Gestão de Riscos (2013) - Aula 3

  • 228 views
Uploaded on

Slides da 3ª aula da disciplina Gestão de Riscos (2013). …

Slides da 3ª aula da disciplina Gestão de Riscos (2013).

MBA em Gestão da Qualidade de Sistemas de Informação.

More in: Business
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
228
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Alessandro Almeida | www.alessandroalmeida.com1° Semestre de 2013
  • 2.  Definição do PMBoK, 4ª edição: Um evento ou condição incerta que, se ocorrer,provocará um efeito positivo ou negativo nosobjetivos de um projeto
  • 3.  Envolve incerteza Fato! Os riscos sempre estarão lá, independente devocê conhecê-los e gerenciá-los Gestão de riscos é um tema que sempre está namoda! O risco está sempre presente em nosso dia-a-dia... ...até mais do que imaginamos
  • 4.  Ferramenta importante para que a gestão daempresa seja bem sucedida... Identificar e atingir os objetivos estratégicos Compliance Maior transparência (interna e externa) Atuação proativa diante dos movimentos domercado
  • 5. Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/05/1275712-latino-entra-em-cabine-de-aviao-da-tam-durante-voo-e-anac-cobra-explicacao.shtml
  • 6. Fonte da foto: http://variedadesnovaral.blogspot.com/2009/12/biblioteconomia-e-reinvencao-da-roda.html
  • 7. Gestão de Riscos Corporativos
  • 8. Gestão de Riscos – Princípios e Diretrizes
  • 9.  NBR ISO 31000 Gestão de Riscos – Princípios e Diretrizes Publicada em 2009 Visa a harmonização das normas queenvolvem Gestão de Riscos Considera que todas as organizaçõesgerenciam o risco de alguma forma Por isso, estabelece um número de princípios queprecisam ser atendidos para tornar a Gestão deRiscos eficaz
  • 10.  Aplicável a qualquer tipo de empresa Abordagem genérica Não tem como objetivo a certificação Recomenda o desenvolvimento de umframework que contemple todo o ciclo devida da Gestão de Riscos Propõe a inserção da cultura de Gestão de Riscosno DNA da empresa
  • 11.  Arquitetura para Gestão de Riscos:Princípios
  • 12.  Arquitetura para Gestão de Riscos:PrincípiosPRINCÍPIOS
  • 13.  Arquitetura para Gestão de Riscos:PrincípiosFRAMEWORK
  • 14.  Arquitetura para Gestão de Riscos:PrincípiosPROCESSO
  • 15. De acordo com a ISO 31000:2009
  • 16.  Arquitetura para Gestão de Riscos:PrincípiosPRINCÍPIOS
  • 17.  Cria e protege valor Parte integrante de todos os processosorganizacionais Parte da tomada de decisões Aborda explicitamente a incerteza É sistemática, estruturada e oportuna
  • 18.  Baseia-se nas melhores informaçõesdisponíveis É feita sob medida Considera fatores humanos e culturais É transparente e inclusiva É dinâmica, iterativa e capaz de reagir amudanças Facilita a melhoria contínua da organização
  • 19. De acordo com a ISO 31000:2009
  • 20.  Arquitetura para Gestão de Riscos:PrincípiosFRAMEWORK
  • 21. Concepção daEstrutura paraGerenciar RiscosImplementaçãoda Gestão deRiscosMonitoramentoe Análise Críticada EstruturaMelhoriaContínua daEstruturaMandato eComprometimento
  • 22. Mandato eComprometimento
  • 23.  Patrocínio! Alinhamento entre objetivos de Gestão deRiscos com os objetivos e estratégias daempresa Assegura que os recursos necessários sejamalocados para a Gestão de Riscos
  • 24. Concepção daEstrutura paraGerenciar RiscosMandato eComprometimento
  • 25.  Entendimento da organização e seu contexto Estabelecimento da política de Gestão deRiscos Responsabilização Integração nos processos organizacionais Recursos Estabelecimento de mecanismos decomunicação e reporte internos e externos
  • 26. Concepção daEstrutura paraGerenciar RiscosImplementaçãoda Gestão deRiscosMandato eComprometimento
  • 27.  Implementar Estrutura para gerenciar riscos Processo de Gestão de Riscos
  • 28. Concepção daEstrutura paraGerenciar RiscosImplementaçãoda Gestão deRiscosMonitoramentoe Análise Críticada EstruturaMelhoriaContínua daEstruturaMandato eComprometimento
  • 29.  Análise crítica da eficácia do framework Considerando o contexto interno e externo,realizar a avaliação periódica de desempenho Políticas Planos Processos Etc.
