Rudamon de igual pra igual, e com certa vantagem ainda... NADILA Meiga, sincera, alto astral, companheira e linda, essa personagem capoeirista promete mexer com a emoção dos leitores do começo ao fim da história. Nadila será uma das representantes da raça negra nessa ficção que estará repleta de confrontos raciais. Ela viverá uma história de amor com o personagem principal da trama (Hor, identidade secreta do novo Rudamon). Durante a leitura, Nadila será uma promessa de expectativas, pois até que a história termine, o leitor ficará com muitas dúvidas sobre o destino final da personagem, principalmente pelo fato dela descobrir que está com leucemia bem no período em que Hor ainda não tem consciência de como utilizar os poderes que possui, além de que o super-herói Rudamon ficará certo tempo sem todos os poderes que lhe cabe (inclusive o de curar pessoas e ressuscitar os mortos), o que aumentará o drama da história. Será que Nadila, por ser negra, morrerá nas mãos dos neonazistas? Será que Nadila morrerá pela doença que tem? Será que Nadila, por ser exímia capoeirista e namorada do super-herói, será uma nova heroína que ajudará Rudamon a combater o mal nessa história? Será que Hor aprenderá tudo sobre seus poderes, a tempo de salvá-la? Será que Rudamon
  • 13. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 13 conseguirá recuperar todos os seus poderes a tempo de curá- la da doença ou ressuscitá-la, caso ela venha a falecer? Sahator Eleito para ser o novo mestre da OSWH (ORDEM SECRETA dos WAJA HUR), Sahator promete ser um dos personagens que mais mexerá com os nervos do leitor durante a trama. Amigo e discípulo de Huni, apesar de fazer parte das forças do bem nessa história, esse egípcio deixará o leitor o tempo todo em dúvida, quanto à veracidade do seu caráter. Ao receber o seu cajado de mestre, Sahator também recebe junto uma missão de extrema importância para o planeta: entregar a máscara faraônica de Rudamon ao personagem Hor (filho e sucessor de Osorkon na missão heróica que essa máscara confere). O personagem tem consciência que, caso sua missão seja bem sucedida, as forças do bem triunfarão definitivamente sobre as forças do mal no universo. Caso contrário, o mundo sucumbirá ao mal e a humanidade ficará pra sempre escravizada pela força das trevas. Guardar, proteger e esperar a data certa para entregar um artefato tão valioso, poderoso, perigoso e importante, já seria uma missão difícil... O que Sahator não imagina, é que as forças do mal serão enviadas por Apóphis para que essa missão se torne quase impossível... Como lidar com a sensação de que o mundo precisa de um gesto seu para ser salvo, e ao mesmo tempo sofrer uma constante ameaça que tragédias muito terríveis acontecerão em sua vida pessoal, caso você não desista? Conseguirá Sahator cumprir essa importante missão que lhe foi incumbida?
  • 14. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 14 Hiago Belo, enigmático e sedutor... Hiago é um cigano de caráter duvidoso, que nasceu com um dom peculiar: A Telepatia. O personagem que também é um exímio atirador de facas utiliza seus dons como principal atração de um circo cigano conhecido em todo o país, circo este que garante a sobrevivência do seu povo há décadas. Hiago cria um lobo de estimação, desde que este ainda era um filhote. Com uma forte tendência pra fazer o que é errado, Hiago também utiliza seus dons para realizar assaltos. Sempre que terminam as apresentações, o cigano utiliza uma máscara de lobo e leva seu animal de estimação para ajudá-lo a praticar os crimes. O país inteiro fala sobre o assaltante “Cigano Lobo”, mas nunca ninguém suspeitou que fosse o habilidoso Hiago. O personagem vive essa rotina até o momento em que seu povo é perseguido e exterminado pelos neonazistas. Ao se tornar o único sobrevivente, Hiago passa a ser um homem odioso e jura vingança contra os gadjos (pessoas que não são ciganas). O personagem só não esperava que o destino lhe colocasse em contato com um artefato egípcio que lhe daria poderes sobrenaturais. O mundo passaria conhecê-lo como Cigano Mutante. Seria o início da vingança... Seria o estopim para o começo de uma sangrenta guerra racial no planeta. Cigano Mutante, herói ou vilão
  • 15. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 15 Apóphis e deus Seth Apóphis e deus Seth são personagens da mitologia egípcia inseridos na trama Rudamon desde a primeira história. Se comparássemos a batalha entre o bem e o mal a um jogo de xadrez, no tabuleiro, Apóphis seria o jogador e deus Seth seria a peça “rainha” do lado mal. Na mitologia egípcia, Apóphis, que é a representação do mal mais poderoso que existe no universo, costuma sempre ser personificada em forma de serpente. Na trama Rudamon, Apóphis possui um único objetivo: Destruir a raça humana para que os seres das trevas se materializem e passem a habitar o planeta Terra. Para conseguir o seu objetivo, nada melhor do que disseminar o mal entre os próprios seres humanos, para que destruam uns aos outros, já que, espiritualmente, isso não é possível. Na saga Rudamon, para conseguir disseminar o mal no planeta, Apóphis conta com o auxílio do deus Seth (deus da mitologia egípcia que tem o corpo humano e a cabeça de chacal). Na trama, esse deus age como um intermediário entre a esfera espiritual do mal e o planeta Terra. Seth sempre vem ao planeta para executar as ordens de Apóphis, e esse deus consegue influenciar as pessoas mais fracas ou propensas à maldade, seja de forma indireta ou até mesmo direta, a realizarem os planos traçados por Apóphis. Em Rudamon II, Apóphis fica furiosa com o inesperado ato heróico de Osorkon (identidade secreta do super-herói Rudamon), que sacrificou a própria vida em prol da humanidade, ato esse que destruiu o semideus Disebek, que Apóphis havia despertado com a finalidade de materializar o mal definitivamente no planeta. Sabendo da existência de Hor ( filho de Osorkon),
  • 16. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 16 Apóphis envia seu filho (Serpentus) para reencarnar no planeta e destruir definitivamente o legado Rudamon. Para conseguir concretizar o seu plano, o mal precisa ser reinstalado no planeta, já que Rudamon havia conseguido a paz mundial. Para que isso aconteça, Apóphis encontra um modo de fazer Disebek retornar e terá que contar novamente com a ajuda do deus Seth que por sua vez, deverá agir sobre as pessoas certas para que tudo possa sair de acordo com a estratégia da maléfica serpente. Quem vencerá essa batalha? O bem ou o mal? Doutor Roberto, Vendaval e Ígnus Irmão da capoeirista Nadila, doutor Roberto é um cientista negro pós-graduado em tecnologia que conseguiu realizar um grande sonho pessoal, ao inventar um aparelho teletransportador de objetos. Sua invenção, que ficou mundialmente famosa, consiste em desintegrar as moléculas do objeto, transportando-as por um sistema seguro de radiação. Orgulhoso do seu invento, doutor Roberto quis ir muito mais longe, pensando na possibilidade de criar um teletransportador humano... A partir do momento que doutor Roberto começou suas pesquisas nesse campo, sua vida mudou radicalmente... Doutor Roberto foi procurado pelo cientista judeu doutor Berg (recém fugido do hospital psiquiátrico, e que futuramente se tornaria o temido Ígnus) Assustado e receoso com a inesperada aparição do cientista esquizofrênico, doutor Roberto o recebeu com cuidado e diplomacia (a fama de psicótico de doutor Berg já era conhecida por todos), fingindo
  • 17. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 17 naturalidade ao ouvir de Berg que os neonazistas começariam uma perseguição implacável contra negros e judeus (doutor Berg teve acesso aos planos neonazistas antes mesmo deles terem sido colocados em prática). A verdadeira intenção de doutor Berg não era alertar Roberto sobre os neonazistas, mas sim, especular sobre as novas descobertas tecnológicas do famoso cientista negro, pois as mesmas muito lhe interessavam. Após conversar com doutor Roberto, doutor Berg lhe entregou uma ampola com uma poderosa fórmula química de poder (que testou nele próprio), e aconselhou doutor Roberto a aplicá-la em si próprio, pois somente assim ele poderia enfrentar os neonazistas de igual pra igual. Após a saída de Berg, doutor Roberto guardou a fórmula na gaveta, achando que tudo aquilo não passava de uma grande loucura, quando de repente alguns neonazistas invadem seu laboratório e começam a espancá-lo. Ao perceber que ia morrer, e sem nada a perder, doutor Roberto realiza uma rápida auto-aplicação da fórmula que lhe foi conferida por Berg... Tudo piora quando um dos neonazistas apanha o aparelho teletransportador humano (ainda em fase de teste) e dispara-o contra doutor Roberto... Explosão, fusão de moléculas, radiação e elementos químicos desconhecidos alteram o corpo e a mente de doutor Roberto, que passa a adquirir incríveis super poderes, autodenominando-se Vendaval. Por tudo o que passou nas mãos dos neonazistas, Vendaval passou a ter somente um único objetivo... Vingar-se da raça branca e destruí-la por completo! Uma sangrenta guerra racial estava preste a acontecer... Ígnus foi o nome que doutor Berg conferiu a si próprio após desenvolver uma poderosa armadura com uma tecnologia
  • 18. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 18 capaz de enfrentar Rudamon de igual pra igual, ficando completamente imune aos poderes sobrenaturais do herói. Além dessa armadura, esse super vilão também inventou um poderoso e sofisticado lança-chamas, com o mesmo princípio do fogo do bastão de ouro de Seth, tornando-se o único ser humano capaz de matar Rudamon. Para piorar, Ígnus projetou uma máquina que lança um gás químico que ele próprio denominou como “Gás da Subserviência”, substância essa que poderá ajudá-lo a concretizar um grande sonho: Dominar o mundo! Isso só será possível caso Rudamon seja destruído... Conseguirá Vendaval destruir a raça branca? Conseguirá Ígnus dominar o mundo? Conseguirá Rudamon detê-los a tempo? Asru, A Bruxa e Naja, O Senhor do Tempo Linda e solteira por opção, Asru é uma personagem que com certeza deixará o leitor intrigado. Qualquer pessoa questionaria o porquê essa bela egípcia e sexy mulher de 35 anos, seria contraditoriamente intitulada como bruxa. Asru é nada mais nada menos do que a mestre da OCT (Ordem dos Cavaleiros das Trevas), organização secreta do Egito que trabalha há séculos servindo diretamente às forças do mal. A rotina de Asru sempre consistiu em realizar os rituais macabros da OCT. Mas tudo muda em sua vida quando deus Seth, a mando de Apóphis, faz uma aparição no meio de um ritual realizado por Asru, incumbindo-lhe de uma missão. Conseguirá Asru cumprir essa missão e ganhar definitivamente a confiança das forças do mal?
  • 19. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 19 Naja, o senhor do Tempo, é uma criatura que possui corpo humano, cabeça de cobra Naja e seus braços são duas serpentes. Essa criatura faz uma rápida e quase despercebida aparição na primeira história, no episódio em que o primeiro Rudamon (vivido pelo personagem Jarha) é destruído pelas cinco múmias sobrenaturais, no período bem anterior ao conhecido como Egito Antigo. Naja possui um cubo de ouro, artefato que foi feito no inferno de Apóphis, que na realidade pertence a Serpentum, o Mestre do tempo, mas que é conhecido como “cubo do tempo de Seth”, pelo fato de que o deus do trovão foi o responsável por trazê-lo ao planeta. Naja, o senhor do tempo, é uma criatura antagônica, pois ela é do bem, mas serve as forças do mal. Existiria uma explicação para isso? Qual seria a finalidade desse misterioso cubo? Dessa vez, esse personagem fará muito mais do que uma rápida e despercebida aparição... Franz e Serpentus Com a finalidade de destruir Rudamon, Serpentus ,filho de Apóphis, é enviado ao planeta Terra para encarnar no corpo de um ser humano comum. Apóphis, sua mãe (o demônio de todos os demônios), precisa que o super herói Rudamon seja destruído, para conseguir realizar seu maior objetivo: Exterminar a raça humana inteira e preparar o planeta Terra para a vinda dos seres das trevas. Apóphis precisa escolher uma mulher que esteja próxima de dar a luz, no prazo máximo de sete dias após o nascimento de Hor. A malvada serpente escolhe o pai biológico perfeito para enviar o seu filho: o neonazista e cientista genético descendente de
  • 20. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 20 alemães, o maquiavélico doutor Manfred. Serpentus nasce uma semana após Hor, e recebe o nome de Franz. O destino desses dois personagens se cruza desde o nascimento dos mesmos. Franz é um personagem malvado desde a infância, e vai piorando o seu caráter com o passar dos anos. Doutor Manfred percebe que Hor (filho de Osorkon) é uma criança diferenciada e encontra uma forma de recolher o material genético do personagem, sem que o mesmo perceba. A partir daí o cientista inventa uma vacina genética muito poderosa. Manfred testa o seu invento em Franz, conferindo-lhe um poder sobre-humano. Franz passa a liderar todos os neonazistas do mundo, tornando-se uma espécie de “Hitler” do século XXI. O personagem espalha muito medo, terror e morte no planeta inteiro. As coisas pioram bastante depois que Franz atinge a idade certa para receber os poderes sobrenaturais que lhe foram destinados. O personagem passa a assumir a identidade de Serpentus, e fisicamente torna-se idêntico ao super herói Rudamon, com a diferença que sua máscara e suas vestes são pretas, e ao invés de escorpiões marcados no corpo, ele possui suásticas. Serpentus também pode assumir sua verdadeira forma física, a de uma terrível, medonha e gigantesca serpente. Sem dúvida, esse será o personagem mais forte, difícil, cruel e tenebroso que Rudamon deverá enfrentar. O caos estará instalado no planeta! Quem vencerá essa batalha Disebek Semideus, metade homem, metade escorpião, Disebek foi criado pelas forças do bem para cumprir uma importante
  • 21. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 21 missão no planeta Terra. O interessante nesse personagem, é que ele é a própria origem dos poderes do super herói Rudamon. Influenciado pelas forças do mal, Disebek desonrou seu compromisso, recebendo uma terrível punição dos deuses. O personagem foi transformado em escorpião, e aprisionado por vários séculos dentro de um cubo de ouro, que ficava sob as areias do deserto egípcio. Muito tempo depois, a serpente Apóphis, o demônio de todos os demônios, encontrou uma forma de despertar esse terrível mal. A maléfica serpente tinha a intenção de utilizar Disebek para destruir o super herói Rudamon (vivido pelo personagem Osorkon). Apóphis devolveu a forma original ao semideus, libertando-o do cubo. Mas seus planos foram por água abaixo... Rudamon sacrificou a própria vida para conseguir matar Disebek! Na trama Rudamon II, Apóphis planeja inúmeras armadilhas, preparando um arsenal pesado para garantir a destruição do sucessor de Osorkon (Hor, geneticamente preparado para assumir o legado do herói Rudamon). Não satisfeita em enviar seu filho Serpentus das profundezas do inferno, Apóphis encontra um modo de enviar Disebek de volta ao planeta... Conseguirá Rudamon resistir a tanta pressão Hor Personagem principal da trama, Hor é filho de Osorkon (Rudamon da história anterior que sacrificou a própria vida para salvar o planeta Terra). Hor nasce órfão de pai e mãe, e passa a ser criado por doutor Carlos (melhor amigo de Osorkon). Em Rudamon II o leitor acompanhará toda a vida
  • 22. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 22 do personagem Hor, desde o nascimento até o momento em que ele toma consciência da missão ao qual foi destinado, para se tornar o novo Rudamon. O personagem passa uma vida inteira buscando explicações sobre o porquê de ele ser diferente dos outros garotos. Amante de esportes radicais e esportista desde a infância, Hor descobre que seu pai foi Rudamon no dia em que foi saltar de pára-quedas pela primeira vez. A partir daí muita coisa começa a mudar em sua vida. Como ele usaria seus poderes? Tudo fica mais complicado quando Hor recebe a máscara de Rudamon e um manuscrito egípcio revelando como utilizar seus poderes. Tudo seria perfeito, se eles não fossem falsos, e os piores super vilões da face da Terra não estivessem em ação... Rudamon “Sempre que fores praticar o altruísmo ou combater o mal, deverás usar a máscara de Osíris. Ela é ativada com o poder do seu pensamento, e esconde a sua verdadeira personalidade. A máscara confere novos poderes, de acordo com a personalidade de quem a estiver usando;” (Rudamon:O Novo Herói- página 68-Demetrio Alexandre Guimarães-Editora Livre Expressão). Além dos poderes que lhe foram transmitidos por Disebek, Osorkon recebeu da máscara de Osíris o poder de evocar os deuses elementais... Qual será o poder que Hor receberá da máscara de Osíris, caso ela venha a chegar em suas mãos?
  • 23. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 23 RUDAMON II 1º Capítulo A Máscara do Mal as profundezas do inferno de Apophis, as chamas do fogo maldito ardiam em brasa. O cheiro de enxofre tomava conta de toda aquela dimensão infernal. A voz macabra e furiosa da poderosa serpente ecoava por todos os lados: - Escravos! Onde estão os meus escravos? Eu quero os meus súditos diante de mim! Agora! No mesmo instante, vários vultos escuros dirigiram-se em direção a Apóphis, com uma rapidez tão impressionante que só perdia para a velocidade da luz. Os grunhidos e gemidos maquiavélicos eram tenebrosos e num breve momento, estavam todos diante da maior personificação do mal que podia existir. – Eu quero que vocês busquem o deus Seth! Preciso falar com ele! N
  • 24. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 24 Tragam aquele cão imundo aqui! O escolhido será enviado hoje! Mais do que depressa, os vultos do mal foram para diferentes direções, com gritos apavorantes, procurar o terrível deus Seth. Alguns instantes depois, o inferno todo escutou os macabros uivos de chacal e um estrondoso som de trovão. Seth estava dirigindo-se a Apophis. –O que desejas mestra de todos os mestres? –Você falhou! Respondeu Apophis furiosa. –Como assim venerável senhora? Rudamon está morto! Eu cumpri os teus decretos! –O planeta Terra está na mais absoluta paz! A máscara não foi destruída e Osorkon deixou um filho no planeta! -Como ousas dizer que cumpriu os meus decretos, deus tolo e insolente! _A cada palavra, Apophis rastejava em torno de Seth e levantava-se de repente, como se a qualquer momento fosse dar um bote no mesmo. A fúria no olhar da serpente era enorme, e a cada frase que dizia, o tom de sua tenebrosa voz aumentava cada vez mais. – Por sua causa, vou ter que enviar o meu filho ao planeta! Você não imagina o ódio que isso me causa... Um filho de Apóphis, tendo que assumir a forma humana! Isso é inadmissível! Bradou a serpente. Seth não sabia o que dizer. Apesar de sua apavorante cabeça de chacal causar medo em qualquer um que se aproximasse dele, naquele momento sua feição não passava de um vira lata que acabara de ser chutado. –Peço-te perdão, venerável senhora! Ofereço-me para reparar os erros cometidos! Se desejares, irei agora mesmo destruir a
  • 25. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 25 máscara e matar o filho de Rudamon pessoalmente! Suplicou Seth com uma voz trêmula. –As coisas não são tão simples assim, seu cão idiota! Se fizéssemos isso, estaríamos provocando uma perigosa guerra com os deuses, que certamente perderíamos! Você não conhece a força de Rá? Seth ficou pensativo. Apóphis continuou... –Temos que agir com calma e derrotar o inimigo usando a inteligência, coisa que, aliás, você não deve possuir! Se batermos de frente com os seres de luz no atual momento que a Terra está vivendo, teremos as nossas forças devastadas! O poder do bem está muito forte no mundo e a única coisa que podemos fazer é ir instalando o mal, lentamente, para depois dar o golpe final! –E o que temos que fazer venerável senhora? –Hoje faz sete dias que Hor nasceu! O meu filho irá encarnar como humano exatamente daqui duas horas! Você não imagina o trabalho que me deu para encontrar o pai ideal, pois o medo de fazer o mal está tão grande entre os seres humanos, que as pessoas temem até os próprios pensamentos. Além do mais, somente os Waja-Hur sabem que Rudamon está morto! Quanto a você, vou te dar apenas mais uma chance... Segundo as profecias, Hor receberá a máscara faraônica de Rudamon quando completar vinte e cinco anos. Se isso acontecer, será o nosso fim, pois Rudamon terá um poder tão grande, que poderá nos destruir pessoalmente. Para evitarmos essa catástrofe, vou lhe dar uma nova missão e espero que você possa ter a competência suficiente para
  • 26. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 26 realizá-la. –Sim venerável senhora, diga-me o que tenho que fazer que irei imediatamente! –Você irá até as profundezas do inferno buscar o ouro das trevas e confeccionar uma réplica perfeita da máscara de Rudamon. A máscara deverá ficar ardendo em brasa e ser retirada no momento oportuno, quando Hor estiver perto de completar a idade de receber o poder da máscara de Osíris! A máscara feita no inferno deverá substituir à original, que por sua vez, deverá ser entregue ao meu filho, uma semana depois! A máscara falsa irá limitar os poderes de Hor, conduzindo-o ao mal. Se Hor estiver com ela, ouvirá apenas a voz do próprio ego. A falsa máscara abafará a voz do coração de Hor! Já, a máscara verdadeira, tornará o meu filho o Senhor do Planeta! –Que plano fantástico, venerável senhora! _Disse Seth com uma expressão um pouco mais aliviada. –Quando Hor colocar a falsa máscara vai continuar indestrutível, mas não poderá fazer certas coisas que a verdadeira máscara lhe permitiria: - Não conseguirá ouvir os pedidos de ajuda de quase ninguém; - Não poderá estar presente em vários lugares ao mesmo tempo; - Não ressuscitará mais os mortos; - Não poderá curar mais ninguém; - O seu raio aguilhão terá o seu poder reduzido pela metade. Além do mais, toda vez que aquele miserável usá-lo, estimulará as tendências maléficas de seu inconsciente;
  • 27. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 27 Além desta enorme lista de desgraças que eu lhe passei, a falsa máscara irá impedi-lo de usar o dom que os deuses lhe concederam... –Qual? O poder de invocar os deuses elementais? Perguntou Seth empolgado. –Não... Esse poder era reservado a Osorkon! Os deuses incumbiram a Hor o poder de viajar no tempo, para poder exterminar todas as crueldades que foram feitas no planeta desde o início dos tempos, com o intuito de reintegrar a coletividade da alma humana ao deus Rá, com a energia mais pura possível! -E os raios de luz dourada das mãos de Hor? Terão algum poder? _Perguntou Seth. Os raios de luz dourada são característicos da máscara verdadeira. Estes raios pertencem à força do deus Osíris! A réplica da máscara permitirá que ele utilize apenas metade de capacidade dos poderes da máscara original. Mas aí é que entra a parte interessante... –Qual? Toda vez que Hor utilizar os poderes de suas mãos, o espírito de Disebek começará a tomar posse de seu corpo, lentamente... Chegará um momento em que Hor se sentirá tão culpado e humilhado, devido à sua incompetência, que Disebek tomará posse definitiva do seu corpo. Aí, o meu filho será o rei, e Disebek será o príncipe do planeta Terra! –Desculpe a ousadia, mas eu tenho que lhe fazer esta pergunta... _Disse Seth receoso. E quanto à máscara original? Ouvi dizer que ela foi destinada para o escolhido de Rá... Terá ela algum efeito sobre o seu filho? –Sim! Qualquer pessoa pode usar a máscara e adquirir os poderes que ela
  • 28. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 28 confere. A questão, é que quando ela é utilizada por alguém que tem os poderes sobrenaturais de Disebek, ela se torna muito mais forte! Este é o caso de Hor, que tem esse poder em seu código genético! Não podemos esquecer que os poderes originais de Disebek são genuinamente puros e foram conferidos pelos deuses elementais! Ele se corrompeu porque era um fraco e estúpido! O único obstáculo que teremos, é que a OSWH protege a máscara! Você está incumbido de tomar as devidas providências para substituir a verdadeira máscara pela réplica feita no inferno. Quanto ao meu filho, tenho planos de conferir a ele poderes sobrenaturais extras, que quando forem utilizados junto com a máscara original, o tornará indestrutível! Você também entrará nessa parte... –E como farei isso, venerável senhora? Existe uma bruxa no Egito, que lidera uma escola de mistérios que estuda os poderes sobrenaturais do mal há séculos. Ela nunca deixou de ser fiel a nós, mesmo quando Osorkon estava vivo. O nome dela é Asru. O único problema, é que essa escola estudou até hoje a teoria dos poderes do mal, mas nunca os colocou em prática, por pura incompetência! Imagine a surpresa e a emoção dessa mulher, quando você aparecer pessoalmente a ela, incumbindo-lhe uma missão? –E qual será esta missão, venerável Serpente? -Você lhe entregará o manuscrito de Satan. Esse manuscrito ensinará a Asru como confeccionar a caixa de poder do panteão animal egípcio. Esse poder irá conferir ao meu filho,
  • 29. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 29 energias sobrenaturais da força animal, tornando-o poderosíssimo. Além do mais, Asru deverá instalar no planeta a força espelho do panteão egípcio! - Força espelho? Perdoe a minha ignorância venerável senhora, mas desconheço esse poder. -Toda força que existe no mundo, possui uma força contrária exatamente oposta! Asru deverá despertar os gênios contrários do panteão egípcio através do espelho feito no fogo do inferno, que você deverá entregar a ela junto com o manuscrito de Satan! No momento certo, Asru será avisada quanto à utilização do espelho, e triunfaremos sobre a luz! Será a vitória definitiva das forças do mal! Dito isto, Apophis emitiu uma sonora gargalhada. –Agora escuta aqui, seu cão inútil... Se você falhar nessa missão, vou aniquilar a sua existência! Só não te eliminei ainda porque vou precisar de você! Se tiver êxito, vou esquecer que você foi incompetente em sua última missão. Agora vá cuidar dos seus afazeres, que eu preciso me despedir de meu filho! Apóphis
  • 30. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 30 deus Seth
  • 31. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 31 2° Capítulo 25 de Novembro de 2009 a sala de espera do laboratório de exames pediátricos, doutor Carlos segurava o pequeno Hor no colo. Aqueles lindos olhinhos azuis que o bebê herdou de Freda, encantavam o médico que assumiu o menino amando- o como se fosse o seu próprio filho, apesar da tristeza que sentia pela morte da mãe da criança e pelo desaparecimento de seu velho amigo Osorkon. Enquanto contemplava aquele pequeno ser, doutor Carlos refletia como seria difícil explicar ao menino que sua mãe morreu quando deu a luz ao mesmo. –Tomara que Osorkon apareça! Será mais difícil ainda explicar a sua ausência... Pensava doutor Carlos consigo mesmo. Os pensamentos de doutor Carlos só foram interrompidos quando a secretária o chamou... –Doutor N
  • 32. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 32 Carlos! Os exames que o pediatra solicitou ao pequeno Hor já estão prontos. O senhor já pode apanhá-los, basta assinar esses papéis. Enquanto doutor Carlos assinava os papéis de retirada dos exames, o chefe do laboratório aproximou-se dele... –Bom dia! O senhor é o pai da criança? -Não. Hor é filho de um amigo meu que precisou se ausentar por algum tempo, deixando a criança sob os meus cuidados, pois o menino ficou órfão de mãe. –Que triste! Isto é lamentável... –Permita- me apresentar-me, sou Doutor Rodrigo, o chefe responsável por este laboratório. –Muito prazer! Sou Doutor Carlos. Clínico geral e estou preste a fazer especialização em oncologia. _Disse doutor Carlos apertando a mão de doutor Rodrigo, enquanto segurava Hor meio sem jeito com a outra mão. – Doutor Carlos, eu sei que o senhor deve ser um homem muito ocupado, assim como eu, mas poderia me emprestar uns cinco minutinhos de seu tempo para conversarmos? -Sim, sem problema nenhum! –Por favor, venha até a minha sala. Doutor Rodrigo dirigiu-se à sua sala, seguido de doutor Carlos que ainda não tinha descoberto qual era a fórmula correta de segurar um recém nascido no colo. –Sente-se doutor Carlos. Coloque a criança deitada naquele berço para ficar mais à vontade, se o senhor achar melhor, é claro... – Acho que o senhor me deu uma boa idéia!_ Doutor Carlos colocou o pequeno Hor no berço, sentando-se em seguida.
  • 33. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 33 –Bem doutor Carlos... O fato de que o senhor é um médico, vai auxiliar muito nessa conversa que quero ter contigo. Empreste os exames, por favor! _Doutor Carlos entregou os envelopes ao doutor Rodrigo que tirou os exames dos mesmos, entregando-os de volta sem os envelopes. –Por favor, eu gostaria que o senhor visse os resultados com os seus próprios olhos... Doutor Carlos conferiu os exames e ficou surpreso, pois estavam iguais aos exames de Osorkon depois que o mesmo sofrera o ataque dos escorpiões no deserto egípcio. Sem saber o que dizer, o médico tentou disfarçar... –Realmente os exames estão incomuns. Vou tomar as devidas providências. –Que tipo de providências doutor Carlos? O código genético e o sangue dessa criança não são humanos! Pelo estudo que eu fiz, o DNA de Hor é uma mistura de humano com artrópode. Eu nunca tinha visto esse tipo de coisa na vida! O senhor tem que concordar comigo que este caso é bizarro e sem explicação! Precisamos estudar este bebê... _Doutor Carlos começou a ficar nervoso e sem saber o que dizer, e após refletir por alguns instantes.. . –Doutor Rodrigo, eu não sou o responsável por esta criança! Eu apenas estou responsável por ela. Vou passar essas informações ao pai da mesma, quando ele voltar, e deixar que ele decida o que vai fazer. –Quando o pai da criança vai voltar? _Perguntou doutor Rodrigo. Doutor Carlos tentou disfarçar. -Eu não sei... Ele saiu para pesquisar uns escorpiões diferentes no Egito, e não faço a menor idéia de quando ele volta! Você já deve ter ouvido falar nele... É o famoso doutor
  • 34. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 34 Osorkon, especialista em escorpiões! _Doutor Carlos tentou desconversar da maneira que pode. –Doutor Osorkon! Claro que eu o conheço! O herói que inventou os antídotos OSK1 e OSK2 contra escorpiões! – Sim, realmente ele é um herói... _Disse doutor Carlos com certo sorriso misterioso de satisfação. –Será que Osorkon andou fazendo algum tipo de experiência genética no próprio filho recém nascido?-Claro que não!_Respondeu Doutor Carlos em tom de admiração._Doutor Rodrigo continuou: - Doutor Carlos, como pesquisador eu sugiro darmos início às pesquisas o quanto antes! O pai da criança também é um pesquisador, ele vai entender... O quadro que o bebê apresenta, é o de uma anomalia, algo que nunca foi visto em nenhum ser humano! _Doutor Carlos pensou numa rápida saída... –Agora eu entendi o que aconteceu com Hor! Disse doutor Carlos em tom de ter feito uma grande descoberta... -Osorkon havia me dito que vacinaria o filho com os seus antídotos assim que ele nascesse. Os exames devem ter saído desta forma, porque a vacina deve levar certo tempo dentro do organismo! É isso! _Terminou doutor Carlos com um sorriso de alívio, certo de que a conversa já podia ser encerrada. _Doutor Rodrigo fez um olhar de desafio e continuou... –Doutor Carlos, por favor... Não subestime a minha inteligência! Eu não sou apenas um pesquisador de laboratório! Também sou um geneticista! Além do mais, eu já fiz testes sanguíneos com pessoas que tomaram os antídotos de doutor Osorkon! Elas não apresentaram o mesmo quadro
  • 35. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 35 que Hor! _Doutor Carlos ficou sem graça e realmente sem saber o que dizer. –Desculpe o que vou lhe dizer doutor Carlos, mas esta criança tem características que podem torná-la um mutante! Não sabemos nada sobre o que poderá acontecer com ela no futuro! Por isso é necessário que a estudemos, para o próprio bem dela! Além do mais, depois que Rudamon apareceu no planeta com todos aqueles monstros horripilantes, não sabemos que espécie de radiação sobrenatural possa ter atingido os seres humanos! Hor pode ser apenas o primeiro caso que eu examino, mas podem aparecer outros! O senhor tem que colaborar com a ciência! Quanto antes o estudarmos, melhor! Poderemos estar evitando uma geração de mutantes! _Doutor Carlos ficou mais nervoso ainda, e perdendo o controle exaltou-se... –Por favor, doutor Rodrigo, não insista! Enquanto doutor Osorkon não regressar de suas pesquisas, eu não posso passar por cima de sua autoridade de pai! Ele é quem deve decidir! – Telefone para ele! Peça autorização! Ele vai entender! _Disse doutor Rodrigo um pouco exaltado, elevando mais o seu tom de voz. Nesse exato momento começava um barulho muito forte de ventania e caiu uma forte tempestade. O céu ficou escuro fazendo aquela bela manhã de segundos atrás parecer noite. Doutor Rodrigo olhou pela janela surpreso... –Que estranho... Eu nunca vi um dia de sol tão lindo como este, ficar escuro tão de repente desse jeito! Antes de sair de casa, eu assisti o
  • 36. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 36 jornal e a mulher do tempo falou que teríamos um bom tempo o dia todo! Veja como está escuro! Parece noite! Aliás, se estivesse de noite, poderíamos dizer que foi a noite mais escura que já vimos... –Verdade doutor Rodrigo! O homem do tempo já errou algumas vezes, mas desta vez ele se superou! Parece que vai cair um dilúvio! A escuridão que está lá fora é aterrorizante! Veja como as árvores estão se movendo com a ventania! Parece que elas vão ser arrancadas do solo! –Será que teremos outro ataque de monstros? _Perguntou doutor Rodrigo com ar de preocupação. –Espero que não! Respondeu doutor Carlos que estava indo pegar Hor no colo, que chorava de modo desesperado, berrando de forma que ia muito além de um simples choro de recém nascido. O fenômeno durou exatamente dez minutos, o mesmo tempo que Hor chorou. Os dois homens não sabiam o que mais lhes angustiava, se o choro da criança, ou aquela escuridão toda.
  • 37. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 37 Como um milagre, de repente, o dia havia voltado exatamente como estava antes, e Hor parou de chorar, como se nada tivesse acontecido. –Realmente, este acontecimento foi muito estranho... _Disse doutor Carlos. –Verdade... Eu senti um medo e uma agonia tão terríveis quanto ao ataque daquelas múmias incendiárias! _Depois que tudo ficou mais calmo, doutor Rodrigo insistiu... –Voltando a nossa conversa, pense na hipótese de pesquisarmos o bebê! Eu vou te dar o cartão do meu professor, doutor Manfred, ele poderá te orientar melhor! - Doutor Manfred? Aquele carniceiro nazista? Nem pensar! É lamentável saber que você estudou com ele! _Exaltou-se novamente doutor Carlos. –Escuta doutor Carlos, como você pode julgar uma pessoa sem conhecê-la? Muitas coisas que falam a respeito de doutor Manfred, são lendas! Além do mais, ele não é um nazista, é apenas um revisionista que quer estudar de forma científica a outra parte da história! Ele faz isso por hobby. Você tem que concordar que ele é o melhor geneticista do país! – Agora é você quem está subestimando a minha inteligência! Aquele homem é capaz de fazer pesquisas terríveis e a sangue frio, com a própria mãe, se é que aquilo tem uma mãe! Além do mais é um racista inescrupuloso, que se pudesse, só deixaria a raça branca no mundo! _Bradou doutor Carlos em tom de desabafo. –Quem te disse essas besteiras? _Perguntou doutor Rodrigo. –Eu estou no meio científico e conheço muita gente! Não foi uma ou duas pessoas que me falaram! Foram quase todas! – São boatos! Eu pessoalmente acho o doutor Manfred uma
  • 38. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 38 pessoa inteligentíssima que pode contribuir muito na área dos estudos genéticos! _Disse doutor Rodrigo em tom de defesa. –Boatos? Que nada? As pessoas que me falaram conhecem Manfred pessoalmente! Aquele homem é um mau caráter e não tem escrúpulos! -É por isso que eu vou te dar o cartão dele! Se conhecê-lo pessoalmente, vai ver que as coisas que ouviu a seu respeito, não passam de comentários de pessoas invejosas! –Escute doutor Rodrigo... Eu agradeço a sua intenção e entendo o seu interesse científico! Acho que já perdemos tempo demais com essa discussão, e somos pessoas muito ocupadas para perdermos tempo. Além do mais, estou com uma criança recém nascida para cuidar. Eu só te peço que mantenha sigilo e que seja profissionalmente ético! Não comente nada a respeito desses exames com ninguém, até o pai da criança retornar e conversar com você. Passar bem! _Em seguida, doutor Carlos apertou a mão de doutor Rodrigo, levantou-se, pegou o pequeno Hor no colo e saiu pensando consigo mesmo: - Preciso encontrar o tal mestre Huni! Ele deve saber alguma coisa sobre Osorkon! O problema é que o encontrei em condições adversas! Quantos homens devem se chamar Huni no Egito... Não sei nem por onde começar! Vou procurar nas coisas de Osorkon! Ele deve ter algum telefone ou algum endereço do senhor Huni. _Enquanto doutor Carlos colocava o bebê no carro, doutor Rodrigo fazia uma ligação... –Por favor, o doutor Manfred está? Preciso falar com ele, é muito importante! –Ele não está! O filho dele acabou de nascer a alguns minutos atrás, e
  • 39. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 39 acredito que no momento nada possa ser mais importante do que isso! _Respondeu a secretária do doutor Manfred. –Por favor, então anote o meu recado... _Disse doutor Rodrigo ansioso... Doutor Carlos ficou horas revirando a casa de Osorkon, até conseguir encontrar o telefone e o endereço de Huni. Para o seu desespero, além de gastar uma alta quantia com o tradutor egípcio que contratou para fazer o telefonema, acabou descobrindo que Huni havia mudado de endereço e a pessoa que atendeu a ligação não sabia nada sobre o seu paradeiro. Para piorar as coisas, na agenda de Osorkon estava apenas o primeiro nome do mago. –Preciso sair do Estado de São Paulo sem deixar rastros! Aquele tal doutor Rodrigo não parece ser confiável, e sinto que Hor está correndo perigo! _Disse doutor Carlos consigo mesmo. Doutor Carlos olhou carinhosamente para Hor e disse: - É... Campeão... Vamos para Santa Catarina! Fato número 1 aquela mesma noite, depois que o bebê dormiu doutor Carlos ainda preocupado, resolveu assistir ao noticiário para se distrair um pouco. As notícias não pareciam ser tão boas como nos tempos de Rudamon... –Internado hoje no hospital psiquiátrico de Santa Catarina, o famoso cientista doutor Berg, químico e doutor em genética dos mais respeitáveis do país. Com apenas vinte e oito anos de idade, doutor Berg que nasceu um garoto prodígio, é N
  • 40. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 40 formado em química e genética, com pós-doutorado em tecnologia, que cursou nos Estados Unidos. É o primeiro caso de internação depois que Rudamon curou todos os doentes do mundo. O que intriga os médicos é o fato de que o quadro apresentado pelo cientista assemelha-se a uma overdose de drogas. A questão é que não existe mais o tráfico de entorpecentes há algum tempo. Alguns pesquisadores acreditam que ele deva ter feito uma experiência com substâncias químicas, sendo ele mesmo a cobaia. Doutor Berg foi internado pela manhã, e a única frase que consegue dizer é: - Vou dominar o mundo! _Doutor Carlos levantou-se para pegar um refrigerante e falou consigo mesmo... –No mínimo deve ter sido aluno do doutor Manfred! Ainda bem que está internado, senão eu teria que mudar para outro Estado! _Enquanto apanhava o refrigerante e fazia um pequeno lanche por causa da fome repentina, doutor Carlos se concentrava nas notícias mesmo estando na cozinha... –Hoje ocorreu um fenômeno no planeta que intrigou os meteorologistas! Durante dez minutos, todos os países do mundo vivenciaram um período de escuridão e tempestade, nos dois hemisférios. Esse tipo de fenômeno nunca tinha acontecido até então... Varias casas foram devastadas, pessoas ficaram desabrigadas, crianças e animais morreram... O vendaval foi tão forte que muitas emissoras saíram do ar. Várias pessoas comentaram que durante o tempo em que o fenômeno durou, muitos animais ficaram agressivos, inclusive atacando os próprios donos. Outro relato
  • 41. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 41 interessante foi que todas as crianças recém nascidas do planeta choraram desesperadamente, e só pararam de chorar depois que o fenômeno parou. Os cientistas denominaram o fenômeno de “noite negra”. O que aumenta o desespero de todos é que Rudamon não apareceu para nos ajudar! Algumas pessoas acreditam que algum daqueles terríveis monstros possa ter matado o herói, e que este fenômeno deve ter sido causado por alguma criatura sobrenatural! Nesse momento, todos fazem a mesma pergunta: Onde está Rudamon? _Doutor Carlos dirigiu-se até o sofá com o prato numa mão e a lata de refrigerante na outra... –É meu velho amigo... Onde está você? Onde?
  • 42. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 42 3° Capítulo O Novo Mestre Waja-Hur pós a morte de Osorkon e a destruição do templo, os membros da Ordem Secreta dos Waja-Hur passaram a se reunir num enorme porão de uma casa localizada no Cairo. Huni utilizava o anel de ouro em sua mão direita, anel este que concentrava todo o poder da pirâmide de ouro Waja-Hur, fato que lhe dava as condições necessárias para realizar um ritual da Ordem em qualquer lugar que quisesse. A máscara faraônica de Rudamon estava muito bem guardada no subsolo do porão, sob sua proteção. O velho mestre completaria trinta anos de gestão, fato que significava a troca de comando do templo, segundo os manuscritos antigos daquela escola de mistérios. O eleito para assumir a função já estava preparado A
  • 43. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 43 para o cargo, e Huni o chamou para uma conversa em sua nova casa, na véspera do ritual de posse. Era dia 24 de Dezembro de 2009. Sahathor dirigia-se ansiosamente à casa de Huni. O futuro mestre tinha apenas trinta anos de idade, e foi considerado pelos membros como o mais preparado para assumir a importante missão. Muitas coisas passavam por sua cabeça, e o fato de assumir tal responsabilidade lhe causava uma mescla de alegria com certo medo. Huni abriu a porta de sua casa... –Olá Sahathor, como vai você? Entre por favor! _Disse Huni dando um abraço no futuro jovem mestre. Apesar da fortuna de Huni, a casa onde ele morava atualmente era bem simples e improvisada, pois o velho mestre não pretendia ficar nela por muito tempo. –Sente-se Sahathor e sinta-se em casa! Vou pedir à empregada para lhe servir o café. _Disse Huni mostrando o sofá ao rapaz. Depois que o café foi servido, Huni começou a conversa... –É, meu jovem... Trinta anos se passaram e eu nem percebi! Agora que eu já estava acostumado a ser um mestre, terei que lhe passar o cargo! Parece que foi ontem... 25 de Dezembro de 1979... Eu tinha apenas vinte e dois anos... Fui o mais jovem mestre a ser instalado na OSWH! Ao longo de todos esses anos enfrentei muitas alegrias, muitas tristezas e contratempos, mas muitos segredos me foram revelados... Posso lhe dizer que terei certo alívio ao deixar o meu cargo, pois vou descansar... Mas não nego que estou sentindo certa nostalgia e um aperto no peito por ter que abandonar o meu cajado de mestre! Mas a vida é assim mesmo! Tudo tem o seu
  • 44. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 44 tempo... _Huni colocou a xícara de café com o pires sobre a pequena mesinha da sala, dando um enigmático suspiro que não mostrava nem satisfação, e nem tristeza. Sahathor, um pouco constrangido, expôs suas palavras. –Confesso ao senhor que estou muito triste de saber que não vou vê-lo mais atuando como mestre! Estou ansioso e me sentindo privilegiado, mas estou com medo, pois sei o peso da responsabilidade que acompanha todo o mestre Waja-Hur. Sinto-me jovem demais para tomar posse de tão importante cargo, estou casado há apenas dois anos e a minha filha acabou de nascer! A minha vida profissional não está bem definida ainda, e estou passando por terríveis dificuldades financeiras. No entanto, senti uma alegria muito grande quando o senhor me falou que assumiu o seu cargo mais jovem do que eu! Esse fato mostra que posso estar realmente preparado, apesar dos pesares. _Sahathor saboreou mais um gole de café. –Pois bem, meu jovem... Foi por isso que lhe chamei aqui! Antes que você passe pelo ritual de posse, é muito importante eu lhe passar um pouco da minha experiência de mestre. Você precisa conscientizar-se que apesar dos segredos e poderes que receberá nessa função, a sua vida fora do templo será como a vida de qualquer mortal! Você não estará isento de problemas, doenças e infortúnios, apesar de todo o conhecimento e responsabilidade que receberá! Você não deve pensar que o deus Rá estará a sua disposição o tempo todo, o que seria egoísmo e imaturidade de sua parte, pois ele tem milhões de filhos no mundo! Um mestre Waja-Hur deve
  • 45. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 45 estar preparado para aniquilar o próprio ego, abnegando-se de tudo aquilo que os profanos gostam de fazer, e acham que têm o direito para isso! Você terá que confiar em você mesmo, e em mais ninguém! Você acha que está preparado para isso? –Preparado eu não sei... Mas tenho a consciência sobre tudo isso que o senhor me disse. –Todo mestre Waja-Hur tem uma importante missão para executar no mundo, além das atribuições ritualísticas do templo! Você será responsável por algo sagrado, que é protegido há séculos... Qualquer erro de sua parte poderá ser fatal! Lembra da escuridão e dos fenômenos que ocorreram mês passado no planeta? –Sim! Aquilo foi terrível! -Pois então... Eu não tive um bom pressentimento em relação àquele fato! Minha intuição me diz que algo muito ruim está para acontecer, e que o mal está tentando se apossar do planeta novamente! Osorkon morreu, mas deixou um legítimo herdeiro. Não existem mais escorpiões sobrenaturais no planeta, pois graças ao deus Rá, conseguimos destruí-los! Segundo a profecia, o filho de Osorkon deverá cumprir a missão de reintegrar a humanidade ao seu estado mais puro de evolução, e ele irá precisar de você, assim como Osorkon precisou de mim! Não sabemos ao certo o que as forças do mal estão planejando, pois elas são bastante sutis... Mas não pense, jamais, que elas desistem! Se você falhar com o herdeiro da máscara, o mal poderá se apossar do planeta definitivamente, e todos nós correremos os riscos de nos tornarmos escravos de Apóphis! Espero que você esteja bastante consciente em relação a isso!
  • 46. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 46 –Sim, eu estou! Sei que o meu fardo será bastante pesado, mas se fui o escolhido, tentarei fazer o meu melhor! – Outra coisa que preciso lhe falar... As forças do mal vão tentar ganhar você de todas as formas! Muitas tentações e infortúnios serão provocados por elas, para que você se alie às mesmas. Vou te dar um grande conselho... Aconteça o que acontecer, não ceda! Não traia a Luz, jamais! Existe um grande castigo dos deuses, reservado àqueles que traem as forças do bem! –E em relação ao herdeiro da máscara? Como terei que proceder? –Quando ele completar vinte e cinco anos, você deverá procurá-lo e proceder exatamente segundo as orientações que eu vou lhe passar! Lembre-se que você sempre poderá contar comigo como conselheiro, para qualquer coisa que precisar! O filho de Osorkon deverá receber um poder especial, diferente dos outros dois Rudamons que existiram! Há uma caixa do tempo enterrada sob as areias do deserto, bem no local onde se situava o nosso templo que foi destruído! Essa caixa foi construída pelo deus Osíris, com o ouro mais sagrado que existe no universo. Antes que ela fosse enterrada, o mestre daquela época recebeu a mesma de um mensageiro, que lhe autorizou a testá-la para que comprovasse a veracidade dos fatos. O mestre dirigiu-se ao ano de 2007, no dia em que Osorkon estava sendo atacado pelos escorpiões de Disebek, comprovando realmente que a caixa tinha esse poder. Inclusive o próprio Osorkon conseguiu vê-lo, embora não soubesse do que se tratava. O filho de Osorkon só poderá incorporar os poderes da caixa do tempo, depois que receber
  • 47. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 47 a máscara de Osíris, através da qual assumirá seu verdadeiro poder de Rudamon... Somente ele poderá retirá-la do local, utilizando o raio de luz dourada de suas mãos. Eu lhe entregarei a máscara e o manuscrito no ritual de posse de mestre. Você deverá procurar o filho de Osorkon no Brasil, e entregar a ele, no dia do aniversário em que ele completar vinte e cinco anos. Você está vendo este anel no meu dedo? _Huni mostrou a mão direita à Sahathor. –Este anel tem a força da pirâmide de ouro do templo Waja-Hur! Você só irá recebê-lo, depois que entregar a máscara e o manuscrito ao herdeiro de Osorkon! E eu farei questão de lhe entregar este anel pessoalmente, se Rá permitir que eu esteja vivo na ocasião! –Que assim seja! Que Rá dê vida longa ao senhor! -Bem Sahathor... Acho que já lhe falei tudo àquilo que julgava ser necessário! Vá para a sua casa, pense somente em coisas puras e descanse bastante, pois amanhã, será o grande dia de sua vida! O Ritual de posse do novo cargo de Mestre ia 25 de Dezembro de 2009. O ritual para a posse de cargo estava prestes a começar. Trinta homens vestiam túnica e capuz vermelhos, formando um grande círculo de mãos dadas. Tambores eram tocados em compasso binário. No centro do círculo, havia um altar com a máscara de Rudamon e um pergaminho ao lado. Sinos começaram a ser tocados... Huni entrou no templo vestido com a sua túnica e D
  • 48. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 48 capuz violetas, e portando o seu cajado. O círculo foi desfeito para que o mestre se dirigisse ao centro do mesmo. Quando Huni assumiu o seu posto no centro do círculo, os tambores e os sinos pararam de tocar. –Pitonisa! Conduza o novo mestre ao centro do círculo! _Bradou Huni com voz firme e imponente. Os tambores voltaram a soar em ritmo binário. O círculo de homens se desfez novamente, para dar passagem ao novo mestre. A linda pitonisa que vestia seus longos trajes azuis conduzia Sahathor, que por sua vez, estava vestido com a túnica violeta de mestre. Quando ambos chegaram ao centro do círculo, ficaram frente a frente com Huni... Os tambores cessaram novamente. Huni empunhou o seu cajado, e começou a dizer solenemente... -A partir de hoje, Sahathor será o novo mestre Waja-Hur, até o ano de 2039! Será, portanto, o responsável pelos trabalhos de nossa Ordem! _Huni dirigiu o seu olhar firme e convicto a Sahathor e continuou... -Tu deverás iniciar os buscadores da Luz, e cuidar dos segredos e poderes dos quais terás acesso, jurando protegê-los de qualquer pessoa que seja indigna de recebê-los! Deverás proteger a máscara de Rudamon e jurar lealdade à mesma! Deverás entregá-la ao herdeiro de Osorkon, assim que ele completar vinte e cinco anos! Huni bateu palmas três vezes, espaçadamente... Após as palmas, um enorme gongo também soou por três vezes. Os tambores voltaram a ecoar num compasso binário. Os homens de vermelho desfizeram o círculo. De repente
  • 49. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 49 surgiu no templo outra bela pitonisa, vestindo longas vestes brancas e trazendo em suas mãos a imagem do deus Osíris. Outras três pitonisas, que também vestiam túnicas brancas, acompanhavam-na. Uma delas segurava um turíbulo que queimava ervas aromáticas; a segunda segurava um cajado marrom; a terceira trazia um pergaminho, que foi entregue a Huni. Huni abriu o pergaminho e ordenou Sahathor ajoelhar- se diante da pitonisa que segurava a imagem de Osíris. Enquanto o futuro mestre estava ajoelhado, os homens de vermelho deram-se as mãos fechando o círculo novamente. Huni dirigiu novamente o seu olhar para Sahathor, e começou a ler o pergaminho solenemente... –Juras diante da imagem de Osíris, assumir os compromissos de um mestre Waja-Hur? –Sim! Respondeu Sahathor. – Juras proteger a máscara de Rudamon e o pergaminho sagrado, entregando-os ao filho de Osorkon quando este completar vinte e cinco anos? –Sim! - Juras que jamais se aliarás às forças do mal, não importando o que esssas te ofereçam? –Sim! -Juras não revelar nenhum segredo de nosso templo a ninguém que pertença à nossa Ordem? –Sim! _Neste exato momento, Huni deu um imenso sorriso para Sahathor, colocando o seu próprio cajado no chão. A Pitonisa que carregava o cajado marrom entregou-o para Huni. O mestre apontou o cajado para o alto, e fitando profundamente os olhos de Sahathor proferiu... Pelos poderes que me foram conferidos, passo-lhe o cajado de um mestre Waja-Hur! A partir de agora, és o novo mestre! _Dito isso, entregou o cajado a Sahathor, e prosseguiu o seu discurso... -
  • 50. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 50 Os poderes deste cajado lhe serão revelados com o tempo, à medida que mostrares o devido merecimento! _Doze badalos de sino ecoaram pelo templo. Os homens desfizeram o círculo. Huni deixou o templo, seguido das pitonisas. O novo mestre estava instalado. Depois que o templo foi devidamente arrumado, os membros Waja-Hur fizeram uma grande confraternização fora do mesmo. Todos festejaram a posse do novo mestre, regados
  • 51. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 51 com suco de uva e nozes. Huni chamou Sahathor para uma conversa particular... –Parabéns meu amigo! É o novo mestre! –Obrigado Huni! Foi uma emoção muito grande! –Eu preciso lhe pedir um grande favor... _Suplicou Huni, colocando sua mão direita sobre os ombros de Sahathor. –Diga meu amado mestre! O que tu pedires, para mim será uma ordem! –Que bom poder contar com você! É o seguinte... No dia 17 de Novembro de1975, eu era um guardião Waja- Hur e estava fazendo uma peregrinação iniciática pelo deserto. De repente Rudamon surgiu diante de mim! Ele retirou a máscara, e me pediu para realizar uma missão... Quando eu vi o seu rosto, estranhei... Ele não aparentava ser o egípcio Jarha, segundo as descrições que temos nos manuscritos de nossa Ordem... Era um belo rapaz louro e de olhos azuis... Ele entregou a máscara a mim, e me disse que no dia seguinte o seu pai iria nascer no Brasil, e que seria um famoso pesquisador de escorpiões chamado Osorkon. Eu deveria procurá-lo, e entregar-lhe a máscara faraônica de Rudamon, pois o seu pai seria o eleito dos deuses. Depois que o rapaz me disse isso, sorriu e desapareceu. Eu prometi a Osorkon que lhe contaria essa história depois que ele cumprisse a missão que lhe foi incumbida, matando o terrível Disebek. O problema é que Osorkon decidiu sacrificar a própria vida, e morreu junto com o monstro... O mínimo que eu posso fazer para aliviar a minha consciência
  • 52. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 52 de não ter contado a Osorkon, é informar ao filho dele sobre essa história. Quando você encontrá-lo, peço-lhe a gentileza de contar-lhe. –Que engraçado... Pelo o que eu entendi, o rapaz fez uma viagem no tempo e sabia que o pai iria nascer no dia seguinte! _Disse Sahathor admirado. –É verdade... Eu refleti durante anos sobre esse acontecimento... Até agora, eu não consegui entender o que realmente possa ter acontecido... _Disse Huni com olhar distante.
  • 53. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 53 4° Capítulo 2019 lorianópolis, 03 de março... Doutor Carlos e o garoto Hor, adaptaram-se muito bem à capital catarinense, ao longo dos últimos dez anos. O médico conseguiu criar o menino com muita tranqüilidade, além de terminar a sua especialização em oncologia. Sua expectativa em relação ao amigo Osorkon estar vivo já tinha diminuído, apesar de ainda existir uma ponta de esperança. Hor por sua vez, considerava- o como um pai. Além de ter herdado os olhos azuis da mãe, os seus cabelos eram tão loiros quanto aos de Freda. Em compensação o rosto... Ninguém podia negar que ele era realmente o filho de Osorkon. Hor gostava muito de jogar futebol. E o seu tio Carlos, modo pelo qual ele chamava carinhosamente pelo médico, não perdia um jogo. Hor era muito bom de bola, um verdadeiro craque. O problema era o seu temperamento... Um tanto quanto rebelde, no entanto, amoroso. O menino nunca tinha ficado doente na vida, tão pouco sofrido nenhum ferimento sequer. Qualquer corte ou hematoma que ocorria com ele, cicatrizava e curava na hora, quase que instantaneamente. As “entradas duras” dos zagueiros adversários, muitas vezes até maldosas demais, nada lhe faziam. Para a decepção dos mesmos, Hor levantava-se do gramado em perfeitas condições, e cobrava a falta rapidamente para continuar o jogo. No entanto, esse fato não livrava os adversários de F
  • 54. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 54 tomarem um sopapo de vez em quando daquele atacante “lemãozinho”, briguento e temperamental. O garoto também era bom de briga, apesar de não gostar de artes marciais como o seu pai gostava. De estudar... Hor não gostava muito. A única matéria que ele adorava era história. Doutor Carlos vivia pegando no pé do menino... “-Vamos estudar garoto! Senão você não vai mais poder jogar bola!” _Hor amava doutor Carlos como um pai de verdade. Assim como Carlos, o menino tinha alguma esperança de que Osorkon pudesse aparecer a qualquer instante, embora tivesse dúvidas se conseguiria cultivar o mesmo sentimento que tinha pelo “tio Carlos”, caso Osorkon aparecesse. Como fazia diariamente pelas manhãs, Hor estava jogando bola no campo de futebol no clube onde treinava antes de ir para a escola. Doutor Carlos assistia aos treinos do garoto com grande orgulho, ao lado de outros pais que também podiam acompanhar o treino de seus filhos naquele horário. Na arquibancada, além dos pais, amigos e familiares dos pequenos jogadores, um misterioso homem também acompanhava os seus treinos todos os dias... O treino estava terminando, e doutor Carlos ainda tinha que levar o garoto para tomar banho e almoçar, afinal, a escola estava a sua espera.
