Rio de Janeiro, 29 de maio de 2013A economia da culturaJoão Luiz de Figueiredo
CONSIDERAÇÕES INICIAISOs estudos econômicos sobre arte, cultura e entretenimento são recentes, sendo essaclássica “negação...
CONSIDERAÇÕES INICIAISTrata-se do reconhecimento de que estes bens e serviços também são presididos porinteresses econômic...
CLÁSSICOS DA ECONOMIAAdam Smith (1723-1790):Os gastos com a arte inserem-se nas atividades de lazer enão contribuem para a...
CLÁSSICOS DA ECONOMIAAlfred Marshall (1842-1924):“É impossível avaliar objetos como os quadros dos mestresou as moedas rar...
PRIMEIROS ESTUDOS DE ECONOMIA DA CULTURAWilliam Bowen e William Baumol:Estudo sobre o espetáculo ao vivo  a economia cult...
A CONSOLIDAÇÃO DA ECONOMIA DA CULTURAFrançoise Benhamou (2007):Fator 1: geração de emprego e rendaFator 2: necessidade de ...
DEFINIÇÃO DE UMA ATIVIDADE CULTURALDavid Throsby (2001):Condição 1: criatividadeCondição 2: valor simbólicoCondição 3: pro...
DEFINIÇÃO DE UMA ATIVIDADE CULTURAL
ECONOMIA DA CULTURAOctavio Getino (1935-2012):Conjunto de atividades diretamente relacionadas com acriação, fabricação, di...
ECONOMIA DA CULTURAPierre Bourdieu (1930-2002):O homem procura se diferenciar daquilo é rotineiro.John Kenneth Galbraith (...
CULTURA, ENTRETENIMENTO E CRIATIVIDADEA partir da economia da cultura, outros campos da atividade econômica puderam serdef...
OS SETORES DA CULTURACULTURATV, rádio einternetCinemaMúsicaGames e appsPublicaçõesEsporteEventosEntretenimentonoturnoJogos...
A DIMENSÃO ECONÔMICA DA CULTURAPeso econômico da economia criativaMundo (2008):- U$ 2 Trilhões- U$ 600 Bilhões em exportaç...
A DIMENSÃO ECONÔMICA DA CULTURAPeso econômico da economia criativaRio de Janeiro (2010):- 2,2% do emprego no Núcleo- 3,5% ...
A DIMENSÃO ECONÔMICA DA CULTURAVariação do número de empregos formais do núcleo da economia criativa noEstado do Rio de Ja...
A DIMENSÃO ECONÔMICA DA CULTURAVariação do número de empregos formais das atividade relacionadas ao núcleoda economia cria...
A DIMENSÃO ECONÔMICA DA CULTURAEstabelecimentos do Núcleo da economia criativa no Rio de Janeiro
A DIMENSÃO ECONÔMICA DA CULTURAEstabelecimentos diretamente relacionados ao Núcleo da economia criativa noRio de Janeiro
A DIMENSÃO ECONÔMICA DA CULTURAAnálise de um setor cultural55%30%4%11%Participação das UF na produção de filmes brasileiro...
A DIMENSÃO ECONÔMICA DA CULTURAAnálise de um setor cultural83%15%1% 1%Fatia de mercado do cinema brasileiro por sede da pr...
A DIMENSÃO ECONÔMICA DA CULTURAAnálise de um setor cultural05101520251994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012Fati...
A DIMENSÃO ECONÔMICA DA CULTURANovas perspectivas de desenvolvimentoCharles Landry“Os recursos culturais são a matéria-pri...
A DIMENSÃO ECONÔMICA DA CULTURANovas perspectivas de desenvolvimentoNão existe lugar no mundo que não possua alguma caract...
A DIMENSÃO ECONÔMICA DA CULTURANovas perspectivas de desenvolvimentoCelso Furtado (1920-2004):A questão central é a intera...
A DIMENSÃO ECONÔMICA DA CULTURANovas perspectivas de desenvolvimentoCultura como atividadeprodutiva e definidorade um ambi...
Muito obrigado!joao.silva@espm.brjoao_luiz@puc-rio.br
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Economia da cultura

917

Published on

No estado do Rio, a chamada economia criativa gera 2,2% dos empregos, mas movimenta 10% da massa salarial, com alta concentração na capital. Estes dados fazem parte do estudo apresentado pelo professor da Puc-Rio e da ESPM João Figueiredo durante reunião do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado nesta quarta-feira (29/05). O material fará parte do Caderno de Cultura, que está sendo desenvolvido em parceria com a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj).