  • 30. Concepção daEstrutura paraGerenciar RiscosImplementaçãoda Gestão deRiscosMonitoramentoe Análise Críticada EstruturaMelhoriaContínua daEstruturaMandato eComprometimento
  • 31.  Considerando dados levantados nomonitoramento e análise crítica,implementar melhorias no framework
  • 32. Concepção daEstrutura paraGerenciar RiscosImplementaçãoda Gestão deRiscosMonitoramentoe Análise Críticada EstruturaMelhoriaContínua daEstruturaMandato eComprometimento
  • 33. PlanDoCheckAct
  • 34. De acordo com a ISO 31000:2009
  • 35.  Arquitetura para Gestão de Riscos:PrincípiosPROCESSO
  • 36.  Deve acontecer durante todas as fases doprocesso de Gestão de Riscos! Auxilia que os riscos sejam identificadoscorretamente Reúne diferentes áreas de especialização emconjunto para análise de riscos Aprimora a gestão de mudanças durante oprocesso de Gestão de Riscos
  • 37.  Detalhamento do contexto identificado naConcepção da Estrutura para Gerenciar Riscos(framework) Estabelecer os contextos externo e interno
  • 38.  Definição das regras do jogo Critérios de risco Metodologias Papéis e Responsabilidades Metas Etc.
  • 39.  Identificação de Riscos Quais são as fontes de risco? Considerar todos os riscos (mesmo aqueles quenão são controlados pela empresa) Reações em cadeia (efeitos cumulativos e emcascata provocados pelos riscos)
  • 40. Fonte: http://riskreport.weforum.org/
  • 41.  Análise de Riscos Desenvolver a compreensão dos riscos Apreciação das causa e as fontes de risco (análisede causa e efeito) Análise das consequências positivas e negativas (ea probabilidade de ocorrer) Classificação dos riscos Análise quantitativa e / ou qualitativa
  • 42.  Avaliação de Riscos Considerando as informações levantadas, o quefaremos? Quais riscos necessitam de tratamento? Qual será a prioridade na implementação dotratamento? Importante: A avaliação pode sugerir que o risconão seja tratado, somente monitorado.
  • 43.  Seleção e implementação de uma ou maisopções para modificar os riscos Processo cíclico: Avaliação do tratamento de riscos já realizado Decisões se os níveis de risco residual sãotoleráveis▪ Não? Definir e implementar novo tratamento Avaliação da eficácia desse tratamento
  • 44.  As opções podem incluir: Tomada ou aumento do risco (aproveitando umaoportunidade) Remoção da fonte de risco Alteração da probabilidade Alteração das consequências Compartilhamento do risco
  • 45.  Seleção das opções de tratamento de riscos Envolve equilíbrio (custos e esforços X benefíciosdecorrentes) Qual é a ordem de prioridade em que ostratamentos devem ser implementados? Monitoramento!!!!! Um risco pode gerar outros riscos
  • 46.  Planejamento! Quais os benefícios do tratamento escolhido? Ações Responsabilidades Cronograma Medição de desempenho Etc. Plano integrado com o processo e apresentadoaos stakeholders
  • 47.  Garantir que os controles sejam eficazes eeficientes Obter informações adicionais para melhoraro processo de avaliação dos riscos Lições aprendidas! Analisar os eventos, mudanças, tendências,sucessos e fracassos Identificar riscos emergentes Detectar mudanças no contexto
  • 48. O que a ISO 31000:2009 proporciona?
  • 49. Princípios=Governança Corporativa dosRiscos
  • 50.  Recomendação de leitura: Governança Corporativa dos Riscos do Banco doBrasil: http://bit.ly/fJ1Iek
  • 51. Atividade
  • 52. 1. Em grupos de até 5 alunos, discutir e listar aspráticas corporativas de Gestão de Riscosutilizadas em suas empresas Caso não seja possível identificar práticascorporativas, foquem nas práticasdepartamentais ou dos projetos que vocêsparticipam2. Associar as práticas identificadas pelo grupocom as práticas discutidas durante a aula3. Como a ISO 31000 poderia ajudar?
  • 53. Plano para Gestão de Riscos
  • 54.  Os seguintes itens devem ser apresentados: Grupo Contexto▪ Empresa fictícia ou real?▪ Informações sobre a empresa e o mercado em que elaatua▪ Plano de Riscos para a empresa, para uma área ou paraum projeto?
  • 55.  Apresentar uma lista com os primeiros dezriscos identificados Neste momento, não é necessário apresentar aprobabilidade, impacto ou a criticidade Riscos positivos e negativos
  • 56. alessandro.almeida@uol.com.brwww.alessandroalmeida.com/unifieo.htmwww.slideshare.net/alessandroalmeida