  • 55. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 55 Naquele dia, as aulas tinham passado rapidamente, e Hor esperava doutor Carlos apanhá-lo na porta da escola, como sempre fazia. Às vezes doutor Carlos demorava um pouco, pois, vida de médico, era assim mesmo. Enquanto esperava pelo médico, Hor notou que o seu colega de classe Franz, um cruel garoto que adorava bater nos meninos negros da escola, estava em companhia de seis garotos do sétimo ano. Franz estudava na mesma turma que Hor, mas adorava andar com os garotos mais velhos, a fim de intimidar os seus colegas e demonstrar poder. Assim como Franz, cada um dos meninos segurava um pedaço de pau e todos pareciam bastante mal intencionados. Como o querido “tio Carlos” sempre se atrasava um pouco, Hor resolveu segui-los... Algumas quadras adiante, Franz agachou-se no portão de uma casa e começou a chamar um gatinho que pertencia a uma senhora viúva. O bichano fazia festinha para os garotos, esfregando-se de um lado para o
  • 56. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 56 outro no portão e ronronando para os mesmos. Assim que o gatinho aproximou-se de Franz, este lhe acariciou ganhando a sua confiança, pegou-o e colocou-o dentro de um saco de lixo. Franz olhou para os colegas, e após dar um sorriso malicioso falou... –Vamos levar esse bicho ao terreno baldio e espancá-lo até a morte! Depois agente volta e joga ele de volta no quintal dessa velha miserável! Assim da próxima vez, ela aprende a devolver a nossa bola quando cair no quintal dela! _Em seguida, esboçou um cruel sorriso. Hor que assistiu toda a cena e ouviu o comentário feito por Franz, ficou furioso de ódio. O seu coração começou a disparar e o seu rosto ficou vermelho. Não agüentando ver aquela cena, dirigiu-se com tudo em direção aos garotos... – Vocês são um bando de covardes! Por que vocês não enfrentam alguém do mesmo tamanho? _Um dos garotos olhou para Hor e falou... –O que você quer conosco, bebezinho órfão do sexto ano? O titio ainda não veio te buscar? _Todos os garotos caíram na risada. Franz olhou para Hor com deboche e falou... –É melhor você cair fora daqui! Vai procurar aqueles negrinhos que você chama de amigos e não aborreça! Senão você será espancado junto com o gato! _Os garotos começaram a rir novamente. Hor ficou mais furioso ainda e correu em direção a Franz, tomando-lhe o saco de suas mãos e colocando o gato de volta na casa de sua dona. Para certificar-se que o pobre bichano não correria mais riscos, Hor bateu o pé com força ao lado de fora do portão e
  • 57. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 57 fez um barulho com a boca, espantando o gato que correu para dentro de casa na maior velocidade que pôde. Feito isso, encostou a sua testa na testa de Franz, e olhando fixamente em seus olhos lhe disse... –Quem vai me espancar? Você? Pode vir então! _Neste meio tempo, os garotos do sétimo ano foram rapidamente em direção a Hor e seguraram- no. Dois deles imobilizaram as suas pernas e outros dois imobilizaram-lhe os braços. Franz encostou o dedo no nariz de Hor... –Você vai aprender a não se meter com a gente! Vou lhe dar uma surra! _Hor olhou para Franz com mais ódio ainda e lhe disse em tom de desafio... –Por que você não me bate, sem que os seus namoradinhos me segurem? Você tem medo de mim, covarde? _Franz ficou enfurecido... –Soltem este idiota! Vou bater nele sozinho, e fazê-lo engolir os dentes por tudo o que ele falou! Os garotos soltaram-no imediatamente. Um deles até pegou o celular para filmar a briga. Os seis meninos fizeram uma roda ao redor dos dois. Franz avançou com tudo para cima de Hor e desferiu-lhe um soco. Hor esquivou-se do golpe, acertando um chute nos testículos do adversário que caiu no chão gritando de dor. Um dos amigos de Franz tomou as suas dores, acertando uma paulada na cabeça de Hor pelas costas, que foi ao chão no mesmo instante após o golpe. Os seis garotos aproveitaram que ele estava caído, e começaram a chutá-lo com fortes pontapés. Os chutes acertavam os mais variados lugares... Estômago, dentes, testículos, olhos, costas... Hor era surrado covardemente.
  • 58. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 58 Nesse meio tempo, doutor Carlos chegou ao colégio para buscar o garoto. Ao ver que o menino não estava lá, ficou preocupado e estacionou o carro para tentar encontrá-lo dentro da escola. Para o seu desespero, todas as crianças já tinham ido embora. Quando o inspetor da escola lhe disse que viu o garoto indo atrás de uns meninos que seguravam um pedaço de pau, o drama de doutor Carlos aumentou... – Encrenca!_ Pensou consigo mesmo. _Doutor Carlos dirigiu- se rapidamente na direção indicada pelo inspetor da escola... Enquanto isso, Hor continuava sendo agredido. De repente, ele conseguiu passar uma rasteira em um dos garotos, que caiu imediatamente no chão, largando o pedaço de pau que estava segurando. Hor conseguiu apanhar o pedaço de pau rapidamente, acertando um golpe nos joelhos de um e no estômago do outro. Ambos também foram ao chão. Mesmo sangrando e cheio de hematomas, Hor conseguiu se levantar, indo com tudo para cima do outro garoto que estava mais próximo, desferindo-lhe vários socos no rosto. Os garotos do sétimo ano resolveram fugir, deixando Franz a sós com Hor,
  • 59. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 59 pois notaram que a força que ele tinha, era incomum para um garoto de sua idade. Hor pegou Franz pelo colarinho, prensando-lhe contra o portão da senhora viúva... –Da próxima vez que eu ver você judiando de animais ou batendo em algum garoto só porque ele é negro, eu te arrebento, ouviu! _Franz ficou enfurecido e cuspiu no rosto de Hor, desferindo-lhe uma joelhada nos testículos. Este por sua vez, soltou-lhe imediatamente. Franz aproveitou-se da distância em que Hor ficou, e apanhou um pedaço de pau que estava bem próximo. O pedaço de pau tinha um prego na ponta. Franz desferiu uma paulada bem no supercílio de Hor, que começou a sangrar sem parar. Mas o filho de Osorkon não se intimidou... Pelo contrário, ficou mais furioso ainda. Hor cerrou os dois punhos e começou a desferir uma seqüência ininterrupta de socos em Franz. Os socos acertavam todas as partes do corpo de Franz que Hor podia conseguir golpear. Franz parecia um boxeador que estava preso nas cordas do ringue, prestes a ser nocauteado. Foi o tempo de doutor Carlos se aproximar e afastá-lo de Franz... –O que você está fazendo? Ficou louco? Por que está batendo nesse garoto? _Perguntou doutor Carlos enfurecido. –Ele queria matar o gato dessa casa! Mas ele não estava sozinho! Os maricas do sétimo ano que são amigos dele fugiram do “pau”! O senhor sabe que eu odeio pessoas que judiam dos animais! _Doutor Carlos fez uma cara de repreensão para Hor, que já estava com os ferimentos
  • 60. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 60 cicatrizados, e tinha parado de sangrar. O médico resolveu então, acudir Franz que estava caído ao chão. –Eu preciso te levar ao hospital garoto! Você não pode ir para casa nesse estado! _Franz levantou-se e limpou o sangue do rosto com a blusa da escola... –Eu não preciso da sua ajuda! Pode escrever que um dia eu darei o troco nesse moleque! _Em seguida, Franz saiu enfurecido. Doutor Carlos voltou-se novamente a Hor... –Eu sempre falei para você que violência gera violência! Bater nas pessoas não resolve nada! Olhe só o seu estado! Até parece que o seu uniforme é vermelho! Você acha isso bonito? E se você tivesse matado ou ferido gravemente algum garoto? Quer ir para a Fundação Casa? Não existe mais um Rudamon no mundo! Os garotos da Fundação Casa são perigosíssimos! É para lá que você quer ir? _Hor fez cara de vítima... – Não tio! Eu só pedi para eles largarem o gato! Eles que quiseram me bater! _Enquanto Hor se explicava quase todos os ferimentos de seu rosto já haviam sumido. Apesar de entender os motivos do garoto, que no fundo tinha certa razão de querer impedir certas crueldades feitas pelos meninos daquela idade, doutor Carlos procurou manter a firmeza... -Eu já falei pra você parar de arrumar encrenca! Todo dia uma briga nova! Você não se cansa? _Hor dirigiu um olhar melindroso ao médico... –Você não vai me tirar do futebol, não é? _Naquele momento doutor Carlos segurou-se para não dar uma gargalhada, e já mudou um pouco o seu tom de voz... –Não sei... Vou pensar! Estou
  • 61. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 61 muito decepcionado com você! O pior é que eu já marquei um horário para você cortar o cabelo! Vou ter que te levar nesse estado ao cabeleireiro... Quer saber? Você vai sujo assim mesmo! Quem sabe da próxima vez, aprende a ter bons modos! _Doutor Carlos colocou sua mão sobre os ombros de Hor e foi a pé até o local onde o seu carro estava estacionado. Ninguém havia percebido que atrás de uma das árvores, estava um misterioso homem escondido e filmando tudo. O tal homem seguiu os dois a pé, disfarçadamente. Depois que doutor Carlos entrou em seu carro com Hor e seguiu até o cabeleireiro, o tal homem também entrou em um carro, seguindo-os sem que percebessem... Depois que Hor cortou o cabelo, doutor Carlos pagou o cabeleireiro e levou o garoto para casa. As atividades do salão já estavam sendo encerradas. Depois que o cabeleireiro varreu os cabelos de Hor que estavam no chão, colocou-os num saco de lixo e foi até a rua colocá-los no cesto. Após verificar se estava tudo em ordem, apagou a luz do salão,
  • 62. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 62 fechou a porta e foi embora. O misterioso homem que estava com o seu carro estacionado do outro lado da rua, foi em direção ao cesto de lixo, apanhou o saco de lixo que fora colocado pelo cabeleireiro, colocou-o no porta malas de seu carro e saiu às pressas. No caminho para casa, Hor perguntou a doutor Carlos... –Tio Carlos... Por que eu não me machuco como as outras crianças? _Um pouco constrangido com a pergunta e sem saber o que dizer, doutor Carlos tentou sair-se como pode... – Um dia o tio te conta! Eu só quero que você me prometa que não vai comentar sobre isso com ninguém! Você promete? – Prometo! _Respondeu o garoto com um lindo sorriso. Cairo, 4 de março... ra o dia de folga no serviço de Sahathor. O mestre Waja-Hur desfrutava de um belo sono em seu quarto, enquanto sua esposa e sua filhinha de dez anos conversavam na cozinha... –Mamãe, será que o papai pode me levar ao parque hoje? É o dia de folga dele... –Não sei querida... Estamos com pouco dinheiro! _A garota fez uma cara de frustrada. _Nyla ficou com dó da garota e disse... – Vamos esperar o papai acordar! Ele decide! _A garota Nait animou-se e abriu um sorriso maroto... -Posso acordar o papai? _Nyla deu uma gargalhada... –Nem pensar! O pobre coitado se arrebenta de trabalhar todos os dias, e só pode dormir até mais tarde na folga dele! Tenha paciência menina travessa! _Nait deu uma risadinha sem graça. E
  • 63. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 63 Enquanto isso, Sahathor sonhava... Sonhava não... Na verdade estava tendo um pesadelo! Em seu pesadelo, ele estava afundando numa areia movediça que se situava num pântano sinistro... Enquanto afundava lentamente, o deus Seth apareceu a ele na forma mais aterrorizante que podia. Com o corpo de um homem bem forte e alto, e a cabeça de um feroz chacal, Seth começara a falar com uma voz aterrorizante e estridente... –Eu vou te dar uma chance de se dar bem na vida! Alie-se a Apóphis! _Apesar do medo, Sahathor enfrentou o deus do mal... –Nem pensar! Eu sou um servidor da Luz e não tenho medo de você! _Seth deu uma macabra gargalhada e emitiu um medonho uivo de chacal... –Vocês humanos são muito tolos mesmo! Você acha que tem algum poder sobre nós, só por causa do seu “cajadinho”? _Em seguida, apontou as mãos para Sahathor, emitindo um raio escuro que o fez afundar mais alguns centímetros na areia movediça... –Se você ama realmente a sua mulher e a sua filha, desperte e ponha fogo no manuscrito que deve entregar a Hor! _Logo após proferir a ameaça, um cenário de fogo se abriu nas costas de Seth. Sahathor viu sua esposa e sua filha penduradas de cabeça para baixo, gritando desesperadamente. Enquanto elas gritavam, Seth uivava e gargalhava, e Sahathor ia afundando na areia até chegar ao pescoço... No exato momento em que a areia tocou o seu pescoço, o seu patrão apareceu ao lado de Seth. O maléfico deus continuou... -Se você não destruir o manuscrito na hora em que acordar, vai perder sua família e o seu emprego!
  • 64. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 64 Em seguida, Seth apontou suas mãos ao patrão de Sahathor, transformando-o numa marionete. Enquanto Seth manipulava a marionete, sua esposa e sua filha começaram a balançar em direção ao fogo. Sahathor afundou na areia movediça até o nariz e começou a ficar com falta de ar. Seth ordenou novamente... –Se você não puser fogo naquele manuscrito, irá se arrepender! _Sahathor acordou gritando. Nyla e Nait assustaram-se com o grito, e foram correndo ao quarto... –O que foi querido, você teve um pesadelo? _Perguntou Nyla preocupada. –Sim! Foi horrível! _Ao ver os olhinhos assustados de Nait, Sahathor procurou disfarçar e sorriu... Mas vendo essa linda garotinha, eu até esqueci! _Sahathor abraçou esposa e a filha carinhosamente. –Vamos tomar o café querido! Já está pronto! _Enquanto tomava o café da manhã, Sahathor relembrava cada momento daquele terrível pesadelo... –Será que foi apenas um pesadelo? Ou será que foi um mau presságio? _Por um momento, Sahathor pensou em colocar fogo no manuscrito de Rudamon, mas lembrou-se do juramento que fez. Seus pensamentos foram interrompidos com o chamado de Nait... –Papai, me leva no parque? Hoje é o seu dia de folga... _Sahathor ficou pensativo, fez certo ar de mistério e respondeu... –Boa idéia! Hoje a garotinha mais linda do mundo vai ao parque com a mamãe e o papai! Dito isso, pegou a garota no colo e encheu-a de beijos. _Nyla olhou a cena carinhosamente .
  • 65. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 65 Quando Sahathor dirigiu-se a seu carro, Nyla e Nait já estavam a sua espera. Nyla olhou para o rosto do marido e começou a dar risada. –O que foi? _Perguntou Sahathor meio sem jeito. –Você é um distraído mesmo... Olhe para a sua camisa! Está toda suja de manteiga! Olha a camisa do papai Nait! _A garota não agüentou e começou a rir sem parar. _Sahathor disse meio sem graça... -Esperem um pouco, que vou ao banheiro limpar a minha camisa e já volto! _Depois que Sahathor terminou de limpar a camisa, olhou no espelho do banheiro novamente, para ver se estava tudo certo, quando de repente surgiu no espelho a imagem de Seth... –Você não se livrou do manuscrito! Ainda há tempo! Ou fica do meu lado, ou fica contra mim! _Dito isso, Seth desapareceu. Naquele momento, Sahathor realmente ficou preocupado... Não foi um simples pesadelo... Foi uma aparição... Seu medo era tanto, que a vontade que lhe deu foi de pegar o manuscrito, atear fogo e ir se divertir com a família no parque. Mas o compromisso assumido há dez anos, e as lembranças do juramento que fez foi mais forte. Sahathor procurou disfarçar sua expressão de medo, voltou para o carro com a camisa limpa e foi ao parque com a família.
  • 66. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 66 5º Capítulo 05 de Março de 2019 anta Catarina... Doutor Manfred estava trancado em seu laboratório onde nunca havia deixado ninguém entrar. O laboratório ficava dentro de sua casa, ao lado do seu quarto. Nas paredes do laboratório, havia diversas fotografias das várias fases da vida de Hor. Doutor Rodrigo não só avisou Manfred, como também lhe havia entregado todas as amostras de sangue do pequeno Hor. Não foi difícil encontrar o paradeiro do filho de Osorkon, pois Manfred colocou um detetive particular que investigava doutor Carlos desde que fora informado sobre o menino. Assim que soube que o médico mudaria para Santa Catarina, Manfred fez o mesmo. Foram dez anos observando o garoto, sendo que ao longo desse período colheu muito material genético e subornou muitas pessoas para conseguir o que queria de modo mais fácil... Pedaços de unhas, mechas de cabelos, camisetas manchadas de sangue, filmagens e muitas fotografias. A maior parte do trabalho procurou fazer sozinho, pois era um S
  • 67. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 67 homem muito discreto e preferia que as coisas fossem feitas a seu modo. Manfred teve o sangue frio necessário para filmar o próprio filho Franz apanhando de Hor, sem ao menos se preocupar se o garoto havia se machucado. Aliás, para Franz, apanhar não era novidade. Por qualquer motivo, Manfred sempre desferia uma bofetada no filho. Diálogo em sua casa praticamente não existia... Principalmente depois que sua esposa Anette morrera num desastre aéreo, quando Franz tinha somente dois anos de idade. As únicas palavras que o garoto ouvia do pai eram de cunho preconceituoso. Manfred nunca escondeu de ninguém que era racista, e a favor de um revisionismo histórico em relação ao período do holocausto. Sua fama e prestígio como um cientista pesquisador de genética, sempre serviram para mascarar o trabalho obscuro que realizou durante anos. Manfred liderava e organizava o neonazismo no planeta. Seus trabalhos só foram suspensos no período de Rudamon. Aliás, na década que passou após o desaparecimento do herói, o mal foi ganhando forças lentamente. As pessoas com tendências maléficas começaram a perceber que Rudamon não aparecia mais, e abandonaram o sacrifício de tentar serem melhores. Os crimes e a corrupção voltaram a ocorrer no mundo, e a polícia teve que se armar novamente.
  • 68. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 68 Fato número 2 único acordo que a ONU conseguiu manter foi o cessar fogo entre nações, sendo que as armas de destruição em massa continuavam escondidas em dois continentes diferentes. O armamento mais poderoso foi enterrado no subsolo africano, os demais armamentos, no continente europeu. Somente técnicos e pessoas de confiança da ONU sabiam a localização exata dos armamentos. O problema é que uma dessas pessoas do continente europeu traiu a confiança da Organização das Nações Unidas. Klaus era o seu nome... Esse homem simplesmente fazia parte do movimento neonazista, e trabalhava como um espião de Manfred dentro da ONU. Klaus não conseguiu descobrir a localização das perigosas armas enterradas no continente africano, pois fazia apenas parte da equipe de confiança da Europa. O que ninguém desconfiava, é que as armas do continente europeu haviam sido roubadas por um grupo neonazista liderado por Klaus, que a mando de doutor Manfred esconderam-nas muito bem para poder executar a realização de um sórdido plano. O
  • 69. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 69 Como sempre fazia, Manfred ouvia marchinhas nazistas em seu laboratório, enquanto realizava suas pesquisas genéticas. Para descansar, sentava-se numa velha poltrona de família, e fumava seu cachimbo, contemplando um enorme pôster de Adolf Hitler que tinha na parede de seu laboratório, bem de frente com a poltrona. Naquela tarde, o velho nazista deu um sorriso que há anos não dava... –Descobri! Já sei como tornar qualquer homem tão indestrutível quanto aquele garotinho! Acabei de inventar a fórmula Manfred! Se ela funcionar, poderei aplicá-la em todos os neonazistas do planeta e conquistar o mundo! Só há um problema... Eu preciso testá-la em alguém...
  • 70. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 70 _Após fazer o comentário consigo mesmo, Manfred ficou refletindo por um tempo... –Já sei! –Franz! Venha até o meu laboratório! Quando o garoto ouviu o chamado do pai, ficou surpreso, pois nem a empregada podia entrar naquele local para limpá-lo. nquanto isso no Cairo... Huni estava se preparando para fazer mais uma de suas meditações diárias, diante do pequeno altar que tinha em seu quarto. O belo altar era revestido por uma toalha vermelha, tinha a imagem do deus Osíris, uma vela acesa e um incenso queimando. O velho mestre enviava vibrações mentais de paz ao planeta, sempre que podia, evocando os poderes das forças dos seres de Luz com o seu cajado. Huni tinha acabado de fechar os olhos para começar o seu trabalho, quando o telefone tocou... –Sahathor! Que surpresa ouvi-lo! Como andam as coisas? _Após ouvir as palavras que o atual mestre Waja-Hur tinha para dizer do outro lado da linha, Huni ficara assustado... – Acidente? Em que hospital vocês estão? _Após fazer as anotações necessárias em sua agenda, Huni vestiu-se e saiu de sua casa imediatamente. No hospital do Cairo, Huni ficou boquiaberto com as histórias sobre o pesadelo e sobre a aparição de Seth no espelho. Mas as histórias não paravam por aí... -Eu não estou agüentando a pressão Huni! Como o deus Rá pode me deixar desamparado desta maneira! Ontem nós estávamos indo ao parque, e eu pude ver Seth nitidamente na pista! Quando eu desviei o carro, batemos contra uma carreta. A partir daí, eu não me E
  • 71. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 71 lembro de mais nada! A única coisa que eu me lembro é a voz de Seth me dizendo que se eu não destruir o manuscrito de Rudamon, minha esposa vai morrer e minha filha nunca mais irá andar! Foi quando eu acordei assustado na cama deste hospital! Eu não sofri um arranhão sequer, só desmaiei. Minha esposa e minha filha estão na UTI em estado grave, e os médicos disseram que elas correm o risco de que aconteça justamente o que Seth ameaçou! Eu não sei o que fazer! _Huni mostrou uma expressão muito preocupada... –Eu conversei com você a respeito disso Sahathor! O fardo de um mestre não é fácil! Você conduziu muito bem a sua gestão ao longo dos últimos dez anos! Agora que só faltam quinze anos para a luz derrotar as trevas de forma definitiva, seria natural que certas coisas começassem a acontecer com você! –Natural? Desculpe-me Huni! Mas é a minha família que está na UTI dependendo de uma atitude minha, e não a sua família! Se eu colocar fogo naquele manuscrito, terei as pessoas que mais amo de volta! _Huni arregalou os olhos... –Por favor, nem pense em fazer uma coisa dessas! Você não condenaria só a sua mulher e a sua filha a uma desgraça eterna! Condenaria todo o planeta! Por favor, tente ser forte! Seth está chantageando você com reféns, porque o cajado de mestre torna você inatingível contra os ataques de Apóphis! Ele está atacando o seu coração, pois sabe que a fraqueza humana está nas emoções! Você precisa superar isso! _Sahathor começou a chorar... – Você sabe o que a minha filha me disse semana passada? Que o maior sonho da vida dela é ser bailarina! E o que a minha
  • 72. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 72 esposa disse ontem? Ela acha que está grávida! Nait passou cinco anos pedindo um irmãozinho! _Huni fez uma expressão de tristeza... –As forças do mal são cruéis demais! Eu entendo o que você está passando! -Entende? Para você é tudo mais fácil! Você é sozinho! –E por que você acha que eu sou sozinho? Uma semana antes de Osorkon ser atraído pela OSWH para pesquisar os escorpiões no deserto, eu perdi minha família inteira num ataque terrorista, e Seth havia me ameaçado dois dias antes que isso iria acontecer! _Sahathor conseguiu esquecer a sua tristeza por alguns instantes, Huni continuou... Eu tinha três lindos filhos, uma esposa que amei a vida inteira, e que foi a minha primeira e única namorada... Eles estavam numa loja junto com os meus pais, comprando um presente para o nosso aniversário de casamento... Um homem bomba explodiu a loja bem no momento em que estavam lá dentro... Ninguém sobreviveu! Você não imagina a dor que eu senti... _Sahathor ficou chocado... –Por que você não avisou todo mundo? –Não tinha como! Seth só me disse que as pessoas que eu mais amava iriam explodir, se eu não colocasse a máscara de Rudamon no deserto para que ele pudesse destruí- la. Você não pode imaginar os longos anos de inferno que eu vivi na vida, para Hor estar entre nós nos dias de hoje, e poder completar a profecia dos deuses! –E por que Rá permite que essas coisas aconteçam? _Perguntou Sahathor indignado.
  • 73. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 73 –Rá não pode ser responsabilizado! Vivemos num planeta de energia densa, onde as pessoas acham que é mais conveniente aliar-se ao mal! Os deuses estão em esferas de luz muito superiores à nossa, e não conseguem agir diretamente em nós, a não ser pelos servidores da Luz! As forças do mal, ao contrário, possuem acesso mais fácil ao coração e à mente dos homens! É por isso que eu te peço... A decisão é somente sua, pois você é o mestre! Pense bem na decisão que irá tomar... A esperança dos deuses e o futuro da humanidade inteira estão em suas mãos! O poder de escolha é seu! _Sahathor ficou pensativo por alguns instantes e falou... –Não sei se os irmãos Waja-Hur fizeram a escolha certa! Acho que sou muito mais fraco do que eu imaginava... _Huni colocou a sua mão sobre os ombros do amigo... –Você está no cargo, porque ele é seu por direito! Se os deuses achassem que você não tivesse méritos para exercê-lo, não teriam inspirado os membros de nossa Ordem a indicá-lo! A única coisa que posso lhe falar como um ex-mestre Waja-Hur, é que o maior aprendizado que eu tive na vida como mestre, foi entender o verdadeiro valor de um sacrifício!
  • 74. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 74 6º Capítulo Asru, A Bruxa omo todas as noites de sexta-feira, Asru se preparava para mais um de seus rituais macabros para evocar as forças do mal. Dentro do templo, a malvada bruxa comandava cinqüenta pessoas entre homens e mulheres, onde todos vestiam túnicas e capuz pretos, além de portarem cajados da mesma cor. As velas pretas formavam o desenho de um pentagrama, e eram acesas pelo guardião do templo. Assim que este terminava a sua função, outro membro tocava um enorme gongo por nove vezes, e Asru fazia a invocação... C
  • 75. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 75 –Seres das trevas! Evocamos vossa presença neste local para realizarmos os nossos trabalhos desta noite! Conceda-nos o poder que tanto almejamos, para podermos servir Apóphis com toda a nossa fé e lealdade! Ajudai-nos a destruir os nossos inimigos e todos aqueles que se opuserem às forças de Apóphis! Que o deus Seth proteja o nosso templo das forças opostas que queiram nos atrapalhar, concedendo-nos o poder de aniquilarmos todos aqueles que atravessarem o nosso caminho! _Após terminar a última frase, Asru bateu nove vezes o seu cajado preto no chão, e começou o trabalho da Ordem dos Cavaleiros das Trevas (OCT). Na verdade, aquele ritual todo que a OCT fazia há séculos, nunca funcionou e nunca fez mal a ninguém. As forças do mal sempre estiveram satisfeitas com a maldade humana, e não necessitavam de tolos mortais que julgavam ter os poderes que Apóphis supostamente lhes conferia. Qualquer contratempo que houvesse com uma de suas vítimas, quer fosse perder um ônibus para ir trabalhar, ou uma simples gripe, os cavaleiros das trevas sentiam-se vitoriosos, tendo a certeza de que a magia feita na sexta-feira anterior havia surtido efeito. Eles nunca conseguiram sequer um efeito sobrenatural em seus rituais macabros. No entanto, faziam os mesmos todas as sextas-feiras, pois algo que tinham de sobra e que ninguém podia negar era a fé. Mas naquela sexta-feira foi diferente... Assim que Asru deu a nona batida com o seu cajado preto no chão, aconteceu algo que nunca havia acontecido antes...
  • 76. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 76 Um vendaval muito forte tomou conta de todo o templo... Todas as velas do pentagrama se apagaram... Fortes trovões invadiram o interior do templo, deixando todos os presentes quase surdos. Seth apareceu! A cabeça de Seth sempre fora algo indefinido... Ninguém nunca soube dizer se era a cabeça de um bode, de um cão, de um lobo ou de um chacal... Mas fazia tempo que o malvado deus utilizava-se da cabeça de um chacal, até mesmo para se passar pelo deus Anúbis, caso fosse necessário. As pessoas que estavam presentes no templo, quase desmaiaram de medo ao ver tal aparição. Seth lançou um olhar furioso para Asru, como se quisesse devorá-la, emitindo um alto grunhido... –Asru! Estou aqui para falar com você! Mande esses tolos mortais saírem do templo, antes que eu resolva aniquilar a existência deles! _Em seguida, Seth deu uma longa gargalhada, ao notar o medo no olhar daquelas pessoas. Asru, um pouco assustada com tudo aquilo, cumpriu as ordens de Seth, ficando a sós com o mesmo... -Estou aqui a mando de Apóphis que a honrou com uma importante missão! Espero que você tenha êxito na mesma, senão irei destruí-la pessoalmente! _Emocionada, Asru ajoelhou-se diante de Seth... -Sim poderoso deus! Sou uma leal servidora de Apóphis há anos! Estou aqui para servi-lo! _Seth emitiu um medonho uivo de chacal que está prestes a atacar e prosseguiu... –Estou lhe trazendo direto das chamas do inferno de Apóphis, o manuscrito de Satan! Vocês nunca tiveram competência para fazerem mal a uma mosca sequer!
  • 77. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 77 No entanto, nesse manuscrito existe uma importante missão, que realmente irá funcionar! _Seth emitiu mais um grunhido... -Nas páginas do manuscrito há duas poderosas magias que você deverá executar quando for avisada! Se você jurar lealdade a Apóphis e cumprir bem a sua missão, receberá poderes sobrenaturais para servir a venerável serpente! Mas nunca se esqueça que esses poderes lhe serão concedidos somente se você tiver êxito... Você só poderá usá-los para servir Apóphis, pois a partir de hoje, você será uma eterna servidora da serpente! _Em seguida, Seth entregou o manuscrito para Asru, e desapareceu. Ao chegar em casa, Asru ainda estava boquiaberta com aquele acontecimento inédito. A bela egípcia de trinta e cinco anos, e longos cabelos escuros, vivia uma sensação que jamais havia experimentado. Sentia-se privilegiada, pois ao longo da história da OCT, jamais havia acontecido algo parecido (e olha que essa ordem existia há séculos). No entanto, Asru estava assustada com tamanha responsabilidade. Após tomar um banho relaxante, a bela bruxa que era solteira por opção, sentou-se no sofá e começou a leitura do manuscrito de Satan...
  • 78. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 78 O Manuscrito de Satan Os Animais de Poder Desde a pré-história, os egípcios sempre respeitaram os fenômenos da natureza e os animais. Os animais eram admirados por suas características, como por exemplo, a força dos crocodilos ou a ferocidade dos leões. A adoração zoomorfa ocorreu pela primeira vez na metade do IV milênio a.C. Os pesquisadores encontraram sepulturas de animais como chacais, gazelas, carneiros e touros, oriundas
  • 79. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 79 deste período. No final do IV milênio, os egípcios criaram pequenas figuras que representavam vários animais, com grande vivacidade. Os animais encarnavam uma parcela da personalidade e da força espiritual dos deuses. Ao longo dos séculos, várias espécies de animais foram cultuadas pelos egípcios, que divinizavam alguns deles vivos. Os pesquisadores encontraram inúmeras estatuetas, amuletos e paletas de ardósia representando os vários animais encontrados nos túmulos. Um só indivíduo de cada espécie era escolhido para ser cultuado, sendo que o animal era considerado a imagem viva do próprio deus correspondente que passava a habitar entre os homens. Quando morriam, os animais sagrados eram mumificados e sepultados em cemitérios exclusivos. A zoolatria cresceu a partir do Império Novo, reforçando a religião nativa em relação às estrangeiras. Cada animal podia encarnar as forças da própria divindade. Alguns animais eram adorados por serem temidos, outros, por serem bons servidores dos homens. Os animais convertiam-se em verdadeiros tabernáculos viventes, onde os deuses infundiam uma partícula de sua divindade. Apesar de seu vasto panteão, a religião egípcia continha marcantes aspectos monoteístas. As representações feitas pelos panteões, não passavam de facetas do aspecto eterno de um deus único. Os principais animais que os egípcios consideravam mais sagrados eram: touro, babuíno, chacal, lobo, Íbis, leoa, gata, falcão, vaca, escaravelho, carneiro, rã, fênix, bode, crocodilo, hipopótamo, vaca, peixes, abutre, naja, escorpião e serpente. O Panteão Animal de Apóphis
  • 80. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 80 Assim como o deus único mostra as suas várias facetas através dos poderes sobrenaturais dos animais, a força oposta de Apóphis que também é única pode ser evocada da mesma forma. Para isso você deverá confeccionar uma caixa de madeira de tamanho 5x5 cm. A caixa deverá ter um tampo e ser aberta pela pessoa pré-destinada a receber os poderes da mesma. Para colocar os poderes do panteão animal dentro da caixa, faça o ritual abaixo. Ritual para colocar o poder Animal dentro da Caixa Para a realização deste ritual, será necessária a presença de uma bruxa que deverá ter o auxílio de nove pessoas. Todas as pessoas deverão estar vestidas de preto. A bruxa deverá portar um cajado preto, e cada uma das pessoas deverá estar segurando uma vela apagada, da mesma cor. A bruxa também deverá estar de posse da caixa de madeira, além do manuscrito de Satan que deverá estar em suas mãos. As nove pessoas deverão formar um círculo, cada uma segurando a sua vela. A caixa de madeira deverá ser colocada aberta no centro do círculo, com a tampa ao seu lado. A bruxa deverá estar voltada para o ocidente geográfico, segurando o manuscrito de Satan com a mão direita e o cajado preto com a mão esquerda, e de frente para a caixa de madeira. Cada pessoa do círculo deverá acender a própria vela, colocando-a diante de si própria, a cinco centímetros do próprio pé. Depois que as velas forem colocadas em seus devidos lugares, os membros do círculo devem dar às mãos. Neste
  • 81. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 81 exato momento, a bruxa deverá fazer a evocação abaixo, batendo o seu cajado preto ao término de cada frase. A cada batida do cajado, os membros do círculo deverão dizer em uníssono “Que Apóphis esteja presente!”... - Evocamos os poderes de Apóphis neste local! - Evocamos a presença de Seth dentro deste círculo! -Evocamos os gênios contrários do panteão animal dentro desta caixa! - Que o espírito contrário do Touro coloque sua força vital e geradora da natureza, bem como o seu poder do oráculo dentro desta caixa! - Que o espírito contrário do Chacal coloque o seu poder sobre os mortos dentro desta caixa! - Que o espírito contrário do Lobo coloque o seu poder sobre os caminhos e estradas do além dentro desta caixa! - Que o espírito contrário da Leoa coloque o seu poder destrutivo do Sol, e o seu poder de causar epidemias dentro desta caixa! - Que o espírito contrário de Íbis coloque o seu poder de destruir gafanhotos, lagartas e répteis de mordidas fatais dentro desta caixa! -Que o espírito contrário da Gata possa liberar os maus espíritos dentro desta caixa! -Que o espírito contrário do Falcão coloque a sua vista poderosa dentro desta caixa! -Que o espírito contrário do Escaravelho coloque o seu poder de ressurreição dentro desta caixa! -Que o espírito contrário da Rã coloque o seu grande poder de velocidade, movimentação e criação dentro desta caixa!
  • 82. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 82 -Que o espírito contrário do crocodilo coloque o seu poder de ver sem ser visto dentro desta caixa; -Que o espírito contrário do Hipopótamo libere os espíritos malignos e as más influências durante o sono dos humanos dentro desta caixa! -Aquele que abrir esta caixa, terá o poder de se transformar no animal que quiser! -Aquele que abrir esta caixa, poderá dominar mentalmente todos os animais que quiser! -Aquele que abrir esta caixa, terá o poder de transformar os seres humanos, no animal que quiser! -Que a vontade de Apóphis possa ser cumprida! Observação: Todos que forem participar do ritual, deverão ser avisados com antecedência, sobre as manifestações que irão ocorrer após o mesmo. Somente aqueles que tiverem a verdadeira coragem para participar, deverão ser chamados. Depois da última evocação, uma energia escura e densa tomará conta do templo. A temperatura do local ficará muito baixa e uma forte ventania irá ocorrer. As velas irão apagar e acender sozinhas. O fenômeno durará até que toda a energia escura entre na caixa de madeira. A caixa de madeira fechará sozinha e tudo voltará ao normal. Depois que a caixa for aberta pelo escolhido, à energia escura se tornará amarela, e lhe concederá o poder.
  • 83. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 83 A Força Espelho do Panteão Egípcio Só há uma maneira de destruir o Panteão de Luz do deus Rá, e conseguir a vitória definitiva de Apóphis sobre o universo. Esta maneira consiste em dar à vida ao panteão de força contrária, através do espelho confeccionado nas chamas do inferno de Apóphis, que deverá ser entregue pessoalmente por Seth, a uma bruxa eleita pela serpente. O espelho só poderá ser entregue após as devidas providências serem tomadas. A bruxa eleita deverá confeccionar miniaturas dos deuses com barro, submetendo-os a um pré-ritual antes de receber o espelho. Os deuses e os gênios contrários Cada miniatura de barro deverá receber o nome contrário do deus que representa, sendo cultuada e venerada até o dia da entrega do espelho pelo deus Seth. O culto consiste em acender uma vela preta para cada uma, fazendo uma pequena oração para ativar o poder da divindade contrária (isto deve ser feito diariamente): - Osíris deve ser chamado de Siriso; - Anúbis deve ser chamado de Sibuna; - Hórus deve ser chamado de Suroh; - Hathor deve ser chamada de Rohtah; - Maat deve ser chamada de Taam; - Neftis deve ser chamada de Sitfen; - Ptah deve ser chamado de Hatp; - Rá deve ser chamado de Ar; - Thoth deve ser chamado de Htoht;
  • 84. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 84 - Selkhet deve ser chamada de Tehkles; - Nun deve ser chamado de Unn; - Atun deve ser chamado de Nuta; - Amon deve ser chamado de Noma; - Shu deve ser chamado de Uhs; - Tefnut deve ser chamada de Tunfet; - Nut deve ser chamada de Tun; - Geb deve ser chamado de Beg; - Isis deve ser chamada de Sisi; - Bastet deverá ser chamada de Tetsab; -Sekhmet deverá ser chamada de Temhkes; Estes são os vinte gênios contrários ao panteão de Rá, que causarão o caos no universo e a vitória definitiva das trevas sobre a luz! A bruxa que despertá-los terá o poder sobre eles, mas perderá este poder se não servir Apóphis. A bruxa eleita deverá comandá-los através do espelho, que deverá ficar no interior do templo. Estude e conheça todos os poderes dos gênios contrários, a fim de adquirir a sabedoria necessária para controlá-los. Eis os poderes... Asru ficou fascinada com o manuscrito de Satan. A bruxa não conseguiu dormir antes de terminar a leitura do mesmo. Na verdade, ela não via a hora em que Seth aparecesse para lhe ordenar a primeira missão a ser feita. Finalmente Asru receberia o poder que sonhou a vida inteira.
  • 85. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 85 7º Capítulo (2027) Oito anos depois... aquela noite, em Florianópolis, um jovem homossexual voltava para sua casa. Ele acabara de sair da faculdade, e após um exaustivo dia de trabalho e estudo, não via à hora de tomar um banho, deitar-se em seu quarto e descansar. Quando ele estava se aproximando do ponto de ônibus, viu um homem alto, careca, e forte, bem à sua frente. O homem usava um par de coturnos e vestia um macacão preto. Esse homem ficou parado, de braços cruzados, impedindo que o rapaz seguisse em frente. O homem tinha cara de mau e no seu braço direito estava tatuada uma suástica. Logo após bloquear a passagem do N
  • 86. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 86 moço, o homem disse... –Onde você pensa que vai?Seu maricas! _Nesse meio tempo, mais cinco homens carecas, todos de coturno e macacão preto, que também estavam tatuados com suásticas aproximaram-se correndo em direção ao rapaz, e fecharam um círculo ao redor do mesmo. Eles seguravam barras de ferro, correntes, tacos de beisebol e soco inglês. O homem que abordou o rapaz olhou para o mesmo com um olhar de muito ódio, pegou-o pelo colarinho e disse... –Agora nós vamos ensiná-lo a ser homem! _Dito isso, o homem desferiu um soco no estômago do rapaz e jogou-o ao chão. Na medida em que o moço caiu no chão, os seis homens começaram a chutá-lo com seus coturnos. O rapaz apanhava violentamente. Não satisfeitos, eles começaram a bater no rapaz com suas armas. Nesse meio tempo, Nadila, uma famosa capoeirista de Florianópolis, que voltava sozinha de uma roda de capoeira, viu ao longe aquela cena grotesca, e ficou indignada. Com toda a pressa do mundo, Nadila correu em direção deles, e ficou mais chocada ainda ao perceber que aqueles homens eram neonazistas, e que o moço que estava apanhando foi o seu melhor amigo no ensino médio. Nadila aproximou-se dos neonazistas e gritou... –Parem de bater nele!Covardes! _ O homem que havia abordado o rapaz, que pelo jeito era o líder daquele bando,
  • 87. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 87 olhou para a moça, depois olhou para os seus amigos e disse... –Estamos com sorte hoje! Um maricas e uma negra! Parem de bater nele e vamos bater nela! _O rapaz, ficou caído no chão, sangrando e sem reação... Os neonazistas foram com tudo em direção à moça. O primeiro que se aproximou, tomou uma “Armada de costa”, que é um chute de capoeira com o lado externo do pé, em que o corpo dá um giro de trezentos e sessenta graus por trás. Nadila aplicou o golpe com tanta força, que o neonazista caiu desmaiado ao chão. Restavam cinco... O segundo neonazista tentou acertar as pernas de Nadila com uma corrente. A moça defendeu-se usando o “Aú”, (movimento de deslocamento também conhecido como "estrela", que também serve como esquiva contra golpes de rasteira). Após escapar do golpe de corrente aplicado pelo neonazista, Nadila desferiu-lhe uma “Benção” (chute frontal no qual se atinge o adversário com a sola do pé) acertando-o bem nos testículos. O golpe foi tão forte que o segundo neonazista também foi ao chão, gritando de dor por alguns segundos, até desmaiar... Agora restavam quatro... Os quatro carecas fizeram um círculo ao redor de Nadila, que começou a fazer movimentos rápidos de ginga, acertando uma “Cabeçada” no primeiro (golpe aplicado com a cabeça contra o adversário para desequilibrá-lo ou feri-lo), assim que o neonazista se desequilibrou, Nadila desferiu-lhe um “Martelo” (golpe com
  • 88. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 88 o peito do pé), no pescoço do neonazista. Esse também não resistiu, caindo ao chão, desmaiado. Restaram três. O líder e mais dois. A expressão de valentia dos neonazistas que sobraram não era a mesma. Dessa vez eles demonstravam um olhar de apreensão, e um pouco mais de respeito pela moça. O neonazista que estava com a barra de ferro atreveu-se a tentar golpear a moça com a sua arma... Nadila esquivou-se usando a “Negativa” (o movimento de esquiva em que o praticante se abaixa até ficar rente ao solo, com uma perna estendida e a outra flexionada para desviar do oponente), em seguida, Nadila ficou em pé rapidamente e desferiu-lhe um potente “Rabo de arraia” dando uma cambalhota no ar e golpeando o neonazista com os calcanhares, acertando-o violentamente no queixo. Este também foi ao chão desacordado... Nadila nem esperou os dois que sobraram sequer, terem tempo de pensar... A capoeirista derrubou o primeiro, também utilizando o “Rabo de Arraia”. Havia sobrado apenas o líder, que olhou ao redor e viu todos seus amigos caídos ao chão... O homem também não teve tempo de pensar, Nadila aplicou-lhe uma “Tesoura de frente” envolvendo-o com as pernas, movimentando-se no sentido contrário, de modo que o derrubou no chão. O homem caiu com tudo, batendo sua cabeça e desmaiando no mesmo instante. Nadila correu para atender seu amigo, que estava muito ferido, caído ao chão... –Fique calmo meu amigo!- Você ficará bem!Vou ligar para a polícia e chamar o resgate! _Dito isso, Nadila pegou o celular e ligou.
  • 89. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 89 a manhã seguinte, naquela linda praia de Florianópolis, o campeonato de Surf ia começar... Hor não abandonou o velho e bom futebol, no entanto, durante sua adolescência, descobriu que gostava mesmo era de praticar esportes radicais. Doutor Carlos, sempre que podia, acompanhava as peripécias do seu “filho”. Naquele dia não podia ser diferente, afinal, Hor iria disputar o troféu. Além da torcida do médico, Hor tinha um público feminino muito favorável... O estereotipo de surfista loiro com os olhos azuis atraía muito as garotas. Além da enorme quantidade de esportes que Hor praticava, o garoto deu outro orgulho ao tio... Passou na Universidade Federal, e ia cursar história. Hor também ficou feliz com isso, o único inconveniente é que Franz que estudou a vida toda com ele também passou no mesmo curso. As várias desavenças que os dois tiveram ao longo dos últimos anos poderiam continuar... N
  • 90. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 90 Naquela bela manhã de Domingo, a praia estava lotada. O céu estava azul e limpo, e a televisão local cobria o evento. Para alegria de doutor Carlos, Hor venceu o campeonato. Apesar de feliz, o médico estava preocupado com a semana seguinte... Hor daria o seu primeiro salto de pára-quedas, e fazia questão que o “tio Carlos” estivesse presente. Depois de receber o troféu e os vários assédios das fãs, Hor pediu ao tio que levasse o seu troféu para casa, pois iria ficar na praia para assistir uma apresentação de Maculelê, de uma famosa roda de capoeira da região. uando o grupo de capoeira começou a apresentar, somente uma coisa chamou a atenção de Hor... A bela Nadila... Quem teve que ouvir os vários comentários sobre a bela capoeirista negra, foi Felipe, amigo de Hor... – Olha que deusa de ébano... Que mulher linda... Que boca... Que corpo... _Enquanto a moça jogava capoeira, Hor não conseguia tirar os olhos dela, e não conseguia parar de falar... -Ai meu Deus... Que negra linda! Olhe as trancinhas dela! Que maravilhosa!É tudo o que eu sempre sonhei... _Felipe também ficou empolgado, pois a moça era realmente muito bonita... –Você sabia que Nadila é irmã do Roberto? _Perguntou Felipe. -Que Roberto? Indagou Hor... –Aquele rapaz da Universidade que faz pós-graduação em tecnologia, e que desenvolveu aquele famoso projeto tecnológico para teletransportar objetos através de radiação e desintegração de moléculas. –Sério? _Perguntou Hor admirado. Felipe prosseguiu... –Sim! O irmão dela é muito conceituado no meio acadêmico. Dizem que ele é o único homem da América Q
  • 91. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 91 do Sul, que tem conhecimento sobre o local onde ficam as armas de destruição em massa que estão escondidas na África. Inclusive, ele teve que ir para lá às pressas, para desenvolver um sistema mais seguro de proteção, depois que os homens da ONU souberam que as armas que estavam no continente europeu desapareceram! _Hor ficou pensativo e falou... –Bom... O irmão dela não me interessa! Esse assunto sobre as armas que sumiram no continente europeu também não são da minha conta! Eu só quero saber dessa princesa negra! Na hora que o Maculelê acabar eu vou chegar nela! _Felipe deu risada e disse... –Cuidado! Ontem uma vizinha fofoqueira contou que ela derrubou seis neonazistas com golpes de capoeira e ainda chamou a polícia para prendê-los. Parece que eles estavam surrando um amigo dela... E outra... Esse mulherão aí tem vinte e três anos e você tem apenas dezoito... De repente ela pode te achar um pirralho! _Felipe deu risada. Hor fez uma expressão de quem não gostou muito da brincadeira, mas depois, voltou a fazer seu velho ar de rapaz convencido e disse... –Eu confio no meu taco! Se você quiser ir pra casa fique à vontade!A apresentação de capoeira está terminando e eu prefiro ficar a sós com ela! _Felipe deu risada e disse... -Está bem! Já estou saindo... Quando a apresentação de capoeira terminou, Hor, mais do que depressa, foi conversar com Nadila. O rapaz aproximou- se fazendo o olhar mais sedutor e charmoso que podia, e após dar um lindo e simpático sorriso perguntou... –Você que é a famosa Nadila? Hoje eu pude comprovar a sua fama! Você é
  • 92. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 92 realmente muito boa de capoeira, e também é muito bonita! _Nadila sorriu... –Obrigada! E você é o famoso Hor, que venceu o campeonato de surf hoje? Eu vi você surfar... Realmente você é bom mesmo! E também é bonitão! _Hor ficou com o rosto corado e disse... Eu quero te fazer um convite, e não aceito recusa! –Convite? –Sim! Semana que vem eu vou fazer o meu primeiro salto de pára-quedas, e faço questão que você assista! –Pára-quedas? _Perguntou Nadila com expressão de surpresa e continuou falando... -Você é corajoso, hein? Eu detesto altura! _Nadila deu risada. _Hor sorriu... –Eu sempre gostei de emoções fortes! Mas acabo me acostumando com elas, e sempre procuro algo novo para mexer com a minha adrenalina! Você vai, não é? _Nadila ficou pensativa, fez certo ar de mistério e, depois de um lindo sorriso respondeu... –Tudo bem, eu vou! _Hor mostrou muita felicidade no olhar e disse... –Vai ser difícil ficar uma semana sem te ver... Nós podíamos combinar de tomar um suco antes disso, o que você acha? _Nadila novamente pensou um pouco, fez mais mistério para responder... E finalmente falou... – Eu vou! Onde e quando?_Empolgado, Hor respondeu... -Hoje à noite! Nesse quiosque que está mais próximo mesmo! Às vinte horas! _Nadila respondeu sorrindo... –Combinado!
  • 93. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 93 nquanto isso, Franz chegou ansioso em casa... –Pai! Onde você está? _Doutor Manfred foi ao encontro do filho... –Que maneiras são essas de entrar em casa? Eu nunca vi você desse jeito? _Franz ficou um pouco sem graça, mas não perdeu a euforia... –Olha o meu braço! Franz levantou a manga da camiseta do braço direito, mostrando com orgulho a suástica que havia tatuado. _Manfred ficou pensativo... –Você não acha que foi precipitado? O nosso plano ainda não foi colocado em ação! Utilizar este símbolo, ainda é crime! Já não basta que você seja careca e anda com os Neonazistas pelas ruas! Você não assistiu o jornal? Seis neonazistas foram presos ontem à noite, aqui mesmo em Florianópolis, por espancarem um homossexual? O que mais chamou a atenção da polícia, e o que realmente complicou a vida deles, foi a suástica que haviam tatuado no braço. _Franz E
  • 94. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 94 não se incomodou com o comentário do pai e respondeu... - Por enquanto eu vou esconder essa tatuagem maravilhosa! Mas vai chegar o dia em que vou poder exibi-la a todos! – Sem dúvida meu filho! E este dia não está longe! Eu ainda preciso fazer alguns testes com você, para poder distribuir a fórmula Manfred ao nosso exército! -Testes? _Perguntou Franz. -Sim! Primeiro eu vou lhe fazer algumas perguntas... Faz oito anos que eu te apliquei a fórmula... Eu sempre observei você de longe, fiz perguntas, anotações... Mas nós nunca tivemos tempo para conversarmos a respeito, pois eu apenas fiz observações distantes... Que seja hoje! Como você se sentiu depois de recebê-la? _Franz sentou-se com doutor Manfred no sofá da sala, e começou a relatar... -Na primeira semana, eu tive insônia e suores noturnos. Depois eu comecei a notar que a minha inteligência ficou melhor... Eu nunca fiz as lições de casa, mas ia bem às provas, pois assimilava tudo o que os professores me explicavam. Eu nunca mais senti cansaço ao fazer as minhas atividades físicas. Tem dia que eu passo quatro horas na academia de musculação, treinando firme, e não me canso! Aliás, sou o único da academia que consegue erguer uma quantidade maior de peso. Certa vez, eu e meus amigos carecas brigamos contra uns “punks” da cidade, e um grupo de “metaleiros” fortes tomou as dores deles. Eu levei alguns socos, meu nariz chegou a sangrar, mas foi só por um tempo. Teve um soco que um cabeludo me deu no olho, que doeu na hora, mas o meu olho nem ficou roxo! Hoje mesmo quando eu fiz a minha tatuagem, eu não senti nenhuma dor!
  • 95. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 95 _Neste meio tempo, doutor Manfred dirigiu-se à cozinha, pegou uma faca e foi em direção ao filho... –Franz, fique de pé, é uma ordem! _Franz levantou-se, e doutor Manfred fez um corte no braço do filho... O braço sangrou, mas em poucos segundos, o corte cicatrizou. –Fantástico! _Disse o cientista ao filho. Manfred colocou uma de suas mãos no ombro de Franz, segurando a faca com a outra mão. Olhou bem nos olhos do filho e disse... –Meu filho... Isto será pelo bem da ciência! _Em seguida, enfiou a faca no estômago de Franz. Franz arregalou os olhos e ficou assustado. O sangue escorria pela faca, indo até a mão de Manfred, que a retirou em seguida. Para espanto dos dois, o buraco feito pelo golpe da faca cicatrizou em poucos segundos. Manfred sorriu. – Você é imbatível meu filho! O nosso exército ariano será assim! Vou mandar fabricar milhares de ampolas da minha fórmula, e semana que vêm elas embarcarão de navio para vários pontos do mundo, onde estão os nossos futuros soldados! Vou apenas alterar a fórmula que aplicaremos na massa neonazista, deixando-os vulnerável somente no pescoço, segredo que unicamente nós dois partilharemos. É necessário que somente você seja totalmente indestrutível, pois somente assim não terá o seu comando ameaçado por ninguém! Uma nova Era se inicia... O mundo irá se render à raça branca! _Apesar de estar surpreso com a atitude do pai, Franz esboçou uma feição orgulhosa. –Que barulheira é essa? _Perguntou doutor Manfred. –São os ciganos! Eles estão apresentando uma espécie de circo na rua. Parece que irão ficar acampados aqui nesta semana.
  • 96. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 96 _Respondeu Franz. –Povo maldito! Se Adolf Hitler tivesse vencido a guerra, esses porcos não estariam em frente de minha casa hoje! _Disse doutor Manfred olhando a janela por uma fresta da cortina, esboçando um ar de desprezo. aquela mesma noite, Hor já estava no quiosque da praia esperando Nadila. O relógio já apontava vinte horas e quinze minutos, e Nadila não chegava. Hor estava impaciente. De repente Nadila aparece bem a sua frente, toda linda, com um vestido noturno amarelo e branco, próprio para usar em praia. Aquele maravilhoso vestido ressaltava o corpo da moça de um jeito que, conseguia exibir com louvor, toda a beleza que uma mulher negra pode ter. Os olhos de Hor brilharam... Ele levantou-se, cumprimentou a moça com um beijo no rosto, olhou-a com muita empolgação e elogiou-a... N
  • 97. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 97 –Meu Deus! Como você está linda! _Nadila sorriu e agradeceu... –Obrigada! São seus olhos! _Após pedirem o suco, os dois se sentaram e começaram a conversar. Depois que conversaram bastante tempo sobre capoeira e esportes radicais, Nadila mudou de assunto... –Pois é... Estamos nós dois aqui! Diz-me uma coisa, além de esportes radicais, o que mais você gosta de fazer? –Eu acabei de entrar na universidade federal. Vou cursar história! _Respondeu Hor todo empolgado... _Nadila fez uma expressão meio que decepcionada, mas tentou disfarçar dando um sorriso... –Meus parabéns Hor! _Hor que era muito perceptivo, notou pelo olhar da moça que algo estava errado. O rapaz não resistiu à curiosidade e perguntou... –Algum problema? Eu notei que você fez uma cara estranha quando eu respondi a sua pergunta... Você tem alguma coisa contra historiadores? _Nadila deu risada e respondeu... –Não! Absolutamente! Eu apenas me assustei porque você me disse que acabou de entrar na universidade, e agora que estou conversando com você, deu pra notar que você é bem mais novo do que aparenta... Qual a sua idade? _Hor ficou sem graça e respondeu... –Eu tenho dezoito anos! _Nadila prosseguiu... – Nossa! -Sou cinco anos mais velha que você... _ Hor começou a ficar inseguro, mas tentou manter a firmeza no flerte... –Eu sinceramente não ligo para a idade. Eu ligo para os sentimentos. _Nadila sorriu e disse... –Você fala bonito para um rapaz de dezoito anos... Mas homem é um bicho
  • 98. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 98 complicado... Daqui uns quinze anos eu não serei tão atraente, serei mais velha que você, e você com certeza enjoará de mim e ficará de olho nas garotas mais novinhas... Eu sei como isso funciona... _Hor estava realmente desconcertado e sem jeito, mas não desistiu... –Desde que eu olhei pra você, eu senti algo diferente em mim... Eu já tive inúmeras namoradas, eu fiquei com muitas garotas, mas o que eu senti quando eu olhei pra você foi único... Eu realmente tive uma sensação de amor à primeira vista. Eu não ligo para esse negócio de idade... Eu me importo mesmo é com o amor... _Naquele instante o olhar de Nadila mudou. A capoeirista olhou para Hor com mais afeto. Hor aproveitou para beijá-la. Após o beijo, Nadila disse... –Você é rápido hein? Agora vou precisar ir embora... Você quer me acompanhar em casa? _Hor ficou muito empolgado... –Quero sim! _Nadila prosseguiu... –Não se empolgue muito que hoje você não vai poder entrar... Meus pais e meu irmão moram comigo. Você me acompanha mesmo assim? _Um pouco frustrado, mas procurando disfarçar a frustração, Hor respondeu... –Será uma honra! Podemos nos ver novamente amanhã? _Nadila olhou para Hor... Fez um ar de suspense e respondeu... –Posso responder isso quando chegarmos à minha casa? _Hor, meio sem jeito e com um sorriso amarelo respondeu... –Claro!
