• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Jesus Cristo Anunciado no Velho Testamento (Profetas do Velho Testamento)
 

Jesus Cristo Anunciado no Velho Testamento (Profetas do Velho Testamento)

on

  • 18,083 views

O objetivo desta monografia é a abordagem das profecias no Velho Testamento e seu cumprimento no Novo Testamento, o qual traz a vida, paixão e Ressureição de Jesus Cristo, pois, é nas Velhas ...

O objetivo desta monografia é a abordagem das profecias no Velho Testamento e seu cumprimento no Novo Testamento, o qual traz a vida, paixão e Ressureição de Jesus Cristo, pois, é nas Velhas Escrituras que se encontram todas as provas concernentes à vinda do Prometido por Deus, e toda a sua vida entre os homens, para tanto, será apresentado brevemente o Pentateuco, as características específicas dos profetas e o significado de profecias messiânicas, para então aprofundar um pouco mais na maioria das profecias preditas por alguns profetas do Velho Testamento, quanto ao anúncio da vinda e história de Jesus Cristo e o cumprimento destas através do relato dos apóstolos no Novo Testamento.

Statistics

Views

Total Views
18,083
Views on SlideShare
18,083
Embed Views
0

Actions

Likes
2
Downloads
127
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Jesus Cristo Anunciado no Velho Testamento (Profetas do Velho Testamento) Jesus Cristo Anunciado no Velho Testamento (Profetas do Velho Testamento) Document Transcript

    • JESUS CRISTO ANUNCIADO NO VELHO TESTAMENTO1 alba.vieira@gmail.com Campinas/SP 2009 1 Mestre em Teologia do Velho Testamento
    • SUMÁRIO INTRODUÇÃO .............................................................................................................. CAPÍTULO I – O Pentateuco e a Vida dos Profetas do Velho Testamento. ......................... 09 1.1 – O Pentateuco .................................................................................................. 09 1.2 – A Vida dos Profetas do Velho Testamento ...................................................... 11 1.2.1 – Características Específicas dos Profetas...................................................... 13 1.2.2 – O Messianismo ............................................................................................. 14 CAPÍTULO 2 – A Vinda de Jesus Cristo Anunciada no V.T. ................................................ 16 CAPÍTULO 3– O Nascimento de Jesus Anunciada no V.T. ................................................. 20 CAPÍTULO 4 – A Espiritualidade de Jesus Anunciada no V.T. ............................................ 23 CAPÍTULO 5 – A Paixão e Ressurreição de Jesus Anunciada no V.T. ................................ 23 CONSIDERAÇÕES FINAIS ................................................................................................. 27 REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA.......................................................................................... 37
    • RESUMO O objetivo desta monografia é a abordagem das profecias no Velho Testamento e seu cumprimento no Novo Testamento, o qual traz a vida, paixão e Ressurreição de Jesus Cristo, pois é nas Velhas Escrituras que se encontram todas as provas concernentes à vinda do Prometido por Deus, e toda a sua vida entre os homens, para tanto, será apresentado brevemente o Pentateuco, as características específicas dos profetas e o significado de profecias messiânicas, para então aprofundar-se um pouco mais na maioria das profecias preditas por alguns profetas do Velho Testamento, quanto ao anúncio da vinda e história de Jesus Cristo e ao cumprimento das profecias através do relato dos apóstolos no Novo Testamento. Palavras chave: novo, profecias, testamento, velho, messias
    • ABSTRACT The purpose of this monograph is to explore the prophecies in the Old Testament and its fulfillment in the New Testament, which brings life, passion and resurrection of Jesus Christ, for that, its explored in the Old Scriptures which are all evidence concerning the coming of the Promised by God, and his life among men, for that will be presented briefly the Pentateuch, the specific features of the prophets and the significance of messianic prophecies, and then go a little deeper in most of the prophecies predicted by some Old Testament prophets, the proclaiming the coming of Jesus Christ and history and the fulfillment of these through the report of the apostles in the New Testament. Keywords: new, prophecies, testament, old, messiah
    • RESUMEN El propósito de esta monografía es de explorar las profecías en el Antiguo Testamento y su cumplimiento en el Nuevo Testamento, que trae la vida, pasión y resurrección de Jesús Cristo, ya que es en las Escrituras Del Antiguo, que son todas las pruebas a respecto a la venida del Prometido por Dios y su vida entre los hombres, por tanto se presentará brevemente el Pentateuco, las características específicas de los profetas y el significado de las profecias mesiánicas, y luego ir um poco más profundo en la mayoría de las profecías predichas por algunos profetas del Antiguo Testamento, a proclamar la venida de Jesús Cristo y de la historia y el cumplimiento de éstas através del informe de lós apóstoles en el Nuevo Testamento. Palabras claves: nuevo, profecías, testamento, antiguo, mesías
