Your SlideShare is downloading. ×
Complexo Industrial do Superporto do Açu
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Complexo Industrial do Superporto do Açu

3,026
views

Published on

Apresentação realizada pelo diretor de Sustentabilidade do grupo EBX, Paulo Monteiro, durante audiência da Comissão Especial da Alerj, no dia 11/11/2011.

Apresentação realizada pelo diretor de Sustentabilidade do grupo EBX, Paulo Monteiro, durante audiência da Comissão Especial da Alerj, no dia 11/11/2011.

Published in: News & Politics

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
3,026
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
60
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Complexo Industrial do Superporto do Açu Novembro 2011 N b
  • 2. Agenda• Quem Somos• O Empreendimento• Desenvolvimento para a Região REFAZER• Desenvolvimento Territorial Integrado• Infraestrutura Urbana f b• Iniciativas Socioambientais 2
  • 3. Quem Somos Energia Mineração Logística Petróleo e gás Imobiliário Indústria naval 3
  • 4. PÓLO METAL MECÂNICO CIMENTEIRAS IND. AUTOMOTIVA VALE DO SILÍCIO Complexo Industrial Superporto do Açu SIDER. WUHAN RPPN UTP LLX SIDER.TERNIUM TERM. de MIN. de FERRO AÇO/GRANÉIS SÓLIDOS UTEs MPX AÇU I/II GRANÉIS LÍQUIDOS IND. OFFSHORE UCN OSX CARVÃO PETRÓLEO MIN. FERRO SUPPLY BOAT PETRÓLEOComplexo Industrial - 90 km² 4
  • 5. O EmpreendimentoÁrea Total: 9 mil haÁrea verde: 18,3 mil ha - RPPN: 4,8 mil ha - APAs + Parques: 14,5 mil haÁrea adquirida da Codin:4,1 mil ha Legenda: Área verde Área do Complexo Industrial do Superporto do Açu 5
  • 6. O Empreendimento Investimento Previsto: U$ 40 bilhões • Grupo EBX: U$17,2 bilhões • Outras empresas: U$22 8 bilhões U$22,8 Empregos Previstos (cenário plena ocupação) ~2025 • Diretos / Indiretos 50.000 • Induzidos 150.000 Efeito renda 6
  • 7. Licenciamentos dos EmpreendimentosLinha do Tempo 2006 2007 2008 2009 2010 2011 LI Pedra LI Unidade de LI LP LI UCN OSX Fundamental Termoelétrica Tratamento Superporto Termoelétrica Superporto do Açu MPX MPX Petróleo AP Linha de do Açu LLX Transmissão Pátio MPX Logístico LP LLX Termoelétrica AP Distrito (Gás) MPX Industrial LLX AP Terminal SUL LLX 7
  • 8. Licenciamentos dos Empreendimentos Status de Atendimento de Condicionantes • O Grupo EBX 27% pretende ser modelo em G ã de Gestão d 44% Integração dos Programas de PBA 29% para o B il Brasil.0% Além do cumprimento legal, legal busca avaliar impactos sinérgicos e Atendida cumulativos, otimização Em atendimento dos programas e Não atendida Nã t did acompanhamento efetivo h f i Não aplicável no momento dos resultados. Mais de 200 programas relacionados às questões socioambientais da área do Projeto Implementação d P I l ã dos Programas d f de forma i integrada d 8
  • 9. Incentivos FiscaisÂmbito Federal LEI 11.033/04Para empresas que realizarem modernização/ ampliação da estrutura portuária no Brasil: - Suspensão de IPI e imposto de importação de máquinas, equipamentos e peças; - Suspensão da contribuição para PIS/ PASEP e COFINS.Âmbito Estadual DECRETO N. 40456/06 e Lei nº 5.636/10 nDecreto - diferimento tributário nas fases de construção, pré operação e operação docomplexo minero-siderúrgico implantado no município de São João da Barra, para: - Importação e aquisição interestadual de maquinário, equipamentos e peças, bem como insumos e produtos intermediários; - Operações da cadeia produtiva do minério de ferro e derivados destinados à exportação.Lei – regime especial de tributação e recolhimento de ICMS para empresas com projetos deincremento industrial no Estado do Rio de Janeiro.Âmbito Municipal Lei nº 135/08Para as empresas que se instalarem na ZIPA – Zona Industrial do Porto do Açu: - Redução de 50% de IPTU; - Redução de 2,5% para 2,0% de ISS. 9