  • 99. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 99 ma semana depois, Hor já estava praticamente namorando Nadila e preparado para um novo desafio... Estava tudo pronto para o salto com o pára-quedas. O avião já estava na altura certa. Hor e seus amigos mais experientes no pára-quedismo ouviam um som “hardcore” dentro do avião, enquanto se preparavam para saltar. Lá embaixo, doutor Carlos, Nadila e Felipe olhavam para o céu com seus corações aflitos. –Acho que envelheci uns dez anos a mais por causa deste garoto! _Disse doutor Carlos em tom de desabafo. Nadila e Felipe deram muita risada, após ouvir o lamento do médico. Dentro do avião, um dos pára-quedistas falou a Hor... –Nós vamos saltar primeiro! Acredito que todas as explicações que lhe demos foram suficientes! Não há segredos! Você tem alguma dúvida quanto ao momento certo de puxar a cordinha? _Hor respondeu ansioso... -Nenhuma! Vamos logo que eu estou ansioso para voar! _Os quatro rapazes que estavam com Hor pularam primeiro. -Olhem! Eles já saltaram! Disse Nadila ansiosa. –Hor ainda não saltou! Reparem que eles estão vestidos de azul! Hor colocou uma roupa amarela, para que eu o filmasse com destaque! _Disse Felipe. –Ai meu Deus! Esse namorado que eu arrumei é um louco mesmo! _Disse Nadila. –Você ainda não viu nada! _Completou doutor Carlos. Hor saltou dando um grito que expressava a sensação da liberdade que estava sentindo. – Agora é ele! Vejam! _Disse Nadila eufórica. Felipe já estava filmando antes do amigo saltar. Hor ficou um tempão no ar. Fazia piruetas, girava, dava vários gritos... –Eu sou o super- homem! –Eu posso voar! _Em seguida, deu várias gargalhadas de alegria. Seus amigos que pularam primeiro, já haviam ativado o pára-quedas e já estavam descendo. U
  • 100. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 100 Quando Hor sentiu que era o momento certo, puxou a cordinha, mas ela falhou. Hor sentiu muito pânico, pois a força de gravidade já estava aumentando. Hor puxou a cordinha de emergência e ela também falhou. –O que será que está acontecendo com este garoto? Já não era para ele ter acionado o pára-quedas? _Perguntou doutor Carlos preocupado. Hor começou a cair com uma velocidade espantosa. Todos que estavam assistindo a exibição apontaram para o céu com certo desespero... –Vejam! O pára-quedista de amarelo está caindo! Ele não conseguiu acionar o equipamento! _Nadila começou a chorar... –Ele vai morrer! _Doutor Carlos ficou emudecido, sem ação, com uma lágrima escorrendo pelos olhos. _Felipe desligou a filmadora, chorando copiosamente. Apesar de a queda parecer estar em câmera lenta aos olhos do público, Hor despencou com toda a violência no chão. Todos os presentes correram em sua direção... –Vejam! O corpo dele está inteiro! Gritou uma das pessoas. –Milagre!
  • 101. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 101 Ele está se levantando! _Gritou outra pessoa. Nadila foi correndo abraçar o namorado... –Minha nossa! Você está vivo! Graças a Deus! Como pode? _Felipe dirigiu-se ao casal para abraçar o amigo... –Se eu tivesse bola de cristal, te juro que teria gravado a sua queda até o fim! _Disse Felipe em tom de emoção. Apesar da preocupação, doutor Carlos sabia em seu íntimo que aquilo iria acontecer. Mesmo assim, foi abraçar o seu garoto... –Acho que envelheci mais vinte anos! _Todos deram risada. Doutor Carlos falou... –Vamos para o meu consultório Hor. Melhor você fazer alguns exames... _Hor respondeu... –Não precisa tio Carlos! Eu estou bem!Eu já havia combinado com Nadila que eu iria à casa dela! _Nadila falou... –Não é melhor você seguir os conselhos do seu tio? Você acabou de cair de um avião! _Nesse instante os outros amigos pára-quedistas de Hor se aproximaram e um deles falou... –Nossa! Rapaz! Você renasceu! Que bom que você está vivo!Você está bem? _Hor respondeu afirmativamente. _Seu amigo pára-quedista respondeu... – Que bom que está bem parceiro! Vou te dar um conselho... Melhor sair logo daqui porque chamaram a imprensa... Os jornalistas vão encher o teu saco se você não sumir daqui... _Hor agradeceu, subiu na garupa da moto de Nadila e foi até a casa da namorada. or entrou pela primeira vez na casa de Nadila, que lhe disse... –Meus pais e meu irmão só estarão aqui à noite! Nós podemos ficar mais tranqüilos agora à tarde, se é que vou conseguir ficar tranqüila depois de ter visto o meu namorado despencar de um avião após o pára- quedas dele não funcionar... Você quase me matou de susto, H
  • 102. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 102 sabia? _Hor sorriu e disse... –Fico feliz em saber que você já está se importando tanto comigo. _Nadila retribuiu o sorriso e disse... –Vamos para o meu quarto... _A capoeirista segurou Hor pelas mãos e levou-o até o quarto dela. Quando entraram no quarto da moça, algumas fotos que estavam na parede, chamaram a atenção de Hor. Eram fotos de Nadila abraçada com um rapaz. Hor sentiu muito ciúme, mas tentou disfarçar sua expressão. Não agüentando de curiosidade ele perguntou... –Que fotos são essas? _Nadila ficou meio sem jeito e respondeu... –O rapaz da foto se chama Thiago. Ele é meu ex-namorado. _Dessa vez Hor ficou com uma expressão mais séria... –Você ainda gosta dele? _Nadila respondeu... –Gosto muito, mas apenas como amigo! _A expressão de Hor ficou cada vez mais evidente de que ele estava sentindo muito ciúmes, e ele perguntou... –Por que ainda mantém as fotos dele na parede se estamos juntos? _Nadila deu risada e disse... –Ai meu Deus! Não me diga que você é ciumento! Só falta você me dizer agora que também é do signo de escorpião! _Hor respondeu... –Sou sim! Mas por que está dizendo isso? _Nadila deu risada e disse... – Eu não acredito!Você quer saber mesmo por quê? Por que eu já tive um namorado desse signo... Ele era muito ciumento! Foi o namorado mais inesquecível que eu tive, mas era muito ciumento! Eu terminei com ele por causa do ciúme descontrolado que ele sentia de mim. Mas antes que o senhor escorpião pára-quedista me aborreça, deixe-me explicar... Essas fotos estão aí na parede porque eu ainda não tive tempo de tirá-las. Eu nem olho pra minha parede. Eu mal paro em
  • 103. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 103 casa, venho aqui apenas para dormir. Mas vou tirar essas fotos daqui agora mesmo, está bem? _Dito isso, Nadila foi até a parede e retirou as fotos. Hor, ainda estava de mau humor, mas tentou mudar de assunto... –E você? Qual o seu signo? _Nadila sorriu e respondeu... –Eu sou leonina! Sou elemento fogo! Eu sou meiga e doce, mas não mexa comigo que eu sou brava! _Nadila deu risada, Hor ainda estava com cara de mau humorado... aquela mesma noite, Hor chegou a sua casa depois do namoro, e, ainda mal humorado chamou doutor Carlos para uma conversa... –Tio Carlos, eu sei que já é um pouco tarde, mas precisamos nos falar! _Doutor Carlos assustou-se com a expressão séria de Hor... -Fala meu garoto! Você não veio me comunicar que amanhã irá decolar em alguma nave espacial, não é? _Hor permaneceu com a expressão séria. –Tio, eu não estou para brincadeiras agora! Só quero te dizer que sempre te considerei um pai, e sempre vou considerar. Você sempre disse que me considerou um filho... Eu aprendi com você mesmo que entre nós não deve haver segredos! Mas eu sei que você me esconde algo! Você nunca quis me falar o porquê de eu nunca ter me machucado! Hoje eu sobrevivi a uma queda que nenhum ser humano teria sobrevivido, e você foi o único a agir como se aquilo fosse algo normal! Eu gostaria que você fosse honesto e me contasse a verdade! Por que eu não sou um ser humano comum? N
  • 104. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 104 _Doutor Carlos sempre teve medo que esse dia chegasse, mas sabia que mais cedo ou mais tarde ele chegaria... -Está bem Hor! Seus argumentos me convenceram! Vamos tomar um chá na cozinha que eu lhe contarei tudo! Depois que o chá estava preparado, doutor Carlos sentou-se ao lado de Hor e começou a falar... –Em 2007, o seu pai sofreu um ataque de doze escorpiões gigantescos no deserto egípcio. Após esse ataque, ele começou a ter as mesmas experiências que você. Depois disso, a vida dele mudou completamente. Osorkon escapou de um terrível acidente de carro que nenhum ser humano também teria sobrevivido. Após vários exames, constatamos que o código genético de seu pai havia mudado. O DNA dele não era mais humano, pois estava misturado com um DNA de artrópode. Em suas veias, corria um sangue humano misturado com o sangue de escorpião. Depois disso, eu não sei o que aconteceu, mas ele transformou-se em Rudamon! _Hor esboçou uma expressão de espanto... -Meu pai foi Rudamon? –Sim! O seu pai foi o grande super herói que entrou para a história há quase vinte anos atrás... Somente sua mãe, um amigo dele do Egito chamado Huni, e eu, sabíamos este segredo! _Hor ficou pensativo... Doutor Carlos continuou... – Antes de se transformar em Rudamon, Osorkon escutava essas mesmas vozes que você escuta diariamente, e que fazem você perder o sono. Você se lembra quando me disse que tinha algumas premunições? –Sim, eu me lembro! Inclusive hoje eu tive uma intuição antes de saltar daquele avião, mas achei que fosse um medo natural...
  • 105. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 105 _Doutor Carlos tomou mais um gole de chá e continuou... – Quando você nasceu eu realizei vários exames de rotina em você... Tanto o seu sangue quanto o seu DNA, apresentaram- se idênticos ao de Osorkon, após o ataque no deserto! Isso significa que você provavelmente também possua super poderes... Só não me pergunte como você deve usá-los, pois o seu pai nunca comentou nada disso comigo! _Neste momento os olhos de Hor brilharam... –Meu pai foi um herói... Eu tenho super poderes... Então quer dizer que eu também posso ser um herói! _Doutor Carlos esboçou um olhar de preocupação... –Eu não disse que você pode ser um herói... Eu disse que existe uma possibilidade de você ter super poderes! Osorkon só se transformou em Rudamon depois que começou a usar uma máscara faraônica! Eu não sei te dizer se aquela máscara era só para esconder a identidade secreta de seu pai, ou se ela lhe conferia poderes a mais! Por favor, Hor, agora sou eu quem lhe peço... Procure ser discreto em relação a esse assunto, pois se mais pessoas souberem disso, você ficará exposto! Não fique caindo de cabeça para baixo por aí, pois isso poderá chamar a atenção, e não será bom para você! _Hor deu um abraço em doutor Carlos e foi dormir eufórico... –O meu pai foi um herói!
  • 106. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 106 8° Capítulo Alguns Segredos sobre Osorkon o dia seguinte, pela manhã, Hor, ainda eufórico puxou assunto com doutor Carlos. –Tio Carlos, será que o senhor poderia conversar um pouco mais sobre o meu pai? Eu queria tanto saber mais informações sobre ele... Será que o senhor tem uns minutinhos para mim?_ Doutor Carlos acomodou-se na cadeira, mexeu a colher em sua xícara de café e olhou para Hor. –Claro meu garoto! Adoro falar sobre Osorkon.O que deseja saber sobre o meu velho amigo? _Hor abriu um imenso sorriso e disse: - Tudo o que o senhor puder falar... _Doutor Carlos retribuiu com um sorriso muito simpático e começou... –Falar sobre seu pai é muito bom! Ele é o cara mais “figura” que eu já conheci em toda a minha vida... _Doutor Carlos e Hor riram juntos. O médico prosseguiu... –Osorkon sempre teve uma personalidade muito forte. Quem o via no meio acadêmico o achava sério demais, mas eu posso falar com propriedade sobre o lado mais descontraído e doido do seu pai. Mesmo com toda seriedade que ele tinha, ainda assim conseguia ser carismático, bastava dar um eventual sorriso ou uma gargalhada._À medida que Carlos falava, os olhos de Hor brilhavam. Doutor Carlos aproveitou a expectativa do rapaz alertando-o... –Senta que lá vem história... Seu pai desde pequeno gostava muito de escorpiões. Ele sempre foi cético, nunca se voltou à espiritualidade, mas N
  • 107. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 107 adorava ser do signo de escorpião pelo fato de sentir atração por esses aracnídeos. No final das contas os escorpiões acabaram realmente fazendo a diferença na vida dele... _Doutor Carlos ficou pensativo e prosseguiu. –Ele é muito misterioso, arrancar um segredo dele sempre foi impossível, a não ser que ele achasse oportuno dizer. Osorkon era impulsivo, ficava nervoso muito fácil, quando ele ficava irritado nem era muito bom ficar perto dele. Depois de mais velho melhorou um pouco isso. Ele é o tipo de pessoa que quando ama alguém, é capaz de dar a vida pela pessoa, mas se alguém fizer algo muito grave a ele, possui um lado vingativo que eu considero um forte defeito em sua personalidade. Ele é muito seletivo com as amizades e ele sempre foi aquele tipo de pessoa que uns amam, outros odeiam. Ele sempre teve poucos amigos, mas foi para cada um deles, o melhor amigo que alguém pode ter. Com as pessoas que gostava e tinha intimidade, era muito brincalhão e divertido, com as demais, pelo contrário, era sisudo. Seu pai foi uma das pessoas mais birrentas que já conheci._Ambos riram. Doutor Carlos prosseguiu... Osorkon também tem muita facilidade de sentir-se culpado... Cobra-se muito... Qualquer erro que comete não consegue se perdoar e fica chorando pelos cantos, arrependido. Nunca conseguiu se perdoar porque a irmã morreu picada por um dos seus escorpiões. Por ser impulsivo, ele já falou e já fez muitas bobagens na hora da empolgação ou da raiva, bobagens das quais se arrependeu depois, muitas vezes tarde demais...
  • 108. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 108 _Hor ficou pensativo por um instante e perguntou ao tio: - E nas artes marciais? Como ele era? _Doutor Carlos deu risada. –Um doido! _Ambos riram. Doutor Carlos continuou. –Seu pai deve ser hiperativo!Ele só parava para dormir. A arte marcial que ele mais gostava de praticar era o Jiu Jitsu, mas também fazia boxe, Caratê, corria e ainda puxava ferro. Isso ele conciliava com os estudos acadêmicos e ainda tinha tempo para ir às baladas. Ele era competitivo em quase tudo, mas não gostava de competir nos esportes, diferente de você que adora competir também nos esportes. _Hor sorriu admirado... –Meu pai era “baladeiro”? _Doutor Carlos riu. –Seu pai?_Doutor Carlos riu novamente. Ele foi o homem mais “baladeiro” e mulherengo que eu já conheci na vida! Quando ele estava solteiro, chegava a contabilizar trimestralmente o número de mulheres que ele ficava! _Hor deu muita risada. Doutor Carlos continuou... –Mas quando seu pai namorava, era muito fiel à pessoa que estava com ele, mas era ciumento que doía! Quase nenhuma namorada agüentava ficar com ele de tanto ciúmes que ele tinha! Chegava a ser chato! _Hor teve um flash de memória que sentiu na noite anterior, ficou um pouco pensativo e prosseguiu... -Mas e depois que ele conheceu a mamãe?Como foi? _Doutor Carlos franziu a testa esboçando certo constrangimento e disse... –Não sei se teu pai gostaria que eu comentasse isso com você... Talvez ele próprio devesse contar, caso ele volte, uma vez que ele confiava certos segredos somente a mim, e
  • 109. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 109 uma das características que ele possui é de confiar o mínimo possível nas pessoas, quando ele confia, é bom não desapontá-lo! _Hor ficou preocupado. –Mas é tão grave assim tio Carlos?_ Doutor Carlos respirou profundamente, pensou um pouco e falou... –Acho que você deve saber sobre isso... Caso teu pai volte e não fale mais comigo por causa disso, terei que arcar com as conseqüências... Você é filho dele... Precisa saber... _Hor mostrou-se curioso... -Pode contar tio! Isso não vai acontecer! Se Deus quiser ele volta! Mas eu jamais direi a ele que você revelou esse segredo... _Doutor Carlos esboçou uma expressão mais tranqüila e prosseguiu... –Quando seu pai conheceu Freda, ficou tão empolgado com ela... Ele tinha certo fascínio por loiras de olhos azuis, aliás, diga-se de passagem, cada hora ele tinha fascínio por um biótipo diferente, desde que fosse mulher... _Hor não agüentou e caiu na risada. –Eu me lembro como se fosse hoje, quando Osorkon havia me dito que Freda era sua alma gêmea, que era a mulher da vida dele... –E não era? _Perguntou Hor. –Osorkon e Freda sempre souberam manter muito bem as aparências, tanto que ninguém jamais suspeitaria dos acontecimentos que eu sei. Depois que eles se casaram, descobriram que eram muito antagônicos. Brigavam diariamente... Tinham discussões muito feias... Mas viviam de aparências... No início do namoro Osorkon ficou tão apaixonado que disse a Freda que o mais justo seria morrerem juntos, pois não saberiam viver sem o outro... Osorkon não apareceu ainda... Sua mãe faleceu... Eu espero sinceramente que ele esteja vivo... Mas enfim, seu pai chegou
  • 110. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 110 várias vezes a desabafar dizendo que estava infeliz, que havia se enganado quanto ao fato de Freda ser sua verdadeira alma gêmea. -Mas por que ele não se separou dela?_ Perguntou Hor. -Quando ele tomou essa decisão veio o resultado da gravidez... Seria muito cruel romper a relação naquele momento. O carinho e o respeito que ele retomou por ela foi como o de um irmão... Os olhos dele brilhavam quando ele imaginava o dia do seu nascimento... Em toda a minha vida, eu nunca tinha visto um pai que mais amou o próprio filho, antes mesmo do nascimento, que nem Osorkon amou você... _Os olhos de Hor lacrimejaram. Doutor Carlos prosseguiu. - As discussões pararam e ele fez o melhor que pode para deixar Freda tranqüila, ainda mais sabendo que sua gravidez era de alto risco, o que não deveria incomodá-lo pelo fato de possuir poderes de cura e de ressuscitar os mortos, mas, mesmo assim, ele ficava muito preocupado com isso. Osorkon é muito grato a Freda, pois ela fez coisas muito boas e importantes por ele. Ela foi muito companheira em diversos momentos. Se não fosse por ela, ele teria continuado cético e Rudamon nunca teria existido... Se não fosse por ela, ele não teria tido o filho que sempre sonhou... –Mas e minha mãe? –Sua mãe o amava muito, o que dificultou bastante na separação dos dois antes de você ser concebido... Ela tinha um gênio forte e difícil de lidar. Ela tinha um ciúme doentio do seu pai, por incrível que pareça na relação dos dois, ela sentia mais ciúmes do que ele. Freda também não conseguiu se habituar à missão de super herói que seu pai tinha, que quase toda hora precisava se ausentar para resolver algum problema. Ela também não controlava
  • 111. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 111 muito bem as próprias emoções. Mas amava muito o seu pai e era apaixonada por ele. Osorkon é muito emotivo... Freda era uma boa pessoa, mas sabia trabalhar bem esse lado da culpa e do remorso que ele sentia quando os dois discutiam. Ele sempre acabava ficando com pena dela e resolvia dar uma nova chance. Sabe Hor, eu sou o melhor amigo do seu pai e confesso que eu torço para que ele esteja vivo. Com todo respeito e admiração que eu sinto pela memória de sua mãe, eu confesso que eu queria muito ver Osorkon encontrando sua tão sonhada alma gêmea. –Como assim tio Carlos? Sonhada alma gêmea? Meu pai não era mulherengo? Mulherengos não costumam querer encontrar almas gêmeas! _Ambos riram. Doutor Carlos prosseguiu. –Hor, seu pai foi o homem mais romântico que eu já conheci. Tudo o que ele sempre quis foi encontrar um grande amor... Mas isso não tira o fato dele ser mulherengo! _Ambos riram. Doutor Carlos prosseguiu. –Pois é... Ninguém imagina que o poderoso Rudamon tinha problemas emocionais e familiares como qualquer outro ser humano comum. _Hor ficou pensativo e disse. –O que o senhor pensa sobre esse assunto de signo? Eu sou do mesmo dia que meu pai!Também sou escorpião! Eu sou igual a ele? – Iguais vocês não são, mas eu já li alguns artigos sobre astrologia, e embora eu não acredite muito nisso, vocês dois curiosamente apresentam certas características que são peculiares a um nativo do signo de escorpião... –Quais? _Perguntou Hor entusiasmado. _Doutor Carlos ficou pensativo e disse...
  • 112. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 112 _Bem, vou apenas mencionar aquelas características que vocês dois possuem e que encontrei nos textos que eu li. –São líderes natos, emotivos, sentimentais, perceptivos, misteriosos, quando decidem fazer algo entram de cabeça no que vão fazer, ciumentos, birrentos, vingativos, impulsivos, briguentos e um pouco encrenqueiros, convencidos, se esforçam muito para serem bons no que fazem, não suportam críticas, são competitivos e não admitem perder, muito exigentes consigo próprios, vocês sabem agradar muito bem as mulheres, são amorosos e fiéis com as pessoas que amam, muito dedicados ao que fazem, costumam sentir um excesso de culpa quando cometem erros... São muito emotivos e desconfiados. Quando são amigos são amigos de verdade, mas que ninguém pise no calo de vocês. São autodestrutivos quando estão sem saída..._ Hor ficou um pouco pensativo, deu risada e levantou-se. –Nossa! Que signo assustador esse nosso! _Doutor Carlos deu risada. Hor prosseguiu. –Tio Carlos, a conversa está ótima, mas preciso ir. Vou levar Nadila para assistir as apresentações do circo dos ciganos. _Doutor Carlos levantou-se e abraçou Hor. -Boa diversão para vocês!
  • 113. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 113 9º Capítulo Hiago: O Cigano rua de doutor Manfred estava repleta de pessoas. O espetáculo montado pelo grupo de ciganos era o assunto da semana. Hor e sua namorada estavam ansiosos para assistir ao tão comentado evento. Todos prestavam a máxima atenção naquele festival de roupas coloridas e jóias de ouro que davam um toque todo especial à exibição. Algumas ciganas liam as mãos das pessoas, enquanto as outras previam o futuro de seus consulentes através das bolas de cristal e do baralho cigano. A apresentação de danças ao som dos violinos proporcionava uma linda visão cultural daquela etnia. No entanto, o A
  • 114. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 114 espetáculo que todos os presentes mais aguardavam e estavam ansiosos para assistir, ainda estava por vir... Todos queriam ver a apresentação de Hiago, o cigano atirador de facas e que tinha o dom da telepatia. Quando o apresentador do circo cigano anunciou que Hiago iria apresentar-se, todos ficaram eufóricos... –Senhoras e senhores... Com vocês... Hiago! O atirador de facas com poderes paranormais! _Todos aplaudiram ao ver o cigano alto e forte, que vestia uma camisa amarela com cordão vermelho que usava na cintura, mesma cor do lenço que tinha na cabeça. Suas calças e sandálias eram pretas. Hiago usava um enorme bigode, com cavanhaque e costeletas. Sua pele morena e seu olhar sedutor enlouqueciam as mulheres que estavam na platéia. O cigano também usava um belo ornamento de ouro em seu punho esquerdo. Hiago começou o espetáculo apresentando o seu primeiro número... Dez ciganos fizeram um círculo ao seu redor, e começaram a jogar maçãs para cima e para todas as direções. As maçãs voavam a velocidades e alturas diversas, mas Hiago conseguia acertar todas com as suas facas, antes que elas caíssem ao chão. A precisão e a habilidade que o cigano tinha no manejo daquelas facas eram impressionantes. A segunda apresentação deixou as pessoas mais fascinadas ainda... Hiago pediu aos seus auxiliares que vedassem os seus
  • 115. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 115 olhos, e distribuíssem maçãs para várias pessoas que estavam na platéia. Os tambores rufaram e todos começaram a atirar as maçãs para o alto. Para delírio das pessoas, Hiago também acertou as maçãs com suas facas, mesmo sem conseguir ver para onde elas iam. Não caiu uma maçã sequer, sem que antes fosse atingida pela faca do cigano. Todos ficaram encantados e aplaudiram muito. O que ninguém conseguia ver, exceto Hor que ficou pensativo, era o campo energético de cor vermelha que ficava ao redor de Hiago, e os raios da mesma cor que saíam de seus olhos. Hor chegou a perguntar a Nadila se ela havia notado, mas a garota respondeu... –Raio vermelho? Campo energético vermelho? Não estou vendo nada disso! Acho que a queda de ontem deve ter deixado você doido! _Mas o melhor estava por vir... Hiago escolheu cinco voluntários entre a multidão, a fim de demonstrar o que todos mais esperavam... O seu dom telepático... Nadila havia se oferecido, e lá estava ela... Hor esboçou uma expressão preocupada. As cinco pessoas sentaram-se diante do cigano, com os olhos bem atentos a tudo o que estava acontecendo. Hiago escreveu em cinco placas diferentes, as cinco ordens mentais que daria aos voluntários, sem que ninguém pudesse ver o que estava escrito. O grupo de voluntários era composto por três homens e duas mulheres. O cigano virou todas as placas ao contrário, colocando-as ao chão para ter a absoluta certeza que ninguém poderia ver o conteúdo das mesmas. Depois de fazer certo mistério, escolheu uma pessoa da platéia para que apontasse para uma das placas, e escolhesse um dos voluntários. A
  • 116. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 116 garota que se ofereceu como voluntária apontou para a terceira placa e escolheu um dos três rapazes para o teste de telepatia. Hiago olhou profundamente nos olhos do rapaz e disse... –Faça a primeira coisa que lhe vier na mente! Agora! _O voluntário saiu de sua cadeira e imitou um cachorro, ficando de quatro e latindo. Hiago pediu à garota que escolheu a placa número três, para que a mesma retirasse a placa do chão e mostrasse o seu conteúdo à platéia. Na placa tinha os seguintes dizeres: “Imite um cão!”. Estupefatos, todos os presentes aplaudiram o cigano. Hiago agradeceu a salva de palmas, em seguida, escolheu outro voluntário para selecionar outra placa e outra “vítima”. Desta vez foi um garotinho que apontou para a placa número cinco, e escolheu uma das moças. Hiago fez outra encenação de suspense... Olhou para a placa e depois fixou o seu olhar na moça... –Faça a primeira coisa que lhe vier na mente, Agora! A moça soltou um sonoro e estridente grito. Quando o garotinho mostrou os dizeres da placa para o público... “Grite o mais alto que puder!” _Hiago recebeu uma nova salva de palmas, desta vez mais prolongada. O cigano agradeceu ao seu público novamente e falou... –Agora vou mostrar a vocês que consigo dar ordens mentais para duas pessoas ao mesmo tempo! _Uma das pessoas que estava na platéia gritou... –Isso tudo é marmelada! Vocês ciganos são um bando de safados! Pensa que eu não sei que é tudo combinado? A mim você não
  • 117. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 117 engana! _Hiago olhou para a senhora que duvidou de sua telepatia, pedindo à mesma que fosse lá à frente, diante de todos. Hor notou que o campo energético do cigano havia ficado escuro. A senhora aceitou o desafio. Hiago fitou a platéia e falou... –Esta senhora duvida dos meus poderes e do meu povo! Vou provar para ela e para vocês todos, que os meus poderes realmente são legítimos! Para isso, vou pedir a esta senhora que apague os meus dizeres de duas placas, e que escreva as ordens que ela bem entender, mostrando-as apenas para mim! Só vou lembrar a todos que as pessoas têm livre arbítrio! Caso esta senhora peça algo que possa constranger ou prejudicar os meus voluntários, eles não poderão executar as ordens! _Depois que Hiago disse isso, a senhora olhou para a platéia e falou... –Não disse a vocês! O cigano já está arrumando uma desculpa esfarrapada para enrolar a gente! _Hiago deu um sorriso debochado para disfarçar a raiva que estava sentindo da mulher e prosseguiu... Naquele instante, Hor sentiu um calafrio e teve uma espécie de visão em sua mente... Ele viu um lobo caído ao chão e uivando com dores terríveis. Também viu Hiago diante de um júri no tribunal, e um juiz batendo o malho em sua mesa, decretando uma sentença... –Você está condenado a noventa anos de prisão por triplo homicídio! _Aquela sensação esquisita foi interrompida com a voz do cigano... - A nobre senhora deverá escolher duas pessoas dos três voluntários que restaram, para que eu lhes transmita o comando! _Depois que a descrente senhora executou o pedido do cigano, escolhendo os dois rapazes que sobraram ao lado de Nadila...
  • 118. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 118 Hiago olhou fixamente para os dois... Olhou para as placas... Olhou novamente para eles... Olhou para a platéia... Olhou para a senhora descrente... E ordenou num tom imperioso... – Façam a primeira coisa que lhes vier na mente, agora! _Os dois rapazes se levantaram e abraçaram-se. A senhora que estava duvidando do cigano, ficou boquiaberta. –Eu gostaria que a senhora mesma, mostrasse o que escreveu nas placas... _Disse Hiago com uma expressão vitoriosa. A senhora virou as placas para o público, e nas duas havia os mesmos dizeres... “Dê um abraço no outro voluntário!” O público não conseguiu se conter, e aplaudiu o cigano em pé. Depois que os aplausos cessaram, restou apenas uma voluntária, Nadila... Hiago olhou para a platéia e disse... –Se tiver mais alguém com dúvidas, pois eu sei que tem... Levantem as mãos os descrentes do meu poder! Eu desafio a todos aqueles que acham que o meu trabalho é uma fraude, a vir aqui na frente fazer o mesmo que aquela senhora acabou de fazer! Se quiserem, podemos trocar até a voluntária, se assim preferirem! Levantem as mãos sem medo! _Oito pessoas levantaram as mãos e foram lá na frente, diante do público. Todos acharam melhor que permanecesse a mesma voluntária. Para cada ordem mental que Hiago emitia a Nadila, ela fazia exatamente o que cada um dos oito descrentes pedia na placa, todos ficavam cada vez mais estupefatos. Nadila fez cambalhotas, imitou passarinho, fez careta, deu gargalhada, miou... Mas o ponto crucial de admiração do público pelo cigano foi quando o sexto voluntário descrente escreveu... Hiago olhou para a namorada de Hor e disse, como das outras vezes... –Faça a primeira
  • 119. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 119 coisa que lhe vier na mente, agora! _No exato momento em que o cigano terminou a frase, Nadila se levantou da cadeira indignada, olhou para o sexto candidato e falou... –Canalha! Peça isso para a sua mãe! _Hiago deu um sorriso irônico e mostrou os dizeres da placa para a platéia... “Tire sua roupa em público!” Desta vez, o cigano foi aplaudido por um minuto ininterrupto. _Hor ficou pensativo... Hor deixou Nadila na porta de casa e perguntou... –Eu sei que hoje não é nosso dia de namorar, mas o que pretende fazer à noite? _Nadila respondeu... Essa noite eu ficarei sozinha em casa. Meus pais vão visitar um casal de amigos e meu irmão foi viajar para apresentar o trabalho dele num congresso científico. Vou aproveitar para estudar para prestar o mestrado em educação física! Vou fazer minha dissertação sobre capoeira! E você? _Eu ainda não sei como será minha noite... _Respondeu Hor com um ar meio misterioso Fato número 3 Hiago havia herdado os poderes que tinha de um antigo ancestral, e era o orgulho de seu acampamento. Os ciganos de sua tribo só não entendiam alguns hábitos estranhos que ele tinha... Hiago criava um lobo desde que este era apenas um filhote, e desaparecia do acampamento com o mesmo, por algumas horas, sempre no último dia em que ficava na cidade. O que ninguém sabia, é que o cigano usava o seu poder para
  • 120. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 120 roubar as pessoas... Ele emitia ordens mentais para distraí-las, e assaltava-as em seguida. Para que ninguém o reconhecesse, colocava uma máscara de lobo e levava o seu fiel companheiro de estimação, do qual também conseguia se comunicar telepaticamente para intimidar as vítimas, depois que as mesmas se davam conta de que estavam sendo assaltadas. Aquele espetáculo que Hor presenciou com a namorada, seria o último em Florianópolis. Naquela noite, como das outras vezes, Hiago havia desaparecido...
  • 121. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 121 Fato número 4 outor Manfred executou o seu plano com sucesso. Naquele dia, a fórmula Manfred já tinha sido enviada a todos os neonazistas do mundo, e que faziam parte do maquiavélico plano do geneticista. Quem morava no Brasil, receberia pelos correios, e quem morava no exterior, iria buscar a mercadoria nos portos, assim que ela chegasse. Doutor Manfred só enviou a fórmula para as pessoas que pagaram, pois ele precisava de recursos para investir em novas pesquisas e no poderoso armamento que estava preparando para o futuro ataque neonazista. Tudo havia dado certo... A fórmula foi enviada com sucesso, e Manfred apanhou o dinheiro no banco, colocou-o em uma maleta e dirigiu-se para casa. Mas um imprevisto ocorreu... Quando doutor Manfred chegou à porta de sua casa, Hiago estava escondido atrás de uma árvore pronto para atacar. Os dois neonazistas que o acompanhavam, desceram do carro para ver se havia segurança ao redor da casa. Quando doutor Manfred pensou em pegar o controle remoto para abrir o portão, Hiago emitiu uma ordem mental... –Você não se lembra onde colocou o controle! _Doutor Manfred ficou desesperado, pois pensou que havia perdido o objeto. O geneticista desceu do carro e perguntou aos neonazistass... – Vocês viram onde eu coloquei o controle remoto do portão? Nesse meio tempo, Hiago que já estava mascarado, saiu detrás da árvore com o seu lobo... –Hei velhote! Passa essa maleta para mim, que tudo ficará bem! D
  • 122. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 122 _ Enquanto Hiago cometia o seu crime, o lobo rosnava ferozmente para os neonazistas. –Se vocês se comportarem direitinho, o meu menino não fará mal a vocês! Será muito bom se vocês colaborarem, pois ele não se alimentou hoje! _Disse Hiago sentindo que a situação estava dominada. O cigano apenas não percebeu que Franz ao ouvir aquele falatório debaixo da janela de seu quarto, descobriu que seu pai estava sendo assaltado. Franz telefonou para a polícia, pegou o seu revólver e desceu as escadas para ajudar doutor Manfred. Quando Manfred estava preste a entregar a maleta ao cigano, todos ouviram um disparo. O lobo de Hiago caiu ao chão e começou a uivar de dor. Franz gritou da garagem... –Peguem esse maldito! _ A vizinhança toda acendeu as luzes e começou a olhar a cena pela janela. Os neonazistas foram com toda a fúria para cima de Hiago. O cigano pegou duas facas que estavam em suas botas, lançando-as contra os mesmos. As facas acertaram a garganta dos dois homens que caíram mortos ao chão. Doutor Manfred que sempre andava armado sacou a arma que estava em sua cintura, mirando o cigano. Hiago foi mais rápido e sacando a faca que carregava em sua cinta, acertou o peito do geneticista que largou o revólver e caiu ao chão. Franz acertou um tiro na perna do cigano, que já estava tentando fugir. Doutor Manfred estava agonizando. Cego de raiva e furioso, Franz abriu o portão e foi em direção ao cigano. Hiago estava caído... Franz retirou a máscara do cigano e pisou em seu peito... –Eu estou te reconhecendo... Você faz parte daquele bando de ciganos sujos que
  • 123. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 123 acamparam aqui! _Franz acionou o gatilho e mirou a arma na cabeça de Hiago... –Vou estourar os seus miolos, cigano maldito! _Nesse meio tempo a polícia chegou. Doutor Manfred, que estava à beira da morte falou ao filho... –Por favor, não atire! Se não você vai estragar tudo! Entregue esse desgraçado à polícia! _Em seguida, o geneticista deu um último suspiro e faleceu. No dia seguinte, doutor Carlos ligou a televisão para assistir ao noticiário, como fazia todos os dias. Hor estava pronto para ir à Universidade, e sentou-se ao lado do tio para tomar café. O noticiário chamou a atenção dos dois... –Ontem à noite a polícia desvendou um caso que estava intrigando a justiça há anos! Finalmente o país conheceu a identidade secreta do “Cigano Lobo” que assaltava suas vítimas usando uma máscara de lobo, e sempre estava acompanhado por um “lobo de estimação”. Trata-se de Hiago, um famoso cigano conhecido por seus poderes paranormais de telepatia e suas habilidades no manejo com facas. O cigano assassinou o famoso geneticista doutor Manfred, e mais dois amigos que o acompanhavam. Franz, o filho da vítima, desabafou com a imprensa... –Meu pai morava em Florianópolis há dezoito anos e nunca foi assaltado! Foi só aparecer esses ciganos imundos, para acontecer esta desgraça! Temos que lutar por uma lei que proíba este povo de circular em nossa cidade! _O repórter continuou... -Ao perceber o assalto, o filho da vítima telefonou para a polícia e matou o lobo de estimação do criminoso. O rapaz também acertou um tiro na perna do cigano, impedindo-o de fugir. Hiago poderá pegar trinta anos de prisão para cada vítima que assassinou.
  • 124. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 124 _Hor ficou boquiaberto... –Tio Carlos! Eu assisti ao espetáculo desse cigano ontem à noite, e tive uma visão... Eu vi um lobo caído ao chão uivando de dor... Também vi o cigano diante de um tribunal, sendo condenado a noventa anos de prisão! Ele matou o pai de Franz! –Franz é filho de Manfred? _Perguntou doutor Carlos com uma expressão assustada. –Sim! É esse moço careca que apareceu na entrevista, que por sinal é aquele menino que surrei quando eu tinha dez anos de idade! Eu tive problemas com ele a vida inteira, e agora ele irá estudar comigo na Universidade! Na verdade ele é um neonazista asqueroso! Se ele já odiava os ciganos sem motivos, imagine agora... _Doutor Carlos ficou preocupado e pensou consigo mesmo... –Então aquele miserável do doutor Rodrigo deve ter dito alguma coisa! Manfred estava aqui há dezoito anos! Não estou com um bom pressentimento...
  • 125. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 125 10° Capítulo Doutor Berg ois dias depois do assassinato de doutor Manfred, a vida voltou ao normal em Florianópolis e ninguém comentou mais nada sobre o assunto. Era uma noite de quarta-feira e chovia muito. Os relâmpagos e trovões perturbavam os internos do hospital psiquiátrico de Florianópolis. Doutor Berg parecia dormir profundamente em seu leito. Os únicos sons que quebravam o barulho externo da tempestade eram os passos dos enfermeiros que caminhavam pelos sinistros corredores a fim de sedar os seus pacientes. Quando os dois enfermeiros chegaram ao leito de doutor Berg, notaram que ele dormia profundamente. –Acho que sedamos demais este paciente hoje à tarde, Paulo! –Verdade Marcos! Parece até que ele está morto! Vamos sentar um pouco e descansar. Este é o ultimo quarto mesmo! –Isso mesmo Paulo! Vamos dar um tempo aqui, senão aquele chefe de enfermagem insuportável vai arrumar algo para nós fazermos. A propósito, por que este paciente vive sedado? – Eu não tive tempo de contar a história dele para você. Ele é famoso aqui em Florianópolis, e no meio acadêmico tem certa fama internacional. Você não deve saber os detalhes da história, porque chegou de Santo André há pouco tempo. O jornal local de Florianópolis enfatizou bem o assunto. O nome deste paciente é Berg. Este homem era um gênio da humanidade, pois nasceu prodígio. Com seis anos de idade, já falava e escrevia em cinco idiomas diferentes. Ele teve que estudar em escolas especiais a vida inteira. Só sei que este D
  • 126. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 126 homem, antes dos trinta anos de idade, já tinha cursado graduação e pós-graduação em química e genética. –E como ele veio parar aqui? _Perguntou Marcos. –Ele tentou desenvolver uma fórmula química para adquirir superpoderes. Depois que ele injetou a fórmula, passou a ficar agressivo e a única coisa que sabe dizer é “Eu vou dominar o mundo”. – Que cara maluco! Exclamou Marcos. – Depois que ele arrancou o nariz de uma enfermeira com uma dentada, o chefe deu ordens para que ele fique sedado o tempo todo. Por isso que, de vez em quando, nós damos uma dose maior, para não precisarmos ter o trabalho de aplicar outra. –É mesmo! Olhe para ele! Dorme que nem uma pedra! –Ele é um gênio, pena que tem dois defeitos! –Dois defeitos? –Sim! Além de maluco, é judeu! –Por falar nisso, hoje o Franz entrou em contato comigo, e me pediu um favor. _Disse Marcos. –Que favor? Perguntou Paulo. Ele ainda tem um grande estoque da fórmula Manfred, e pediu a alguns homens de confiança para escondê-las, pois acha arriscado deixar todas em sua casa. – Mas o nosso exército não utilizou todas? –Doutor Manfred fez uma quantia a mais, caso o nosso contingente fique maior. Depois que eu apliquei a fórmula em mim, a única coisa que eu sinto é insônia e suores noturnos! –Calma Marcos! A fórmula leva certo tempo para fazer efeito! Você não viu o Franz? Doutor Manfred aplicou a substância nele quando era apenas um garoto! Hoje ele parece ser indestrutível! Não se machuca, não se cansa, tem o raciocínio rápido e está mais forte! Só que ele não ficou assim do dia para a noite! Por isso que o plano de Manfred será executado daqui sete anos, pois o nosso exército ainda não está preparado! Nossos homens devem ser indestrutíveis, pois se o mundo perceber que um
  • 127. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 127 novo holocausto está para surgir, algo será feito para nos impedir! –Mas nós já temos as armas da Europa! –Só que ainda não descobrimos o local onde ficam as armas mais poderosas. Só sabemos que estão na África, mas o Franz já está atrás de umas pistas! –Pistas? –Sim! Sabe aquele tal Roberto que desenvolveu um projeto de transporte por partículas de ar e que dará a sua palestra mês que vem na Universidade?-O crioulo? –Sim! O próprio! Parece que ele sabe onde estas armas estão inclusive ele ajudou a desenvolver um sistema de segurança que ninguém consegue acessá-las. –Vamos capturá-lo e surrá-lo até ele nos contar! – Nós já sugerimos isso ao Franz, mas ele acha melhor esperarmos os sete anos, pois todos nós teremos super poderes e se algo der errado, nossa garantia será maior. _Marcos ficou pensativo e falou... –O Franz me deu uma maleta com cem ampolas da fórmula Manfred. Na hora de ir embora, vou escondê-la no sótão da sala de medicamentos, no final do corredor. Lá tem uma prateleira roxa. Debaixo dela, eu construí um fundo falso no piso. _ De repente o som do suave alto falante ecoou no corredor. –Enfermeiros Marcos e Paulo! Favor comparecerem à chefia de enfermagem! _Paulo ficou enfurecido. –Aquele desgraçado não nos deixa ficar em paz nem por um minuto! _Em seguida, os dois enfermeiros saíram do leito. Depois que eles fecharam a porta, Doutor Berg arregalou os olhos e deu um sorriso psicótico.
  • 128. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 128 Doutor Berg aquela noite chovia muito. Hor se olhava todo empolgado no espelho do banheiro. Doutor Carlos acabara de chegar em casa e viu um ramalhete de flores sobre a mesa. O médico dirigiu-se até o banheiro e viu Hor se perfumando e ensaiando olhares no espelho. Doutor Carlos brincou... –Posso saber por que você está tão empolgado assim? _Hor respondeu... –Hoje eu decidi fazer uma surpresa para Nadila! Apesar de não ser nosso dia de namorar, eu decidi comprar flores para ela e vou proporcionar um jantar romântico pra nós dois! _Doutor Carlos deu risada e disse... –Parece que eu acabei de ouvir o seu pai falando agora! _Hor também deu risada e disse... –Eu estou apaixonado tio Carlos! Estou completamente apaixonado por Nadila! _Doutor Carlos deu um tapinha no ombro de Hor e falou... –O amor é lindo! Sorte sua que tem um amor! Eu que N
  • 129. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 129 ainda não encontrei a mulher dos meus sonhos, então vou dormir que eu ganho mais!Antes que você me peça, as chaves do meu carro estão no lugar de sempre! Divirta-se! _Hor deu risada, despediu-se de doutor Carlos, pegou o ramalhete de flores e saiu... A chuva estava muito forte, mesmo assim, Hor pegou o guarda-chuva e o ramalhete de flores para sair do carro. Ao olhar pra frente, Hor sentiu uma raiva incontrolável que tomou conta do seu corpo inteiro. Seu coração estava disparado, seu rosto estava quente. Hor acabara de ver Thiago, o ex-namorado de Nadila, tocando a campainha na casa dela. Furioso, Hor ficou meio escondido no carro, apenas observando... –Sua raiva aumentou ao ver Nadila abrindo o portão para o ex-namorado, e cumprimentando-o com um beijo no rosto. Os dois entraram. Hor ficou passado... Angustiado... A sensação de raiva e de ciúme era tão forte, que Hor chegou a se sentir muito mal. Furioso, Hor ligou o carro e saiu em alta velocidade. Apesar da tempestade forte que estava acontecendo, Hor corria muito com o carro. Doutor Carlos dormia tranquilamente. De repente acordou com um forte barulho de porta batendo. Era Hor. O médico levantou-se e, ao olhar a expressão de Hor, já havia notado que algo muito desagradável havia acontecido naquela noite, e que, com toda a certeza, estava relacionado à Nadila... Imediatamente, doutor Carlos foi à cozinha e preparou um chá. Em seguida levou o chá ao quarto de Hor, que estava mexendo desesperado nas gavetas.
  • 130. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 130 Doutor Carlos perguntou... –O que houve com o meu garoto? _Hor respondeu... –O palhaço aqui, chegou para fazer uma surpresa para a namorada, mas quem teve uma surpresa fui eu! _Doutor Carlos perguntou... –Como assim Hor? _Nadila me disse que ficaria só hoje, que iria estudar para o mestrado, e quando eu chego lá, adivinha o que eu vejo? Ela recebendo o ex-namorado dela em casa! _Doutor Carlos disse... –Isso realmente é muito chato Hor, eu sinto muito... Mas Nadila parece uma pessoa tão certa. Você não acha melhor esperar passar o seu nervoso e conversar a respeito disso com ela, depois que a poeira baixar?_Hor estava furioso e descontrolado... –Pessoa certa? Ela está me fazendo de idiota! Sabe o que eu vou fazer agora? Vou pegar meu caderninho de telefones de garotas que já saíram comigo e darei o troco na mesma moeda! Olho por olho, dente por dente! _Doutor Carlos respirou de forma serena e perguntou... –Hor, você me disse que viu esse tal ex-namorado dela entrando. Como eles se cumprimentaram? _Furioso, Hor respondeu... –Deram um beijo no rosto. _Pacientemente, doutor Carlos prosseguiu... – Então existe uma enorme possibilidade de você estar interpretando esse acontecimento de modo errado... Se Nadila estivesse te traindo, eles teriam se beijado na boca, se abraçado, se acariciado... _Hor retrucou... –E quem garante que isso não aconteceu lá dentro? _Doutor Carlos continuou... –Hor, o seu pai, meu velho amigo Osorkon, já fez muita besteira por causa de ciúmes. Se eu deixar você pegar esse caderninho e ligar para alguma ex, você mesmo poderá se arrepender disso um dia, e vai me culpar por não tê-lo impedido. Vamos fazer assim... Eu preparei um chá pra
  • 131. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 131 você... Vou te dar um calmante, você toma o chá e o calmante, dorme, e amanhã conversa com Nadila sobre isso, uma conversa adulta, tudo bem? _Hor aceitou a proposta de doutor Carlos e abraçando-o, começou a chorar uas horas depois, a tempestade já havia passado. O enfermeiro Marcos que escondeu a maleta, já havia ido embora. Em seu leito, doutor Berg olhava para o teto. As lembranças vinham a sua mente... “A bela enfermeira chegava trazendo a bandeja... - Hora de o meu paciente preferido tomar o remédio! _Assim que a moça se aproximou com o copo de leite e o comprimido, Doutor Berg agarrou-a pelo cabelo, mordendo-lhe o nariz até arrancá-lo fora. Ao ouvirem os gritos da pobre mulher, os enfermeiros que estavam de plantão correram para ajudá-la, e aplicaram um forte sedativo na veia do cientista louco, que adormeceu no mesmo instante. Os enfermeiros ficaram chocados com todo aquele sangue, e com o rosto desfigurado daquela linda mulher que já não era mais linda, pois estava sem o seu nariz. –O que levou esse maluco a fazer isso? _Perguntou um deles.” Os verdadeiros motivos, nunca ninguém ficou sabendo. Mas todos ficariam chocados se descobrissem o porquê... Um grampo de cabelo! Doutor Berg arrancou o nariz da pobre moça por causa de um simples grampo de cabelo! Depois que as lembranças se dissiparam na mente do gênio, ele contemplava o objeto que havia pegado – Eu sabia que você seria útil um dia! _Disse doutor Berg ao grampo. O cientista levantou-se de seu leito, encostando o seu ouvido na porta. Ao perceber que não havia barulhos no corredor, usou o seu grampo de cabelo para destrancar a fechadura, e saiu D
  • 132. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 132 sorrateiramente pelo corredor do hospício, até o local onde Marcos falara. No meio do caminho, doutor Berg utilizou o seu grampo novamente, para abrir a sala de limpeza. Após mexer em tudo, finalmente achou o que estava procurando... O veneno de ratos. Depois que pegou a lata com o veneno, doutor Berg trancou a sala de limpeza, a fim de não deixar pistas. Em seguida, dirigiu-se à parateleira roxa que Marcos dissera e pegou a maleta. O cientista injetou as cem ampolas com a fórmula Manfred nele mesmo, uma por uma. Depois que as ampolas ficaram vazias, pegou vários remédios líquidos nas parateleiras, misturando os mesmos ao veneno de ratos. Ao notar que a consistência da mistura estava idêntica à fórmula anterior, o cientista encheu as ampolas com a mesma, colocando a maleta exatamente onde estava. Após limpar o local para não deixar vestígios, voltou ao seu leito, trancou a porta e escondeu o grampo de cabelo no estrado da cama. – Malditos nazistas! Vocês vão morrer que nem ratos! E eu terei o meu poder cem vezes maior que o de vocês! O mundo irá se curvar diante de mim! _Em seguida, doutor Berg deu uma sonora gargalhada doentia. a manhã seguinte, Hor havia telefonado para Nadila e marcado um encontro com ela, no quiosque de sempre. Quando chegou ao quiosque, Nadila aproximou-se de Hor toda sorridente e carinhosa. Hor a cumprimentou de modo hostil, meio distante... Com uma expressão de quem não entendeu o que estava acontecendo, Nadila perguntou... – Nossa Hor! O que houve com você? Por que você está me tratando assim? _Hor tentou disfarçar e respondeu... –Nada N
  • 133. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 133 não linda! Estou com uns problemas na faculdade... Mas me fale de você... Estudou ontem à noite? _Nadila respondeu... –E como! Estudei até umas quatro da manhã! _Hor começou a ficar irritado, mas no seu íntimo precisava disfarçar, pois queria testá-la... –Poxa! Você teve a noite livre e mesmo assim precisou estudar até as quatro horas da manhã! Puxado esse mestrado, hein? _Nadila respondeu... –A questão não é nem o mestrado ser puxado... É que ontem à noite eu recebi uma visita inesperada! _Hor ficou naquele impasse e pensou consigo mesmo... “De qualquer forma o que vou ouvir agora vai me machucar... Se ela contar que foi outra pessoa, estará me enganando... Se ela contar que recebeu o ex-namorado em casa, será um desaforo... De qualquer forma, eu preciso enfrentar isso”... Agindo como se não soubesse de nada, Hor perguntou... –Sério? Que visita? _Nadila continuou... –Escute Hor, eu sei que você é ciumento, mas eu sou uma pessoa honesta e não vou mentir pra você... –Meu ex-namorado me procurou ontem à noite em casa. _Hor não conseguiu disfarçar sua expressão de descontentamento, seu coração disparou e ele perguntou... – Você o convidou para entrar na sua casa? _Nadila respondeu... –Claro que sim! Estava caindo um dilúvio ontem à noite! _Hor ficou até com o seu tom de voz alterado, embora tenha procurado falar na mesma altura de sempre... – E o que aquele cara queria com você? _Nadila respondeu... – Eu havia emprestado um livro pra ele. Ele só não tinha me devolvido até agora porque se acidentou e estava hospitalizado. Agora que melhorou, aproveitou que precisou
  • 134. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 134 visitar uma tia que mora no meu bairro, e deu uma passadinha em casa para me entregar o livro, apenas isso! Se ele ficou dez minutos em casa foi muito! _Hor ficou azedo. Nadila exaltou-se... –Hor, eu não sou o tipo de pessoa que trai namorado. Ou você confia em mim, ou não confia! Será que você pode melhorar um pouco essa cara, para não estragar o nosso dia? Veja a praia! O céu! O dia está lindo! Vamos tomar um banho de mar e esquecer isso? O Thiago não quer nada comigo, eu posso lhe garantir isso com toda a certeza! Ele está em outra... E eu, muito menos quero alguma coisa com ele! Eu gosto de você! _Hor melhorou um pouco sua fisionomia e aproveitou a companhia de Nadila para curtir a praia.
  • 135. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 135 11° Capítulo A palestra de doutor Roberto a sala de aula da Universidade, Hor prestava muita atenção na aula de História Antiga, que foi interrompida pelo próprio professor, duas horas antes de seu término habitual... –Queridos alunos! Vamos parar este assunto por aqui, para participarmos de um grande evento histórico! Hoje essa Universidade entrará para a história da humanidade, e vocês farão parte da mesma! Vamos prestigiar a palestra de um aluno de pós-graduação em tecnologia. Roberto! Ele é um orgulho para essa universidade! Embora a nossa área pertença às ciências humanas, o reitor solicitou a nossa presença no anfiteatro. Vou pedir a todos um relatório sobre a palestra, e uma reflexão do ponto de vista histórico sobre a invenção de Roberto. O que os historiadores vão dizer sobre isso no futuro? Que conseqüências históricas esta invenção poderá ter? _Hor levantou a mão e disse orgulhoso... –Eu faço questão de reforçar o convite do professor! Roberto é meu cunhado, e já conversou comigo sobre o assunto. Realmente é muito interessante. Franz que estava sentado no fundo da sala, fez uma cara de poucos amigos e quebrou o lápis que estava segurando, resmungando consigo mesmo... –Maldito crioulo! Deve estar se achando o máximo! N
  • 136. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 136 Roberto morava a um quarteirão da Universidade. Faltavam vinte minutos para ele comparecer à palestra. Aquele seria o grande dia de sua vida, e ele estava muito ansioso. Nadila e seu pai tentavam acalmá-lo... –Calma Beto! Vai dar tudo certo! _Disse Nadila otimista. O pai do rapaz resolveu dizer algumas palavras antes que o filho saísse... –Estou orgulhoso de você, meu filho! Fique tranqüilo, que tudo correrá bem! Quero lhe dizer algo... É uma honra ser o seu pai! Mesmo que eu não fosse, estaria orgulhoso do mesmo modo! Você provou que a inteligência independe de classe social, raça, religião ou nacionalidade! Você é um orgulho para os catarinenses, para os brasileiros e para os negros! Você nos tirou da favela por causa de seu esforço, e hoje moramos aqui graças a você! Tu és a prova viva de que o esforço pessoal faz a diferença! Enquanto os seus colegas passavam as tardes jogando futebol, tu ficavas na sala fazendo o dever de casa e
  • 137. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 137 estudando! Graças a isso, conseguistes entrar numa das melhores universidades do Brasil! Nossa raça sempre foi discriminada neste país! Quando os nossos ancestrais escravos foram libertos, nós continuamos escravos de certa forma. Os ex-escravos não sabiam ler, escrever e não tinham nenhuma qualificação profissional. Infelizmente, nosso povo teve que ficar marginalizado e submetido a trabalhos braçais para ganhar a vida. Graças a Deus a sociedade foi mudando, e a nossa raça passou a ter oportunidades nesse país! O Brasil já revelou centenas de negros em várias áreas, e eu me orgulho de ser o pai do cientista negro mais famoso do mundo! Eu também me orgulho em ter uma filha maravilhosa, capoeirista destaque e mestranda em Educação Física! Meus dois filhos são o meu orgulho! _Roberto chorou de emoção e abraçou o pai! –Força meu irmão! Você é o meu gênio preferido! É só você falar o que sabe que vai deixar todos de queixo caído! _Disse Nadila que em seguida também abraçou o irmão. Após abraçar o irmão, Nadila sentiu uma tontura e sentou-se no sofá. O nariz da moça começou a sangrar. Preocupados, Roberto e seu pai foram pegar um pouco de algodão para estancar o sangue. Após alguns minutos, o sangramento cessou. Preocupado, Roberto dirigiu-se à irmã... –Você precisa ir ao médico! Não é a primeira vez que isso acontece! Estou começando a ficar preocupado com esses sangramentos em seu nariz. _Nadila ficou assustada... O enorme anfiteatro estava lotado. Os grandes nomes da ciência mundial estavam presentes. Roberto aproximou-se do
  • 138. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 138 microfone, e começou a falar. –Bom dia senhoras e senhores! É uma grande honra tê-los como ouvintes do meu projeto. Sou a favor da frase: “Uma imagem vale por mil palavras”! Justamente por isso, farei uma demonstração do meu invento, para não ficarmos apenas na teoria. Vou pedir aos meus assistentes que tragam a minha invenção. _ Em seguida, dois homens entraram no salão do anfiteatro, cada um segurando um pequeno aparelho. O aparelho assemelhava-se a um mouse com teclas e uma pequena tela. Roberto continuou... – O sistema que criei para transportar objetos, é muito simples! Basta o remetente e o destinatário possuírem o aparelho. O sistema utiliza um sensor GPS que indica a latitude e a longitude exata do aparelho. Vou mostrar a vocês o funcionamento de meu invento. _Roberto pegou uma cadeira que estava desocupada. –Vamos supor que um dos meus auxiliares esteja na Argentina, e telefone ao outro auxiliar que mora na China, dizendo-lhe que vai enviar um presente. Basta os dois ligarem o aparelho. O auxiliar que está na China, deverá ativar o aparelho no modo de recepção, o auxiliar que está na Argentina, ativará no modo de emissão. Em seguida, basta apontar o aparelho para o objeto e apertar o botão desintegrador de moléculas. Em segundos, o objeto que estava na Argentina, chegará à China! Com este aparelho, podemos transportar qualquer objeto, a qualquer parte do planeta! Por favor, rapazes façam a demonstração! _Solicitou Roberto aos seus auxiliares. Um auxiliar foi ao palco onde estava a cadeira, o outro se dirigiu à porta de entrada do anfiteatro. O primeiro apontou o aparelho para a cadeira e apertou o botão... Todos os presentes ficaram boquiabertos ao verem a cadeira desaparecer do palco e instantes depois
  • 139. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 139 reaparecer diante do segundo auxiliar. Depois da enorme salva de palmas, Roberto continuou. – A tecnologia que inventei, transforma as partículas de qualquer objeto em partículas de ar, transportando-as via satélite. O sistema utiliza uma tecnologia segura de radiação. O material chega inteiro ao remetente, sem qualquer alteração em sua estrutura original. Vamos supor que você queira comprar um carro zero... Basta fazer o pedido pela internet e pagar com o seu cartão de crédito... O carro estará em sua garagem em questão de segundos! Este aparelho é revolucionário e utiliza tecnologia avançada! O sistema de entregas nunca mais será o mesmo! A previsão de colocarmos o produto no mercado é daqui a dez anos aproximadamente! Em apenas uma década ou até menos, todas as pessoas poderão adquirir o seu teletransportador a baixo custo. Alguém quer fazer alguma pergunta? _ Franz levantou as mãos. –Este equipamento pode transportar pessoas? _Roberto Respondeu... –Boa pergunta!Não pode! O sistema possui uma proteção que impede o teletransporte de qualquer substância viva, pois ainda não há segurança total na desintegração e reintegração de partículas vivas. No entanto, minhas pesquisas neste campo estão bastante avançadas, e acredito que em pouco tempo inventarei um aparelho que transporte as pessoas da mesma maneira, sem nenhum tipo de risco. Será o mais seguro e eficaz meio de transporte que já existiu! O teletransportador humano! Roberto foi aplaudido de pé. _Franz ficou pensativo.