Published in: News & Politics
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
917
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
41
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Economia da cultura

  1. 1. Rio de Janeiro, 29 de maio de 2013A economia da culturaJoão Luiz de Figueiredo
  2. 2. CONSIDERAÇÕES INICIAISOs estudos econômicos sobre arte, cultura e entretenimento são recentes, sendo essaclássica “negação econômica” derivada de uma crença aristocrática que associaatividades culturais a prestígio e desinteresse.Pensar economicamente arte, cultura e o entretenimento não implica em nivelar acriação humana com os bens produzidos em série.≠
  3. 3. CONSIDERAÇÕES INICIAISTrata-se do reconhecimento de que estes bens e serviços também são presididos porinteresses econômicos.
  4. 4. CLÁSSICOS DA ECONOMIAAdam Smith (1723-1790):Os gastos com a arte inserem-se nas atividades de lazer enão contribuem para a riqueza da nação.A cultura é o domínio do trabalho não-produtivo.A remuneração do artista deve ser elevada em função dosinvestimentos elevados na educação e na formação.O Estado deveria encorajar a produção do entretenimento,pois acabaria com o humor sombrio das pessoas  efeitosexternos.Ao mencionar valor de uso, de troca e intangível contribui para a economia doentretenimento.
  5. 5. CLÁSSICOS DA ECONOMIAAlfred Marshall (1842-1924):“É impossível avaliar objetos como os quadros dos mestresou as moedas raras; eles são únicos em seu gênero, nãotêm iguais nem concorrentes.”“O preço do equilíbrio depende muitas vezes do acaso; noentanto um espírito curioso poderia sentir algum prazer emempreender um estudo minucioso do fenômeno.”“Quanto mais um indivíduo ouve música mais aumenta seu gosto por ela.”  Exceçãoa teoria da utilidade marginal decrescente
  6. 6. PRIMEIROS ESTUDOS DE ECONOMIA DA CULTURAWilliam Bowen e William Baumol:Estudo sobre o espetáculo ao vivo  a economia cultural é dependente da subvençãopública.Gary Becker:Estudo sobre o consumo de bens cuja apreciação aumenta com o passar de tempo os comportamentos culturais continuam racionais e maximizadores.Alan Peacock:Discussão sobre política cultural
  7. 7. A CONSOLIDAÇÃO DA ECONOMIA DA CULTURAFrançoise Benhamou (2007):Fator 1: geração de emprego e rendaFator 2: necessidade de avaliação dasdecisões culturaisFator 3: abertura dos estudos daeconomia política
  8. 8. DEFINIÇÃO DE UMA ATIVIDADE CULTURALDavid Throsby (2001):Condição 1: criatividadeCondição 2: valor simbólicoCondição 3: propriedade intelectual
  9. 9. DEFINIÇÃO DE UMA ATIVIDADE CULTURAL
  10. 10. ECONOMIA DA CULTURAOctavio Getino (1935-2012):Conjunto de atividades diretamente relacionadas com acriação, fabricação, distribuição e comercialização de bense serviços culturais.Setores culturaisValor simbólicoem uma matrizoriginalValor econômicoatravés dosprocessos quese seguem à criação
  11. 11. ECONOMIA DA CULTURAPierre Bourdieu (1930-2002):O homem procura se diferenciar daquilo é rotineiro.John Kenneth Galbraith (1908-2006):A produção e o consumo de bens da economia da culturaditarão as regras em um futuro bem próximo