  • 10. Desenvolvimento para a Região Arrecadação de Impostos - Estimado Evolução estimada da arrecadação total de impostos municipais e transferências -São João da Barra 400.000 350.000 300.000 250.000R$ mil 200.000 150.000 100.000 50.000 0 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 2022 2023 2024 2025 Tendencial 39.665 40.562 41.488 42.443 43.805 46.912 48.439 50.019 51.656 53.350 55.104 56.921 58.802 60.751 62.769 64.860 Intermediário 39.665 41.886 49.911 59.335 83.150 125.132 172.868 178.801 182.868 190.408 213.694 217.967 220.478 223.862 248.530 251.615 Pleno 39.665 43.100 57.441 73.811 113.243 174.264 246.202 251.562 256.720 267.252 302.254 307.577 310.107 313.941 350.767 354.023 Fonte: Dados de investimentos da AAE 2009/Estudos econômicos Ecologus Eng. Consultiva 10
  • 11. Desenvolvimento para a Região Arrecadação de Impostos - Estimado Evolução estimada da arrecadação total de impostos municipais e transferências - Campos dos Goytacazes 450.000 400.000 350.000R$ mil 300.000 250.000 250 000 200.000 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 2022 2023 2024 2025 Tendencial 250.188 257.924 265.914 274.168 282.695 291.504 300.605 310.008 319.725 329.766 340.142 350.866 361.949 373.406 385.248 397.490 Intermediário 250.188 260.801 271.764 279.522 287.563 298.209 311.888 323.770 333.467 343.750 357.980 371.663 382.684 393.804 409.326 422.516 Pleno 250.188 263.648 277.533 284.806 292.370 304.821 322.972 337.268 346.951 357.475 375.447 391.998 402.971 413.777 432.863 446.981 Fonte: Dados de investimentos da AAE 2009/Estudos econômicos Ecologus Eng. Consultiva 11
  • 12. Desenvolvimento para a Região Evolução Estimada – São João da Barra Evolução estimada da arrecadação de impostos municipais e transferências - São João da Barra (Cenário Pleno) 400.000 350.000 300.000 250.000 250 000R$ mil 200.000 150.000 100.000 50.000 0 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 2022 2023 2024 2025 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 2022 2023 2024 2025 IPTU 1.912 2.336 3.555 5.178 9.450 17.002 26.713 27.261 27.773 29.023 33.675 34.187 34.300 34.586 39.468 39.652 ISS 8.785 8.785 8.785 8.785 19.263 39.342 68.146 69.848 71.446 75.377 90.311 91.983 92.353 93.288 109.535 110.158 ICMS 17.803 20.366 26.987 34.730 55.141 83.960 116.024 117.722 119.300 123.122 136.949 138.436 138.764 139.589 153.428 153.942 FPM 11.165 11.612 18.115 25.119 29.389 33.961 35.319 36.732 38.201 39.729 41.319 42.971 44.690 46.478 48.337 50.270 Fonte: Dados de investimentos da AAE 2009 / Estudos econômicos Ecologus Eng. Consultiva 12
  • 13. Desenvolvimento para a Região Evolução Estimada – Campos dos Goytacazes Evolução estimada da arrecadação de impostos municipais e Transferências - Campos dos Goytacazes (Cenário Pleno) 450.000 400.000 350.000 300.000R$ mil 250.000 200.000 150.000 150 000 100.000 50.000 0 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 2022 2023 2024 2025 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 2022 2023 2024 2025 IPTU 14.157 15.085 16.048 16.509 16.989 17.841 19.130 20.125 20.761 21.459 22.735 23.900 24 625 25.333 26 690 27.652 14 157 15 085 16 048 16 509 16 989 17 