Comissão de Representação Rio+20 - Contribuições do Sistema Fecomércio-RJ
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Comissão de Representação Rio+20 - Contribuições do Sistema Fecomércio-RJ

on

  • 769 views

Comissão de Representação Rio+20 - 2ª Audiência Pública ...

Comissão de Representação Rio+20 - 2ª Audiência Pública
Contribuições do Sistema Fecomércio-RJ
22 de março de 2012
***
Representantes da sociedade civil organizada disseram, nesta quinta-feira (22/03), durante audiência da Comissão de Representação da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) nas discussões referentes à Conferência Rio+20, que também darão contribuições para a elaboração de um documento que será encaminhado para o megaevento. Na última reunião do colegiado, o presidente do grupo, deputado Xandrinho (PV), conseguiu o mesmo comprometimento de representantes das comunidades carentes. O parlamentar disse ainda que faltam “divulgação e esclarecimentos para a população sobre a Rio+20”, evento que acontecerá, em junho, na capital fluminense.

LEIA A MATÉRIA COMPLETA EM http://j.mp/GPDE7U

Statistics

Views

Total Views
769
Views on SlideShare
608
Embed Views
161

Actions

Likes
1
Downloads
1
Comments
0

4 Embeds 161

http://alerjnoticias.blogspot.com.br 97
http://www.alerj.rj.gov.br 47
http://alerjnoticias.blogspot.com 11
http://alerjnoticias.blogspot.fr 6

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Comissão de Representação Rio+20 - Contribuições do Sistema Fecomércio-RJ Comissão de Representação Rio+20 - Contribuições do Sistema Fecomércio-RJ Presentation Transcript

