Trabalho de biologia características gerais dos seres vivos

2,927 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,927
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
6
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Trabalho de biologia características gerais dos seres vivos

  1. 1. Anelideos A Característica mais peculiar do filo é a metametria, ou seja, a divisão do corpo em partes similares, ou segmentos, que estão dispostos em uma série linear ao longo antero-posterior.Os anelídeos são animais com corpo alongado, com simetria lateral, segmentado, triblásticos, protostómios e celomados, ou seja, com a cavidade do corpo preenchida de um fluido, onde o intestino e os outros órgãos se encontram suspensos. O nome annelida significa anel, pois trata-se de uma classe de animais cilíndricos, compridos e caracterizados por possuir o corpo dividido por anéis. Os anelídeos apresentam um tipo de camada chamada cerda e, pela presença ou falta delas, são divididos. Eles também possuem sistema digestório com boca e ânus, o sangue se move em seu corpo pelo sistema circulatório fechado, ou seja, apenas dentro dos vasos sanguíneos.
  2. 2. •Podem ser encontrados abaixo do solo ou em habitats marinhos , sendo classificados em : • Poliquetos Sua característica principal é a apresentação de muitas cerdas, que são encontradas na parte lateral do corpo. A maioria vive em ambiente marinho e possuem sexos diferentes, porém alguns são hermafroditas. A fecundação ocorre de maneira externa e estão próximos ao grupo dos moluscos, podemos citar como exemplo de poliquetos as minhocas marinhas.
  3. 3. Hirudíneos Esse grupo apresenta o corpo sem cerdas, ou seja, são os que se infiltram debaixo da terra e que são denominados como hermafroditas como as sanguessugas, que antigamente eram usadas para sugar o sangue dos doentes com a finalidade de diminuir a pressão sanguínea. Podem viver tanto em água doce como salgada, esse grupo possui dois tipos de ventosas, uma para se fixar e outra para se locomover. Oligoquetos Caracterizados por possuírem poucas cerdas, que auxiliam na locomoção, os animais deste grupo percorrem buracos que constroem no solo. Sua principal representante é a minhoca pertencente à classe dos animais invertebrados, seu sistema digestivo é constituído por boca, faringe, papo, moela, intestino e ânus. Todos apresentam respiração em que as trocas de gases são feitas pelas paredes do corpo. Se conhecermos os vários grupos e reinos de animais, poderemos observar que cada um possui características peculiares. Todos de certa forma contribuem formando o reino animal, ajudando a natureza e o meio ambiente.
  4. 4. Reprodução A forma de reprodução dos anelídeos varia de espécie para espécie, podendo ser tanto assexuada como sexuada. Um exemplo, são as minhocas que embora sejam animais hermafroditas, pode ou não ser necessário duas minhocas para a reprodução. Elas se unem de forma a ficarem os poros masculinos de uma encostados aos receptáculos sêmen|seminais de outra, possibilitando, assim, a fecundação dos óvulos pelos espermatozoides. Caso a reprodução seja assexuada, os óvulos e os espermatozoides da própria minhoca (o receptáculo seminal está sem espermatozoide caso a reprodução seja assexuada) são liberados e agregados ao muco liberado pelo clitelo. O indivíduo formado é geneticamente igual ao seu progenitor
  5. 5. Poríferos Porífera é um filo onde se enquadram os animais conhecidos como esponjas. Características O nome do filo vem do Latim porus "poro" e ferre "carregar".Estes organismos são primitivos e sésseis (não se deslocam voluntariamente do seu local de fixação).Sua maior parte é marinha, estes seres alimentam-se por filtração, bombeando a água através das paredes do corpo e retendo as partículas de alimento nas suas células. As esponjas estão entre os animais mais simples, com tecidos parcialmente diferenciados (parazoas), porém sem músculos, sistema nervoso, nem órgãos internos. Eles são muito próximos a uma colônia celular de coanoflagelados,(o que mostra o provável salto evolutivo de unicelulares para pluricelulares) pois cada célula alimenta-se por si própria. Existem mais de 15.000 espécies modernas de esponjas conhecidas, que podem ser encontradas desde a superficie da água até mais de 8.000 metros de profundidade, e muitas outras são descobertas a cada dia.
  6. 6. Reprodução As esponjas podem reproduzir-se de dois modos sexuada ou assexuadamente, conforme as condições ambientais. Quanto a reprodução sexuada a maior parte das esponjas é monóica, porém observa-se espécies dióicas. Em relação a reprodução assexuada, as esponjas apresentam um alto grau de regeneração, podem se reproduzir pelo processo de brotamento externo ou interno, regeneração ou gemulação/gemação (exclusivo das esponjas de água doce), por meio de um broto que formará uma nova esponja adulta. Uma esponja produzida de forma assexuada tem exatamente o mesmo material genético de seu genitor.