841 19 130 20 125 20 761 21 459 22 735 23 900 24.625 25 333 26.690 27 652 ISS 51.335 55.457 59.789 61.883 64.079 68.006 74.029 78.733 81.769 85.125 91.318 97.037 100.630 104.161 110.982 115.865 ICMS 156.782 164.076 171.505 175.016 178.647 185.013 194.493 201.678 206.220 211.162 220.076 228.090 233.026 237.805 246.854 253.193 FPM 27.913 29.030 30.191 31.399 32.655 33.961 35.319 36.732 38.201 39.729 41.319 42.971 44.690 46.478 48.337 50.270Fonte: Dados de investimentos da AAE 2009 / Estudos econômicos Ecologus Eng. Consultiva 13
  • 14. Desenvolvimento para a Região Aumento da Renda Circulante – Campos e São João da Barra População Adicional Estimativas da renda e despesa circulantes adicionais totais (cenário pleno) Campos e São João da Barra População adicional 2025 677.790 Rendimentos anuais médios da população adicional (R$/ano a preços de 2010) per capita 7.322 Rendimentos anuais totais da população adicional (R$ bilhões/ano a preços de 2010) 5,0 50 Despesas de consumo estimadas anuais totais (R$ bilhões/ano a preços de 2010) 4,6Fonte : Classes de renda informadas pela REX / Robert Half 14
  • 15. Desenvolvimento para a RegiãoCrescimento Populacional SÃO JOÃO DA BARRA 450 400 350 300 Mil habitantes 250 h 200 150 100 50 - 2010 2015 2020 2025 Cenário de Referência Cenário de referencia Cenário Intermediário Cenário Pleno Cenário pleno Fonte: IBGE 2010 (referência) / Projeções para intermediário e pleno baseadas na metodologia AAE 2009 – revisão Ecologus 2011 15
  • 16. Desenvolvimento para a RegiãoCrescimento Populacional CAMPOS DOS GOYTACAZES 900 800 700 600 Mil habitantes 500 h 400 300 200 100 - 2010 2015 2020 2025 Cenário de referencia Cenário Intermediário Cenário pleno Fonte: IBGE 2010 ( f ê i ) / P j õ para i F (referência) Projeções intermediário e pleno b diá i l baseadas na d metodologia AAE 2009 – revisão Ecologus 2011 16
  • 17. Desenvolvimento Territorial Integrado Na gestão de seus empreendimentos e como indutor do desenvolvimento das regiões onde atua, o Grupo EBX trabalha levando em consideração o Desenvolvimento Territorial Integrado, através da Gestão Integrada do Território (GIT) (GIT). A Gestão Integrada do Território é um modelo de gestão participativa que envolve poder público, empresas, organizações da sociedade civil, instituições de educação e lideranças regionais na construção de soluções sustentáveis para o desenvolvimento de um determinado território. 17
  • 18. Desenvolvimento Territorial Integrado Fase 3 Implantação d l do Desenvolvimento Fase 2 Territorial Integrado CertificaçãoFase 1 Territorial Diagnóstico 18
  • 19. Sustentabilidade – Fluxograma GIT Conhecimento Compreensão dos Dilemas Ambiente Centro de Recursos GOVERNANÇA Cultura Sociedade Economia Prospectiva Logística Ce t cação e to a CertificaçãoTerritorial 19
  • 20. DTI - Instrumentos Operacionais Gestão Integrada do Território Centro de AçõesFormação Governança Monitoramento Conhecimento Integradoras g Treinamento Fóruns Logística Público Indicadores Implementação deGrade Curricular Palestras Privada Certificação Projetos Projetos Infraestrutura PPPs Gestão Ambiental 3º Setor 20