  • 140. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 140 inco dias depois, Nadila estava ansiosa na sala de espera do consultório médico. Após meia hora de espera, ouviu o seu nome ser chamado... Nadila dirigiu- se ao consultório e pediu licença ao médico para entrar. O médico, que não parecia estar com uma cara muito boa, já estava com os exames de Nadila em mãos. Ele pediu gentilmente para que ela se sentasse e falou... –Bom dia Nadila, tudo bem? _Nadila, um pouco abatida respondeu... –Não estou nada bem doutor... Estou tendo muito sangramento pelo nariz e também pelas gengivas. Tenho tido muita febre, ando sentindo muito cansaço e falta de ar também... Meus ossos andam doendo muito. Eu tenho ficado pálida. Semana passada eu fiquei menstruada, e meu fluxo menstrual foi muito intenso. Em uma semana eu perdi cinco quilos. Não tenho tido ânimo pra fazer nada doutor. Mas me diz doutor, qual foi o resultado do meu exame? _O médico respondeu... –Nadila, o problema de saúde que você tem, é grave... É mais comum ocorrer em pessoas acima dos sessenta anos, e raramente ocorre antes dos quarenta. É uma doença que ocorre em mulheres, mas seu índice é bem maior nos homens. _Nadila começou a ficar nervosa e falou... –Está bem doutor! Mas fala logo o que eu tenho! _ O médico respirou fundo e disse... –Você está com LMA! _Nadila continuou sem entender... O médico prosseguiu... –Você tem leucemia mielóide aguda! _Nadila ficou em estado de choque, e com sua voz trêmula, pediu ao médico... –O senhor pode me explicar um pouco mais sobre a minha doença? C
  • 141. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 141 _O médico explicou... As pessoas com esse tipo de câncer têm células anormais dentro da medula óssea. Essas células crescem muito rapidamente e substituem as células sanguíneas saudáveis. A medula óssea, que ajuda o corpo a combater infecções, para de funcionar corretamente. As pessoas com LMA se tornam mais propensas a infecções e têm maior risco de hemorragia à medida que o número de células saudáveis diminui. O tratamento envolve o uso de medicamentos para matar as células cancerosas. Isso é chamado de quimioterapia. A quimioterapia também mata as células normais. Isso pode causar efeitos colaterais, como sangramento excessivo, e maior risco de infecção, além da queda dos cabelos. Essa doença apresenta alguns subtipos, e o subtipo dessa leucemia que você tem é o mais grave de todos. Você precisa fazer o seu tratamento urgente e ainda ser colocada na fila de transplante de medula óssea. Pelo o que você me disse, você tem tido esses sintomas há tempos e demorou muito para procurar ajuda. Por que demorou tanto? _Nadila começou a chorar e disse... –Eu pesquisei os meus sintomas na internet, e já estava desconfiada que eu pudesse estar com essa doença. Mas meu maior medo era o de ouvir a verdade. Eu não queria ouvir um médico me dizendo o que o senhor me disse... O meu maior medo seria perder meus cabelos e judiar do meu corpo fazendo um tratamento agressivo desses... Eu sou muito vaidosa. Eu fiquei muito confusa e com medo! _O médico falou em tom de repreensão... –Seu maior medo deveria ser o de perder a sua vida!Se você tivesse vindo antes, suas chances de cura poderiam ser maiores. Você precisa ser encaminhada
  • 142. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 142 imediatamente a São Paulo. Somente lá tem hospitais que poderão tratar esse estágio em que está sua doença! _Nadila foi arrasada para casa. aquela mesma noite, Nadila marcou um encontro com Hor. A capoeirista vestiu-se com o vestido mais lindo que tinha, e maquiou-se o melhor que pode, para conseguir disfarçar o seu estado de saúde. Quando Hor chegou a sua casa, Nadila o abraçou bem forte, de um modo muito especial. A moça manteve-se firme, tentando conter o choro. Após o abraço cheio de amor, que mais parecia um abraço de despedida, Nadila pediu para que Hor sentasse no sofá da sala e falou... –Meu amor, eu não tenho uma notícia muito boa para dar a você... _Hor ficou preocupado, e perguntou expressando certa angústia no olhar... –O que houve meu amor? Você está me assustando! _Nadila manteve-se firme e prosseguiu... – Acalme-se querido! ... A notícia é ruim pra nós dois, mas é boa para minha carreira profissional... _Hor mostrou-se um pouco mais tranqüilo, apesar de apreensivo... Nadila prosseguiu... –Surgiu uma oportunidade para eu fazer uma especialização em capoeira, em Ouro preto. Eu terei que ficar por lá durante pelo menos uns três meses! _Hor ficou com uma expressão de chateado e disse... –Nossa! Nós vamos ficar longe esse tempo todo? Isso não é justo! Acho que vou trancar o semestre na universidade e vou lá ficar perto de você! Eu não vou agüentar ficar tanto tempo longe... _Com muita vontade de N
  • 143. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 143 chorar, e segurando para não fazer isso, Nadila prosseguiu, procurando mostrar uma expressão de frieza e um comportamento racional... –Hor, isso seria falta de responsabilidade sua! Você estaria atrasando sua vida porque vai ficar três meses sem ver a namorada... Eu estou indo à Ouro Preto pensando na minha vida profissional, eu amo você, mas essa especialização será importante para a minha carreira. Três meses vão passar rápido... _Hor, com um olhar muito triste respondeu... –Eu coloco o amor à frente de tudo! Eu quero ficar próximo de você... Nada nesse mundo é mais importante pra mim do que você! Eu penso em me casar, em ter filhos com você... Um semestre de faculdade não é nada pra mim... Você é tudo! Além do mais, Ouro Preto é uma cidade histórica, e eu posso fazer algumas coisas interessantes por lá durante esse período... _Nadila sentiu muita dor no coração, mas falou o que julgou ser necessário dizer... –Hor, você precisa crescer! Se realmente quer se casar e ter filhos comigo, tenha responsabilidade! Esse semestre que você quer disperdisar na faculdade, fará falta até para você arrumar um emprego. Eu não quero que você vá comigo! _Hor começou a chorar e falou...
  • 144. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 144 –Está certo, como você quiser. Boa sorte em sua especialização... Estarei esperando por você! Agora preciso ir embora, tenho aula daqui vinte minutos, e como você mesma disse, preciso crescer e ter responsabilidade. Até daqui três meses! _Hor deu apenas um beijo de selinho em Nadila e foi embora chorando... – Após a saída de Hor, Nadila fechou a porta e começou a chorar, falando consigo mesma... –Meu amor! Perdoa-me! Eu prefiro que você sinta ódio de mim, do que tristeza em saber que poderá me perder pra sempre! _Hor foi a pé para a Universidade, pensando consigo mesmo... –“Eu amo tanto essa mulher... Pelo jeito ela não me ama com a mesma intensidade que eu a amo... Eu queria tanto que fosse igual... Eu queria tanto que ela fosse capaz de fazer por mim o que eu sou capaz de fazer por ela! _Dois meses se passaram...
  • 145. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 145 12º Capítulo A doença de Nadila epois de mais um longo dia de trabalho em seu consultório, doutor Carlos chegou em casa e notou que havia algo muito estranho. Todas as janelas estavam fechadas e o silêncio era assustador. -O que teria acontecido com Hor? Ele sempre está ouvindo suas músicas quase no último volume e com as janelas escancaradas! Será que ele saiu? _ Pensou doutor Carlos consigo mesmo. O médico dirigiu-se ao quarto do rapaz e viu que a porta estava fechada, algo que também achou incomum. –Que engraçado? Hor nunca se preocupou em fechar a porta do seu quarto... _Doutor Carlos resolveu bater na porta e chamar Hor. O rapaz autorizou Carlos a entrar, mas estava com uma tristeza na voz que deixou o médico muito preocupado. Sua preocupação aumentou ainda mais, quando viu o rapaz com o corpo inteiro coberto pelo edredom, chorando desesperadamente. –O que houve meu filho? Eu nunca vi você desse jeito! _Hor tentou segurar um pouco o choro... –É Nadila! –O que aconteceu? Vocês terminaram o namoro? – Não! Sinceramente, se eu tivesse que escolher uma infelicidade, escolheria essa! –Mas o que foi então? –Hoje o meu cunhado Roberto veio conversar pessoalmente comigo. Você se lembra que eu comentei que Nadila ia fazer um curso de especialização em capoeira, e que ficaria três meses em Ouro Preto? –Sim, eu me lembro. Eu até me lembro que você achou que ela não te amava o tanto quanto D
  • 146. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 146 você a ama... _Hor prosseguiu... –Então, isso era uma mentira! –Mentira? _Perguntou doutor Carlos surpreso... Hor continuou... –Sim! _Nadila tentou me esconder algo muito grave, durante muito tempo, mas Roberto achou melhor falar a verdade. Doutor Carlos perguntou... –O que ela escondeu? _Hor tentou falar, mas não agüentou, suas lágrimas e soluços aumentaram. Doutor Carlos foi até a cozinha pegar um copo d água com calmante. O médico retornou ao quarto. Hor tomou o medicamento, e após alguns instantes, desabafou... – Nadila está com leucemia! _Doutor Carlos ficou boquiaberto. –Meu Deus do céu! Quando ela descobriu isso? –Já faz algum tempo. Ela começou a sentir os sintomas, mas demorou em procurar ajuda médica, por medo, e também por vaidade. Ela conseguiu esconder isso de mim esse tempo todo! Eu percebia que ela ficava muito cansada, mas não me liguei que poderia estar doente. Sua doença piorou bastante por causa de sua negligência. Agora, ela está fazendo um tratamento muito agressivo em São Paulo, e o estado de saúde dela é grave. A família está desesperada atrás de um doador de medula óssea, mas até agora não conseguiu arrumar ninguém. Roberto disse que ela não queria me contar, porque o seu amor é tão grande, que ela jamais gostaria de me ver triste! _ Hor não agüentou e desabou em lágrimas. –Me sinto tão culpado! Eu sempre a julguei de modo tão errado! _ Doutor Carlos deu um abraço no rapaz. –Diga a Nadila para vir se tratar em Florianópolis, e que cuidarei dela pessoalmente. Farei de tudo para salvá-la! Vou trabalhar no caso dela, como se eu estivesse cuidando de minha própria filha! Além do mais, é necessário que ela esteja próxima às
  • 147. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 147 pessoas que tanto ama, pois isso ajudará no tratamento. _Hor enxugou um pouco suas lágrimas e perguntou... –Tio Carlos, será que eu tenho o poder de cura que o meu pai tinha? Doutor Carlos prosseguiu... –Eu não sei te responder Hor. E mesmo que você o possua, não saberia lhe dizer como usá-lo! _ Hor ficou pensativo, e com uma repentina expressão de otimismo em seu rosto, falou... –Eu pensei numa solução... Faça um teste de medula óssea comigo para ver se a minha é compatível com a dela! _ Hor melhorou sua expressão a olhos vistos. Doutor Carlos expressou certa preocupação de disse... –Hor, você sabe que não podemos fazer isso! O seu sangue e o seu código genético não são humanos! Isso levantaria questões que poderiam deixar você sem sossego pro resto da vida! _Hor insistiu... –Mas é você quem vai cuidar dela! Você pode camuflar muita coisa dentro do hospital! Se eu tenho super poderes, tenho certeza que a minha medula poderá salvá-la. Doutor Carlos continuou... –Hor, preste atenção... Eu quero a cura de Nadila, tanto quanto você! O teu sangue e a tua medula estão lotados com DNA de escorpiões. E se de repente ao invés de a curarmos, pioramos a situação? _Desta vez, o rapaz demonstrou certo nervosismo... –Preste atenção tio Carlos! Eu acredito muito na sua competência, mas os melhores especialistas de São Paulo já decretaram que ela tem pouco tempo de vida! O caso dela é gravíssimo! Na verdade, Roberto me disse que não há mais nada que possa ser feito! Pelo amor de Deus! Vamos tentar fazer isso, eu te imploro! Prefiro que ela morra tentando tudo o que for possível para salvá-la, do que pelo sofrimento desta
  • 148. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 148 maldita doença! _ Doutor Carlos ficou pensativo por alguns instantes... –Está bem rapaz! Levante dessa cama agora! Vamos ao hospital. Vou coletar a sua medula e fazer alguns testes. Seja o que Deus quiser! _ Hor pulou eufórico da cama e abraçou o médico. –Eu sabia que podia contar com você, pai! _Doutor Carlos sentiu uma profunda emoção... Pela primeira vez na vida, Hor o chamou de pai. Ao mesmo tempo sentiu uma tristeza ao se lembrar de Osorkon, pois jamais pensou em tomar o seu lugar. nquanto isso no Egito... Apesar das duras provas que sofreu ao longo dos últimos anos, Sahathor conseguiu cumprir bem sua missão de mestre Waja-Hur. Inconformado com a morte da esposa e com o estado de sua bela filha Nait, que passou a viver na cadeira de rodas desde o trágico acidente, procurou ser leal ao seu juramento de mestre. Nait formou-se em direito, e trabalhava como promotora no tribunal do Cairo. Após longos anos de depressão, aliado à frustração de saber que não poderia realizar o sonho de ser bailarina, a garota dedicou-se aos estudos com afinco. Nait era uma excelente promotora, e não havia advogado que conseguisse defender um criminoso quando ela atuava. Seus argumentos e habilidades eram brilhantes. Não importava o juiz ou o júri... Quando ela argumentava, todos ficavam convencidos. Por mais poderoso ou rico que fosse o acusado, se ele tivesse cometido o crime, acabava preso. Naquela tarde de quarta-feira, Nait estava em casa estudando um processo, quando o telefone tocou... Era Huni. –Olá Nait, como vai você? –Vou levando a vida como posso senhor E
  • 149. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 149 Huni... E o senhor? Está bem? –Sim!Graças ao deus Rá, criador de tudo! Eu gostaria de conversar com o seu pai, ele está? –Papai deu uma saída, mas creio que voltará logo. O senhor prefere ligar mais tarde ou quer deixar algum recado? _Doutor Huni refletiu por alguns segundos... –Diga a Sahathor para vir à minha casa hoje à noite. Eu preciso conversar urgentemente com ele! –Pode ficar tranqüilo que eu o avisarei senhor Huni! –Obrigado querida, até logo! –Não por isso senhor Huni, até logo! _Huni estava ansioso à espera de Sahathor. Os ponteiros do relógio indicavam 19h30min. O velho mestre o esperava com muita ansiedade, até o momento em que a campainha tocou... Huni abriu a porta e deu um abraço no amigo. –Que bom que você veio, Sahathor! –Como vai Huni? Eu saí de casa assim que Nait me comunicou o seu recado. Ela me disse que era urgente! Confesso que estou preocupado... _Huni pediu a Sahathor que sentasse. –Chegou o momento Sahathor. Você já pode cumprir a sua missão. O novo Rudamon já está preparado! _Huni entregou-lhe um papel... -Aqui está o endereço de Hor no Brasil. Você deve procurá-lo o quanto antes, e entregar-lhe a máscara e o manuscrito. –Não seria melhor iniciarmos o rapaz no templo? _Perguntou Sahathor. Huni expressou preocupação em seu rosto. –Infelizmente, não haverá tempo para isso! Esta noite, eu tive um sonho profético onde o deus Osíris me alertou que uma sinistra energia do mal está pairando o planeta. Temos que entregar a máscara ao herdeiro de Osorkon o quanto antes. Estou quase certo de que o rapaz já deva saber que seu pai foi Rudamon! O mais importante, é que ele tome ciência do conteúdo do
  • 150. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 150 manuscrito, a fim de saber usar os poderes da máscara. _ Sahathor ficou pensativo... –Sabe Huni, eu descobri ao longo de todos estes anos, que sou mais forte do que pensava! O senhor já imagina por experiência própria, a dor que eu passei até agora! Fiquei viúvo e tive que criar minha filha que sonhava ser bailarina, numa cadeira de rodas! Passei mais tempo vendendo bugigangas para ganhar a vida, do que empregado! Fora as ameaças diárias de Seth em meus pesadelos! Ainda bem que chegou o momento de me livrar deste fardo! _Huni esboçou um sorriso de solidariedade. – Você está de parabéns Sahathor! Mas eu devo adverti-lo que a máscara ainda não foi entregue, e que as forças do mal costumam ser muito sutis, quando uma missão de Luz está preste a ser cumprida. Lembre-se que você tem um cajado, e somente você poderá descobrir como usá-lo! _Huni retirou um envelope do bolso, em seguida, entregou-o a Sahathor. – Eu sei que você tem enfrentado dificuldades financeiras. Faço questão de contribuir de certa forma nesta missão, e não aceito recusa. Neste envelope, há uma quantia suficiente para sua viagem e hospedagem. _Os olhos de Sahathor lacrimejaram. –Obrigado meu mestre! Que Rá recompense sua generosidade! Eu iria pedir o dinheiro emprestado à minha filha, e estava um pouco constrangido com isso. _ Huni expressou alegria no olhar. –Você merece Sahathor! Demonstrou coragem e lealdade diante dos obstáculos! Além do mais, carregas o destino do mundo em suas mãos! Mesmo que eu lhe desse toda a minha fortuna, seria pouco! Depois que Hor tomar posse de sua máscara, o mal será derrotado para sempre! Eu o aconselho pegar o primeiro vôo para o
  • 151. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 151 Brasil, amanhã bem cedo! _Huni convidou Sahathor para jantar. entro de sua cela, num presídio de segurança máxima do Egito, um homem mal encarado reclamava... – Maldita promotora! Estou aqui por causa daquela desgraçada! Os meus negócios estão todos atrasados por culpa daquela ordinária! _De repente, uma forte tempestade surge do nada... Trovões e relâmpagos envolvem todo o presídio... Seth surge diante do homem... Assustado, o homem pergunta gaguejando... –Quem é você? _Após um horripilante uivo, Seth responde... –Quem sou eu? Isso não importa! O que importa é o que eu posso lhe oferecer... Mande os seus homens matarem a promotora, que eu tiro você dessa espelunca! _Após uma estridente gargalhada, Seth desapareceu. Imediatamente, o homem apanhou um celular que estava escondido debaixo de seu colchão e fez uma ligação... Enquanto isso, Nait estava em frente ao computador, concentrada nos processos de um político corrupto. A moça estava tão entretida, que nem pode perceber que o mal estava rondando a sua casa. O mafioso que foi condenado à sentença máxima na semana anterior, contratou cinco homens para matá-la, a fim de conseguir a sua liberdade prometida pelo deus Seth. Os homens conseguiram entrar sorrateiramente na casa de Sahathor. Nait foi abordada de surpresa, e não teve tempo nem de gritar. Os homens vedaram sua boca com fita isolante, em seguida, amarraram-na em sua própria cadeira de rodas. Depois de espalharem gasolina pela casa toda, riscaram D
  • 152. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 152 o fósforo e foram embora. A casa foi destruída pelo fogo. Seth surgiu diante das chamas, dando diabólicas gargalhadas. o dia seguinte, Sahathor não conseguiu sequer dizer uma única palavra. Enquanto os coveiros colocavam o caixão de sua filha no túmulo, seu olhar estava distante. Huni que passou a noite toda ao lado do amigo, não sabia o que falar. Depois que Nait foi enterrada, as pessoas começaram a ir embora lentamente. Huni foi o último a permanecer ao lado de Sahathor. O velho mestre retirou uma chave do bolso e entregou ao amigo. – Esta é a chave de uma casa que eu tenho e que está desocupada. Agora a casa é sua! Aconselho você a passar esta noite lá em casa! Não seria prudente você ficar sozinho neste estado. _Sahathor pegou a chave e olhou para Huni. Seu olhar esboçava um enorme vazio. -Eu te agradeço mais uma vez velho amigo! Mas eu preciso andar e pensar um pouco. Quero ficar sozinho por alguns instantes! –Tudo bem Sahathor. Faça como achar melhor. Nunca se esqueça que sempre poderá contar comigo. N
  • 153. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 153 _Em seguida, Huni foi embora. Sahathor ficou sozinho no cemitério, olhando a sepultura da filha, até adormecer... Um novo e terrível pesadelo o atormentou... Seth apareceu em meio às chamas do fogo do inferno, e segurou Sahathor pelo colarinho. Em seguida, com sua tenebrosa voz, bradou: - Eu não disse a você que iria se arrepender! Dedicou tua vida inteira a Rudamon, e o que recebestes? Dedicou tua vida inteira aos Waja-Hur, e o que ganhastes? Vivestes em condições precárias até hoje! Perdestes a oportunidade de ser feliz com a sua família! E o teu antigo mestre? Qual foi a única coisa que ele pôde dar? Um dinheiro para pagar a sua viagem? Uma casa para você morar de favor? Meus pêsames! Isso é ridículo! Eu poderia ter te dado muito mais, desde o início! Mas você preferiu ouvir aquele velho tolo! Eu te dei a chance de ser feliz, e você desperdiçou! Nós conseguimos destruir Rudamon duas vezes, e vamos destruir a terceira! Desta vez, será definitivo... Você não poderá fazer nada, e ainda ficará nesta miséria... Mas, para te provar que sou um deus generoso, te darei uma segunda chance! Alie-se a mim, que devolverei tua juventude e tua família de volta! Tornar- te-ei o homem mais rico de todo o Egito! Entregarei-te o cubo de ouro do tempo! Tu serás o senhor do tempo, e terás o poder de viajar através dele! Este poder trará sua família de volta! Se não aceitares a minha oferta, terminarás a vida como um pobre fracassado, que perdeu todos que amava e ainda terás que morar de favor na casa dos outros. Rudamon será destruído de qualquer jeito! Você não pode perder esta chance! Tu aceitas a minha oferta? _Sahathor ficou pensativo por alguns instantes, em seguida respondeu... –Sim, eu aceito!
  • 154. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 154 Sahathor sentiu muito frio e despertou. Quando olhou a sua volta, notou que havia adormecido no cemitério. De repente, um homem surgiu diante dele. O homem estava vestido como os antepassados egípcios dos livros de história, e segurava uma máscara faraônica de ouro em uma das mãos, e um cubo de ouro na outra. Em sua cintura, havia um manuscrito enrolado num papiro. O homem fitou Sahathor e falou... –Sou Serapion! Fiz uma viajem através do tempo para lhe entregar duas coisas!Estou aqui a mando do deus Seth, para designar- lhe uma missão. Se tu fores bem sucedido nesta missão, terás tua mulher, tua filha e tua juventude de volta! Se falhares, Seth conduzirá as almas de Nyla e de Nait para as chamas do inferno de Apóphis! Presta bastante atenção nas instruções que eu vou lhe dar... nquanto isso em Florianópolis... Nadila já estava internada na capital de Santa Catarina. Hor estava ao seu lado, o tempo todo. A moça estava abatida, sem os cabelos e com profundas olheiras. –Você ainda me acha bonita? _Perguntou Nadila ao namorado. –Linda! Você é linda de qualquer maneira! Eu te amo! _ Respondeu Hor, ao apertar a mão da moça e olhá-la com muito amor. Neste exato momento, doutor Carlos entra no quarto eufórico. –Tenho boas notícias! A medula de Hor é compatível com a sua! Vamos fazer o transplante agora mesmo! _Um ambiente de alegria e otimismo tomou conta do quarto. Os enfermeiros chegaram ao quarto com a maca, Hor apertou a mão da namorada, olhou-a com muito amor e disse com convicção... –Você ficará bem meu amor! Algumas horas após o transplante, Doutor Carlos se dirigiu a Hor que estava ansioso no corredor de espera do hospital. –O E
  • 155. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 155 transplante foi um sucesso! _Hor deu um pulo de alegria e abraçou o médico, quase o derrubando no chão. Agora temos que esperar para ver a reação de Nadila! Acredito que dará tudo certo! Os dois foram felizes para casa. Naquela noite, Hor demorou um tempão para dormir. Na verdade, gostaria de estar no hospital, ao lado da namorada. No entanto, doutor Carlos recomendou que ele dormisse em casa, pois naquela noite, ela ficaria em observação. 2034... Seis anos depois... or entrou no consultório de doutor Carlos. O médico pediu para ele sentar e começou a falar... –Hor, meu garoto! Eu nunca vi uma coisa dessas em toda a minha carreira! _O que houve com Nadila tio Carlos? _Perguntou Hor preocupado... O médico prosseguiu... –Vou lhe contar resumidamente, porque eu preciso dividir isso com alguém, já que eu não posso comentar esse assunto com nenhum outro médico... _Hor ficou apreensivo... –O que aconteceu tio Carlos? _Doutor Carlos prosseguiu... – Pois bem... O transplante foi um sucesso, não houve rejeição. Nós comemoramos muito isso, há seis anos... Depois nós ficamos muito tristes porque, apesar de o transplante ter sido um sucesso, a doença não havia sido curada. Os exames sempre mostravam que Nadila estava piorando cada vez mais, o que nos deixava cada vez mais preocupados. Ao mesmo tempo, nós ficávamos intrigados pelo fato de que, apesar de tudo, Nadila sentia-se bem, e não apresentava mais nenhum H
  • 156. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 156 sintoma da doença... Na verdade Hor, a princípio, parecia que o transplante havia dado certo, mas ele não deu certo, e milagrosamente, embora a doença tivesse permanecido esse tempo todo com Nadila, não provocou a morte dela. Pela contagem de plaquetas e leucócitos de sua namorada, apresentada nos exames regulares, já era para ela estar clinicamente morta faz tempo... Ao longo desses anos todos, os exames mostraram que toda quimioterapia e radioterapia aplicadas em Nadila foram ineficazes para regredir a doença. O impressionante é que nem os efeitos colaterais do tratamento ela sentiu durante todo esse tempo. Apenas seus cabelos não estão crescendo, o que mexe muito com sua vaidade de leonina. _Hor e doutor Carlos deram risada. O médico prosseguiu... A boa notícia é que, pelos exames que foram feitos hoje, a doença começou a regredir... Estou com a nítida impressão que Nadila ficará curada... A má notícia, é que Nadila está geneticamente igual a você... Ou seja, o organismo dela possui DNA artrópode, mais especificamente, de escorpiões... O importante é que salvamos a vida dela, porque do jeito que a doença estava, Nadila certamente morreria... Mas eu estou bastante intrigado... _Hor e doutor Carlos ficaram alguns segundos pensativos, em silêncio... Logo após doutor Carlos falou... – Acredito que muito em breve Nadila terá alta do hospital! _Hor abriu um imenso sorriso. aquela noite, Hor demorou um tempão para dormir. Na verdade, gostaria de estar no hospital, ao lado da namorada. No entanto, doutor Carlos recomendouN
  • 157. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 157 que ele dormisse em casa, pois naquela noite, ela ficaria em observação. Depois de muito tempo, finalmente Hor adormeceu. A noite parecia tranqüila e serena, como há muito tempo não era. Aquele silêncio só foi quebrado às cinco horas e trinta e cinco minutos daquela manhã. Doutor Carlos acordou apavorado, com um grito assustador que veio do quarto de Hor. O médico foi rapidamente ao quarto do rapaz e acendeu a luz. –O que foi meu filho? -Meu peito e minhas costas estão ardendo muito! Tenho a sensação de ter sofrido uma grave queimadura. – Tire sua camiseta, Hor. _ Quando o rapaz tirou a camiseta, doutor Carlos não demonstrou muita surpresa e disse a Hor... –Quando você me falou que parecia ser uma grave queimadura no peito e nas costas, eu suspeitei imediatamente que poderia ser isso! Olhe o seu corpo no espelho! _Hor não ficou tão tranqüilo quanto o médico... –Que escorpiões são esses? Minha pele está em carne viva! Parece que foram feitos com ferro em brasa! _Doutor Carlos olhou para o rapaz e disse... –Lembra que você me perguntou sobre os seus poderes? –Sim! Por quê? – Estou desconfiado, que logo você saberá usá-los! _ Ainda diante do espelho, Hor tocou um dos escorpiões de seu peito, expressando uma expressão de dor. Ao mesmo tempo, seus
  • 158. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 158 olhos brilhavam com a possibilidade de adquirir super poderes e tornar-se um super herói, como o seu pai. 2034 (Parte 2) nquanto isso, no Egito... Sahathor, um pouco nervoso, ficou contemplando o manuscrito verdadeiro que deveria entregar a Hor, ao mesmo tempo em que contemplava o falso. Uma sensação de pesar tomou conta do mestre. –Será que estou fazendo a coisa certa? Este mundo está perdido mesmo... As forças do mal são muito poderosas! É uma utopia achar que podemos vencê-las! Pelo menos, terei a oportunidade de viver novamente com as pessoas que eu mais amei na vida! Mesmo que o mundo esteja em frangalhos, estarei ao lado de minha família! Em seguida, Sahathor levou o manuscrito verdadeiro para a cozinha, picotou-o dentro de uma lata de óleo vazia, jogou álcool por cima e colocou fogo. Depois de dar um suspiro que mesclava arrependimento com esperança, Sahathor foi à sala apanhar as duas maletas. O mestre guardou o manuscrito falso na maleta em que estava a máscara que foi entregue por Serapion. Na outra maleta, estava a máscara verdadeira. Sahathor foi até a casa de Huni para despedir-se... –Olá Sahathor! Como vai? _ Perguntou Huni com uma expressão de tristeza no olhar, pois sabia que o amigo estava quebrado por dentro. –Resolvi cumprir minha missão, velho amigo! Pegarei o vôo para o Brasil daqui duas horas. –Que bom que reagiu tão rápido! Eu confesso que estava preocupado com você... As forças do mal te deixaram E
  • 159. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 159 frágil, para poder persuadi-lo. Por um acaso você teve algum pesadelo, alguma proposta? _Sahathor tentou disfarçar sua expressão, pois não sabia mentir... –Não! Por incrível que pareça, Seth parou de entrar em contato. Por isso que eu quero ir logo ao Brasil, antes que ele resolva fazer isso. _Huni demonstrou um olhar de desconfiança. –Por que você está levando duas maletas? _Sahathor engasgou, mas tentou contornar a situação... –É justamente sobre isso que eu vim conversar com o senhor. Sabe, estou muito grato por toda a ajuda que me destes até agora... Fico até sem jeito, mas gostaria de pedir-lhe mais uma... –Por favor, não faça cerimônias! Sou teu amigo, e lhe darei a ajuda que precisares! _Respondeu Huni. –Eu pensei bastante, e cheguei à conclusão que faria muito bem para mim, passar uns quinze dias no Brasil. Eu fiquei sabendo que este país possui lugares muito bonitos, e eu gostaria de aproveitar esta oportunidade para conhecer alguns. Talvez essa viagem me ajude a superar a dor que estou sentindo. -Você tem toda razão! Aliás, vou te dar dinheiro para que fique por lá uns três meses! Eu também acredito que isso lhe fará bem! Quanto às atividades do templo, fique tranqüilo... Eu posso substituir você, até o seu regresso! Assim que voltares, te entregarei o anel do poder! Além do anel, prepararei uma surpresa que sei que irás gostar! _Huni lhe entregou uma maleta cheia de dinheiro. –Agora é a minha vez de lhe pedir um favor... –Diga mestre, o que quiseres! -Não se esqueças de contar a Hor aquele fato que aconteceu um dia antes de Osorkon nascer! Conte a ele sobre a morte de Osorkon. E mais uma coisa... Você já passou por
  • 160. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 160 provas insuportáveis! Aconteça o que acontecer, não ceda às forças do mal! Lembre-se que a lealdade, é a principal prova que os deuses esperam de um mestre! _Sahathor engoliu seco e desviou o olhar para o chão... –Está na hora de ir! Obrigado mestre! Jamais esquecerei o que fizestes por mim! _Huni abraçou o amigo, e pressentiu que algo estava estranho. Depois que fechou a porta, foi até o seu quarto sentar-se diante do altar. –Agora só me resta orar aos deuses!
  • 161. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 161 13° Capítulo O Mal se torna mais forte o aeroporto do Cairo, Asru entregou um pequeno pacote a Sabef, seu homem de confiança... -Chegou o momento, Sabef! Dentro deste pacote está a caixa que você deve entregar ao filho de Apóphis. Eu a coloquei num cordão para você leva-la no pescoço, desta forma, ela estará mais segura! Só tire ela do pescoço depois de entregá-la a Franz! Não se esqueça de reconhecer a marca do mal, antes de fazer isso. _Sabef colocou o cordão no pescoço... –Fique tranqüila, Asru! Assim que eu terminar a minha missão, retornarei imediatamente. –Assim eu espero Sabef. Não se esqueça de entregá-la na manhã em que Franz fizer aniversário! _Asru esperou o avião decolar, a fim de ter certeza que tudo estava dando certo. Enquanto isso em Florianópolis... Marcos e Paulo se dirigiam ao final do corredor do sanatório, a fim de buscar a maleta com a fórmula Manfred. –Vai ser hoje! Boa parte do nosso exército de carecas se reunirá numa fazenda localizada no interior do Rio Grande do Sul! Franz solicitou a fórmula Manfred que estava guardada com seus homens de confiança! Ele fará uma palestra sobre o nosso ataque e os dois mil carecas novos receberão a fórmula! Será uma espécie de ritual de batismo! _Disse Marcos. –Que gargalhadas são essas? _Perguntou Paulo. – É o doutor Berg! Desde que você mudou de período, eu me esqueci de te contar... Há sete anos ele não dorme e só fica dando gargalhadas. Já demos a ele N
  • 162. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 162 uma quantia de sedativos que fariam um elefante dormir por uma semana, e ele não dorme! Todo enfermeiro que é escalado para cuidar dele fica morrendo de medo. Geralmente vamos atendê-lo em três pessoas. Mas esta alegria vai acabar... Assim que a raça branca dominar o planeta, escravizaremos as outras raças e exterminaremos todos os seres humanos que não servem para a sociedade! Os loucos não servem para nada e só dão despesas! Vamos exterminar todos! Enquanto isso no hospital onde Nadila fez o transplante... – Nadila, você está quase recuperada! Acredito que terá alta em poucas semanas! _Disse doutor Carlos à namorada de Hor. – E Hor, onde está? _Perguntou a moça ansiosa. –Ele foi prestar um concurso público para professor de História. Hor já se preocupa em futuramente garantir um emprego mais estável, pois pretende se casar logo! _ Nadila deu um imenso sorriso. Fato número 5 No aeroporto de Florianópolis, um perigoso traficante de drogas carregava uma maleta com cinco quilos de cocaína. Ele estava ao lado de Sabef, que pedia informações no balcão sobre onde deveria se dirigir para apanhar um táxi. Neste meio tempo, Sabef colocou sua maleta no chão. O traficante notou que a polícia observava-o já há algum tempo, e que dois homens estavam indo a sua direção. Ao perceber que poderia ser apanhado, o homem trocou a sua maleta com a de Sabef, sem que ninguém percebesse, dirigindo-se a porta de
  • 163. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 163 saída do aeroporto. Os policiais deterem-no, e pediram-lhe para revista-lo. Este por sua vez, entregou a maleta aos policiais com muita tranqüilidade. Quando os mesmos viram que não havia nada dentro dela, resolveram revistar todas as pessoas que estavam no saguão do aeroporto. –Não é possível! A máquina detectou que havia cocaína numa daquelas malas! Fomos ao suspeito errado! Ninguém sairá deste aeroporto sem mostrar o que tem dentro das malas. _Disse um dos policiais. Depois da revista geral, Sabef foi condenado a dez anos de prisão, acusado por tráfico de drogas, caindo na mesma cela do cigano Hiago. Quando Asru recebeu o telefonema de Sabef, quase desmaiou de susto... – Fique calmo meu amigo! Darei um jeito de tirá-lo daí! Proteja a caixa a todo custo! Vou pensar numa forma de libertá-lo! Hor chegou cansado em casa, afinal, a prova do concurso foi muito difícil. Mas o cansaço não lhe abalava. O que ele realmente queria, era tomar um banho e ir ao Hospital visitar Nadila, ansioso para lhe entregar a aliança de noivado que comprara para fazer uma surpresa. Quando o rapaz estava pronto para ver a amada, a campainha tocou. Hor atendeu a porta, deparando-se com um homem que nunca tinha visto na vida. –O que o senhor deseja? _O homem que segurava duas maletas, aproximou-se do rapaz. –Como vai? O meu nome é Sahathor. Sou mestre da Ordem Secreta dos Waja-Hur. Sei tudo sobre o seu pai. Viajei do Egito até aqui para conversar com você. Posso entrar? _Hor ficou um pouco surpreso, e convidou Sahathor para entrar em sua casa. O filho de Osorkon foi buscar um suco na cozinha, para oferecer ao pobre homem que parecia estar cansado e abatido. –Estou
  • 164. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 164 curioso senhor Sahathor! Conte-me tudo! _Disse Hor ansioso. –Bem, meu rapaz... Você já deve ter percebido que é diferente dos outros seres humanos. –Sim, mas já sei por quê. Meu pai foi Rudamon! –Exato! O que ninguém sabe, é que Rudamon morreu em combate com Disebek. Seu pai sacrificou a própria vida para salvar a humanidade! _Os olhos de Hor se encheram de lágrimas. Sahathor continuou... –O meu mestre comandava a escola Waja-Hur quando o seu pai era vivo. –Por acaso não é tal de Huni? _Perguntou Hor. – Sim! O senhor Huni! –O meu tio Carlos chegou a comentar algo a respeito dele. –Pois então... Ele me pediu para lhe contar algo. Preste atenção... Enquanto isso, no Rio Grande do Sul... Franz havia improvisado um palanque na fazenda que herdou de seu pai. Os trinta mil neonazistas que puderam comparecer estavam ansiosos. Franz subiu no palanque e pegou o microfone do potente autofalante... –Salve meus irmãos puros da raça ariana! _Franz fez a saudação nazista batendo a mão direita no peito e estendendo-a a todos, que lhe responderam da mesma maneira.
  • 165. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 165 –Hoje é uma data muito especial! Há quase um século, nosso querido “Fürer” tentou transformar este planeta num lugar decente, e não conseguiu! Por causa da ignorância de algumas pessoas, nosso mestre Adolf Hitler foi prejudicado! Tivemos anos de problemas por conta disso! Milhares de arianos ficaram desempregados! O mundo ficou nojento e asqueroso! É você andar pelas ruas, e encontrar homossexuais, travestis, negros, judeus, ciganos e mestiços por todos os lados! A sociedade sustenta criminosos e doentes mentais com o nosso dinheiro! Temos que exterminar todos aqueles que não forem úteis! Enquanto muitos de vocês estão sem trabalho, pessoas de raças inferiores estão desfilando pelas ruas com o carro do ano! Vivemos numa verdadeira Sodoma e Gomorra! Mas isso vai acabar! Vamos escravizar todas as raças que não forem puras! Vamos aniquilar todos os seres humanos que não
  • 166. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 166 forem úteis! Daremos início a uma nova Era! Meu pai, o saudoso doutor Manfred, está morto hoje por culpa de um cigano asqueroso! Os ciganos são vagabundos e não merecem nem a escravidão! Decreto, portanto, que exterminaremos todos eles da face da terra! Eles serão exterminados ao lado dos homossexuais, e das pessoas que serão incapazes de nos servir! Os negros, judeus, mestiços e amarelos trabalharão para o conforto de nossa raça! Aqueles que se opuserem serão eliminados! Eu comandarei todos os neonazistas do mundo inteiro! Ao longo dos últimos anos, milhares de campos de concentração foram construídos em fazendas como esta, em vários países do globo! Conseguimos nos organizar de forma inteligente e precisa, sem levantarmos suspeitas! Hoje temos um exército invencível graças à fórmula que meu pai inventou! Vamos aplicar a fórmula Manfred nos dois mil novos soldados que ganhamos no dia de hoje! A fórmula levará alguns anos para fazer efeito, por isso colocaremos estes dois mil homens no setor burocrático de nossa organização! Enquanto isso na casa de Hor, Sahathor acabara de ir embora. O herdeiro de Osorkon ficou vislumbrado com tudo o que acabara de ouvir. Levou a máscara e o manuscrito ao seu quarto, abriu a pequena caixa das alianças que comprara e fitou-as por um longo tempo... –Quero só ver a cara da Nadila quando ver essas alianças!_ Pensou consigo mesmo. Quando Hor se dirigiu a porta, o telefone tocou. O rapaz até pensou
  • 167. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 167 em sair de casa sem atendê-lo, mas no final acabou atendendo... –Por favor, eu gostaria de falar com Hor?_ O rapaz percebeu que o homem que estava do outro lado da linha tinha um sotaque egípcio, mas não era Sahathor. –O senhor está falando com o próprio! Quem deseja? –O meu nome é Huni, estou telefonando do Egito para saber se você já recebeu a máscara e o manuscrito? –Sim! O senhor Sahathor acabou de sair da minha casa, e eu acabei de guardá-los em meu quarto. –Por favor, rapaz, eu gostaria que você desse o máximo da sua atenção ao material que lhe entregamos, pois o assunto é sério! A salvação do planeta está em suas mãos! Você deve ler o manuscrito e colocar aquela máscara o quanto antes! Não negligencie isso, pois poderá ser perigoso! –Eu escondi bem o material senhor Huni. Eu tenho que dar uma saída urgente, pois preciso ver a minha namorada no hospital. Ela estava com leucemia e logo terá alta! –Nossa meu rapaz, que tragédia! Mas ela está bem? –Eu acredito que sim! Ainda mais que doei a minha medula para ela, e a operação foi um sucesso! _Quando Huni ouviu aquilo, ficou boquiaberto e sem falar por alguns instantes... –Alô? Senhor Huni? Ainda está na linha?_ Perguntou Hor. Huni respirou fundo e tentou continuar o assunto... –Que bom meu rapaz! Acredito que o poder de cura que há em seu ser, curará sua namorada eficazmente! –Foi o que pensei! Por isso que insisti com o meu tio para fazermos essa tentativa, pois foi a única alternativa que nos restou! -Por favor, Hor, anote o
  • 168. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 168 número do meu telefone e do meu celular! _Hor pegou um pedaço de papel e uma caneta, e anotou o telefone do mestre. -Não hesite em me telefonar caso precise de algo. Aconselho você a fazer a leitura do manuscrito e a colocar a máscara hoje mesmo! –Pode ficar tranqüilo senhor Huni! Assim que eu chegar do hospital, farei isso. Outra coisa... O correto seria você receber essa máscara através de uma iniciação em templo, pois vários mistérios sobre os seus poderes seriam mais bem esclarecidos... Mas precisamos lhe conferir a máscara nessas condições por uma série de fatores. Preste bem atenção numa coisa que eu vou lhe dizer... Qualquer sonho que você tiver, caso você ache significativo, anote logo depois que acordar. Pelo fato de você não ter feito a iniciação de posse da máscara, alguns mistérios muito importantes lhe serão revelados de forma onírica. Vou lhe dar uma dica para que você se lembre melhor dos seus sonhos: concentre-se na base de sua nuca. –Boa sorte em sua missão, rapaz! Você Será o novo Rudamon, a humanidade inteira precisa de você! –Obrigado! _ Huni desligou o telefone e respirou aliviado... –Que bom! O material já foi entregue! Sahathor conseguiu vencer as forças do mal! Agora, em relação aquele transplante... _Huni colocou a mão no queixo e ficou pensativo... –Então o manuscrito da coroa de Ísis tem fundamento... Será que é isso? Israel que se prepare...
  • 169. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 169 Enquanto isso, em frente ao sanatório... A repórter da televisão local falava ao vivo diante das câmeras. –Hoje aconteceu uma tragédia no hospital psiquiátrico de Florianópolis! O famoso cientista doutor Berg, que se encontrava internado há vinte e cinco anos, conseguiu sair de seu quarto e matou quatro enfermeiros e dois médicos que tentaram impedir a sua fuga. As câmeras de circuito interno do hospital mostraram que o cientista possui uma força descomunal. Os quatro enfermeiros que eram bastante fortes tentaram segura-lo ao mesmo tempo, mas não conseguiram detê-lo. A polícia está atrás do cientista, que representa um enorme perigo para a sociedade. Se alguém encontrá-lo pelas ruas, favor comunicar a polícia imediatamente. Enquanto isso na Universidade de Florianópolis... Roberto fazia os testes no teletransportador humano que estava desenvolvendo, afinal, o teletransportador de objetos estaria no mercado em alguns meses. Ao saber que sua irmã estava fora de perigo, o cientista retomou suas pesquisas com afinco. De repente, o seu auxiliar chega com o tão esperado lanche... –Roberto, você não sabe da maior! –O que aconteceu? –Você se lembra do famoso cientista que ficou louco, o doutor Berg? –Sim! Ele é uma lenda aqui em Santa Catarina! –Pois é meu amigo... Se ele já era uma lenda, agora então... –O que aconteceu? Fala logo! –Ele escapou do sanatório e matou quatro enfermeiros e dois médicos! O homem está solto pelas ruas e é um perigo para a segurança pública! Parece que ele tem uma força descomunal! –Será que aquelas misturas químicas que ele inventou há vinte e cinco anos atrás só fizeram efeito agora? –É bem provável...
  • 170. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 170 De volta à fazenda no interior do Rio Grande do Sul... Um enorme alvoroço tomou conta de todos. O que teria matado aqueles cem carecas? Milhares de neonazistas aplicaram a fórmula e nunca tinha ocorrido algo como aquele. Aqueles homens morreram lentamente, gritando como ratos que acabaram de ser envenenados. Franz estava furioso e pediu a seus homens que investigassem o ocorrido. Não demorou muito para descobrirem que as ampolas assassinas estavam na maleta de Marcos. O enfermeiro neonazista foi chamado para conversar com o líder... –Franz, eu te juro, não sei o que aconteceu! A maleta com as ampolas ficou escondida todos esses anos no sanatório! Eu posso te garantir que ninguém mexeu nela! _Franz olhou Marcos de cima a baixo... –Por que só aconteceu isso com as ampolas que você guardou? Esta história está mal contada! Você tem apenas uma semana para me dar uma explicação satisfatória, entendeu? –Pode deixar comigo Franz! Se foram as minhas ampolas que mataram estes homens, tentarei encontrar uma explicação para isso! _Em seguida, Marcos se retirou. Franz subiu no palanque e retomou as rédeas da situação. –Atenção homens do exército ariano! O que ocorreu aqui foi uma sabotagem! Algum espião trocou as ampolas para nos boicotar! Isso não ficará assim! Vamos investigar o caso, e quando descobrirmos quem foi o assassino puniremos com a morte! Esperamos vários anos por este dia especial! A raça branca dominará o mundo! –Hi, Hitler! _Franz fez a saudação nazista e o coro de trinta mil vozes respondeu o gesto em uníssono. –Hi Hitler! Franz repetiu a saudação mais duas vezes, em seguida, encheu os pulmões e bradou... -Atacar!
  • 171. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 171 Enquanto isso, no laboratório de pesquisas de Roberto... O cientista já havia dispensado o seu ajudante e estava arrumando suas coisas para ir embora. Quando de repente, levou um grande susto ao notar que doutor Berg estava parado diante da porta. A impressão que teve, foi a de que o cientista louco já estava lhe observando há alguns minutos. Roberto gaguejou um pouco, mas conseguiu falar... –Como o senhor entrou aqui? _Doutor Berg foi se aproximando lentamente de Roberto... –Não importa como eu entrei aqui! O que importa é o porquê eu entrei aqui! Roberto sentiu um enorme calafrio com a aproximação daquele homem. –E por que o senhor entrou aqui? _Doutor Berg deu uma estridente gargalhada. –Você está com medo de mim, não é? Você pensa que eu sou louco, mas eu não sou! –E por que o senhor matou aqueles homens no sanatório? –Eles não me deram alternativa! Eu precisava vir falar com você, mas eles não queriam deixar! –Falar comigo? Que assunto eu teria para conversar com o senhor? –Eu li tudo a respeito sobre o projeto de seu teletransportador humano, e gostaria de saber se ele já está pronto! –Como o senhor leu? –No sanatório eles dão jornais e livros para os loucos intelectuais! _Doutor Berg deu mais uma gargalhada, desta vez, sarcástica. –Vamos direto ao assunto, Roberto! Eu tenho milhões de dólares numa conta na Suíça, que graças a Deus não revelei a ninguém da minha família, senão já teriam esvaziado. Eu quero que você me venda o teletransportador humano. –Escute doutor Berg, o tele transportador humano ainda está em fase de teste, sua utilização não é segura! Quando ele estiver no mercado, o senhor poderá adquiri-lo a baixo custo, sem se desfazer de
  • 172. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 172 seus milhões! _Doutor Berg retirou uma ampola do bolso e mostrou-a a Roberto... –Você sabe o que é isso? –Não! –A verdadeira fórmula que confere superpoderes a um ser humano! Eu a criei há vinte e cinco anos atrás! Ainda bem que ninguém descobriu o meu esconderijo! –Essa é a fórmula que o senhor aplicou em si mesmo? –Exatamente! Só que ela é muito mais poderosa... Todos pensaram que eu fiquei louco, mas eu não fiquei! Eu nunca mais precisei dormir! Eu sempre fingia que dormia para colher as informações que eu precisava! Minha audição e minha inteligência ficaram bastante aguçadas! Eu trouxe minha fórmula para lhe dar de presente, pois eu sei que irá precisar! –Desculpe senhor Berg, mas eu não estou interessado em adquirir superpoderes! - Aceite meu rapaz! Os nazistas estão de volta e querem dominar o mundo! Você precisará de minha fórmula para se proteger! Eu descobri dois enfermeiros nazistas no hospital... Um deles escondeu uma maleta com cem ampolas da fórmula do doutor Manfred, que conferiam superpoderes. Eu roubei as ampolas e apliquei-as no meu corpo! Realmente estou mais forte e me sinto indestrutível! _Doutor Berg parou de falar e caiu na gargalhada. –Eu troquei as ampolas daqueles miseráveis, por veneno de rato! A esta altura, o exército nazista já teve uma baixa de cem homens! Proteja a sua raça Roberto! Aplique a minha fórmula em você, antes que seja tarde. Vou te contar um segredinho... Esta fórmula que estou lhe dando é dez vezes mais potente à que tomei! Ela pode te dar uma força que ainda não conhecemos! _Roberto pensou consigo mesmo... –Esse homem é completamente louco! Preciso fingir que estou fazendo o jogo dele. _ Após refletir um pouco falou... –Está bem! Me entregue a ampola que
  • 173. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 173 amanhã mesmo eu vou aplicá-la! Agora acho melhor o senhor sair daqui, porque acho que os nazistas estão por perto! _Doutor Berg demonstrou uma expressão de preocupação... – Os nazistas! Malditos nazistas! Vou embora sim, meu rapaz! Você também deve tomar cuidado! Quando seu teletransportador humano estiver pronto, eu virei buscá-lo! Até mais! _Depois que doutor Berg saiu do laboratório, Roberto ligou para a polícia e guardou a fórmula na gaveta da escrivaninha, com o intuito de entregá-la aos químicos da Universidade no dia seguinte. Hor chegou ao hospital e ficou muito feliz ao ver Nadila conversando e rindo junto de doutor Carlos. O rapaz entrou no quarto com um ramo de rosas, beijou a namorada pedindo- lhe para fechar os olhos e estender as mãos. Quando Nadila viu a caixinha das alianças, explodiu de alegria. –São lindas meu amor! Eu te amo!_ A moça abraçou Hor emocionada. Doutor Carlos parabenizou o casal. –Bem Nadila... Como seu sogro vou te dar outro presente. Amanhã você terá alta e poderá ir ao aniversário de Hor. _Nadila chorou de alegria. Roberto passaria aquela noite com a irmã, Hor e doutor Carlos foram para casa. No caminho, Hor contou ao tio que recebera a visita de Sahathor, e falou sobre a morte de seu pai. Doutor Carlos ficou muito triste, pois tinha uma pequena esperança de rever o amigo. A certeza sobre a morte de Osorkon o deixou cabisbaixo. Quando Hor chegou em casa, foi direto ao seu quarto para ler o manuscrito e colocar a máscara.
  • 174. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 174 14° Capítulo As sementes do mal o dia seguinte, Roberto deixou Nadila na casa de Hor e foi para a Universidade. Quando chegou ao laboratório, se lembrou da fórmula do cientista maluco, e retirou a ampola da gaveta para levá-la ao departamento de química. Roberto colocou-a numa caixinha e a pôs no bolso. Quando o cientista se dirigiu a porta, foi surpreendido por Franz e mais quatro carecas. –Como vai crioulo? _Perguntou Franz em tom de deboche. Quando Roberto viu aqueles cinco neonazistas em seu laboratório, lembrou-se na mesma hora, das palavras ditas por doutor Berg, em relação a um “provável” ataque dos nazistas. Franz continuou... –Viemos lhe fazer uma visita acadêmica, pois você tem duas informações que nos interessam! _Roberto ficou muito preocupado com aquela situação, e sabia que não tinha muito que fazer naquele instante. O cientista tentou ser diplomático e mostrar segurança. –Por favor, rapazes, podem sentar-se e fiquem à vontade. Ajudarei no que for possível. _Franz olhou para os amigos e deu uma gargalhada. –Olhem! O cientista crioulo é educado! Eu não sabia que no zoológico eles ensinavam boas maneiras! _Todos deram risada. Roberto começou a sentir mais medo. Franz continuou... –Escute aqui negrinho, eu não vim até aqui para trocar melindres com você. Serei bem objetivo, e se eu não conseguir sair deste lugar com as coisas que eu vim buscar, você sairá daqui morto ou numa cadeira de rodas, N
  • 175. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 175 entendeu?_Roberto acenou com a cabeça, demonstrando muito medo no olhar. –Vamos direto ao assunto. Onde estão as armas de destruição em massa do continente africano? Quero a localização exata! Também quero que você me ensine a desbloquear a segurança da engenhoca que você inventou para guardar aquelas armas! _Roberto se exaltou... – Eu não darei estas informações nem que me matem! Vocês podem me torturar por horas, que eu nunca diria isso a vocês! Jamais entregaria uma informação dessas para uns racistas doentes como vocês! _Franz ficou impaciente e segurou Roberto pelo colarinho. –Foi você quem pediu crioulo! Rapazes! Destruam tudo o que encontrarem neste laboratório e depois torturem esse desgraçado por várias horas! Ele vai ter que nos contar. _Franz deu uma cabeçada no nariz de Roberto, e jogou-o no chão. Quando o cientista caiu, Franz desferiu-lhe três pontapés no estômago. De repente o celular de Franz tocou... –Alô? Olá Paulo, como vai? Maravilha! Então você conseguiu descobrir o local onde está o acampamento daquele cigano desgraçado! Vou deixar os meus rapazes se divertindo aqui na faculdade e estou indo imediatamente aí. Quero 150 homens armados para ir comigo. Levem umas três filmadoras! Esta ação no acampamento eu vou querer filmar para posteridade. Em seguida, Franz deu risada e falou a seus homens... –Não tenham pressa! Vocês têm o dia todo para judiar desse negro. Se ele for muito durão e não quiser falar, tragam o pai dele e torturem o velho na frente dele! De qualquer jeito, ele vai ter que falar! Agora vou ter que sair, pois tenho uma vingança pessoal para começar!
  • 176. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 176 Franz e seu exército de 150 homens chegaram sorrateiramente ao acampamento dos familiares de Hiago. Os ciganos estavam numa cidade no interior de Curitiba. _Franz deu as ordens... –Eu vou querer uma verdadeira carnificina! Filmem tudo! Vocês devem espancar todos até a morte! As mulheres... Estuprem antes de matar! Queimem todos com vida! Quero uma filmadora exclusiva, no momento em que eu estiver fuzilando os pais de Hiago! Montem uma superprodução! Vamos atacar... Enquanto isso, doutor Berg entrou sorrateiramente numa casa onde todos haviam saído. O cientista ligou um computador e acessou sua conta na Suíça. Quando viu o histórico de sua conta, ficou chocado... –Não é possível! Minha conta está vazia! Algum desgraçado me roubou! Eu preciso de dinheiro! Só o dinheiro me dará o poder! Sem dinheiro, além de não progredir em minhas pesquisas, não poderei comprar o teletransportador humano! Os meus planos foram prejudicados! Ninguém teve dó de me roubar... A partir de agora, não terei dó de roubar ninguém! _Doutor Berg encontrou um taco de golfe na casa, pegou-o e saiu furioso pelas ruas.
