Administração Participativa A idéia da Administração Participativa é uma das mais antigas, nasceu na Grécia, com a Democra...
Administração Participativa <ul><li>Participação não é natural nos modelos convencionais de Administração; </li></ul><ul><...
Modelos de   Administração Autoridade, obediência, liderança, disciplina e autonomia são ingredientes que se combinam em v...
Modelos de   Administração <ul><li>Modelo Diretivo (ou Modelo Diretivo-autoritário):   </li></ul><ul><li>Predomina a autor...
Modelos de   Administração <ul><li>Modelo Participativo (ou Consultivo):   </li></ul><ul><li>Predomina a Liderança, a disc...
Problemas do Modelo Diretivo <ul><li>A Visão em relação aos funcionários está para: subordinados, subalternos e serviçais;...
Problemas do Modelo Diretivo <ul><li>Ineficiência global do sistema : deixou-se de utilizar o principal recurso dos operad...
Problemas do Modelo Diretivo <ul><li>Autoritarismo:  ênfase na obediência e imposição da hierarquia, sem que signifique ef...
Quadro Comparativo Comparação entre os Sistemas Diretivos e Participativos, segundo Likert: <ul><li>Controle disperso, bas...
Exemplos de empresas com Administração participativa: <ul><li>Toyota : Nos anos 50 a Toyota foi a primeira empresa japones...
Estratégias de participação <ul><li>As Estratégias de Administração Participativa  agrupam-se em quatro categorias princip...
Estratégias de participação Mecanismos para ouvir o Funcionário : Programas de sugestões, Ouvidoria, Pesquisas de clima Or...
Estratégias de participação Envolvimento no processo decisório:  Vai além da simples comunicação. Significa consultar as p...
Envolvimento no processo decisório: Equipes Autogeridas : A delegação de autoridade (Empowerment) e o aprimoramento da com...
Envolvimento no processo decisório: Co-gestão ou participação na direção :Significa  participar institucionalmente da estr...
Autogestão: É a autonomia completa, de uma pessoa ou grupo, para administrar uma empresa ou empreendimento. Autogestão  só...
Papel da cultura: No campo dos modelos de administração das organizações, os hábitos, valores e crenças que formam a cultu...
Papel da cultura: 3. Atitudes em relação aos Chefes:  Max Weber assinalou a TRADIÇÃO é um dos fundamentos mais importantes...
Implantação da administração participativa <ul><li>A implantação da Administração participativa envolve mudança em três as...
Implantação da administração participativa Visão sistêmica : A administração deve ser compartilhada em todos os sentidos, ...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

AdministraçãO Participativa

58,144

Published on

Published in: Technology, Travel
0 Comments
11 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
58,144
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
15
Actions
Shares
0
Downloads
802
Comments
0
Likes
11
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "AdministraçãO Participativa"