  • 21. Certificação do Território Relatório Técnico Avaliação dasDados secundários Avaliação da Situação Percepções nacionais e • Resultado e internacionais • Resultado e efetividade dos efetividade dos indicadores; indicadores; • Resultados por • Resultados por componente componente territorial; territorial; • Certificado. • Certificado. Dados primários esecundários locais e Certificação dopesquisa de campo Território Plano de Comunicação Estratégia de Peças de comunicação Comunicação • Descrição das • Cartilha; peças; Questionário de • Layouts dos • Informações para Percepções painéis e placas Integradas do veiculação e para fixação em Território ç distribuição locais públicos. l i úbli regional. 21
  • 22. Componentes TerritoriaisCertificação do Território ORDENAMENTO TERRITORIAL CONECTIVIDADE GLOBAL PESSOAS GOVERNANÇA ECONOMIA E NEGÓCIOS IMAGEM E PERCEPÇÃO KNOW-HOW E COMPETÊNCIAS CULTURA E IDENTIDADE 22
  • 23. Desenvolvimento Territorial Integrado Integração e Construção de um Novo Equilíbrio Sistêmico TERRITÓRIO SUSTENTÁVEL 23
  • 24. Infraestrutura UrbanaTermo de Compromisso com o Órgão Ambiental Termo de compromisso assumido com o INEA (não obrigação legal)1,0% do valor dos empreendimentos será investido em saneamento e biodiversidade:- 90% para saneamento básico; p ;- 10% para biodiversidade.• LLX Minas Rio – 0,5 %- Dragagem dos canais de acesso ao Rio Paraíba do Sul utilizados por pescadores- Implantação de Usina de Resíduos) 24
  • 25. Infraestrutura UrbanaTermo de Compromisso com a PMSJB R$50.000.000,00 de investimentos • Pavimentação da denominada Estrada Parque; • Viabilização da construção do novo Hospital Municipal; ç ç p p ; • Acesso à água potável nas comunidades de Sabonete, Cazumbá, Campo de Areia, Barra do Jacaré e Quixaba; • Pavimentação de trechos de estradas situadas no 5º Distrito: - 10,2 km do trecho Cazumbá, Córrego Fundo, Bajuri; - 24 2 km do trecho Caetá Vila Abreu Palacete Pipeiras 24,2 Caetá, Abreu, Palacete, Pipeiras, Enjeitado, Barra do Jacaré; - 7 09 km do trecho RJ 240 ao Açu 7,09 Açu. 25
  • 26. Infraestrutura Urbana R$65.000.000,00 já investidos• Pavimentação e melhoria das estradas de acesso - RJ-240, BR-356, Viaduto BR-101, Estrada do Cajueiro; - 25km de pavimentação (2010) (2010).• Ampliação e reforma do Posto Médico de Urgências do Açu (set./2009) - Obras de reforma e aquisição de equipamentos médicos.• Doação de viaturas para a Polícia Civil e Militar (março de 2009) - 5 veículos.• Instalação de rede elétrica e hidráulica aos reassentados em Pontinhas - 76 famílias realocadas (2007/2008). 26
  • 27. Infraestrutura UrbanaSaneamento Básico• Soluções para o Distrito Industrial - Tratamento de Esgoto: 2 ETEs próprias; - Tratamento de efluentes industriais: próprias indústrias; - R d coletoras separadas: para esgoto e Redes l d efluentes industriais tratados; - Emissário submarino: distância de 4,6 Km da , costa.• Solução para o Município de São João da Barra - Apoio à elaboração do Plano Diretor; p ç - Negociação da construção de nova ETE e ampliação de ETE existente para suprir a d demanda d população crescente. d da l ã 27
  • 28. Infraestrutura Urbana Abastecimento de Água• Alternativas estudadas: Captação de água do Rio Paraíba é a alternativa mais viável ambiental e economicamente - Aquífero subterrâneo (lençol freático); • Rio Paraíba do Sul: vazão de 353,77 m³/s - Dessalinização da água do mar; • Demanda de todo o empreendimento:10m³/s - Captação da água superficial. p ç g p (2 83% da vazão) (2,83% • Água do mineroduto após a estação de filtragem será reciclada para uso no DISJB: 0,43 m³/s • População urbana da ordem de 700 mil habitantes: 2,8 m³/s • Adutora do DISJB paralela à rodovia RJ-240 até Estação de distribuição de água - Água consumo humano - Estação de Tratamento de Água – ETA DISJB e ETA Bairro Planejado; - Água destinada indústrias - tratamento adequado aos processos.Foto ilustrativa 28
