Ferrovia Norte Sul

791 views

Published on

Relatório de fotos do trabalho social desenvolvido em Anápolis-GO, para a conclusão da Ferrovia Norte Sul

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
791
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
8
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Ferrovia Norte Sul

  1. 1. VALEC Campo Limpo de Goiás – GO Ferrovia Norte-Sul SERVIÇO SOCIAL Registros de Campo AGOSTO/DEZEMBRO 2008
  2. 2. VALEC Este breve registro revela um pouco do trabalho desenvolvido pela VALEC, na Ferrovia Norte-Sul, em Anápolis. Um pouquinho, mesmo. Para iniciar, mostramos que aqui não só a obra dos homens nos encanta e nos inspira... Tá vendo a borboletinha e a flor? Estavam no Residencial Morumbi, quando íamos a uma visita do Serviço Social. O Residencial Morumbi fica na zona sul de Anápolis. Neste bairro, 27 famílias foram desapropriadas e já receberam suas indenizações, por isto. A VALEC irá construir, na área, o Parque Nacional das Antas e também precisará conter erosões ...
  3. 3. VALEC Aí está um pouco do que é o Residencial Morumbí hoje:
  4. 4. VALEC
  5. 5. VALEC Prá não dizer que não falei de mais flores, do Res. Morumbi: E para não pensar que no Res. Morumbí só temos flores: Esta é para contar que para se construir uma ferrovia não bastam cimento, trilhos, ferro, decretos de utilidade pública...
  6. 6. VALEC Por trás da cerca de bambús que se vê, existe outra cerca, na porta da entrada da casinha que aparece na foto, propriedade de um senhor de 73 anos que vive como eremita; Contou-nos que há cinco anos não utiliza telefone; que vive ali isolado e “que assim está ótimo”; ele não fala com quase ninguém. Apenas no banco, quando vai receber a aposentadoria, na imobiliária, quando vai pagar o lote e na feira, ao comprar seu queijo, um pedaço de carne, alguma cebola ou alho. Na foto, apareço tentando ouvir sua história, mas ele parece muito brabo, dizendo, por trás das cercas, que não é louco. Enquanto isto, os vizinhos passavam e diziam em baixo tom, que não adiantava, pois ele era assim mesmo... O pessoal da Desapropriação já havia tentado conversar, mas sequer conseguiram os documentos dele, para iniciarem o processo de desapropriação e indenização. Com o pouco que ouvimos, fomos atrás de informações na Prefeitura de Anápolis, através primeiramente, do CRAS – Centro de Referência em Assistência Social. Soubemos que ele é conhecido e tido como doido mesmo, estranho, bruto. Nem o PSF – programa de Saúde da Família, consegue acompanhá-lo. Passamos a visitá-lo esporadicamente. O conhecemos em agosto/2008. O mesmo permanecia do lado de dentro da casa, sendo que víamos apenas seus olhos e lábios, alternadamente, por entre os bambus. Ele nos revelou que não confia em ninguém, pois já sofreu muito e ninguém nunca o respeitou. Disse-nos que é de MG e que possui um filho, mas não se relaciona com ele. Contou- nos que não sabe ler nem escrever, mas entende muito bem de números. Sempre trabalhou na lavoura. Solicitamos a ele a fotocópia de seus documentos pessoais e ele, que mantinha a sacola de papéis pendurada a sua frente, nos bambus, manuseava-os, e em alguns momentos cogitou a possibilidade de nos entregá-los, mas isto não aconteceu. Relatou que ali onde mora tem “coisas horríveis” que ele presencia de sua casa, à noite; que nós nem imaginamos o que ele passa lá; que por isto vive isolado. Contou-nos que come o que planta: frutas, mandioca, hortaliças; que o feijão que come também é ele que planta, lá.
  7. 7. VALEC Afirma que sabe que o governo vai tirar ele “na marra”, que ele sabe que o oficial de justiça fará isto, mas que sabe que tem direitos, embora o governo e a polícia possam tudo, pois já fora mandado embora, desapropriado em Goianésia e do lixão de Anápolis, onde morava, de onde saiu, por último, com cachorros e polícia, na marra. Também, de vez em quando tem aniversário de amigos, e no do Professor Rubens, não faltou amizade, embora eu só tivesse 02 dias na casa!
