Aulas de Custos (Componentes de Custos)
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Aulas de Custos (Componentes de Custos)

on

  • 14,582 views

 

Statistics

Views

Total Views
14,582
Views on SlideShare
14,515
Embed Views
67

Actions

Likes
5
Downloads
430
Comments
0

1 Embed 67

http://www.slideshare.net 67

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Aulas de Custos (Componentes de Custos) Aulas de Custos (Componentes de Custos) Presentation Transcript

  • Capítulo Os custos e seus componentes Custos e Preços Adriano Leal Bruni [email_address]
  • Para saber mais ...
    • Todo o conteúdo dos slides pode ser visto nos meus livros de Custos e Preços , publicados pela Editora Atlas.
    • Para saber ainda mais, visite:
    • www.MinhasAulas.com.br
    • www.EditoraAtlas.com.br
  • Para aprender ainda mais ... CAPÍTULO 4 CAPÍTULO 2 a 4
  • Para conhecer meus livros e minhas aulas
  • Objetivos do capítulo
    • Distinguir os principais componentes contábeis dos custos
    • Entender os principais desafios envolvidos na gestão de cada um dos componentes
    • Compreender o mecanismo do rateio e suas soluções parciais
  • Recordar é viver …
    • Custos … muitos adjetivos
    • Contabilidade financeira
      • Registro
      • Custos x Despesas
    • Contabilidade gerencial
      • Decisão
      • Fixos x Variáveis
      • Decisões de curto prazo e ênfase nos variáveis
  • Componentes contábeis ...
    • Materiais diretos
    • Mão-de-obra direta
    • Custos indiretos de fabricação
    1 2 3 MD Materiais Diretos Matéria-Prima Embalagem MOD Mão-de-Obra Dir Mensurada e identificada de forma direta CIF Custos Indiretos Custos que não são MD nem MOD
  • Sub-capítulo Materiais Diretos Matéria prima e embalagem
  • Materiais diretos (MD)
    • Recursos consumidos de forma direta na elaboração do produto ou na prestação do serviço
    • Indústria
      • Matéria-prima
      • Embalagem
    • Comércio
      • Mercadorias
  • Um dos aspectos a considerar
    • Contabilização de Materiais Diretos
    Inventário contínuo Inventário periódico Pular para avaliação de materiais
  • Fluxo de estoques de MDs Estoque Inicial $$ Disponível $$$$$ Estoque Final $$ Compras $$$ + = Retiradas $$$ _ = Inventário contínuo Custo
  • Para fixar a aprendizagem …
    • Registros da Fábrica de Empadinhas da Vovó
    • Retiradas do estoque de farinha de trigo
    • Data Qtde Valor .
    • 01/06 40 $400,00
    • 02/06 30 $450,00
    • 05/06 20 $280,00
    Soma 90 $1.130,00 Custo
  • Consumo de MDs Estoque Inicial $$ Disponível $$$$$ Estoque Final $$ Compras $$$ + = Retiradas $$$ _ = Inventário periódico Custo
  • Em operações industriais … Materiais Diretos Produtos em Processo Produtos Acabados
  • Materiais diretos Estoque Inicial $$ Estoque Final $$ Compras $$$ + Retiradas MD $$$ - = Custo MDs
  • Importadora de Vinhos Chiquê
    • Estoque inicial:
    • 20 garrafas $1.000,00
    • Compras:
    • 10 garrafas $500,00
    • Estoque final:
    • 5 garrafas $250,00
    Disponibilidade 30 garrafas $1.500,00 Custo 25 garrafas $1.250,00
  • Produtos em processo = Retiradas MD $$$ + Retiradas Produtos em Processo $$$$ Custo Fabril MOD $$ CIF $$$ Estoque Inicial $ Estoque Final $$$$$ + + -
  • Produtos elaborados Estoque Inicial $ Estoque Final $$ - = + Retiradas Produtos Elaborados $$$ Retiradas Produtos em Processo $$$$ CPV
  • Outro aspecto …
    • Avaliação de Materiais Diretos
    Programação MOD
  • Financeira versus Gerencial …
    • Restaurante Sabores e Amores Ltda.
    • Vinhos Encorpaddo
    • Venda no mês de uma unidade por $45,00
