Gestão de Riscos (2012) - Aula 3
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

Gestão de Riscos (2012) - Aula 3

  • 3,199 views
Uploaded on

Slides da aula 3 da disciplina Gestão de Riscos (2012)....

Slides da aula 3 da disciplina Gestão de Riscos (2012).

MBA em Gestão da Qualidade de Sistemas de Informação.

More in: Business
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
No Downloads

Views

Total Views
3,199
On Slideshare
1,477
From Embeds
1,722
Number of Embeds
26

Actions

Shares
Downloads
89
Comments
2
Likes
1

Embeds 1,722

http://batepapodebuteco.blogspot.com.br 956
http://www.batepapodebuteco.blogspot.com.br 537
http://batepapodebuteco.blogspot.pt 94
http://batepapodebuteco.blogspot.com 56
http://www.batepapodebuteco.blogspot.com 14
http://www.batepapodebuteco.blogspot.pt 13
http://batepapodebuteco.blogspot.com.es 6
http://batepapodebuteco.blogspot.it 5
http://batepapodebuteco.blogspot.de 5
http://batepapodebuteco.blogspot.com.ar 4
http://batepapodebuteco.blogspot.ca 4
http://batepapodebuteco.blogspot.hu 4
http://batepapodebuteco.blogspot.fr 4
http://batepapodebuteco.blogspot.co.uk 3
http://batepapodebuteco.blogspot.ru 3
http://batepapodebuteco.blogspot.in 2
http://batepapodebuteco.blogspot.cz 2
http://www.batepapodebuteco.blogspot.com.ar 2
http://feeds2.feedburner.com 1
http://batepapodebuteco.blogspot.com.tr 1
http://batepapodebuteco.blogspot.mx 1
http://batepapodebuteco.blogspot.sk 1
http://batepapodebuteco.blogspot.gr 1
http://batepapodebuteco.blogspot.no 1
http://batepapodebuteco.blogspot.ch 1
http://www.batepapodebuteco.blogspot.de 1