  8. 8. VALEC Esta é uma casa que, por ser sem estrutura, feita de adobe, estava correndo risco de desabar. O casal que morava aí estava muito desgostoso com a obra, que também vai passar por dentro do Setor Vivian Park II, próximo ao Residencial Morumbí, na zona sul de Anápolis. Pessoas muito humildes, este casal ligava inúmeras vezes ao dia, quando cheguei, no mês de agosto; a cobrar. Impossível fotografar o barulho que fizeram, nesta época... mas está tudo em relatório. Inclusive a ligação da advogada que a sra. arrumou... A casa não tinha porta, nem janelas. A parte do lado direito, estava incompleta; a parede que se vê, é a de um banheiro incompleto, sem uso, mais afastado da frente da casa, que não estava pintada e faltava piso. A casinha da frente, do lado esquerdo, era utilizada como banheiro.
  9. 9. VALEC Conversamos um pouco, o suficiente para percebermos que o ideal seria construirmos rápido, um cômodo provisório para eles, no lote deles mesmo, nos fundos, enquanto a casa definitiva, que faríamos, não ficasse pronta. A cada dia, caía um pedacinho da frente. Exatamente no dia em que o cômodo provisório ficou pronto, a parte da frente da casa desmoronou, como se vê na foto, e aos fundos, o cômodo provisório, já pronto. O lado direito da casa não estava construído. Aí está a “casa” provisória:
  10. 10. VALEC A definitiva, ficando pronta:
  11. 11. VALEC E em seguida, a definitiva, onde ainda não havíamos colocado o tal “padrão de energia”, que não havia, mas extremamente desejado por eles. Repare no estrago que promoveram, já na primeira semana de casa nova, no lado esquerdo e na parte de cima da parede. Ela não sabe a causa, parece que foi para colocar a antena de TV... Mas estão muito contentes. A casa tem sala, cozinha, quarto, janelas, porta, área de serviço com tanque; tem caixa d’água, banheiro, com tudo dentro. Neste caminho que liga o Res. Morumbí ao Setor Vivian Park II, vai passar a FNS:
  12. 12. VALEC De vez em quando, temos visitantes ilustres: Aí estão a piauiense Engenheira Agrônoma Arlete Carvalho Rocha e o Engenheiro Túlio de Souza, responsável pelo setor de informática da VALEC, e atualmente radicado em Brasília. Ela fica em Uruaçú e ele, circulando. Amaram conhecer o Res. Morumbí, na nossa reunião com a comunidade. Abaixo, a reunião:
  13. 13. VALEC Na foto de cima, o Engenheiro Ledino Pestana das Desapropriações, Indenizações e Compensações, fala à comunidade e na foto abaixo, aos fundos, o Economista Rubens Eurico, o Advogado Sávio Túlio e Arlete, todos da Desapropriação, e euzinha, do Serviço Social. Pelas expressões, dá prá ver o clima... O senhorzinho ao lado, na primeira foto, conhece e conta a história de cada “pé de planta” que plantou nos seus quatro lotes. Tem “coisa” de vários estados brasileiros e os lotes, ele comprou um para cada filho... Registrado mais na frente...
  14. 14. VALEC Nesta, aparecem o Engenheiro Ledino, o Carlos Eduardo, estudante de História, colega de trabalho do Serviço Social, juntos ao povo da comunidade, ao final da reunião. Nem tudo é difícil, ou ruim, olha aí a alegria fazendo parte, ó:
  15. 15. VALEC E por falar em alegria, este momento foi também muito lindo: Pude me lembrar de como a vida se renova e do porquê amo e sinto tanto a falta de “minhas crianças”... Esta é a Maria Eduarda, a Duda, filha do Carlos Eduardo, no primeiro mês. Abaixo, ele e a Amélia, do Meio Ambiente, ficando mais velhos, com alegria, também, claro. A Milena canta mesmo:
  16. 16. VALEC Mais, da festa: Acima, o Engenheiro Wagner Corrêa se prepara para o discurso. Abaixo, os cumprimentos e o Engenheiro Anísio, de olho no lanche... Dá prá perceber que a Camila é cabeça, né???
  17. 17. VALEC Dois chefes que não ficaram muito bem na foto... Mas o que vale mesmo é a obra, uai, e o que têm no coração, para os aniversariantes. Na de cima, o Engenheiro Ezequias Nogueira, Superintendente Regional de FNS em Goiás, e Arlete e na de baixo, o Coordenador Administrativo José Alberto do Nascimento, na mesma festa, chegando do trecho assim, barbados, “faróis baixos”...
