Your SlideShare is downloading. ×
0
Prevenção de riscos geológicos e desastres naturais no estado do rio de janeiro
Prevenção de riscos geológicos e desastres naturais no estado do rio de janeiro
Prevenção de riscos geológicos e desastres naturais no estado do rio de janeiro
Prevenção de riscos geológicos e desastres naturais no estado do rio de janeiro
Prevenção de riscos geológicos e desastres naturais no estado do rio de janeiro
Prevenção de riscos geológicos e desastres naturais no estado do rio de janeiro
Prevenção de riscos geológicos e desastres naturais no estado do rio de janeiro
Prevenção de riscos geológicos e desastres naturais no estado do rio de janeiro
Prevenção de riscos geológicos e desastres naturais no estado do rio de janeiro
Prevenção de riscos geológicos e desastres naturais no estado do rio de janeiro
Prevenção de riscos geológicos e desastres naturais no estado do rio de janeiro
Prevenção de riscos geológicos e desastres naturais no estado do rio de janeiro
Prevenção de riscos geológicos e desastres naturais no estado do rio de janeiro
Prevenção de riscos geológicos e desastres naturais no estado do rio de janeiro
Prevenção de riscos geológicos e desastres naturais no estado do rio de janeiro
Prevenção de riscos geológicos e desastres naturais no estado do rio de janeiro
Prevenção de riscos geológicos e desastres naturais no estado do rio de janeiro
Prevenção de riscos geológicos e desastres naturais no estado do rio de janeiro
Prevenção de riscos geológicos e desastres naturais no estado do rio de janeiro
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Prevenção de riscos geológicos e desastres naturais no estado do rio de janeiro

2,197

Published on

Apresentação feita pelo presidente do DRM - Serviço Geológico RJ, Flávio Erthal, durante audiência da Comissão de Minas e Energia da Alerj (12/12/11) …

Apresentação feita pelo presidente do DRM - Serviço Geológico RJ, Flávio Erthal, durante audiência da Comissão de Minas e Energia da Alerj (12/12/11)
Leia a matéria completa em http://j.mp/rwOU26

Published in: News & Politics
1 Comment
2 Likes
Statistics
Notes
  • Jogando.net/mu - 09

