Media Training

831 views

Published on

O Media Training ou treinamento de mídia capacita as pessoas para o relacionamento com a imprensa. Apresentação elaborada pelas jornalistas da Raquel do Carmo Santos e Maria Alice da Cruz.

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
831
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
77
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Media Training

  1. 1. CORRA QUE A IMPRENSA VEM AÍ
  2. 2. ABAIXO O NADA A DECLARARMedia Training ouTreinamento de MídiaO QUE É√ Treinamento específico paraorientar pessoas no atendimento àimprensa.√ É composto de aulas teóricas epráticas√ Aprende a lidar com repórteres,microfones e câmeras
  3. 3. VANTAGENS√ Importância da imprensa para os negócios√ Você representa a empresa. Tudo o que disser podeser vinculado à empresa. É difícil a distinção do que éopinião da pessoa e da empresa√ Falar com o jornalista na linguagem jornalística e,consequentemente o público entenderá√ Trabalha a objetividade, clareza e precisão
  4. 4. VANTAGENS√ Transmite segurança no que fala e isto se traduzem credibilidade√ No momento de uma crise na empresa,o controle da situação fica mais fácil
  5. 5. CRÍTICAS√ Meio para ensinar o porta-voz a não dar ao jornalistaa informação que realmente interessa veicular√ Mecanização da entrevistaOBS: - Bons repórteres sabem como arrancar informaçõesimportantes e sigilosas. Estes não precisam de artimanhas,nem utilizam os passos em falso de um porta-voz.Eles cativam suas fontes com credibilidade e confiançae investigam a informação.
  6. 6. ENTENDENDO O FUNCIONAMENTO DA IMPRENSAVEÍCULOS DE COMUNICAÇÃO√ Jornal/Revista – Em geral, possibilita textos maisaprofundados. A leitura pode ser mais demorada.O que está escrito não dá pra mudar.√ Rádio – Público extremamente variado. Asinformaçõessão passadas rapidamente. Ligação direta com o ouvinte√ Televisão – Imagem fala mais do que palavra.Exige domínio do assunto. Em geral, é o que causa maisnervosismo pela audiência expressiva. Veículo de massainstantâneo.√ Internet – Tudo muito novo. Linguagem ainda emconstrução. Pouca informação.
  7. 7. ENTENDENDO O FUNCIONAMENTO DA IMPRENSAVEÍCULOS DE COMUNICAÇÃOObservação:Diferentes tipos de abordagem elinguagens também diferentes
  8. 8. QUEM SÃO OS JORNALISTAS√ Exercem uma função de caráter público e coletivo√ Vivem numa dimensão coletiva, ampla e universal√ Tempo limitado gera pressão sobre as fontes√ Não são os donos dos jornais√ Não são especialistas em tudo√ Respeitam hierarquia√ Repórteres não decidem o espaço, a manchete e nema veiculação ou não da reportagem
  9. 9. FUNÇÕES DOS JORNALISTAS√ Produtor/ Rádio-escuta√ Pauteiro/ Chefe de Reportagem√ Repórter fotográfico/ cinegrafista√ Colunista√ Editor/ sub-editor√ Editor-chefe
  10. 10. O QUE É NOTÍCIA√ “Relato de fatos ou acontecimentos atuais, de interesse eimportância para a comunidade, e capaz de sercompreendido pelo público” (Dicionário de Comunicação,de Carlos Alberto Rabaça e Gustavo Bastos).√ Quem decide se um assunto é notícia ou não é ojornalista do veículo de comunicação.√ Obedecer os critérios:Ser novidade. A preferência são temas inéditos, atuais.Pode ser um novo enfoque ou atualização de um fatotambém.
  11. 11. O QUE É NOTÍCIASer de interesse do público. Grau de impacto que poderácausar na sociedade. Critério subjetivo. Em geral, o queacontece próximo a um determinado público tem maisinteresse. O público-alvo sempre será o objeto a quemquer direcionar.OBS: Chamar a atenção do jornalista para assuntosdesinteressantes pode gerar um desgaste da fonte e, emlongo prazo, no descrédito da instituição. Mais importanteque a quantidade de notícias veiculadas é o impacto queela pode causar.