  1. 1. Administração Participativa A idéia da Administração Participativa é uma das mais antigas, nasceu na Grécia, com a Democracia, há mais de 2000 anos. Mas, revela-se como um paradigma, pois é uma das mais avançadas formas de gestão administrativa da atualidade. Administração participativa é uma filosofia ou doutrina que valoriza a participação das pessoas no processo de tomar decisões sobre a administração das organizações. Administrar de forma participativa consiste em compartilhar as decisões que afetam a empresa, não apenas com funcionários, mas também com clientes ou usuários, fornecedores, e eventualmente, distribuidores ou concessionários da organização.
  2. 2. Administração Participativa <ul><li>Participação não é natural nos modelos convencionais de Administração; </li></ul><ul><li>A alienação desperdiça o potencial intelectual das pessoas; </li></ul><ul><li>A participação aproveita o potencial intelectual, aumentando a qualidade das decisões e a maior satisfação e motivação; </li></ul><ul><li>Aprimora a competitividade das organizações. </li></ul>
  3. 3. Modelos de Administração Autoridade, obediência, liderança, disciplina e autonomia são ingredientes que se combinam em várias dosagens para influenciar o comportamento das pessoas nas famílias, grupos, organizações e sociedade. Há dois modelos de Administração que usam em doses diferentes os ingredientes abaixo: Modelo Diretivo (ou Modelo Diretivo-autoritário) e o Modelo Participativo (ou Consultivo-participativo).
  4. 4. Modelos de Administração <ul><li>Modelo Diretivo (ou Modelo Diretivo-autoritário): </li></ul><ul><li>Predomina a autoridade formal e a burocracia e seus mecanismos, para obter obediência. </li></ul><ul><li>Estrutura administrativa centralizada. </li></ul><ul><li>As chefias dispõem de instrumentos coercitivos para reforçar sua autoridade. </li></ul><ul><li>Os cargos são definidos com detalhes, com pouca autonomia. </li></ul><ul><li>A administração é orientada por um raciocínio linear e mecanicista. </li></ul>
  5. 5. Modelos de Administração <ul><li>Modelo Participativo (ou Consultivo): </li></ul><ul><li>Predomina a Liderança, a disciplina e a AUTONOMIA; </li></ul><ul><li>Auto-gestão de suas responsabilidades; </li></ul><ul><li>A disciplina é por auto-crítica e auto-controle; </li></ul><ul><li>Uso do Empowerment. </li></ul><ul><li>Empresas que utilizam o modelo Participativo é chamada de Orgânica. </li></ul>
  6. 6. Problemas do Modelo Diretivo <ul><li>A Visão em relação aos funcionários está para: subordinados, subalternos e serviçais; </li></ul><ul><li>Ilusão que o paradigma Ford-Taylor seria o mais produtivo; </li></ul><ul><li>Os cargos e a divisão de trabalho são rigidamente estruturados; </li></ul><ul><li>Toda iniciativa depende dos chefes e especialistas; </li></ul><ul><li>A Opinião dos subalternos nunca era considerada, pois seria infundada e incoerente; </li></ul><ul><li>Não utiliza o potencial de Auto-gestão; </li></ul><ul><li>Surgiram muitas críticas ao Modelo Diretivo da Administração: Ineficiência global do sistema; Fragilidade da Empresa; Insatisfação e desmotivação dos trabalhadores e Autoritarismo. </li></ul>
  7. 7. Problemas do Modelo Diretivo <ul><li>Ineficiência global do sistema : deixou-se de utilizar o principal recurso dos operadores ou funcionários, que é seu potencial intelectual e de autogestão. A eficiência é aparente pois os custos são altos para manter tantos dirigentes controlando atividades muito simplificadas ou minimizadas. </li></ul><ul><li>Fragilidade da Empresa: pois, toda produção depende do desempenho 100% da linha de produção. Quaisquer falhas ou desaceleramento prejudicará o todo produtivo. Surgindo oportunidades para greves. </li></ul><ul><li>Insatisfação e desmotivação dos trabalhadores : A linha de montagem “robotiza” o operário, levando ao desinteresse, insatisfação, perda de perspectiva do cliente e fadiga. Pode surgir como resposta imediata dessa insatisfação problemas como sabotagem, acidentes de trabalho, absenteísmo, atrasos constantes e recorrentes. </li></ul>
  8. 8. Problemas do Modelo Diretivo <ul><li>Autoritarismo: ênfase na obediência e imposição da hierarquia, sem que signifique eficiência e muito menos eficácia. </li></ul><ul><li>Concentração do poder em poucas pessoas ou instâncias . Só os chefes decidem e é preciso pedir permissão para tudo. As atividades são dirigidas do centro do poder e não do local onde são realizadas. </li></ul>Comparação entre os Sistemas Diretivos e Participativos, segundo Likert: <ul><li>Processos de liderança envolve confiança entre superiores e subordinados; </li></ul><ul><li>Subordinado sem liberdade para discutir problemas com superiores; </li></ul><ul><li>Motivação tem por base a participação das pessoas; </li></ul><ul><li>Atitudes desfavoráveis em relação à empresa; </li></ul>Sistema 4 Sistema 1