    Olá, venho divulgar o melhor servidor de MU on-line do
    Brasil.
    -Season 6 Ep. 3 em todos os Servers. Sendo 7 servers diferenciados proporcionando sua diversão,
    VEJA ALGUMAS NOVIDADES :
    - NOVOS KITS : DEVASTATOR e SUPREMO DIAMOND V2 com Rings e Pendat Mysthical ;
    - Novos Shields Power v3 18 opts;
    - Novas Asas, Rings e Shields JDiamonds;
    - Novas compras com troca de asas e shields para asas e shields JDiamond.
    - Conheça também o site de Animes Cloud: http://www.animescloud.com, mais de 20.000 videos online.
    - Eventos e promoçoes DIA DAS CRIANÇAS diversao para todos na Jogando.net
    * JDIAMONDS EM DOBRO
    * jCASHS EM DOBRO
    * COMCORRA A UM IPAD
    * E DIVERSOS PREMIOS
    ENTRE JÁ NO SITE : http://www.jogando.net/mu/ >> CADASTRE-SE E GANHE 5 DIAS DE VIP
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total Views
2,197
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
48
Comments
1
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Prevenção de Riscos Geológicos e Desastres Naturais no Estado do Rio de Janeiro Ações do Serviço Geológico do Estado do Rio de Janeiro Rio de Janeiro – 12 de dezembro de 2011 Audiência Pública Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro
  • 2. <ul><li>Princípio Básico </li></ul><ul><ul><li>uso e ocupação do solo  constitucionalmente é competência dos municípios </li></ul></ul><ul><ul><li>papel do estado  apoio aos municípios, gerando conhecimento e estabelecendo ações coordenadas, tanto quanto a prevenção como na emergência </li></ul></ul><ul><li>Focos do Núcleo </li></ul><ul><ul><li>prevenção  ampliação do conhecimento geológico-geotécnico no território estadual, como estratégia para redução dos danos e efeitos decorrentes dos desastres </li></ul></ul><ul><ul><li>atendimento da emergência  suporte especializado à Defesa Civil estadual e aos municípios </li></ul></ul>Atuação do Serviço Geológico 2009/2011 ação coordenada entre os diversos atores
  • 3. Conhecimento Diagnóstico do Risco a Escorregamentos no Estado Dezembro 2011
  • 4. <ul><li>Diagnóstico do Risco a Escorregamentos 2010/2011 </li></ul><ul><ul><li>6 grandes regiões, constituindo grupos para atenção quanto ao risco a escorregamentos </li></ul></ul><ul><ul><li>primeiro grupo de atenção máxima </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Municípios serranos (Petropolis, Teresopolis, Friburgo) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>A ngra dos Reis, Mangaratiba, Niterói, São Gonçalo </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Barra Mansa </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>segundo grupo: baixada fluminense e fralda da Serra do Mar; serrana (grupo 2) e Paraty </li></ul></ul><ul><ul><li>terceiro grupo: sul fluminense; S A Pádua e Itaperuna </li></ul></ul><ul><ul><li>quarto grupo: noroeste, centro-norte e médio paraíba </li></ul></ul><ul><ul><li>quinto grupo: região dos lagos e norte </li></ul></ul><ul><ul><li>sext o grupo: cidade do Rio de Janeiro (Georio) </li></ul></ul>Conhecimento Serviço Geológico em estado de atenção: Contingência
  • 5. Mapeamento das áreas pré-classificadas como de risco a escorregamento em 8 municípios fluminenses (2010) e 23 municípios até fim de 2011 – Licitação de Serviços <ul><li>plotagem dos pontos de risco, com indicação da sua localização e características geométricas e geológico-geotécnicas; </li></ul><ul><li>a definição do grau de risco em cada ponto, considerando o potencial de ocorrência de escorregamentos e a vulnerabilidade das habitações; </li></ul><ul><li>a delimitação de zonas homogêneas em relação ao grau de risco, limitando-as a 3 domínios: risco inaceitável, risco tolerável e risco aceitável. </li></ul>Cartografia das Áreas de Risco a Escorregamentos 2010 Nova Iguaçu, Queimados, Japeri, Piraí, Parati, Rio Claro, Itaguaí, Magaratiba 2010 / 2011 Duque de Caxias, Mesquita, Nilópolis, São João de Meriti, Magé, Maricá, São Gonçalo, Rio Bonito 2011 Vassouras, Barra Mansa, Barra do Piraí, Paty dos Alferes, Mendes, Paracambi, Paulo de Frontin, Miguel Pereira, Itatiaia, Resende, Bom Jardim, São José do Vale do Rio Preto Sumidouro, Areal, Cachoeiras do Macacu apoio recursos FECAM/SEA
  • 6. Mapeamento Geológico-Geotécnico apoio recursos FECAM/SEA
  • 7. Mapeamento Geológico-Geotécnico apoio recursos FECAM/SEA
  • 8. Carta de Risco Iminente a Escorregamentos - Exemplo do Município Duque de Caxias apoio recursos FECAM/SEA
  • 9. <ul><ul><li>Mapeamento de Risco Iminente de 31 municípios (FECAM) </li></ul></ul><ul><ul><li>Cartas de Risco de 16 municipios do Noroeste </li></ul></ul><ul><ul><li>Edição de Cartilha de Risco para comunidades (FECAM) </li></ul></ul><ul><ul><li>Apoio da CPRM – Serviço Geológico do Brasil nos trabalhos na Região Serrana (11 geólogos por 60 dias) </li></ul></ul><ul><ul><li>Mapeamento das áreas de Risco Remanescente na Região Serrana (DRM e CPRM) </li></ul></ul><ul><ul><li>Análise geológico-geotécnica de áreas para reassentamento </li></ul></ul><ul><ul><li>Proposta de revisão do mapeamento de áreas de risco na Região Serrana </li></ul></ul><ul><ul><li>Apoio ao Programa Morar Seguro, com o mapeamento em curso para definição das áreas de Risco Iminente </li></ul></ul>O que estamos fazendo em 2011
