Your SlideShare is downloading. ×
Como funcionará a web 3
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Como funcionará a web 3

828
views

Published on

Alguns especialistas em Internet crêem que a próxima geração da Web, Web 3.0, tornará tarefas como a pesquisa sobre filmes e sobre comida mais rápidas e mais fáceis. Em vez de múltiplas pesquisas, …

Alguns especialistas em Internet crêem que a próxima geração da Web, Web 3.0, tornará tarefas como a pesquisa sobre filmes e sobre comida mais rápidas e mais fáceis. Em vez de múltiplas pesquisas, você poderá digitar uma ou duas frases complexas no seu navegador Web 3.0 e a rede fará o resto. Mas não é só isso. Muitos desses especialistas acreditam que o navegador Web 3.0 irá agir como um assistente pessoal. Enquanto você navega pela Web, o navegador registra seus interesses. Quanto mais você usa a rede, mais o seu navegador aprende sobre você e menos específico você precisará ser quando perguntar alguma coisa. Com o tempo, você poderá fazer perguntas abertas para o navegador, como: "onde eu devo almoçar?" Seu navegador consultaria os registros de o que você gosta e o que não gosta, levaria em consideração o local onde você está e então, faria uma sugestão de uma lista de restaurantes.

Published in: Technology

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
828
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Como funcionará a Web 3.0por Jonathan Strickland - traduzido por HowStuffWorks BrasilVocê decidiu ir ao cinema e comer alguma coisa depois. Você está a fim de uma comédiae de uma comida mexicana (em inglês) incrivelmente temperada. Ao iniciar seu PC, vocêabre um navegador da Web e acessa oGoogle para procurar um cinema, um filme einformações sobre o restaurante. Você precisa saber que filmes estão em exibição nassalas mais próximas, então você passa um tempo lendo a sinopse de cada filme antes dedecidir. Além disso, você quer ver quais restaurantes mexicanos estão perto de cada umadessas salas. E você pode querer dar uma olhada nas críticas dos clientes dosrestaurantes. No total, você visita meia dúzia de sites antes de sair. Yoshikazu Tsuno/AFP/Getty Images Veremos futuras versões da Web através de dispositivos como esse pequeno monitor preso à cabeça?Alguns especialistas em Internet crêem que a próxima geração da Web, Web 3.0, tornarátarefas como a pesquisa sobre filmes e sobre comida mais rápidas e mais fáceis. Em vezde múltiplas pesquisas, você poderá digitar uma ou duas frases complexas no seunavegador Web 3.0 e a rede fará o resto. No nosso exemplo, você poderia digitar "Euquero ver um filme engraçado e depois comer em um bom restaurante mexicano. Quaissão minhas opções?" O navegador Web 3.0 irá analisar sua pergunta, pesquisar a Internetpor todas as respostas possíveis e então, organizar os resultados para você.Mas não é só isso. Muitos desses especialistas acreditam que o navegador Web 3.0 iráagir como um assistente pessoal. Enquanto você navega pela Web, o navegador registraseus interesses. Quanto mais você usa a rede, mais o seu navegador aprende sobre vocêe menos específico você precisará ser quando perguntar alguma coisa. Com o tempo,você poderá fazer perguntas abertas para o navegador, como: "onde eu devo almoçar?"Seu navegador consultaria os registros de o que você gosta e o que não gosta, levaria emconsideração o local onde você está e então, faria uma sugestão de uma lista derestaurantes.Para entender o destino da Web, nós precisamos dar uma breve olhada em sua origem.Continue lendo para aprender sobre a evolução da Web.O caminho para a Web 3.0