  18. 18. VALEC E para mostrar trabalho, eis uma visita nossa, ao túnel 01, localizado no Setor Novo Paraíso: Nesta acima, apareço com o Sr. Idalêncio, pessoa finíssima, extremamente atencioso e conhecedor de construções de imenso porte, como ferrovias, hidrovias etc. Abaixo, olha eu à frente do túnel:
  19. 19. VALEC O Carlos Eduardo: Conversamos um bocado com o Sr. Idalêncio, que nos falou da obra, das cambotas, dos drenos. Também de como os trabalhadores são tranqüilos, que eles não reclamam do serviço, nem da alimentação, de nada; disse-nos que só não se pode atrasar o pagamento...
  20. 20. VALEC Este túnel conta com cerca de 100 metros, no momento. Até aí, tinha 40. Este monte de terra que se vê ao centro, sem concreto, serve para não deixar que o buraco que vai sendo escavado, desmorone... É avançando e deixando um pedaço dele... Bem, mas este túnel, não foi só chegar e começar, não. Antes, nos dois últimos meses, foi preciso muita conversa com os moradores dos bairros (Novo paraíso, Jd. Calixto e Parque das Primaveras por onde o trem vai passar, a 30 metros abaixo da superfície. Isto, devido o fato de que na área de influência do túnel, a partir de seu eixo, precisávamos vedar todos os poços tubulares existentes, no total de 21. Depois de muita conversa, de casa em casa, foi preciso fazermos uma reunião, para explicarmos tudo e de uma vez só, sem riscos de nossas palavras se perderem ou se misturarem...
  21. 21. VALEC Procuramos um colégio do Bairro Novo Paraíso, o Lar São Francisco de Assis, que funciona através de uma parceria entre o município de Anápolis, a União e uma loja maçônica. A Diretora Adriana, extremamente simpática, nos cedeu o espaço para a reunião. Em seguida, alguns registros desta reunião, da qual participaram a Dra. Vera Maria Cerqueira, do Jurídico, o Gestor Ambiental Mozart Martins Mascarenhas, Carlos Eduardo (cuidando do data show), a comunidade e eu:
  22. 22. VALEC Levamos o DVD institucional da FNS, “Acelerando o Crescimento do Brasil”; pude matar saudades de estar em sala de aula... olha a empolgação! E prá falar de empolgação, mesmo, aí está nosso colega Walmir, o Together, no casório da nossa queridinha Meire, que aparece em seguida, e depois, com o esposo Aurélio (também
  23. 23. VALEC conhecido como Tião) e Josie, nosso abre alas aqui na VALEC de Campo Limpo:
  24. 24. VALEC E para rompermos com tanta festança e mostrar mais trabalho, vem aí, uma visita da VALEC à Queiróz Galvão e ao túnel 02, que vai passar abaixo do cartódromo, na entrada de Anápolis. Na primeira foto, no escritório da Queiróz Galvão, aparecem os engenheiros Wagner Corrêa de Oliveira, Reinaldo Maluf, Fábio Figueiredo, Roberto Barbosa, e os diretores da Queiróz, José Ivanildo Santos e Francisco Ranulfo. Na foto seguinte, apareço com o mesmo grupo, já no túnel 02, que ficará acima do cartódromo, próximo ao DAIA.
  25. 25. VALEC O mais feliz deste dia, foi ouvir na Queiróz Galvão, do Dr. Francisco Ranulfo, que o mais importante de uma obra do porte da FNS, é o impacto social, que deve ser muito bem acompanhado e que no que depender da Queiróz Galvão, podemos ter a certeza de que todos os esforços serão envidados, no sentido da garantia de responsabilidade e compromisso com as comunidades situadas ao longo da FNS. Olha só a altura, para se chegar ao nível do túnel 01, com emboque/desemboque após a Av. Pedro Ludovico, em Anápolis:
  26. 26. VALEC Mais: No fim do túnel 01; Sávio, Rubens, Sr. Idalêncio, Ledino e eu. Depois tem também o Carlos Eduardo.
  27. 27. VALEC
  28. 28. VALEC Na saída, a presença do Engenheiro Francisco de Souza Amorim, fazendo suas observações e agradecendo muito gentilmente nossa visita.
  29. 29. VALEC Nesta, dá para imaginar à direita da foto, as três quadras residenciais, embaixo do túnel 01? O tubo vermelho que adentra o túnel é de ventilador, para arejar o ambiente. Abaixo, o emboque/desemboque do túnel 01.