  9. 9. Quadro Comparativo Comparação entre os Sistemas Diretivos e Participativos, segundo Likert: <ul><li>Controle disperso, baseado no auto-controle; </li></ul><ul><li>Controle centralizado; </li></ul><ul><li>definição participativa de metas; </li></ul><ul><li>Definição de metas feita apenas no topo da organização, sem participação dos níveis inferiores; </li></ul><ul><li>Informação correndo livremente em todos as direções; </li></ul><ul><li>Informação de cima para baixo, distorcida e imprecisa. </li></ul><ul><li>Processo de interação livre, de modo que as pessoas influenciam os objetivos; </li></ul><ul><li>Processo de interação limitado; </li></ul><ul><li>Metas elevadas de desempenho, aceitas por todos. </li></ul><ul><li>Pessoas não se comprometem com as metas de desempenho. </li></ul>Sistema 4 Sistema 1
  10. 10. Exemplos de empresas com Administração participativa: <ul><li>Toyota : Nos anos 50 a Toyota foi a primeira empresa japonesa a conseguir fazer mais produtos, de melhor qualidade, usando número menor número de funcionários e chefes. </li></ul><ul><li>SEMCO : Ricardo Semler, em 1970, através do seu livro “Virando a própria mesa”, mostra como alterou radicalmente sua estrutura administrativa, delegando o máximo de responsabilidades aos funcionários, inclusive com eleições diretas dos chefes pelos subordinados. A Grande contribuição de Semler foi o princípio que diferencia e separa a propriedade da administração. </li></ul><ul><li>Saturno : Saturn Corporation, empresa criada pela General Motors, no final da dácada de 80, com objetivo de concorrer diretamente com os carros japoneses. Foi criado o grupo dos 99, com participação direta dos membros do sindicato dos trabalhadores das montadoras de veículos. A estrutura organizacional é administrada por grupos que desfrutam de poderes de decisão para selecionar fornecedores, adquirir materiais, contratar novos funcionários e distribuir tarefas entre seus membros. E virtualmente administrada por uma dupla, pelo Presidente nomeado pela General Motors e o Delegado sindical. </li></ul>
  11. 11. Estratégias de participação <ul><li>As Estratégias de Administração Participativa agrupam-se em quatro categorias principais: aprimoramento da informação, participação no processo decisório, participação na direção e participação os resultados, e uma categoria a parte a Autogestão. </li></ul>Informação : Aprimoramento dos canais de comunicação empresariais, junto a clientes, funcionários, intermediários e stakeholders. Mecanismos para ouvir o cliente: Call Center (0800), Reuniões periódicas com grupos de Clientes (hora da verdade); Marketing de Relacionamento (CRM); Clínica de novos produtos, etc.
  12. 12. Estratégias de participação Mecanismos para ouvir o Funcionário : Programas de sugestões, Ouvidoria, Pesquisas de clima Organizacional (termômetro de satisfação) e reuniões diretas freqüentes de gerentes com funcionários. Importante instalar canais de comunicação com todos na empresa, comunicação ascendente e lateral, além da descendente. Administração Visual: Selecionar uma comunicação visual através de painéis nos locais de trabalho com informações a respeito das operações, Ex: volume de produção, qualidade e satisfação do cliente. Redução da distância social: Reduzir símbolos de diferenciação das classes ocupacionais, como restaurantes , uniformes e escritórios que são mais luxuosos conforme a escala hierárquica.
  13. 13. Estratégias de participação Envolvimento no processo decisório: Vai além da simples comunicação. Significa consultar as pessoas, individualmente ou em grupo, sobre problemas no local de trabalho. <ul><li>Existem três modalidades principais de envolvimento no processo decisório: Decisão Participativa, Equipes autogeridas e Co-gestão. </li></ul><ul><li>Decisão participativa : Consultiva e compartilhada. </li></ul><ul><li>Quando se fazem consultas para pedir opiniões a decisão é consultiva. As decisões compartilhadas são aqueles em que há compromisso de acordo, sendo o consenso o produto desta decisão. </li></ul>