    • Comissão de Representação Rio+20 2ª Audiência PúblicaContribuições do Sistema Fecomércio-RJ 22 de março de 2012
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA SÍndice1- Introdução2- Pesquisas socioeconômicas 2.1- Consumo consciente no Brasil 2.2- Consumo de produtos piratas no Brasil 2.3- Pesquisas no estado do RJ3- Núcleos Criativos4- Senac Rio Fashion Business5- Análise de caso: sacolas plásticas6- Câmara Técnica de Desenvolvimento Sustentável do RJ7- Conselho de Análises Econômicas e Sociais do RJ
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA S1- Introdução- O incentivo ao desenvolvimento regional sustentável não énovidade para o comércio de bens, serviços e turismo fluminense;- Paisagens diversas, litoral exuberante, um interior irrigado porbelos rios, tendo a Mata Atlântica como protagonista. O setor sedesenvolve neste cenário, em harmonia com este patrimônionatural;- Somos 460 mil estabelecimentos, que respondem por cerca de60% do PIB e quase 90% dos estabelecimentos do estado, gerandomais de 3,3 milhões de empregos formais, o que equivale a 81%dos postos de trabalho fluminenses;
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA S- Se por um lado o setor incentiva o emprego, o mercado detrabalho aquecido age como âncora para mantermos nossatrajetória de crescimento, ainda mais sob intempérieseconômicas internas e externas;- Com esta visão, o Sistema Fecomércio-RJ promove uma sériede ações, traduzidas na oferta de produtos e serviçossocioeconômicos, pedagógicos e culturais;- Vejamos alguns exemplos no contexto desta Audiência.
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA S2- Pesquisas socioeconômicas- A Fecomércio-RJ realiza pesquisas socioeconômicas nosâmbitos municipal, regional, estadual e nacional;- Desde 2006, em parceria com a Ipsos, acompanha oshábitos de consumo do brasileiro mensalmente;- O Pulso Brasil monitora a adesão do brasileiro a hábitosde consumo ecologicamente corretos, à compra deprodutos piratas, seu acesso à Internet, frequência aambientes culturais, entre outras questões relevantes aosetor;
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA S- O objetivo é gerar subsídios para os setores privado e públicode modo a otimizar resultados de estratégias empresariais egovernamentais capazes de aumentar a adesão do brasileiro aoconsumo responsável e consciente;- Mensalmente, são entrevistados 1.000 brasileiros, acima de 16anos, em 70 cidades, incluindo nove regiões metropolitanas;- Hoje, apresentaremos as pesquisas “Consumo Consciente” e“Consumo de Produtos Piratas no Brasil”.
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA S 2.1- Consumo consciente no Brasil Você acha um exagero dizer que por causa do aquecimento global a humanidade corre perigo?Percentual (%) 2007 2011Sim 19,3 17,5Não 75,5 78,7Não sabe/Não respondeu 1,9 1,8Fecom ércio-RJ/Ipsos Você acha que essa responsabilidade pode ser transferida ao cidadão comum?Percentual (%) 2007 2011Sim 60,8 70,5Não 27,5 23,1Não sabe/Não respondeu 11,7 6,4Fecom ércio-RJ/Ipsos
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA S % SimPercentual (%) 2007 2011Apagar as luzes ao sair de um recinto 92,6 88,3Fechar a torneira ao escovar os dentes 91,6 86,3Verificar a validade de um produto antes de comprá-lo 78,0 74,9Utilizar sobra de refeições para fazer uma nova refeição 73,7 73,8Verificar se a embalagem do produto está danificada, antes de comprar 78,1 72,0Verificar os armários e geladeira antes de efetuar as compras 76,0 71,6Ler o rótulo de um produto antes de comprá-lo 57,8 61,5Separar o lixo para reciclagem 39,8 46,9Plantar árvores ou cuidar de jardins/plantas 42,2 33,9Consumir produtos com menor impacto para o meio ambiente (como 26,5 27,5carros com filtro, madeira certificada, sprays que não contenham CFC)Varrer / lavar a calçada com o jato de água da mangueira 23,7 25,6Pegar ou dar caronas de forma a reduzir o uso do carro e, 17,4 21,1conseqüentemente, a emissão de gases poluentesLavar o carro com mangueira 13,3 20,1Fecom ércio-RJ/Ipsos
