Estratégias para o enfrentamento da Dengue - Rio Contra Dengue 2012

2,355 views

Published on

O estado do Rio teve uma queda considerável no número de mortes causadas pela dengue. Foi o que afirmou o superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado de Saúde (SES), Alexandre Chieppe, durante a apresentação do relatório de casos de dengue das primeiras 17 semanas epidemiológico de 2012 (de 1º de janeiro a 28 de abril). A afirmação foi feita durante audiência pública da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa (Alerj), nesta quinta-feira (3/5).

LEIA A MATÉRIA COMPLETA EM http://j.mp/IKj7Zn

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,355
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
68
Actions
Shares
0
Downloads
32
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Estratégias para o enfrentamento da Dengue - Rio Contra Dengue 2012

  1. 1. Rio Contra Dengue 2012 Estratégias para oenfrentamento da Dengue Alexandre O. Chieppe Subsecretaria de Vigilância em Saúde Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro
  2. 2. Estimativas da Organização Mundial de Saúde- 2,5 bilhões de pessoas (2/5 da população mundial) estãosob risco de contrair dengue.- Cerca de 50 milhões de casos/ano.. 550 mil necessitam de hospitalização.. 20 mil óbitos/ano.
  3. 3.  Doença infecciosa causada por um vírus de genoma RNA, tendo como principal vetor de transmissão o Aedes aegypti. Interação Vetor – Hospedeiro - Susceptível São conhecidos 4 sorotipos: DENV1, DENV2, DENV3 e DENV4 Outros mosquitos vetores do vírus da dengue: - Aedes albopictus - Aedes mediovittatus
  4. 4. O Vírus da Dengue• Cada sorotipo proporciona – Imunidade permanente específica – Imunidade cruzada a curto prazo• Todos os sorotipos podem causar doenças graves e fatais• Variação genética dentro de cada sorotipo. Algumas variantes genéticas podem ser mais virulentas.
  5. 5. Estado do Rio de Janeiro•População: 16.000.000 habitantes•9 regiões de saúde•Densidade Populacional: •Distrito Federal 441,74 •Rio de Janeiro 366,01 •São Paulo 166,19•Baixa cobertura de ESF Período de maior transmissão de dengue: Janeiro a Maio
  6. 6. Cenário em 2011...• Introdução do DENV-4 – Isolamento no município de Niterói (11 casos) o Toda a população do estado sem padrão de imunidade.• População ainda susceptível ao DENV-1 devido à circulação incompleta em 2011. Risco de transmissão importante em quase todos os municípios do estado.• Aumento do número de casos nos municípios da Região Serrana (histórico de baixa transmissão de dengue) - Aumento de criadouros em decorrência das enchentes? Melhor adaptabilidade do vetor?
  7. 7. Casos de Dengue no Estado do Rio de Janeiro e Sorotipos Predominantes Circulantes – 1986 a Abril de 2012 (Fonte SINAN – Dados até 09/04/2012)325.000300.000 288.245 DENV-1275.000 DENV-2 255.818250.000 DENV-3 DENV-4225.000200.000175.000 160.604150.000125.000100.000 85.891 80.215 75.000 66.553 59.345 47000 50.000 35.240 32.382 31.054 25.000 0 1986 1987 1988 1989 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012
  8. 8. Casos de Dengue Notificados, Casos Graves, Internações e Óbitos Confirmados – 2002 a 2012 (Dadoa até 28/04/2012 - Fonte SIM e SINAN)Ano Notificados Graves Internações Óbitos2002 261262 3509 2049 1092003 6458 124 320 32004 1424 17 150 02005 1556 49 131 52006 26631 249 1090 172007 57354 1040 909 512008 233821 17605 13746 2732009 8635 674 488 162010 29819 3010 3496 472011 168.242 3.834 7.707 1402012 76.064 300 595 13
  9. 9. Jean-Pierre Langellier Correspondente no Rio de Janeiro do Le Monde Rio de Janeiro - 2008“No Rio de Janeiro, os mortos se contam às dezenas, as salas deemergência estão sobrecarregadas, os médicos perderam o controle dasituação: a cidade está enfrentando a sua pior epidemia de dengue emmais de meio século.”
  10. 10. RIO “O GLOBO” – O secretário estadual de Saúde reconheceu, nesta quinta-feira,que o estado vive – O Globo, RJ TV dengue. Foi a primeira vez que uma autoridade Fernanda Pontes uma epidemia de e O Globo Onlinefluminense reconheceu a epidemia no Rio.Na reportagem desta quinta-feira do jornal “O Globo”, o prefeito voltou a negar agravidade da situação no município do Rio e alegou que o número de casos estánuma curva declinante