  7. 7. Reprodução sexuada A maior parte das esponjas é hermafrodita. Os gametas são formados em células chamadas gonócitos, que são derivadas dos amebócitos. Os espermatozóides saem da esponja pelo ósculo e penetram em outra esponja pelos poros, junto com a corrente de água. São captados pelos coanócitos e transferidos até os óvulos, que ficam na mesogléia, e promovem a fecundação. A maioria das esponjas é vivípara, depois da fertilização o zigoto é retido e recebe nutrientes da esponja parental até que uma larva flagelada seja liberada, que nada até se fixar em um substrato e dar origem a um novo indivíduo A maior parte das esponjas é hermafrodita. Os gametas são formados em células chamadas gonócitos, que são derivadas dos amebócitos. Os espermatozóides saem da esponja pelo ósculo e penetram em outra esponja pelos poros, junto com a corrente de água. São captados pelos coanócitos e transferidos até os óvulos, que ficam na mesogléia, e promovem a fecundação. A maioria das esponjas é vivípara, depois da fertilização o zigoto é retido e recebe nutrientes da esponja parental até que uma larva flagelada seja liberada, que nada até se fixar em um substrato e dar origem a um novo
  8. 8. Reprodução assexuada Brotamento: o broto formado por amebócitos surge no corpo da esponja , podendo soltar-se e dar origem a um novo indivíduo ou permanecer preso, formando colônias. Fragmentação: pequenos fragmentos de uma esponja podem dar origem a novos indivíduos, pois as esponjas possuem um grande poder de regeneração. Gemulação: ocorre em espécies de água doce. Formam-se gêmulas, estruturas de resistência que se formam no interior do corpo da esponja. São compostas por células indiferenciadas e protegidas por um envoltório rígido.
  9. 9. Classificação das esponjas As esponjas são o tipo mais primitivo de animal, classificados por isso no grupo parazoa, considerado um taxon paralelo ao de todos os outros animais (eumetazoa), e carecem de várias coisas que os outros animais possuem, como sistema nervoso e locomoção. Contudo, testes recentes de DNA sugerem que seu grupo é a base dos outros grupos de animais. Elas dividem várias características com colônias de protozoários, como o Volvox, embora elas tenham um nível mais alto de especialização celular e interdependência. No entanto, se uma esponja for passada em uma peneira, ela vai se regenerar, e se várias esponjas de espécies diferentes forem colocadas juntas numa peneira, cada espécie vai se recombinar independentemente.
  10. 10. A divisão do filo Porifera em classes é feita com base no tipo de espículas que apresentam: Classe Calcarea - espículas compactas de carbonato de cálcio (aka.: calcário). Podem ser asconóides, siconóides ou leuconóides. Classe Hexactinellida - espículas de sílica, muito raras. Podem ser siconóides ou leuconóides. Classe Demospongiae - "esqueleto" de fibras de espongina com ou sem espículas de sílica. Somente leuconóides.
  11. 11. Artrópodes Os artrópodes constituem mais de 75% das espécies dos seres vivos existentes no mundo, sendo o maior aglomerado de animais em diversidade de grupos. Em geral, possuem partes do corpo articuladas, que recebem o nome de apêndices e podem ser divididos em: pernas, responsável pela locomoção; peças bucais, que exercem a função de prender os alimentos e antenas, as responsáveis pelas funções sensoriais. Alguns artrópodes, até que se tornem adultos, passam por modificações naturais em seu corpo chamadas de metamorfose, e em outros casos chamamos de desenvolvimento direto.
  12. 12. Habitat Esses animais vivem em diversos tipos de ambiente, muitos se abrigam em habitat aquático, outros são terrestres e alguns voam pela atmosfera do planeta. Classificação Podem ser classificados em cinco tipos: insetos, apresentam o corpo formado por cabeça, tórax e abdômen; os aracnídeos e crustáceos, formados por cabeça e tórax juntos e abdômen abaixo e os quilópodes ediplópodes, compostos apenas por cabeça e tronco.
  13. 13. Reprodução A maioria apresenta sexos separados, com algumas exceções, como os crustáceos marinhos que são hermafroditas. A reprodução é feita através da fecundação interna e cruzada, que formam ovos e nascem novos seres, mas também podem ocorrer através de óvulos não fecundados que se desenvolvem e constituem um novo animal, como os machos abelhas. Os artrópodes são diversificados nas pernas, que servem para: pernas finas e grandes locomover-se rapidamente; pernas pequenas e fortes, para cavar e pernas achatadas, servem para nadar.
  14. 14. Moluscos Os moluscos são seres vivos do filo Mollusca que pertencem ao Reino Animal e ao Domínio Eukaria (Eucariotas). Dentro deste filo, encontram-se oito classes que serão mencionadas posteriormente. No filo Mollusca encontram-se cerca de 50.000 espécies vivas e 35.000 espécies fósseis, fazendo deste filo o segundo maior em número de espécies (precedido apenas pelo filo Arthropoda). A característica principal deste grupo é a constituição destes seres por um corpo mole, e dele fazem parte animais tão variados como caracóis, lesmas, nudibrânquios, amêijoas, ostras, lulas, polvos e náutilus. A variedade passa não só pela forma, mas também pela complexidade, tamanho ou coloração. Por falar em variedade, é impressionante a adaptação deste grupo aos mais diferentes meios: existem moluscos de tamanhos que variam do microscópico ao gigante (e.g. lula gigante Architeuthis com 18m ou a amêijoa Tridacna gigas com, 1,5m); podem ser encontrados a viver em habitats de climas trópicos até aos mares polares, nas profundidades oceânicas e em montanhas de elevada altitude; ao que concerne à alimentação podem ser herbívoros, carnívoros, filtradores, detritívoros ou parasitas.
  15. 15. Reprodução Os moluscos têm reprodução sexuada, apresentam sexos separados. Os espermatozoides podem ser liberados na água ou dentro do corpo da fêmea. A fecundação pode ser externa onde o macho solta o espermatozoide e a fêmea o óvulo, os dois juntam dando origem ao indivíduo ou a reprodução interna onde o espermatozoide é liberado no corpo da fêmea.
  16. 16. GRUPO: • Alessandra • Fernanda • Luciana • Fábio • Felipe • Mário Lucas • Iury

×