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA S Em média, qual é o tempo de duração do seu banho (em minutos)?Minutos 2007 2011Tempo médio de duração do banho 12,2 12,1Fecom ércio-RJ/IpsosAo comprar um alimento você se preocupa em verificar se eles são geneticamente modificados, ou seja, se eles são transgênicos?Percentual (%) 2007 2011Sim 27,2 19,6Não 68,3 78,2Não sabe/Não respondeu 4,5 2,2Fecom ércio-RJ/Ipsos
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA S Ao efetuar uma compra, você se preocupa em verificar se o produto é ecologicamente correto?Percentual (%) 2007 2011Sim 29,9 30,1Não 66,6 68,6Não sabe/Não respondeu 3,5 1,3Fecom ércio-RJ/Ipsos Você sente falta de uma oferta maior de produtos ecologicamente corretos?Percentual (%) 2007 2011Sim 44,1 41,7Não 48,6 51,5Não sabe/Não respondeu 7,2 6,8Fecom ércio-RJ/Ipsos
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA S Seus hábitos levam em consideração a preservação do meio ambiente?Percentual (%) 2007 2011Sim 65,2 56,8Não 26,1 37,4Não sabe/Não respondeu 8,7 5,8Fecom ércio-RJ/Ipsos Você utiliza sacolas ecológicas (de pano, por exemplo) no lugar das de plástico?Percentual (%) 2010 2011Sempre 4,5 9,8De vez em quando 11,3 19,4Nunca 83,9 69,8Não Sabe/Não Respondeu 0,3 1,0Fecom ércio-RJ/Ipsos
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA S Você paga ou pagaria por uma sacola ecológica?Percentual (%) 2010 2011Sim 48,6 55,6Não 47,8 38,5Não sabe/Não respondeu 3,6 5,9Fecom ércio-RJ/Ipsos Em média, quanto paga ou pagaria por uma sacola ecológica?R$ 2010 2011Preço que paga ou pagaria por uma sacola ecológica 2,97 4,84Fecom ércio-RJ/Ipsos
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA SResultados recentes • O Dia_25 Jul 11.pdf • GNews_22 Jun 11.wmv • OGlobo_01 Jun 10.pdf • Estadao_31 Mai 10.pdf
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA S 2.2- Consumo de produtos piratas no Brasil Neste ano, você comprou algum produto pirata? Percentual (%) ago-06 ago-07 ago-08 ago-09 ago-10 ago-11 Sim 42,1 42,2 47,3 46,3 48,4 51,9 Não 57,9 57,7 52,3 53,7 51,3 47,7 Não Sabe/Não Respondeu 0,1 0,1 0,4 0,0 0,3 0,4 Fecomércio-RJ/Ipsos Neste ano, o(a) sr(a) comprou algum produto pirata? ago-10 ago-11 Percentual (%) classe econômica classe econômica Total Total AB C DE AB C DESim 48,4 47,3 53,2 38,7 51,9 57,4 52,1 43,9Não 51,3 52,7 46,6 60,4 47,7 42,6 47,5 55,4Não sabe/não respondeu 0,3 0,0 0,2 0,9 0,4 0,0 0,4 0,7Fecomércio-RJ/Ipsos
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA S Por que você optou por comprar produto pirata?Percentual (%) ago-06 ago-07 ago-08 ago-09 ago-10 ago-11Preços mais em conta 92,6 96,6 93,5 93,7 93,7 96,2Porque é mais fácil de se encontrar 8,7 6,8 14,6 8,8 11,8 14,4O produto pirata está disponível antes do original 4,4 5,8 5,7 6,1 6,0 8,8Alguns produtos podem ser descartáveis 2,8 1,9 4,0 0,5 2,7 6,6Para alcançar um "status" que um produto 0,5 1,4 1,4 0,5 2,4 2,4original me trariaNão respondeu 2,2 2,2 1,7 3,5 1,2 0,4Fecomércio-RJ/Ipsos
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA S Você acha que... (% Sim)Percentual (%) ago-06 ago-07 ago-08 ago-09 ago-10 ago-11O uso destes produtos pode lhe trazer alguma 65,9 67,1 64,4 65,9 60,4 59,7conseqüência negativa?A pirataria causa desemprego? 64,2 64,8 63,4 62,6 56,3 60,8A pirataria alimenta o crime organizado? 70,5 71,6 68,0 69,4 60,3 65,6A pirataria prejudica o faturamento do comércio? 79,0 80,1 79,1 78,3 67,8 74,0A pirataria prejudica o fabricante ou o artista? 83,1 84,1 84,9 84,7 78,6 80,3A pirataria alimenta a sonegação de impostos? 83,2 81,3 76,5 81,7 75,0 77,9Fecomércio-RJ/Ipsos