    • INTRODUÇÃO A função primordial das profecias é revelar ao homem acontecimentos futuros alertando-o para fatos e eventos vindouros. Os profetas, “Além de lembrarem o passado e o presente, não deixaram de dirigir a atenção do povo para o futuro”, (Profecias. Messiânicas, As, pag.01). As profecias reveladas pelos profetas em tempos antigos eram obras divinas, onde Deus requeria dos homens comportamentos retos e santos, uma vez que seria através das ações destes a avaliação divina para salvá-los ou puni-los. “A revelação de Deus nos mostra não só como Ele é, mas principalmente porque que Deus nos criou, e o que espera de cada um de nós. Esta revelação está contida nas Sagradas Escrituras”, (Santos, 2012, pag.01). Com isto percebe-se que Deus ao respeitar a lei do livre-arbítrio ainda assim dava a chance aos homens de se modificarem, pois tudo dependeria de estes aceitarem ou não a palavra de Deus. “Não havendo profecia, o povo perece; porém o que guarda a lei, esse é bem-aventurado”, (Pv 29,18). Portanto, Deus ao passar sua mensagem aos profetas, espera que o homem cumpra os seus mandamentos, estatutos e preceitos, avisando-o de antemão do que pode ocorrer em caso contrário a estas observâncias. “(...) a Sua mensagem é dirigida aos mansos (Is 61,1), porque foi enviado a restaurar os contritos de coração e a proclamar a liberdade aos cativos, não só de Israel, mas também dos gentios, pois levará a salvação até à extremidade da terra” (Is 49,6), (Profecias. Messiânicas, As, pag.01). O Velho Testamento (tema desta monografia) está repleto de profecias, de avisos e sinais divinos, os quais predizem acontecimentos em tempos futuros para toda a humanidade, todos determinados pela Vontade Divina.
    • Este estudo será dedicado à abordagem das profecias, no Velho Testamento e seu cumprimento no Novo Testamento, o qual traz a vida, paixão e Ressurreição de Jesus Cristo, pois, é nas Velhas Escrituras que se encontram todas as provas concernentes à vinda do Prometido por Deus, e toda a sua vida entre os homens. Para tanto, em um primeiro momento será abordado o Pentateuco, uma vez que desde a Criação, Jesus Cristo já era anunciado pelas palavras divinas. Em um segundo momento será brevemente abordada, as características específicas dos profetas e o significado de profecias messiânicas. E em um terceiro momento será apresentada a maioria das profecias preditas por alguns profetas do Velho Testamento, quanto ao anúncio da vinda e história de Jesus Cristo. Vale ressaltar que muitas das profecias do Velho Testamento foram anunciadas não apenas por um profeta, mas sim por outros profetas também, entretanto, este trabalho buscou apresentar apenas a revelação de um profeta para estabelecer um parâmetro quanto ao cumprimento da profecia, não inferindo com isto que esta mesma profecia, predita por outro profeta tenha menor relevância ou valor do que a profecia parametrizada. Assim sendo, as referências às profecias dos profetas não abordados estarão como Nota de Rodapé na página apresentada, para eventuais consultas.
    • CAPÍTULO 1 – O Pentateuco e a Vida dos Profetas do Velho Testamento 1.1 - O Pentateuco A palavra Pentateuco tem seu prefixo na palavra grega “penta” (cinco) e seu sufixo na palavra grega “teuco” (pergaminho): “Do grego, "os cinco rolos", o Pentateuco é composto pelos cinco primeiros livros da Bíblia. Entre os judeus é chamado de Torá, uma palavra da língua hebraica com significado associado ao ensinamento, instrução, ou especialmente Lei, uma referência à primeira secção do Tanakh, i.e., os primeiros cinco livros da Bíblia Hebraica, atribuído a Moisés”, (Wikipedia, 2012, pag. 01). Estes cinco primeiros livros da Bíblia descrevem o início da história humana desde sua criação, até o momento em que o povo de Israel entra na Terra Prometida. Estes livros perfazem a primeira divisão do cânone judaico A Lei, o qual ainda engloba outras duas, Os Profetas e Os Escritos: “São estas as palavras que vos disse estando ainda convosco: Que convinha que se cumprisse tudo o que de mim estava escrito na lei de Moisés, e nos profetas e nos Salmos”, (Lc 24,44). A Lei ou Torá descreve a Criação, os mandamentos instituídos por Deus, os quais os homens deveriam seguir regiamente, o povo escolhido pelo qual Deus zelaria e dirigiria: “Porque é mandamento sobre mandamento, mandamento sobre mandamento, regra sobre regra, regra sobre regra, um pouco aqui, um pouco ali”, (Is 28,10); e Seu discernimento por Abraão: “E te farei frutificar grandissimamente, e de ti farei nações, e reis sairão de ti (...)”, (Gn 17,6). O Pentateuco inicia-se com Gênesis, detalhando toda a Criação divina: “Génesis segundo a mitologia Judaica é o início, é o principio da criação dos céus, da terra, da humanidade e de tudo quanto existe vida, todos os seres. O livro é o
