[2010] inovação desenvolvimento

642 views
581 views

Published on

A lecture in the SICOMP workshop about innovation and development

Published in: Business
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
642
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
9
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

[2010] inovação desenvolvimento

  1. 1. Ou, ‘O que falta para sermos como o Vale do Silício?’
  2. 2. A partir de exemplos
  3. 7. <ul><li>JOSEPH ALOIS SCHUMPETER </li></ul><ul><li>PETER DRUCKER </li></ul>
  4. 8. Problema: Como anda o Brasil em termos de inovação em TI?
  5. 11. Entraves ao desenvolvimento
  6. 12. Fonte: Christopher Freeman - The 'National System of Innovation' in Historical Perspective
  7. 13. Fonte: Erber, Innovation and the Development Convention in Brazil
  8. 14. ADBI - Macrometas Elevar o dispêndio privado em P&D P&D PRIVADO/PIB Meta 2010: 0,65% (US$ 7,8 bilhões) Posição 2005: 0,51% ou US$ 5,1 bilhões Crescimento médio anual de 9,8% entre 2007-2010 Ampliar o Investimento fixo INVESTIMENTO/PIB Meta 2010: 21% (US$ 265 bilhões) Posição 2007: 17,6% ou US$ 192 bilhões Crescimento médio anual de 11,3% entre 2008-2010 Ampliação das exportações PARTICIPAÇÃO NAS EXPORTAÇÕES MUNDIAIS Meta 2010: 1,25% (US$ 208,8 bilhões) Posição 2007: 1,18% ou US$ 160,6 bilhões Crescimento médio anual de 9,1% entre 2008-2010 Dinamização das MPEs NÚMERO DE MPEs EXPORTADORAS Meta 2010: aumentar em 10% o número de MPEs exportadoras Posição 2006: 11.792 empresas Fonte: ABDI
  9. 15. Como formar pessoas com visão moderna em estruturas conservadoras?
  10. 16. <ul><li>“ Luckily, there are now program design teams who realize that the human is a vital component in the interactive system” (David Hohn , 1992 ) </li></ul>
  11. 17. <ul><li>Poucas criatividade e interdisciplinaridade nos currículos </li></ul><ul><ul><li>Disciplina IHC 30 h.a em ±3.000 h.a = 0,01 % </li></ul></ul><ul><li>Pouco emprego de metodologias de pesquisa </li></ul><ul><ul><li>Validações ad hoc </li></ul></ul><ul><ul><li>Estudos do comportamento humano comprometidos </li></ul></ul>
  12. 18. Fonte: Box and Arrows
  13. 19. <ul><li>Darwinismo Digital (quem) </li></ul><ul><ul><li>95% dos produtos de informática não sobrevivem no mercado </li></ul></ul><ul><li>A indústria brasileira de software ainda não despertou para a relação entre usabilidade de software e valor dos produtos (Roselino, 2006) </li></ul>
  14. 20. Parques tecnológicos e incubadoras
  15. 21. <ul><li>Trata-se de um sistema ainda imaturo, no qual: </li></ul><ul><ul><ul><li>as firmas pouco interagem entre si e com a pesquisa acadêmica; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>as leis locais de incentivo ao setor são desconhecidas; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>o preço da mão de obra qualificada fundamenta em boa medida a competitividade das empresas locais. </li></ul></ul></ul><ul><li>Mesmo ainda imaturo, o sistema possui: </li></ul><ul><ul><ul><li>importantes produtores de software, </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>pacote de significativa inserção nacional e internacional, </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>elevado número de firmas atuantes no segmento de serviços de software e </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>organizações de fomento setorial com relevantes potencialidades para o conjunto do tecido produtivo local. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Fonte: Rauen, Ferraz, Processo Inovativo na Indústria de Software de Joinville (SC): uma análise a partir do marco teórico neo-schumpeterian </li></ul></ul></ul></ul>
  16. 22. <ul><li>“ Um último aspecto a destacar do que foi mostrado pela pesquisa é que houve situações específicas favoráveis à relação das empresas locais com a universidade. Num sentido conjuntural, foram os vínculos originários da empresa com instituições de pesquisa aqueles que guardaram maior correlação com as relações observadas. Já pelo lado tecnológico, identificou-se que as áreas da computação mais favoráveis às interações universidade-empresa desenvolvedora de software foram o processo do software e as técnicas de inteligência artificial, que conformaram nichos de relacionamentos no Recife. Afora esta regularidade, foram muito mais os laços sociais do que a busca por conhecimentos avançados que explicaram os relacionamentos observados .” </li></ul>Fonte: Oliveira, Sobre a interação universidade-Empresa no desenvolvimento de software: Um estudo de caso em Recife
  17. 23. Modelo de distribuição de renda e de oportunidades
  18. 24. CCTE-Cin-UFPE
  19. 25. CCTE-Cin-UFPE
  20. 26. Inovar em a fundo perdido para ganhar em outras áreas
  21. 28. Existem recursos que podem financiar inovação?
  22. 29. Estágio Fonte: Porto Digital Maturidade Nascente Nova Crescimento Consolidação PRIME Fundo Criatec C.A.I.S Juro Zero Capital de Risco PAPPE Subvenção Federal Private Equity Prosoft IPO Veículos de Investimento
  23. 30. Fonte: BNDES PROTVD R$ 1 Bilhão Vigência 31.12.21013 IES R$ 1 Bilhão Programas de Apoio à Inovação Inovação Tecnológica (Foco no Projeto) R$ 1 Bilhão BNDES PSI FUNTEC Valor Inicial R$ 153 Milhões CRIATEC R$ 100 Milhões Pró-Aeronáutica R$ 100 Milhões Vigência 30.06.2010 Proengenharia ¹ R$ 4 Bilhões Vigência 31.12.2010 Inovação Produção BNDES PSI BNDES Automático FUNTTEL PROFARMA R$ 3 Bilhões Vigência 31.07.2012 PROSOFT R$ 5 Bilhões Vigência 31.07.2012 Capital Inovador R$ 1 Bilhão BNDES PSI Cartão BNDES
  24. 31. Fonte: FINEP
  25. 32. Identificar as fontes disponíveis mais adequadas (regra de acesso, custo ponderado do capital, tempo de liberação) aos recursos demandados pelo portfolio de projetos. Fonte: FINEP Gestão Mercado Produção FINEP CNPq BNDES Recursos Próprios Capital Empreendedor Fonte B FAP Bancos Regionais de Desenvolvimento SENAI
  26. 34. Este documento está sujeito a copyright . Todos os direitos estão reservados para o todo ou partes do documento. Em particular, os direitos de tradução, reprodução, reuso de figuras, citações, reprodução de qualquer forma, armazenagem em sistemas de informação, inclusive na Web, estão sujeitas a autorização prévia por escrito do autor. © Alex Sandro Gomes 2010 O uso de nomes registrados, marcas, figuras de outras publicações etc. neste documento não implica que estes objetos deixam de estar sujeitos às leis de proteção da propriedade intelectual aplicáveis. Portanto, mesmo sem indicação explícita, esses objetos não estão disponíveis para uso livre.

×