  11. 11. Estado do Rio de Janeiro. 2012
  12. 12. Municípío do Rio de Janeiro. 2012
  13. 13. Mapa de Taxas de Incidência de casos/100 mil habitantes, nosMunicípios do Estado do Rio de Janeiro, ano 2012.
  14. 14. Até a 17ª semana epidemiológica de 2012 (de 1º de janeiro a 28 deabril de 2012) foram notificados 76.064 casos notificados por dengue(incidência acumulada de 472,1 casos/100 mil habitantes) no Estado doRio de Janeiro. Há 13 óbitos confirmados por dengue este ano no Estado Até a 17ª semana epidemiológica de 2011 (2 de janeiro a 30 deabril) foram notificados 77.264 casos suspeitos de dengue (incidênciaacumulada de 483,1 casos/100 mil habitantes). Há 52 óbitos confirmadosno estado.
  15. 15. Ação política•Lançamento da campanha “10 minutos contra a dengue”pelo Secretário de Estado de Saúde e Governador.•Reunião do Governador com todos os Secretários deGoverno – apresentação de plano de ação por cadaSecretaria•CIB realizada em Seminário, com presença dos prefeitos edo Vice-Governador.
  16. 16. • Elaboração do Plano de contingência com aprovação pelos Conselhos Municipais de Saúde.• Realização pelo menos, 04 (quatro) LIRAa ao ano (3 datas fixas).• Investigar todos os óbitos suspeitos de dengue em um prazo de até 7 (sete) dias – Óbito deve ser considerado evento sentinela.• Notificar todos os casos suspeitos de dengue em até 07 (sete) dias.
  17. 17. •Garantir a cobertura de pelo menos 80% dos imóveis, com ações decontrole de vetores da dengue (eliminação mecânica, química e açõeseducativas), utilizando profissionais do município.•Manter atualizada a informação sobre o quantitativo de agentes para asações•Elaboração dos mapas de risco de dengue municipais.
  18. 18. • Todos os municípios deverão garantir locais para atendimento ambulatorial e referência 24horas • Municípios responsáveis por profissionais, exames laboratoriais e manutenção do local como limpeza, alimentação e outros • Contrapartida SESDEC: insumos e medicamentos padronizados, cadeiras de hidratação, longarinas, bebedouros e a capacitação dos profissionais• Cabe aos municípios garantir a realização dos exames de sorologia de dengue. O LACEN realizará os exames de PCR e isolamento viral de todos os municípios, bem como fornecerá os testes rápidos;
  19. 19. Comunicação e Mobilização-10 minutos contra a dengue – campanha oficial do estado- Website: riocontradengue.com.br- Dados de publicações sobre dengue relacionadas à SES de janeiro amarço/2012: - 5 destaques - 10 Notas em colunas de jornais - 140 matérias rádio, internet, tv e impressos
  20. 20. • Densidade intradomiciliar (10)Mapa de risco • Abastecimento de água (15) São Gonçalo • Altimetria (10) • Esgotamento sanitário (20) • Coleta de lixo (15) • Índice de infestação (10) • População 2010 (20)
  21. 21. Assistência•Ata de Registro de preços para montagem de até 120 Centros deAtendimento de Dengue (+ Hidratação)•Capacitação da rede pública e privada baseada na estratégia dos“15 minutos”•Padronização de Impressos (fichas de avaliação e hidratação;receituário médico; fichas hospitalar; Fluxogramas de atendimento).•Sistema informatizado de atendimento de pacientes com suspeitade dengue.
  22. 22. Classificação de Risco
  23. 23. Conduta
  24. 24. Sistema Informatizado de Atendimento de Pacientes com Suspeita de Dengue
  25. 25. o Sistema baseado no novo protocolo clínico do M.S.o Menor tempo para o registro das informações
  26. 26. o Sugestões de conduta clínica durante o preenchimentoo Emissão de alertas
  27. 27. o Permite definir o processo de atendimento e preenchimento de acordo com as características da unidadeo Crítica ao estadiamento clínico de acordo com as informaçõeso Crítica à conduta final de acordo com o estadiamento
  28. 28. Informação•Desenvolvimento de sistema móvel para as ações decontrole de vetores.•BI - Visualização, em tempo real, dos atendimentos decasos suspeitos de dengue em todas as UPA estaduais,•BI – Relatórios gerenciais dos dados de dengue
  29. 29. Alexandre O ChieppeSuperintendência de Vigilância Epidemiológica e Ambiental da Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro. alexandre.chieppe@saude.rj.gov.br Tel.: (21) 8596-6547 (21) 2333-3889

×