    • primeiro dos cinco livros atribuídos a Moisés”, (Wikipedia, 2012, pag. 01). O Segundo Livro é o Livro de Êxodo, o qual narra a libertação do povo judeu do Egito, os Dez Mandamentos, a adoração ao Senhor, a expiação dos pecados e o pacto da Aliança com Deus, entre outras coisas importantes: “O livro conta a história da saída do povo de Israel do Egito, onde foram escravos durante 400 anos. Narra o nascimento, a vida e o ministério de Moisés diante do povo de Israel, bem como o estabelecimento da Lei e a construção do Tabernáculo. Mostra o início de um relacionamento entre o povo recém-saído do Egito e Deus através de uma aliança proposta pelo próprio Deus. É a organização do Judaísmo”, (Wikipedia, 2012, pag. 01). O terceiro Livro é Levíticos, o qual apresenta os rituais de sacrifício, o sistema religioso e as leis que os regulamentam: “Basicamente é um livro teocrático, isto é, tem caráter legislativo; apresenta em seu texto o ritual dos sacrifícios, as normas que diferenciam o puro do impuro, a lei da santidade e o calendário religioso entre outras normas e legislações que regulariam a religião”, (Wikipedia, 2012, pag. 01). O quarto Livro é o Livro dos Números onde descreve a vida do povo de Israel no deserto, a firmação do pacto entre o povo judeu e o Senhor, o modo de vida e os acontecimentos durante os quarenta anos de vida no deserto: Este livro é de interesse histórico, pois fornece detalhes acerca da rota dos israelitas no deserto e de seus principais acampamentos. Pode ser dividido em três partes: O recenseamento do povo no Sinai e os preparativos para retomar a marcha (1-10,10). O capítulo 6 relata o voto de Nazireu. A história da jornada do Sinai até Moabe, o envio dos espiões e o relato que fizeram, e as murmurações (oito vezes) do povo contra as dificuldades do caminho (10,11-21,20). Os eventos na planície de Moabe, antes da travessia do Jordão (21,2136), (Wikipedia, 2012, pag. 01). .
    • O quinto e último Livro é o Deuteronômio, o qual reforça as Leis ditas por Deus, suas bênção e punições. Este livro relata também as últimas palavras da vida de Moisés, antes de os judeus entrarem na Terra que lhes foi prometida: “Contém os discursos de Moisés ao povo, no deserto, durante seu êxodo do Egito à Terra Prometida por Deus. Os discursos contidos nesse livro, em geral, reforçam a idéia de que servir a Deus não é apenas seguir sua lei. O título provém do grego e quer dizer: Segunda Lei, ou melhor, Repetição da Lei. Em Êxodo, Levítico e Números, as leis foram dadas, conforme a necessidade da ocasião, a um povo acampado no deserto. Em Deuteronômio, essas leis foram repetidas a uma geração que, dentro em breve, moraria nas casas, vilas e cidades da terra prometida”, (Wikipedia, 2012, pag. 01). 1.2 - A Vida dos Profetas do Velho Testamento A Bíblia de uma forma geral contém uma gama variada de profecias e os profetas bíblicos são apresentados como homens que recebiam a Palavra de Deus e as transmitiam aos outros homens, no intuito de estabelecer uma vida harmoniosa e pacífica entre os mesmos. No Velho Testamento, assim como no Novo Testamento, Deus escolhia entre os homens aquele que iria passar sua mensagem à humanidade. E assim, Deus utilizou-se de dezessete profetas no Velho Testamento, os quais foram organizados na Sagrada Escritura entre profetas maiores, aqueles cujos escritos eram longos e profetas menores, aqueles cujos escritos eram curtos: “(...) mas sobre ti o SENHOR virá surgindo, e a sua glória se verá sobre ti”, (Is 60,2). Salienta-se, contudo, que Deus ao passar a Sua mensagem aos profetas irredutivelmente pedia aos homens fidelidade aos seus mandamentos e invocava o pacto feito com eles ou com seus pais, lembrando-os continuamente que os retirara do Egito, livrando-os da escravidão, assim como o fato de tê-los dirigido pelo deserto por quarenta anos, rumo à Terra Prometida:
    • “Porque quarenta anos andaram os filhos de Israel pelo deserto, até se acabar toda a nação, os homens de guerra, que saíram do Egito, e não obedeceram à voz do SENHOR; aos quais o SENHOR tinha jurado que lhes não havia de deixar ver a terra que o SENHOR jurara a seus pais dar-nos; terra que mana leite e mel”, (Js 5,6). O povo de Israel continuamente quebrava o pacto que havia feito com Deus, seja cometendo homicídios ou adultérios, seja adorando outros ídolos. Até mesmo o rei Salomão chegou a permitir a adoração a outros ídolos, de seu povo e de suas mulheres em seu reinado, porém a ira divina retirou-lhe a sabedoria e lhe deixou um pequeno reino por respeito a Davi, perdendo este o vasto império que tivera. Devido ao fato de que os pecados do povo escolhido por Deus sempre eram cometidos, o Senhor perscrutava o coração de todos os homens e sabia a qual chamar para ser o portador de sua mensagem. Mesmo que o escolhido houve cometido um pecado mortal, é interessante observar