Apresentação da Defesa de dissertação

5,698 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
5,698
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1,229
Actions
Shares
0
Downloads
51
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Apresentação da Defesa de dissertação

  1. 1. Web 2.0 E COLABORAÇÃO CIENTÍFICA: <br />análise do uso científico-acadêmicopor<br />docentes de pós-graduação strictosensu<br />em Ciência da Informação no Brasil<br />Defesa de dissertação de <br />Mestrado em Ciência da Informação<br />PGCIN/UFSC <br />Aluna: Alessandra Maria Ruiz Galdo<br />Orientadora: Profª. Dra. Rosângela Schwarz Rodrigues<br />Florianópolis, março de 2010<br />
  2. 2. INTRODUÇÃO<br />Justificativa<br />Objetivos<br />REVISÃO DE LITERATURA<br />Conhecimento científico<br />Web 2.0<br />PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS<br />APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS<br />Cenário<br />Uso<br />Percepção<br />2<br />
  3. 3. INTRODUÇÃO<br />Justificativa<br />Objetivos<br />REVISÃO DE LITERATURA<br />Conhecimentocientífico<br />Web 2.0<br />PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS<br />APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS<br />Cenário<br />Uso<br />Percepção<br />3<br />
  4. 4. INTRODUÇÃO<br />A ciência possibilita o desenvolvimento de novas tecnologias ao mesmo tempo em que é alavancada ou desafiada pelas mesmas ferramentas tecnológicas que desenvolve.<br />Bunge (1996, p. 45) afirma: “a tecnologia moderna se nutre da ciência, e a ciência moderna depende, por sua vez” de tecnologia. <br />(BUNGE, 1996; PRICE, 1976; STOKES, 2005, KUHN, 2007) <br />4<br />
  5. 5. JUSTIFICATIVA<br />A Web 2.0 é mais um meio propício à colaboração, representa um novo padrão de interação ao viabilizar a interação do tipo muitos-muitos e vem favorecendo a colaboração entre pesquisadores e cientistas.<br />(ANTOUN, 2008; CASTELLS, 2003, 2007; CAVALCANTI e NEPOMUCENO, 2007; MOURA, 2009; OMS/OPAS/BIREME 2009; O'REILLY, 2005; PRIMO, 2008ª; ROSA , 2008; SILVA, 2008; SCIENCE..., 2009a; SCIENCE..., 2009b; UNIVERSIDADE..., 2009) <br />5<br />
  6. 6. JUSTIFICATIVA<br />A informação, as TICs, a Web 2.0 são objetos de estudo da Ciência da Informação. <br />Pesquisadores de diversas áreas vêm usando a Web 2.0<br />O cientista-docente da pós-graduação é modelo na formação de novos pesquisadores. <br />Assim, justifica-se a pergunta:<br />(BARRETO, 2008; BARROS, 2009; BASTOS, 2009; CATARINO, 2009; CÔRTES, 2006; COSTA, 2009; FUNARO e NORONHA, 2006; GRESHAM, 2009; HAYTHORNTHWITE; LE COADIC, 2004; MOREIRA, 2009; MOURA, 2009; MACHADO e REIS, 2009; ROSA, 2009; SILVA, 2009)<br />6<br />
  7. 7. Como os docentes de Programas de pós-graduação stricto sensu em Ciência da Informação no Brasil vêm usando ferramentas Web 2.0 com finalidade científico-acadêmica?<br />7<br />
  8. 8. OBJETIVO GERAL<br />Analisar a percepção e o uso científico-acadêmico de ferramentas Web 2.0 pelos docentes de Programas de pós-graduação strictosensuem Ciência da Informação no Brasil.<br />. <br />8<br />
  9. 9. OBJETIVOS ESPECÍFICOS<br />a) Descrever o cenário de plataformas Web 2.0 voltadas para a comunidade científica; <br />b) Identificar o uso científico-acadêmico de ferramentas Web 2.0 pelos docentes de Programas de pós-graduação strictosensuem Ciência da Informação no Brasil;<br />c) Identificar a percepção dos docentes sobre uso das ferramentas Web 2.0 pela comunidade científica.<br />9<br />