  • 177. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 177 Doutor Berg Enquanto isso, Roberto era espancado covardemente em seu laboratório. Os quatros neonazistas responsáveis pelo interrogatório, já haviam quebrado e destruído quase tudo. Um deles encontrou os aparelhos de teste do teletransportador humano. -Vejam... O novo brinquedinho do crioulo... Vamos testar? _Roberto estava em frangalhos. Seus dentes estavam quebrados e o seu nariz sangrava muito. Mesmo assim, conseguiu falar. –Por favor, não mexam nisso! Os testes ainda não foram concluídos! Este aparelho ainda não é seguro para transportar seres vivos! _Disse o cientista ofegante. Um
  • 178. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 178 dos homens falou... –Muito bom que esse aparelho não seja seguro... Pois vamos usá-lo justamente em você! Ou você nos diz onde estão aquelas armas, ou transportaremos você para o inferno! _Roberto aproveitou um momento de distração daqueles homens, colocou a mão no bolso sorrateiramente, e retirou a caixinha onde colocara a ampola. Sem que ninguém percebesse, o cientista aplicou em si próprio a fórmula que doutor Berg havia lhe dado. Pensou consigo mesmo... –Pelo jeito, acho que vou morrer. Não tenho mais nada a perder. Vamos ver se esta fórmula funciona... _Roberto notou que não sentiu efeito algum. O cientista tentou alertar aqueles cruéis homens mais uma vez... –Vocês precisam ser mais racionais! Se usarem o aparelho, poderão causar uma desgraça aqui dentro! Todos nós poderemos morrer! _Um deles ironizou... –O negrinho sabe blefar... Como ele é inteligente... _Todos deram risada. Roberto insistiu... –Se vocês apertarem este botão, as moléculas de nossos corpos serão desintegradas! Haverá uma fusão celular de nossos corpos, e só um de nós continuará consciente. No caso, só eu sairei vivo da sala porque vocês estão apontando o aparelho para mim! Por favor! Eu estou falando sério! _ Os homens deram risada. O careca que estava com o aparelho na mão, apontou-o imediatamente para Roberto... –Sua última chance! Se não falar, eu aperto o botão e te mando para o inferno! _De repente, Roberto começou a ter uma forte convulsão e passou a se bater no chão. Os neonazistas ficaram um pouco assustados, pois a cena realmente foi impressionante. A boca
  • 179. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 179 de Roberto começou a espumar. O cientista gritava e esperneava como um louco. Um dos neonazistas falou... – Acho que o crioulo está baixando o santo! _De repente, Roberto se levantou do chão, pegou a mesa e jogou-a em direção dos homens. A mesa acertou um deles, que ficou esmagado contra a parede. Dois deles foram com tudo para cima do cientista. Roberto pegou os dois pelo pescoço, cada um com uma mão, e começou a asfixiá-los. Um deles retirou o revólver da cintura e disparou contra o cientista. As balas não surtiram nenhum efeito. O neonazista que deu os disparos olhou para o que segurava o teletransportador humano e bradou... –Aperte este botão logo! Anda! Dispare esta porcaria! O rapaz obedeceu ao comando. Um raio azul foi em direção de Roberto, que desapareceu na hora, junto com os dois carecas que estavam sendo estrangulados. O homem que restou ficou chocado. De repente, ele começou a sentir uma terrível dor no corpo, e notou que suas mãos e seus pés começaram a derreter, assim como todo o resto de seu corpo. O homem gritava de dor, mas ninguém podia acudi-lo. Uma ventania muito forte tomou conta do laboratório, e tudo o que estava lá dentro começou a desaparecer, até que o local explodiu. Um forte ciclone tomou conta de Florianópolis. Naquela noite, Hor, doutor Carlos, e Nadila, esperavam Roberto para a pequena festa de aniversário preparada para o filho de Osorkon. Nadila estava preocupada... –Meu irmão está demorando tanto! O que será que houve? Será que aconteceu algo com ele depois desse ciclone? _Hor tentou acalmá-la... –Não se preocupe meu amor! Pode ser que ele tenha descoberto algo novo em relação ao teletransportador
  • 180. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 180 humano e deve ter prolongado o seu tempo nas pesquisas! Vamos ver um pouco de televisão para esperá-lo! –Boa idéia! Está na hora dos noticiários! _Disse doutor Carlos ligando a televisão. Quando a apresentadora do telejornal começou a falar, todos ficaram pasmos com as notícias do dia. – Desgraça no interior de Curitiba! Cerca de cento e dez ciganos foram encontrados mortos com seus corpos carbonizados. Os assassinos deixaram uma bandeira nazista no local! O crime chocou o mundo! Os ciganos que foram mortos pertenciam ao famoso acampamento que fazia espetáculos por todo o Brasil Para quem não se lembra o cigano Hiago que assassinou três homens e foi condenado à prisão, pertencia ao mesmo. Os legistas afirmam que os ciganos foram torturados até a morte antes de serem carbonizados. Há sinais de estupros nas mulheres e nas crianças. A polícia recebeu a cópia de um DVD com as imagens da violência. Junto com o DVD, havia um bilhete com os dizeres: “Viva a raça Ariana! Fürer está vivo!”. Os crimes em Florianópolis não pararam por aí! A cidade vivenciou sete assaltos seguidos de morte. As câmeras mostraram que o assaltante trata-se do cientista que escapou do sanatório, doutor Berg! Ele invadiu sete lojas da cidade, munido com um taco de golfe. Doutor Berg matou todas as pessoas que se encontravam no interior das lojas golpeando- as com o seu taco de golfe, e esvaziou as caixas registradoras. O mais impressionante, é que alguns comerciantes que
  • 181. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 181 tinham armas, atiraram no cientista, mas as balas não fizeram efeito. Além das tragédias criminosas, hoje Florianópolis vivenciou uma catástrofe que poderia ser considerada natural, se os satélites tivessem registrado a origem da mesma. Trata-se de um furacão que se originou no interior da principal universidade do Estado. A origem do furacão partiu do laboratório do famoso pesquisador e cientista Roberto, inventor do teletransportador de objetos que estará no mercado dentro de alguns meses. A polícia e os bombeiros se dirigiram ao local, e não conseguiram explicar o que realmente ocorreu, pois o departamento inteiro onde Roberto trabalhava, desapareceu. O cientista também está desaparecido! _Nadila começou a chorar. Hor abraçou a noiva e pediu a doutor Carlos que fizesse a gentileza de pegar um copo d água. Antes de ir à cozinha, o médico cochichou no ouvido de Hor... –Se prepara... O mundo está precisando de você, Rudamon! _Hor ficou um pouco desnorteado, pois os poderes que o manuscrito lhe revelou, eram muito inferiores aos de seu pai. –Preciso pensar como usarei meus poderes! O duro é que só poderei usá-los daqui sete dias!_Pensou Hor consigo mesmo. Enquanto isso no presídio de Florianópolis... Após fechar o jornal Hiago chorava como um menino dentro da cela. – Minha família... Meu povo... Aqueles desgraçados que fizeram isso vão pagar caro! _Sabef tentou consolá-lo. – Agora não adianta você ficar desse jeito! Não poderá trazê- los de volta! Além disso, não tem como você sair daqui!
  • 182. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 182 _Ao lado de fora, a atmosfera do presídio estava aparentemente tranqüila. Os guardas, cada um no seu posto, viviam mais uma noite de trabalho. A alguns quarteirões, Franz olhava o relógio, ao lado do exército de 300 neonazistas que escalou para a missão seguinte. –Daqui exatos cinco minutos, todos os páreas da sociedade serão aniquilados do planeta!Nossos homens atacarão todos os presídios do mundo ao mesmo tempo! Lugar de bandido é no cemitério! Transformaremos todos os presídios do mundo em campos de concentração! Usaremos os presídios para prendermos e torturarmos todos os que forem contrários aos nossos ideais! Por isso, devemos esvaziá-los. Usem os maçaricos e as metralhadoras! Não destruam a estrutura do prédio, pois precisaremos dela! Certos seres humanos não precisam existir! Vamos destruí-los! Atacar! _O exército de Franz invadiu o presídio atirando em todos que viam pela frente. Os policiais que estavam na portaria não tiveram nem tempo de acionar o alarme. Enquanto os carecas metralhavam e queimavam os presidiários, Franz chamou dez homens para ajudá-lo a encontrar Hiago. Quando encontraram a cela onde o cigano estava, abriram-na imediatamente. Sabef reconheceu que aquele homem era o enviado de Apóphis, pelo fato de Franz estar sem camisa e pelo sinal que havia em seu corpo: parte da musculatura de seu abdômen assemelhava-se a uma serpente. Sabef olhou para Franz e disse... –Que bom que você está aqui! Eu vim do Egito especialmente para lhe entregar esta caixa!_Sabef segurou a pequena caixa que estava pendurada no seu
  • 183. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 183 pescoço, mostrando-a para Franz. Eu deveria entregá-la no seu aniversário, mas as circunstâncias me impediram de entregá-la na data correta! Guarde-a bem, que logo você receberá instruções de como usá-la! _Franz olhou para Sabef e franziu as sobrancelhas... –Você é louco? _Dito isso, Franz apontou a sua arma para a cabeça do egípcio, disparando um tiro em sua testa. Os neonazistas agarraram Hiago e começaram a espancá-lo. Depois de desferirem vários socos e pontapés no cigano, seguraram-no. Franz aproximou-se de Hiago com um MP4 na mão. –Você matou o meu pai, cigano imundo! Eu tive que assistir a cena! Agora, faço questão que você veja a morte de seus pais com os seus próprios olhos! Sua irmã era muito bonita! Eu conferi a ela momentos inesquecíveis de prazer, antes de queimá-la viva! Faço questão que você assista! Está tudo gravado! Franz forçou Hiago a assistir toda aquela atrocidade até o final. Um sorriso cruel surgiu em seu rosto, ao ver o sofrimento nos olhos do cigano. Quando a filmagem terminou, Franz ordenou... –Espanquem esse miserável até a morte! _Os carecas derrubaram o cigano no chão e chutaram-no covardemente. Franz olhou para o corpo de Sabef, retirando de seu pescoço o cordão que tinha a pequena caixa de cinco centímetros. Em seguida, pediu a seus homens que parassem de bater em Hiago. –Encontrei uma utilidade para o presente deste egípcio maluco! Façam o cigano engolir a caixa! Quero que ele morra asfixiado! Presente de aniversário adiantado... Filme a morte dele, que vou dar uma geral no presídio para ver como estão as coisas! Sem dúvida, este será o meu filme preferido! Os homens forçaram Hiago a engolir a caixa. Ninguém pôde ver
  • 184. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 184 o que se passou dentro da garganta do cigano. Os cruéis carecas filmavam e riam da cena. Hiago começou a ficar roxo por causa da falta de ar. Enquanto eles comemoravam a lenta morte do cigano, a tampa da caixa se abriu no interior das amídalas de Hiago, e uma espécie de pó amarelo saía e espalhava-se pela garganta e por todo o organismo do cigano. O pó amarelo se alastrava pela corrente sanguínea de Hiago, como as areias que se espalham pelo deserto, num dia de forte ventania. Finalmente, o cigano deu o último suspiro. –Pegue o corpo desse desgraçado e vamos levar para enterrarmos!Ordens de Franz!_Bradou um deles. –Vamos sair daqui! _Disse outro! Temos mais vagabundos para matar! ete dias depois, os jornais não falavam de outro assunto... –Os neonazistas estão dominando o mundo! Hoje faz uma semana que ocorreu um dos maiores massacres humanos da história! Milhões de presidiários foram mortos no mundo todo. Os policiais que tentaram impedir os neonazistas, também foram mortos. Vários muros do planeta foram pixados com os seguintes dizeres... “A limpeza do planeta começou!”. O terror não parou por aí! Ao longo da última semana, vários negros, judeus, mestiços, ciganos e homossexuais foram espancados até a morte, em centenas de cidades do mundo inteiro! Os governos de vários países desconfiam que o desaparecimento das armas nucleares que estavam escondidas no continente europeu, também pode ter uma ligação com os ataques neonazistas. Os exércitos estão preocupados, pois os soldados neonazistas parecem ser indestrutíveis! Os defensores dos direitos humanos estão horrorizados. Um deles comentou com nosso S
  • 185. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 185 jornalista: “A humanidade não pode reviver este terror! Alguém tem que fazer alguma coisa!”. O desabafo referiu-se ao holocausto ocorrido na 2ª Guerra Mundial. O mundo está vivendo uma sensação de terror e medo semelhante à vivenciada há quase um século, por causa da insanidade do ditador Adolf Hitler! Franz que assistia ao noticiário sorriu de maneira debochada e falou: “-Vocês ainda não viram nada!”. O líder neonazista desligou a televisão e foi dormir um pouco. Naquela noite, Franz teve um sono muito agitado, mas quando conseguiu pegar no sono, dormiu profundamente. Durante o seu repouso, Franz sonhou... Em seu sonho, encontrava-se num campo de guerra que estava sendo bombardeado. Ele estava amarrado em um poste, sem camisa. Dois oficiais nazistas traziam um ferro em brasa, cada um carregando o seu. Adolf Hitler acompanhava-os. O ditador olhou para Franz e falou... –Chegou o momento, meu filho! Vamos lhe colocar a marca do mal! Amanhã, quando você levantar, irá se lembrar quem é, e o porquê está no planeta! Em seguida, os dois soldados que carregavam os ferros em brasa, marcaram o peito de Franz com uma suástica de cada lado. Franz acordou com o peito ardendo, tirou o lençol que o cobria e admirou as suásticas que ainda cheiravam a carne queimada. Ao olhar para o lado, viu o bastão de ouro de Seth. O rapaz deu um sorriso diabólico e seus olhos ficaram vermelhos. –Que seja feita a vontade de Apóphis! _Disse Franz. Logo depois, emitiu uma macabra gargalhada. Na manhã seguinte, Franz foi atender à campainha. O rapaz viu pelo olho mágico da sala, um senhor que carregava duas
  • 186. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 186 maletas. Franz abriu a porta e convidou Sahathor a entrar, sem ao menos perguntar o seu nome. O mestre Waja-Hur sentiu um enorme desconforto ao entrar naquela casa. Uma enorme sensação de sufoco tomou conta do seu ser. O seu coração ficou apertado e a sensação de sentir um nó na garganta foi terrível. Sahathor tentou iniciar um diálogo... – Bom dia, eu sou... _Franz não deixou ele terminar de falar. – Eu sei quem você é! O Judas do século XXI! Me entregue esta máscara logo, antes que eu acabe com a sua vida, velhote! _ Sahathor ficou chocado com a falta de educação e estupidez de Franz, no entanto, atendeu ao pedido do rapaz, entregando-lhe a máscara faraônica de Rudamon. Franz colocou-a imediatamente. De repente, raios e ventanias rodearam a sala onde estavam. A máscara que brilhava com o ouro mais puro que existia no universo, começou a ficar escura, até pretejar. –Agora eu tenho o poder! Franz não existe mais! Sou Serpentus, o filho de Apóphis! _Bradou Franz dando outra gargalhada sarcástica. -Este foi o melhor presente de aniversário que eu ganhei na vida!
  • 187. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 187 Sahathor começou a se sentir mal e caiu no chão. O mestre Waja-Hur começou a ter espasmos e vomitou. De repente, ele notou que começaram a surgir escamas em seu corpo. Suas mãos e seus braços começaram a doer terrivelmente, transformando-se em duas serpentes. Sahathor teve uma sensação de que sua cabeça estava sendo esmagada. Na verdade, sua cabeça estava perdendo a forma humana tomando lentamente a forma da cabeça de uma cobra naja. Sahathor perguntou a Serpentus...
  • 188. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 188 –O que vocês fizeram comigo? _Serpentus respondeu com uma voz rouca e demoníaca... –Nós não fizemos nada! Você recebeu o castigo dos deuses, por ter traído o seu juramento! Não há nada que possamos fazer em relação a isso! Você é meu escravo e só poderá usar o cubo de ouro do tempo para me servir! Se me desobedecer, Serpentum, o Mestre do Tempo, conduzirá as almas de sua esposa e filha para o inferno! –Quando eu as terei de volta? –Você ainda pensa em tê-las novamente? Achas que tua esposa viveria ao teu lado, com esta aparência horrível que adquiristes? O que tua filha diria, ao saber que o próprio pai foi um traidor que entregou o mundo dela a Apóphis? No mínimo, iria preferir continuar morta! _ Sahathor ficou cabisbaixo e as lágrimas de arrependimento começaram a cair de seus olhos. –Seth prometeu que devolveria minha juventude, minha família e que me tornaria rico! _Serpentus deu uma sonora gargalhada. –E por que você acha que ele cumpriria a promessa? São os mortais que fazem promessas aos deuses, e não o contrário! Aliás, se você lembrar-se da conversa que teve, constatará que ele não lhe prometeu nada! Apenas falou... E palavras o vento leva! _Franz deu uma nova gargalhada e continuou... – Não tente fazer nenhuma gracinha, pois agora você é o meu escravo! Nada poderá destruir o cubo de ouro do tempo! Ele foi feito no inferno de Apóphis, para que Serpentum perseguisse o terceiro Rudamon através do tempo, caso precisasse. Somente Rudamon pode destruir o cubo de ouro do tempo! Mas para isso, ele teria que regressar ao dia 17/11/1975, e confiar a máscara novamente ao senhor Huni... Ele só poderá destruí-lo no Sol, se estiver sem a máscara!
  • 189. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 189 _Serpentus virou o rosto no sentido contrário a Sahator, sorriu maliciosamente e depois voltou a encará-lo. -Você sabe o que isso significa? Tudo começaria de novo, e daqui algum tempo, nós estaríamos novamente aqui! –Acredito que você não vai querer viver isso novamente, não é? Mas pensando bem, não há mais perigo de acontecer esse problema, pois Rudamon não poderá existir de novo! Eu estou com a máscara! _Sahathor engoliu seco. Franz prosseguiu... –A partir de agora, Sahathor não existe mais! Batizo-te como Naja, o Senhor do Tempo! Vou levá-lo até minha fazenda para você realizar sua primeira missão! Você viajará pelo tempo até a segunda guerra mundial, e me trará todos os exércitos nazistas, entendeu? Quero todos os batalhões, aviões, tanques e armas do terceiro reich em minha fazenda! Vamos até lá!Dito isso, Serpentus reassumiu a forma de Franz.
  • 190. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 190
  • 191. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 191 15° Capítulo Rudamon está de volta! Mas não parece o mesmo... arcos e os nazistas que mataram o cigano Hiago, foram convocados por Franz, para uma conversa séria. Franz dirigiu-se a Marcos... –Eu espero que você tenha descoberto o porquê daquelas ampolas terem matado aqueles cem homens! Estou esperando!_Marcos engoliu seco. –Franz, eu não posso lhe afirmar com certeza, mas é quase certo que o doutor Berg tenha aplicado essas fórmulas em si próprio, e depois deve ter trocado o conteúdo das ampolas por veneno de ratos. Eu acredito que ele deva ter escutado a conversa que eu tive com Paulo no dia em que eu levei a maleta de ampolas para escondê-la no sanatório. Eu fiquei sabendo que ele fugiu do hospital, matou alguns funcionários e está paraticando vários assaltos. Parece-me que ele está indestrutível!_Franz pegou Marcos pelo colarinho, levantou-o do chão e fez uma expressão furiosa. –Como você pôde ter sido tão idiota? Conversar um assunto destes, tão confidencial, perto de outra pessoa?_Com o rosto vermelho e quase asfixiado, Marcos respondeu engasgando. –Ele estava sedado Franz! Nós dávamos altas doses de sedativos a ele! Não havia a menor possibilidade de aquele maluco escutar a nossa conversa! Isso foi o que pensamos naquele dia... Mas hoje eu acredito que aquele judeu desgraçado fingiu estar sedado o tempo todo! _ Franz prosseguiu... –Escute aqui, seu imbecil... Se eu quisesse, eu poderia ir até lá acabar com esse judeu maldito agora mesmo!Mas foi você quem criou este monstro... Agora você deve destruí-lo! Isso M
  • 192. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 192 será um problema seu! Se ele não estiver morto até amanhã, eu destruirei você e ele pessoalmente! Não pense que você é tão indestrutível assim, pois eu sei como destruí-lo! O único que recebeu a verdadeira fórmula Manfred fui eu! O meu pai alterou as demais fórmulas para que eu fosse o mais forte, afinal, eu seria o líder! Todos vocês são vulneráveis na garganta, e mesmo que ousem colocar qualquer proteção na garganta e me enfrentarem, saiba que na minha fórmula os componentes conferiram o dobro de força física... Vocês não são páreos para mim... Será um prazer decepar a sua cabeça, se você não resolver esse problema! Aliás, se isso acontecer, vai servir de exemplo aos outros carecas que ousarem me desapontar... Agora saia daqui e vá matar aquele Judeu! _ Franz soltou Marcos que ficou um bom tempo tossindo e após fazer a saudação nazista disse. –Hi Hitler! _Logo que Marcos saiu, Franz dirigiu-se aos homens que mataram Hiago. –Eu preciso que vocês encontrem o corpo daquele cigano com urgência! Estão lembrados daquela caixa que vocês deram para ele engolir? Eu a quero de volta... Inteira! Outra coisa... Digam ao Paulo que o ataque na fábrica de teletransportador de objetos já pode ser feito! Vamos receber um enorme arsenal, e precisaremos teletransportá-lo para o mundo inteiro! Aí, poderemos dar início ao plano de conduzir os nossos futuros escravos para os mais modernos e sofisticados campos de concentração! Mexam-se! _Após conferir suas ordens, Franz dirigiu-se ao sótão de sua casa, onde Sahathor estava preso... –Naja, o Senhor do Tempo! Eu preciso que você cumpara mais uma ordem!
  • 193. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 193 Regresse ao ano a ao local em que Roberto escondeu as armas mais potentes de destruição em massa! Observe tudo de longe, e dê um jeito de trazê-las a mim, sem que ninguém o veja! Eu as quero em minha fazenda, o quanto antes! Vá logo! _Naja segurou o cubo de ouro do tempo com as duas mãos e desapareceu. Tempos Escuros s minorias étnicas eram caçadas pelas ruas, como animais. As forças armadas e a polícia do mundo inteiro, não tinham forças para conter os neonazistas. Aqueles que reagiam eram espancados até a morte. As pessoas contrárias à ideologia eram levadas aos presídios, onde recebiam torturas por várias horas. O mundo inteiro começou a viver um terrível holocausto global. Seres humanos voltaram a ser escravizados. As mulheres mais bonitas foram obrigadas a submeter-se aos prazeres dos cruéis neonazistas, tornando-se escravas do sexo. Vários sanatórios foram incendiados. Experiências científicas voltaram a ser feitas nos seres humanos. Mas algo começou a mudar... Campo de Concentração em Curitiba rezentos ciganos que foram capturados, estavam enfileirados junto com os homossexuais e com as pessoas que tinham síndrome de down. Os neonazistas fizeram uma gigantesca piscina com ácido sulfúrico, e o objetivo deles, era fazer os prisioneiros pularem na mesma, um de cada vez. A crueldade era tanta, que, o próximo da fila A T
  • 194. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 194 só poderia pular, após assistir ao que estava na frente, morrer diluindo-se no ácido. O desespero e o medo tomavam conta daqueles pobres seres humanos, que não podiam mais ter esperanças de sair daquela situação. De repente, surge Rudamon... O herói bradou com uma voz firme e estrondosa... –Soltem esses homens seus canalhas! A festa acabou! _Surpresos, os carecas olharam para o herói, apontaram suas metralhadoras e inutilmente começaram a metralhar Rudamon, que utilizou o raio de suas mãos para retirar as armas dos carecas e ao mesmo tempo começar a disparar o raio aguilhão de seus olhos contra os mesmos. Apesar dos homens terem recebido a fórmula Manfred, aquele raio sobrenatural fazia certo efeito em seus corpos. A dor que sentiam era muito forte. Rudamon não se contentou em fazê-los sentir dor. Por detrás da máscara, Hor sentiu um imenso prazer ao ver àqueles homens aos gritos. “A dor seria pouco para eles!” “Seria muito mais prazeroso, assistir aqueles nojentos provarem o próprio veneno” _pensou Hor. Rudamon usou o raio de suas mãos para levantar os neonazistas e arremessá-los na piscina de ácido sulfúrico. Hor percebeu que toda a vez que usava os seus raios, sentia um prazer semelhante ao uso de uma droga. E o seu prazer aumentava ainda mais, quando via o inimigo aos gritos de dor, derretendo lentamente no ácido sulfúrico. De repente um careca golpeou-o por trás, distraindo-o. Rudamon caiu ao chão e quando se deu conta, cinco carecas já estavam lhe desferindo uma saraivada de pontapés. Um deles pegou um
  • 195. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 195 imenso facão e tentou inutilmente cortar o pescoço do herói. Rudamon ficou furioso... O herói emitiu um campo de força ao seu redor e os neonazistas não conseguiram mais chutá-lo. Por detrás da máscara, Hor sentiu muito ódio da atitude daquele neonazista que tentou decapitá-lo. O herói levantou- se do chão, tomou o facão da mão do mesmo e disse... – Jamais erre contra alguém do signo de escorpião! A vingança quase sempre será instantânea!_ Rudamon desferiu um golpe de facão contra o pescoço do neonazista e viu a cabeça do mesmo cair ao chão. Ao perceber que o careca morreu, Rudamon decapitou os outros quatro neonazistas que estavam a sua volta. Nesse meio tempo, os neonazistas que Rudamon havia arremessado no ácido sulfúrico, começaram a sair da piscina como se ela fosse de água. Apesar de desfigurados, nada havia lhes acontecido, e pouco a pouco iam retomando sua aparência normal. Rudamon olhou todos os prisioneiros que estavam ao redor e bradou... – Perceberam? Eles são vulneráveis no pescoço! Vamos lutar juntos que eu dou cobertura! Peguem qualquer objeto que puderem e vamos atacar a garganta deles! _Naquele instante uma enorme batalha começou... Um dos ciganos disse para um dos prisioneiros... –Os neonazistas guardaram nossos facões naquela casinha de madeira._Dito isso, apontou para a casinha. -Vamos enfrentá-los com nossos facões... Nosso povo sabe manejar bem essas armas. Vocês ficarão dentro daquela casinha de madeira, protegendo os portadores de síndrome... Dez ciganos ficarão ao redor da casa para
  • 196. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 196 protegê-los!_O prisioneiro consentiu fazendo um gesto afirmativo com a cabeça. Rudamon lutava contra os carecas, emitindo seus raios e também decapitando todos os que se aproximavam para enfrentá-lo. Enquanto isso, aquele enorme contingente de prisioneiros dirigiu-se à casinha de madeira. Os ciganos apanharam seus facões e foram para o campo de batalha. Os demais prisioneiros entraram na casinha de madeira para se protegerem. Dez ciganos ficaram ao redor da mesma obedecendo às instruções. Rudamon criou um campo de força para proteger os ciganos, ao mesmo tempo em que utilizava o raio aguilhão de seus olhos, acertando as mãos dos neonazistas que sentiam muitas dores e largavam suas armas. Depois que estas caíam ao chão, Rudamon utilizava os raios de sua mão para arremessá-las bem longe. Na medida em que cada neonazista era desarmado, surgiam pelo menos uns três ciganos armados de facões indo a sua direção para decepar sua cabeça. Foi uma batalha sangrenta, demorada, mas que culminou com a vitória dos ciganos liderados por Rudamon. Cabeças e corpos estavam espalhados por toda a parte._Rudamon libertou todas as pessoas que ali estavam. Um dos ciganos falou... –Que bom que você voltou! Estava fazendo falta, sabia? Viva Rudamon! _Todos bradaram juntos e aplaudiram o herói. Por detrás da máscara, Hor sentiu-se envaidecido. O mesmo cigano que bradou, implorou... –Por misericórdia, Rudamon, ressuscite nossos homens que morreram durante a batalha... Ressuscite os prisioneiros que foram executados... Cure as nossas feridas!_Por detrás da máscara, Hor engoliu seco. Rudamon disse. –Sinto muito
  • 197. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 197 mesmo... Eu não posso mais ressuscitar os mortos e nem realizar curas... _O cigano expressou certa decepção no olhar. Por detrás da máscara Hor sentiu-se magoado, impotente, mas respirou fundo, fazendo Rudamon retomar seu tom de liderança... –Procurem esconder-se, mas preparem-se para lutar! Temos que nos unir para matarmos todos esses neonazistas miseráveis!Não sou mais onipresente!Tentarei ajudá-los da melhor maneira possível, mas tem coisas que não posso mais fazer como antes... _Todos ao redor olharam para Rudamon com as mais variadas expressões... Dúvida... Decepção... Medo... Frustração... Hor pensou consigo mesmo... “Que humilhação! Meu pai nunca passou vergonha usando essa máscara... Por que comigo tinha que ser assim?” Fechou os olhos, respirou fundo e retomou a fala de Rudamon... -Cada um deve fazer sua parte! O alvo para matá- los sempre deve ser o pescoço! _Em seguida, Rudamon desapareceu. Um dos ciganos comentou... –Há alguma coisa estranha com o Rudamon... Ficou mais de duas décadas desaparecido... Perdeu alguns poderes... Além do mais ele só usava os seus poderes para castigar os vilões... Eu não me lembro dele matando nenhum ser humano! _Outro cigano respondeu. –Você tem toda a razão! Mas esses carecas nojentos, não são seres humanos! Viva Rudamon!
  • 198. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 198 A Sinagoga o interior de uma sinagoga, no centro de São Paulo, vários judeus estavam atentos às palavras do rabino... –Nosso povo está vivendo um novo período triste de sua história! Precisamos ter muita fé no Eterno, pois novamente estamos sendo perseguidos!Não devemos temer esses homens cruéis que nos perseguem... O Talmude enfatiza a necessidade de se ter sempre o temor a Deus sobre nossas cabeças! Estamos vivendo um momento em que todos nós devemos utilizar nossos kipás não apenas em ocasiões solenes e de devoção... Devemos usar nossos kipás o dia inteiro, todos os dias, pois devemos temer a Deus em todos os momentos de nossas vidas! _De repente entra um grupo de cinqüenta neonazistas dentro da Sinagoga. O líder deles grita: - Acabou a festa, “judeuzada”! Chegou um poder muito maior que Deus! Eu quero todos vocês tirando os kipás dessas cabeças imundas, jogando-os no chão e pisando encima deles... Se não fizerem isso, com certeza constatarão que a nossa ira é muito maior que a ira de Deus!_Após terminar a fala, o líder neonazista caiu na gargalhada. O Rabino tentou dialogar calmamente... – Eu já sei que vocês vieram nos buscar. Vamos nos entregar N
  • 199. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 199 pacificamente... Eu só peço sua misericórdia para que reconsidere o que nos pediu... Nossa religião é sagrada... Por favor... Peço um pouco de respeito... _O líder neonazista esboçou uma expressão de pouco caso, aproximou-se do rabino, retirou um revólver da cintura, encostou o revólver na testa do rabino, acionou o gatilho e disse de forma sarcástica... –Respeite para ser respeitado! _Após terminar sua fala o líder neonazista atirou no rabino que caiu morto ao chão. Ao recolocar a arma na cintura ele bradou... –Rapazes! Quebrem tudo! Com muito vandalismo!Retirem os kipás das cabeças desses miseráveis e pisem encima!Amarrem todos eles! Hi Hitler! _O líder fez a saudação nazista e todos responderam. Em seguida alguns neonazistas começaram a pegar os bancos da Sinagoga, atirando-os contra os vitrais, quebrando-os e estilhaçando-os. Enormes cacos de vidro caíam ao chão. Outros neonazistas arrancavam os kipás dos judeus, jogavam no chão, cuspiam e pisavam encima dos mesmos, enquanto os judeus apanhavam covardemente com socos e pontapés. Depois que todos os judeus foram rendidos e amarrados dentro da sinagoga, o líder neonazista ordenou... –Coloquem estes animais no caminhão e levem-nos aos campos de concentração que estão nas fazendas no interior do Estado. –Tem muito serviço para eles fazerem lá! Matem os que resistirem! Vamos colocar fogo nesta espelunca religiosa!
  • 200. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 200 _De repente surge Rudamon bradando com sua voz firme e estrondosa... –Vou colocar fogo em sua língua, seu miserável! –É Rudamon! _Gritou um dos carecas. O neonazista que estava no comando bradou. –Vocês são indestrutíveis! Não tenham medo deste faraó idiota! Matem- no na pancada! Os neonazistas que ali estavam, dirigiram-se com toda a fúria em direção a Rudamon. O herói utilizou o raio aguilhão de seus olhos, acertando quatro ou cinco deles por vez. Cada homem que caía gritando de dor aumentava o prazer que Hor sentia dentro da máscara. Depois que todos ficaram um pouco fora de combate por causa da dor do raio aguilhão, Rudamon esperou que eles se levantassem e recobrassem um pouco suas forças. Logo que isso aconteceu e eles ameaçaram de ir para cima do herói novamente, Rudamon usou o raio de suas mãos para erguer todos os enormes cacos de vidro que estavam caídos no chão, arremessando-os, de uma só vez, e com muita violência, em direção aos pescoços dos neonazistas, decapitando-os simultaneamente. O líder neonazista, único careca que sobrou dentro da sinagoga falou... –Super herói desgraçado! Eu tenho mais cinqüenta homens dando cobertura lá fora! Só que eles estão armados! Hoje vamos matar você!_Rudamon aproximou-se dele, levantou-o pelo colarinho e disse de forma veemente... – Então nossa briga será lá fora! _Após terminar a frase, Rudamon arremessou o líder neonazista para fora da sinagoga e saiu para continuar o combate. Logo que Rudamon pôs os pés para fora do templo, o líder neonazista estava acabando
  • 201. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 201 de levantar do chão e atrás dele havia uma enorme quantidade de carecas armados com metralhadoras e fuzis. Todos encaravam o herói com muita fúria. Rudamon bradou de forma estridente... -Vocês já sabem que será perda de tempo atirar em mim!_Após terminar a frase Rudamon utilizou os raios de suas mãos para soerguer todos os neonazistas que ali estavam arremessando--os até os trilhos do metrô que se encontrava a alguns metros. Rudamon posicionou-os, de modo que só as suas cabeças ficassem sobre os trilhos, utilizando seus raios para mantê-los imóveis. –Vocês vão receber o castigo que merecem! _À medida que o metrô se aproximava, os gritos de desespero dos neonazistas ficavam cada vez maiores. Os olhos de Hor brilhavam por detrás da falsa máscara. Até que todos eles foram completamente decapitados pelo veículo, e seus corpos ficaram ao lado dos trilhos. Em seguida, Rudamon entrou na sinagoga e começou a desamarrar um dos judeus ao mesmo tempo em que começou a falar num tom ríspido de voz... –Eu sou um só! A maioria de vocês foi pacífica demais quando Hitler quis destruí-los, por isso perderam milhões! Peguem em armas! Reajam! Se a vida de vocês corre perigo, pelo menos tentem matar o máximo de desgraçados que conseguirem! Não fiquem parados esperando pacificamente! Matem! O judeu que estava sendo desamarrado perguntou... –Como podemos matá-los? Parecem ser invencíveis?_Rudamon terminou de desamarrá-lo e respondeu... –Não existe nenhum ser humano nesse mundo que seja invencível! Eles possuem um ponto fraco... A única forma de matá-los é decapitando-
  • 202. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 202 os! Olhe ao seu redor e veja se eles são invencíveis... Vá lá fora e veja com seus próprios olhos, os corpos sem cabeças caídos ao chão, próximos aos trilhos do metrô. Você já está solto! Desamarre os demais! _Ao terminar de dizer suas palavras, Rudamon desapareceu. Os judeus entreolharam-se surpresos. Um deles comentou... – Que coisa mais estranha! Rudamon ficou sumido todo esse tempo, e agora está mandando matar? Justo ele que foi o responsável por uma das mais belas lições de amor que o nosso planeta já teve? Tem muitos homens feridos por aqui, ele não curou nenhum deles... Nosso Rabi está morto, Rudamon nem se preocupou em ressuscitá-lo... Vocês repararam o modo como ele está falando? _O outro judeu que estava na sinagoga respondeu... –Ele deve saber o que está fazendo... Ele não pediria para matarmos a toa... E o Eterno que me perdoe! Mas acho que Rudamon tem razão! Se ficarmos parados, irá acontecer novamente... _O judeu demonstrou uma expressão de preocupação, com os olhos parados alguns segundos, depois continuou... Então vamos nos organizar e lutar! Não podemos assistir essas atrocidades sem fazer nada!
  • 203. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 203 Campo de Concentração em Minas Gerais um dos campos de concentração numa das fazendas de Minas Gerais, centenas de negros e mestiços estavam sentados no chão. Vários neonazistas formavam um círculo ao redor dos mesmos, segurando suas metralhadoras. O líder daquele grupo bradou aos prisioneiros. –Não queremos matar vocês! Se colaborarem, ficarão vivos! Vocês deverão trabalhar para nós, porque são inferiores! Vocês irão receber alimento, roupa e oito horas de descanso por dia! _Um dos prisioneiros gritou... –Eu não vou trabalhar para vocês! Vocês são uns asquerosos! _Assim que o homem acabou de proferir suas palavras, o líder sacou a arma que tinha na cintura e disparou um tiro na testa do pobre homem. Depois que recolocou sua arma de volta na cintura continuou falando, desta vez, em tom de ameaça e com a expressão furiosa... –Este homem teve sorte N
  • 204. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 204 por ter morrido de forma rápida! A próxima pessoa que se rebelar irá para os campos de extermínio em Curitiba, para morrer lentamente com os ciganos! _De repente, um enorme arsenal de facões caiu próximo aos pés dos prisioneiros, e todos eles, assustados, foram envoltos por um campo de força de luz dourada. Eis que surge Rudamon bradando com sua voz firme e estrondosa... –E você terá o azar de morrer lentamente, antes de pensar em mandar qualquer um deles para lá! _O herói disparou o seu raio aguilhão nos olhos do líder. O homem ficou cego e caiu ao chão dando desesperados gritos de dor. Os carecas tentaram metralhar Rudamon, inutilmente. O herói bradou aos prisioneiros... –Vocês estão protegidos pelo meu campo de força! Apanhem esses facões no chão e cortem a cabeça desses miseráveis! A partir de agora somos um único exército, e temos três homens para cada um do exército inimigo! Não fiquem parados!Ataquem agora! Os prisioneiros se levantaram rapidamente e foram com toda a fúria para cima dos neonazistas... Todos seguiram muito bem as instruções do herói... Cada neonazista via-se cercado por três prisioneiros sedentos de ódio e vingança, e em pouco tempo sua cabeça caía ao chão. Rudamon entrou no campo de batalha segurando dois facões, um em cada mão. O herói utilizava seu raio aguilhão para deixar seus oponentes fracos, e lutava como um cavaleiro da
  • 205. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 205 época medieval, decapitando seus inimigos com extrema facilidade. Os neonazistas foram massacrados. A batalha terminou... Vários corpos e cabeças estavam espalhados pelo chão... _Rudamon olhou todos os prisioneiros ao redor e disse... –A poucos quilômetros daqui existem centenas de mulheres que estão presas... Elas foram aprisionadas com a finalidade de serem escravas sexuais e se não chegarmos a tempo, haverá um terrível estupro coletivo... Eu vou conduzi- los ao local, utilizando meu raio transportador. Já temos um enorme exército a nossa espera! Procurem se organizar e reajam! Vocês estarão em número maior! Os neonazistas só estão geneticamente mais fortes! Eles não possuem super poderes! Se cada três de vocês atacarem um deles, como fizeram agora, nós conseguiremos salvar nossas mulheres... Não percamos mais tempo! entro do casarão daquela fazenda, o clima era de tristeza... Havia muitas mulheres nuas, lindas, mas todas com expressão de medo e desespero no olhar. O silêncio era mórbido, tanto ao redor quanto no interior daquele casarão. Só naquele campo de concentração eram trezentas mulheres aprisionadas... O silêncio externo foi quebrado pelo barulho do comboio dos neonazistas que chegaram fazendo algazarra. Ao todo eram quinhentos homens. Eles estacionaram os veículos, desceram e ficaram a espera das ordens do líder... – Hoje nós vamos nos divertir! Estamos em número maior, haverá mais homens do que mulheres, mas não somos ciumentos! _Todos deram risada. O líder prosseguiu... –Essas D
  • 206. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 206 mulheres estão aí para serem usadas! Podemos fazer o que quisermos com elas, quantas vezes nós quisermos, e com quais nós quisermos! De repente eles viram um enorme campo de força de luz dourada envolver o casarão... Eis que Rudamon surge diante do líder, bradando com sua voz firme e estrondosa... –Que tal irmos fazer isso na casa da sua mãe? Seu desgraçado! Então você planejava estuparar trezentas mulheres indefesas com um exército de quinhentos homens? Eu tenho uma diversão melhor... Olhem para trás... _O líder neonazista e seus quinhentos homens olharam para trás e viram um exército de aproximadamente três mil homens, que também estavam envoltos num campo de luz dourada, todos segurando dois facões em cada mão e com muito ódio no olhar. Rudamon olhou novamente para o líder neonazista e disse... – Dentro daquela casa que vocês pretendiam atacar, estão as filhas, as mulheres e as namoradas de alguns daqueles homens que vocês acabaram de ver... Hoje vocês literalmente irão perder suas cabeças por causa das mulheres! _Dito isso Rudamon puxou os dois facões que estavam em sua cintura, levantou um deles, cortou a cabeça do líder neonazista com o outro e bradou... –Atacar! _Todos os três mil homens foram com toda a fúria para cima dos neonazistas. Uma nova batalha sangrenta acabava de começar. Rudamon e os prisioneiros mataram todos os neonazistas que ali estavam, e saíram vitoriosos. Todas as mulheres foram libertadas. Após o combate, Rudamon olhou para todos e bradou... –Procurem a imprensa antes que esses desgraçados censurem ela!
  • 207. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 207 Contem o que aconteceu!Divulguem o ponto fraco dos neonazistas e convoquem o mundo para a guerra! aquela mesma noite, Hor chegou em casa. Nadila e doutor Carlos estavam a sua espera. –O que houve? Você ficou o dia inteiro fora! Por que chegou tão tarde? _Perguntou o médico. –Estávamos preocupados! _Completou Nadila. Hor olhou para os dois com uma expressão de raiva, que nunca nenhum deles havia visto nele antes... –Por que fazem tanta pergunta? Estou cansado e quero dormir! Não me aborreçam! _Em seguida, Hor foi para o seu quarto fechando a porta com toda a violência. Doutor Carlos ficou preocupado... –Eu nunca vi esse garoto falar assim! Ele nunca agiu desse jeito... _Nadila também esboçou uma expressão de preocupação... -O que será que está acontecendo com ele? _Doutor Carlos respondeu... –Não sei... _Nadila prosseguiu... –Talvez ele esteja desse jeito por causa das atrocidades que estão ocorrendo no mundo! _Doutor Carlos ficou pensativo e aumentou o volume da televisão para ouvir melhor ao noticiário que estava começando. O médico esboçou uma expressão de admiração e ansiedade quando a jornalista começou a falar... –Talvez exista uma nova esperança para a humanidade... Rudamon está de volta! O herói foi visto hoje no Brasil em três Estados diferentes. N
  • 208. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 208 Após 25 anos do seu desaparecimento, o mundo pode finalmente comemorar a volta do super herói! O momento desse retorno é propício, levando em conta todas essas atrocidades que estão acontecendo no planeta... No entanto, o herói revelou que não é mais onipresente, que não realiza mais curas e nem ressuscita os mortos, além de deixar bem claro que perdeu boa parte dos seus super poderes... Será que o herói está sentindo o peso da idade? _ Brincou a jornalista que em seguida deu risada junto com o âncora que apresentava o telejornal. O som da televisão chegava ao quarto de Hor, que esboçou uma expressão de ódio no olhar, ao escutar a brincadeira. Enquanto isso, a jornalista continuava... - A notícia que temos, é que, nos três lugares onde esteve Rudamon matou os vários neonazistas que combateu e ainda formou exércitos com os próprios prisioneiros, liderando-os contra os neonazistas. O super herói descobriu que os neonazistas não são indestrutíveis, e que, para conseguir derrotá-los, seus oponentes devem decapitá-los. As três batalhas lideradas por Rudamon foram vencidas! Após centenas de vidas serem salvas, Rudamon e seus exércitos de prisioneiros ainda conseguiram evitar o estupro coletivo de trezentas mulheres. Apesar de essa ajuda ser maravilhosa, ela se torna uma gota d água comparada ao oceano, se levarmos em conta que hoje existem milhares de campos de concentração no mundo todo, e que Rudamon não é mais onipresente... Ou seja, o que Rudamon conseguiu evitar com a ajuda dos prisioneiros, em apenas três lugares, está acontecendo diariamente, todos os minutos, no mundo inteiro!
  • 209. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 209 _Deitado em seu quarto, logo após ouvir essa ultima frase, Hor colocou suas mãos sobre a cabeça e começou a chorar... Chorava igual a um menino... Chorava de soluçar... _Enquanto isso na sala de estar do doutor Carlos, o noticiário prosseguia... -Rudamon instruiu os prisioneiros salvos para que procurassem a imprensa e alertassem as pessoas para que se organizem e comecem a lutar contra os neonazistas. O planeta está na iminência de viver uma terceira guerra mundial! Desta vez, não será uma guerra entre países; não será uma guerra entre bandidos contra os cidadãos de bem; não será uma guerra entre seres sobrenaturais contra os seres humanos! Será uma guerra contra o preconceito! Será uma guerra pela liberdade humana! Pela liberdade de ser... Pela liberdade de viver! Rudamon autorizou a guerra! Segundo o herói, o mundo deve lutar e resistir contra os neonazistas, por mais fortes que eles possam parecer! _Doutor Carlos ficou pensativo, consigo mesmo... –Agora estou começando a entender o comportamento de Hor... Mas Osorkon não ficava desse jeito! Há algo estranho no ar... _Pensou o médico. or perdeu o sono, levantou-se da cama e resolveu entrar no Facebook, coisa que não fazia há muito tempo. Logo que abriu sua página, acabara de ver que Nadila recebera um link do ex-namorado Thiago. Furioso e cheio de ciúmes, Hor foi conferir a página da namorada, notando que havia muitas postagens de Thiago, todas com corações e frases de amor. Hor ficou com muito ódio e disse... –Alguma coisa está errada! Se eu ver esse cara na minha frente, vou usar meus poderes para quebrar ele inteiro! Nadila já devia tê-lo excluído há muito tempo!Ela nem se H
  • 210. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 210 preocupa em deletar essas porcarias de postagens que recebe dele! Já que ela quer ficar de papo com o ex-namorado dela, ela que agüente as conseqüências daqui pra frente! _Hor procurou seu antigo caderninho de ex-namoradas e decidiu ligar para a ex-namorada mais recente, a linda e estonteante ruivinha chamada Simone... –Alô? Simone? Tudo bem? _Simone respondeu do outro lado do telefone... –Hor? Quanto tempo rapaz! Aconteceu alguma coisa? O que faz você me telefonar a essa hora da madrugada? _Hor respondeu... –Sei lá... Bateu uma saudade daqueles tempos... _Simone respondeu... –Mas pelo o que eu saiba você está noivo... _Hor desconversou... –Você está namorando?_Simone prosseguiu... –Estou solteira né! Não é fácil arrumar um substituto à sua altura... _Hor sentiu o seu ego massageado, mas ao mesmo tempo sentia-se mal, culpado e com medo. Mas sua raiva, seu ciúme e sua vontade de dar o troco eram bem maiores... –Estou pensando em te ver amanhã... Pode ser? _Simone perguntou... –Mas e sua noiva? _Hor falou... –Não se preocupe com esses pequenos detalhes! _Simone riu e disse... –Não vai me dizer que você voltou a ser aquele “galinha” que você era antes de nós namorarmos?_Hor deu risada e disse... –Eu não diria um “galinha”... Vamos dizer que isso é um flashback! _Simone deu risada e disse... –Você é muito safado mesmo! Que horas você vem? _Hor respondeu... –Depois da meia noite, chegarei a qualquer momento, você sabe que gosto de ser surpreendente! _Simone deu risada e disse... –Uau! Isso está ficando excitante! Vou esperar você com uma camisolinha bem sexy! _Após desligar o telefone, Hor começou a sentir
  • 211. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 211 culpa e remorso por ter ligado para sua ex-namorada... Hor pensava consigo mesmo... –“O que eu estou fazendo? E se Nadila não estiver respondendo as mensagens de Thiago? Por que ela não exclui aquele cara do facebook dela? Que porcaria esse ciúme! Mas Nadila não está me respeitando... Ela nem me conta que aquele babaca fica mandando corações para ela... Já que ela faz tanta questão de ter contato com o ex-namorado dela, a partir de agora eu terei com a minha! Olho por olho, dente por dente!” _Hor levou um tempo para dormir... epois de algumas horas, Hor mexia-se muito durante o seu sono. O rapaz transpirava demais. Um pesadelo invadiu os seus sonhos. Hor presenciou a luta entre Disebek e Rudamon. O monstro bradou... –Seu pai quer nos matar, Hor! Não permita isso! Ajude-me! Em seguida, Rudamon apontou suas mãos contra Hor e disparando o raio das mesmas, começou a conduzir o rapaz ao fogo do círculo de ouro. Disebek bradou... –Junte suas forças às minhas! Senão Rudamon irá nos matar! Hor colocou a sua máscara imediatamente e começou a disparar o aguilhão de seus olhos contra o pai. Rudamon ficou fraco e soltou Disebek. O monstro atraiu Hor para perto de si, e mesclou o seu corpo com o dele. Disebek dobrou de tamanho, pegou Rudamon e atirou-o ao fogo. Enquanto o herói ardia nas chamas, Disebek ria sarcasticamente. Enquanto sonhava, Hor que estava deitado de bruços suava em bicas. D
  • 212. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 212 O rapaz que dormia sem camisa, sentiu uma terrível dor em suas costas, como se oito buracos, quatro de cada lado, acabassem de ser feitos com uma faca. De repente, surgiram oito garras de escorpião em suas costas, fazendo-o dar um estridente grito de dor. Nadila e doutor Carlos foram correndo ao quarto do rapaz, que por sua vez, estava trancado. Após baterem insistentemente na porta Hor finalmente a abriu. Naquele momento, as garras de escorpião haviam sumido. –O que vocês querem aqui? Não disse que eu estava cansado e queria dormir! _Nadila ficou brava... –Por que você está tão estúpido? Você deu um grito e só viemos ver se estava precisando de algo! _Hor ficou furioso. –Eu não preciso de ninguém! Saiam daqui agora e me deixem dormir em Paz! _Em seguida, Hor fechou a porta na cara dos dois, e foi dormir. _Nadila começou a chorar. Doutor Carlos esboçou preocupação.
  • 213. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 213 16° Capítulo As coisas começam a piorar... a noite seguinte, no terreno baldio próximo à casa do falecido doutor Manfred, a terra movia--se sozinha. O dono daquele terreno, não queria vendê-lo de forma alguma. O máximo que fazia, era mandar tirar o excesso de mato a cada três meses. Foi naquele local, que um dos vizinhos de Manfred enterrou o lobo de Hiago, no dia em que Franz matou o animal. Hiago não havia dado um nome a ele. Chamava-o simplesmente de Lobo. Naquele momento, a terra estava se mexendo bem no local onde Lobo havia sido sepultado. O solo movia-se como se alguém que tivesse acabado de ser enterrado vivo, tentasse sair dali desesperadamente. A tempestade estava muito forte e caía uma chuva torrencial. A terra que estava molhada, o que fazia aquela cena ficar mais desesperadora ainda. Foi quando Lobo saiu de dentro da terra. O animal estava com o dobro do tamanho que tinha antes, e rosnava ferozmente, como se um N
  • 214. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 214 ódio tremendo estivesse lhe incomodando. Seus dois olhos estavam arregalados e amarelos. Lobo sacudiu o corpo para tirar o excesso daquele barro que o incomodava, no momento em que seus pelos começavam a ficar encharcados com toda aquela água. O terreno era murado e o portão que media quatro metros de altura, mesma medida dos muros, estava fechado. Após emitir um agonizante uivo, Lobo rosnou com muita fúria e saiu correndo em direção ao portão dando um enorme salto, conseguindo passar por cima do mesmo. Enquanto isso no local onde Hiago havia sido enterrado, um dos neonazistas que vestia uma capa de chuva amarela apontou para uma das sepulturas... –Olhem rapazes! Ali está o túmulo do cigano! Tragam as pás e recuperem aquela caixa. Temos que levá-la para Franz ainda hoje! _Enquanto os cinco neonazistas desenterravam o corpo de Hiago, um deles comentou... –Ainda bem que não queimamos o cigano! Franz teria ficado sem essa caixa! –É uma pena que esteja ocorrendo essa tempestade... Senão poderíamos queimá-lo agora! _Disse o outro neonazista que segurava a lanterna. Todos deram risada. De repente, um barulho de rosnado assustou os cinco homens. –De onde vem esse barulho?_Perguntou um deles. O outro que estava com a lanterna, apontou-a em direção do rosnado e exclamou ao ver aquele enorme lobo de olhos amarelos... – Minha Nossa! Eu nunca vi uma coisa dessas na vida! _Era Lobo. O feroz animal que acabara de ressuscitar, foi com toda a fúria para cima daqueles homens, que tentaram se defender inutilmente com as pás e enxadas que seguravam. Lobo
  • 215. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 215 estraçalhou os cinco neonazistas em poucos minutos, atacando seus pescoços como se intuitivamente soubesse que aquele era o ponto fraco deles. Depois que os cinco homens foram mortos, Lobo começou a desenterrar o túmulo de Hiago. De repente, uma forte luz amarela saiu de dentro da terra. Hiago levantou do túmulo. Seus olhos estavam arregalados, e emitiam um brilho amarelo. Hiago acariciou o animal e falou com um vozeirão grosso e assustador. –Chegou a hora Lobo! Vamos destruir todos os gadjôs do mundo! Minha raça não foi respeitada, por isso, não terei compaixão das outras raças! O mundo será do povo cigano! Agora eu tenho o poder para conseguir isso! A partir de agora Hiago não existe mais!... Os gadjôs conhecerão a fúria do Cigano Mutante! _Em seguida, Hiago saiu caminhando lentamente em direção ao portão de saída do cemitério clandestino dos neonazistas, acompanhado por seu fiel animal de estimação.
  • 216. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 216 nquanto isso na fabrica de teletransportadores, os dois seguranças faziam a inspeção rotineira... –As mercadorias deveriam ir para as lojas amanhã, mas com essa situação de neonazistas capturando pessoas e com o sumiço de Roberto, o fabricante achou melhor adiar o lançamento. _Disse um dos seguranças. Enquanto os seguranças faziam seu trabalho, não perceberam que estavam sendo observados por doutor Berg, que estava muito bem escondido. O cientista esperou os dois se afastarem, para acender a sua pequena lanterna e aproximando-se das caixas onde estavam os equipamentos, Berg resmungou... – Maldição! Estão lacradas! _Doutor Berg reclamou consigo mesmo ao notar que não seria fácil retirar o aparelho dali. Quando de repente ouviu um barulho de gritos e de coisas se quebrando. Muitos disparos foram ouvidos. E
  • 217. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 217 O cientista se escondeu novamente e ouviu outro barulho, desta vez, o de vários caminhões que faziam manobras ao lado de fora. Doutor Berg ficou apreensivo. As luzes se acenderam e sessenta neonazistas liderados por Paulo invadiram o galpão da fábrica. –Coloquem todas essas caixas nos caminhões! Temos que enviar os teletransportadores para todas as partes do mundo. Em uma semana, nosso exército terá o maior arsenal do planeta! Ninguém poderá nos deter! _De repente surge Rudamon bradando com sua voz firme e estrondosa... ... –Vocês são uns tolos previsíveis! Eu tinha quase certeza que viriam aqui! _Doutor Berg arregalou os olhos e ficou na expectativa para ver o que ia acontecer. Sua surpresa aumentou ao ver surgir na outra parte do galpão, outro “Rudamon”, só que sua máscara era preta e ao invés de escorpiões no peito, tinha suásticas marcadas com ferro em brasa. Aquele “Rudamon” diferente, que na verdade tratava- se de Serpentus, se aproximou do verdadeiro Rudamon e falou com um tom de voz mais grave, só que demoníaco e estridente...
  • 218. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 218 –Você é que é previsível seu tolo! _Em seguida, olhou para os neonazistas e disse: - Acabem com esse idiota! Tiros não irão resolver nada! Peguem-no na pancada e arranquem a cabeça dele! _Mais do que depressa, os sessenta homens foram com tudo para cima de Rudamon. Serpentus segurou Paulo pelo braço e falou... –Traga mais cem homens aqui! Eu quero muita diversão!Aproveite e providencie aquela surpresinha que preparamos para Rudamon! _Enquanto os carecas atacavam o herói, este desembainhou os dois facões que começou a transportar consigo, e com muita velocidade, ia decapitando os neonazistas ao mesmo tempo em que lhes desferia o raio aguilhão. Os homens iam caindo ao chão, sem suas cabeças... Quando os sessenta homens ficaram fora de combate, Serpentus que assistiu a cena toda sentado, levantou-se e
  • 219. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 219 aplaudiu Rudamon. Após os aplausos, disse num tom de voz sarcástico... –Muito bem, Rudamon! Aprendeu a destruir meus homens e mandou a receitinha aos telejornais! Muito esperto você... Mas é só isso que você consegue fazer? Vou deixá-lo com um pouco de inveja... _Dito isso, Serpentus ergueu os braços para cima e bradou... –Ressuscitai-vos e lutem! _Para o espanto e decepção de Rudamon, cada uma das cabeças que estavam caídas ao chão foi de encontro ao corpo ao qual pertenciam, e os sessenta homens voltaram à vida, atacando novamente o herói... Após uma sarcástica gargalhada, Serpentus bradou... –Segunda rodada rapazes! Vocês já estão recuperados!Vocês têm mais uma oportunidade para arrancarem a cabeça do Rudamon!Que engraçado... Estou sentindo um cheiro de queimado... Será que estão fazendo churrasco? _Serpentus deu outra gargalhada sarcástica... Desta vez, Rudamon usou os raios de suas mãos, lançando os homens para bem longe, um a um. À medida que Rudamon usava seus poderes, não percebia que as garras de escorpião estavam bem vivas e se moviam em suas costas. Também não pode perceber que duas gigantescas pinças surgiam na altura de seus ombros.