    • Alíquota de IR igual a 20%
    • Recebeu informação do fornecedor: o produto custará $50,00
  • Os estoques … Mês de aquisição Quantidade Custo Unitário Janeiro 01 $20,00 Março 01 $30,00 Junho 01 $40,00
  • As diferentes visões …
    • Resultado
      • Um negócio deve dar lucro
    • Patrimônio
      • A riqueza dos proprietário precisa ser registrada e mensurada
    • Caixa
      • A parte mais sensível do negócio
      • $ no bolso
  • Formas de avaliar estoques e custos
    • PEPS – Primeiro a Entrar, Primeiro a Sair
    • UEPS – Último a Entrar, Primeiro a Sair
    • CM – Custo Médio
  • Os números da Sabores e Amores Receita (-) Custo (-) Despesas (=) Lucro operacional (-) Imposto de renda (=) Lucro líquido 45 (20) (0) 25 (5) 20 45 (40) (0) 5 (1) 4 45 (30) (0) 15 (3) 12 (+) Entrada (-) Saídas (=) Caixa gerado 45 (5) 40 45 (1) 44 45 (3) 42 Estoques 70 50 60 45 (50) (0) (5) - (5) 45 (50) (5) Próximo PEPS UEPS CM Contabilidade Financeira PrEPS Gerencial Resultado Patrimônio Caixa
  • Clique para pular Pular para MOD
  • Para fixar o aprendizado
    • A Mercantil Som Maior efetuou as seguintes compras do rádio Vitrola no primeiro semestre
    • Mês Qtde Val Un Subtotal
    • Jan 3 300,00 900,00
    • Fev 5 400,00 2.000,00
    • Mar 2 500,00 1.000,00
    • Soma 10 3.900,00
    • Sabendo que em junho foram vendidas 6 unidades a $600,00 cada, calcule o resultado empregando os critérios PEPS, UEPS e Custo Médio.
  • Para fixar o aprendizado
    • Mês Qtde Val Un Subtotal
    • Jan 3 300,00 900,00
    • Fev 5 400,00 2.000,00
    • Mar 2 500,00 1.000,00
    • Soma 10 3.900,00
    PEPS UEPS Custo Médio Receita 3.600,00 3.600,00 3.600,00 (-) Custo (=) Res (2.100,00) 1.500,00 (2.600,00) 1.000,00 (2.340,00) 1.260,00 Mês Qtde Val Un Subtotal Jan 3 300,00 900,00 Fev 3 400,00 1.200,00 Soma 6 2.100,00 PEPS Mês Qtde Val Un Subtotal Mar 2 500,00 1.000,00 Fev 4 400,00 1.600,00 Soma 6 2.600,00 UEPS Mês Qtde Val Un Subtotal Soma 6 390,00 2.340,00 CM
  • Um dos aspectos a considerar
    • Programação de Materiais Diretos
  • Uma perda compensatória … Estocar mais … Ressuprir mais …
  • Uma perda compensatória … Estocar Pedir versus
  • E dente de serra … Perfil de demanda ou dente de serra Estoque médio? Número de pedidos? N = Demanda/Quantidade = D/Q Tempo Quantidade Q Q/2
  • O exemplo do ...
    • Consumo de água mineral
  • Um exemplo didático
    • Consumo de água em uma sala de aula
      • Uma garrafa por dia
      • 30 garrafas por mês
    Ressuprimentos Periódicos Mesma Quantidade por Pedido Q = 30 garrafas / pedido
  • No exemplo da água … Estoque médio? Número de pedidos? N = Demanda/Quantidade = D/Q = 30/30 = 1 pedido Q/2 = 30 ÷ 2 = 15 garrafas Q = 30 Tempo Quantidade Q
  • Reduzindo a água comprada … Estoque médio? Número de pedidos? N = Demanda/Quantidade = D/Q = 30/15 = 2 pedidos Q/2 = 15 ÷ 2 = 7,5 garrafas Q = 15 Tempo Quantidade Q
  • Custos a considerar … Estocagem Pedidos e
  • Custos a considerar … Estocagem Custo de Depende do estoque médio
  • Componentes dos custos de estocagem
    • Gastos explícitos
      • Depreciação dos materiais armazenados
      • Energia
      • Seguros
      • Operação
    • Gastos implícitos
      • Custos de oportunidade
      • Juros não recebidos
  • Custo total de estocagem
    • Será função de:
      • Estoque médio
      • Custo unitário de estocagem
    CTe = Ce . Q/2 Custo unitário de estocagem Estoque médio Quantidade por pedido Q Q/2 Ce Custo total de estocagem
  • Custo total de estocagem Aumenta à medida que aumenta a quantidade comprada por pedido CTe = Ce . Q/2 (Q) CTe ($)