  • 29. Tráfego• Estudo com modelagem do tráfego PREVISÃO DE MELHORIAS abrangendo Pavimentação da RJ–240 (superposta à SB–26) – Grupo EBX -Fluxo de insumos e produtos ( fase Fluxo obras e operação) de 2011, 2013 , 2015 e Pavimentação da SB-24 (Estrada do Cajueiro – BR-356 até Barra do Açu) Grupo EBX crescimento do tráfego na região; Pavimentação da Estrada da Água Preta (até SB–28) - Grupo EBX - 1000km de vias (federais, estaduais e (federais municipais nos municípios Campos e São Duplicação da RJ-216 - DER João da Barra); Contorno Rodoviário de Campos (BR-101 entre Km 54,6 e 74,7) - DNIT Conclusão: o sistema viário atende C l ã i iá i d Duplicação BR-101 (de Ururaí a Ibitioca: Km 75,7 e 84,5) -DNIT plenamente à demanda atual. Duplicação BR-101 (segmento urbano de Ururaí ao aeroporto) - DNIT• Si iá i l b d â i Sistema viário elaborado em consonância com o novo Plano Diretor do município de São João da Barra• Implantação do Programa de Controle de Transporte e Tráfego 29
  • 30. Interligação Ferroviária • Memorando de entendimentos celebrado com a Ferrovia Centro- Atlântica S.A. (“FCA”) para desenvolverem estudos técnicos de viabilidade para a construção de uma ferrovia que ligará o Superporto do Açu à região de Ambaí (Nova Iguaçu). • Integração do Superporto com a malha ferroviária nacional, beneficiando as empresas localizadas na região Sudeste (75% do PIB g ( brasileiro). 30
  • 31. Iniciativas Socioambientais Qualificação Profissional
  • 32. Qualificação Profissional R$950.000,00 já investidos R$12.000.000,00 previstos para a próxima fase 1ª e 2ª Fases • 655 já q j qualificados – p J parceria com a FIRJAN 3ª e 4ª Fases (já contratadas) •C Cursos técnicos e d aperfeiçoamento: é i de f i 3100 vagas (início jan 2012) – Parceria com o Sistema S • Estágio Técnico de 2 anos: 200 vagas (início jan 2012) Próximas f P ó i fases já em planejamento l j t 32
  • 33. Qualificação ProfissionalInstituto Tecnológico Naval – Unidade São João da Barra Centro de Treinamento: 1800m2• Treinar e qualificar mão de obra para Educação e eventos, bibliotecas, oficina, laboratórios, salas de aula, a UCN e Operações; auditório multiuso.• Inovação em processos, produtos e tecnologia; Previsão de início da construção:• Mobilizar e fortalecer a cadeia de março/2012 fornecedores; Previsão de término da• Parceria com instituições de referência. construção: março/2013 Possíveis Parceiros • Coppe/UFRJ • IFF (CEFET) • Hyundai • IPT • Senai • Univers.Tec. Noruega • Fundação Certi • UENF • Universidade Strathclyde • Promimp • FAETEC (Escócia) • Ricino • Marinha • SMS (simulação de operações) ) 33
  • 34. Programa de Desenvolvimento de Fornecedores de SJB • Capacitação de 100 fornecedores e prestadores de serviço para fornecimento ao empreendimento • Estruturação e desenvolvimento da rede de serviços local - hotelaria restaurantes lanchonetes hotelaria, restaurantes, lanchonetes, oficinas, etc. 34
  • 35. Iniciativas Socioambientais Investimento Social da Pesca
  • 36. Investimento Social da Pesca R$ 6.750.000,00 já investidos• Dragagem do canal da CEHAB - 2 comunidades beneficiadas (CEHAB e Vila Esperança); - 2 mil moradores diretamente beneficiados; - 30.800 m³ em 1,5km de canal.• Diagnóstico de escolarização dos pescadores - 1 mil questionários aplicados em 2009.• Laboratório de informática – Colônia Z2 - 200 alunos.• Consultório odontológico – Colônias Z1 e Z2 - Equipamento para beneficiar 2 mil famílias de pescadores. 36
