Desperdício, Crise Alimentar e Banco de Alimentos

489 views
293 views

Published on

Mesa redonda em comemoração ao Dia Mundial da Alimentação

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
489
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
11
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Desperdício, Crise Alimentar e Banco de Alimentos

  1. 1. DIA MUNDIAL DA ALIMENTAÇÃO Seminário Segurança Alimentar e Cidadania NEPA / UNICAMP Desperdício, Crise Alimentar e Banco de Alimentos Walter Belik Campinas , 2013
  2. 2. Situação da Segurança Alimentar Mundial
  3. 3. Situação da Segurança Alimentar
  4. 4. Situação da Segurança Alimentar
  5. 5. Correlação Positiva entre Pobreza e Subnutrição
  6. 6. Situação da Segurança Alimentar A relação entre desnutrição infantil crônica (Estatura/Idade) e adequação energética é fraca Uma alimentação pobre baseada unicamente em cereais, tubérculos e raízes pode levar a desnutrição infantil crônica
  7. 7. Preços Agrícolas
  8. 8. Causas do Aumento de Preços Oferta • Frustração de safras • Baixo crescimento da oferta • Baixo nível dos estoques mundiais Demanda • Maior demanda por alimentos • Maior demanda por biomassas energéticas • Barreiras Comerciais Volatilidade nos Preços Pressões no Mercado Financeiro
  9. 9. Projeções para 2050 Fonte: FAO e BBC •A produção de alimentos terá que crescer 60% até 2050; •O incremento nos rendimentos agrícolas de arroz, trigo,soja e milho serão insuficientes para alimentar o mundo em 2050; •O consumo de carnes deverá subir d e 32 para 52 kg/capita/ ano; •Disputa alimentos vs. matérias-primas energéticas (demanda por energia deve aumentar 100% até 2050); •A mudança climática traz novos desafios para a produção; •Escassez de terras (preços em disparada) e água (+ 100%) (atualmente 36% da população mundial está em áreas sem disponibilidade de agua))
  10. 10. Projeções para 2050 Vamos aumentar a produção! • Difusão de novas tecnologias (biotecnologias, OGM, nanotecnologias etc); • Investimento em tecnologia e educação; • Intensificação do uso da terra; • Novas áreas com potencial para a agropecuária;
  11. 11. Projeções para 2050 Fonte: FAO e BBC Considerando a parte comestível da produção de alimentos para fins alimentares e energéticos de 6 bilhões de toneladas
  12. 12. Projeções para 2050 Vamos reduzir as perdas e o desperdício! • Considerando que as perdas e o desperdício representam 30% sobre tudo que é produzido para consumo humano, uma redução de 50% no desperdício resolveria 25% do problema de oferta para 2050; • A agricultura é responsável por 12-14% das emissões de gases estufa, podendo chegar a 30% se considerarmos a toda a cadeia do agronegócio e a conversão de novas áreas para a produção; O desperdício corresponde ao que é produzido de gases nos EUA atualmente. • O consumo de água limpa anual para produzir o que é desperdiçado representaria 230 km3 ou o equivalente a toda a água que corre anualmente pelo do Rio Volga • A área necessária para a produção do que é perdido ou desperdiçado representa 1,4 bilhão de ha ou 30% das áreas agricultáveis; • O custo direto anual das P&D (excluindo a pesca) é de US$ 750 bilhões (aprox. 1/3 do PIB brasileiro)
  13. 13. Definições Perda de massa ou valor nutricional em produtos originalmente destinados ao consumo humano. Ocorrem na fase inicial da produção (no campo), no transporte ou estocagem. Deve-se a problemas no processo produtivo ou a eventuais variações de preços Alimento apropriado pelo consumo humano que é descartado. Ocorre na fase de comercialização, restauração ou no consumo doméstico. Deve-se a problemas de planejamento ou previsão de vendas (data de validade) ou mesmo a falta de consciência do consumidor
  14. 14. Questões Metodológicas • Perdas “normais” vs “anormais”; • Ano da coleta de dados (2009) • Cálculos em peso transformado em energia; • Conversão de perda de qualidade ou preço em peso; • Parte Comestível; Problemas: – – – – – Comparação de diferentes sistemas produtivos Diferentes Culturas Alimentares Referências para estudos de caso Literatura antiga Descarte baseado no peso
  15. 15. P&D em Frutas e Vegetais no Mundo Perdas em Frutas e Vegetais 60% 50% 40% 30% Consumo Distribuição 20% Processamento 10% Pósclheita 0% Fonte: Save Food Latin America South & Southeast Asia North Africa, West & Central Asia Subsahara Africa Industrialized Asia North America & Oceania Europe -10% Agricultura
  16. 16. P&D por Região e por Atividade América Latina e Caribe Sul e Sudeste da Ásia Norte e Centro da África e Europa Central Africa Subsaariana Japão, Coréia e China América do Norte e Oceania Europa (incl. Rússia) 0% Agricultura 10% Póscolheita 20% 30% 40% Processamento Fonte: Save Food 50% 60% Comercialização 70% Consumo 80% 90% 100%
  17. 17. P&D por Atividade no Mundo Distribuição das P&D parte comestível no mundo 22% 32% 12% Agricultura Póscolheita Processamento Comercialização Consumo 11% 23% Fonte: Save Food
  18. 18. P&D por atividade e Região (em milhões de toneladas ano) 450 400 América Latina e Caribe 350 Sul e Sudeste da Ásia 300 Norte e Centro da África e Europa Central 250 200 Africa Subsaariana 150 Japão, Coréia e China 100 50 América do Norte e Oceania 0 Europa (incl. Rússia) Fonte: Save Food
  19. 19. P&D por atividade e Região (em porcentagem) 40 35 7 30 25 % 20 14 15 15 28 10 5 7 12 9 0 Produção 2 2 Transporte e Processamento Armazenagem Desenvolvidos 5 Distribuição Em desenvolvimento Consumidor
  20. 20. P&D na ALC (em milhões de toneladas ano) Produção* e Perdas na América Latina e Caribe (2009) 800 700 600 500 400 711 300 200 373 100 126 0 Produção Bruta P&D Parte comestível * Cereais, grãos, leguminosas, oleaginosas, raízes e tubérculos, frutas e vegetais, carnes, peixe , ovos Fonte: Save Food e leite
  21. 21. Produção e Consumo de Alimentos Alimento Consumido P&D Partes com potencial para serem consumidas por humanos mas não são consumidas Partes não consumidas Partes não comestíveis Partes não comestíveis Partes e Frações não consumidas por humanos Fonte: SIK
  22. 22. Como Diminuir as P&D? Prevenção Doações Alimentação Animal Matéria Prima Industrial Bio Fermentação Compostagem Incineração Aterro
  23. 23. Conclusões • Considerando-se os valores médios e as falhas metodológicas das pesquisas as P&D não são tão elevadas no Brasil; • A coleta de alimentos desperdiçados representa a melhor alternativa no Curto Prazo e é aquela que não interfere no sistema econômico. • Como os bancos de alimentos no Brasil não atuam na parte de processados a disponibilidade de coleta é ainda menor; • Assistência Técnica Rural, Tecnologia de Alimentos e Educação Alimentar ao Consumidor permitem reduzir as perdas e melhorar o aproveitamento do alimento que antes era desperdiçado. • Combater o desperdício é aumentar a disponibilidade de alimento reduzindo a pressão sobre os recursos naturais e a emissão de gases que provocam o efeito estufa;
  24. 24. Obrigado

×