  30. 30. VALEC É o Supla? O Francisco Cuoco? Madre Tereza de Calcutá? Nããão. É o Engenheiro carioca Ledino Pestana, que já tocou em banda, é um artista nas representações e indeniza demais! Mais florzinha do Res. Morumbi:
  31. 31. VALEC E mais: Nas fotos abaixo, algumas famílias do Res. Morumbi:
  32. 32. VALEC Nesta, por favor, não repare a botina que o Sr. Osvaldo me emprestou... Dá prá ver os bebês gêmeos, na barriga da mãezinha? Abaixo, registramos uma família com 16 filhos; a meninha menor é neta. Nenhum bebe, fuma ou usa drogas; o mocinho louro toca violão que é uma beleza, é autodidata... chegaram mais duas sobrinhas, que estavam precisando de apoio...
  33. 33. VALEC E depois de algum tempo conversando com o Sr. José por entre os bambus, o Sr. José já sai de dentro de sua casa; levamos até ele, o Presidente do Conselho Municipal do Idoso de Anápolis, o Sr. Edival Lopes de Moraes e a Assistente Social Nadja Cunha, da Gestão Social da Prefeitura de Anápolis, para encaminhamentos em parceria: Na semana seguinte, o Sr. José não só saiu de casa para conversar conosco, como entregou seus documentos ao Engenheiro Ledino e ainda, entrou em acordo quanto à indenização. A Prefeitura ofereceu a ele, uma casa no Adriana Park, que ficará pronta em dezembro.
  34. 34. VALEC
  35. 35. VALEC Aí, tivemos a oportunidade de conhecer um pouquinho do trabalho desenvolvido no Centro Municipal do Idoso. Lá, oferecem turmas de EAJA – alfabetização e primeiro grau para adultos, corte e costura, bordados diversos; tem coral, passeios, palestras, comemorações e forró semanal. Nas fotos que se seguem, aparecem as alunas, sras. Ana Carmelita, Benedita Cândida, Baby Bizinoto e Francisquinha, do curso de pintura em tela, o Presidente do Conselho, Sr. Edival e o professor Sebastião Carova.
  36. 36. VALEC
  37. 37. VALEC No Residencial Morumbí, encontramos umas hortas e outras pequenas produções que nos fizeram parar e perceber um valor imensurável, em termos físicos, econômicos, humanos.
  38. 38. VALEC E este senhor aí, lembra-se dele, lá atrás, na reunião com a comunidade? É o Sr. Pio. Olha só o quintal dele. Tem plantado nos cinco lotes: feijão branco e roxo, que trouxe do Pará, almeirão, couve, alface, espinafre, abacate que veio de Minas, maçã, mandioca, morango, caju, jabuticaba, mangas espada e rosa, chuchu, limão doce, mexerica pokan, bananas ourinho e maçã, goiaba, laranja, cana, abóbora, jurubeba, inhame, ata, tamarindo, taioba.
  39. 39. VALEC
  40. 40. VALEC Abaixo, a imagem de umas crianças brincando em uma água que se represou devido a obra de terraplanagem, próximo ao túnel 02... Como o local é de muito risco para a circulação de pessoas alheias a obra, fotografamos e mostramos ao Dr. Wagner, que ficou
  41. 41. VALEC muitíssimo preocupado, telefonou imediatamente ao Engenheiro Reinaldo, da Queiróz Galvão, cobrando providências e no mesmo dia, o laguinho tinha se secado. Na casa do Durvalino (abaixo), no Jardim Calixto, próximo ao túnel 01, não encontramos o poço tubular que procurávamos (ele busca dezenas de água todos os dias em uma chácara, em garrafas pet de refrigerantes, vai de motocicleta), mas pedi licença para registrar sua alegria, que nos impressionou e deu alento em um dia difícil... Como ele está, sentado na foto, é como ele faz seu cheiroso almoço, diariamente, em um fogareiro de duas bocas; tem cheiro verde plantado em vasos. Ouvia música MPB da melhor qualidade, do tipo Zélia Duncan, Djavan... Sofreu há muito tempo,
  42. 42. VALEC um acidente de trabalho que o deixou com grave comprometimento físico (paralisia parcial de membros e face). Ao lhe pedir uma foto, disse-nos, alegremente, “eu sou feliz!”. Mais visitante ilustre. O Bento é do Rio de Janeiro, da contabilidade.