  • 2. Entre todos os jargões e palavras de efeito da Internet que passaram a ser deconhecimento do público, a "Web 2.0" (em inglês) é provavelmente a mais conhecida.Embora muitas pessoas tenham ouvido falar dela, poucas conhecem o significado de Web2.0. Algumas pessoas afirmam que o nome é nada mais do que uma estratégia demarketing feita para convencer os capitalistas aventureiros a investirem milhões de dólaresem sites. O fato é que quando Dale Dougherty, da OReilly Media, lançou o termo, nãoexistia uma definição clara. Também não havia qualquer acordo sobre a existência deuma Web 1.0. O YouTube é um exemplo de um site de Web 2.0Outras pessoas insistem que a Web 2.0 é uma realidade. Abaixo, em resumo, ascaracterísticas da Web 2.0. • A possibilidade de os visitantes alterarem páginas da Web - a Amazon permite que os visitantes postem avaliações de produtos. Utilizando um formulário online, o visitante pode acrescentar informações às páginas da Amazon que outros futuros visitantes poderão ler. • Utilização de páginas para ligar pessoas a outros usuários - sites de relacionamento como oFacebook e o MySpace são populares porque tornam fácil para os usuários encontrar outros usuários e manter contato. • Métodos rápidos e eficazes de compartilhar conteúdo - o YouTube é o exemplo perfeito. Um membro do YouTube pode criar um vídeo e fazer o upload do conteúdo para que outros possam assisti-lo em menos de uma hora. • Novas maneiras de conseguir informação - atualmente, os internautas podem se inscrever em serviços de Really Simple Syndication (RSS) e receber notificações de atualizações daquela página enquanto uma conexão de Internet estiver disponível. • Expandir o acesso à Internet para além do computador - muitas pessoas acessam a Internet por meio de dispositivos como telefones celulares ou consoles de videogames. Alguns especialistas esperam que em pouco tempo os consumidores tenham acesso à Internet através da TV e outros dispositivos.Pense na Web 1.0 como uma biblioteca. Você pode utilizá-la como uma fonte deinformação, mas não pode contribuir ou alterar a informação de nenhuma maneira. A Web2.0 (em inglês) é mais como um grande grupo de amigos e conhecidos. Você pode utilizá-la para receber informação, mas também pode contribuir com a conversa e torná-la umaexperiência mais rica.Enquanto algumas pessoas ainda estão tentando se acostumar com a Web 2.0, outras jáestão pensando sobre o que está por vir. Como será a Web 3.0? Quais serão as
  • 3. diferenças em relação à Web que utilizamos hoje? Ela será uma mudança revolucionáriaou será tão sutil que nem perceberemos a diferença?Como os especialistas em Internet acham que será a próxima geração da World WideWeb? Continue lendo para descobrir.Fundamentos da Web 3.0Os especialistas em Internet acham que a Web 3.0 será como ter um assistente pessoalque sabe praticamente tudo sobre você e que pode acessar toda a informação da Internetpara responder qualquer pergunta sua. Muitos comparam a Web 3.0 com um banco dedados gigante. Enquanto a Web 2.0 utiliza a Internet para conectar pessoas, a Web 3.0servirá para conectar informações. Alguns especialistas acreditam que a Web 3.0substituirá a rede atual enquanto outros acreditam que ela existirá como uma redeindependente. iStockphoto/dstephens Planejando uma fuga tropical? A Web 3.0 poderá ajudar a simplificar seus planos de viagem.É mais fácil entender o conceito com um exemplo. Vamos supor que você esteja pensandoem tirar umas férias. Você deseja visitar um lugar quente e tropical e reservou umorçamento de US$ 3.000 para a sua viagem. Você deseja ficar em um bom lugar, mas nãoquer que isso custe muito em seu orçamento. Você também quer fazer um bom negóciocom as passagens de avião.Com a tecnologia da Web disponível atualmente, você teria que pesquisar bastante paraencontrar as melhores opções para as férias. Você teria que pesquisar possíveis destinose decidir o mais adequado para você. Você