que, Deus conhecia o coração e o espírito deste homem e o perdoava mediante o arrependimento que sentia. Como exemplo cita-se Moisés, que de homicida passou a ser o profeta, que deu inicio a toda a saga de Israel: “E aconteceu naqueles dias que, sendo Moisés já homem, saiu a seus irmãos, e atentou para as suas cargas; e viu que um egípcio feria a um hebreu, homem de seus irmãos; E olhou a um e a outro lado e, vendo que não havia ninguém ali, matou ao egípcio, e escondeu-o na areia”, (Ex 2,11-12). Salienta-se então, que a veracidade das verdades bíblicas são irrefutáveis, uma vez que esta não mostra somente o lado puro e santo de cada um, ao contrário, mostra o indivíduo em sua totalidade, com erros, defeitos e pecados, mas cujas qualidades exacerbam estes últimos. 1.2.1 Características Específicas dos Profetas
    • As ações dos profetas como visionários e/ou mensageiros de Deus possuíam em si algumas características peculiares, independente da época em que viviam: - eram escolhidos pelo próprio Deus, do qual recebiam mensagens: “E sucedeu depois da morte de Moisés, servo do SENHOR, que o SENHOR falou a Josué, filho de Num, servo de Moisés, dizendo: Moisés, meu servo, é morto; levanta-te, pois, agora, passa este Jordão, tu e todo este povo, à terra que eu dou aos filhos de Israel”, (Js 1,1-2). - tiveram uma vida atribulada, mas sabiam que estavam protegidos pela Vontade divina: “Mas o SENHOR me disse: Não digas: Eu sou um menino; porque a todos a quem eu te enviar, irás; e tudo quanto te mandar, falarás. Não temas diante deles; porque estou contigo para te livrar, diz o SENHOR”, (Jr 1,78). - foram perseguidos; “Ninguém te poderá resistir, todos os dias da tua vida; como fui com Moisés, assim serei contigo; não te deixarei nem te desampararei”, (Js 1,5); - eram agentes principais de conduzir o povo dentro dos mandamentos da lei de Deus: “Convertei-vos agora dos vossos maus caminhos e das vossas más obras; mas não ouviram, nem me escutaram, diz o SENHOR”, (Zc 1,4). - observavam a todos que a punição divina era implacável: “Ouvi a palavra do SENHOR, vós poderosos de Sodoma; dai ouvidos à lei do nosso Deus, ó povo de Gomorra”, (Is 1,10); - chamavam tanta a atenção dos humildes quanto dos reis: “Os teus príncipes são rebeldes, e companheiros de ladrões; cada um deles ama as peitas, e anda atrás das recompensas; não fazem justiça ao órfão, e não chega perante eles a causa da viúva”. “Portanto diz o Senhor, o SENHOR dos Exércitos, o Forte de Israel: Ah! tomarei satisfações dos meus adversários, e vingar-me-ei dos meus inimigos”, (Is 1,23-24). - suas fidelidades a Deus não conheceram barreiras e nem limites:
    • “Tão-somente esforça-te e tem mui bom ânimo, para teres o cuidado de fazer conforme a toda a lei que meu servo Moisés te ordenou; dela não te desvies, nem para a direita nem para a esquerda, para que prudentemente te conduzas por onde quer que andares”, (Js 1,7). - transmitiam na íntegra a Palavra divina, por conhecerem exatamente o propósito de Deus: “Espantai-vos disto, ó céus, e horrorizai-vos! Ficai verdadeiramente desolados, diz o SENHOR. Porque o meu povo fez duas maldades: a mim me deixaram, o manancial de águas vivas, e cavaram cisternas, cisternas rotas, que não retêm águas”. “A tua malícia te castigará, e as tuas apostasias te repreenderão; sabe, pois, e vê, que mal e quão amargo é deixares ao SENHOR teu Deus, e não teres em ti o meu temor, diz o Senhor DEUS dos Exércitos”, (Jr 2,13; 2,19). - lembravam a todos que a misericórdia divina era ampla e abrangente mediante o sincero arrependimento e a observância de seus estatutos e preceitos: “Contudo as minhas palavras e os meus estatutos, que eu ordenei aos profetas, meus servos, não alcançaram a vossos pais? E eles voltaram, e disseram: Assim como o SENHOR dos Exércitos fez tenção de nos tratar, segundo os nossos caminhos, e segundo as nossas obras, assim ele nos tratou”, (Zc 1,6). 1.2.2 O Messianismo O conceito Messias significa ungido, ou seja, aquele que vem de Deus, ou seja, uno com o Pai. Em hebraico a palavra Messias tem o significado de Mashiah, que é ungir (com óleo), ou seja, consagrar. O Messias, portanto seria o consagrado por Deus: Para a missão restauradora, o chefe excepcional seria ungido por quem de direito, o que, para a mentalidade teocrática antiga, significava uma unção de Deus.Mais detalhadamente, o ungido haveria de restabelecer a justiça social, com destaque para os pobres, e a pureza dos rituais religiosos, tendo Jerusalém por capital, onde
    • todos os povos haveriam de honrar o mesmo Deus. Pauli (1997, pag. 01) Muitos profetas previram a vinda do Messias, e no Livro de Isaías se encontra a mais completa profecia sobre a vida e morte de Jesus Cristo, o Messias prometido por Deus, aquele que viria para salvar o homem de seus pecados. A partir do próximo capítulo serão descritas algumas profecias messiânicas contidas no Velho Testamento, assim como o cumprimento das mesmas nos relatos dos apóstolos do Novo Testamento.
