Cco aula14 custos

5,127 views

Published on

Published in: Education, Technology
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
5,127
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
186
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Cco aula14 custos

  1. 1. Anotações do Aluno uvb Aula Nº 14 – Relações Custo- Volume-Lucro Objetivos da aula: Nesta aula, estudaremos as relações existentes entre custo, volume de produção e vendas e lucro. Você encontrará mais uma importante aplicação do conceito de Margem de Contribuição. Essas relações seriam estáveis, se as empresas trabalhassem somente com custos variáveis, pois, assim, a cada ponto percentual de aumento na quantidade, corresponderia um ponto percentual de aumento no lucro. No entanto, as empresas trabalham com custos fixos e esta é a alavanca do lucro. Quanto mais diluídos forem os custos fixos, maior será o aumento percentual de lucro. Tenha uma ótima aula! Introdução O lucro é o fator mais importante para as empresas, e a utilização dos Aula 14 - Relações Custo-Volume-Lucro custos é fundamental para fins de tomada de decisão e gestão estratégica empresarial. Nesta aula, serão apresentados conceitos imprescindíveis, tais como a margem de contribuição. 1. Conceito de Margem de Contribuição Custo Contábil Representa o lucro variável. É a diferença entre o preço de venda unitário do produto e os custos e despesas variáveis por unidade do produto. Significa que, em cada unidade vendida, a empresa lucrará determinado valor. Multiplicado pelo total vendido, teremos a contribuição marginal total do produto para a empresa. Faculdade On-Line UVB 106
  2. 2. Anotações do Aluno uvb 1.1. Vantagens do custeio variável: Margem de contribuição é a margem bruta obtida pela venda de um produto e excedente de seus custos variáveis unitários. Em outras palavras, a margem de contribuição é o mesmo que o lucro variável unitário, ou seja, o preço de venda unitário do produto deduzido dos custos e despesas variáveis necessários para produzi-lo e vendê-lo. Vejamos o seguinte exemplo: Custos e Despesas Variáveis  Matéria-prima: 200 unidades x $ 2,30 por unidade  460,00  Materiais auxiliares: 0,10 unidades a $ 360,00 por unidade  36,00  Mão-de-Obra Direta: 4 horas a $ 50,00 por hora  200,00  Comissões: 12% s/ $1.700,00 (p.venda unitário)  204,00  Total Custo Variável  900,00 PRODUTO A Preço de Venda Unitário do Produto A $ 1.700 100,00% Custo Variável Unitário $ 900 52,94% Margem de Contribuição Unitária $ 800 47,06% Isso significa que, a cada unidade do “Produto A” vendida pela empresa, esta Aula 14 - Relações Custo-Volume-Lucro tem um lucro unitário de $ 800. É a contribuição unitária que o “Produto A” dá para a empresa, a fim de cobrir todos os custos e despesas fixas (custos de capacidade) e, também, propiciar a margem de lucratividade desejada. 2. Ponto de Equilíbrio Custo Contábil Evidencia, em termos quantitativos, qual é o volume que a empresa precisa produzir ou vender, para que consiga pagar todos os custos e despesas fixas, além dos custos e despesas variáveis que ela tem necessariamente que incorrer para fabricar/vender o produto. Faculdade On-Line UVB 107