poderia visitar dois ou três sites de viagens ecomparar preços de passagens aéreas e hotéis. Você gastaria muito tempo pesquisandopelos vários resultados obtidos por um site de busca. Todo o processo levaria horas. Sua vida na Web Se o seu navegador da Web 3.0 armazenar informações baseadas no que você gosta e no que você não gosta, outras pessoas poderiam saber coisas que você preferiria manter em privacidade quando vissem seus resultados? Alguém poderia realizar uma pesquisa na Internet sobre você? Suas atividades na Internet seriam conhecidas pelo público? Algumas pessoas se preocupam com o fato de que quando tivermos respostas para essas perguntas, será tarde demais para fazer qualquer coisa a respeito.De acordo com alguns especialistas em Internet, com a Web 3.0 você poderá relaxar edeixar que a Internet faça todo o trabalho por você. Você pode usar um serviço de busca e
  • 4. especificar os parâmetros da pesquisa. O navegador então junta, analisa e apresenta osdados de uma maneira que tornará possível a comparação em um piscar de olhos. Elepode fazer isso porque a Web 3.0 será capaz de compreender a informação da Web.Agora mesmo, quando você usa uma site de busca, o site ainda não é capaz de entenderrealmente o que você pesquisa. Ele procura por páginas que contêm as palavras-chaves presentes em seus termos de busca. O site de busca não pode afirmar se apágina é realmente relevante para a sua pesquisa. Ele só pode dizer que a palavra-chaveaparece naquela página. Por exemplo, se você pesquisar pelo termo "Saturno",provavelmente terá resultados de algumas páginas sobre o planeta Saturno e de outrassobre sobre o fabricante do carro Saturno.Um site de busca da Web 3.0 poderia encontrar não só as palavras-chaves de suapesquisa, mas também interpretaria o contexto do pedido. Ele retornaria resultadosrelevantes e faria sugestões de outros conteúdos relacionados aos seus termos de busca.No nosso exemplo de férias, se você digitasse "destinos tropicais de férias com custoabaixo de US$ 3.000" como uma busca, o navegador da Web 3.0 poderia incluir uma listade atividades divertidas ou excelentes restaurantes relacionados aos resultados dapesquisa. Ele trataria toda a Internet como um enorme banco de dados de informaçãodisponível para qualquer pesquisa.Como a Web 3.0 faria isso? Leia para saber.A Web 3.0 se aproximaVocê nunca sabe como realmente será a tecnologia do futuro. No caso da Web 3.0, amaioria dos especialistas em Internet concorda sobre suas características gerais. Elesacreditam que a Web 3.0 oferecerá aos usuários experiências mais ricas e maisrelevantes. Muitos também acreditam que com a Web 3.0, todos os usuários terão umúnico perfil na Internet baseado no histórico de navegação de cada um. A Web 3.0utilizará esse perfil para ajustar a experiência de navegação de cada indivíduo. Issosignifica que se duas pessoas diferentes realizassem uma pesquisa na Internet com asmesmas palavras-chaves utilizando o mesmo serviço, elas receberiam resultadosdiferentes determinados por seus perfis individuais. iStockphoto/ktsimage A Web 3.0 irá se conectar a seus gostos individuais e hábitos de navegaçãoAs tecnologias e os softwares necessários para esse tipo de aplicação ainda nãoamadureceram. Serviços como o TiVO (em inglês) e o Pandora fornecem conteúdoindividual baseado nos usuários, mas ambos dependem de uma abordagem de tentativa eerro que não é tão eficaz quanto os especialistas dizem que a Web 3.0 será. Maisimportante ainda, tanto o TiVO quanto o Pandora possuem um escopo limitado deprogramas de TV e música respectivamente, ao passo que a Web 3.0 irá envolver toda ainformação da Internet.Alguns especialistas acreditam que a base da Web 3.0 serão as interfaces deprogramação de aplicações(APIs). Uma API é uma interface designada a permitir que osdesenvolvedores criem aplicações que tirem vantagem de certos conjuntos de recursos.Muitos sites da Web 2.0 incluem APIs que dão aos programadores acesso aos dados e às