    • CAPÍTULO 2–A Vinda de Jesus Cristo Anunciada no V.T. “Primeiramente, é importante reconhecer a originalidade e a riqueza da fonte consultada”, Souza et Al (1998,pag.148). Através das profecias messiânicas do Velho Testamento que se confirma a autenticidade de toda a história de Jesus Cristo, pois desde o Gênesis, o início de toda a história da Criação, Deus já prometia a vinda de seu Filho: - A relação do nascimento do Messias, que se cumpre em Gênesis: “(...) e entre a tua semente e a sua semente (...)”, (Gn 3,15); tem seu cumprimento no Livro de Lucas: “E deu à luz a seu filho primogênito, e envolveu-o em panos, e deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem”, (Lc 2,7): “(...) no livro de Gênesis encontramos um ensinamento relativo à missão do povo eleito: Este deve voltar a seu Deus pela esperança de uma libertação futura, consoante a promessa divina, e pela fidelidade aos seus mandamentos”, (Santos, 2012, pag.01). “E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei e engrandecerei o teu nome; e tu serás uma bênção”, (Gn 12,3). - Quanto à descendência de Jesus, filho de Abraão anunciada no Gênesis, esta se cumpre nos Atos dos Apóstolos: “Vós sois os filhos dos profetas e da aliança que Deus fez com nossos pais, dizendo a Abraão: Na tua descendência serão benditas todas as famílias da terra”, 1 (At 3,25) . - Com a morte de Jesus Cristo os holocaustos foram abolidos e com sua Ressurreição tornou-se o cordeiro pascal da humanidade: ______________________________ 1 Vide Lucas (3,34).
    • “Este mesmo mês vos será o princípio dos meses; este vos será o primeiro dos meses do ano. Falai a toda a congregação de Israel, dizendo: Aos dez deste mês tome cada um para si um cordeiro, segundo as casas dos pais, um cordeiro para cada família. (...) cada um conforme ao seu comer, fareis a conta conforme ao cordeiro”, (Ex 12,2-4). - Em Levítico observa-se mais uma vez a expiação dos pecados pelo holocausto, o qual, conforme abordado acima, foi abolido com a morte e Ressurreição de Jesus: “(...) então a congregação oferecerá um novilho, por expiação do pecado, e o trará diante da tenda da congregação (...). E fará a este novilho, como fez ao novilho da expiação; assim lhe fará, e o sacerdote por eles fará propiciação, e lhes será perdoado o pecado”, (Lv 4,14-2o). - Em Deuteronômio Deus explica o verdadeiro Profeta, o Seu Prometido: “Eis lhes suscitarei um profeta do meio de seus irmãos, como tu, e porei as minhas palavras na sua boca, e ele lhes falará tudo o que eu lhe ordenar.E será que qualquer que não ouvir as minhas palavras, que ele falar em meu nome, eu o requererei dele”, (Dt 18,18-19). Confirmando a Verdade de Jesus Cristo: “(...) Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim”, (Jo 14,06). “A Redenção é a grande novidade que Jesus veio nos trazer. É o núcleo central do cristianismo. (...). Sem ela não existe cristianismo”, (Pe. Joãozinho, 1994, pag. 84). - Também em Deuteronômio a vinda de Jesus Cristo é anunciada: “O SENHOR teu Deus te levantará um profeta do meio de ti, de teus irmãos, como eu; a ele ouvireis (...)”, (Dt 18,15). O que é confirmado no Livro de Atos dos Apóstolos: “Porque Moisés disse aos pais: O Senhor vosso Deus levantará de entre vossos irmãos um profeta semelhante a mim; a ele ouvireis em tudo quanto vos disser”, (At 3,22).