  • 10. <ul><ul><li>Estruturação de Equipe Técnica (Concurso Público para 16 profissionais) e Infraestrutura Básica </li></ul></ul><ul><ul><li>Mapeamento de 31 municípios + 2 serranos </li></ul></ul><ul><ul><li>Operacionalização do Plano de Contingência 2011/2012 </li></ul></ul><ul><ul><li>Interação com Defesa Civil – INEA – SIMERJ </li></ul></ul><ul><ul><li>Apoio técnico aos municípios e esclarecimento da população – Cartilha de Risco </li></ul></ul><ul><ul><li>Elaboração de estudos dos principais eventos da Serra – Mapeamento do Risco Remanescente </li></ul></ul><ul><ul><li>Organização de Oficina com Municípios / Defesa Civil </li></ul></ul><ul><ul><li>Licitação para Mapeamento de 18 municípios N/NE </li></ul></ul><ul><ul><li>Proposta de complementação do Mapeamento de Risco Iminente nos demais municípios do estado </li></ul></ul>Situação Resumo em Dezembro de 2011
  • 11. Programa de Mapeamento do DRM-RJ
  • 12. &nbsp;
  • 13. <ul><ul><li>CONHECIMENTO DO RISCO – mapeamento geológico/geotécnico como base para indicação de pontos de abrigo, rede de alerta, obras preventivas -&gt; manutenção de infraestrutura de prevenção </li></ul></ul><ul><ul><li>ESTRUTURAÇÃO DE PLANOS DE EMERGÊNCIA DOS MUNICÍPIOS FRENTE AOS DESLIZAMENTOS – suporte do Serviço Geológico à Defesa Civil Municipal </li></ul></ul><ul><ul><li>PLANO DE CONTINGÊNCIA DO DRM-RJ 2011/2012 – </li></ul></ul><ul><ul><li>-&gt; maior equipe, veículos e melhor estrutura </li></ul></ul><ul><ul><li>-&gt; participação no CESTAD/SEDEC acompanhando as previsões de chuva em 24h e sistemas de alerta </li></ul></ul><ul><ul><li>-&gt; atendimento emergencial nos municípios -&gt; equipes sendo deslocadas para municípios mais críticos </li></ul></ul>Pontos do Plano de Contingência 2011 / 2012
  • 14. Pontos do Plano de Contingência 2011 / 2012 Para dar resposta a um possível cenário de desastre associado a escorregamentos, e levando em conta a ampliação da sua estrutura de pessoal e operacional, além da capacitação técnica de sua equipe, obtida com intenso treinamento de campo e através de cursos e seminários a partir de agosto, quando recebeu o reforço de seis profissionais nomeados a partir de concurso público, o NADE/DRM-RJ estruturou o seguinte Plano de Contingenciamento: (1) Cadeia de Decisões: A figura apresenta a estrutura gerencial de tomada de decisões do DRM-RJ para o Verão 2011-2012, que envolve uma maior equipe e novos veículos. Além de incorporar formalmente os seus parceiros institucionais e acadêmicos, o NADE-DRM conta agora com um contrato específico com o CENACID – Centro de Apoio Científico a Desastres, para eventuais reforços nos atendimentos emergenciais
  • 15. Pontos do Plano de Contingência 2011 / 2012
  • 16. Pontos do Plano de Contingência 2011 / 2012 Em função da intensificação dos seus esforços na definição de índices críticos de chuvas necessários para deflagrar escorregamentos generalizados que causem danos significativos; como forma de contribuir no acionamento, pela Defesa Civil Estadual (em conjunto com as defesas civis municipais), do Sistema de Alerta e Alarme em situações emergenciais, não apenas na Serra Fluminense, mas em todo Estado; e com o objetivo de contribuir decididamente com o Gabinete de Crise (CESTAD) a ser integrado pelos órgãos estaduais parceiros – SEDEC, INEA e SIMERJ, o NADE/DRM seguirá dois protocolos.
  • 17. Pontos do Plano de Contingência 2011 / 2012 (2) Protocolo de Operação I: (i) com base nos dados de chuvas do Sistema de Alerta e Cheias do INEA (que passará a contar também com os dados de chuvas acumuladas em 48h, em 72h, em 96h e 1 mês), que serão acompanhados e monitorados, ininterruptamente, pela Defesa Civil Estadual, e na previsão de chuvas para as próximas 24 horas, a ser emitida pelo SIMERJ, serão definidos os seguintes estágios: (a) Chuvas acumuladas em 3 dias (72h), somadas às chuvas de 24 horas previstas alcançarem 115 mm E as chuvas acumuladas em 1 mês, somadas às chuvas de 24 horas alcançarem 270 mm -&gt; GRUPO PRÉ CRISE NO CESTAD (b) Quando estiverem atingidos os índices de (a) o NADE/DRM -&gt; deslocamento de dupla de geólogos para a região afetada (c) Gabinete de Crise -&gt; acionamento da Atenção (chuvas de 60mm em 23 horas e previsão de chuvas de 20mm na próxima hora) e do Alarme (chuvas de 70mm em 23 horas e previsão de chuvas de 30mm na próxima hora)
  • 18. Pontos do Plano de Contingência 2011 / 2012 (3) Protocolo de Operação II: Constatação da situação de emergência -&gt; estabelecida a base de operações em um hotel, em um ou mais municípios -&gt; o NADE/DRM-RJ fará contato imediato e urgente com a(s) defesa(s) civis municipais. A partir deste contato, ficará acordado a forma pela qual o DRM-RJ integrará o Gabinete de Crise Local e quais atividades técnicas estarão sob sua responsabilidade, no processo de atendimento emergencial, as quais, a priori, deverão estar referenciadas a um Plano de Contingência ou a um PLANO DE EMERGÊNCIA FRENTE A ESCORREGAMENTOS GENERALIZADOS. (ii) Atuando na Crise, o NADE/DRM-RJ privilegiará a utilização, por parte do Gabinete de Crise, dos mapas ou cartas de risco gerados pelo DRM-RJ, além da vistoria dos pontos indicados como abrigos temporários
  • 19. Serviço Geológico do Estado do Rio de Janeiro – DRM-RJ Núcleo de Prevenção e Análise de Desastres Geológicos Rua Marechal Deodoro, 351 - Centro - Niterói - RJ CEP: 24030-060 021-2717-3995 / 8596-5648 / 2717-4191 (fax) www.drm.rj.gov.br Flavio Erthal [email_address] Claudio Amaral [email_address] Nossos Contatos

×