  • Concluindo … Quanto menor a quantidade do pedido, menor o custo total de estocagem
  • Custos a considerar … Pedidos Custo de Depende do número de pedidos
  • Componentes dos custos de pedidos
    • Gastos explícitos
      • Fretes
      • Gastos administrativos com o pagamento
      • Procesos operacionais envolvidos com a solitação
      • Não envolve o pagamento dos materiais comprados
  • Custo total de pedido
    • Será função de:
      • Número de pedidos
      • Custo unitário de pedido
    CTp = Cp . D/Q Custo unitário de pedido Número de pedidos Quantidade por pedido Q D/Q Cp Custo total de pedido Demanda D
  • Custos de pedidos Diminui à medida que aumenta a quantidade comprada por pedido CTp = Cp . D/Q (Q) CTP ($)
  • Concluindo … Quanto maior a quantidade do pedido, menor o custo total de pedidos
  • Custos da gestão de materiais Ponto de mínimo custo CTp CTe CT LEC LEC Lote Econômico de Compra (Q) CT ($) Estocagem Pedidos +
  • Lote Econômico de Compra
    • Quantidade comprada por pedido que torna o custo da gestão de materiais diretos mínimo
  • Analisando matematicamente CT = Ce . Q/2 + Cp . D/Q Custo Total da Gestão de Materiais = Função polinomial Derivada igual a zero Para obter o ponto de mínimo valor Estocagem Pedidos +
  • Aplicando a matemática CT = Ce . Q/2 + Cp . D/Q CT = Ce/2 . Q 1 + Cp.D . Q -1 0 = (1).Ce/2 . Q 1-1 + (-1). Cp.D . Q -1-1 Colocando Q em evidência … Derivando e igualando a zero … Tchan … tchan ... tchan …
  • Lote Econômico de Compra Valor da quantidade comprada por pedido que torna mínimo os custos totais de gestão de materiais diretos
  • O mundo real e suas …
    • Imperfeições!!!
    Demanda não constante … Atrasos do fornecedor …
  • Um problema de Manaus … Sem chuva … Caminhão não embarca! Sérios atrasos na entrega!
  • Ajustando ao mundo real Demanda pode apresentar instabilidade ou entrega atrasar Estoque de segurança Fornecedor entrega com prazo não nulo Ponto de pedido Prazo Tempo Quantidade Q
  • Gráfico finalizado Estoque de segurança Ponto de pedido Prazo Tempo Quantidade Q
  • Sub-capítulo Mão-de-obra Direta
  • A importância da MO
  • Conceito de mão-de-obra direta
    • Trabalho empregado de forma direta no produto ou serviço
      • Salários
      • Encargos
      • Benefícios
    Mensuração objetiva
  • O efeitos dos encargos sociais ...
    • Ao analisar os gastos com mão-de-obra, é preciso lembrar dos encargos e benefícios ...
    É verdade!
  • Mão de Obra e Gastos
    • “ Diz-se que, no Brasil, o trabalhador ganha muito pouco e custa muito caro”
    • Efeito dos encargos e benefícios sobre as folhas de pagamento
  • Exemplo horista … “no osso”!
    • Semana não inglesa
      • com trabalho em seis dias
      • sem compensação dos sábados
    • 44 horas semanais
      • Jornada diária igual a 44/6 = 7,3333 horas/dia
    • Remuneração …
    • $100,00/hora
  • Quantos dias em um ano?
    • Número de dias por ano
    • 365
    • (-) Repousos semanais remunerados
    • -48
    • (-) Férias
    • -30
    • (-) Feriados (em média)
    • -12
    • (=) Número máximo de dias à disposição
    • 275
    Horas no ano = 275 x 7,3333 = 2.016
  • Compondo os valores anuais Variação: quase 50%
  • Mais uns percentuaiszinhos … Soma % 41,5%
  • Síntese Salário base: $100,00 Variação: 108,39%
  • Considerando salário mensal Variação: 69%
  • E no mundo …
    • Real?
  • http://www.abemi.org.br/
  • Encargos na prática
  • Acréscimo de 138,59%
  • Para mensalistas ...
  • Acréscimo igual a 84,78%
  • Mão-de-obra direta Fixos ou Variáveis?