  • 220. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 220 Doutor Berg, muito bem escondido e boquiaberto, observava aquela cena que parecia à de um filme de ficção científica. Naquele meio tempo, Paulo chegara com mais cem neonazistas. Serpentus pediu aos neonazistas que fizessem um círculo ao redor dele e de Rudamon, deixando-os no centro. Em seguida, retirou de sua cintura o bastão de ouro de Seth, e lentamente aproximou--se do herói... –Agora vou mostrar a você quem é que manda aqui, Rudamon! _Serpentus disparou as chamas do fogo do bastão de ouro de Seth contra Rudamon, por uns dez segundos, tempo suficiente para fazê-lo gritar e cair sem forças no chão._Após uma sarcástica gargalhada, Serpentus ordenou... –Rapazes... Chutem-no! Os neonazistas foram com tudo em direção ao herói. O círculo se fechou, transformando-se numa massa de homens violentos que queriam dar pelo menos uns dez chutes cada um, a fim de saciar a sua sede de violência. Após um tempo considerável, Serpentus interrompeu-os... –Abram o círculo novamente! _Serpentus aproximou-se mais uma vez de
  • 221. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 221 Rudamon, disparando as chamas contra o herói, por mais vinte segundos. Depois disso, Serpentus retirou uma faca da cintura e pediu para que três homens segurassem o herói. – Levem Rudamon lá fora! _Os três homens arrastaram o herói que estava cabisbaixo, fraco e cambaleante. Serpentus segurou o rosto do herói, na altura do queixo, levantando sua cabeça e fazendo-o olhar para frente... Sua visão estava meio turva, mas Rudamon conseguiu enxergar um exército de centenas de neonazistas, bem a sua frente. Serpentus emitiu uma sarcástica gargalhada e falou... –Acho que você não deve estar enxergando muito bem esses homens que estão a sua frente, não é, Rudamon? Não está lembrado deles?_Rudamon não emitia sequer, uma única palavra... Serpentus continuou... –O gato comeu sua língua, Rudamon? Já que você não responde, eu mesmo vou ter que falar... Todos os neonazistas que você matou com seu “exército” (Serpentus utilizou um tom de voz irônico), estão bem a sua frente... Homem a homem... Não falta nenhum! Sabe por que Rudamon? Porque eu fiz algo que você não sabe fazer... Eu ressuscitei todos eles! Eu acho que não lhe deram o manual de instruções correto... _Serpentus gargalhou novamente e prosseguiu... – Em relação ao seu “exército” (Serpentus utilizou novamente um tom de voz irônico), eu sinto muito... _Serpentus segurou o rosto do herói, virando-o para sua esquerda... Havia um amontoado de centenas de corpos carbonizados queimando em chamas. Serpentus gargalhou novamente e falou... –Seus homens acabaram de virar churrasquinho... Coitados! _Dessa
  • 222. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 222 vez todos os neonazistas deram gargalhadas junto com Serpentus que continuou torturando Rudamon com suas palavras... –Em relação às trezentas mulheres que vocês salvaram, não precisa se preocupar com elas... Estão todas vivas... De volta ao casarão... Hoje meus homens voltarão lá e ninguém vai impedi-los de se divertirem... Aquelas mulheres, nós não vamos querer em forma de churrasquinho não... Nós vamos preferir cruas mesmo! _Todos gargalharam novamente. Serpentus apanhou sua faca e posicionou-a pressionando-a contra o pescoço do herói. Em seguida prosseguiu... –Você já leu “A Arte da Guerra”? _Rudamon não dizia uma única palavra. Serpentus prosseguiu... –Pelo jeito você não leu... Você deveria ler, sabia? Principalmente quando você achar que pode entrar numa guerra e liderar homens... Você negligenciou um dos princípios básicos da guerra, Rudamon... Você não sabia que, se você não conhecer bem a si mesmo e nem ao inimigo, a derrota é praticamente certa? Esse foi o seu erro Rudamon... Você não me conhecia, e pelo jeito, não conhece nem a si mesmo... Todo o trabalho que você teve, todas as batalhas, todo o seu esforço, de nada serviram... Vou deixar uma lembrança para você... Se quiser combater criminosos por aí, fique à vontade! Só não se meta comigo, porque sou mais forte que você. _Ao terminar suas palavras, Serpentus cortou o dedo polegar da mão direita do herói. Após segurar o dedo do herói, contemplando-o por alguns segundos, Serpentus continuou...
  • 223. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 223 –Eu poderia cortar sua cabeça e destruí-lo para sempre se eu quisesse... Eu tenho o bastão de ouro de Seth aqui comigo... Mas eu preferi cortar o seu dedo polegar da mão direita... Qualquer pessoa com uma lógica imediata me chamaria de burro por causa disso... Mas daqui um tempo Rudamon, talvez você entenda o porquê eu preferi apenas cortar o seu dedo! Caso algo não saia conforme o planejado, um simples dedo pode fazer toda a diferença... _Serpentus emitiu uma gargalhada diabólica e arremessou o dedo decepado bem longe, que caiu próximo ao novo local onde doutor Berg havia se escondido para assistir ao desfecho da cena... Feito isso, Serpentus disparou as chamas do bastão de ouro de Seth mais uma vez contra Rudamon. O herói caiu fraco e desacordado. Na seqüência, Serpentus usou o raio de suas mãos, arremessando o herói para fora da fabrica. Em seguida ordenou... –Rapazes! Quero estas caixas nos caminhões agora! O incêndio da fábrica ficará por minha conta! _Doutor Berg esperou os neonazistas se distraírem e, apanhando um lenço de seu bolso, guardou o dedo de Rudamon enrolado no mesmo. Quando Serpentus ateou fogo no galpão da fábrica, utilizando o bastão de ouro de Seth, o cientista pensou... –Eu preciso estudar a substância que existe nessas chamas! Se eu inventar um maçarico com essa potência, ninguém poderá me derrotar! _ O cientista conseguiu se esconder num local onde podia se proteger do incêndio e esperou os neonazistas saírem da fábrica. Logo após a saída deles, Berg rasgou um pedaço de sua blusa e improvisou uma tocha com um cabo de vassoura
  • 224. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 224 que havia no chão. Após acender a tocha saiu rapidamente... – Preciso manter essa chama acesa! Vou providenciar uma forma de fazer isso. Tenho que ser rápido! ouco tempo depois, no meio da rua, em frente à fábrica, Hor acordou tossindo muito. A fumaça tóxica que o incêndio causara na fábrica despertara o filho de Osorkon, que se levantou do chão com muita dificuldade e saiu andando, meio que cambaleando e sem destino. Enquanto andava, Hor refletia muito sobre toda a humilhação que passou. Revivia mentalmente cada cena, cada palavra que foi dita por Serpentus. Após encontrar o banco de uma praça, sentou-se e começou a chorar. O rapaz olhava para sua mão direita, sentindo-se humilhado. –Como posso ser um herói? Todo o trabalho que eu tive foi em vão... Aquele desgraçado é bem mais forte do que eu! Eu não tenho como enfrentá-lo! À medida que os minutos iam passando, Hor notara que a habitual cicatrização já estava ocorrendo, mas que o seu dedo começava a crescer e se regenerou. O rapaz ficou surpreso e pensou consigo mesmo... –Minha Nossa! Meus órgãos também têm poder de regeneração! _Em poucos minutos, Hor estava com o seu polegar de volta. Apesar do alívio de ter recuperado o dedo, Hor estava se sentindo um derrotado. O rapaz ficou tão deprimido, que saiu caminhando lentamente para a sua casa, cabisbaixo e sem esperanças. Assim que viu o primeiro bar ao longo do caminho, entrou e começou a beber. Hor só parou de beber na hora em que o dono do bar pediu a conta. Eram quatro horas da manhã. O rapaz que perambulava embriagado lembrou-se que tinha combinado P
  • 225. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 225 um encontro com a ex-namorada Simone. Ao mesmo tempo, Hor se lembrou de Nadila, sentindo uma culpa muito grande em querer traí-la apenas por vingança... No mesmo instante, aquela voz do mal que estava no seu interior, que cada vez se tornava mais forte, o fez pensar... – “Quem garante que naquele dia que o ex-namorado foi até a casa de Nadila, não houve nada entre os dois?” _ Ao surgir aquele pensamento, um sentimento de ciúmes, de raiva e de vingança tomaram conta de Hor. Seus olhos expressaram o mesmo ciúme e a mesma raiva que sentira no dia em que dia que viu Nadila receber o ex-namorado em casa. Hor falou consigo mesmo... –Dane-se! Eu não tenho mais nada a perder... Se Nadila me traiu, estarei vingado... Se ela não me traiu, ninguém mandou ficar de conversinha com o ex- namorado... Ninguém mandou ficar abrindo a porta para ele... Ninguém mandou ficar recebendo corações pelo Facebook! Ninguém mandou fazer eu me sentir desrespeitado! Eu a amo mais que tudo! Mas ela não foi legal comigo... Olho por olho, dente por dente! Hoje ela vai sentir o que eu senti naquele dia que eu vi o ex-namorado entrando na casa dela... Hor, cambaleando, tocou a campainha da casa de Simone. A linda ruivinha abriu a porta para o ex-namorado e assustou-se com o que viu, pois Hor não tinha o hábito de beber. A moça olhou para o ex-namorado e falou... –Minha nossa Hor! O que houve com você? Entra aqui meu querido! Eu vou te dar um banho e cuidar de você! Se você quiser beber mais, eu tenho muitas bebidas aqui! _Os dois deram risada... Hor entrou.
  • 226. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 226 or saiu da casa de Simone logo que o dia começou a amanhecer. Entrou em casa às seis horas da manhã, deparando-se com Nadila e doutor Carlos, que pelo visto, passaram a noite inteira acordados a sua espera. O rapaz estava num estado lastimável. Seu corpo fedia à distância... Era um cheiro de álcool misturado com perfume de mulher. As marcas de batom no pescoço e na camisa eram evidentes, assim como a sua embriaguez também era. Hor fitou os dois e falou enrolando a língua... –Já sei que eu vou ouvir sermão! Melhor vocês não me dizerem nada! _Em seguida, olhou para Nadila, tirou a aliança de noivado e jogou-a no chão... –Não quero mais saber desta porcaria! Nosso noivado acabou agora! Sou muito jovem para perder a liberdade! A partir de hoje vou curtir a vida! Hoje eu descobri que a vida pode ser boa... _Em seguida, Hor foi para o seu quarto, aos tropeços e fechou a porta. _Nadila não chorou. Apenas engoliu seco. Seus olhos se encheram de lágrimas, mas a garota procurou se manter firme. Doutor Carlos tentou contornar a situação... –Eu não sei o que lhe dizer sobre isso, mas posso te garantir que algo muito estranho está acontecendo. Hor nunca agiu deste jeito antes! Ele sempre paraticou esportes, nunca foi de beber. Apesar de sempre estar rodeado de mulheres e um pouco mulherengo quando sozinho, sina que deve ter herdado do pai, namoradas ele teve bastante, mas sempre foi fiel àquela que estava com ele no momento. Trair não faz parte da natureza de Hor! Eu sinto muito por tudo isto! Depois que eu voltar do consultório, conversarei seriamente com ele para ver o que está acontecendo. H
  • 227. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 227 _Nadila começou a chorar para valer. -Estou desconfiada que ele esteja usando drogas! É a única explicação que posso encontrar no momento. Ele mudou muito sua personalidade de uns tempos para cá... O comportamento dele parece o de outra pessoa... A impressão que eu tenho é a de que não é o meu namorado que está comigo! Eu não mereço ser tratada assim! Eu sempre fui legal com ele... Eu sempre o respeitei! Eu sempre sou meiga e carinhosa com ele! As poucas brigas que tivemos sempre foram por causa do ciúme exagerado que ele sente de mim. _ Disse Nadila em tom de lamento. Eu não estou agüentando mais! _ Doutor Carlos fez uma cara de preocupação e ao mesmo tempo um olhar de deboche... –É... Deve ser genético... Hor saiu ao pai... Cuspido e escarrado! _Nadila olhou para doutor Carlos com uma expressão de dúvida. O médico desconversou... –Logo descobriremos o que está acontecendo e tentaremos ajudá-lo! _ Doutor Carlos levantou-se do sofá para fazer um café, afinal, já era dia e ele tinha que ir trabalhar. No caminho para a cozinha, algo lhe chamou a atenção. Na mesinha do telefone, havia um bloco de notas aberto com o telefone de Huni, a letra, era de Hor. Doutor Carlos destacou o papel do bloco e colocou-o no bolso. – Talvez isso possa ser útil. _Pensou consigo mesmo.
  • 228. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 228 17° Capítulo O retorno de Disebek uni meditava o tempo todo. Desinformado de tudo, não assistia televisão nem lia os jornais, pois necessitava manter-se num perfeito estado de paz e harmonia, com a finalidade de utilizar os poderes do seu cajado para emitir boas vibrações energéticas ao planeta Terra. Sua meditação foi interrompida pelo toque do telefone. Doutor Carlos telefonou ao velho mestre... –Olá senhor Huni, aqui é o doutor Carlos, amigo de Osorkon. O senhor está lembrado de mim? –Sim! Claro que eu me lembro! Em que posso ajudá-lo? – O senhor tem assistido aos noticiários? –Eu não assisto televisão, doutor Carlos. O que aconteceu? –Nós precisamos muito conversar sobre o filho de Osorkon. O senhor enviou Sahator aqui para entregar a máscara e o manuscrito a Hor. Desde que ele recebeu a visita de Sahator, ficou muito esquisito... Ele está totalmente agressivo. Quando se transforma em Rudamon, está destruindo os inimigos e ainda instiga as pessoas a matá-los. Osorkon jamais fazia esse tipo de coisa quando se transformava em Rudamon. Aliás, todos os noticiários estão divulgando que Rudamon perdeu seus principais poderes. Os neonazistas estão dominando o planeta e cometendo verdadeiras atrocidades. Todos estão desiludidos porque Rudamon perdeu parte de suas forças e não está mais conseguindo ajudar como antes. Para piorar a situação, acabei de ver no jornal que certo Serpentus, está auxiliando o trabalho dos neonazistas. Ele utiliza uma máscara faraônica idêntica à de Rudamon, só que H
  • 229. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 229 ela é preta. Parece que ele é onipresente, justamente um dos poderes que Rudamon perdeu... _Huni ficou boquiaberto e disse: - Darei um jeito de chegar ao Brasil amanhã mesmo! Aguarde-me que irei a sua casa! -Tome muito cuidado senhor Huni! Os neonazistas estão espalhados por toda a parte! Deus permita que eles não lhe façam nenhum mal... –Fique tranqüilo doutor Carlos!Eu sei passar despercebido quando eu preciso... _Depois que Huni desligou o telefone, falou consigo mesmo... –Que desgraça! Sahathor traiu os Waja- Hur! nquanto isso na fila de uma casa lotérica, todos ficaram espantados ao verem Doutor Berg entrando com o seu famoso taco de golfe. A correria foi geral. As pessoas já sabiam que se ficassem lá dentro, poderiam morrer. Todos saíram dali rapidamente, deixando os funcionários sozinhos. Doutor Berg que segurava uma enorme bolsa de couro com a outra mão dirigiu-se aos caixas e falou: - Coloquem todo o dinheiro aqui dentro. Se vocês não reagirem, poderei deixá-los vivos! _Assustados, os caixas obedeceram às ordens daquele homem insano. Depois que a bolsa ficou completamente cheia, doutor Berg a fechou e virou-se para sair da lotérica. De repente, Marcos e mais quatro neonazistas entraram na lotérica. –Acabou a sua farra, judeu maldito! Chegou a sua hora de você morrer! _Doutor Berg jogou sua bolsa no chão, olhou para os carecas com expressão de ódio, e apertando sua mão firmemente no taco de golfe falou: - Matem-me se E
  • 230. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 230 puderem! –Marcos e seus homens foram enfurecidos em direção ao cientista. Em poucos segundos, Doutor Berg decapitou os quatro homens que estavam com Marcos, utilizando o seu taco de golfe. Marcos ficou por último. O cientista o derrubou no chão, e pisando em seu pescoço, olhou bem no fundo dos olhos de Marcos e disse... –Sou um homem muito bem informado. Você sabia que eu assisto os telejornais diariamente? Matar neonazistas geneticamente modificados não é tão difícil assim... Obrigado por ter me conferido os poderes que eu tenho hoje!Tenho certeza que, por causa disso, você irá perder a cabeça, afinal, você beneficiou um judeu! _Em seguida, o cientista emitiu uma sarcástica gargalhada e decapitou Marcos com seu taco de golfe. Nesse meio tempo, quase todos os funcionários da lotérica já haviam fugido pelos fundos. Apenas os dois funcionários que haviam acionado o botão de segurança, ficaram agachados, atrás do guichê, assistindo tudo... Em instantes, três viaturas de polícia, cada uma com cinco homens, parou em frente à lotérica. Um dos policiais desceu do carro e bradou ao alto- falante... –Atenção doutor Berg! Nós sabemos que você está aí dentro! Estamos com quinze homens e um arsenal de armas pesado! Renda-se, coloque suas mãos na cabeça, e saia lentamente daí de dentro! _Doutor Berg apareceu na porta segurando o seu taco de golfe e bradou: - Vocês são uns tolos mesmo! Acreditam realmente que podem me deter? Nenhuma arma pode me destruir!
  • 231. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 231 _Eis que surge Rudamon, bradando com sua voz firme e estrondosa... –Eu posso detê-lo! _Doutor Berg olhou para o herói e começou a gargalhar. Em seguida começou a falar em tom sarcástico. –Rudamon... A piada que estava faltando para alegrar o meu dia! Rudamon... O perdedor! O derrotado! O fraco! Eu acho que depois do que aconteceu naquela fábrica de teletransportadores, você nunca mais deveria colocar sua cara na rua, herói patético! _Por detrás da máscara Hor ficou intrigado e pensou consigo mesmo... –“Como será que ele sabe o que houve naquela fábrica?” _Furioso, o herói começou a disparar o raio aguilhão de seus olhos contra o cientista. Doutor Berg usou o seu taco de golfe rapidamente, desviando o raio que acabou acertando o policial que estava com o alto-falante, que no mesmo instante caiu no chão dando desesperados gritos de dor. _Doutor Berg olhou para Rudamon e disse... –Você não pode me derrotar seu herói tolo! Sou cem vezes mais poderoso que os neonazistas! Desista! Nesse meio tempo, os policiais começaram a atirar no cientista. As balas não surtiram nenhum efeito no mesmo. Demonstrando uma expressão de cinismo, doutor Berg retirou um explosivo do bolso, olhou para os policiais que estavam atirando e disse usando um tom de voz sarcástico... – Apresento a vocês a minha nova invenção! O gás da subserviência!Esse aqui é apenas amostra grátis! Da próxima vez eu prometo que o estrago será muito maior! _Após falar, doutor Berg gargalhou e arremessou o explosivo na rua, provocando uma forte explosão que começou a liberar um gás de cor avermelhada. Os policiais começaram a tossir sem parar.
  • 232. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 232 Nesse meio tempo, Rudamon tentou usar o raio de suas mãos para erguer doutor Berg do chão, mas não conseguia. Parecia que o cientista pesava toneladas. À medida que Rudamon usava os seus poderes, o seu corpo assumia cada vez mais a forma de Disebek. Doutor Berg falou: - Chega de brincadeira! _Em seguida, foi com tudo para cima do herói e começou a golpeá-lo com o seu taco de golfe. Rudamon acertou-lhe uns socos e uns chutes, ao mesmo tempo em que também era golpeado. O combate entre os dois parecia que não ia ter fim. Até que Rudamon conseguiu acertar o raio aguilhão de seus olhos, na perna de Doutor Berg. O cientista sentiu uma dor muito forte, mas conseguiu manter-se em pé. Usando toda a sua força, doutor Berg mirou o taco de golfe no ombro do herói, e acertou-o com toda a fúria, decepando o seu braço direito. Rudamon caiu no chão sentindo muita dor. Doutor Berg aproveitou aquele momento para pegar a bolsa com o dinheiro e saiu tranquilamente pela porta. Do lado de fora, os policiais estavam parados, em pé, olhando calmamente para o cientista. Doutor Berg olhou para o seu taco de golfe, e ao ver o sangue de Rudamon no mesmo disse... –Aquele dedo não era o suficiente... Essa pequena amostra de sangue do herói vai me fazer chegar onde eu quero! _Dito isso, doutor Berg deu uma gargalhada sarcástica e olhou para os policiais ordenando... –Agora todos vocês me obedeçam! Entrem nas viaturas e saiam daqui!_ Os policiais obedeceram-no imediatamente. Doutor Berg riu e falou consigo mesmo... –Não é que o meu gás da subserviência
  • 233. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 233 funciona mesmo!_ Dito isso, gargalhou e saiu andando pela rua tranquilamente. Os dois balconistas da lotérica que estavam agachados enquanto tudo estava acontecendo, foram em direção ao herói e um deles lhe perguntou se ele estava bem. Rudamon pegou o próprio braço que estava caído no chão e desapareceu, sem responder a pergunta. O herói transportou-se ao quarto de Hor, deitou na cama e encostou o seu braço que havia sido decepado junto ao ombro, no local do corte. Sua cicatrização foi instantânea. Rudamon transformou-se novamente em Hor e ficou deitado por um longo tempo, pensativo e olhando para o teto, até anoitecer. uando doutor Carlos chegou em casa, admirou-se ao ver Nadila com uma peruca.–Que bom que você resolveu tirar aquele lenço! É muito importante recuperar sua auto-estima. O principal é que seu corpo reagiu bem ao transplante de medula, e que você está totalmente curada. Logo o seu cabelo ficará grande de novo, aí você não precisará mais utilizar essa peruca. _Nadila esboçou um tímido sorriso e falou com um tom de voz constrangido... –Eu não estou de peruca... O meu cabelo cresceu rapidamente, em poucas horas. Eu não consegui entender isso até agora! _Doutor Carlos ficou pensativo, e tinha absoluta certeza de que aquilo tinha alguma coisa a haver com o transplante da medula de Hor. Naquele mesmo instante, Hor saiu de seu quarto e foi direto para a porta de saída da sala, ignorando completamente a presença do tio e da noiva. Doutor Carlos Q
  • 234. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 234 pacientemente disse... –Hor meu filho, podemos conversar? _Hor olhou para doutor Carlos com uma expressão de ódio e falou... –Eu não sou o seu filho! Aliás, eu não me considero nem filho de Osorkon! Aquele cara é um pai desnaturado! Nunca fez questão de mim! _Hor olhou para Nadila e falou... –E você? O que ainda faz aqui nessa casa? Já não falei para você que terminamos? E porque está com essa peruca ridícula? _Hor saiu de casa sem dar o direito de resposta aos dois. Nadila ficou furiosa e falou... –Para mim chega! Vou arrumar as minhas coisas e vou embora imediatamente! _Doutor Carlos tentou amenizar a situação... –Por favor, Nadila, eu só lhe peço mais um tempo de paciência! Seu irmão está desaparecido, os neonazistas estão perseguindo os negros. Seria muito perigoso você se expor num momento como esse... Fique mais um pouco! Eu tenho certeza que Hor está passando por sérios problemas... A impressão que tenho, é a de que não é o meu garoto que está aqui... É como se outro espírito estivesse usando o corpo dele... Eu não consigo explicar isso direito, mas tenho certeza que Hor, o meu garoto, não está por perto. Já faz tempo... Mas algo dentro de mim, bem lá no fundo, me diz que isso vai passar... nquanto isso, Hor entrou no primeiro boteco que viu pela frente. Dirigiu-se ao balcão e pediu ao dono do estabelecimento... –Eu quero uma dose da bebida mais forte que você tiver aí! _Mal o dono do boteco terminou de servi-lo, Hor tomou a bebida num gole só e rapidamente pediu outra dose. Naquele momento Thiago, ex-namorado de E
  • 235. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 235 Nadila entrou no boteco. Hor olhou para ele e sentiu muita raiva, fazendo-o tomar a segunda dose noutro gole, e pedir a terceira dose. Quando Hor terminou de tomar a terceira dose, muito disposto a arrumar encrenca, levantou-se e dirigiu-se até a mesa onde Thiago estava sentado. Hor olhou para ele e falou... –Eu preciso conversar com você um pouco. Posso me sentar? _Thiago que tinha acabado de colocar sua cerveja no copo, respondeu gentilmente... –Claro! Sente-se. _Hor sentou-se e, alcoolizado, já enrolando a língua começou a falar. –Você é ex-namorado de Nadila, certo? _Thiago tomou um gole de cerveja e respondeu. –Eu preferia não falar sobre esse assunto. _Hor ficou irritado. Virou a quarta dose e pediu a quinta dose ao dono do bar. Em seguida prosseguiu... –Eu sou o noivo de Nadila! Eu vi você entrando na casa dela outro dia... Eu vi as postagens que você colocou no perfil do Facebook dela! Cheias de coraçõezinhos... Eu queria saber qual é a sua? O que fizeram naquela noite em que você esteve lá? Por que fica mandando aqueles coraçõezinhos todos para ela? _Thiago esboçou uma expressão de surpresa e falou... -Se você está tão preocupado assim com Nadila, o que faz num bar gay? _Hor espantou-se e perguntou... –Como é que é? _Ao notar que Hor não havia percebido nada, Thiago deu uma pequena risada e disse... –Pelo jeito você não deve ser muito entendido de bares... A não ser que você seja bissexual e esteja traindo Nadila com outros homens, esse bar que você
  • 236. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 236 está tomando suas doses é um bar freqüentado por gays! Olhe ao seu redor... Não percebeu nada? _Hor olhou ao redor e, ao observar o modo como os homens se comportavam lá dentro, constatou que realmente estava num bar gay. Thiago prosseguiu... -Eu sempre fui gay, mas nunca quis assumir publicamente. Minha família sempre foi muito preconceituosa em relação a esse assunto. Eu só tive duas namoradas na vida, e elas serviram apenas de fachada. Nadila nem era minha namorada de verdade. Fomos as “melhores amigas” do ensino médio, e ela apenas fingiu ser a minha namorada durante muito tempo, porque eu pedi. Meu pai fica todo orgulhoso que o filho mais velho namora mulheres bonitas. Papai é daqueles metidos a machões, insuportáveis, sabe? Nadila e eu nunca demos um beijo sequer... Mesmo assim, nós disfarçávamos direitinho! Nosso “namoro” durou vários anos. Ela espalhava fotos de nós dois abraçados pelo quarto dela, apenas para que os pais realmente pensassem que nós estávamos namorando e também porque minha mãe adorava ir visitá-la. Nós tínhamos que manter as aparências. Minha mãe sempre diz que Nadila foi a melhor nora do mundo! Nosso pacto dizia que, quando Nadila se apaixonasse por alguém, nós “terminaríamos” o namoro para que eu não empatasse a vida dela. Foi então que ela se apaixonou por você e nós dois “rompemos”. Ela ama muito você! Jamais desconfie dela... Nadila é uma pessoa muito correta, honesta e sensata. Ela é do bem... Naquela noite, eu apenas fui devolver um livro que ela havia me emprestado, além de agradecê-la pessoalmente por ter salvado a minha vida, impedindo que
  • 237. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 237 seis neonazistas me matassem. Ela me contou que você ficou com ciúmes! Bobinho! _Thiago deu uma risadinha e prosseguiu. –Ela apenas me convidou para entrar e eu aceitei. Hoje eu tenho outra amiga que se faz passar por minha namorada. Mas é apenas para disfarçar... Eu não gosto de mulheres! Gosto de homens!Aliás, no momento em que você se aproximou de mim hoje, eu fiquei todo animado, pensando que estivesse querendo algo comigo... Eu nunca havia visto uma foto sua, eu jamais imaginaria que você fosse o noivo de Nadila. Em relação aos coraçõezinhos, eu sempre compartilho esse tipo de link com todas as minhas amigas do Facebook. Apenas isso... _Hor ficou pensativo e disse... –Mas ela nunca me falou nada sobre isso... Ela sempre diz que nunca me esconde nada... _Thiago deu uma risadinha e disse em tom de brincadeira... –Nós mulheres temos segredos que vocês homens jamais devem saber! _Envergonhado, Hor pediu desculpas pela forma como abordou Thiago, levantou- se, pagou sua conta e saiu andando pelas ruas. Triste, cabisbaixo e arrependido. Sua mente revivia todas as sensações do ciúme infundado que sentiu por Nadila, e da injustiça que cometera contra ela, por se vingar de algo que estava apenas em sua imaginação. Hor sofria a dor de um remorso por não ter confiado numa pessoa tão boa e tão correta como Nadila. Naquele instante, cheio de culpa e dor, Hor revivia em sua mente a traição que cometera com a namorada, além de todos os desaforos e palavras absurdas que disse a ela. Hor era castigado por um sentimento de culpa
  • 238. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 238 que fazia seu coração sentir a pior dor que já sentiu na vida. Ele também começou a refletir sobre o quão injusto foi com seu tio Carlos, que sempre o tratou como se fosse um filho de verdade. Hor começou a chorar muito. Quanto mais ele chorava, mais vontade de andar ele tinha. Hor já estava bem longe de casa quando tomou a decisão de retornar e pedir perdão às duas pessoas que ele mais amava na vida. aquele mesmo instante, a porta da sala de doutor Carlos caiu. Ela acabara de ser derrubada pelo pontapé de um neonazista. Três carecas entraram com toda a fúria na casa do médico. Um deles falou... –Você não sabia que é proibido esconder pessoas negras dentro de casa! Essa moça é bonitinha, e deve se transformar em escrava sexual! _Doutor Carlos ficou furioso e bradou: - Vocês terão que passar por cima de mim, se quiser tocar num único fio de cabelo dela! _Os três homens gargalharam, e o que tinha acabado de fazer a ameaça falou: - Isso não será um problema! Os três homens foram com toda a fúria para cima do médico. Nadila reagiu, e acertou um golpe de capoeira derrubando um deles. Os outros dois olharam perplexos o feito da moça, e foram em direção à mesma. Nadila também conseguiu derrubá-los com os conhecimentos que possuía em capoeira. Nesse meio tempo, doutor Carlos pegou uma espada que enfeitava a parede da sala, e conseguiu cortar a cabeça de um deles. N
  • 239. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 239 O primeiro que havia sido derrubado, levantou-se e falou... – Vou chamar reforços! _ E saiu correndo dali de dentro. O outro se levantou e foi com tudo para cima do médico. Nadila, entrou na frente e, usando a capoeira, golpeou-lhe novamente, derrubando-o no chão. Doutor Carlos aproveitou e decapitou o neonazista. Esboçando uma expressão de pavor no rosto, doutor Carlos lamentou... –Meu Deus do céu! O que eu fiz? Jurei salvar vidas e tive que matar dois seres humanos... Precisamos sair daqui agora mesmo! _Naquele exato momento surgiu Serpentus acompanhado de dez neonazistas. Logo que entrou, ergueu os braços para cima e bradou com sua voz grave e aterrorizante... –Ressuscitai-vos! _ No mesmo instante, as cabeças que estavam separadas dos corpos dos neonazistas voltaram aos seus donos, e os mesmos se levantaram do chão. _Serpentus deu uma tenebrosa gargalhada e falou... –Vocês não podem fugir de mim! _Ao terminar sua fala, disparou o seu raio aguilhão em Nadila, que caiu no chão com desesperados gritos de dor. Em seguida ordenou aos seus homens... - Ela é bonita, mas dá trabalho! Mande-a aos campos de extermínio! Aproveitem e vão até aquele bar de viados que tem aqui perto!Espanquem todos!Quebrem tudo! E conduza-os para os campos de extermínio junto com essa negrinha!_Serpentus olhou para doutor Carlos e disse... – Desse aqui eu cuido pessoalmente... _Doutor Carlos tentou reagir usando a espada que tinha em mãos, mas não conseguiu. Serpentus levantou-o pelo colarinho, desferiu-lhe três socos no estômago, derrubando-o no chão. Caído ao
  • 240. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 240 chão, e com muita dor, doutor Carlos foi espancando violentamente por Serpentus, com inúmeros pontapés, até desmaiar. Quando o médico não esboçava mais nenhuma reação, Serpentus retirou-se. pós alguns minutos, doutor Carlos recobrou a consciência e não conseguia nem se mexer direito. Seu rosto sangrava e o seu corpo estava cheio de hematomas. Lágrimas começaram a escorrer através dos seus olhos. O médico olhou para cima, como se fosse pedir ajuda aos céus e suplicou... –Osorkon! Meu velho amigo! Esteja você onde estiver, saiba que eu tentei fazer o melhor que pude pelo nosso garoto! Que falta você faz ao mundo... Se existe vida após a morte, por favor, nos ajude! Acabaram todas as esperanças do mundo! _Naquele mesmo instante, Hor entrou na sala e ficou assustado com aquela cena. Ao ver doutor Carlos caído naquele estado, o rapaz foi desesperado em direção a ele. –O que aconteceu tio Carlos? _Doutor Carlos que estava com a respiração cada vez mais lenta, falou pausadamente... –Os neonazistas levaram Nadila! Serpentus esteve aqui! Eu tentei combatê-los, mas é impossível vencê-los! _Quando acabou de falar, deu um último suspiro e faleceu. Hor abraçou o médico desesperado e falou aos parantos: - Não pai! Você não pode morrer!Eu lhe imploro!Não morra antes que eu lhe peça perdão! _Enquanto chorava as imagens do seu fracasso e de todas as coisas que fez e falou nos últimos dias vieram-lhe à mente. Uma terrível sensação de culpa e de incompetência A
  • 241. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 241 tomou conta do seu ser. Hor se lembrava dos melhores momentos que vivera com Nadila... Revivia o sorriso da namorada, ao mesmo tempo em que lembrou como que os neonazistas tratavam as mulheres. As palavras de Serpentus não saíam de sua cabeça “–Em relação às trezentas mulheres que vocês salvaram, não precisa se preocupar com elas... Estão todas vivas... De volta ao casarão... Hoje meus homens voltarão lá e ninguém vai impedi-los de se divertirem... Aquelas mulheres, nós não vamos querer em forma de churrasquinho não... Nós vamos preferir cruas mesmo!” Hor ficou desesperado ao imaginar que Nadila passaria por uma situação daquelas e ele não poderia fazer nada para ajudá-la... Muitas vozes vinham em sua mente. Hor sentiu uma vontade muito grande de se matar. De repente veio a imagem de doutor Carlos, no dia em que o mesmo falava sobre o seu pai, e uma das frases que ele havia dito... “São autodestrutivos quando estão sem saída...” _Hor se levantou, transformou-se em Rudamon dizendo em voz alta... –Eu não sou mais digno de viver! _Em seguida, colocou as duas mãos sobre a cabeça e olhou focando o seu abdômen disparando o raio aguilhão em si próprio. À medida que fazia isso, ia ficando cada vez mais fraco. Naquele mesmo instante, diante dele, surgiu o espírito de Disebek. O corpo de Hor estava quase que totalmente com a forma do semideus. Rudamon desmaiou.
  • 242. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 242 O espírito de Disebek deu uma gargalhada, e apontou suas mãos para Rudamon, começando a retirar o espírito de Hor de seu corpo. Disebek começou a dar estridentes gargalhadas e falou... –Está na hora de você desocupar o lugar que me pertence! _Quando o espírito de Hor estava quase que por inteiro fora de seu corpo, de repente surgiu uma luz brilhante e dourada. Para a surpresa do monstro, o espírito de Osorkon apareceu diante dele. Osorkon fez uma expressão de fúria e bradou com uma voz grave e firme... –Lute com alguém que pode enfrentá-lo!
  • 243. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 243 O espírito de Osorkon assumiu a forma de Rudamon e disparou o raio aguilhão de seus olhos contra o espírito de Disebek. O monstro parou de atacar Hor imediatamente. O espírito de Hor começou a retornar lentamente ao seu corpo. O espírito de Disebek disse ao espírito de Rudamon: - Se você me derrotar, voltarei imediatamente ao inferno de Apóphis e os deuses do mal serão libertados! Reconheça sua derrota, herói tolo! Nem depois de morto você será páreo para mim! Lembre-se que estamos empatados!_O espírito de Rudamon falou: - E quem disse que vou deixar você voltar ao inferno? Naquele instante, Hor recuperou sua consciência e presenciou o diálogo entre os dois espíritos. O espírito de Rudamon olhou para o filho e bradou... –Você não está usando a verdadeira máscara! Use toda a força que restou em seu ser, e
  • 244. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 244 retire-a imediatamente!_ Assim que terminou de falar, o espírito de Rudamon disparou raios de luz dourada contra Disebek. Enquanto um campo de força envolvia o monstro, Hor fazia toda a força possível para conseguir retirar a máscara. O espírito de Disebek dava gritos desesperados, pois estava aprisionado no campo de luz dourada e brilhante de Rudamon, sem conseguir sair. Naquele mesmo instante, os quatro deuses elementais surgiram do nada e levaram o espírito de Disebek para ser julgado na corte dos deuses. O espírito de Rudamon aproximou-se de Hor e ajudou o filho a retirar a máscara. Assim que a máscara saiu do corpo do rapaz, Rudamon assumiu novamente a forma de Osorkon, que olhou para o filho e disse... –Um dia, Osíris precisou voltar ao mundo dos vivos para ensinar o seu filho Hórus a lutar! Estou aqui para lhe ensinar a usar os seus verdadeiros poderes! Até você recuperar a legítima máscara, poderá usar quase todos, exceto àquele que lhe foi predestinado! Os olhos de Hor se encheram de lágrimas... –Pai! Eu fiz tanta besteira! Não consigo sentir-me digno de servir o bem! _Osorkon aproximou-se do filho, colocou sua mão sobre o ombro do mesmo e disse... –Hor meu filho! O passado e o futuro são tempos que não interessam para aqueles que querem fazer a diferença! Passado é apenas memória. Futuro é apenas imaginação com incerteza. O momento presente é o mais precioso! O que importa neste exato momento são as escolhas que você fará daqui para frente! Vou lhe mostrar algo que você também é capaz de fazer! _O espírito de Osorkon transformou-se novamente em Rudamon, aproximou-se do doutor Carlos,
  • 245. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 245 tocou o coração do mesmo com suas duas mãos e ressuscitou- o. O médico se levantou e não conseguiu acreditar no que estava vendo. –Meu velho amigo! Você escutou as minhas preces! Obrigado! _Osorkon deu um sorriso e falou... –Sou eu que devo agradecê-lo, Carlos! Lembrarei eternamente, tudo o que você sempre fez pelo nosso garoto! _Doutor Carlos e Hor choravam de emoção. Osorkon olhou para o filho e disse: - Veja outra coisa que você é capaz de fazer... _Em seguida, Osorkon tocou a testa do amigo curando todas as suas feridas. –Você tem o poder da cura e da ressurreição!Aquela falsa máscara que você estava utilizando inibia quase todos os seus poderes, e ainda abafava a voz da sua consciência. Ela não deixava você ouvir o seu coração. Você apenas conseguia ouvir a voz do seu ego. Você apenas conseguia ver o lado ruim das coisas... Você apenas estava receptivo às sugestões do mal... A falsa máscara servia apenas para fortalecer o lado negro da força interna que você tem. Todos os seres humanos possuem as duas forças... A falsa máscara fazia apenas uma força predominar mais. A partir de agora, você conseguirá ouvir os gritos daqueles que precisam de ajuda, assim como detectarás e deterás aqueles que fazem o mal! Você poderá aparecer imediatamente nesses lugares, ajudando os aflitos e combatendo os criminosos! És onipresente, onipotente e onisciente! Poderás estar em vários lugares ao mesmo tempo para combater os mesmos problemas, de uma só vez! Saiba que obter conhecimentos e poderes não significa nada, se
  • 246. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 246 você não tiver sabedoria para usá-los! Caso você necessite, também pode aumentar o seu tamanho em até três metros de altura! Apenas com a força do pensamento... Lembre-se que todos os poderes estão em sua mente! Você pode controlar o raio aguilhão de seus olhos de duas formas... Ou faz seu oponente sentir dor momentânea... Ou pode puni-lo para sempre, castigando-o pelo próprio pensamento dele... Se ele ao menos pensar em repetir o erro, a dor da aguilhoada de doze escorpiões será sentida instantaneamente, bem no local onde você disparar o raio... Leve essa máscara que estava usando até o Sol, e destrua-a! Construa uma réplica de ouro da máscara, e use-a para enganar as forças do mal, até conseguir recuperar aquela que te pertence por direito. Chegou o momento! Vou retornar ao mundo dos mortos! – Pai! _Gritou Hor! Preciso lhe dizer algo que você queria saber antes de morrer! Eu entreguei a máscara faraônica de Rudamon a Huni, um dia antes de você nascer! –Meu filho, obrigado pela informação! Você fez isso porque és predestinado a viajar através do tempo!Esse é o teu legado! Quando recuperares a verdadeira máscara, recuperarás o seu verdadeiro poder! Jamais repita esse erro novamente, pois o ciclo de luta entre o bem e o mal não acabaria!Jamais entregues essa máscara novamente a Huni, caso precisares retornar ao dia anterior ao meu nascimento! Quando voltares ao passado, use tua sabedoria para interferir o mínimo possível no curso natural da história da humanidade. Os erros do passado são os mestres que temos para construir um presente melhor! Mande minhas saudações ao meu velho mestre Huni! Adeus! _Em seguida, Osorkon desapareceu.
  • 247. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 247 Emocionados, doutor Carlos e Hor se abraçaram e choraram. Hor pegou a máscara falsa e disse: - Tenho que destruir essa maldita porcaria! Preciso de um grande favor seu, tio Carlos! Enquanto eu for ao Sol, peça a um ourives para fazer uma réplica da máscara de Rudamon... or recobrou os sentidos, olhou ao redor e viu que havia desmaiado ao lado do corpo de doutor Carlos. Tudo estava exatamente igual... Nada havia mudado... Infelizmente, tudo aquilo não passava apenas de um sonho... Um lindo sonho... Hor levantou cabisbaixo, triste, e foi até a cozinha tomar um copo de água. Na medida em que tomava sua água, Hor começou a lembrar-se de apenas alguns flashes daquele lindo sonho. Aquilo parecia tão real... Pena que ele não conseguia se lembrar de tudo... Hor colocou o copo já vazio em cima da pia da cozinha, quando de repente um flash de memória o fez se lembrar do dia em que recebeu sua máscara com o manuscrito, e do contato telefônico de Huni. Uma importante frase dita pelo mestre lhe veio à mente... “Preste bem atenção numa coisa que eu vou lhe dizer... Qualquer sonho que você tiver, caso você ache significativo, anote logo depois que acordar. Pelo fato de você não ter feito a iniciação de posse da máscara, alguns mistérios muito importantes lhe serão revelados de forma onírica. Vou lhe dar uma dica para que você se lembre melhor dos seus sonhos: concentre-se na base de sua nuca!” _Logo após se lembrar do conselho de Huni, Hor correu para o seu quarto, apanhou um caderno, uma caneta, fechou os H
  • 248. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 248 olhos e concentrou-se na base da nuca para se lembrar do sonho. De repente a base de sua nuca ficou iluminada por uma esfera de luz dourada e brilhante. Hor começou a se lembrar nitidamente, de cada detalhe do sonho e começou a anotar. Após anotar tudo o que conseguiu lembrar, Hor leu suas anotações umas duas vezes, levantou-se e foi até a sala, onde estava caído o corpo de doutor Carlos. De repente, um flash do sonho lhe veio à mente... ”O espírito de Rudamon olhou para o filho e bradou... - Você não está usando a verdadeira máscara! Use toda a força que restou em seu ser, e retire-a imediatamente!” _Hor esboçou uma expressão de confiança e muita determinação no olhar, respirou fundo e transformou-se em Rudamon. Colocou suas duas mãos na máscara e começou a fazer força para retirá-la. Naquele mesmo instante, Hor sentiu muita dor, seu corpo assumiu a forma de Disebek quase que por completo... A máscara parecia que estava colada na sua cabeça... Estava muito difícil de retirá-la. As garras e as pinças de escorpião que estavam no seu corpo tentavam impedir a todo custo que os seus braços conseguissem puxar a máscara... Após muito esforço, com o corpo todo suado, Hor finalmente conseguiu retirar sua máscara. As garras e as pinças de escorpião sumiram imediatamente do seu corpo. Hor sentia-se mais forte, mais otimista... Seu semblante mudou totalmente. Hor olhou para o corpo de doutor Carlos e voltou a sentir tristeza. De repente, mais flashes daquele lindo sonho ressurgiram em sua mente... “Vou lhe mostrar algo que você também é capaz de fazer! _O espírito de Osorkon transformou-se novamente em Rudamon, aproximou-se do
  • 249. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 249 doutor Carlos, tocou o coração do mesmo com suas duas mãos e ressuscitou-o.” _ Ao lembrar-se da cena, Hor deu um sorriso pueril, que há tempos não dava... Aproximou-se de doutor Carlos, ajoelhou-se perto dele, e tocou seu coração com as duas mãos. Milagrosamente o médico voltou a respirar começou a mexer os olhos, mas ainda falava lentamente, ofegante... –Hor meu filho, acho melhor você chamar um médico para mim! Eu acabei de ter um sonho tão lindo com o seu pai! Ele veio me agradecer por tudo o que eu fiz por você!_Os olhos de Hor se encheram de lágrimas... Outro flash do sonho veio a sua mente... “_Doutor Carlos e Hor choravam de emoção. Osorkon olhou para o filho e disse: - Veja outra coisa que você é capaz de fazer... _Em seguida, Osorkon tocou a testa do amigo e curou todas suas feridas. –Você tem o poder da cura e da ressurreição!”_Hor sorriu novamente e tocou a testa do doutor Carlos. O médico recobrou sua saúde no mesmo instante. Emocionado, doutor Carlos levantou-se junto com Hor, e os dois abraçaram-se e choraram muito. Hor enxugou suas lágrimas e falou... –Tio Carlos, me perdoa! As coisas vão mudar daqui para frente... Eu não vou mais cometer tantos erros que nem eu estava cometendo... Eu também tive um sonho muito lindo com o meu pai. Ele me ajudou muito._ Doutor Carlos respondeu... –Agora é você que está aqui meu garoto! Eu consigo sentir isso em sua energia! Eu não tenho o que perdoar... Eu te amo! _Doutor Carlos abraçou Hor novamente, que acabava de ter outro flash do sonho... “Lembre-se que todos os poderes estão em sua mente! Leve essa máscara que estava usando até o Sol, e
  • 250. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 250 destrua-a! Construa uma réplica de ouro da máscara, e use-a para enganar as forças do mal, até conseguir recuperar aquela que te pertence por direito.” _ Após abraçar o seu tio, Hor pegou o celular e tirou várias fotos da máscara, em vários ângulos diferentes. Enquanto fotografava a máscara, Hor teve mais um flash do sonho que teve... “Emocionados, doutor Carlos e Hor se abraçaram e choraram. Hor pegou a máscara falsa e disse: - Tenho que destruir essa maldita porcaria! Preciso de um grande favor seu, tio Carlos! Enquanto eu for ao Sol, peça a um ourives para fazer uma réplica da máscara de Rudamon” Após fotografar a máscara Hor disse a doutor Carlos... –Tio Carlos, pegue o seu pen drive! Eu tenho uma missão para o senhor. Eu vou passar essas fotos que acabei de tirar dessa máscara para o seu pen drive, enquanto isso, contarei meu sonho ao senhor, e lhe direi qual será sua missão. Eu também tenho uma importante missão a cumprir... Após Hor passar as fotos para o pen drive do doutor Carlos, contar o sonho e revelar as missões, ambos saíram... Doutor Carlos, que ficou impressionado por ter tido exatamente o mesmo sonho que Hor, se dirigiu ao ourives... Hor foi um “pouquinho” mais longe. Dirigiu-se ao Sol...
  • 251. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 251 18° Capítulo O Prenúncio de uma Guerra Racial nquanto isso no campo de concentração de Curitiba, os neonazistas cavaram uma enorme vala, colocando em pé, diante da mesma, as próximas vítimas que seriam executadas. Nadila estava entre elas, com uma terrível sensação de medo e desespero. Ao lado dela estava Thiago, seu “ex-namorado”. O rapaz estava todo arrebentado, num estado lastimável. Nadila disse ao amigo... –A sensação de saber que você vai morrer é muito estranha. Quando eu descobri que eu tinha leucemia, meu primeiro impacto foi pensar que eu fosse morrer. Com o passar do tempo, durante a luta contra a doença, eu sempre tive uma esperança de que um dia eu pudesse me curar. Eu sempre tive uma esperança de que algo de bom poderia acontecer... Isso acontecia até nos piores momentos, quando eu estava internada naquele hospital horrível, onde quase todo dia eu sempre recebia a notícia de que alguma amizade que eu fiz por lá tinha acabado de morrer... Sempre que eu acordava e me sentia um pouco melhor, eu tinha uma nova esperança... Agora estou aqui, novamente enfrentando o medo de morrer... Dessa vez está tão diferente... Dessa vez não há esperança nenhuma... Dessa vez tenho certeza que vou morrer! Não vou morrer de doença nem de acidente... Vou morrer apenas porque nasci negra. Você está todo arrebentado desse jeito, e vai morrer porque é homossexual. A vida é algo tão complexo... A vida é algo tão E
  • 252. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 252 lindo... E nós dois seremos mortos apenas porque algumas pessoas não nos aceitam por sermos quem somos... Fico me perguntando nessas horas se realmente Deus existe? Thiago começou a chorar e abraçou a amiga. O pelotão de fuzilamento com os quinze neonazistas já estava posicionado para atirar. O comandante do extermínio se posicionou para dar a voz de comando: - Preparar! –Apontar! _Nadila fechou os olhos e disse... –Hor meu amor! Eu amo você! _E o comandante disse a ordem final... –Fogo! Uma enorme rajada de balas de metralhadoras acertou todas aquelas dezenas de pessoas, que caíram imediatamente dentro da vala. Nadila foi metralhada junto com seu amigo Thiago, além de vários ciganos, negros, judeus, homossexuais, aleijados, doentes mentais e várias pessoas contrárias aos ideais neonazistas. Um enorme trator soterrou os corpos das vítimas. –Vamos exterminar o grupo da próxima vala! _Bradou o comandante.
  • 253. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 253 Ígnus nquanto isso, doutor Berg manipulava substâncias químicas nos tubos de ensaio, em seu pequeno laboratório, improvisado dentro do seu esconderijo. Doutor Berg deu uma gargalhada e começou a falar consigo mesmo... –Graças àquele dedo, a ao sangue de Rudamon que eu consegui naquela lotérica, eu consegui descobrir a substância química que me deixará imune aos raios do herói! Também já sei qual o material que devo colocar na roupa que irá me proteger desses raios! Doutor Berg também conseguiu desenvolver um maçarico que lançava as chamas do fogo do bastão de ouro de Seth, e que se renovava sempre que era utilizado. O objeto era semelhante a uma tocha olímpica de ouro, e não necessitava de um galão de gás para funcionar. Essa poderosa arma que o E
  • 254. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 254 cientista conseguiu inventar, só foi possível graças ao incêndio que ocorreu na fábrica de teletransportadores. A roupa que confeccionou assemelhava-se a uma armadura. A blusa era vermelha com alguns detalhes pretos e a calça era cinza com alguns detalhes vermelhos, mesma cor dos sapatos especiais que criou para se proteger. Para a proteção da cabeça, desenvolveu uma espécie de elmo na cor preta, com um óculo estilo de mergulhador, que ao mesmo tempo em que protegia, escondia os seus olhos e lhe possibilitava enxergar no escuro. Em suas mãos, utilizava luvas vermelhas com detalhes cinza, sendo que usava uma delas para colocar em movimento uma espécie de calda que acoplou à armadura. A calda de cor vermelha e com detalhes pretos, possuía uma camada de chumbo na ponta, capaz de matar qualquer pessoa que fosse golpeada pelo objeto. Sua única testemunha era sua serpente de estimação que criava num enorme criadouro de vidro, cujo nome era Ainavide. Quando concluiu o seu trabalho, o cientista olhou para o seu animal de estimação e falou: - Minha querida Ainavide! Chega de doutor Berg com seu taco de golfe! Agora o mundo irá conhecer Ígnus, o senhor das chamas! Farei mais alguns ajustes, e você me acompanhará em minha peregrinação pela conquista do mundo! Com o poder que adquiri, nem Rudamon e nem Serpentus poderão me derrotar!
  • 255. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 255 Em seguida, o cientista deu uma enorme gargalhada. Então, Olhou para Ainavide e prosseguiu ao apontar sua mão para uma gigantesca máquina... –Querida Ainavide! Essa é a máquina mais potente do mundo! A máquina do gás da subserviência! Eu trabalhei durante anos nesse projeto! Foram várias manipulações de fórmulas químicas e testes com alucinógenos e psicotrópicos, até desenvolver esse poderoso gás que tornará o planeta inteiro submisso. Somente eu estarei protegido contra os efeitos dele. Esse gás, além de fazer efeito após ser inalado, também possui a capacidade de penetrar pelos poros. Uma única vez que ele entrar em contato com a corrente sanguínea da pessoa, ela perderá sua capacidade de liderança e autoconfiança para sempre! E será submissa até morrer! Quando eu disparar os gases deste invento, o mundo inteiro se curvará diante de mim! Em seguida, Ígnus deu outra gargalhada.-Agora, vamos aos testes que eu preparei para você!_Dito isso, Doutor Berg pegou sua serpente e apanhou um tubo de ensaio... nquanto isso, em sua fazenda, Franz dava as ordens para os milhares de soldados neonazistas que ali estavam, junto com os soldados do terceiro reich trazidos por Naja, o senhor do tempo: - Vamos destruir todos os seres humanos que estiverem no continente africano!Vocês nem precisam se preocupar com a estrutura física do continente! Poupem apenas o Egito, porque existe algo naquele país que é do meu interesse! Vamos acabar também E
  • 256. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 256 com a raça amarela e com os muçulmanos que estão no continente asiático Quero todos os aviões do terceiro reich bombardeando aqueles lugares! Quero todos os aviões mais modernos disparando as mais poderosas armas de destruição em massa! Vamos repovoar aqueles continentes com a raça branca! Também quero um exército de neonazistas invadindo Israel! Não quero nenhum judeu vivo para contar histórias! Atacar! Depois que deu suas ordens, Franz foi procurado por Paulo: - Temos más notícias Franz! A equipe que foi desenterrar o cigano Hiago foi dizimada, e o corpo dele não está mais ali! Marcos foi morto por doutor Berg junto com quatro homens. _Franz olhou para Paulo com desdém e falou: - Não tem importância! Está tudo sob controle! O importante é que a raça branca irá dominar o mundo! Agora saia daqui e vá comandar o seu grupo! _Marcos fez a saudação nazista e partiu. Franz deu um sorriso diabólico e falou num tom de voz que só ele podia ouvir: - Vai lá seu idiota! O que eu realmente quero, é acabar com a raça humana! Não importa a cor da pele! Os seres humanos têm que sair, para dar lugar aos seres das trevas! _Em seguida, Franz deu uma gargalhada maquiavélica.
  • 257. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 257 Cigano Mutante Próximo ao cemitério, Cigano Mutante e seu lobo de estimação estavam lado a lado. O cigano acariciou a cabeça do animal e falou: - Chegou o momento meu fiel amigo! Vamos acabar com os gadjôs que querem destruir o meu povo! Hoje eles irão conhecer a fúria do Cigano Mutante! – Em seguida, levantou as mãos para o céu e bradou: - Animais do mundo inteiro! A partir de agora vocês irão me servir! Todos vocês ficarão gigantes e deverão exterminar todo o ser humano que não for cigano! Que comece a destruição! _A partir daquele instante, Cigano Mutante transformou Lobo numa gigantesca fera. Depois conferiu a si próprio o tamanho de quatro metros de altura. Sua cabeça se transformou numa cabeça de Leão. Seu corpo e seus braços ficaram semelhantes aos de um urso. Suas pernas se transformaram em enormes patas de elefante.