  43. 43. VALEC O fofo acima é lá do Setor Vivian Park II, próximo ao túnel 02. E olha só quanta coisa linda na casa do artesanato de Anápolis, na Praça Bom Jesus, no centro da cidade:
  44. 44. VALEC
  45. 45. VALEC
  46. 46. VALEC E recebemos um pedido de uma creche/orfanato, então fomos visitá-la:
  47. 47. VALEC
  48. 48. VALEC Abaixo, o Pe. Luiz Lima de Souza, idealizador e responsável pela Creche Lar Nossa Senhora Mãe dos Pobres. Olha aí a Advogada Vera Maria Cerqueira, o Ricardo Mahfuz e a Engenheira Danielle Shizue esperando para cantar parabéns para a Meire:
  49. 49. VALEC E olha a surpresa da Meire chegando e o tamanhão do parabéns do Sidney: Mais do aniversário:
  50. 50. VALEC E nem à frente de uma maravilhosa torta alemã, Meire deixa de cumprir tarefas ó:
  51. 51. VALEC Os colegas Paulo Taranto, Sr. Osvaldo e Luciana, da CONCREMAT: O Engenheiro Cândido de Oliveira Filho, companheiro responsável pelas obras de arte especiais:
  52. 52. VALEC Engenheiro Luiz Otalles: E em Campo Limpo de Goiás, temos muitas cerâmicas, que são a mola mestre da economia no município. Grande parte dos trabalhadores destas cerâmicas são jovens, a partir dos 16 anos. O trabalho é duro, o dia todo. As cerâmicas se localizam na rodovia. Olha aí eles saindo para o almoço de uma horinha, apenas, para ir, comer e voltar:
  53. 53. VALEC E enfim, depois de algum tempo, conseguimos os documentos daquele senhor de 73 anos que vivia isolado. Daí para a negociação foi um passo. Em seguida, ele resolveu partir para Minas Gerais, para junto de seus familiares, sem avisar e sem assinar o acordo final. Procuramos por ele em hospitais, fomos ao MP, registramos B. O. na delegacia e aí ele apareceu na VALEC, depois de 10 dias sumido, assinou e voltou para sua terra natal.
  54. 54. VALEC
  55. 55. VALEC E olha o viaduto antes e depois, na rodovia GO-222; agora, já está pronto, lindo, fico devendo a foto. Em seguida, um pouco do visual ao longo da estrada:
  56. 56. VALEC Abaixo, conversa com a Diretora Adriana, da escola Lar São Francisco de Assis, onde devido detonações para abertura do túnel 01, surgiram sérios problemas nas paredes e no teto da escola. O Engenheiro de Segurança Antônio Davi, da VALEC e o Técnico da Queiróz Galvão, Sr. Cambraia, se encarregaram dos encaminhamentos necessários para a solução dos problemas.
  57. 57. VALEC E mais festa de aniversariantes. Nesta, em novembro, teve boas vindas ao João Pedro, filho do colega José Luiz:
  58. 58. VALEC Na festa de dezembro, tivemos os aniversariantes mais animados, com discurso de obrigado à administração, pois até então, “nunca tinha tido festa no mês de dezembro”...
  59. 59. VALEC
  60. 60. VALEC
  61. 61. VALEC Embora hajam avisos, muitas pessoas trafegam na àrea de domínio da ferrovia, ou permitem que seus animais trafeguem, aumentando os riscos de acidentes, o que fez com que conversássemos pessoalmente com essas pessoas, alertando e cobrando o respeito aos limites da obra.
  62. 62. VALEC Estivemos na regional da SANEAGO em Anápolis, conversando sobre a parceria que temos feito e a atividade socioeducativa que faremos no próximo ano, junto à Prefeitura. Na foto, aparecem o Sr. Átila, Diretor da SANEAGO em Anápolis, Tânia e Mara e o Sr. João Batista Fornazier, engenheiros da SANEAGO, e a bióloga Sandra Cristina, também da SANEAGO.
  63. 63. VALEC Olha só que casa interessante que encontramos em Anápolis: Vou fotografar algumas imagens interessantes de Anápolis e enviarei no próximo arquivo. Esta cidade é surpreendentemente Neste 2009, teremos muito trabalho ao redor dos trilhos e também no arremate das parcerias que iniciamos, visando um trabalho de Desenvolvimento de Comunidade, nos bairros entrecortados pela FNS. Daremos notícias. Feliz 2009, com muita saúde, amor, alegrias, sucesso, perseverança e fé. Forte abraço, longa vida!!! Alexandra Machado Costa Serviço Social – VALEC – FNS Campo Limpo de Goiás, janeiro de 2009

×