Teoria do agir comunicativo por Habermas
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Teoria do agir comunicativo por Habermas

on

  • 5,201 views

 

Statistics

Views

Total Views
5,201
Views on SlideShare
5,201
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
75
Comments
1

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Teoria do agir comunicativo por Habermas Teoria do agir comunicativo por Habermas Presentation Transcript

  • TEORIA DO AGIR COMUNICATIVO RACIONALIDADE DA AÇÃO E RACIONALIDADE SOCIAL de Jurgen HabermasComunicação e Semiótica – PUC Teoria do Agir Comunicativo Prof. Dr. José Luiz Aidar Prado
  • Introdução A elaboração da racionalidade de opiniões deve-se originalmente à filosofia. Hoje a filosofia já não pode remeter-se ao mundo, à natureza, à história ou sociedade, de um saber totalizante. Os substitutivos teóricos de imagens de mundo perderam valor não em virtude do avanço das ciências empíricas, mas pela consciência reflexiva que acompanhou este avanço. O pensamento filosófico se transformou e ainda assim continua o mesmo, o interesse logo se volta às condições formais da racionalidade do conhecer, do entendimento verbal mútuo e do agir, seja ele nas experiências cotidianas instituídas ou discursivas. Assim a teoria da argumentação reconstrói os pressupostos e condições formal-pragmáticos do comportamento racional.Comunicação e Semiótica – PUC Teoria do Agir Comunicativo Prof. Dr. José Luiz Aidar Prado
  • Introdução O papel das experiências remonta o pensamento puramente filosófico. A pretensão das ciências empíricas modernas só pode ser checada com base na evidência de exemplos contrários. O que vale para a racionalidade cognitiva aplica-se também a outras formas do espírito objetivo, ou seja, a corporificações da racionalidade ora cognitiva e instrumental, ora prático- estética. Exemplo: na tradição piagetiana, conceitua-se o desenvolvimento cognitivo em sentido estrito como uma sequência de estágios de competência passível de reconstrução interna em umComunicação e posterior. PUC momento Semiótica – Teoria do Agir Comunicativo Prof. Dr. José Luiz Aidar Prado
  • Introdução Ciência sociais A sociologia está mais ligada em seus conceitos fundamentais, à problemática da racionalidade A sociedade se representa como uma coletividade constituída Ciências Políticas politicamente e integrada por normas de direito. Se interessa pela questão sobre como a dinâmica do sistema Economia Política econômico tinha efeito sobre as ordens que integravam a sociedade. E disso acabou por se desprender. Surgiu como disciplina cuja competência abrangeria problemas Sociologia deixados de lado pela política e economia.Comunicação e Semiótica – PUC Teoria do Agir Comunicativo Prof. Dr. José Luiz Aidar Prado
  • Introdução A sociologia foi a única das disciplinas das ciências sociais que conservou a referência a problemas da sociedade como um todo. Nunca deixou de ser também a teoria da sociedade e não pode se afastar das questões da racionalização. Os pensadores clássicos da sociologia, procuram apresentar sua teoria da ação de maneira que as categorias que a integram atinjam os aspectos mais importantes da transição de “comunidade” para “sociedade”.Comunicação e Semiótica – PUC Teoria do Agir Comunicativo Prof. Dr. José Luiz Aidar Prado
  • Introdução Quando se desfaz o liame entre os processos de modernização e o conceito de racionalização, e quando se substituem esses processos a outros pontos de vista, isso é o bastante para que por um lado, os fundamentos ligados à teoria da ação desprendam-se de quaisquer conotações da racionalidade da ação e por outro lado, a metodologia da compreensão de sentido se desprenda da problemática entre as questões ligadas à significação e validade. Max Weber, ao questionar o significado da modernidade e as causas e efeitos secundários da modernização capitalista da sociedade, trata-a sob os pontos de vista do agir racional, da condução racional da própria vida e das imagens do mundo racionalizadas.Comunicação e Semiótica – PUC Teoria do Agir Comunicativo Prof. Dr. José Luiz Aidar Prado
  • Conceito de Racionalidade Racionalidade tem menos a ver com a posse do conhecimento do que com a maneira pela qual os sujeitos capazes de falar e agir adquirem e empregam o saber. Nas exteriorizações verbais manifesta-se o saber de maneira explícita, e nas ações orientadas para um fim, ganha expressão um saber implícito. Racionais Irracionais Desculpas, atrasos, intervenções Homens, mulheres, crianças, adultos, cirúrgicas, declarações de Ministros de Estado ou motorista de guerra, planos de construções ou ônibus resoluções expedidas em conferências.Comunicação e Semiótica – PUC Teoria do Agir Comunicativo Prof. Dr. José Luiz Aidar Prado
  • Conceito de Racionalidade O que significa comportar-se racionalmente diante de uma determinada situação?  Pode-se criticar a confiabilidade do saber. A relação estreita entre saber e racionalidade permite supor que a racionalidade de uma exteriorização depende da confiabilidade do saber nela contido.  A racionalidade de uma exteriorização pode expor-se à situação de receber críticas e à sua capacidade de se fundamentar.  A racionalidade presente na prática comunicativa estende-se a um espectro mais amplo. Indica formas diversas de argumentação e diversas formas de dar prosseguimento ao agir comunicativo por meio de recursos reflexivos.Comunicação e Semiótica – PUC Teoria do Agir Comunicativo Prof. Dr. José Luiz Aidar Prado