  • Fixo, variável ou ambos?
    • O gasto total com mão-de-obra é fixo. Porém, a parcela alocada aos produtos (mão-de-obra direta) é variável.
    $800,00 ÷ 160 = $5,00 por hora Salários + Encargos Descrição Horas $ Custo total (F) 160 800,00 Bolo limão (V) 40 200,00 Bolo laranja (V) 100 500,00 Ociosidade (V) 20 100,00
  • Tabela final Descrição Horas $ Custo total (F) 160 800,00 Bolo limão (V) 40 200,00 Bolo laranja (V) 100 500,00 Ociosidade (V) 20 100,00
  • Pense direitinho … Salários Mensais ou Mão-de-obra Total FIXO! Mão-de-obra de produto específico VARIÁVEL!
  • Sub-capítulo Custos Indiretos de Fabricação
  • Característica principal …
    • Sem mensuração objetiva
  • Um balaio de gatos ...
    • Depreciação industrial
    • Salários de supervisores
    • Aluguéis de fábricas
    • Energia mensurada para a fábrica em geral
    • Valores não apontados
  • Custos indiretos
    • A sua identificação aos produtos ou serviços motivam a existência da Contabilidade de Custos
    Se liga, ô ...
  • Sim ... e daí?!? Eu sou a mosca que pousou na sua sopa ... eu sou os gastos indiretos !!!
  • A relevância dos indiretos ...
    • Com o aumento da automatização dos processos e da diversidade de produtos ou serviços, sua complexidade se eleva
  • Dividindo os indiretos ...
    • Segundo o Custeio por Absorção é preciso alocar todos os custos aos produtos
      • Inclusive os indiretos
    • Rateio: divisão dos gastos indiretos e alocação aos produtos ou serviços
  • Entendendo a …
    • Base de rateio
    Critério externo para efetuar a divisão ou aplicar a regra de três Exemplo comum: MOD Quanto mais trabalhoso um produto é, maior o consumo de CIFs
  • Exemplo de rateio Considerando $500,00 = 100% Aplicando uma regra de três Dois produtos: Alfa Gama Produto Alfa Gama Soma MD $ 250,00 450,00 700,00 MOD % 60% 40% 100% CIF $ 420,00 280,00 700,00 Custos indiretos: $700,00 MOD $ 300,00 200,00 500,00 Custo $ 970,00 930,00 1.900,00
  • Porém é possível usar …
    • Diferentes bases de rateio
    • Lei estabelece o custeio por absorção, que exige o rateio
    • Porém, não diz como fazer o rateio!
  • Possíveis bases de rateio
    • Mão-de-obra direta
    • Custos diretos ou primários
    • Quantidades produzidas
    • Homens hora
    • Horas máquina
  • Custos indiretos ... e fixos?
    • Cuidado!
    • Boa parte dos custos indiretos são geralmente fixos
    • O rateio apenas aloca-os aos produtos
      • Critérios questionáveis
    aprendizado tempo
  • Para refletir um pouquinho …
    • Amenizando os problemas das divisões de custos indiretos …
    • Centros de custos
    • Custeio por atividades
  • Um controle particularizado …
    • Centros de custos
      • Unidades de registros de informações de receitas e gastos
      • Centros de resultados
      • Departamentos
  • Custeio por departamentos
    • Custos são alocados em departamentos ou centros de custos
    • Posteriormente são transferidos aos produtos ou serviços
  • Dos departamentos aos produtos
    • É preciso transferir gradualmente os custos dos departamentos aos produtos
    Departamentos Produtos Serviços Custos
  • Dos departamentos aos produtos Planejamento e Controle da Produção Produto A Produto B Manutenção Produção Custos
  • Centros de custos
    • Dois aspectos a considerar
      • Existência de um responsável
      • Maior facilidade na associação de gastos indiretos
  • Existência de um responsável Os gastos com refeições aumentaram!!! Quem foi o irresponsável??? Chefe de Serviços Gerais e Administrativos ELE!!!
  • Associação de gastos indiretos Rateio A B Sem Centros de Custos Aluguel Manutenção CIFs