  • 5. capacidades únicos dos sites. Por exemplo, a API do Facebook permite que osdesenvolvedores criem programas que utilizam o Facebook como uma plataforma parajogos, testes de conhecimentos gerais, avaliações de produtos e muito mais.Uma tendência da Web 2.0, que poderia auxiliar no desenvolvimento da Web 3.0, éo mashup. Um mashup é a combinação de dois ou mais aplicativos em um únicoaplicativo. Por exemplo, um desenvolvedor poderia combinar um programa que permitisseaos usuários avaliar restaurantes com o Google Maps. O novo aplicativo mashup poderiaexibir não só as avaliações dos restaurantes, mas também os mapearia para que o usuáriopudesse ver as localizações. Alguns especialistas em Internet acreditam que a criação demashups será tão fácil na Web 3.0 que qualquer pessoa será capaz de fazer isso. Widgets Os widgets são pequenos aplicativos que as pessoas inserem em páginas da Web copiando linhas de código e incorporando-as ao código de uma página. Eles podem ser jogos, servidores de notícias, players de vídeo ou qualquer outra coisa. Alguns prognosticadores da Internet crêem que a Web 3.0 permitirá que os usuários combinem widgets para fazer mashups apenas clicando e arrastando alguns ícones para dentro de uma caixa em uma página. Deseja um aplicativo que mostre onde as notícias estão acontecendo? Combine um servidor de notícias com um ícone doGoogle Earth e a Web 3.0 faz o resto. Como? Bem, ninguém descobriu ainda como fazer essa parte.Outros especialistas acreditam que a Web 3.0 vai surgir do começo. Em vez de utilizar oHTML como linguagem básica de codificação, ela irá depender de alguma linguagem novae ainda sem nome. Esses especialistas sugerem que seria mais fácil começar do básicodo que tentar mudar a Web atual. Todavia, essa versão da Web 3.0 é tão teórica que épraticamente impossível dizer como ela funcionará.O homem responsável pela World Wide Web tem sua própria teoria de como será o futuroda Web. Ele a chama de Web Semântica e muitos especialistas em Internet se apóiam emseu trabalho quando falam sobre a Web 3.0. O que é exatamente a Web Semântica?Continue lendo para descobrir.A Web SemânticaTim Berners-Lee inventou a World Wide Web em 1989. Ele a criou como uma interfacepara a Internet e como um método de as pessoas compartilharem informações entre si.Berners-Lee discute a existência da Web 2.0(em inglês), chamando-a de "nada mais doque um jargão sem sentido" [fonte: Register (em inglês)]. Berners-Lee ainda afirma que elepretendia que a World Wide Web fizesse tudo o que Web 2.0 deve fazer. Catrina Genovese/Getty Images Tim Berners-Lee, o inventor da World Wide Web
  • 6. A visão de Berners-Lee para a futura Web é similar ao conceito da Web 3.0. Ela échamada de Web Semântica. Neste momento, a estrutura da Web é ajustada para oshumanos. É fácil para nós visitarmos uma página da Web e compreendermos seu sentido.Os computadores não conseguem fazer isso. Um site de busca pode ser capaz de analisarpalavras-chaves, mas não consegue entender como essas palavras são usadas nocontexto de uma página.Com a Web Semântica, os computadores analisarão e interpretarão as informações daspáginas utilizando agentes de software. Esses agentes serão programas que navegarãoatravés da Web, procurando informações relevantes. Eles serão capazes disso porque aWeb Semântica terá conjuntos de informação chamados de ontologias. Em termos deInternet, uma ontologia é um arquivo que define as relações entre um grupo de termos.Por exemplo, o termo "primo" se refere à relação familiar entre duas pessoas quecompartilham um