  • 37. Investimento Social da Pesca• Doação de Kits de navegação para colônias Z-1 e Z-2 - boias coletes sinalizadores; boias, coletes, - 150 embarcações beneficiadas.• Aquisição da sede da Colônia Z-19 – Farol de São Tomé - 700 associados diretos; -E Entrega aos pescadores em 29 d j h d 2010 d de junho de 2010.• Conclusão da obra da sede do Núcleo de Pesca de Barra do Açu - 100 famílias pescadoras beneficiadas.• A i i ã d terreno para construção d E Aquisição de ã do Entreposto Públi Público Pesqueiro de Atafona 37
  • 38. Investimento Social da Pesca• Programa de educação de pescadores - Parceria com o IFF - 190 pescadores/familiares por ano em cursos de alfabetização e capacitação profissional.• Diagnóstico dos grupos de interesse - 3 pesquisas realizadas para identificar riscos, talentos e oportunidades de investimento. investimento• Ação cidadania: Profilaxia dentária – Colônia Z1 - Mil famílias d pescadores. f íli de d• Regularização fundiária da Vila dos Pescadores de Atafona - Desafetação de 500 lotes. 38
  • 39. Investimento Social da PescaEntreposto Público Pesqueiro de Atafona Custo total estimado: R$7.000.000,00 • Mais segurança para as embarcações • Infraestrutura para a comercialização do pescado 39
  • 40. Iniciativas Socioambientais Investimento Produtores Rurais
  • 41. Investimento Produtores Rurais R$ 3 000 000 00 já investidos 3.000.000,00 Parceria com os produtores R P i d Rurais i • Doação de 5 tratores; • Horta Ecosustentável; • Doação de caminhão e • Cultivo protegido (estufa); ônibus para feira de • Parceria técnica com produtores; instituições referência. • Assessoria jurídica; 41
  • 42. Investimento Produtores RuraisParceiros• SEAPA - Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento• Prefeitura Municipal de São João da Barra / Secretaria Municipal de Agricultura• FUNDENOR - Fundação Norte Fluminense de Desenvolvimento Regional• EMATER-Rio - Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Rio de Janeiro p J• PESAGRO-RIO - Empresa de Pesquisa Agropecuária do Estado do Rio de Janeiro• Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro – UFRRJ/ FAPUR Campos FAPUR-Campos• Associações de Produtores Rurais das localidades de Pipeiras, Mato Escuro, Açu, Sabonete e Cajueiro 42
  • 43. Parceria Produtores Rurais Estruturas do método d produção agrícola “M d ll ” (fonte: Agência M d ll 2011) E d é d de d ã í l “Mandalla” (f A ê i Mandalla, 2011).Estruturas utilizadas no método decultivo protegido - “Estufas”. 43
  • 44. Reassentamento Vila da Terra - 151 propriedades rurais na área desapropriada, sendo que em apenas 15 delas existem moradores fixos residentes; - 2.122 lotes urbanos; - 60% das propriedades rurais possuem como uso prioritário pastagem natural.• Garantir às famílias atingidas o direito a uma solução digna;• Garantir condições necessárias à participação das comunidades no planejamento e na execução da realocação;• Área escolhida pelos próprios moradores (antiga Fazenda Palacete);• Realizar ações no processo de pós-relocação, para garantir a atividade produtiva e a sustentabilidade da comunidade. 44
  • 45. Reassentamento Vila da Terra Tabela das Propriedades • Todas as famílias residentes em terrenos inferiores a 10 ha terão Tamanho No. No FAMILIAS direito di it ao reassentamento; t t 2ha 60 • As famílias residentes em lotes 3ha 02 inferiores a 2 ha receberão um lote 4ha 07 com este tamanho, ou seja, padrão mínimo do reassentamento. 5ha 05 6ha 06 7ha 06 8ha 03 9ha 01 h 10ha 03 TOTAL 90 45