  • Melhor associação Rateio A B Aluguel Manutenção CIFs Rateio Com Centros de Custos Melhoria nos critérios de alocação de gastos indiretos!!
  • Rateando Sonhe Bem … Outras informações importantes … CIFs Aluguel ($300,00) Depreciação ($200,00) Outros ($100,00) Função da área utilizada Função do imobilizado Rateados em função das Un
  • Departamentalizando os gastos Aluguéis $300,00 … Aluguel Soneca Cochilo Descanso Total Área 200 300 500 1000 Percentual 20% 30% 50% 100%
  • Departamentalizando os gastos Depreciação $200,00 … Os outros no valor de $100,00 podem ser rateados com base na MOD Depreciação   Soneca Cochilo Descanso Total Imobilizado 700 800 500 2000 Percentual 35% 40% 25% 100%
  • Juntando as informações Rateando o aluguel no valor de $300,00 Rateando a depreciação no valor de $200,00 Rateando outros no valor de $100,00 Refinamos as informações sobre custos …
  • Informações agrupadas
  • Uma perda compensatória …
    • Benefício decorrente da informação sobre custos
    • versus
    • Gasto incorrido para a obtenção da informação
  • Purificando a informação ... Custeio Baseado em Atividades
  • Uma constatação … Atividades consomem recursos da empresa …
  • Melhores divisões ...
    • Usarei as atividades como direcionadoras dos custos !!!
  • Custeio por atividades
    • Em ambientes competitivos, com múltiplos produtos e serviços, os sistemas tradicionais de custeio podem falhar
      • Rateios ineficientes
      • Bases volumétricas
  • Direcionadoras de custos
    • Atividades podem ser empregadas como direcionadoras de custos
    • Levantar atividades
    • Recursos consumidos para a prestação das atividades
    • Elaborar custeio
    Ele explica !!!
  • Um caso didático
    • Atacadão
    • versus
    • Varejinho
  • Números principais Descrição Atacadão Varejinho Soma Custos diretos 18.000,00 32.000,00 50.000,00 Custos indiretos 140.000,00
  • Volumes transportados Unidades transportadas Atac Varej Soma Q 640 160 800 % 80% 20% 100%
  • Rateio volumétrico Descrição Atacadão Varejinho Soma Custos diretos 18.000,00 32.000,00 50.000,00 Unid transp (A) 640 160 800 Unid transp % 80% 20% 100% Custos indiretos 112.000,00 28.000,00 140.000,00 Soma dos custos (B) 130.000,00 60.000,00 190.000,00 Custo unitário (B/A) 203,13 375,00
  • Rateio volumétrico Descrição Atacadão Varejinho Soma Custos diretos 18.000,00 32.000,00 50.000,00 Unid transp (A) 640 160 800 Unid transp % 80% 20% 100% Custos indiretos 112.000,00 28.000,00 140.000,00 Soma dos custos (B) 130.000,00 60.000,00 190.000,00 Custo unitário (B/A) 203,13 375,00
  • Diferenças básicas
    • Atacadão: maiores volumes
      • Varejinho: 1 unidade por entrega
      • Atacadão: 16 unidades por entrega
    • Custos indiretos das operações decorrem do número de atividades de entrega
    • E não do volume transportado!
  • Entregas … Entregas realizadas Atacadão Varejinho Soma Q 40 160 200 % 20% 80% 100%
  • Análise das atividades Custo unitário (rateio tradicional) 203,13 375,00 Descrição Atacadão Varejinho Soma Custos diretos 18.000,00 32.000,00 50.000,00 Entregas realizadas 40 160 200 Entregas realizadas % 20% 80% 100% Custos indiretos 28.000,00 112.000,00 140.000,00 Soma dos custos 46.000,00 144.000,00 190.000,00 Unidades transportadas 640 160 Custo unitário 71,88 900,00
  • Resultados do capítulo
    • Distinguimos os principais componentes contábeis dos custos
    • Entendemos os principais desafios envolvidos na gestão de cada um dos componentes
    • Compreendemos o mecanismo do rateio e suas soluções parciais