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Alessandro Almeida | www.alessandroalmeida.com
  • 2. Definição do PMBoK, 4ª edição: Um evento ou condição incerta que, se ocorrer, provocará um efeito positivo ou negativo nos objetivos de um projeto
  • 3. Envolve incertezaFato! Os riscos sempre estarão lá, independente de você conhecê-los e gerenciá-los Gestão de riscos é um tema que sempre está na moda!O risco está sempre presente em nosso dia-a-dia... ...até mais do que imaginamos
  • 4. Fonte da foto: http://variedadesnovaral.blogspot.com/2009/12/biblioteconomia-e-reinvencao-da-roda.html
  • 5. Gestão de Riscos Corporativos
  • 6. Gestão de Riscos – Princípios e Diretrizes
  • 7. NBR ISO 31000 Gestão de Riscos – Princípios e DiretrizesPublicada em 2009Visa a harmonização das normas queenvolvem Gestão de RiscosConsidera que todas as organizaçõesgerenciam o risco de alguma forma Por isso, estabelece um número de princípios que precisam ser atendidos para tornar a Gestão de Riscos eficaz
  • 8. Aplicável a qualquer tipo de empresa Abordagem genéricaNão tem como objetivo a certificaçãoRecomenda o desenvolvimento de umframework que contemple todo o ciclo devida da Gestão de Riscos Propõe a inserção da cultura de Gestão de Riscos no DNA da empresa
  • 9. Princípios
  • 10. De acordo com a ISO 31000:2009
  • 11. Cria e protege valorParte integrante de todos os processosorganizacionaisParte da tomada de decisõesAborda explicitamente a incertezaÉ sistemática, estruturada e oportuna
  • 12. Baseia-se nas melhores informaçõesdisponíveisÉ feita sob medidaConsidera fatores humanos e culturaisÉ transparente e inclusivaÉ dinâmica, iterativa e capaz de reagir amudançasFacilita a melhoria contínua da organização
  • 13. De acordo com a ISO 31000:2009
  • 14. Mandato e Comprometimento Concepção da Estrutura para Gerenciar Riscos Melhoria ImplementaçãoContínua da da Gestão de Estrutura Riscos Monitoramento e Análise Crítica da Estrutura
  • 15. Patrocínio!Alinhamento entre objetivos de Gestão deRiscos com os objetivos e estratégias daempresaAssegura que os recursos necessários sejamalocados para a Gestão de Riscos
  • 16. Entendimento da organização e seu contextoEstabelecimento da política de Gestão deRiscosResponsabilizaçãoIntegração nos processos organizacionaisRecursosEstabelecimento de mecanismos decomunicação e reporte internos e externos
  • 17. Implementar Estrutura para gerenciar riscos Processo de Gestão de Riscos
  • 18. Análise crítica da eficácia do frameworkConsiderando o contexto interno e externo,realizar a avaliação periódica de desempenho Políticas Planos Processos Etc.
  • 19. Considerando dados levantados nomonitoramento e análise crítica,implementar melhorias no framework
  • 20. De acordo com a ISO 31000:2009
  • 21. Deve acontecer durante todas as fases doprocesso de Gestão de Riscos!Auxilia que os riscos sejam identificadoscorretamenteReúne diferentes áreas de especialização emconjunto para análise de riscosAprimora a gestão de mudanças durante oprocesso de Gestão de Riscos
  • 22. Detalhamento do contexto identificado naConcepção da Estrutura para Gerenciar Riscos(framework)Estabelecer os contextos externo e interno Recomendação de leitura: Leading Outside the Lines http://www.strategy-business.com/article/10204
  • 23. Definição das regras do jogo Critérios de risco Metodologias Papéis e Responsabilidades Metas Etc.
  • 24. Identificação de Riscos Quais são as fontes de risco? Considerar todos os riscos (mesmo aqueles que não são controlados pela empresa) Reações em cadeia (efeitos cumulativos e em cascata provocados pelos riscos)
  • 25. Fonte: http://riskreport.weforum.org/
  • 26. Análise de Riscos Desenvolver a compreensão dos riscos Apreciação das causa e as fontes de risco (análise de causa e efeito) Análise das consequências positivas e negativas (e a probabilidade de ocorrer) Classificação dos riscos Análise quantitativa e / ou qualitativa
  • 27. Avaliação de Riscos Considerando as informações levantadas, o que faremos? Quais riscos necessitam de tratamento? Qual será a prioridade na implementação do tratamento? Importante: A avaliação pode sugerir que o risco não seja tratado, somente monitorado.
  • 28. Seleção e implementação de uma ou maisopções para modificar os riscosProcesso cíclico: Avaliação do tratamento de riscos já realizado Decisões se os níveis de risco residual são toleráveis ▪ Não? Definir e implementar novo tratamento Avaliação da eficácia desse tratamento
  • 29. As opções podem incluir: Tomada ou aumento do risco (aproveitando uma oportunidade) Remoção da fonte de risco Alteração da probabilidade Alteração das consequências Compartilhamento do risco
  • 30. Seleção das opções de tratamento de riscos Envolve equilíbrio (custos e esforços X benefícios decorrentes) Qual é a ordem de prioridade em que os tratamentos devem ser implementados?Monitoramento!!!!! Um risco pode gerar outros riscos
  • 31. Planejamento! Quais os benefícios do tratamento escolhido? Ações Responsabilidades Cronograma Medição de desempenho Etc. Plano integrado com o processo e apresentado aos stakeholders
  • 32. Garantir que os controles sejam eficazes eeficientesObter informações adicionais para melhoraro processo de avaliação dos riscosLições aprendidas! Analisar os eventos, mudanças, tendências, sucessos e fracassosIdentificar riscos emergentesDetectar mudanças no contexto
  • 33. O que a ISO 31000:2009 proporciona?
  • 34. Princípios =Governança Corporativa dos Riscos
  • 35. Recomendação de leitura: Governança Corporativa dos Riscos do Banco do Brasil: http://bit.ly/fJ1Iek
  • 36. Atividade
  • 37. Em grupo, discutir e listar as práticascorporativas de Gestão de Riscos utilizadasem suas empresasProcurar associar as práticas identificadaspelo grupo com as práticas discutidas durantea aulaComo a ISO 31000 poderia ajudar?
  • 38. alessandro.almeida@uol.com.br