    • “Cristo (palavra vinda da língua grega) = Messias = rei ungido de Deus. Jesus viria para reunir o povo, levá-los a vida plena na justiça e fraternidade do Reino de Deus”, (Santos, 2012, pag.01). - No Livro de Josué encontra-se a manifestação de Jesus Cristo como o comandante do Exército de Deus: “E sucedeu que, estando Josué perto de Jericó, levantou os seus olhos e olhou; e eis que se pôs em pé diante dele um homem que tinha na mão uma espada nua; e chegou-se Josué a ele, e disse-lhe: És tu dos nossos, ou dos nossos inimigos?E disse ele: Não, mas venho agora como príncipe do exército do SENHOR”, (Js 5,13-14). O que é confirmado por Apóstolo João: “Porque, se vós crêsseis em Moisés, creríeis em mim; porque de mim escreveu ele”, (Jo 5,46). - Jesus Cristo é anunciado como o herdeiro do trono de Davi no Livro de Isaías: “Do aumento deste principado e da paz não haverá fim, sobre o trono de Davi e no seu reino, para o firmar e o fortificar com juízo e com justiça, desde agora e para sempre; o zelo do SENHOR dos Exércitos fará isto”, (Is 1 9,7) . O que se cumpre em Mateus: “Livro da geração de Jesus Cristo, filho de Davi, filho de Abraão. E Jessé gerou ao rei Davi; e o rei Davi gerou a Salomão da que foi mulher de Urias”, (Mt 1,1; 1,6). - É também no Livro de Isaías que relata que a vinda do Messias seria anunciada de antemão por um Mensageiro: “Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do SENHOR; endireitai no ermo vereda a nosso Deus”, (Is 40,3).O que se confirma no Livro de Mateus: “E, naqueles dias, apareceu João o Batista pregando no deserto da Judéia,E dizendo: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus. Porque este é o anunciado pelo profeta Isaías (...)”, (Mt 3,1-3). ______________________________ 1 Vide Is (11,1-5 2); Samuel (7,13); Jeremias (23,5); Salmos (132,11).
    • CAPÍTULO 3 - O Nascimento de Jesus Anunciada no V.T. “(...) nenhuma corrente religiosa pode existir sem referência a um fundador”, Souza et Al (1998, pag.60). - O Recenseamento efetuado quando Maria estava grávida de Jesus está previsto no Livro de Daniel: “Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar, e para edificar a Jerusalém, até ao Messias, o Príncipe, haverá sete semanas, e sessenta e duas semanas; as ruas e o muro se reedificarão, mas em tempos angustiosos”, (Dn 9,25). O que é confirmado no Livro de Lucas: “E aconteceu naqueles dias que saiu um decreto da parte de César Augusto, para que todo o mundo se alistasse (Este primeiro alistamento foi feito sendo 1 Quirino presidente da Síria)”, (Lc 2,1-2) . - A concepção de Maria mãe de Jesus Cristo está declarada no Livro de Isaías: “Portanto o mesmo Senhor vos dará um sinal: Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamará o seu nome Emanuel“, (Is 7,14). E confirma-se o cumprimento no Livro de Mateus: “Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, achou-se ter concebido do Espírito Santo”, (...) “E dará à luz um filho e chamarás o seu nome JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados”, (Mt 1,18, 1,21). ______________________________ 1 Vide Lucas (1,26-35).
    • - No Livro de Salmos se encontra o vaticínio de que reis renderiam homenagem ao Jesus menino: “Os reis de Társis e das ilhas trarão presentes; os reis de Sabá e de Seba oferecerão dons”, (Sl 72,10). O que também se confirma no Livro de Mateus: “E, tendo nascido Jesus em Belém de Judéia, no tempo do rei Herodes, eis que uns magos vieram do oriente a Jerusalém, Dizendo: Onde está aquele que é nascido rei dos judeus? porque vimos a sua estrela no oriente, e viemos a adorá-lo”, (Mt 2,1-2). - Os presentes que seriam oferecidos a Jesus também foram anunciados no Livro Isaías: “A multidão de camelos te cobrirá, os dromedários de Midiã e de Efá: todos virão de Sabá; trarão ouro e incenso e publicarão os louvores do Senhor”, (Is 60,6). E no Livro de Mateus encontra-se o cumprimento da profecia: “Entretanto na casa, viram o menino com Maria, sua mãe. Prostrando-se adoraram e abrindo os tesouros, entregaram-lhe suas ofertas: ouro, incenso e mirra”, (Mt 2,11). - O local de nascimento de Jesus Cristo está profetizado no Livro de Miquéias: “E tu, Belém Efrata, posto que pequena entre os milhares de Judá, de ti me sairá o que governará em Israel, e cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade”, (Mq 5,2). E o cumprimento desta profecia se encontra no Livro de Lucas: “E subiu também José da Galiléia, da cidade de Nazaré, à Judéia, à cidade de Davi, chamada Belém (porque era da casa e família de Davi),A fim de alistar-se com Maria, sua esposa, que estava grávida. E aconteceu que, estando eles ali, se cumpriram os dias em que ela havia de dar à luz.E deu à luz a seu filho primogênito, e envolveu-o em panos,e deitou-o uma manjedoura porque não havia lugar para eles na estalagem”, (Lc 2,4-7).
    • - O infanticídio cometido por Herodes o Grande, foi profetizado por Jeremias: “Assim diz o SENHOR: Uma voz se ouviu em Ramá, lamentação, choro amargo; Raquel chora seus filhos; não quer ser consolada quanto a seus filhos, porque já não existem”, (Jr 31,15). E seu cumprimento encontra-se no Livro de Mateus: “Então Herodes, vendo que tinha sido iludido pelos magos, irritou-se muito, e mandou matar todos os meninos que havia em Belém, e em todos os seus contornos, de dois anos para baixo, segundo o tempo que diligentemente inquirira dos magos. Então se cumpriu o que foi dito pelo profeta Jeremias (...)”, (Mt 2,16-18). A fuga de José, Maria e do menino Jesus para o Egito encontra-se profetizada no Livro de Oséias: “Quando Israel era menino, eu o amei; e do Egito chamei a meu filho”, (Os, 11,1). E seu cumprimento está no Livro de Mateus: “E, levantando-se ele, tomou o menino e sua mãe, de noite, e foi para o Egito. E esteve lá, até à morte de Herodes, para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor pelo profeta, que diz: Do Egito chamei o meu Filho”, (Mt 2,14-15).