  • Conceito de Racionalidade A versão cognitiva do conceito de racionalidade se define pelo emprego do saber descritivo em duas direções distintas: Não comunicativo Comunicativo Tomamos uma decisão prévia em Tomamos uma decisão prévia em favor do conceito de racionalidade favor do conceito da racionalidade cognitivo-instrumental, que por meio comunicativa. do empirismo marcou a auto compreensão da modernidadeComunicação e Semiótica – PUC Teoria do Agir Comunicativo Prof. Dr. José Luiz Aidar Prado
  • Conceito de Racionalidade Quando se desenvolve o conceito de racionalidade sob o fio condutor de ações destinadas a solucionar problemas, também é possível entender um uso linguístico que se faz do termo “racional”. De vez em quando, fala-se da “racionalidade” de um comportamento incitado por estímulos, ou da “racionalidade” da mudança de estado num sistema. Reações comportamentais de um organismo incitado por estímulos até podem ser entendidas como semiações, ou seja, como se nelas se exteriorizasse a capacidade de ação de um sujeito. Pois a capacidade de fundamentação exigida, ele mesmo deve ter condições de apresentar.Comunicação e Semiótica – PUC Teoria do Agir Comunicativo Prof. Dr. José Luiz Aidar Prado
  • Conceito de Racionalidade O mundo só conquista objetividade ao tornar-se válido enquanto mundo único para uma comunidade de sujeitos capazes de agir e utilizar a linguagem. Com esta prática comunicativa, estes sujeitos ao mesmo tempo se asseguram do contexto vital que têm em comum, ou seja, de seu mundo de vida partilhado. Para esclarecer o conceito de racionalidade, o fenomenólogo tem de investigar as condições de um consenso almejado por via comunicativa; precisa analisar o que Melvin Pollner denomina como raciocínio mundano. As exteriorizações racionais têm o caráter de ações sensatas e compreensíveis com as quais o ator se refere a alguma coisa no mundo objetivo.Comunicação e Semiótica – PUC Teoria do Agir Comunicativo Prof. Dr. José Luiz Aidar Prado
  • Conceito de Racionalidade O conceito de racionalidade comunicativa mais abrangente, pode-se adicionar o conceito de racionalidade instrumental desenvolvido a partir de um enfoque realista. Se a racionalidade é mensurada pelo sucesso das intervenções, é suficiente exigir que elas possam encolher entre alternativas e controle das condições do entorno. Mas se for medida pelo êxito de processos de entendimento, então não é suficiente recorrer a estas capacidades. A racionalidade comunicativa amplia, no interior de uma comunidade de comunicação, o espaço de ação estratégica para a coordenação não coativa de ações.Comunicação e Semiótica – PUC Teoria do Agir Comunicativo Prof. Dr. José Luiz Aidar Prado
  • Conceito de Racionalidade  Ações reguladas por normas Exteriorizações sensatas e compreensíveis  Autorepresentações expressivas vinculadas a uma pretensão de validade passível de crítica  Desejo de férias  Exteriorizações avaliativas  Recusa de serviço militar  CiúmesAções reguladas por normas, autorepresentações expressivas e exteriorizações avaliativasservem de complementos as ações de fala constatativas, para que se tornem uma práticacomunicativa voltada à conquista do consenso baseado no reconhecimento de validadescriticáveis.Comunicação e Semiótica – PUC Teoria do Agir Comunicativo Prof. Dr. José Luiz Aidar Prado
  • Conceito de Racionalidade Discurso que tematiza as pretensões de validade controversas.  Argumentação Procuram resolvê-las ou criticá-las com argumentos.  Fundamentação Está ligada ao aprendizado Experiências negativas podem ser elaboradas de modo  Discurso teórico produtivo. A forma de argumentação na qual pretensões de verdade controversas se transformam em tema. Examina se determinada norma de ação reconhecida ou  Discurso prático não, pode ser justificada de modo imparcialComunicação e Semiótica – PUC Teoria do Agir Comunicativo Prof. Dr. José Luiz Aidar Prado
  • Conceito de Racionalidade RACIONAL IRRACIONALComportamento de uma pessoa disposta a se Quem se engana sistematicamente a silibertar de ilusões, principalmente as que não mesmo.se baseiam em um erro. Mas...Uma pessoa pode ter boas razões para Se tem condições de aceitar esclarecimentosesconder de outras pessoas as suas vivências sobre sua irracionalidade, dispõe deverdadeiras. Não há veracidade, mas simula racionalidade de um sujeito capaz de emitirao comportar-se estrategicamente. juízos e agir de modo racional.No processo de autorreflexão, as razões têm uma função. Freud experimentou o modelo de diálogoterapêutico entre médico e analisando. > Crítica terapêuticaComunicação e Semiótica – PUC Teoria do Agir Comunicativo Prof. Dr. José Luiz Aidar Prado
  • www.slideshare.net/alebarros Alessandra Barros MarassiComunicação e Semiótica – PUC Teoria do Agir Comunicativo Prof. Dr. José Luiz Aidar Prado