  10. 10. INTRODUÇÃO<br />Justificativa<br />Objetivos<br />REVISÃO DE LITERATURA<br />Conhecimentocientífico<br />Web 2.0<br />PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS<br />APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS<br />Cenário<br />Uso<br />Percepção<br />10<br />
  11. 11. CONHECIMENTO CIENTÍFICO<br />A ciência é um sistema conceitual e um sistema social em rede;<br />A pesquisa científica exige a interação entre membros de uma comunidade científica;<br />Redes de pesquisadores são fundamentais ao desenvolvimento da ciência. <br />(AXT, 2003; GRESHAM JR, 1994; KUHN, 2007; MOREIRA, 2005; MACHADO E REIS, 2007; STUMPF, 1996; TARGINO, 2000; ZIMAN, 2002)<br />11<br />
  12. 12. A CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO<br />A Ciência da Informação nasce do crescimento exponencial da informação no período da Segunda Guerra Mundial. O problema foi parcialmente resolvido pelas técnicas de gerência da informação <br />Novo impulso tecnológico com o desenvolvimento da Internet e da Web 2.0 trouxe nova explosão informacional, variedade de suportes, infinidade de autores de conteúdos e complexidade, o que traz novos desafios para a área. <br />(BARRETO, 2008; GALDO, GODOY VIEIRA E RODRIGUES, 2009; GONZALEZ DE COMEZ, 2000; LE COADIC, 2004; PINHEIRO, 1999; SARACEVIC, 1996)<br />12<br />
  13. 13. A CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO<br />Kuhn (2007) afirmaque a falta de respostapara um novo fenômenopormeio das soluçõesexistentes é o prenúnciopara a busca de novas soluções;<br />Saracevic (1996) afirma que a CI desde o início se relaciona às TICs, é interdisciplinar e a dimensão humana e social ultrapassa a tecnológa; <br />Esses são os fundamentos necessários para estudar os fenômenos relacionados à Web 2.0 que congregam informação, tecnologia e pessoas.<br />(FUCHS, 2005; GALDO, GODOY VIEIRA E RODRIGUES, 2009; KUHN, 2007; SARACEVIC, 1996)<br />13<br />
  14. 14. Adaptado de Cozic, 2007.[1].<br />WEB 2.0<br />Fonte: adaptado de COZIC, Fredéric. Web X Web 2.0. Paris, 2007. <br />Ilustração: Guilherme Galdo Ruchaud<br />14<br />
  15. 15. Fonte: adaptado de de O’Reilly, 2005, p. 1.<br />15<br />
  16. 16. CONHECIMENTO CIENTÍFICOe WEB 2.0<br />A Web 2.0 vemimpulsionando a comunicaçãomuitos-muitos, princípios colaborativos e participativos nas mais diversas atividades humanas, inclusive na atividade científica.<br />A Web 2.0 é um fenômeno novo, suainfluênciasobre a colaboraçãocientíficarequerestudos com rigor acadêmico.<br />(ANTOUN, 2008; BASTOS, 2009; BAZI e SILVEIRA, 2009; CASTELLS, 2003; CAVALCANTI e NEPOMUCENO, 2007; FUCHS, 2005; GARCÍA e RIVERA, 2009; GRESHAM, 2009, MIRANDA, 2006; MOREIRA, 2009; MOURA, 2009; O`REILLY, 2008; MACHADO e REIS, 2009; ROCHA, 2009; ROSA, 2008; RUSSEL, 2009; SILVA, 2009)<br />16<br />
  17. 17. INTRODUÇÃO<br />Justificativa<br />Objetivos<br />REVISÃO DE LITERATURA<br />Conhecimentocientífico<br />Web 2.0<br />PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS<br />APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS<br />Cenário<br />Uso<br />Percepção<br />17<br />
  18. 18. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS<br />Objetivo: caracterizar o cenárioda Web 2.0 nacomunidadecientífica.<br />Pesquisabibliográfica e pesquisa documental na Internet (motores de busca: Technorati, BlogPulse, Google Blogs, Anel de Blogs Científicos), pesquisa de conteúdonascomunidades on-line “Science online” e “Science 2.0”.<br />18<br />