  14. 14. Envolvimento no processo decisório: Equipes Autogeridas : A delegação de autoridade (Empowerment) e o aprimoramento da comunicação dentro de um grupo são as características básicas desta estratégia de participação. <ul><li>Principais características das equipes Autogeridas (visão do Toyotismo): </li></ul><ul><li>Autonomia para decidir; </li></ul><ul><li>responsabilidade pelos próprios resultados; </li></ul><ul><li>Interação dos membros do grupo e com outros grupos; </li></ul><ul><li>Clareza e conhecimento mútuo de todos os membros; </li></ul><ul><li>Intercambio de papéis; </li></ul><ul><li>Autocontrole; </li></ul><ul><li>Comunicação compartilhada; </li></ul><ul><li>Auto-organização. </li></ul>
  15. 15. Envolvimento no processo decisório: Co-gestão ou participação na direção :Significa participar institucionalmente da estrutura de poder da organização ou Empresa. Inventada na Alemanha, a participação do funcionário na Diretoria se faz por eleição dos Colegas funcionários, através de um colegiado ou comissão representante desses funcionários. Participação nos resultados : Podendo ser implantada em qualquer etapa do estágio da vida da empresa. Os funcionários podem participar do faturamento, dos incrementos nas recitas, das economias ou ganhos de produtividade, dos lucros e da propriedade da empresa. A participação nos resultados fecha o círculo do mecanismo da recompensa: se as pessoas participam dos problemas e decisões, também devem participar de algumas maneiras dos benefícios dos resultados de seus esforços.
  16. 16. Autogestão: É a autonomia completa, de uma pessoa ou grupo, para administrar uma empresa ou empreendimento. Autogestão só existe quando os participantes de um empreendimento são também seus proprietários, como no caso das cooperativas, repúblicas de estudantes, condomínios, associações, grupos de teatro, conjuntos musicais e clubes. <ul><li>Assembléias, Plebiscitos e Reuniões são os principais instrumentos de Autogestão . Nas grandes empresas a autogestão é representada por um colégio de administradores, assumindo o modelo de democracia representativa, pois um pequeno grupo administra em nome dos demais. </li></ul>
  17. 17. Papel da cultura: No campo dos modelos de administração das organizações, os hábitos, valores e crenças que formam a cultura compreendem três tipos de atitudes: <ul><li>Atitudes em relação aos funcionários : Douglas McGregor interpretou os funcionários em duas natureza: chamadas de Teoria X e Teoria Y. Para Teoria X o funcionário é movido por recompensa, um ser econômico-racional, devendo ser fiscalizado e controlado em suas atividades. Uma visão negativista da natureza do funcionário. A Teoria Y acredita no funcionário confiável e que assume responsabilidades. </li></ul><ul><li>Atitudes dos Chefes : É o autoconceito enquanto chefe. Avaliar seu comportamento de chefia: seria ajudante ou dono do grupo? </li></ul>
  18. 18. Papel da cultura: 3. Atitudes em relação aos Chefes: Max Weber assinalou a TRADIÇÃO é um dos fundamentos mais importantes da autoridade. A maneira como os dirigidos avaliam a si próprios, em relação aos dirigentes, pode favorecer a participação ou o autoritarismo. Aprendemos a ser participativos ou autoritários! Nossa origem em muito determina nossa forma de conduzir nossos atos em relação aos outros. A participação, o espírito de coletivismo devem ser ensinados, assim como a própria Democracia.
  19. 19. Implantação da administração participativa <ul><li>A implantação da Administração participativa envolve mudança em três aspectos da organização: comportamento, estrutura e visão sistêmica. </li></ul><ul><li>Comportamento : Mudar o comportamento diante das pessoas, substituindo estilos tradicionais de autoritarismo, imposição, indiferença, paternalismo, por atitudes de cooperação, liderança, autonomia e responsabilidade. </li></ul><ul><li>Estrutura : Redesenhar as estruturas administrativas. Cargos, grupos de trabalho e a estrutura como um todo são organizados de modo que a participação depende não apenas das atitudes e disposições favoráveis das pessoas, mas também e principalmente do SISTEMA de normas e procedimentos. </li></ul>
  20. 20. Implantação da administração participativa Visão sistêmica : A administração deve ser compartilhada em todos os sentidos, não apenas nas relações com os funcionários. São consultados: Clientes, fornecedores, distribuidores, assistência técnica. A organização procura ser um sistema participativo interno , do ponto de vista comportamental e estrutural, e também aberto para o ambiente externo , recebendo todas as informações que possam ajudar no aprimoramento da administração.
  1. Gostou de algum slide específico?

    Recortar slides é uma maneira fácil de colecionar informações para acessar mais tarde.

×