  12. 12. COMO NASCE UMA FONTEHá teses variadas. Uma fonte pode nascer porconveniência de ambas as partes. Como parte da evoluçãode um relacionamento. Alguém se torna fonte quando éenvolvido pela credibilidade e passa a figurar na mente dojornalista, como parte de uma parcela confiável e bem-intencionada da sociedade. Os jornalistas trabalham muitocom fontes circunstanciais: porteiros, secretárias,funcionários do terceiro escala. São pessoasdesconhecidas, que reinam na invisibilidade e fazem partede um exército vigoroso de informantes.
  13. 13. COMO NASCE UMA FONTEE há também as fontes ligadas a sindicatos e outros quecolhem informações sigilosas. Jornalistas experientesreconhecem fontes qualificadas. O jornalista valoriza muitoquem critica. A fonte verdadeira é aquela que forneceinformações capaz de resistir às mais rigorosas checagens.(Francisco Viana)
  14. 14. ENTREVISTA PODE SER:√ Individual√ ColetivaOBS: Tanto a individual como a coletiva pode serespontânea ou provocada
  15. 15. ANTES DA ENTREVISTA / PREPARE-SE√ Nunca deixe de atender ao jornalista. Encare como umaoportunidade, embora tenha o direito de não querer falar.Dica: Analise com o assessor de imprensa a repercussãoque a informação poderá causar.√ Informe-se sobre o repórter, o veículo, o programa, oformato da entrevista e o público/ leitor.
  16. 16. ANTES DA ENTREVISTA / PREPARE-SE√ Se o entrevistado se preparar para a entrevista diminuiráas chances de erro. Faça um pequeno ensaio com oassessor de imprensa, pensando nas possíveis perguntas erespostas adequadas.√ Prepare material de apoio: artigos, resumos, fôlderes,etc. No caso de TV pense em imagens que podem ilustrara matéria e para jornais e revistas, nas possíveis fotos,inclusive deixe pessoal preparado se for o caso.
  17. 17. DURANTE A ENTREVISTA√ Não exija do repórter conhecimento prévio. É natural queprecise responder perguntas que lhe pareçam óbvio. Empoucas palavras dê um panorama sobre o assunto.√ Sintetize a mensagem que deseja transmitir, pois éimpossível abordar todos os pontos de um assunto em umveículo de comunicação de massa pelo espaço físico e detempo que dispõe.
  18. 18. DURANTE A ENTREVISTA√ Cumpra os horários combinados. Não deixe o repórteresperando, pois isto pode gerar ansiedade e prejudicar asua exposição do assunto.√ Coloque o jornalista à vontade. Ele não é seu adversário,pelo contrário, você é uma fonte a ser conquistada. Oobjetivo do jornalista é fazer uma boa reportagem e ver suacapacidade reconhecida.√ Evite divagações ou informações desnecessárias. Quantomelhor a transmissão da mensagem, mais chances de quea reportagem seja veiculada com exatidão.
  19. 19. DURANTE A ENTREVISTA√ Evite termos técnicos, mas se não tiver outra escolha,explique e dê o nome popular. Use um vocabulário que sejaentendido pela maioria das pessoas.√ Evite palavras estrangeiras ou pouco usuais. Use frasescurtas e simples.√ Procure relacionar seu trabalho com a realidade daspessoas que podem dele se beneficiar, agora ou no futuro.
  20. 20. DURANTE A ENTREVISTA√ Se não sabe a resposta a uma pergunta, seja honesto.√ Não crie falsas expectativas, pois podem gerarsensacionalismo e induzir erros. Explique o impacto, aslimitações e as consequências negativas de sua utilização,caso haja.√ Coloque-se à disposição para que o jornalista possa tiraralguma dúvida posteriormente e a qualquer momento.
  21. 21. APÓS A ENTREVISTA√ Analise os resultados da entrevista.√ Se esqueceu algo importante retorne o contato com ojornalista.√ Não espere que o jornalista redija o texto exatamentecomo você planejou√ Verifique como a notícia foi veiculada e, caso tenhaocorrido erros, avalie se a situação requer uma errata.Jornalistas não gostam de confessar que erraram.
  22. 22. CASES
  23. 23. OBRIGADARaquel do Carmo Santoskel@unicamp.brMaria Alice da Cruzhalice@unicamp.br

×