  19. 19. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS<br />Objetivos: Identificar respectivamente o uso e a percepção sobre ferramentas Web 2.0 na colaboração científica<br />Instrumento de coleta de dados na forma de questionárioon-line composto de:<br />12 perguntas fechadas (análise estatística simples)<br />espaço para comentários opcionais (análise qualitativa)<br />1 pergunta aberta (análise de conteúdo)<br />19<br />
  20. 20. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS<br />Análise de conteúdo da questão aberta:<br />A técnica utilizada foi a análise categorial temática com categorização semântica. Essa técnica desdobra as afirmações ou proposições dos sujeitos em categorias, que por sua vez podem conter mais de um tema, mantendo a unidade semântica. Bardin (2009, p. 131) define tema como os “núcleos de sentido” ou “uma afirmação acerca de um assunto [...] uma frase, ou uma frase composta, habitualmente um resumo ou uma frase condensada”. A autora elucida que “um tema pode ser desenvolvido em várias afirmações (ou proposições). Enfim, qualquer fragmento pode remeter (e remete geralmente) para diversos temas”.<br />20<br />
  21. 21. POPULAÇÃO<br />21<br />
  22. 22. INTRODUÇÃO<br />Justificativa<br />Objetivos<br />REVISÃO DE LITERATURA<br />Conhecimentocientífico<br />Web 2.0<br />PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS<br />APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS<br />Cenário<br />Uso<br />Percepção<br />22<br />
  23. 23. Cenário Web 2.0 na comunidade científica<br />Pesquisa bigliográfica e documental identificou:<br />Comunidades de cientistas baseadas na web: Science2.0 com 725 cientistas e a Scienceon-line com 438 cientistas e pesquisadores de diversos países (08/2009);<br />289 blogs científicos em língua portuguesa (11/2009);<br />14portais de periódicos científicos internacionais com ferramentas Web 2.0 (02/2009);<br />Plataformas Web 2.0 desenvolvidas especificamente para a comunidade científica, classificadas em 5 tipos: <br />23<br />(OMS/OPAS/BIREME, 2009; SCIENCE..., 2009a; SCIENCE..., 2009b; UNIVERSIDADE..., 2009, )<br />
  24. 24. Cenário Web 2.0 na comunidade científica<br />plataformas para apresentação de vídeos de experimentos científicos;<br />compartilhador de referências (social bookmarks) específico para a comunidade científica; <br />site de rede social acadêmica; <br />plataforma de repositórios com identificação de redes científicas; <br />condomínio de blogs científicos.<br />(essa parte dapesquisanãobuscou a exaustividade, mas a caracterização de um cenárioqueconfirma o usoda Web 2.0 porpesquisadores e cientistas) <br />24<br />
  25. 25. INTRODUÇÃO<br />Justificativa<br />Objetivos<br />REVISÃO DE LITERATURA<br />Conhecimentocientífico<br />Web 2.0<br />PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS<br />APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS<br />Cenário<br />Uso<br />Percepção<br />25<br />
  26. 26. INSTRUMENTO DE COLETA DE DADOS:Questionário para os docentes<br />As questões foram elaboradas segundo 12 dimensões de análise, adaptadas de Bastos e Silva (2005). <br />As questõesforamapresentadasemblocos. O blocosobre o usoda Web 2.0 só era apresentadoaosrespondentesqueoptassempelasassertivas “uso” ou “nãouso, mastenhointeresse” (38). Os queoptassempelaassertiva “nãouso” (6) eramconduzidosaoblocosobre a percepção. <br />26<br />
  27. 27. 27<br />
  28. 28. 1. Perfil do pesquisador<br />28<br />
  29. 29. 2. Perfil de uso da Web 2.0<br />29<br />6<br />8<br />30<br />