  • 258. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 258 Em suas costas, surgiram duas gigantescas asas de morcego. Todos os animais do mundo ficaram com proporções gigantescas, alguns chegando a atingir uma altura equivalente a cinco metros, sendo que os olhos de todos ficaram amarelos. nquanto isso, Hor chegava ao centro do Sol para destruir a falsa máscara. O filho de Osorkon ficou encantado com o privilégio de ser o único ser humano capaz de visitar o Astro Rei e sair vivo. Quando Hor largou a máscara no centro do Sol, vários raios escuros começaram a sair da mesma, e ela começou a derreter. Na medida em que ela derretia, muitos raios de luz dourada envolviam os raios escuros, fazendo-os também desaparecer. Hor acompanhou toda a destruição da máscara até ela desaparecer por completo. Logo que ela sumiu, Hor viu aparecer à própria imagem diante de si mesmo. Era como se estivesse diante de um clone dele próprio. A imagem estava com um olhar furioso. A mesma fitou Hor e falou: - Você não vai me deixar morrer aqui, vai? Eu não posso ser destruído! Todos os seres humanos necessitam de mim para sobreviver no mundo material... Até você que é um super-herói, precisa! Se você voltar ao planeta Terra sem a minha ajuda, será aniquilado! Sou eu quem faz você sobreviver no mundo... Você precisa ter auto-estima e amor próprio! Sem eu, você não conseguirá ver a maldade do planeta... Eu revelo o que existe de mal ao seu redor. Eu também faço você ver a beleza das mulheres, faço você exigir os pratos mais saborosos que existem na E
  • 259. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 259 culinária, eu defendo o seu corpo... Eu lembro a você que o seu corpo pode te dar prazer! Eu faço você ficar desconfiado, porque existem inúmeras pessoas que não merecem confiança... Eu ativo o seu instinto de sobrevivência! Se você retornar à superfície e me deixar aqui, não conseguirá realizar sua missão quando regressar do Sol... –Quem é você? _Perguntou Hor. –Sou o seu ego!_ Respondeu a imagem que continuou falando... .-Enquanto você estava com a máscara falsa, era eu quem estava no comando, e você... Estava sem ação! A culpa não foi minha! Foi a máscara que nos separou! Da mesma forma que você quase foi destruído por causa disso, caso você volte ao planeta sem mim, não terá a menor chance de sobreviver, mesmo tendo super poderes, pois regressará apenas com metade de você... Vamos admitir que realmente foi uma catástrofe você ficar apenas sob meu comando, mas se você regressar agora, e ficar apenas sob o seu comando, será outra catástrofe na sua vida! Você achará que todo mundo é bom, que só devemos ver o que é bom... Será inocente feito uma criança... Todos farão você de idiota! Você ficará pobre porque vai querer dar tudo o que é teu, até o ultimo centavo, por achar que deve ajudar ao próximo, e esquecer-se de si mesmo. Você precisa de certa dose de egoísmo, porque até a bondade em excesso, e de forma desgovernada, pode ser prejudicial. Aí sim, você ajudará o próximo como a ti mesmo, que é o verdadeiro legado dos servidores da Luz... Você já percebeu que, o excesso de um único lado, pode causar muitos problemas... Se você descer sozinho e estiver
  • 260. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 260 sem mim, quando ver um pedófilo atacar uma criancinha, não vai sentir aquela raiva necessária que eu provoco em você, que poderia conter o criminoso... Na verdade, as pessoas se revoltam com esse tipo de coisa porque no fundo imaginam como seria terrível caso acontecesse o mesmo em si próprias, ou com quem elas amam. Essa sensação acaba levando o ser humano a ser mais solidário e a praticar o amor, mas ela só existe porque o ego trabalhou antes. Para viver no planeta Terra, você precisa ter as duas forças ativas dentro de você... A força do coração e a do ego... Você possui livre arbítrio para escolher e decidir qual você irá obedecer, ou, melhor ainda, como equilibrar as duas forças... _Hor ficou pensativo por alguns instantes e falou: - Mas você me fez ofender o meu tio Carlos, ofender a memória de meu pai, trair e magoar a minha noiva, matar as pessoas e instigar os outros a matar... Disebek quase se apoderou do meu corpo por sua causa! _A imagem respondeu... –Isso aconteceu porque você não estava comigo! _Hor parou por alguns segundos, pensativo, e depois de um tempo perguntou... –E quem sou eu? _A imagem respondeu... . –Isso você só vai descobrir se me levar de volta contigo!Você ao mesmo tempo em que é o seu coração, também é o seu livre arbítrio... Mas descobrir a si mesmo é algo muito sutil, e sem mim, isso será impossível... Repito: a única maneira de conhecer a si mesmo será me levando contigo! Você precisou vir ao centro do Sol para descobrir isso... Fui eu quem te dei a coragem para brigar com os garotos que faziam as coisas erradas! Fui eu quem, na sua infância, fez
  • 261. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 261 você defender o gato daquela pobre senhora! Fui eu quem fez você saltar de pára-quedas e praticar esportes radicais! Fui eu quem te deu alegria em cada gol que você marcava, quando jogava bola! E o sucesso que você faz com as mulheres? Isso não lhe fazia bem? Fui eu quem proporcionou tudo isso!Você apenas sentia felicidade com tudo isso porque eu tornava tudo agradável... –É, mas só que no episódio do pára-quedas, eu poderia ter morrido! –Mas sua consciência alertou-o sobre isso! A escolha de pular foi sua! Eu apenas lhe dei a coragem! E outra coisa... Se não fosse o salto com o pára-quedas, você não teria descoberto tão cedo que Osorkon foi Rudamon! Você é o coração, eu sou a coragem! E vice-versa!Um coração sem a coragem, não pode sobreviver no planeta Terra! Mas ao mesmo tempo eu também faço você sentir o medo... O medo é necessário para ativar sua capacidade de proteção e defesa... O medo é necessário para tornar você prudente... Fui criado para ser o seu servidor! Todo rei precisa de um vassalo! Por favor, não me abandone!Estenda suas mãos para mim e me leve com você... _ Dito isso, a imagem estendeu suas mãos a Hor, que parou, pensou um pouco, e com um olhar meio apreensivo também estendeu suas mãos de volta a ela, que sorriu para ele no mesmo instante e falou... –Parabéns Hor! Você passou no teste! Eu sou a voz da sua consciência... Você aprendeu a me escutar! É a mim que você deve ouvir sempre! Eu me fiz passar pelo seu ego e mesclei algumas lições minhas durante a fala, apenas para ver até onde você iria... Agora você já sabe a importância de saber
  • 262. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 262 equilibrar o coração com o ego, e já está pronto para ser um verdadeiro herói! É a mim que você deve ouvir sempre... Agora você já está pronto para conhecer a si mesmo! Os dois aproximaram-se e a imagem mesclou-se com Hor, transformando-os numa só pessoa. Hor respirou profundamente, sorriu com uma forte expressão de confiança, fechou os olhos e preparou o seu regresso ao planeta Terra. nquanto isso, na casa de doutor Carlos, Huni que acabara de chegar do Egito, estava admirado com a história que acabara de ouvir... –Que saudades de Osorkon! Você e Hor tiveram um imenso privilégio em ter o mesmo sonho! Eu diria que essa é uma prova sutil de que o contato com o plano espiritual é possível... Fiquei muito feliz que Osorkon levou ao mundo dos mortos a informação que eu lhe fiquei devendo. Pelo menos nisso, Sahathor não me traiu! –E agora senhor Huni? Como que Hor poderá recuperar a máscara verdadeira? _Perguntou doutor Carlos._Huni esboçou uma expressão de preocupação... – Infelizmente, Hor não poderá mais usar a máscara que está com Serpentus! Ela foi maculada pelas forças do mal. _Huni ficou pensativo por alguns instantes e depois falou em tom de empolgação... –Agora a profecia dos manuscritos faz sentido!_Doutor Carlos fez uma expressão de curiosidade... –Qual profecia? _Huni prosseguiu... –Segundo os manuscritos Waja-Hur, todo o mestre que trair um juramento, deverá receber uma punição e ficar com uma aparência que sempre fará as pessoas se lembrarem que ele traiu as forças do bem! Quando o primeiro Rudamon foi morto, um ser com uma cabeça de cobra naja E
  • 263. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 263 observava a cena, segurando um objeto de ouro que provavelmente devia ser o cubo do tempo de Seth, que na verdade pertence a Serpentum, o senhor do tempo! As peças estão começando a se encaixar nessa história... Eu preciso encontrar Sahathor para tirar essa dúvida! _Doutor Carlos expressou certo ar de curiosidade... –Como ele poderia lhe esclarecer? _Huni respondeu... –Sahathor traiu a nossa Ordem! Provavelmente ele deve ter sido castigado pelos deuses! Qual a melhor punição para todos saberem que ele traiu o bem? Apóphis é uma serpente! A punição que os deuses conferem aos mestres traidores é essa! Segundo os nossos escritos, o homem que observava a cena tinha braços de serpentes e cabeça de naja! Existe aparência pior do que essa, para punir um traidor? _Doutor Carlos fez uma cara de quem estava começando a entender... –Sei, mas onde você está querendo chegar? –A única pessoa que pode no momento viajar no tempo e trazer a máscara em seu estado puro, é Sahathor. Se ele realmente estiver com a caixa do tempo de Seth, conforme eu estou suspeitando, basta que ele a utilize a serviço do bem, para ter uma nova chance de ser perdoado e voltar à forma humana que ele tinha anteriormente! Doutor Carlos mostrou um ar de empolgação... –Deixa-me ver se eu entendi... Então essa loucura toda é mais ou menos um tipo de efeito borboleta? Pelo o que eu entendi a criatura que pegou essa máscara, conforme os manuscritos, de repente pode ser o próprio Sahator? E o episódio voltará a acontecer,
  • 264. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 264 caso ele concorde? Ou seja, se ele voltar no tempo e pegar a máscara logo que o primeiro Rudamon morrer, ele a conseguirá no seu estado puro e poderá trazê-la para Hor? Huni mostrou-se mais empolgado que doutor Carlos... –É isso! Sahathor ainda tem uma chance! Eu tenho quase certeza de que ele é criatura mencionada nos manuscritos da nossa Ordem! Segundo o sonho que vocês tiveram, Osorkon matou a outra charada! A única forma para que os erros históricos não se repitam, é fazer com que Hor não me entregue essa máscara novamente, no dia 17/11/1975. Eu só não consegui entender até agora, o porquê Hor me entregou essa máscara um dia antes do pai dele nascer... Doutor Carlos perguntou... –E não seria mais fácil fazer o Sahator viajar no tempo e regressar no dia em que Osorkon morreu? Já que somente você estava por perto? Não sabemos os riscos que Sahator correrá se regressar ao período anterior ao Egito Antigo. _Huni respondeu... –Esse seria um risco muito grande... Implicaria no tal efeito borboleta... Se nos guiarmos pelos manuscritos, a missão de Sahator será mais segura, e a história da humanidade não sofrerá muitos impactos... _Doutor Carlos prosseguiu... E como você pretende encontrar Sahator? Pelo jeito isso não será muito fácil de conseguir!Se ele estiver com uma aparência tão horripilante que nem essa, deve estar muito bem escondido.
  • 265. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 265 Doutor Carlos expressou preocupação. Huni expressou um ar de segurança... -Eu tenho os meus truques para encontrar as pessoas. Já ouviu falar em rabdomancia? Felizmente, eu tenho uma foto e um objeto pessoal de Sahathor na minha carteira. Isso poderá facilitar a busca. Mas só usarei este recurso em última instância. Primeiro, investigarei nos hotéis da cidade, para ver se encontro alguma pista. De repente, Huni é interrompido pelo toque da campainha... –Encomenda para o senhor Carlos! _Gritou uma voz vinda da rua. Doutor Carlos dirigiu-se até a porta da sala e apanhou um imenso pacote. Após assinar o recebimento do mesmo e agradecer ao carteiro, doutor Carlos entrou eufórico e colocou o pacote sobre a mesa da sala... –A réplica da máscara chegou! _Disse o médico com um grande sorriso... –Agora verdadeiro Rudamon entrará em ação! O mundo pode já ter esperança! _Completou Huni com um sorriso confiante.
  • 266. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 266 19° Capítulo A Guerra Sangrenta o campo de concentração de Curitiba, o vazio tomava conta do local. O silêncio era mórbido e a atmosfera de morte pairava sobre ar. Todos os seres humanos da região, que precisavam ser exterminados pela ideologia neonazista, estavam mortos. A maioria dos corpos tinha sido soterrada em profundas valas, enquanto outros ficavam expostos, apodrecendo lentamente. O forte cheiro de carniça daqueles corpos atraía moscas varejeiras e urubus que sobrevoavam o local quebrando todo aquele silêncio em busca de refeição. O contingente de neonazistas havia sido convocado para a destruição dos continentes africano e asiático, além do ataque a Israel. Em meio àquele mórbido silêncio que imperava naquela atmosfera de mortes trágicas, um punhado de terra de uma das valas começou a se mexer. Eis que primeiro surge uma mão negra, fina e delicada. Em seguida, todo o resto do corpo começa a sair de dentro da terra, bem lentamente e com muita dificuldade. Era Nadila! Após tossir muito e retirar parte daquela terra que estava sujando sua roupa, Nadila olhou ao redor, ficando pensativa por uns instantes. Nadila falou consigo mesma. –Que estranho... Que coisa mais incrível! Eu levei todos aqueles tiros, fui soterrada e ainda estou viva... Eu nem estou ferida... Não há uma única marca de bala sequer em meu corpo... Nada de ferimento! N
  • 267. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 267 _Nadila sorriu, ao mesmo tempo em que seus olhos se encheram de lágrimas e falou com a voz embaraçada... – Deus, me perdoe por eu ter duvidado da sua existência! m Israel, Yehuda terminava de comandar mais um treinamento de Krav-Magá. Os homens do seu exército transpiravam muito, porque o treinamento daquela arte marcial israelense era muito exaustivo. _ Nesse meio tempo o General Shimon aproximou-se, e todos bateram continência para ele. General Shimon, além de superior militar hierárquico também era mestre Cabalista de Yehuda. Shimon dirigiu-se ao seu discípulo... –Yehuda, precisamos nos falar! _Yehuda olhou para o seu batalhão e ordenou: - Eu quero todos os homens prontos e posicionados dentro de 20 minutos!_Dito isso, acompanhou Shimon ao quartel general. Yehuda sentou-se logo após seu mestre... –Pode falar digno mestre, estou pronto para ouvi-lo! –Meu caro Yehuda... Eu sempre lhe ensinei que o conhecimento da verdade foi ramificado para protegê-la dos seres humanos profanos. A defesa da nossa raça e da tradição cabalista é fundamental! Mas tu sabes que o mais importante no momento é a proteção da coroa de Ísis, que está muito bem escondida em nosso território. Tu sabes que os egípcios confiaram-na ao nosso povo, a fim de que as forças do mal não pudessem encontrá- la. Se esse objeto sagrado cair em mãos erradas, a humanidade estará condenada à extinção! E
  • 268. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 268 Segundo os ensinamentos dos manuscritos da tradição antiga, caso consigamos vencer as forças inimigas, tu deverás entregar a coroa de Ísis somente a um mestre Waja-Hur, desde que o mesmo esteja acompanhado de uma mulher negra. Caso ele venha solicitar a coroa de Ísis, para que você possa entregá-la, peça ao mesmo que lhe diga as três palavras chaves que o identificarão como um autêntico mestre Waja- Hur. As palavras são essas... _General Shimon posicionou-se para cochichar as palavras no ouvido de Yehuda, cochichou- as e prosseguiu... Caso ele diga as palavras corretas, você ainda deverá fazer um ultimo teste. Você deve solicitar à mulher negra para que lhe estenda um dos braços, e deve fazer um pequeno corte no braço dela, usando a sua faca. Caso a cicatrização do corte ocorra de modo instantâneo, você poderá entregar a coroa de Ísis ao mestre Waja-Hur... Caso contrário, não a entregue, sob hipótese alguma! Proteja- a de toda forma! Guarde bem esse segredo com você! Jamais revele essas palavras a ninguém!_Yehuda respondeu... –Pode ficar tranqüilo amado mestre! Tu sabes que podes confiar em mim, e que se preciso for, eu darei a minha vida para proteger a coroa de Ísis!_Shimon levantou-se junto com Yehuda, abraçou-o e lhe disse... –Vá para o campo de batalha bravo guerreiro semita! Que o Eterno proteja você e o seu exército! Shalom! –Shalom! _Respondeu Yehuda que logo após agradecer Shimon dirigiu-se até onde o seu batalhão já estava posicionado. Yehuda olhou firmemente para cada um dos seus homens e bradou: - Chegou o momento! Houve um período da história em que milhões de pessoas do nosso povo morreram
  • 269. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 269 injustamente por causa da crueldade nazista! Não podemos deixar isso se repetir! Todos nós sabemos que os neonazistas possuem um ponto vulnerável... A garganta! Por isso, cada um de vocês recebeu uma espada afiadíssima. Vocês foram muito bem treinados para desarmar os inimigos e conhecem bem as técnicas de combate corpo a corpo. Jamais deixem de lutar, por mais fortes que eles possam parecer! Vocês foram treinados para matar qualquer oponente, em qualquer situação! _Yehuda olhou à sua esquerda e prosseguiu... - Homens que ficarão na retaguarda! Vocês são os melhores atiradores de elite que Israel já teve! Vocês estarão armados com a melhor tecnologia de mísseis que conseguimos! Temos muita munição! Mirem sempre na garganta dos neonazistas! Procurem eliminá-los à distância! Eliminem o maior número de soldados do contingente inimigo que vocês puderem, antes que eles se aproximem! Quando alguns neonazistas conseguirem escapar dos mísseis, caso se aproxime, não tenha dúvidas! Cortem suas cabeças sem pestanejar! Não podemos deixá-los invadir o nosso território e saírem daqui vitoriosos! Por mais que Serpentus ressuscite-os, lutaremos até o limite da exaustão! Resistiremos bravamente, enquanto tivermos vida! Se tivermos que morrer... Que seja lutando! _Yehuda levantou sua arma e gritou... –Guerra! –Vitória! _Todos os soldados levantaram suas armas e bradaram em uníssono... –Guerra! –Vitória! nquanto isso no continente Africano, a esquadrilha nazista invadia e bombardeava os territórios de vários países. As pessoas corriam para todos os lados, desesperadas. As explosões geravam sofrimentos, mortes e pânico. Mulheres corriam aflitas com seus filhos no colo, e E
  • 270. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 270 eram arremessadas à distância por causa das explosões. Inúmeros incêndios começaram a ocorrer em vários lugares. Enormes construções desmoronavam em segundos. Dentro de um dos aviões, o piloto conversava com o co-piloto... –Eu nunca na minha vida imaginei que fosse possível viajar ao futuro, e que eu teria o privilégio de fazer isso! Eu também não imaginava que teríamos um líder mais poderoso que o Fuher! _Assustado, o co-piloto interrompeu-o... –Minha nossa! Tem um ciclone vindo com tudo em nossa direção! Nós vamos cair! _Dito isso, o avião em que estavam, ficou desgovernado e começou a cair com toda a velocidade em direção ao chão. Ambos gritaram antes da forte explosão que os matou, logo após o avião chocar-se com a torre de uma igreja Aquele foi só o começo da destruição que um enorme, gigantesco e furioso ciclone faria com suas fortes rajadas de vento, desgovernando o vôo dos aviões nazistas que não resistiam à sua força. Os pilotos perdiam o controle do vôo e seus aviões acabavam explodindo. Cada avião que estava bombardeando os países africanos não conseguia resistir à força daquelas rajadas de vento. Alguns se chocavam contra prédios, outros contra montanhas, outros contra árvores e a maioria deles explodia indo direto ao chão. O ciclone era muito forte e os pilotos não tinham o que fazer. Todos os aviões foram destruídos pelas fortes rajadas de vento, um a um. Os ciclones só terminaram depois que o último avião foi destruído.
  • 271. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 271 Do centro do furacão surgiu Roberto. O cientista estava com uma aparência física totalmente diferente. Antes, ele era um pesquisador franzino que utilizava um comprido jaleco branco. Agora, estava com um físico enorme e musculoso, careca e com poderes sobrenaturais incríveis. Roberto teve um trauma psicológico muito forte por causa da agressão sofrida pelos neonazistas. Esse trauma aliado à fórmula de doutor Berg, a ao acidente radioativo com o seu teletransportador humano, fizeram com que Roberto passasse a odiar a raça branca. Ele estava com muito ódio e queria vingança. Roberto tinha sede de exterminar a raça branca do planeta Terra. Os poderes adquiridos por Roberto o faziam atingir o tamanho que quisesse, e naquele instante, ele assumiu uma forma gigantesca tão espetacular, que podia ser visto por todo
  • 272. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 272 o continente africano. Com uma voz bastante grave e estridente, Roberto, que além de tecnólogo era poliglota e falava sete idiomas diferentes, bradou... –Irmãos da raça negra! Chegou o momento de reagirmos à intolerância racial! Vamos acabar com aqueles que se acham superiores a nós! Peguem todo o arsenal que puderem e vamos começar a destruição dos brancos! Vamos atacar o continente europeu! Aquele local é o berço maldito da discriminação racial que sofremos hoje! A partir de hoje, vocês estarão sob o meu comando! Sou Vendaval, o soldado negro! Comecemos a matança! Não quero mais nenhum branco sobre a face da Terra! _Vendaval repetiu quatro vezes o que disse. A primeira falou em inglês, a segunda em francês, a terceira em português, e por último em Árabe. Roberto sabia que naquele continente a quantidade de línguas faladas supera a de qualquer outro. No entanto, os centros urbanos de vários países africanos adotam a língua dos antigos colonizadores, e o idioma árabe é predominante entre as nações da costa do Mediterrâneo. Vendaval teve certeza que o seu recado estava bem dado. m vários lugares do planeta, judeus, negros, ciganos, hispânicos, mestiços, asiáticos e homossexuais eram perseguidos incansavelmente pelos neonazistas. Pessoas eram espancadas, torturadas e mortas. Mulheres eram estupradas. Enquanto os neonazistas atacavam os locais onde Franz havia ordenado, o exército comandado por Vendaval invadiu o continente europeu e começou o massacre de todas as pessoas brancas que encontravam pela frente. Os que não E
  • 273. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 273 eram destruídos pelo exército negro, morriam por causa das rajadas de ar de Vendaval, que liberava substâncias químicas mortais através das mesmas. Para piorar a situação, os animais gigantes que estavam sob o comando do Cigano Mutante, começaram a devorar todas as pessoas que não pertenciam ao povo cigano. Na medida em que todo aquele sangue era derramado no planeta, Serpentus ficava cada vez mais forte, e aparecia em vários lugares, usando o seu raio aguilhão para destruir qualquer ser humano que atravessasse o seu caminho, inclusive os da própria raça branca. O caos e o pânico estavam espalhados por toda à parte do mundo. No Brasil, Ígnus saía pelas ruas roubando pessoas, casas, comércios e utilizava o seu maçarico espalhando terror e morte.
  • 274. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 274 20º Capítulo Rudamon Voltou! nquanto isso na Suécia, uma menininha de cabelos loiros e cacheados, abraçava fortemente o seu pobre gatinho de estimação que estava tão assustado quanto ela. Aquele barulho de guerra e morte deixou sua família inteira em pânico. O casal sueco e seus três filhos estavam escondidos debaixo do sótão da casa. O local era enorme, e o estoque de comida e água que o pai da garotinha havia armazenado, seria o suficiente para que sobrevivessem por vários dias. A garotinha acariciava o seu animal de estimação quando de repente, os olhos do animal ficaram amarelos, e ele emitiu um alto grunhido, saltando de seu colo, logo após arranhá-la no E
  • 275. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 275 braço. Sangrando, a garotinha começou a chorar. Os olhos do gato estavam assustadores, e, de repente o animal começou a aumentar o seu tamanho de forma espantosa, destruindo o sótão de modo que escombros começaram a cair por todos os lados. Um enorme bloco de concreto caiu em cima da perna de um dos irmãos da garotinha, que começou a dar desesperados gritos de dor. O gato, que nessa altura mais parecia um gigantesco tigre, desferiu uma patada forte no outro irmão da garotinha. O garoto foi arremessado violentamente contra a parede, caindo morto ao chão. Após desferir a patada, o gato olhou para o pai da garotinha, emitindo um grunhido de fúria e muito ódio naquele olhar amarelado, e avançou para cima do mesmo, abocanhando-o e engolindo-o sem ao menos mastigá-lo. Após devorar o pai da garotinha, o gato começou a aproximar-se dela e da mãe, que estavam abraçadas e próximas ao irmãozinho que estava com o bloco de concreto esmagando sua perna. O gato grunhia com ódio e fúria. Elas gritavam desesperadas. De repente, atrás do gato, eis que surge Rudamon. O herói pega o gigantesco gato pelo rabo, e começa a rodopiá-lo com uma velocidade espantosa, arremessando-o bem longe dali. Rudamon aproxima-se do irmãozinho da menina, levanta o pedaço de bloco de concreto jogando-o para o lado, e toca a testa do garoto, curando-o. Em seguida, o herói aproxima-se do corpo do outro irmão, agachando-se e tocando o coração do mesmo para ressuscitá-lo. O garotinho abre os olhos, sorri e diz... –É você Rudamon? _A mãe corre para abraçar o filho, começa a chorar e fala... –Muito obrigado Rudamon! Que
  • 276. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 276 bom que você voltou! _A garotinha diz com a voz trêmula... – Rudamon, meu gatinho engoliu o papai. _Nessa altura o gato já estava vindo com toda a fúria pelas costas do herói, dando um enorme pulo, abocanhando-o e engolindo-o. A mãe e os três filhos ficaram desesperados porque o gato engoliu Rudamon, e novamente se aproximava deles, agora com mais fúria no olhar. De repente o gato emitiu um desesperado grunhido de dor e caiu desmaiado ao chão. Abraçados e muito próximos, a mãe e os três filhos estavam com uma expressão de medo e suspense no olhar. De repente eles conseguem ver a boca do gato se abrindo. Dentro dela eles enxergam Rudamon levantando aqueles gigantescos dentes do animal. A garotinha dá um enorme sorriso, porque vê o seu pai saindo de dentro do animal, também sorrindo de felicidade e indo em direção à sua família para abraçá-los. Rudamon sai logo depois. Ele toca cabeça do gato desmaiado e diz com sua voz firme e estrondosa... –A partir de agora, todos os gatos do planeta estão curados e imunes dessa maldição! _O gato da garotinha voltou ao tamanho normal e despertou. Todos os gatos do mundo estavam curados. Rudamon pegou o gatinho no colo, aproximou-se da garotinha e com a mão que não segurava o gato, tocou-lhe a testa. Os arranhões que o gato havia feito no braço da menina, sumiram instantaneamente. O herói entregou o gatinho nas mãos da garotinha, olhou para ela e falou... –Pode ficar tranqüila! O seu gatinho nunca mais fará isso! _A menina sorriu e disse ao herói... –Muito
  • 277. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 277 obrigado Rudamon! _Rudamon olhou para a garotinha e seus familiares e falou com sua voz firme e estrondosa... – Procurem se proteger! Eu prometo que em breve tudo voltará ao normal! _ Rudamon desapareceu. A mãe da garotinha sorriu e disse... –Vocês viram? Ele voltou a curar e a ressuscitar os mortos! Esse é o verdadeiro Rudamon! _A garotinha sorriu e disse... –Viva o Rudamon! nquanto isso, em meio ao alto mar, no Oceano Atlântico, havia um enorme navio de milionários que estavam acompanhados de seus familiares, amigos e familiares de amigos. O navio estava parado sobre as águas. Aquele navio tinha uma história... Quando começou a perceber que uma guerra estava iminente, um empresário milionário do ramo naval havia sugerido aos amigos, também milionários, que juntassem suas forças e investissem em um navio que fosse seguro e que fornecesse todas as condições suficientes para sobreviverem durante um longo período em alto mar, afinal, as coisas poderiam ficar feias... E elas ficaram! E o navio realmente precisou ser utilizado... O navio era muito confortável e apresentava uma fantástica estrutura. Havia mantimentos e suprimentos o suficiente para que ficassem protegidos por pelo menos dois anos. O navio comportava ao todo uma tripulação de sete mil pessoas, e estava utilizando o máximo de sua capacidade. Todos pareciam bem. Diante do que estava acontecendo no mundo, parecia que nada havia mudado na vida daquelas pessoas. A impressão que tinham é que estavam fazendo apenas mais um cruzeiro. O que elas não imaginavam, é que no fundo do mar, E
  • 278. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 278 três tubarões perceberam que acima da água havia alguma “coisa” se movendo... E que essa “coisa” seriam eles, e que chamaria a atenção desses tubarões... E que para piorar, de repente, os olhos desses tubarões ficariam amarelos e eles aumentariam de tamanho e ficariam monstruosos... E o pior... Que os atacariam. Naquele exato momento, a vida daquelas pessoas seguia tranquilamente no navio. Uns conversavam sobre a linda noite que estava fazendo, outros estavam no cassino, outros na balada, outros na academia. Alguns comiam no restaurante enquanto outros preferiam ler. Alguns observavam o mar. O misterioso mar que estava sendo iluminado pela lua cheia daquela magnífica noite de céu estrelado. Um casal de namorados que estava abraçado, contemplava o mar, a lua e as estrelas... – O mar está tão lindo com essa lua cheia! Que céu maravilhoso e estrelado! _Disse a namorada. O namorado respondeu... –Eu particularmente preferia estar em terra. Eu acho o mar muito medonho, principalmente à noite! Sei lá... Parece que pode sair alguma criatura das águas! _A namorada riu e carinhosamente disse... –Como você é bobo! _Logo que a moça terminou de falar, um gigantesco tubarão de olhos amarelos pulou sobre o navio, abocanhando o casal e mais trinta pessoas ao mesmo tempo e voltando para o mar. O navio começou inicialmente a tremer e depois balançar de forma violenta. Todas as coisas que estavam dentro do navio começaram a cair. Naquele instante, a correria e o pânico invadiram o interior do navio. Algumas pessoas caíam, outras eram pisoteadas, outras tropeçavam e havia muita gritaria. Na
  • 279. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 279 tentativa de sobreviver, alguns pulavam desesperados na água... Mas não havia como sair dali. Enquanto um dos tubarões devorava o casco do navio, os outros dois devoravam as pessoas que pulavam na água. De repente, eis que surge Rudamon. O herói disparou o raio aguilhão de seus olhos nos monstruosos tubarões, que recuaram e começaram a fugir para o fundo do mar. Rudamon ficou em pé, sobre as águas, e utilizou o raio de suas mãos para transportar o navio com segurança até uma pequena ilha que estava próxima dali. O herói foi até a ilha, levantou suas mãos para o alto e bradou sua voz firme e estrondosa... –Nesse momento estou curando todas as pessoas que estão feridas nessa ilha! _O herói aproximou-se de uma senhora bastante idosa, que estava muito machucada e chorando de dor. Rudamon colocou suas mãos sobre a testa da senhora, curando-a. Isso fez com que ao mesmo tempo, todos os que estavam feridos naquela ilha também fossem curados. _A pobre senhora recuperou-se no mesmo instante, segurou nas mãos do herói e lhe disse... –Deus lhe pague meu filho! _ Depois de realizar a cura, Rudamon olhou para todos e falou com sua voz firme e estrondosa... –Todos vocês devem se afastar o máximo que puderem da beira da praia!_As pessoas obedeceram-no imediatamente. Dito isso Rudamon olhou para o mar e ficou pensativo por alguns segundos... De repente, por detrás da máscara Hor teve um flash de lembrança do sonho que teve com Osorkon... “Caso você necessite, também pode aumentar o seu tamanho em até três metros de altura! Apenas com a força do pensamento...
  • 280. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 280 Lembre-se que todos os poderes estão em sua mente!” _Hor sorriu por detrás da máscara e Rudamon atingiu o seu tamanho máximo de três metros de altura e dirigiu-se ao fundo do mar, até o local onde estavam os tubarões gigantescos. O herói apontou suas mãos para eles, disparando o raio das mesmas, de modo que envolveu os três tubarões em um campo de força de luz dourada. Rudamon utilizou o raio de suas mãos para levantar o campo de força onde estavam os tubarões, e ao mesmo tempo em que os levantava, foi soerguendo-se lentamente na água, até chegar à superfície do mar, ficando em pé sobre a mesma... Seus braços estavam estendidos para cima e os três tubarões estavam acima da sua cabeça, dentro no campo de força... Rudamon utilizou o raio de suas mãos para arremessá-los à beira da praia. Ao caírem na areia, os tubarões começaram a se debater, logo após o campo de força se desfazer. Rudamon aproximou-se dos três tubarões e disparou o raio aguilhão de seus olhos contra eles, que ficaram imobilizados, mas ainda vivos. O herói levantou seus braços para o céu e bradou com sua voz firme e estrondosa... –Pessoas que foram devoradas por esses animais! Ressuscitai-vos! _Rudamon aproximou-se de um dos tubarões e usou toda sua força para abrir a boca do mesmo... Várias pessoas começaram a sair de dentro do tubarão. O casal de namorados, que saiu por último, abraçou de forma desajeitada aquele herói que estava enorme perto deles, agradecendo-o. A namorada saiu de mãos dadas com seu namorado e disse ao mesmo... –Boca santa que você tem, hein? Pelo amor de Deus, daqui pra frente tome muito cuidado com o que for dizer! _Apesar de ainda muito
  • 281. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 281 assustados, o casal conseguiu rir um pouco. Todos que estavam na ilha, assistiram toda à cena e aplaudiram. Rudamon fez a mesma coisa para salvar as pessoas que estavam nos outros dois tubarões. Cada vez mais o herói recebia aplausos. Após ressuscitar as pessoas, Rudamon tocou no coração do tubarão que estava mais próximo falou com sua voz firme e estrondosa... –Animais aquáticos do planeta Terra! Eu os curo a todos, e liberto-vos dessa maldição! _No mesmo instante os três tubarões voltaram ao tamanho normal. Rudamon envolveu-os com seu campo de força, e utilizou os raios de suas mãos, erguendo-os bem alto, arremessando-os de volta ao alto mar. O herói foi novamente aplaudido por todos. _Rudamon voltou ao seu tamanho normal, olhou para todos na ilha e bradou com sua voz firme e estrondosa... –Vocês devem ficar abrigados nessa ilha, de preferência dentro do navio, até toda essa tragédia acabar! Eu prometo a vocês que quando tudo isso terminar, vai parecer que nunca nada disso aconteceu! _Dito isso, Rudamon desapareceu. m todas as partes do mundo, aves gigantescas sobrevoavam e devoravam todas as pessoas que viam pela frente. Eram águias, corvos, urubus, morcegos (nos locais onde era noite). Enquanto isso na Índia, um avião da cruz vermelha transportava muitos medicamentos e curativos, e estava cheio de profissionais da saúde que eram voluntários. A aeronave E
  • 282. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 282 voava com a missão de pousar a pouco mais de cinqüenta quilômetros, para atender dezenas de crianças feridas, vítimas de toda aquela catástrofe. De repente, o avião começou a ser atacado por duas gigantescas águias. A tripulação no interior do avião começou a gritar de desespero. Aquele transporte aéreo parecia um pequeno brinquedo, comparado ao tamanho daquelas águias. O piloto perdeu o controle e a aeronave começou a cair. Eis que de repente surge Rudamon! O herói utilizou o raio de suas mãos, ajudando o piloto a fazer uma aterrissagem segura. Depois de verificar se todos estavam bem, Rudamon disparou o seu raio aguilhão nas duas aves que já estavam dando um vôo rasante em direção a eles, com o intuito de devorá-los. As aves começaram a cair. Antes que as mesmas chegassem ao solo, Rudamon usou novamente o raio de suas mãos, criando um campo de força e reduzindo a velocidade da queda, conseguindo impedir que as aves ficassem feridas ou morressem. O herói aproximou-se das aves e tocou no coração das mesmas, dizendo com sua voz firme e estrondosa: - Nesse momento eu curo e liberto todas as aves do planeta dessa maldição! _As aves voltaram ao seu tamanho normal e saíram voando. O piloto do avião aproximou-se de Rudamon... –Muito obrigado por tudo Rudamon! Nós estávamos indo ajudar algumas crianças feridas que estão bem próximas daqui... Infelizmente muitos homens cruéis estão se aproveitando dessas catástrofes todas e realizando inúmeros estupros
  • 283. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 283 coletivos aqui na Índia. Todas as crianças que nós estávamos indo ajudar foram violentadas e estão abrigadas num convento de freiras. Eu percebi que você retomou seu poder de cura... Será que poderia ajudá-las? Eu acredito que sua ajuda será muito mais eficaz que a nossa... _Rudamon respondeu com sua voz firme e estrondosa: - Fique tranqüilo que além de ajudar essas crianças, eu também vou curar esse mal pela raiz... _Dito isso, o herói desapareceu. Ainda na Índia, um jovem casal de namorados que voltava da escola, fazia sinal para um micro ônibus parar. O veículo parou e o casalzinho apaixonado entrou. Dentro do veículo estavam dez homens mal encarados. De repente o micro ônibus parou do nada e três homens foram em direção ao namorado da moça, pegaram-no pelo braço e jogaram-no pra fora do veículo. O motorista do micro ônibus fechou a porta do veículo e acelerou. Um dos dez homens que estava no veículo, desabotoou a calça, olhou para a moça e falou... –Nós vamos nos divertir um pouco princesa! Três homens foram em direção à moça, seguraram-na com força e forçaram-na a se deitar no chão do veículo. A moça tentava reagir, gritava, se debatia, mas os agressores eram mais fortes que ela e estavam em maior número. Eis que surge Rudamon. O herói falou com sua voz firme e estrondosa... –Soltem a moça seus canalhas!_Um deles olhou para o herói, depois olhou para os amigos e falou... –Olhem rapazes! O herói que perdeu os poderes veio se meter
  • 284. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 284 conosco! _Todos eles começaram a rir. _Hor, por detrás da máscara, teve outro flash de memória do sonho que teve com o pai “Você pode controlar o raio aguilhão de seus olhos de duas formas... Ou faz seu oponente sentir dor momentânea... Ou pode puni-lo para sempre, castigando-o pelo próprio pensamento dele... Se ele ao menos pensar em repetir o erro, a dor da aguilhoada de doze escorpiões será sentida instantaneamente, bem no local onde você disparar o raio”... Rudamon olhou para o homem e disse... –Seria melhor que vocês, e todos os estupradores nojentos da face da Terra, começassem a pensar numa outra forma de se divertirem! A partir de hoje, a diversão de vocês chegará ao fim!_Dito isso o herói disparou seu raio aguilhão acertando os testículos do homem. Os dez homens caíram no chão ao mesmo tempo, sentindo muita dor. O motorista do micro ônibus precisou estacionar o veículo imediatamente, pois também não estava agüentando a dor que sentia. Rudamon dirigiu-se a moça e perguntou... –Você está bem? _A moça, assustada respondeu... –Estou sim Rudamon! Graças a você! Muito obrigada! Eles jogaram meu namorado para fora do micro ônibus. Você poderia me levar até ele e ver se ele está bem? _Rudamon respondeu... –Posso sim! _O herói segurou no braço da moça, olhou para os homens que estavam gritando de dor no chão do veículo e disse... –Hoje estou de bom humor! Vai doer só por meia hora... Na próxima vez que vocês pensarem em estuprar alguém, irão sentir essa dor por duas horas. Dito isso, Rudamon e a moça desapareceram do veículo.
  • 285. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 285 nquanto isso, nos centros das principais cidades do mundo, gigantescos cães, ratazanas e insetos atacavam e devoravam todos os “gadjôs” que viam pela frente. Rudamon surgiu bem no centro da cidade de São Paulo para combatê-los. O herói posicionou-se no arranha céu mais alto da cidade e começou a disparar o seu raio aguilhão nos gigantescos animais e insetos. À medida que todos estavam tombados e feridos o herói levantou-os com os raios de suas mãos, trazendo-os acima de sua cabeça e curando-os. Depois de fazer todos os animais e insetos do mundo voltar ao tamanho normal, Rudamon foi resolver os outros problemas que estavam afligindo a humanidade. Quando o Cigano Mutante percebeu que Lobo voltara ao tamanho normal, chamou mentalmente um pássaro que sobrevoava o local. O cigano conseguia se comunicar e entender a linguagem de todos os animais, pois os poderes da caixa lhe permitiam isso. O Cigano Mutante ficou furioso, quando o pássaro lhe disse que Rudamon fez todos os animais voltarem ao tamanho normal. _Furioso, Cigano Mutante esbravejou com sua voz estrondosa... –Herói desgraçado! Se você quer guerra, terá guerra! _Com o olhar furioso, o Cigano Mutante bradou... –Ciganos de todo o mundo! Transformai-vos em mutantes e assumam as características de animais que devoram escorpiões! Acabem com os gadjôs e destruam Rudamon!_ De repente, um halo amarelo envolveu o planeta inteiro, e os ciganos do mundo todo, que ainda estavam vivos, transformaram-se em E
  • 286. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 286 ciganos mutantes. Parte do corpo de todos eles permanecia humana, mas a outra parte assumia a característica de um animal predador de escorpiões. As mutações eram as mais diversas possíveis. O mundo começou a se deparar com seres bizarros. Em vários lugares, eram homens com cabeça de aves, rãs, galos, macacos e ratazanas. Alguns tinham cabeças humanas e o corpo de lacraias. O Cigano Mutante saiu pelas ruas de Florianópolis e começou a atacar suas vítimas pessoalmente. nquanto isso na Europa, um combate sangrento e violento se espalhava por todo o continente. O exército negro de Vendaval atacava as pessoas brancas com toda sua fúria. Alguns soldados negros enfrentavam os neonazistas. Parte do exército neonazista perseguia as minorias étnicas. Várias cabeças e corpos de neonazistas misturavam-se aos corpos de negros e brancos inocentes. O continente europeu estava imerso num mar de sangue. Vendaval, o soldado negro, asfixiava e matava todas as pessoas brancas que encontrava pela frente, através de suas poderosas rajadas de furacões químicos e radioativos. O caos estava por todos os lados. De repente, Rudamon surge diante do super vilão Vendaval e diz com sua voz firme e estrondosa... –Pare de matar essas pessoas Vendaval! _Vendaval olhou para Rudamon, e com um vozeirão mais grave e assustador que o do herói falou... – Saia da minha frente Rudamon! Tenho pessoas brancas para exterminar... Você está me atrapalhando! _Rudamon E
  • 287. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 287 respondeu... Não sairei da sua frente! Você precisa parar com essas matanças! _Vendaval respondeu... –Por que não vai até o Serpentus e faz com que ele pare primeiro? Ele está exterminando meus irmãos negros agora... Por um acaso você não tem coragem de enfrentá-lo, Rudamon? _Rudamon respondeu... –Meu problema agora é você! De Serpentus eu cuido depois! _Vendaval ficou furioso e falou... –Eu vou prosseguir com minha matança e destruição, e ninguém, nem você, irá me impedir! _Dito isso, Vendaval transformou-se num gigantesco e veloz ciclone, envolvendo Rudamon de um modo que o rodopiou a quase quinhentos quilômetros por hora. Vendaval fez isso por uns três minutos seguidos, logo em seguida parou e reassumiu sua forma normal. Rudamon estava completamente tonto, não sabia para que lado ir. Vendaval foi pra cima do herói, derrubou-o no chão e começou a socá-lo sem parar. O super vilão era muito forte, e por mais que Rudamon tivesse todos os poderes que tinha, estava sentindo muitas dores com os golpes desferidos por Vendaval. Depois de bater muito no herói, o super vilão olhou para o mesmo e disse... –Antes de matá-lo com minhas rajadas químicas e radioativas, vou saber quem você é! _Dito isso, Vendaval retirou a máscara de Rudamon. Ao retirar a máscara do herói e ver que se tratava de Hor, algo de humano que ainda existia em Vendaval foi despertado. O super vilão saiu imediatamente de cima de Hor, e ainda ajudou-o a levantá-lo. Hor levou certo tempo para recuperar- se da tontura e bem devagar foi retomando suas forças. Sem entender o que estava acontecendo, Hor perguntou ao
  • 288. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 288 Vendaval... –O que houve com você Vendaval? Por que você parou de me bater depois que retirou minha máscara? Por que mudou sua atitude? _Vendaval esboçou um pouco de tristeza no olhar e disse... –Você é o meu irmão branco! Eu não posso matá-lo! _Hor respondeu... Vendaval, você precisa considerar todos os seres humanos como irmãos. Independente da cor de pele! O que deu em você que, de repente, resolveu me considerar um irmão? _Vendaval respondeu... Você é meu cunhado Hor! _Hor ficou admirado... –Roberto? _Hor ficou um pouco pensativo e disse... Agora tudo faz sentido! Aquela explosão no laboratório... O seu desaparecimento... O ciclone que surgiu naquele dia... Eu só não entendo o porquê dessas ações que você tem praticado... Elas não fazem parte da sua natureza! _Roberto respondeu com muito ódio no olhar... -A guerra está declarada Hor! Eu não vou permitir que os brancos destruam a minha raça! E minha irmã Nadila? Como está? _Hor ficou com os olhos cheios de lágrimas e respondeu... –Ela foi capturada pelos neonazistas, e desde então desapareceu... _Vendaval ficou furioso e disse... –Mas você não pode usar seus poderes para encontrá-la? _Hor respondeu... –Existe alguma coisa muito estranha em relação à Nadila... Eu já tentei utilizar minha percepção para encontrá-la, e não consigo ter um feeling. Não consigo perceber se ela está viva ou morta... Se eu for te dar um exemplo, é como se um celular desse “fora de área”. _Vendaval ficou pensativo e expressando muito ódio prosseguiu... –Mais um motivo para eu acabar com esses brancos desgraçados! _Hor continuou... –Eu não sei como você adquiriu esses poderes, mas use-os
  • 289. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 289 para o bem! Eu estou precisando de aliados! _Vendaval continuou... –Não é uma questão de ser bom ou ruim, Hor! É uma questão de sobrevivência! Eu adquiri os meus poderes por causa da maldade da raça branca! _Hor exaltou-se... – Você não pode generalizar Roberto! Não importa a qual raça os seres humanos pertençam, em todas as raças existem pessoas boas e ruins! Também não importa a origem do seu poder! O mais importante é a escolha de como irá usá-lo e para qual força irá trabalhar! A guerra não pode ser contra nossos irmãos humanos! A principal guerra deve ser contra o mal que tenta corromper os nossos corações! Ele sim deve ser destruído! Junte-se a mim, Roberto! _ Vendaval bradou de forma furiosa... –Não me chame de Roberto! Sou Vendaval, o soldado negro! Saia da minha frente e me deixe em paz Hor! Eu só não o mato nesse instante por causa do amor que Nadila sente, ou sentiu por você... _Hor insistiu... –Você não está percebendo? Não é a raça branca que está querendo destruir o mundo! São as forças do mal que estão querendo acabar com todos os seres humanos! Elas estão fazendo uns destruírem aos outros! _Vendaval ficou pensativo por um tempo e falou... –E o que você quer que eu faça? Hor prosseguiu... –Neste momento, vários aviões estão bombardeando o continente asiático. Instrua os seus homens do exército negro a se aliarem com as pessoas da Europa apenas para se protegerem dos neonazistas. Infelizmente, por enquanto ainda terá que haver lutas e mortes, mas que seja só contra os neonazistas. Vá para a Ásia e crie uma rajada de vento para tirar os aviões de combate. Não mate mais
  • 290. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 290 ninguém! Eu sei que dentro de você ainda habita um ser humano fantástico! Ajude-me, meu irmão negro! Os olhos de Vendaval se encheram de lágrimas e sua voz ficou embaraçada... –Está bem Hor! Assim será feito! _Vendaval devolveu a máscara a Hor que a recolocou novamente, reassumindo o herói. Antes de sair, Rudamon ainda disse... –Quero aproveitar e te pedir mais uma coisa... Vendaval respondeu... –O que você quer agora, Rudamon?_O herói prosseguiu... –Aproveite que você é poliglota, e use o poder da tua palavra, que pode ser ouvida por todos, e peça para que as pessoas, independente de raça ou religião, comecem a fazer orações, cada qual a seu modo! Isso começará a enfraquecer o poder do mal!_Vendaval fez um gesto afirmativo com a cabeça... –Pode deixar comigo, Rudamon!_Após agradecer, o herói desapareceu... udamon reapareceu em Florianópolis bem no instante em que Cigano Mutante estava atacando a capital catarinense. No momento em que o super vilão se preparava para dar mais uma patada de urso em sua próxima vítima, Rudamon surgiu diante dele, segurando seus braços, que agora estavam transformados em potentes patas de urso, impedindo que o seu ataque fosse concretizado. Os dois começaram a lutar. Após trocarem alguns socos e chutes, o Cigano Mutante atingiu o tamanho de dez metros de altura e fez o mesmo com todos os ciganos mutantes que estavam próximos. O herói estava no centro de um círculo de seres bizarros e gigantescos. Rudamon parecia uma formiga perto R
  • 291. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 291 dos seus adversários. –Esmaguem e destruam Rudamon!_ Bradou o Cigano Mutante. O herói atingiu a sua altura máxima de três metros, o que não ajudou muito, pois mesmo assim, ainda estava muito menor em relação a seus algozes. Mal teve tempo para raciocinar, Rudamon fora atacado por Lobo, que pulou contra o herói e começou a mordê-lo, cravando suas presas no pescoço do mesmo. O animal era muito forte e estava conseguindo ferir Rudamon. O herói tentava desvencilhar-se a todo custo daquela gigantesca fera, mas Lobo era um adversário muito difícil de lidar, pelo fato de ser sobrenatural e também por ter regressado do mundo dos mortos. Rudamon rolava no chão com a fera, dava socos, chutes e pontapés, que inutilmente surtiam efeito. Tudo isso acontecia no centro do círculo formado pelos ciganos mutantes. Enquanto rolava pelo chão com Lobo, o herói também disparava diversas vezes o seu raio aguilhão contra a fera, e para sua frustração, isso também não surtia nenhum efeito. Ao perceber que qualquer coisa que fizesse seria inútil, o herói teve uma idéia. Rudamon utilizou o raio de suas mãos e arremessou Lobo próximo ao Cigano Mutante. Em seguida, Rudamon levantou-se do chão, apontou suas mãos para Lobo e aprisionou-o no campo de força de luz dourada. Sem perder tempo, Rudamon olhou para o super vilão e também criou um campo de força de luz dourada ao redor do mesmo para aprisioná-lo. Após aprisionar o super vilão, Rudamon falou com sua voz firme e estrondosa... –Você não conseguirá sair daí Cigano Mutante! Seus poderes aí dentro também não funcionarão!
  • 292. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 292 _Cigano Mutante ficou furioso por estar preso. Ele socava e chutava as paredes do campo de força inutilmente. Com muito ódio ele gritou para os ciganos que estavam ao redor de Rudamon... –Esmaguem esse desgraçado! _Enquanto os outros ciganos mutantes tentavam usar seus pés para esmagar Rudamon, este lhes atingia com o seu raio aguilhão. Um deles, que tinha a cabeça de macaco e o corpo humano, apanhou Rudamon com suas mãos e levou-o a sua boca para devorá-lo. Dentro da boca daquele enorme monstro, Rudamon esticou os braços e fez toda a força que podia para evitar que aquele ser bizarro o mastigasse. O monstro com cabeça de macaco não conseguia movimentar sua arcada dentária. O herói aproveitou que estava voltado em direção às amídalas do monstro, e disparou o seu raio aguilhão contra as mesmas. Não suportando a dor, o cigano mutante com cabeça de macaco emitiu um alto grito, foi quando o herói aproveitou para escapar, saltando dali de dentro. Rudamon voltou a disparar o seu raio aguilhão contra todos eles. Na medida em que eram atingidos, caíam ao chão dando gritos desesperados de dor. Nesse meio tempo, dentro do campo de força, o Cigano Mutante voltou ao seu tamanho normal, assumindo novamente sua forma humana. O mesmo aconteceu com os outros. Rudamon aproximou-se de um dos ciganos mutantes que estava caído ao chão, tocou sua testa e o seu coração e bradou com sua voz firme e estrondosa... –Ciganos de todo o planeta! Libertai-vos e curai-vos definitivamente dessa maldição!_ Imediatamente aqueles seres bizarros voltaram a à forma de seres humanos normais. Todos os ciganos do mundo estavam curados.
  • 293. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 293 Lobo também voltou ao seu tamanho normal, mesmo assim, não parava de rosnar para o herói. Rudamon apontou suas mãos em direção ao animal e bradou... –Volte ao mundo dos mortos! Descanse em paz! _No mesmo instante, Lobo desapareceu. Rudamon ficou surpreso ao ver que o super vilão era Hiago. O cigano bradou furioso. –Você pensa que vai me deixar aqui eternamente? Quando eu conseguir escapar, meu povo e meus animais voltarão a destruir todos os gadjôs nojentos!_Rudamon respondeu... –Eu sei o que aconteceu com o seu acampamento, Hiago! Realmente foi lamentável! Mas se você me ajudar, poderei trazê-los de volta, você sabe disso! –Ajudar você? Nunca! Os gadjôs são os únicos humanos que acham que o mundo pertence a eles, e por isso podem fazer o que quiserem com o planeta! Apropriaram-se da natureza e danificaram-na! Além do mais, esquecem que Deus deu o mundo a todos os seres humanos, que colocam suas ridículas bandeiras em cada território, achando que o mundo lhes pertence! O que não entenderam até agora, é que não poderão levar nada desse mundo depois que morrerem! Nem o território que dizem ser deles! O planeta é a casa dos humanos e o céu é o teto! Os gadjôs não conseguem entender os ciganos! Nós sempre fomos perseguidos como se fossemos estorvos para o mundo, porque pensamos assim! Por isso, todos os gadjôs devem morrer! _Rudamon prosseguiu... –Escute aqui, Hiago! Temos que lutar juntos contra Serpentus! Foi ele quem destruiu o seu acampamento! Alie-se a mim, que eu trarei sua família de
  • 294. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 294 volta! Você sabe que eu posso fazer isso! Concentre o seu poder apenas para deter os neonazistas! Você não precisa matá-los! _Rudamon fez uma pausa e perguntou... Como que você adquiriu os seus poderes?_Hiago respondeu... -Os neonazistas me espancaram e fizeram-me engolir uma caixa de madeira! Antes de eu regressar do mundo dos mortos, os seres das trevas me disseram que é a caixa do panteão animal egípcio e me ensinaram a usar os poderes dela! _Rudamon continuou... – Você precisa se livrar desta caixa! _Hiago indagou... –Mas como poderei ajudar você sem os meus poderes? _Rudamon prosseguiu... –Você nasceu com um dom natural! Use o seu poder telepático para conter o ataque dos neonazistas! Isso será o suficiente! Você deverá apenas enviar ordens telepáticas para contê-los! _Hiago questionou... –Mas eu não sei se conseguirei usar o meu poder mental para influenciar tanta gente! _Rudamon prosseguiu... –Acredite em você mesmo! Sua mente tem poderes que podem mudar o mundo! _Hiago ficou pensativo e perguntou... –E como você me livrará da caixa? _Rudamon ordenou com sua voz firme e estrondosa... – Transforme-se num crocodilo gigante e abra a boca! Vou desativar o campo de força e confiarei em você! _Rudamon desativou o campo de força e Hiago atendeu ao pedido do herói. Rudamon entrou pela boca do crocodilo e retirou a caixa que estava lá dentro. Assim que Rudamon saiu de dentro do animal, Hiago voltou a ser o que era. Rudamon tocou o coração e a testa do cigano, curando-o definitivamente.
  • 295. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 295 _Após a realização da cura, Rudamon prosseguiu... –Vou colocar um campo de força ao seu redor para protegê-lo de Serpentus! Nada pode entrar ou sair do mesmo, somente as energias boas e positivas podem sair de dentro dele! Vou colocar uma dose de energia em que você poderá se locomover mesmo estando dentro do campo de força. Faça o seu trabalho, que farei o meu. _Rudamon envolveu Hiago no campo de força e o cigano começou a emitir suas ordens telepáticas para conter os neonazistas. Rudamon transportou- se até o Sol para destruir a caixa do panteão animal egípcio. o continente asiático Vendaval provocava fortes rajadas de vento, fazendo os aviões nazistas recuar de seus ataques. Na Europa, os negros e os brancos já estavam unidos e criavam uma linha de defesa contra os neonazistas. Milhões de pessoas nos mais diversos cantos do planeta começavam a fazer suas orações. nquanto isso em Israel, Yehuda e seu exército faziam uma sangrenta guerra contra os neonazistas. Milhares de corpos estavam caídos ao chão ao lado de milhares de cabeças decapitadas. A batalha era exaustiva. Os soldados de Yehuda estavam com seus corpos exaustos e demonstravam no olhar que a qualquer momento se entregariam. Quando Yehuda começou a perceber o desânimo dos seus homens, começou a gritar palavras de incentivo aos mesmos... –Continue desse jeito que vocês estão indo bem! _Vocês são os melhores! Vamos vencer! _ A partir daí o comandante judeu e cabalista tentava superar-se, e mostrar N E
  • 296. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 296 mais garra que seus homens, afinal, ele precisava dar o exemplo. Yehuda era uma referência e tinha que incentivá- los. O comandante segurava firmemente sua espada e decapitava os neonazistas que estavam a sua frente, com toda a fúria. Naquele instante, para piorar um pouco as coisas, Serpentus apareceu pela quarta vez, e, como das outras vezes, ressuscitou todos os neonazistas que haviam sido mortos. Os soldados israelenses olhavam com frustração as cabeças decapitadas que retornavam aos seus corpos, revivendo-os para lutar novamente. Após fazer isso, Serpentus emitiu uma tenebrosa gargalhada e bradou... –Quarta rodada! _Logo após, desapareceu. Dessa vez, até Yehuda mostrou certo pessimismo no olhar, esboçando uma expressão de decepção. Mesmo assim, o bravo guerreiro semita segurou firme sua espada e bradou para seus homens... –Vamos matá-los de novo!Enquanto respirarmos, lutaremos! _A batalha recomeçou novamente, mas o exército israelense estava muito cansado, abatido e com menor contingente de homens. O combate durou por cerca de duas horas. De repente, o comandante cabalista notou que os inimigos desistiram de lutar. Sem uma explicação que fosse lógica, todos os neonazistas que ali estavam, se renderam e se entregaram. Yehuda esboçou uma enorme expressão de surpresa. Todos os soldados do exército israelense entreolharam-se atônitos. Yehuda levantou sua arma e
  • 297. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 297 bradou... –Vitória! _Os soldados israelenses levantaram suas armas e responderam ao grito de vitória. Os neonazistas foram capturados e levados aos presídios de Israel. Naquele instante, todos os neonazistas do mundo renderam-se ao mesmo tempo. Ninguém nunca soube explicar o porquê aconteceu isso... Somente Rudamon e Hiago sabiam... erpentus começou a perceber que os conflitos estavam diminuindo no planeta. Os neonazistas não estavam mais obedecendo as suas ordens. Furioso e sem entender o que realmente estava acontecendo, o enviado de Apóphis bradou... –Maldição! Os ratos estão roendo a corda! Mas ninguém irá me deter! _Dito isso, utilizou o seu poder de onipresença e tomou a decisão de fazer pessoalmente as suas matanças indiscriminadas. Em cada lugar que ia, disparava o seu raio aguilhão, fazendo as pessoas caírem ao chão com dores e gritos insuportáveis. Enquanto isso em Florianópolis, após pesquisar todos os hotéis da cidade, Huni descobriu a localização do hotel em que Sahathor estava hospedado. Na portaria do mesmo, o velho mestre perguntou à atendente. –O senhor Sahathor está? –Ele não aparece aqui há muito tempo! Acredito que ele deva ter morrido devido a esse caos que está acontecendo! _Respondeu a funcionária do hotel. –Eu queria lhe pedir um grande favor... Eu vim do Egito especialmente para vê-lo! Eu sei que é contra os procedimentos de qualquer hotel deixar alguém entrar no quarto de um hóspede, mas eu preciso ir até o quarto onde Sahathor está hospedado! É caso de vida ou S
  • 298. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 298 morte! _Suplicou Huni.Depois que a atendente conseguiu a autorização do gerente do hotel, Huni foi ao quarto de Sahathor e começou a vasculhar as coisas. O velho mestre achou a agenda de Sahathor e viu o endereço de Franz anotado na mesma. –Minha intuição diz que Sahathor está aqui! _ Disse Huni saindo às pressas do hotel.