conjunto de avós. Uma ontologia da Web Semântica definiria cada papelfamiliar da seguinte maneira: • avô: um ancestral direto há duas gerações do sujeito; • pais: um ancestral direto há uma geração do sujeito; • irmão ou irmã: alguém que compartilha os mesmos pais do sujeito; • sobrinho ou sobrinha: filho do irmão ou da irmã do sujeito; • tio ou tia: irmão ou irmã de um dos pais do sujeito; • primo: filho de uma tia ou de um tio do sujeito.Para a Web Semântica ser eficaz, as ontologias precisam ser detalhadas ecompreensivas. No conceito de Berners-Lee, elas existiriam na forma de metadados. Osmetadados são informações incluídas nos códigos das páginas da Web e são invisíveisaos humanos, mas perceptíveis pelos computadores.A construção de ontologias requer muito trabalho. De fato, esse é um dos grandesobstáculos que a Web Semântica enfrenta. As pessoas estarão dispostas a aplicar oesforço necessário para fazer ontologias compreensivas em seus sites? Elas irão manteressas ontologias enquanto ocorrem mudanças nos sites? Críticas sugerem que a tarefa decriar e manter tais arquivos complexos é trabalho demais para a maioria das pessoas.Por outro lado, algumas pessoas realmente gostam de rotular ou identificar objetos einformações da Web. As identificações da Web categorizam o objeto ou informaçãoidentificados. Vários blogs incluem uma opção de identificação, tornando fácil classificar aspostagens sob tópicos específicos. Sites de compartilhamento de fotos como o Flickrpermitem que os usuários identifiquem as imagens. O Google até mesmo transformou issoem um jogo: o Google Image Labeler coloca duas pessoas uma contra a outra em umadisputa de identificação. Cada jogador tenta criar o maior número de identificaçõesrelevantes para uma série de imagens. De acordo com alguns especialistas, a Web 3.0será capaz de pesquisar identificações e rótulos e mostrar os resultados mais relevantespara o usuário. Talvez a Web 3.0 combine o conceito da Web Semântica de Berners-Leecom a cultura de identificação da Web 2.0.Embora a Web 3.0 esteja mais para teoria do que para realidade, isso não impediu que aspessoas tentassem adivinhar o que está por vir. Continue lendo para conhecer o extensofuturo da Web.Além da Web 3.0Seja qual for o nome que damos à próxima geração da Web, o que virá depois dela? Asteorias variam desde previsões conservadores até adivinhações que parecem coisas defilmes de ficção científica.
  • 7. David Paul Morris/Getty ImagesPaul Otellini, CEO e presidente da Intel, discute a crescente importância dos dispositivos móveis para a Web no 2008 International Consumer Electronics Show • De acordo com o especialista em tecnologia e empresário Nova Spivack, o desenvolvimento da Web acontece em ciclos de 10 anos. Na primeira década da Web, muito de seu desenvolvimento estava focado nos bastidores, ou na infra- estrutura, da Web. Os programadores criaram os protocolos e as linguagens de código que usamos para fazer páginas da Web. Na segunda década, o foco mudou para a linha de frente e a era da Web 2.0 (em inglês) teve seu início. Agora, as pessoas usam as páginas da Web como plataformas para outros aplicativos. Elas também criam mashups e experimentam maneiras de tornar as experiências da rede mais interativas. Agora nós estamos no fim do ciclo da Web 2.0. O próximo ciclo será a Web 3.0 e o foco voltará aos bastidores. Os programadores refinarão a infra-estrutura da Internet para suportar as capacidades avançadas dos navegadores da Web 3.0. Quando essa fase estiver terminada, nós entraremos na era da Web 4.0. O foco retornará para a linha de frente e veremos milhares de novos programas que utilizarão a Web 3.0 como base [fonte: Nova Spivack (em inglês)]. • A Web evoluirá para um ambiente tridimensional. Em vez de uma Web 