  3. 3. Anotações do Aluno uvb No ponto de equilíbrio, não há lucro ou prejuízo. A partir de volumes adicionais de produção ou venda, a empresa passa a ter lucros. A informação do ponto de equilíbrio da empresa, tanto do total global, como por produto individual, é importante porque identifica o nível mínimo de atividade em que a empresa ou cada divisão deve operar. 2.1. Quantidade no Ponto de Equilíbrio Contábil, Econômico e Financeiro Ponto de Equilíbrio Contábil = Custos e Despesas Fixas Margem de Contribuição Unitária Ponto de Equilíbrio = Custos e Despesas Fixas + Lucro Desejado Econômico Margem de Contribuição Unitária (sem amortização de dívidas) Ponto de Equilíbrio = Custos e Despesas Fixas + Depreciação Financeiro Margem de Contribuição Unitária (com amortização de dívidas) Ponto de Equilíbrio = Custos e Desp. Fixas + Deprec. + Amortização Financeiro Margem de Contribuição Unitária Para obter a receita no Ponto de Equilíbrio, basta multiplicar a quantidade Aula 14 - Relações Custo-Volume-Lucro pelo preço de venda. 3. Margem de Contribuição e Volume de Produção/ Vendas Custo Contábil Partindo do pressuposto de que a venda de cada unidade de produto propicia uma contribuição unitária para cobrir os custos e despesas fixas e possibilitar valores de lucro, podemos fazer uma simulação de como seria o lucro líquido em algumas situações de quantidade vendida: Faculdade On-Line UVB 108
  4. 4. Anotações do Aluno uvb QUANTIDADE VENDIDA Unidade 1 2 700 701 Venda = 1.700,00 1.700 3.400 1.190.000 1.191.700 Custos Variáveis = 900,00 900 1.800 630.000 630.900 Contribuição Marginal = 800,00 800 1.600 560.000 560.000 Custos Fixos 560.000 560.000 560.000 560.000 Resultado Líquido (559.200) (558.400) - 0 - 800 Quando vendemos 700 unidades, a empresa tem um resultado líquido igual a zero. Denominamos essa situação de estrutura de equilíbrio, ou ponto de equilíbrio das vendas. 4. Estrutura de Custos Denominamos estrutura de custos a proporção relativa entre o total de custos fixos e variáveis dentro da empresa. Cada empresa tem uma estrutura de custos e, portanto, tem seu próprio ponto de equilíbrio em determinado momento. É possível que empresas que trabalham no mesmo setor com os mesmos produtos tenham estruturas de custos diferentes, provavelmente montadas em razão de processo diferente de produção, tendência de vendas de longo prazo e atitudes dos administradores diante do risco. Exemplo: Vejamos duas estruturas de custos diferentes: Aula 14 - Relações Custo-Volume-Lucro Empresa A % Empresa B % Vendas 1.700.000 100 1.700.000 100 Custos Variáveis 900.000 53 500.000 29 Margem de Contribuição 800.000 47 1.200.000 71 Custos e Despesas Fixas 560.000 960.000 Lucro Líquido Total 240.000 240.000 Custo Contábil Se as vendas forem 100 unidades a mais, temos o seguinte resultado líquido para cada empresa: Faculdade On-Line UVB 109
  5. 5. Anotações do Aluno uvb Empresa A % Empresa B % Vendas 1.870.000 100 1.870.000 100 Custos Variáveis 990.000 53 550.000 29 Margem de Contribuição 880.000 47 1.320.000 71 Custos e Despesas Fixas 560.000 960.000 Lucro Líquido Total 320.000 360.000 Assim, a Empresa A tende a ter flutuações menores em seus lucros, porque possui uma contribuição marginal mais baixa do que a Empresa B, que tem uma margem de contribuição percentual mais alta, mas também possui custos fixos em maior volume. A Empresa A tem estrutura mais conservadora, enquanto a Empresa B tem estrutura de custos com maior risco operacional. 5. Alavancagem Operacional Significa a possibilidade de acréscimo do lucro total pelo incremento da quantidade produzida e vendida, buscando a maximização do uso dos custos e despesas fixas. É dependente da margem de contribuição, ou seja, do impacto dos custos e despesas variáveis sobre o preço de venda unitário, e dos valores dos custos e despesas fixas. Alguns produtos têm alavancagem maior que outros, em virtude dessas variáveis. Aula 14 - Relações Custo-Volume-Lucro Alavancagem operacional é a medida do volume de quanto os custos fixos estão sendo usados dentro da organização. O termo alavancagem vem da possibilidade de levantar lucros líquidos em proporções maiores do que o normalmente esperado, por meio da alteração correta da proporção dos custos fixos na estrutura de custos da empresa. Custo Contábil O uso potencial dos custos operacionais serve para aumentar os efeitos das mudanças nas vendas sobre os lucros da empresa antes dos juros e impostos (LAJIR). O aumento nas vendas resulta em aumento mais que proporcional no LAJIR e vice-versa. Faculdade On-Line UVB 110