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA S Se não, por quê?Percentual (%) ago-06 ago-07 ago-08 ago-09 ago-10 ago-11Qualidade ruim 41,7 48,2 55,1 45,3 48,5 60,4Falta de garantia 17,2 15,5 19,8 24,1 10,8 25,0Nenhum motivo 27,4 27,3 21,2 22,4 22,6 18,2Temor de ter um prejuízo maior que o benefício 7,4 6,4 5,9 7,2 6,1 17,7financeiroPrejudica o comércio formal 7,3 9,6 8,4 10,3 9,0 10,1Temor de comprar um produto ilegal e ser punido 3,8 2,6 5,0 4,5 4,5 8,3Não respondeu 3,9 0,4 0,0 3,9 2,2 1,9Fecomércio-RJ/Ipsos
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA S Você considera que baixar músicas de graça, ou outros conteúdos sem autorização do proprietário, pela Internet é:Percentual (%) ago-11Uma prati ca dentro da l ei 31,0Um cri me 42,0Não sabe i nformar 27,0Fecomércio-RJ/Ipsos
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA SResultados recentes • O Globo_20 Set 11.pdf • JN_19 Set 11.wmv • O Globo_15 Set 09.pdf
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA S2.3- Pesquisas no estado do RJ• A Fecomércio-RJ realiza anualmente cerca de 50 pesquisas socioeconômicas, de opinião, de preços e de mercado no estado do Rio de Janeiro – grande parte destas mensais;• São levantamentos com empresários do comércio de bens, serviços e turismo, com consumidores e moradores;• No contexto desta Audiência, vale destacar:
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA S Pesquisa sobre Efeito das Chuvas do Início do Ano no Comércio da Região Serrana do Estado do Rio de Janeiro Foram entrevistados 1106 empresários dos município de Nova Friburgo, Petrópolis e Teresópolis nos dias 27 e 28 janeiro de 2011. As chuvas do início do ano afetaram os negócios do seu estabelecimento?Sim 84,18%Não 15,82% Tempo estimado para recuperação de toda a cidadeMédia geral (em meses) 24
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA S Somente para os estabelecimentos que foram afetados pelas chuvas De que forma:Diretamente 28,46%Indiretamente 71,54% Causou algum tipo de prejuízo?Sim 74,76%Não 25,24% Somente para os estabelecimentos que tiveram algum tipo de prejuízo devido as chuvas Tipos de prejuízo MédiaDanos na estrutura física do estabelecimento R$ 7.712,50 3,02%Perda de equipamentos, móveis, etc. R$ 10.051,70 15,80%Perda de todo ou parte do estoque R$ 22.314,29 20,11%Perda ou queda de faturamento R$ 19.794,05 88,94%Outros R$ 3.500,00 0,14%Citaram mais de uma opção 16,24%Média geral do prejuízo por estabelecimento R$ 24.910,50Estimativa do faturamento médio de janeiro R$ 46.434,46Relevância do prejuízo em relação ao faturamento de janeiro 53,65%
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA SCensos ComerciaisNo intuito de identificar oportunidades, potenciais edesafios característicos de centros comerciais fluminenses,a Fecomércio-RJ já realizou cerca de 100 Censos Comerciaisno estado nos últimos dez anos.• Em 2011, foram realizados levantamentos em: • Nova Friburgo • Petrópolis • Teresópolis• Divulgação prevista para Abril de 2012;
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA S• O trabalho envolve mapeamento de atividades econômicas e sociais, pesquisa de opinião com empresários, moradores, trabalhadores e visitantes, além de levantamento quanto à oferta de infraestrutura;• Os resultados permitem retratar atividades econômicas, situação do mobiliário urbano, identificar perfis de negócios, avaliar o desenvolvimento de empreendimentos e identificar hábitos e aspirações de consumo;• Os levantamentos de 2011 ganham ainda maior relevância após a enxurrada de janeiro de 2011, pela necessidade de reconstrução de diversas áreas da região, com o que o Sistema Fecomércio-RJ colabora desde o ocorrido.
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA S 3- Núcleos Criativos• Programa de orientação ao empreendedor da moda, especialmente micro e pequeno;• Desenvolvimento de soluções para o fortalecimento das empresas do segmento;• Promove a economia criativa; orienta o empreendedor a integrar criatividade e inovação a seus produtos; e trabalha estratégias de comercialização;• Em expansão, com 155 empresas, 17 cidades representadas e 16 sindicatos coordenadores.