  30. 30. 2. Perfil de uso da Web 2.0<br />30<br />
  31. 31. 3. Ferramentas Web 2.0 que utiliza<br />31<br />
  32. 32. 3. Ferramentas Web 2.0 que utiliza<br />32<br />
  33. 33. 4.Compartilhamento e disseminação de informações científico-acadêmicas<br />33<br />
  34. 34. 5. Barreiras ao uso da Web 2.0<br />34<br />
  35. 35. 6. Relacionamento interpares <br />35<br />
  36. 36. 7. Uso da Web 2.0 na formação do pesquisador<br />36<br />
  37. 37. INTRODUÇÃO<br />Justificativa<br />Objetivos<br />REVISÃO DE LITERATURA<br />Conhecimentocientífico<br />Web 2.0<br />PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS<br />APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS<br />Cenário<br />Uso<br />Percepção<br />37<br />
  38. 38. 8. Potencial internacionalização da ciência por meio de ferramentas Web 2.0<br />38<br />
  39. 39. 9. Visibilidade para pesquisas de países periféricos e semiperifericos<br />39<br />88%<br />
  40. 40. 10. Confiabilidade da informação na Web 2.0<br />40<br />
  41. 41. 11. Promoção das relações entre a comunidade científica e o entorno social<br />41<br />
  42. 42. 12. Expectativas face ao futuro: que implicações a Web 2.0 pode trazer para a CI<br />As respostas à pergunta aberta foram desmembradas em 56 proposições / afirmações mantendo suas unidades semânticas e relacionadas às seguintes categorias temáticas: <br />Questões relacionadas à informação (organização, suporte...) (25%);<br />Campo da CI (20%);<br />Colaboração científica (13%);<br />Objeto de estudo da CI (11%);<br />Profissão (11%);<br />Pesquisa (11%);<br />Ensino (4%);<br />Usuário (4%); <br />Tecnologia (4%).<br />42<br />
  43. 43. 43<br />
  44. 44. Mesmo sendo “migrantes digitais, a maioria faz uso intenso da Internet (CI);<br />A maioria declara usar a Web 2.0 há 2 ou 4 anos (43%);<br />O número de respondentes que usam a Web 2.0 há mais de 4 anos é similar ao dos que criam conteúdo próprio (29%, 30%);<br />As ferramentas apresentadas são utilizadas com variações pouco significativas, sendo os blogs os mais acompanhados;<br />Predominância de colaboração na própria rede de relações acadêmicas ou institucionais (79% por compartilhadores). 42% de compartilhamento de informação com a sociedade via blogs;<br />87% consideraram o tempo pequena, média ou grande barreira. A questão aparece em 5 comentários;<br />88% dos respondentes usam a Web 2.0 na formação de novos pesquisadores.<br />44<br />Uso da Web 2<br />
  45. 45. A expressiva maioria (91%) concorda ou concorda plenamente que a Web 2.0 tem potencial para estimular a colaboração científica entre pesquisadores de diferentes países;<br />A maioria dos respondentes (88%) concorda ou concorda plenamente que a World Wide Web pode trazer visibilidade no cenário científico internacional para pesquisas de países periféricos e semiperiféricos, com a ressalva do idioma, questão comentado por 4 respondentes;<br />Nenhum respondente afirmou não confiar em informações da Web 2.0, entretanto o tema da confiabilidade do conhecimento na www recebeu comentários de 7 respondentes em mais de uma questão;<br />a maioria (79%) dos respondentes tem a percepção de que a Web 2.0 promove a divulgação científica ao propiciar o contato direto entre o pesquisador / cientista e a sociedade<br />45<br />Percepcão<br />
  46. 46. Referências<br />http://cienciadoispontozero.com/mestrado/referencias/<br />46<br />Universidade Federal de Santa Catarina - Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação<br />

×