  6. 6. Anotações do Aluno uvb Exemplo: Dados p = $10; v = $5; F = $2.500. Calcular LAJIR para aumento nas vendas de 50% e redução de 50%. Caso 1 Atual Caso 2 - 50% + 50% Vendas (unidades) 500 1.000 1.500 Receita $ 5.000 $ 10.000 $ 15.000 Custos Variáveis ($ 2.500) ($ 5.000) ($ 7.500) Custos Fixos ($ 2.500) ($ 2.500) ($ 2.500) LAJIR 0 $ 2.500 $ 5.000 Fórmula do Grau Alavancagem Operacional GAO = Variação % do lucro Variação % da quantidade Variação % do Lucro = Lucro Adicional Lucro Atual Variação% da Quantidade = Quantidade Adicional Quantidade Atual Exercício: A seguinte previsão financeira é baseada nos registros da Cia. Corado: Aula 14 - Relações Custo-Volume-Lucro Vendas (1.000 unidades x $ 500,00) ........................................$ 500.000,00 (-) Custo dos produtos Vendidos: Material Direto .......................................$ 140.000,00 Mão-de-obra direta ................................$ 80.000,00 Custos indiretos variáveis ......................$ 40.000,00 Custos indiretos fixos ......................... $ 20.000,00 ($ 280.000,00) Custo Contábil (=) Lucro Bruto ............................... ...................................................$ 220.000,00 (-) Despesas administrativas e de vendas: Variáveis ..............................................$ 90.000,00 Fixas .....................................................$ 80.000,00 ($ 170.000,00) (=) Lucro Operacional ............................................................... $ 50.000,00 Faculdade On-Line UVB 111
  7. 7. Anotações do Aluno uvb Calcule: a)Ponto de Equilíbrio Contábil, em quantidade e valor, se as despesas fixas dobrarem. b)Ponto de Equilíbrio Financeiro, em quantidade e valor, sabendo que a depreciação representa 30% dos custos fixos. c)Ponto de Equilíbrio Econômico, sabendo que o lucro esperado pela empresa é de $ 75.000,00. d) Lucro Operacional, se as vendas diminuírem 30%. e)Grau de Alavancagem Operacional. f)Gráfico do Ponto de Equilíbrio, destacando: quantidade e receita no ponto de equilíbrio contábil e financeiro, Lucro Atual e Lucro Esperado. Síntese Nesta aula, vimos mais uma utilidade do conceito de Margem de Contribuição, por meio da qual conseguimos saber quanto a empresa deverá produzir e vender para manter-se em equilíbrio. Esse equilíbrio pode ser com lucro zero, com um certo lucro desejado pelo empresário ou com uma folga de caixa. Podemos, então, planejar o volume de produção e vendas para que a empresa possa produzir determinado volume de lucro ou para que consiga pagar seus custos, despesas e dívidas. Aula 14 - Relações Custo-Volume-Lucro Na próxima aula, estudaremos Decisões Utilizando a Margem de Contribuição. Não perca! Custo Contábil Faculdade On-Line UVB 112
  8. 8. Anotações do Aluno uvb Referências CREPALDI, Silvio Aparecido. Curso Básico de Contabilidade de Custos. São Paulo: Atlas, 2005. LEONE, George S. G. Curso de Contabilidade de Custos. São Paulo: Atlas, 1997. MARTINS, Eliseu. Contabilidade de Custos. 9. ed. São Paulo: Atlas, 2003. Aula 14 - Relações Custo-Volume-Lucro Custo Contábil Faculdade On-Line UVB 113

×