    • CAPÍTULO 4 - A Espiritualidade de Jesus Anunciada no V.T. “A alma humana é naturalmente cristã. (...) as pessoas que buscarem a Deus de coração sincero necessariamente chegarão a Jesus, plenitude da Revelação”, Pe. Joãozinho (1994, pag. 84). - O Livro de Isaías profetiza o Espírito de Deus em Jesus Cristo: “Eis aqui o meu servo, a quem sustenho, o meu eleito, em quem se apraz a minha alma; pus o meu espírito sobre ele; ele trará justiça aos gentios”, (Is 42,1). Seu cumprimento encontra-se em Marcos: “E aconteceu naqueles dias que Jesus, tendo ido de Nazaré da Galiléia, foi batizado por João, no Jordão. E, logo que saiu da água, viu os céus abertos, e o Espírito, que como pomba descia sobre ele. E ouviu-se uma voz dos céus, que dizia: Tu és o meu Filho amado em quem me comprazo”, (Mc 1,9-11). - O Ministério de Jesus também é profetizado no Livro de Isaías: “Mas a terra, que foi angustiada, não será entenebrecida; envileceu nos primeiros tempos, a terra de Zebulom, e a terra de Naftali; mas nos últimos tempos a enobreceu junto ao caminho do mar, além do Jordão, na Galiléia das nações. O povo que andava em trevas, viu uma grande luz, e sobre os que habitavam na região da sombra da morte resplandeceu a luz”, (Is 9,1-2). O cumprimento desta profecia está em Mateus: “Jesus, porém, ouvindo que João estava preso, voltou para a Galiléia; E, deixando Nazaré, foi habitar em Cafarnaum, cidade marítima, nos confins de Zebulom e Naftali; Para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta Isaías (...)”, (Mt 4,12-14). - No Livro de Deuteronômio Jesus Cristo é profetizado como Profeta: “O SENHOR teu Deus te levantará um profeta do meio de ti, de teus irmãos, como eu; a ele ouvireis (...)”, (Dt 18,15)1.
    • O cumprimento desta profecia está no Livro de João: “Vendo, pois, aqueles homens o milagre que Jesus tinha feito, diziam: Este é verdadeiramente o profeta que devia vir ao mundo”, (Jo 6,14). - A profecia do sacerdócio de Jesus Cristo encontra-se no Livro de Salmos: “Jurou o SENHOR, e não se arrependerá: tu és um sacerdote eterno, segundo a ordem de Melquisedeque”, (Sl 110,4). E seu cumprimento está no Livro de Hebreus: “Onde Jesus, nosso precursor, entrou por nós, feito eternamente sumo sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque”, (Hb 6,20). - A entrada triunfal de Jesus Cristo em Jerusalém foi profetizada por Zacarias: “Alegra-te muito, ó filha de Sião; exulta, ó filha de Jerusalém; eis que o teu rei virá a ti, justo e salvo, pobre, e montado sobre um jumento, e sobre um jumentinho, filho de jumenta”, (Zc 9,9)2. E o cumprimento desta profecia está no Livro de João: “No dia seguinte, ouvindo uma grande multidão, que viera à festa, que Jesus vinha a Jerusalém (...). E achou Jesus um jumentinho, e assentou-se sobre ele, como está escrito: Não temas, ó filha de Sião; eis que o teu Rei vem assentado sobre o filho de uma jumenta. Os seus discípulos, porém, não entenderam isto no princípio; mas, quando Jesus foi glorificado, então se lembraram de que isto estava escrito dele, e que isto lhe fizeram”, 3 (Jo 12,12-16) . - A profecia de que Jesus Cristo se utilizaria de parábolas em suas mensagens está profetizada no Livro de Salmos: “Abrirei a minha boca numa parábola; falarei enigmas da antiguidade”, (Sl 78,2). Seu cumprimento está no Livro de Mateus: “Tudo isto disse Jesus, por parábolas à multidão, e nada lhes falava sem parábolas (...)”, (Mt 13,34). - Isaías profetizou os milagres realizados por Jesus Cristo: ______________________________ 1 Vide Atos (3,19-26). Vide Isaías (62,10-11). 3 Vide Mateus (21,1-11). 2