3.0, nós veremos uma Web 3D. Combinando elementos de realidade virtual com os mundos permanentes dos jogos online para múltiplos jogadores (MMORPGs), a Web poderia se tornar uma paisagem digital que incorpora a ilusão de profundidade. Você navegaria pela Web com uma perspectiva de 1ª pessoa ou através de uma representação digital sua chamada de avatar (para saber mais sobre a perspectiva de um avatar, leia Como funciona a Avatar Machine). • A Web acumulará desenvolvimentos em computação distribuída e resultará em uma verdadeira inteligência artificial. Na computação distribuída, vários computadores lidam com um grande trabalho de processamento. Cada computador cuida de uma pequena parte da tarefa. Algumas pessoas acreditam que a Web será capaz de pensar ao distribuir a carga de trabalho entre milhares de computadores e de trazer referências de ontologias profundas. A Web irá se tornar um cérebro gigante capaz de analisar dados e extrapolar novas ideias independentes daquela informação. • A Web se estenderá para muito além dos computadores e dos telefones celulares. Tudo, desde relógios até televisores e roupas, terá acesso à Internet. Os usuários estarão constantemente conectados à Web e vice-versa. Cada agente de software de um usuário aprenderá mais sobre seu respectivo usuário observando eletronicamente suas atividades. Isso pode levar a discussões sobre o equilíbrio entre a privacidade individual e o benefício de se ter uma experiência de navegação personalizada. • A Web se fundirá com outras formas de entretenimento até que todas as distinções entre as formas de mídia sejam perdidas. Programas de rádio, programas de televisão e filmes dependerão da Web para chegar ao usuário.É muito cedo para afirmar quais, ou mesmo se alguma, dessas versões futuras da Web setornarão realidade. Pode ser que o verdadeiro futuro da Web seja mais extravagante do
  • 8. que as previsões mais extremas. Podemos apenas esperar que quando essa futura Webchegar, consigamos entrar em um acordo sobre como chamá-la.Para saber mais sobre a Web 3.0 e outros assuntos, dê uma olhada nos links da próximapágina.Mais informaçõesArtigos relacionados • Como funcionam os blogs • Como funciona o comércio eletrônico • Como funciona a criptografia • Como funciona o Facebook • Como funcionam os hackers • Como funciona a conexão de rede doméstica • Como funciona a infra-estrutura da Internet • Como funcionam os mecanismos de busca da Internet • Como funciona o MySpace • Como funciona a web semântica • Como funciona a Web 2.0 • Como funcionam as páginas da Internet • Como funcionam os servidores da Web • Como funciona o YouTubeMais links interessantes (em inglês) • Blog de Tim Berners-Lee • Web 2.0 Summit • Open Source InitiativeFontes (em inglês) • Berners-Lee, Tim, Hendler, James e Lassila, Ora. "A Web Semântica." Scientific American. Maio, 2001 • Calacanis, Jason. "Web 3.0, a definição oficial." Calacanis.com. 3 de outubro de 2007 • Carr, Nicholas. "Bem-vinda Web 3.0!" Rough Type. 11 de novembro de 2006 • Clarke, Gavin. "Berners-Lee solicita calma para a Web 2.0." The Register. 30 de agosto de 2006 • Metz, Cade. "Web 3.0." PC Magazine. 14 de março de 2007 • Mitra, Sramana. "Web 3.0 = (4C + P + VS)." SramanaMitra.com. 14 de fevereiro de 2007 • "Nova Spivack: A Web da 3ª Geração: Web 3.0." intentBlog. 7 de fevereiro de 2007 • Richards, Jonathan. "Web 3.0 e além: os próximos 20 anos da Internet." Times Online. 24 de outubro de 2007 • Spalding, Steve. "Como definir a Web 3.0." How to Split an Atom. 14 de julho de 2007 • Wainewright, Phil. "O que esperar da Web 3.0." ZDNet. 29 de novembro de 2005 • "Web 3.0: você ainda não viu nada!" android tech. 18 de novembro de 2006 • Wells, Terri. "Web 3.0 e SEO." Search Engine News. 29 de novembro de 2006

×