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA S Progressão Geral (novas adesões) Núcleo Criativo180160 155140120 104100 80 72 60 42 40 12 15 15 14 16 16 16 16 17 20 8 12 14 0 Jan-Set/10 Set-Jan/11 Jan-Mai/11 Mai/11-Jan/12 Núcleos formados Sindicatos envolvidos Cidades representadas Empresas participantes
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA SEx.: Produtos sustentáveis -Carteira feita com filtro de café usado e colar feitode garrafa pet - NC Campos
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA S 4- Senac Rio Fashion Business• Em janeiro de 2012, a maior bolsa de negócios de moda da América Latina, em sua 19ª edição, promoveu um novo debate sobre o mercado, com base na economia criativa;• Valorização do produto artesanal, sustentável e brasileiro;• Com o tema Verdejante, o evento obteve aumento nas vendas de 9,2% em relação à edição anterior, chegando a um faturamento estimado em R$ 830 milhões;
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA S• Presença de 74 micro e pequenas empresas fluminenses em 15 estandes do Núcleo Criativo;• Cenário: O mercado fluminense de moda envolve aproximadamente 201,3 mil empregos formais (5% do total do estado) e 47,2 mil estabelecimentos (9% do total), segundo dados do MTE;• O comércio de bens, serviços e turismo é o principal empregador do segmento no estado, com mais de 70% dos trabalhadores formais (141,2 mil) e 83% dos estabelecimentos (39,3 mil).
    • SUPERINTENDÊNCIA DEECO N O M I A E P ES Q U I SA S
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA S 5- Análise de caso: sacolas plásticasLei 5.502, de 15 de julho de 2009 e o Decreto n° 42552 de 12de julho de 2010 que determinam A SUBSTITUIÇÃO ERECOLHIMENTO DE SACOLAS PLÁSTICAS EMESTABELECIMENTOS COMERCIAIS LOCALIZADOS NO ESTADODO RIO DE JANEIRO COMO FORMA DE COLOCÁ-LAS ÀDISPOSIÇÃO DO CICLO DE RECICLAGEM E PROTEÇÃO AO MEIOAMBIENTE FLUMINENSE.
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA S1 - A regulamentação de atividades que envolvam questõesambientais não é passível de regulamentação por meio de Lei sem adevida análise técnica. Tanto que a União criou órgão próprio paraeste fim, não cabendo a estados ou municípios criarem normasregulamentadoras sem orientação e regulamentação da União.2 – Existe Legislação vigente , que não foi em nenhum momentorevogada pela Lei n° 5502/2009, que obriga as organizações desupermercados e congêneres ao fornecimento gratuito de todo equalquer material necessário ao acondicionamento das comprasefetuadas em seus estabelecimentos.3- Lei objeto de representação de inconstitucionalidade pelaFecomércio-RJ, estando hoje sobrestada até que seja julgado açãode inconstitucionalidade em tramitação no STF.
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA S 6- Câmara Técnica de Desenvolvimento Sustentável do RJ- Uma das dez Câmaras Técnicas do Fórum de Desenvolvimento do Rio de Janeiro – ALERJ;- Promoção e interação entre as entidades da sociedade civil organizada, universidades e Poder Público;- Incentivo a ações que contribuam para o desenvolvimento sustentável fluminense;- Participação ativa da Fecomércio-RJ desde sua criação.
    • SUPERINTENDÊNCIA DE ECO N O M I A E P ES Q U I SA S7- Conselho de Análises Econômicas e Sociais do Estado do RJ • Está em seu quinto ano de atividades e é composto por representantes de Fecomércio-RJ, Banco Central, IBGE, CEPERJ, IPP, SEDEIS e SEPLAG; • Realiza quatro reuniões ao ano; • Debate conjuntura e questões estruturais para o desenvolvimento socioeconômico fluminense, com ênfase na realidade do comércio de bens, serviços e turismo; • O tema da próxima Reunião (18ª) – em 28 de maio -, será a Conferência Rio+20, com palestra do presidente do Grupo de Trabalho da PCRJ para o evento, Sr. Sérgio Besserman.
    • Obrigado. Endereço: Rua Marquês de Abrantes, 99 Rio de Janeiro – RJ / CEP: 22230-060Tel.: (21) 3138-1007 / Fax: (21) 3138-1679 www.fecomercio-rj.org.br