  • 299. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 299 21° Capítulo A Viagem pelo Tempo uni chegou à casa de Franz. Depois de insistir muito tempo tocando a campainha, resolveu entrar, pois notou que o portão estava destrancado e a porta da sala estava aberta. O velho mestre vasculhou toda a casa procurando Sahathor, e não encontrou nenhum sinal. Quando chegou ao enorme quintal dos fundos, observou que ali havia um velho galpão. Era o ultimo lugar onde poderia encontrar Sahathor. Se ele não estivesse ali, as esperanças poderiam estar perdidas. Quando Huni aproximou-se da porta do galpão, ouviu uma voz rouca e grave. –Serpentus? É o senhor? _ Huni abriu a porta repentinamente e assustou-se com aquele ser bizarro que Sahathor havia se tornado. Sahathor também se surpreendeu com a presença de Huni. – Mestre! O que faz aqui? _Huni não sabia por onde começar, afinal não conseguia discernir se estava com raiva, piedade ou medo. –Como isso foi acontecer com você, velho amigo? _Perguntou Huni. Apesar da aparência medonha que Sahathor havia adquirido ao se tornar Naja, o pobre traidor dos deuses chorou que nem uma criança. –Mestre! Perdoe-me! As forças do mal conseguiram me enganar! Agora sou escravo de Serpentus! –Escravo? Você se esqueceu de tudo o que aprendeu na Ordem Secreta dos Waja-Hur? Enquanto você for livre para fazer as suas escolhas, mesmo que isso possa custar a sua vida, você não é escravo de ninguém! –Acontece H
  • 300. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 300 que se eu fizer algo contrário à vontade de Seth e Apóphis, as almas de minha esposa e de minha filha irão para o inferno! – Ora, preste atenção Sahathor! _Exaltou-se Huni. Por causa de sua mulher e de sua filha, você colocou o planeta inteiro na desgraça em que ele se encontra hoje! Quase perdemos Rudamon para sempre! Milhões de seres humanos estão sofrendo as piores tormentas porque você só pensou em si próprio! –Como você pode dizer uma coisa dessas Huni? Eu pensei o tempo todo na minha família! –Pensou? Elas já estavam mortas! Por um acaso você achou que alguém vindo do inferno poderia fazer um ato de bondade para você? Por um acaso já se viu no espelho? Você recebeu o castigo dos deuses! Depois de tudo o que eu lhe ensinei, como pôde ter caído numa armadilha dessas? –O planeta está perdido, não está? _Perguntou Naja com um olhar de arrependimento. – Ainda não! A máscara verdadeira foi corrompida pelo mal, e exatamente por isso, Hor não poderá usá-la. Mas temos uma única chance. –Que chance mestre? –Você recebeu o cubo do tempo de Seth? –Sim, como sabe? –Os manuscritos! Só agora fui entender o que aconteceu, mas não tenho tempo para lhe contar. O que posso lhe adiantar, é que já vivemos isso antes, e que o ciclo precisa ser encerrado! Acredito que Hor saberá o que fazer! Se você usar o cubo para resgatar a máscara verdadeira, talvez possa receber o perdão dos deuses. A única forma que temos de conseguir isso, é se você voltar no tempo, no momento em que o primeiro Rudamon foi morto pelas cinco múmias sobrenaturais. Você deverá trazer a máscara até aqui, e entregá-la a Hor. –Mas isso é muito arriscado mestre!
  • 301. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 301 –É a única chance que você tem de não ficar desse jeito para sempre! É a única alternativa de salvar toda a humanidade! É melhor você pegar esse cubo e ir logo, pois o tempo urge! _Naja ficou ressabiado, mas segurou o cubo com os seus dois braços de serpente e desapareceu. Huni respirou um pouco aliviado a falou consigo mesmo... –Boa sorte meu amigo! Espero que os deuses lhe concedam uma segunda chance! _Quando Huni estava preste a sair da casa de Franz, Serpentus surgiu de repente. –O que você faz aqui, velhote? _Um pouco assustado, Huni respondeu de maneira firme... - Vim visitar um amigo, e já estou de saída! –Que amigo? O Judas do século XXI? _Perguntou Serpentus que logo após deu uma risada sarcástica. _Huni procurou manter-se sereno e respondeu... –Saiba que você não ofende Sahathor ao chamá- lo de Judas! Judas foi importante para o Cristianismo. Se ele não tivesse traído Jesus, a verdadeira mensagem não teria chegado aos seres humanos, e ninguém entenderia Cristo. _Serpentus falou com estupidez... –Eu não estou aqui para discutir besteiras com um velho tolo! Onde está Naja? _Perguntou Serpentus furioso. –Eu entrei em sua casa porque estava tudo aberto. Procurei Sahathor por toda parte e não o encontrei! O que você fez ao meu amigo? _Disfarçou Huni. _Serpentus elevou o seu tom de voz, falando com uma voz demoníaca e estrondosa... –Aquele desgraçado não está aqui! Ele vai se arrepender eternamente por isso! E você, velhote, irá se arrepender por ter entrado na casa dos outros sem permissão! _Dito isso, Serpentus disparou o raio aguilhão no estômago de Huni. O velho mestre caiu no chão agonizando de dor. Não satisfeito, Serpentus começou a chutá-lo
  • 302. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 302 violentamente quando de repente... Sua máscara desapareceu! Serpentus percebeu o desaparecimento da máscara no mesmo instante, voltando a sua antiga forma de Franz. –Que brincadeira é essa? -O que está acontecendo aqui? _Bradou Serpentus. De repente surge Rudamon, falando com sua voz firme e estrondosa: - Você não leu o livro “A Arte da Guerra”, Serpentus? Acho que você precisa ler mais um pouco... “A vitória é o principal objetivo na guerra. Se tardar a ser alcançada, as armas embotam-se e a moral baixa.” Você se esqueceu desse ensinamento Serpentus? Agora eu estou com todos os poderes que me pertencem, seu desgraçado! Vou te mandar de volta para o inferno!_Serpentus esboçou uma expressão furiosa... –Naja! Aquele traidor maldito! _Exclamou Serpentus. No exato instante em que Serpentus terminara de falar, Sahathor surgiu pela porta da sala, em sua forma humana anterior. Ele olhou para Serpentus e disse: - Traidor? Sim! E agora me orgulho por sê-lo! _Serpentus ficou mais nervoso ainda e disse... –Sua mulher e sua filha vão arder eternamente nas chamas do inferno! Você irá se arrepender de ter me traído seu desgraçado! _Sahator respondeu... – As almas de minha esposa e filha eram boas! Os deuses jamais permitiriam que isso acontecesse! E eu só fui perceber isso agora! Mas antes tarde do que nunca! _Serpentus demonstrou muito ódio no olhar, e para a surpresa de todos, desapareceu como que num passe de mágica.
  • 303. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 303 Rudamon foi direto em direção de Huni. O velho mestre estava com a respiração ofegante. Quando o herói foi tocar em seu corpo para curá-lo, Huni falou... –Por favor, Rudamon, não faça isso! Eu sinto que a minha missão está cumprida e que minha hora já chegou! Não terei mais nada para fazer neste mundo! E eu lhe imploro para que não me ressuscite e não retorne ao tempo para me entregar a máscara. Não se esqueça do sonho que teve com o seu pai! –Mas eu posso curá-lo senhor Huni! –Você não entende Rudamon... Mas um dia entenderá! Todo o ser humano vem ao planeta para deixar algo, e parte para a outra vida depois que cumpre a missão que lhe cabia! Você é a prova viva de que existe vida após a morte, pois se comunicou com o espírito de Osorkon!Você deve ressuscitar somente as pessoas que forem mortas injustamente... No meu caso... Minha missão está cumprida! A partir de agora, vou ajudar as forças do bem no plano espiritual, pois o que está em cima é como o que está em baixo! Antes de partir, devo lhe dizer mais uma coisa... _Huni começou a tossir e a sua respiração ficou mais ofegante ainda. –Você deve ir com Sahathor ao Egito, e usar os poderes que você tem nas mãos para retirar a caixa do tempo de Osíris, que está enterrada sob as areias do deserto. Só você usando a máscara, poderá retirá-la dali. Assim que ela sair das areias, desaparecerá, e lhe conferirá o poder de viajar pelo tempo. Hoje haverá um eclipse solar e Serpentus pode assumir a sua verdadeira forma demoníaca de serpente, mesmo que ele esteja sem a máscara, e utilizando a identidade de Franz, isso
  • 304. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 304 não fará mais diferença!Você deve detê-lo antes do eclipse! Você precisa perguntar ao seu coração, o que deve fazer para consertar essa desgraça toda que aconteceu, usando esse seu peculiar poder de viajar pelo tempo. Esse poder é perigoso e deve ser usado com muita sabedoria, pois um único erro que você cometer, poderá acabar com o destino da humanidade. Você deve voltar ao tempo antes que o eclipse de hoje aconteça. Se você não conseguir realizar sua missão antes do eclipse, o mal se materializará no tempo e no espaço, aí você só poderá derrotar Serpentus, se destruí-lo no Sol!Nesse caso, mesmo que você consiga realizar viagens pelo tempo para resolver problemas, quando retornar, Serpentus ainda estará aqui, e não medirá esforços para destruir a raça humana. Caso ele assuma sua forma de serpente demoníaca, mesmo com todo o poder que você tem, será quase impossível você conseguir derrotá-lo sozinho. E acredito que ninguém nesse mundo teria coragem de ajudá-lo... Por isso vocês vocês devem ser rápidos! Repito, quando tiveres o poder de viajar pelo tempo, saiba que deverás tomar muito cuidado! Caso você altere algo no passado, poderá mudar todo o curso da história! Não se esqueça que Serpentus possui o bastão de ouro do deus Seth! Você precisa ser rápido, pois o eclipse solar está próximo. Use sua sabedoria... Faço-lhes um último pedido... Levem meu corpo com vocês ao Egito. Eu quero ser enterrado lá... Adeus! _Huni deu o último suspiro e morreu. Sahathor abraçou o corpo do amigo e começou a chorar. Rudamon juntou as mãos, reverenciou o corpo de Huni com a cabeça e disse... –Que assim seja! _
  • 305. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 305 Sahathor e Rudamon abraçaram o corpo de Huni e o herói deslocou-os rapidamente ao deserto egípcio, bem no local onde ficava a pirâmide Waja-Hur. Rudamon utilizou os raios de suas mãos para retirar a caixa do tempo de Osíris que estava enterrada debaixo das areias do deserto. Aconteceu exatamente o que Huni falou. A caixa soergueu-se no ar e desapareceu. Um raio de luz dourada envolveu o herói. Antes que Rudamon partisse, Sahathor lhe disse: - Rudamon! Vou lhe entregar o cubo do tempo de Seth, pois ele ficará mais protegido se estiver em suas mãos! Você deve destruí-lo no Sol, mas não deve utilizar sua máscara para fazer isso. Franz tentou me enganar, dizendo-me que você deveria retornar ao dia 17/11/1975. Não faça isso! Lembre-se das palavras de Huni! _Em seguida, Sahathor colocou o cubo dentro de uma caixa e entregou ao herói. –Vá Rudamon! Salve o nosso Planeta! Pode me deixar aqui mesmo, que eu sei o caminho de volta! Cuidarei do sepultamento do meu mestre! Boa sorte! _Quando Rudamon se preparou para fazer sua viagem no tempo, ouviu as mensagens mentais de Hiago... –Rudamon! O planeta está em perigo! Venha nos ajudar! Ígnus está preste a fazer algo terrível! _ O herói percebeu que algo muito sinistro estava ocorrendo naquele instante, e decidiu adiar um pouco a sua ida ao passado, para ver o que estava acontecendo...
  • 306. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 306 nquanto isso, Ígnus colocava sua máquina no terraço do edifício mais alto que havia em Florianópolis, e apertava o botão para disparar o gás da subserviência. Ígnus olhou para sua serpente Ainavide e falou... –Querida amiga!Dentro de alguns minutos o gás da subserviência começará a sair dessa máquina! Quando isso acontecer, em poucas horas o mundo inteiro irá curvar-se diante de mim! _Em seguida, Ígnus deu uma estridente gargalhada e colocou sua máscara de proteção no rosto. Eis que surge Rudamon, falando com sua voz firme e estrondosa... –Sua festa acabou doutor Berg! Se entregue e evite problemas! –E quem vai me causar problemas? Você? _Ígnus deu uma gargalhada. –Além do mais, não me chame de doutor Berg! Sou Ígnus! O senhor das chamas! O homem que vai dominar o mundo! _Rudamon disparou o aguilhão amarelo em Ígnus, sem surtir nenhum efeito. _O super vilão caiu na gargalhada. –Você não pode me derrotar, Rudamon! Você se lembra daquele dedo que perdeu na fábrica, quando lutava contra Serpentus? _Naquele instante, Rudamon teve um flash de memória do dia em que fora humilhado por Serpentus na fábrica de teletransportadores... “Se quiser combater criminosos por aí, fique à vontade! Só não se meta comigo, porque sou mais forte que você. _Ao terminar suas palavras, Serpentus cortou o dedo polegar da mão direita do herói. Após segurar o dedo do herói, contemplando-o por alguns segundos, Serpentus continuou... - Eu poderia cortar sua cabeça e destruí-lo para sempre se eu quisesse... Eu tenho o bastão de ouro de Seth aqui comigo... Mas eu preferi cortar o seu dedo polegar da mão direita... E
  • 307. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 307 Qualquer pessoa com uma lógica imediata me chamaria de burro por causa disso... Mas daqui um tempo Rudamon, talvez você entenda o porquê eu preferi apenas cortar o seu dedo! Caso algo não saia conforme o planejado, um simples dedo pode fazer toda a diferença... _Serpentus emitiu uma gargalhada diabólica e arremessou o dedo decepado bem longe, que caiu próximo ao novo local onde doutor Berg havia se escondido para assistir ao desfecho da cena...” _ As lembranças do herói foram interrompidas por Ígnus... – Pois é, Rudamon... Eu estava muito bem escondido naquele dia... Eu vi e ouvi tudo! Por sorte o seu dedo caiu muito próximo de mim, e eu pude fazer longos estudos sobre sua genética... Você também deve se lembrar daquele dia em que decepei seu braço na lotérica? Aquilo também foi de caso pensado... Eu estudei muito o seu sangue que ficou no meu taco de golfe, sabia? Estudei seus poderes e desenvolvi uma tecnologia bastante eficaz para enfrentá-lo, me proteger de você e matá-lo... Estou protegido de tudo e de todos! Sabe Rudamon... Quando eu era pequeno, meu pai me torturava fisicamente se eu não estudasse... Ele me batia... Humilhava-me... Eu tinha um sonho quando era criança... Apenas um tolo sonho... Eu queria ser um guitarrista famoso! _Ígnus emitiu uma gargalhada e prosseguiu... Mas meu pai abriu os meus olhos... Ele me fez estudar e aproveitar minha inteligência para ser um cientista e conseguir o poder... Sabe Rudamon, valeu cada bofetão que eu levei do meu pai... Graças a ele, estou preste a me tornar o homem mais
  • 308. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 308 poderoso do mundo! _Ígnus gargalhou e prosseguiu... – Agora, mostrarei a você o mais novo brinquedinho que irá destruí-lo! _Ígnus apontou o seu maçarico em direção ao herói e disparou as chamas do fogo sagrado. Rudamon caiu no chão enfraquecido e sentindo muitas dores. Ígnus começou a surrar o herói com sua enorme cauda que tinha chumbo na ponta. O supervilão olhou para sua serpente de estimação e falou: - Ainavide! Mostre a Rudamon o efeito da substância química que desenvolvi em você! _A cascavel começou a se enrolar pelo corpo do herói, deixando-o imobilizado. _Ígnus começou a dar estridentes gargalhadas e falou... –O corpo de Ainavide contém a essência da substância do fogo que pode destruí-lo! Você morrerá lentamente, Rudamon! Agora, enquanto eu preparo o mundo para me servir, quero ver quem é o homem por detrás dessa máscara! _No exato momento em que Ígnus se dirigiu a Rudamon, a lua começou a se aproximar do Sol... Enquanto isso, Ígnus aproximou-se de Rudamon, e com as duas mãos, segurou na máscara do herói e disse... A partir de agora, sua máscara terá um novo dono! _Ígnus começou a retirar a máscara do herói. Naquele mesmo instante, o eclipse acabara de começar. De repente, uma faca foi disparada de longe, acertando a cabeça da serpente Ainavide, que morreu e imediatamente parou de apertar o corpo de Rudamon. A arma havia sido arremessada pelo cigano Hiago, que estava envolvido e protegido pelo campo de força rudamônico.
  • 309. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 309 Lentamente, Rudamon recobrou suas forças e começou a se livrar do animal que estava enrolado nele. Furioso, Ígnus disparou as chamas de seu maçarico contra o cigano. O campo de força rudamônico que o protegia foi imediatamente desativado, e Hiago caiu no chão. Em seguida, Ígnus virou-se para Rudamon e novamente disparou as chamas do seu maçarico contra o herói. Rudamon voltou a perder sua força e caiu no chão, sem ter conseguido se livrar da serpente que, apesar de morta, ainda envolvia o seu corpo... Hiago, que apenas estava ferido, levantou um pouco cambaleante, mas conseguiu atirar outra faca, acertando a mão de Ígnus. O super vilão derrubou o maçarico no chão. Furioso, Ígnus tentou agachar para pegar o maçarico com a outra mão, Hiago novamente arremessou outra faca, desta vez acertando o maçarico que se moveu para mais longe. Em seguida, o cigano foi com toda a fúria e começou a lutar com o super vilão. Enquanto Rudamon tentava se livrar do corpo de Ainavide com certa dificuldade, Ígnus e Hiago travavam um combate sangrento para o cigano. Até o momento em que Ígnus acertou o cigano com a ponta de chumbo de sua calda. Hiago caiu no chão com graves ferimentos. Ígnus aproximou-se de Hiago, e pisando em seu pescoço, falou... –Agora, vou lhe mostrar o que acontece com as pessoas que atravessam o meu caminho... Naquele instante, Rudamon já havia conseguido se livrar do corpo de Ainavide e apanhou uma das facas que estavam no
  • 310. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 310 chão, indo com toda a velocidade para cima de Ígnus. Rudamon estava de costas para o vilão. Ele puxou a calda da armadura de Ígnus e utilizou toda a sua força, cortando-a com a faca. Em seguida, o herói segurou Ígnus com as duas mãos, levantou o corpo do vilão acima de sua cabeça, arremessando-o a uma longa distância. Em seguida, disparou o raio de suas mãos, aprisionando Ígnus no campo de luz dourada. O herói olhou para o cientista e falou com sua voz firme e estrondosa... : - Quero ver se a sua tecnologia poderá tirá-lo daí de dentro agora! Enquanto isso, mesmo ferido, Hiago levantou-se rapidamente e desativou a máquina do gás da subserviência. Rudamon dirigiu-se a Hiago, curou-o de seus ferimentos e falou: - Obrigado amigo! Estou lhe devendo essa! Rudamon apanhou o maçarico de Ígnus que estava caído no chão. Preciso ser rápido porque o eclipse já começou! Infelizmente já é tarde. Agora vou cortar pelo menos uma parte do mal pela raiz!Meu coração já me disse o que tenho que fazer! _Em seguida, o herói desapareceu.
  • 311. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 311 22º Capítulo Consertando o passado Consertando o fato número 1 udamon regressou no tempo à época em que doutor Berg ainda era um menino. O herói entrou sorrateiramente na casa dele e ficou escondido por detrás de uma das cortinas da sala. O pequeno Berg estava tocando uma música do estilo “punk” em uma guitarra que seu amigo havia emprestado. Os olhos do garoto brilhavam. De repente, o pai de Berg entrou no quarto do filho com toda a fúria. Retirou a guitarra do mesmo e jogou-a no chão, espatifando-a. Furioso, ele disse: - Eu já não falei pra você parar com isso! Eu não vou deixá-lo ser músico! Você tem que ser um cientista, que nem eu! Em nossa família, só existem doutores e pessoas inteligentes! Eu não admito ter um filho músico! O mundo precisa de cérebros e não dessa porcaria que você toca! Dinheiro é poder! Bandinhas de garagem não vão lhe dar o poder! _O pequeno Berg que estava com doze anos de idade começou a chorar e disse: - Mas papai, é o meu sonho! Eu quero ser um guitarrista “punk” famoso! O senhor não deveria ter quebrado a guitarra! Era do meu amigo! O pai do garoto ficou mais furioso ainda e ergueu a mão para esbofeteá-lo no rosto, como sempre fazia... Naquele instante, Rudamon segurou a mão do homem, pegou-o pelo colarinho, levantou-o do chão e disse com sua voz firme e estrondosa... –Escute aqui! Você colocou o seu filho no mundo apenas para educá-lo! Ensine-o a fazer o R
  • 312. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 312 certo, mas não o atrapalhe em suas escolhas! Se você torturá- lo de novo, eu saberei! Aí, você não gostará de sentir o poder do raio aguilhão de Rudamon! Você vai comprar duas guitarras! Uma para ele, outra para o amigo dele... Eu que saiba que você não comprou... Você me entendeu? –Sim! _Respondeu o homem assustado. Rudamon prosseguiu... –E mais uma coisa... _Rudamon disparou seu raio aguilhão na mão do pai do garoto, que caiu no chão dando gritos de dor. Enquanto o pai de Berg gritava, Rudamon falou... –A partir de hoje, você sentirá essa terrível dor nas duas mãos, se encostar o dedo num único fio de cabelo do seu filho! Eu fui claro? _O pai do garoto respondeu chorando... –Sim! Por favor, tenha piedade! Rudamon retirou a dor do homem, depois se aproximou de Berg colocando a mão na testa do menino. O herói olhou para o pequeno Berg e falou: - Quanto a você, garotinho... Toque sua guitarra, monte sua banda, mas estude! Estudar é importante! Eu sei que você é um menino inteligente! Use sempre sua inteligência para o bem! Adeus! _Em seguida, o herói desapareceu. O pequeno Berg deu um imenso sorriso de alegria, e seus olhos brilharam.
  • 313. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 313 Consertando o fato número 2 udamon viajou novamente pelo tempo, e foi ao instante em que os neonazistas liderados por Klaus, estavam roubando o armamento do continente europeu. O herói surpreendeu-os, surgindo de repente e falando com sua voz firme e estrondosa... –A brincadeira acabou! _Bradou Rudamon. Admirado, Klaus olhou para os seus homens e bradou... –Atirem nesse herói estúpido! Utilizem as armas mais potentes! Cada um dos neonazistas que ali estava, começou a disparar os mais diferentes tipos de armas contra o herói. Todo aquele procedimento foi inútil. Rudamon disparou o seu raio aguilhão em cada um deles, imobilizando- os e entregando-os à polícia. O herói disse a um dos policiais... –Mantenha a prisão desses homens em sigilo! Faz parte do meu plano de ação! _Dito isso, desapareceu. Consertando o fato número 3 udamon viajou pelo tempo e dirigiu-se ao dia é em que Hiago estava em sua tenda, programando-se para realizar mais um assalto com os seus poderes telepáticos. O cigano assustou-se ao ver o herói, afinal, todos pensavam que Rudamon não existia mais. O herói falou com sua voz firme e estrondosa... –Hiago! Eu sei tudo sobre os assaltos que você praticou até hoje! Mas também sei que Deus lhe deu um dom especial, que pode torná-lo praticamente um herói! Por que você assalta as pessoas? R R
  • 314. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 314 Mesmo estando um pouco assustado com a aparição do herói, o rebelde cigano franziu a testa, fez uma expressão de raiva, e demonstrando muita raiva no olhar disse... –Eu não roubo pelo dinheiro... Eu roubo porque tenho raiva dos gadjôs que discriminam o meu povo... Eu geralmente consigo captar o que as pessoas pensam, e costumo assaltar as pessoas que nos discriminam. Isso é uma espécie de punição! Meu coração é bom, mas sou vingativo! Quando eu roubo, escolho as vítimas certas... Agora mesmo eu estava me preparando para roubar um velho neonazista asqueroso que odeia o povo cigano! Há dias eu venho captando os pensamentos dele quando ele passa de carro pelo nosso acampamento! Rudamon respondeu... –Esse velho você pode deixar por minha conta... Eu sei que você tem bom coração Hiago! Eu também sei a capacidade de coragem e lealdade que você tem dentro de você... Abandone essa idéia de vingança! Você sabe que eu, na posição de super herói, devo entregá-lo às autoridades... Mas estou disposto a perdoá-lo se você me prometer que nunca mais fará isso novamente! Faça um uso altruísta das riquezas que você acumulou com os seus assaltos! Se você fizer isso e se comprometer a servir o bem daqui para frente, eu não lhe entregarei à polícia e darei esse caso por encerrado! _Hiago estava realmente chocado com aquela aparição. –Que bom que você voltou ao planeta, Rudamon! Se você tem poderes e usa-os para o bem, eu atenderei ao seu pedido! Veja-me como um aliado! Daqui para frente, eu usarei o dom que Deus me deu com as facas e com a
  • 315. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 315 telepatia, para ajudá-lo a combater o mal!Eu prometo isso a você! _Rudamon prosseguiu... –Obrigado amigo! Temos que unir nossas forças para destruir as forças do mal! Tenho certeza que com a inteligência que você tem, caso utilize o seu dom telepático, sua habilidade com as facas e a riqueza que acumulou, eu terei um aliado muito forte! _Rudamon entregou a Hiago o maçarico de Ignus, que trouxe do futuro e falou... –Estou lhe entregando uma arma muito poderosa, que poderá auxiliá-lo no combate ao crime. Com certeza, um dia você irá precisar dela! Mais uma vez, obrigado! –Eu quem lhe agradeço Rudamon, por me dar uma segunda chance! _Hiago apanhou o maçarico e deu um imenso sorriso. –Não há o que agradecer Hiago, eu estava lhe devendo essa! Até breve! _Rudamon desapareceu deixando Hiago pensativo... –Me devendo essa? Consertando o fato número 4 epois de ter entregue Klaus à polícia européia, Rudamon viajou no tempo, ao dia em que doutor Manfred estava pronto para exportar sua fórmula. Dentro da fábrica, o velho neonazista dizia: - Hoje é o grande dia! Criaremos super soldados arianos que serão praticamente invencíveis! Vamos destruir todas as raças inferiores do mundo! Os neonazistas de todos os estados brasileiros e de todos os países do mundo receberão o produto! Vamos limpar o planeta exterminando as raças impuras! De repente D
  • 316. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 316 Rudamon surge no centro da fábrica, diante de todos, falando com sua voz firme e estrondosa... –Sinto desapontá-lo senhor Manfred, mas nada disso irá acontecer! Sou eu quem limpará o planeta de vermes como o senhor! Eu já vasculhei a internet e imprimi todas as provas que colocarão o senhor e os seus “soldados” do mundo inteiro atrás das grades! Elas já estão na Interpol! Neste exato momento, todos os seus “soldados” já estão sendo presos! Inclusive o traidor que ia roubar o armamento que está escondido no continente europeu. A polícia do mundo inteiro já descobriu as fazendas onde estavam os futuros campos de concentração! A receita de sua fórmula foi destruída junto com todo o material que você usou para fazer suas pesquisas maquiavélicas! _Doutor Manfred ficou espantado. –Rudamon? Mas eu pensei que você estivesse morto! _Rudamon prosseguiu... –Pensou errado! Se entregue a polícia, pois sua fábrica já está cercada!_Furioso, doutor Manfred olhou para os neonazistas e bradou... –Peguem esse idiota! Os vinte carecas foram com toda a violência em direção ao herói. Rudamon derrubou uns com chutes, outros com socos, outros receberam o seu raio aguilhão... Em poucos instantes, todos os neonazistas de Manfred estavam fora de combate. Manfred tentou fugir. Rudamon disparou o seu raio aguilhão na perna do velho nazista, que caiu no chão aos parantos. O herói olhou para o velho e disse... -Você não é melhor do que ninguém!
  • 317. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 317 Naquele instante, vários policiais entraram na fábrica e prenderam doutor Manfred. Rudamon olhou para o cientista e disparou o seu raio aguilhão na cabeça do mesmo. O homem caiu no chão com desesperados gritos de dor. Rudamon falou: - Esta será a dor que você, e que todos os racistas do mundo sentirão na cabeça quando pensarem que as outras raças do planeta são inferiores! _Em seguida, Rudamon tocou no coração de doutor Manfred, retirando a insuportável dor que estava sentindo. Depois que todos foram presos, Rudamon espalhou gasolina pela fábrica e colocou fogo. A partir daquele momento, a fórmula Manfred desapareceu para sempre. Consertando o fato número 5 udamon viajou novamente pelo tempo e foi até o aeroporto onde estava Sabef. No momento em que o traficante de drogas foi trocar a maleta, todos ficaram espantados ao verem Rudamon surgir no local. O herói disparou o seu raio aguilhão no traficante de drogas, que caiu no chão dando desesperados gritos de dor. Logo depois, o herói abriu a maleta do criminoso, jogando os pacotes de drogas no chão... O herói olhou para os policiais que estavam próximos e falou com sua voz firme e estrondosa... –Policiais! Prendam esse homem! Ele é um traficante de drogas! _Bradou o herói que em seguida olhou para Sabef e retirou a caixa do panteão animal de seu pescoço. Rudamon dizendo ao mesmo... –Retorne ao Egito e avise aos servidores do mal que Rudamon está de volta! Eu já R
  • 318. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 318 destruí essa caixa uma vez, posso destruí-la de novo! _Com muito pavor no olhar, Sabef nem teve tempo de responder, pois o herói já havia desaparecido. Em seguida, Rudamon dirigiu-se ao Sol, destruindo definitivamente a caixa do panteão animal egípcio.
  • 319. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 319 23° Capítulo Efeito Borboleta 2027 ranz chegou em casa e estranhou que estava tudo remexido. A porta do escritório de doutor Manfred estava escancarada, e não havia mais nada ali dentro. O rapaz ficou preocupadíssimo. De repente, o som de um alto- falante tirou-o de seus pensamentos... –Franz, é a polícia! Sabemos que você está aí dentro! Saia com as suas mãos na cabeça e se entregue! Você está sendo acusado por ter cometido agressões, racismo, preconceito e formação de quadrilha! _Desesperado, o rapaz foi procurar o revólver na gaveta do criado mudo de seu pai. Para o seu espanto, a arma também não estava lá. Franz lembrou que era imune a ferimentos, e saiu de casa segurando o seu velho taco de beisebol, que fora comprado exclusivamente para espancar suas vítimas. Logo que saiu de casa, Franz viu três carros de polícia e dez policiais apontando suas armas para ele. Franz bradou... – Venham me pegar se puderem! _ Nove dos policiais pegaram seus cassetetes e foram para cima dele. O neonazista trocou golpes com todos eles, que apesar de estarem em maior número, foram derrubados rapidamente. Os policiais começaram a atirar contra Franz e perceberam que nenhuma bala penetrava o corpo do neonazista. Franz notou que o policial que estava na viatura havia chamado reforços. O F
  • 320. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 320 rapaz se dirigiu à mesma e matou o policial com o seu taco de beisebol. Depois que todos os policiais estavam mortos, sem saber o que fazer, Franz saiu correndo e pulou o muro do terreno baldio de sua rua. –Ninguém pensará que eu me esconderia tão perto! _Falou consigo mesmo. Para o seu azar, um dos vizinhos que bisbilhotava tudo pela fresta da janela, avisou a polícia. Em poucos minutos, todo o terreno estava cercado. Os policiais levaram o arsenal mais pesado que tinham, inclusive granadas. Os quarenta policiais que foram escalados para a operação, se posicionaram estrategicamente. Dez entrariam no terreno, enquanto os outros trinta lhes dariam cobertura. O terreno estava cercado por todos os lados. Quando os dez homens invadiram o terreno, já entraram atirando. Franz foi à direção dos mesmos e em poucos segundos, derrubou-os, quando inclusive conseguiu apanhar duas armas. Nesse meio tempo, os policiais de elite que estavam apontando suas armas dos pontos mais altos da rua, começaram a atirar. Suas armas eram de calibres mais pesados, e nada fizeram ao rapaz. Franz começou a disparar tiros com as duas armas que havia apanhado acertando cinco policiais que estavam ao lado de fora do terreno. O comandante autorizou o lançamento das granadas. Os policiais tomaram distância e lançaram suas granadas no terreno. Houve uma enorme explosão. Franz não morreu.
  • 321. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 321 Naquele momento, em meio ao incêndio, uma energia de cor escura, parecida com uma fumaça, começou a envolver o rapaz. Os policiais ficaram perplexos ao verem que Franz estava no centro das chamas, e que o fogo nada lhe fazia. Ficaram mais perplexos ainda quando surgiu aquela energia escura. De repente, o chão do terreno se abriu e de dentro dele surgiu Seth, segurando o seu bastão de ouro. O deus do mal ficou de frente para Franz, posicionou o bastão sobre a cabeça do mesmo e enfiou o objeto nela. O rapaz emitiu um medonho grito de dor. Seth desapareceu. De repente, Franz começou a transformar-se numa gigantesca serpente que cuspia as chamas do fogo sagrado. Assustados, os policiais tentaram fugir, mas foi em vão. Em sua nova forma, Franz bradou... –Eu sou Serpentus! Filho de Apóphis! Nada ou ninguém poderá me destruir! _Em seguida, Serpentus disparou rajadas de fogo, queimando o quarteirão inteiro. A serpente desapareceu sem deixar rastros ou testemunhas.
  • 322. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 322 2034 (Parte 2) nquanto isso, no Egito... Sahathor, um pouco nervoso, ficou contemplando o manuscrito verdadeiro que deveria entregar a Hor, ao mesmo tempo em que contemplava o falso. Uma sensação de pesar tomou conta do mestre. –Será que estou fazendo a coisa certa? Este mundo está perdido mesmo... As forças do mal são muito poderosas! É uma utopia achar que podemos vencê-las! Pelo menos, terei a oportunidade de viver novamente com as pessoas que eu mais amei na vida! Mesmo que o mundo esteja em frangalhos, estarei ao lado de minha família! Em seguida, Sahathor levou o manuscrito verdadeiro para a cozinha, picotou-o dentro de uma lata de óleo vazia, jogou álcool por cima e colocou fogo. Depois de dar um suspiro que mesclava arrependimento com esperança, Sahathor foi à sala apanhar as duas maletas. O mestre guardaria o manuscrito falso na maleta em que estava a máscara que foi entregue por Serapion. Na outra maleta, estava a máscara verdadeira. Quando Sahathor foi conferir as mesmas, ficou espantado... Por deus Rá! As máscaras desapareceram! Sahathor telefonou imediatamente para Huni. E
  • 323. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 323 Hor retorna ao presente udamon regressou de sua viagem pelo tempo e se transformou novamente em Hor. No caminho para a sua casa, viu um enorme outdoor com a foto de seu cunhado Roberto. Na propaganda havia os dizeres “Teletransportador de objetos Vendaval! Mandou, chegou! Adquira já o seu!”. _Hor abriu um imenso sorriso de satisfação As ruas pareciam calmas e tranqüilas. Todos seguiam suas vidas normalmente. Hor andou um pouco, olhou ao redor e percebeu que não existiam mais catástrofes. Ao entrar emem casa, Hor parou para ver um carro de propaganda que anunciava em seu alto-falante: “Atenção povo de Florianópolis! Vocês não podem perder! A maior banda punk de todos os tempos irá fazer um espetacular show beneficente. Metade da renda será revertida para o Lar dos Órfãos de Florianópolis! Não percam! “Doutor Berg e os Anarquistas”! Única apresentação este ano em Santa Catarina!” Hor deu uma gostosa gargalhada de satisfação. Antes de abrir a porta para entrar em casa, Hor apanhou o jornal que estava debaixo da mesma. A primeira página anunciava: “Vários anos depois Rudamon ressurge do nada e prende um traficante de drogas no aeroporto de Florianópolis! Cigano Lobo e Rudamon! Agora o mundo possui dois heróis!” _Os olhos de Hor brilharam, e ele sorriu... . R
  • 324. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 324 Ao entrar em casa, Nadila veio recebê-lo na porta. –Você não vai acreditar meu amor! Olhe para mim! Os meus cabelos cresceram hoje, rapidamente! Não é uma peruca! Isso é a coisa mais incrível que eu já vi! _Nadila abraçou e beijou o noivo. Doutor Carlos veio em direção de Hor... –Por onde andou garoto? Estávamos preocupados! Não vai fazer que nem o seu pai, que some e aparece, e nem se lembra de visitar os amigos! Aliás, eu não consigo entender Osorkon! Depois que prendeu aqueles neonazistas que planejavam horrores, nunca mais apareceu! Depois aparece, prende um traficante de drogas no aeroporto e nem o filho veio ver! _Hor ficou meio sem jeito, aproximou-se do médico e falou num tom de voz baixo... –Por que está falando essas coisas perto de Nadila? _Rudamon era um segredo nosso!_Doutor Carlos respondeu... –Ela tinha que saber! O cabelo dela começou a crescer em poucas horas! Ela cortou o dedo descascando cebolas e o corte cicatrizou instantaneamente! Eu tive que explicar sobre o transplante de medula... Que ela havia recebido uma medula com uma genética diferenciada... Mas voltando ao assunto de Osorkon, estou muito aborrecido com ele! Hor sentou-se no sofá e pediu à noiva e ao médico para se sentarem próximos a ele. –Vocês dois precisam me escutar! Que essa história não saia daqui! O meu pai não tem culpa de nada! Eu recebi a máscara de Rudamon, e ela me conferiu poderes de viajar pelo tempo! Fui eu quem impediu os neonazistas e quem prendeu o traficante no aeroporto! Vocês
  • 325. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 325 nem imaginam os horrores que passariam a viver, se eu não tivesse feito isso! Nadila e doutor Carlos ficaram perplexos. Doutor Carlos falou... –Que história absurda! Você está querendo justificar o seu pai ou está usando drogas? Nadila completou... –Eu acho que você ficou doido de vez! Como pode viajar pelo tempo? Você nunca se ausentou! Tomamos o café da manhã juntos hoje cedo! Essa é a desculpa mais esfarrapada que você já deu! _ Disse doutor Carlos. Hor ficou sem graça. –Bom, então não adianta contar o resto da história, porque vocês não acreditariam em mim mesmo! Ainda bem que temos o Cigano Lobo! Vamos esquecer de vez essa história de Rudamon! Tomara que meu pai venha nos visitar..._Disfarçou Hor. nquanto isso no Egito, Sabef terminava de contar a Asru que, quando Rudamon havia acabado de prender o traficante de drogas, o super herói veio em sua direção, tomou-lhe a caixa do panteão animal egípcio e avisou para que os servidores das trevas tomassem cuidado com ele... Asru ficou preocupada, e ao mesmo tempo furiosa... –O que será de nós agora? Seth e Apóphis irão nos castigar! _De repente, um estrondo de trovão e vários raios surgiram no E
  • 326. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 326 centro da sala onde estavam, e com eles, o deus Seth. –Vocês mortais são muito incompetentes! Como puderam deixar Rudamon pegar aquela caixa! _ Muito assustada, Asru tentou justificar-se... –Rudamon tem super poderes! Sabef não poderia ter feito nada! Se quiseres, posso libertar os deuses do mal agora mesmo! _Seth ficou furioso e deu um estridente uivo. –Cale a sua boca! Incompetente! Os deuses contrários só poderão ser libertados depois que Serpentus destruir Rudamon! Enquanto o herói estiver por perto, seria muita tolice arriscar isso! No momento certo, eu lhe avisarei quando deverás libertar esses deuses! Agora, vou lhe dar outra missão... Melhor aproveitar bem essa nova chance... A coroa de Ísis está escondida em Israel! Encontre-a antes que outra pessoa faça isso, e daí fique tarde demais! _Seth olhou para Sabef com uma expressão furiosa e bradou... –Recebas a punição que mereces! _O deus do trovão apontou suas mãos em direção a Sabef, e disparou um relâmpago. Sabef transformou-se num sagüi. Seth olhou para Asru e disse... –Ele será mais útil a você desse jeito! _Em seguida prosseguiu... Se não quiseres morrer queimada pelos meus raios, encontre a coroa de Ísis! Quando você estiver com ela em mãos, eu voltarei e lhe direi o que deverás fazer. Para não me dar à desculpa que não tem super poderes, vou lhe conferir o poder de metamorfose e da invisibilidade! Você poderá adquirir a aparência da pessoa quiser, e entrar em qualquer lugar sem ser vista! Espero que você tenha inteligência para utilizar esses poderes!Agora, pare de perder
  • 327. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 327 tempo, e providencie sua ida a Israel... Leve o sagüi com você! _Em seguida, Seth disparou um raio escuro em direção de Asru e desapareceu. 24° Capítulo Rudamon versus Serpentus a cozinha de sua casa, Huni acabava de tomar um copo d´água. –Não é possível Sahathor! Você iria mesmo nos trair! Como pôde ter pensado em fazer uma coisa dessas! –Me perdoa mestre! Mas as mortes trágicas de minha esposa, e de minha filha, não saem dos meus pensamentos! Qualquer possibilidade em tê-las de volta, me traz esperanças! _Huni exaltou-se... –Tenha paciência Sahathor! Se você tivesse feito isso, toda a humanidade estaria perdida! O sumiço dessas máscaras foi providência divina! Apesar de não confiar mais em você, eu preciso lhe entregar algo que é muito sagrado, e que só você deverá protegê-lo, pois é o atual mestre Waja-Hur! Por favor, não me desaponte novamente! _Sahator perguntou... –O que é senhor Huni? _Huni prosseguiu... –Confiarei a você o manuscrito secreto que contém o “Tratado sobre a Coroa de Ísis”. Você deverá protegê-lo com a vida, se necessário for! _Huni entregou o manuscrito a Sahathor, que o guardou imediatamente dentro de sua maleta. Huni prosseguiu... –Em relação ao anel Waja- Hur, você só poderá recebê-lo quando for o momento certo! Eu não poderei entregá-lo agora, pois você ainda não é digno de colocá-lo no dedo! N
  • 328. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 328 De repente, Serpentus surge do nada... –Eu sou digno de colocá-lo no dedo! _Bradou Serpentus utilizando sua aparência de Franz, falando num tom de voz macabro e demoníaco... –Me entregue esse anel, velhote! _Huni segurou o seu cajado que estava próximo e disse... –Você só conseguirá esse anel se me matar! _Após proferir suas palavras, Huni bateu o seu cajado no chão, fazendo Sahathor ficar invisível. –Para onde foi aquele traidor? _Bradou Serpentus. –O seu problema é comigo, filho de Apóphis! Franz foi com toda a fúria para cima de Huni, que em vão tentou golpeá-lo com o seu cajado. O neonazista que era muito mais forte pegou Huni pelo pescoço e estrangulou-o até a morte. Sahathor que estava invisível assistiu a cena em estado de choque, sem saber o que fazer. Franz retirou o anel do dedo de Huni, e colocou-o no seu próprio dedo. Em seguida, assumiu suaa forma de serpente e desapareceu. No exato instante em que Serpentus sumiu, Rudamon apareceu. Sahathor já havia perdido a invisibilidade. –Rudamon! _Exclamou Sahathor. –Que pena que não chegou cinco minutos antes! Poderia ter evitado a morte do meu mestre! Ainda bem que você pode ressuscitá-lo! _Rudamon olhou para Sahathor e disse... –Eu não apareci antes, pois só consegui pressentir o mal nesse instante! Serpentus é astuto e ardiloso! Deve ter feito algo que bloqueou a minha percepção! Em relação ao que você disse em ressuscitar o mestre, infelizmente eu não poderei fazer isso. Sua morte foi digna e sua missão foi cumprida! Só posso ressuscitar aqueles que são mortos injustamente! Huni não
  • 329. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 329 quer voltar ao mundo dos vivos, pois cumpriu bem a sua missão! _Sahathor começou a chorar. –Serpentus roubou o anel Waja- Hur! Huni morreu com uma má impressão ao meu respeito! Eu perdi a minha família! Sou um desgraçado! –Pare de se culpar! _Bradou Rudamon. -Na tela de sua mente, trinta anos atrás ou cinco minutos que passaram, são feitos da mesma substância. Mude o seu presente, que conseguirás mudar o seu passado e o seu futuro! Eu tenho uma estratégia para apanhar Serpentus! Confie em mim, que lhe trarei o anel de volta. O que você deve fazer nesse instante, é apanhar o seu cajado e emitir boas vibrações mentais ao planeta Terra através de seus pensamentos! Isso ajudará a enfraquecer Serpentus. Convoque todos os iniciados Waja-Hur e façam isso junto. Temos que enfraquecer as forças do mal!Cuide do sepultamento de Huni! _Em seguida, Rudamon desapareceu. nquanto isso, na enorme quadra poliesportiva de Florianópolis, líderes religiosos de várias seitas e religiões estavam presentes, cada um segurando um bilhete que continha o endereço do local e os dizeres “Esteja aqui às dez horas da manhã. É caso de vida ou morte!” Ninguém entendeu nada. No local havia pastores de várias igrejas, padres, monges, pais de santo, rabinos, místicos, etc. De repente, surgiu Rudamon. –Caros amigos! Eu convoquei essa reunião ecumênica, pois o planeta inteiro corre perigo!Nesse instante, estou usando o meu poder de onipresença e estou conversando com todos os E
  • 330. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 330 líderes espirituais do mundo inteiro! O mal se materializou no tempo e no espaço! Não importa a religião que vocês pertencem, o que importa é que Deus é um só! Não importa à qual raça vocês pertençam! O que importa é que somos uma só raça... A raça humana! Temos que formar uma unidade de Luz para combater as trevas! Orientem os seus seguidores a rezar! Rezem e emitam bons pensamentos ao planeta inteiro, até o momento em que Serpentus, o filho do demônio, for destruído. Não parem em nenhum momento! Reúnam todos os seus fiéis! Trata-se de uma guerra do bem contra o mal! Posso contar com todos vocês? _Surpresos, todos os presentes concordaram com o pedido do super herói Rudamon. O herói agradeceu e disse... –Vocês precisam fazer isso imediatamente! _Dito isso, desapareceu. lgumas horas depois, nas chamas do fogo do centro da Terra, Serpentus começava a aumentar o seu tamanho, transformando-se numa gigantesca serpente que tinha dois braços de serpentes. Naquele mesmo instante, a maioria das pessoas do mundo inteiro já estava rezando. Uma enorme escuridão tomou conta de todos os lugares. Ventanias e tempestades começaram a destruir tudo. Apesar de estarem amedrontadas, as pessoas mantinham-se firmes em suas preces. Serpentus surgiu na superfície da Terra e começou a cuspir fogo e incendiar tudo. Quanto mais aumentava o seu tamanho, maior era o seu alcance para atingir suas chamas nos mais diversos lugares. Muitas pessoas não estavam nas ruas, pois, a grande maioria estava dentro de suas casas, ou templos, fazendo orações. De A
  • 331. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 331 repente, Rudamon surgiu diante de Serpentus e bradou com sua voz firme e estrondosa... –Vou acabar com você, filho de Apóphis! _Em seguida, disparou o seu raio aguilhão contra Serpentus, que deu um enorme grito de dor e voltou a sua forma humana de Franz. Naquele instante, graças às orações das pessoas, um pequeno feixe de luz começou a surgir em meio à escuridão que tomava conta do planeta. O neonazista ainda tinha o bastão de ouro de Seth em suas mãos. Franz começou a disparar as chamas do bastão em Rudamon. O herói caiu dando gritos de dor. De repente, uma faca lançada à distância acertou a mão de Franz, que deixou o bastão cair no chão. Era Cigano Lobo. O cigano estava vestido a caráter, usando a sua máscara de lobo, e ao seu lado estava Lobo, o seu fiel animal de estimação. Em seguida, Cigano Lobo apanhou o maçarico que recebeu de Rudamon e começou a disparar as chamas do mesmo contra Franz. Lobo correu em direção ao bastão de ouro, e abocanhou-o. De repente, Roberto, cunhado de Hor, apareceu do nada. O animal de estimação do cigano dirigiu-se até Roberto, soltando o bastão de ouro em suas mãos. O cientista estava com o seu teletransportador em mãos. Ele apontou o mesmo ao bastão de ouro, fazendo-o desaparecer. Rudamon recuperou suas forças, olhou para Cigano Lobo e para Roberto e disse. –Obrigado amigos! Agora vocês já podem voltar com segurança! _Em seguida, Rudamon disparou o raio de suas mãos, fazendo-os desaparecer junto com Lobo. Naquele instante, o feixe de Luz ficou maior sobre
  • 332. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 332 o planeta, que perdeu o seu estado de escuridão, passando ao estado de penumbra. Franz ficou furioso e desapareceu. O neonazista foi até o pólo norte, e assumiu novamente a forma de Serpentus. O seu tamanho começou a aumentar consideravelmente. Serpentus emitia um som medonho... À medida que ficava gigante Serpentus começou a se enrolar em torno do planeta, esmagando tudo o que seu corpo podia atingir. Pessoas, casas, carros, árvores, animais. Toda a obra da criação estava sendo destruída. O seu tamanho ficava cada vez maior, e cada vez mais coisas eram destruídas e esmagadas pelo corpo da gigantesca serpente. A penumbra começou a desaparecer e a escuridão ressurgiu lentamente. Espíritos das trevas começaram a surgir e rondar o planeta, dando enormes gargalhadas. Rudamon assumiu o seu tamanho máximo de três metros, e dirigiu-se ao centro do Sol. De lá, apontou suas mãos para o planeta, e, utilizando os raios das mesmas, começou a atrair o planeta, puxando-o para o Sol, através da força de seus raios. Na medida em que o planeta se aproximava do Sol, os seres das trevas iam se afastando e a luz começava a ressurgir. Quando o planeta já estava muito próximo ao Sol, Serpentus voltou a sua forma humana de Franz. Rudamon usou os raios de sua mão para puxá-lo ao Sol. Quando chegou ao centro do Astro Rei, Franz começou a gritar de dor e derreteu até desaparecer. Rudamon utilizou os raios de suas mãos novamente, recolocando o planeta Terra em órbita. Ainda no centro do Sol, o anel que estava no dedo de Franz ficou enorme e brilhante. Do centro do anel, surgiram Ísis e Osíris. O deus Osíris falou...
  • 333. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 333 –Parabéns Rudamon! Você conseguiu expulsar o filho de Apóphis do planeta Terra! Agora, deves ressuscitar os inocentes que morreram por causa dele! _Ísis completou com sua voz doce e suave... –O mal ainda não foi derrotado por completo!Procure Sahator, lhe entregue o anel Waja-Hur, e diga a ele para ir à Israel com a sua Namorada Nadila. Peça- lhe para que procurem a minha coroa, que deve ser entregue à Nadila após Sahator estar de posse dela. _Rudamon olhou para Ísis e disse... – Sim digna deusa! Seu pedido é uma ordem! Posso lhe perguntar algo? _Ísis consentiu o pedido do herói, que prosseguiu... Numa das vezes em que eu estive aqui, eu pensei que já conhecia a mim mesmo... Mas cheguei à conclusão que ainda estou um pouco longe disso... –Como eu faço para conhecer a mim mesmo? _Perguntou o herói. _A deusa Ísis respondeu... –Quando conseguires derrotar o maior e mais escuro abismo de todos, conhecerás a si mesmo, e aí saberás tudo sobre os deuses e o Universo! _Ísis fez o anel voltar ao seu tamanho normal, e entregou-o a Rudamon. –Agora vá e cumpra a tua missão! _Os deuses desapareceram. Rudamon regressou ao planeta Terra, ergueu suas mãos para o céu e bradou... –Pelos poderes que me foram concedidos, que todos aqueles que foram mortos injustamente, ressuscitem! _Tudo voltou ao normal.
  • 334. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 334 25° Capítulo A Armadilha de Seth ahathor estava sentado no sofá do imóvel que Huni lhe emprestara. O mestre Waja Hur estava deprimido e cabisbaixo. De repente, a campainha tocou. Era um advogado. –Senhor Sahathor? –Sim, sou eu! Pois não? -Sou o advogado do senhor Huni! Ele deixou um testamento em seu nome, colocando-o como herdeiro de toda a sua fortuna. Você é um homem rico agora! _Uma lágrima escorreu pelos olhos de Sahathor. –Velho amigo! Como eu pude ter traído sua confiança! _Depois que o advogado foi embora, Sahathor dirigiu-se até o seu quarto, quando surgiu Rudamon com sua voz firme e estrondosa... –Sahathor! Eis aqui o seu anel Waja-Hur! Agora és digno de recebê-lo! _O herói entregou o anel ao mestre, que o colocou no dedo imediatamente._Rudamon prosseguiu... –Sahator, você precisa ir ao Brasil e procurar minha namorada Nadila. Vocês devem ir até Israel e encontrar coroa de Ísis, que deve ser entregue a ela! Agora tenho que ir ao centro do Sol para destruir o cubo do tempo e o bastão de ouro de Seth! Vou deixar a minha máscara com você, pois agora sei que posso confiar em ti! Mas antes de entregá-la, tem duas pessoas que querem vê-lo! _De repente, surgiram na porta do quarto Nyla, ainda jovem, e Nait com seus dez anos de idade. –Eu as trouxe do passado! Consegui impedir que Seth as atingisse. Para não colocar a história do S
  • 335. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 335 planeta em risco, achei melhor trazê-las para o futuro! Você está mais velho agora, acredito que poderá cuidar de sua família com mais sabedoria! Agora você também tem recursos financeiros para dar uma vida bem melhor para sua esposa que está grávida e sua filha! Sua família ficará maior... _Nait correu em direção ao pai e disse... –Papai, você vai me colocar na escolinha de dança? _Sahator estava emocionado, e com os olhos cheios de lágrimas, abraçou sua filha e respondeu... –Claro minha filha! _Disse Sahathor chorando de alegria, enquanto abraçava sua filha e sua esposa. _Nait olhou novamente para Sahathor e disse... – Papai!Por que o senhor está tão velho assim? _Sahathor ficou meio sem jeito. Rudamon aproximou-se do mestre e tocou em seu coração. Sahathor rejuvenesceu no mesmo instante. Rudamon falou... –Agora você tem experiência e juventude, e longos anos pela frente para ser feliz com a sua família! Não importa o que o mal possa lhe sugerir! A força da Luz sempre vencerá no final! O máximo que a força das trevas consegue, é perturbar a harmonia das coisas. Mas a Lei faz tudo voltar ao normal! Agora que sabes disso, cuide bem da minha máscara, até o meu regresso do Sol. Rudamon retirou sua máscara, e assumindo a aparência de Hor, entregou-a a Sahathor. Hor segurou o bastão de ouro e o cubo do tempo de Seth e desapareceu. uando estava muito próximo ao Sol, uma energia escura impediu que Hor se aproximasse do Astro-Rei. Hor ficou preso numa bolha energética escura, e de repente viu o deus Seth surgir diante dele. Trovões e Q
  • 336. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 336 relâmpagos espalhavam-se ao redor. Seth deu uma sarcástica gargalhada e falou... –Você tem algo que me pertence, Rudamon! _Seth liberou uma energia escura de suas mãos, fazendo o cubo do tempo e o bastão de ouro ir a sua direção. –Desta vez você foi um pouco mais esperto, e não regressou ao tempo! Mas todos vocês caíram na conversa de Serpentus, que você deveria vir ao Sol sem a máscara! Sem a sua máscara, você não pode me enfrentar! Você só conseguiu salvar Nyla e Nait, porque estava com sua máscara!Agora que está sem ela, nada poderá fazer contra mim! _Seth deu outra gargalhada e uivou de forma diabólica. – Tudo o que fez até agora foi em vão! Vou mandá-lo ao buraco negro do Universo, uma dimensão onde os teus poderes não terão efeito sem a máscara! Você jamais conseguirá sair de lá sozinho! Enquanto você estiver distante do planeta Terra, o caos será reinstalado... _Seth gargalhou de forma macabra e prosseguiu... -Logo os deuses contrários do panteão egípcio destruirão definitivamente todos os seres humanos do planeta Terra, e Apóphis finalmente tomará conta da criação! Adeus Rudamon! _Seth gargalhou e disparou outro raio, enviando a bolha preta onde Hor estava aprisionado, até o buraco negro do Universo. Hor foi sugado e desapareceu.
  • 337. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 337 ete dias depois, a campainha na casa de doutor Carlos tocou. Era Sahathor. Doutor Carlos foi ansioso atender a porta. Quando viu que não era Hor, ficou desanimado. –Bom dia, sou Sahathor, atual mestre da escola de mistérios Waja-Hur. Eu gostaria de saber se Hor está em casa? _Doutor Carlos fez uma expressão de tristeza e falou. – Depois daquela catástrofe que ocorreu no planeta, há sete dias, Hor desapareceu! –Há alguma coisa errada... _Disse Sahathor pensativo. –E Nadila? Ela está? –Sim! Está deitada em seu quarto. Ficou deprimida por causa do desaparecimento de Hor, e não consegue mais sair da cama. – Por favor, chame-a que eu preciso conversar com ela... É urgente! _Doutor Carlos foi chamar Nadila, que surgiu diante de Sahathor com uma expressão de tristeza e abatimento. Sahathor sorriu para a moça e falou... –Nadila! Precisamos ter uma conversa a sós. Preciso lhe falar sobre o manuscrito secreto da coroa de Ísis... Enquanto isso, no aeroporto de Jerusalém, a bela egípcia Asru desembarca carregando duas malas, dirigindo-se lentamente para o táxi que já está a sua espera, carregando também o seu sagüi de estimação no ombro direito... Em Florianópolis, Simone sai do laboratório de exames médicos segurando um exame em mãos. Demonstrando muita ansiedade, Simone abre o envelope e retira o resultado de dentro dele. Para o seu espanto, ela lê... “Resultado do teste de gravidez: Positivo”. Simone inicialmente expressou susto e seriedade. Mas após alguns segundos, em silêncio, a bela ruivinha sorri e acaricia a própria barriga. S
  • 338. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 338 Epílogo Pequeno trecho do manuscrito secreto da coroa de Ísis
  • 339. RUDAMON II- Demetrio Alexandre Guimarães- Copyright 2013- Todos os direitos reservados http:/rudamon.blogspot.com.br Página 339