  • 46. Reassentamento Vila da Terra • Moradias de: 68, 84 e 109 m², nunca inferiores aos tamanhos atuais; • Lotes: de 2 ha a 10 ha; • Mobília completa, geladeira, fogão, computador, máquina de lavar, TV de 21¨ e p , q , liquidificador; • Todas as propriedades estarão preparadas tratado, adubado, para cultivo: solo tratado adubado sementes, etc. O plantio será discutido com cada família conforme seu perfil atual: agricultura ou pecuária; • Em todas propriedades existirá um pomar para consumo próprio com 20 árvores frutíferas; • Equipamentos públicos: escola, quadras poliesportivas, posto de saúde, igreja ecumênica. ê i 46
  • 47. Reassentamento Vila da Terra • As propriedades terão sistema de irrigação; • Sede comunitária para a associação dos moradores; • Estufas para desenvolvimento e aprimoramento de mudas; • Apoio técnico de A i té i d um agrônomo para ô ajudar no desenvolvimento da produção nos dois primeiros anos; • Até que a primeira colheita e/ou o primeiro pasto esteja formado, será fornecido um auxílio produção aos produtores – 24 meses meses. 47
  • 48. Reassentamento Vila da TerraMoradias atuais 48
  • 49. Reassentamento Vila da TerraCasas Vila da Terra 68m 68m² 109m 109m² • 90 famílias elegíveis; • 36 casas construídas; íd • 13 famílias já se mudaram. 84m² 49
  • 50. Iniciativas Socioambientais Ações Ambientais
  • 51. Ações AmbientaisCorredor Ecológico do Muriqui (400 mil ha) • Corredor Ecológico do Muriqui (400 mil ha) - 9.000ha de Mata Atlântica recuperados em 10 anos. 51
  • 52. Ações Ambientais• RPPN - Unidade de Conservação de 4.800ha. ç• Resgate e remanejamento de fauna - coleta captura triagem e soltura de 212 coleta, captura, espécies (avifauna, mastofauna e herpetofauna).• Uso de 10.000 tijolos ecológicos - construção do escritório de obra do Superporto do Açu. 52
  • 53. Ações Ambientais• Resgate e conservação da flora de restinga Viveiro de mudas: - 2.000 m² de área com produção de 100 mil mudas/ano; - Reprodução de 45 espécies de mudas nativas da p ç p região.• Monitoramento da desova das tartarugas - Monitoramento diário de 62 km de praia; - Resultado anual de 101 desovas na baixa temporada; - 50.000 filhotes salvos; - Instalação de Base de Apoio em parceria com o Projeto TAMAR e a UENF: estudos e tratamento de animais. 53
  • 54. Iniciativas Socioambientais Iniciativas Sociais e Culturais
  • 55. Iniciativas Sociais e Culturais Mais de R$1.500.000,00 já investidos • Ação Global 2010 - Firjan, Rede Globo e LLX: 15.882 pessoas atendidas. • Patrocínio cultural Cultura Rodas ; - Projeto teatral 2010 “Cultura sobre Rodas”; - Concurso de Marchinhas 2010; - Carnaval 2008 e 2009; - Projeto Capoeira; - Orquestra de Campos; - Cine EBX 2009; - Livro Resgate Histórico de São João da Barra. 55
  • 56. Iniciativas Socioambientais Comunicação e Relacionamento com C Comunidades d d
  • 57. Comunicação e R l iC i ã Relacionamento com C t Comunidades id dAções de Diálogo • Reuniões de Diálogo com lideranças e comunidade - 600 pessoas na 1ª etapa. • R d d Diál Rede de Diálogo - 18.542 residências visitadas. 57
  • 58. Comunicação e R l iC i ã Relacionamento com C t Comunidades id dAções de Diálogo• Quiosques de Comunicação - 8 quiosques, mais de 940 visitas.• Casa do Diálogo - Mais de 500 visitas.• Programa Superporto Eu Faço Parte! - 1,5 mil trabalhadores já participaram. 58