  12. 12. CULTURA, ENTRETENIMENTO E CRIATIVIDADEA partir da economia da cultura, outros campos da atividade econômica puderam serdefinidos, como a economia do entretenimento e a economia criativa.EconomiacriativaEconomia doentretenimentoEconomia dacultura• Atividades da culturae do entretenimento• Atividades criativasfuncionais• Atividades da cultura• Atividades do tempolivre• Atividades repletasde valor simbólico
  13. 13. OS SETORES DA CULTURACULTURATV, rádio einternetCinemaMúsicaGames e appsPublicaçõesEsporteEventosEntretenimentonoturnoJogos ebrinquedosMuseusArtesperformáticasExpressãopopularPatrimônioArtes plásticasTurismo
  14. 14. A DIMENSÃO ECONÔMICA DA CULTURAPeso econômico da economia criativaMundo (2008):- U$ 2 Trilhões- U$ 600 Bilhões em exportações- 14,4% a.a. de crescimento do comércio mundial (2003-08)Brasil (2010):- 1,7% do emprego no Núcleo da Economia Criativa- 2,5% do PIB no Núcleo da Economia Criativa- 18,2% do PIB relacionado a Economia Criativa
  15. 15. A DIMENSÃO ECONÔMICA DA CULTURAPeso econômico da economia criativaRio de Janeiro (2010):- 2,2% do emprego no Núcleo- 3,5% do PIB no NúcleoCidade do Rio (2010):- 3,1% do emprego no Núcleo- 10% da massa salarial
  16. 16. A DIMENSÃO ECONÔMICA DA CULTURAVariação do número de empregos formais do núcleo da economia criativa noEstado do Rio de Janeiro (2006-2010)
  17. 17. A DIMENSÃO ECONÔMICA DA CULTURAVariação do número de empregos formais das atividade relacionadas ao núcleoda economia criativa no Estado do Rio de Janeiro (2006-2010)
  18. 18. A DIMENSÃO ECONÔMICA DA CULTURAEstabelecimentos do Núcleo da economia criativa no Rio de Janeiro
  19. 19. A DIMENSÃO ECONÔMICA DA CULTURAEstabelecimentos diretamente relacionados ao Núcleo da economia criativa noRio de Janeiro
  20. 20. A DIMENSÃO ECONÔMICA DA CULTURAAnálise de um setor cultural55%30%4%11%Participação das UF na produção de filmes brasileiros de acordo com a sededa produtora (1995-2011)RJSPRSOthers
  21. 21. A DIMENSÃO ECONÔMICA DA CULTURAAnálise de um setor cultural83%15%1% 1%Fatia de mercado do cinema brasileiro por sede da produtora (1995-2011),classificados por públicoRJSPRSOthers
  22. 22. A DIMENSÃO ECONÔMICA DA CULTURAAnálise de um setor cultural05101520251994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012Fatiademercado(%)Ano
  23. 23. A DIMENSÃO ECONÔMICA DA CULTURANovas perspectivas de desenvolvimentoCharles Landry“Os recursos culturais são a matéria-prima da cidade e suabase de valor; seus ativos em substituição ao carvão, ferroou ouro”
  24. 24. A DIMENSÃO ECONÔMICA DA CULTURANovas perspectivas de desenvolvimentoNão existe lugar no mundo que não possua alguma característicahistórica, social e cultural que não possa ser mobilizadaprodutivamente em prol do seu desenvolvimentosocioeconômico.Cidades desindustrializadasCidades de todos os tamanhosCidades que nunca se industrializaram
  25. 25. A DIMENSÃO ECONÔMICA DA CULTURANovas perspectivas de desenvolvimentoCelso Furtado (1920-2004):A questão central é a interação da cultura comosistema de valores com o processo dedesenvolvimento das forças produtivas.A CULTURA COMO UM FIMA ECONOMIA COMO UM MEIO
  26. 26. A DIMENSÃO ECONÔMICA DA CULTURANovas perspectivas de desenvolvimentoCultura como atividadeprodutiva e definidorade um ambiente criativoFontes de criatividadeEspecificidadeterritorialCulturaTerritórios mais livres dacompetição de custos!!!
  27. 27. Muito obrigado!joao.silva@espm.brjoao_luiz@puc-rio.br
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×