    • “Então os olhos dos cegos serão abertos, e os ouvidos dos surdos se abrirão. Então os coxos saltarão como cervos, e a língua dos mudos cantará; porque águas arrebentarão no deserto e ribeiros no ermo”, (Is 35,5-6). O cumprimento está no Livro de Mateus: “E Jesus, respondendo, disse-lhes: Ide, e anunciai a João as coisas que ouvis e vedes: Os cegos vêem, e os coxos andam; os leprosos são limpos, e os surdos ouvem; os mortos são ressuscitados, e aos pobres é anunciado o evangelho”, (Mt 11,4-5). - O cuidado de Jesus com o Templo de Deus também está profetizado no Livro de Salmos: “Pois o zelo da tua casa me devorou, e as afrontas dos que te afrontam caíram sobre mim”, (Sl 69,9). O cumprimento desta profecia encontra-se no Livro de João: “E achou no templo os que vendiam bois, e ovelhas, e pombos, e os cambiadores assentados.E tendo feito um azorrague de cordéis, lançou todos fora do templo, também os bois e ovelhas; e espalhou o dinheiro dos cambiadores, e derribou as mesas; E disse aos que vendiam pombos: Tirai daqui estes, e não façais da casa de meu Pai casa de venda”, (Jo 2,14-16). - O desprezo dos judeus por Jesus Cristo como o Prometido está profetizado no Livro de Isaías: “Era desprezado, e o mais rejeitado entre os homens, homem de dores, e experimentado nos trabalhos; e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era 1 desprezado, e não fizemos dele caso algum”, (Is 53,3) . O cumprimento desta profecia está no Livro de Lucas: “E, levantando-se, o expulsaram da cidade, e o levaram até ao cume do monte em que a cidade deles estava edificada, para dali o precipitarem”, (Lc 4,29)2. ______________________________ 1 Vide Salmos (2,2). Vide João (1,11;5,43). 2
    • CAPÍTULO 5 - A Paixão e Ressurreição de Jesus Anunciada no V.T. “Os sofrimentos do justo, por exemplo, são, nos salmos, uma clara imagem dos tormentos suportados por Jesus na sua paixão”, (Santos, 2012, pag.01). - A traição sofrida por Jesus Cristo encontra-se no Livro de Salmos: “Até o meu próprio amigo íntimo, em quem eu tanto confiava, que comia do meu pão, levantou contra mim o seu calcanhar”, (Sl 41,9). E seu cumprimento encontra-se no Livro de Marcos: “E Judas Iscariotes, um dos doze, foi ter com os principais dos sacerdotes para lho entregar. E eles, ouvindo-o, folgaram, e prometeram dar-lhe dinheiro; e buscava como o entregaria em ocasião oportuna”, (Mc 14,10-11)1. - A venda de Jesus Cristo no valor de trinta moedas de prata está profetizada no Livro de Zacarias, assim como a compra do campo de oleiro com o valor da mesma: “Porque eu lhes disse: Se parece bem aos vossos olhos, dai-me o meu salário e, se não, deixai-o. E pesaram o meu salário, trinta moedas de prata”, (Zc 11,12). “Porque eu lhes disse: Se parece bem aos vossos olhos, dai-me o meu salário e, se não, deixai-o. E pesaram o meu salário, trinta moedas de prata.O SENHOR, pois, disse-me: Arroja isso ao oleiro, esse belo preço em que fui avaliado por eles. E tomei as trinta moedas de prata, e as arrojei ao oleiro, na casa do SENHOR”, (Zc 11,1213). O cumprimento destas profecias encontra-se no Livro de Mateus: “E disse: Que me quereis dar, e eu vo-lo entregarei? E eles lhe pesaram trinta moedas de prata. (...)”. “E, tendo deliberado em conselho, compraram com elas o campo de um oleiro, para sepultura dos estrangeiros”, (Mt 26,15; 27,6-7). ______________________________ 1 Vide Mateus (26,14-16).
    • - A substituição de Judas Iscariotes como apóstolo por outro está profetizada no Livro de Salmos: “Quando for julgado, saia condenado; e a sua oração se lhe torne em pecado”; “Sejam poucos os seus dias, e outro tome o seu ofício”, (Sl 109,7-8). Encontra-se em Atos o cumprimento desta profecia: “Ora, este adquiriu um campo com o galardão da iniqüidade; e, precipitando-se, rebentou pelo meio, e todas as suas entranhas se derramaram.E foi notório a todos os que habitam em Jerusalém; de maneira que na sua própria língua esse campo se chama Aceldama, isto é,Campo de Sangue”, (At 1,18-19). - Zacarias também profetiza o abandono de Jesus por seus discípulos: ”O espada, desperta-te contra o meu pastor, e contra o homem que é o meu companheiro, diz o SENHOR dos Exércitos. Fere ao pastor, e espalhar-se-ão as ovelhas; mas volverei a minha mão sobre os pequenos”, (Zc 13,7). O cumprimento desta profecia encontra-se em Marcos: “Então, deixando-o, todos fugiram”, (Mc 14,50)1. - A profecia de falsas testemunhas que deporiam contra Jesus Cristo encontra-se no Livro de Salmos: “Falsas testemunhas se levantaram; depuseram contra mim coisas que eu não sabia”, (Sl 35,11). E seu cumprimento está no Livro de Mateus: “E não o achavam; apesar de se apresentarem muitas testemunhas falsas, não o achavam. Mas, por fim chegaram duas testemunhas falsas, E disseram: Este disse: Eu posso derrubar o templo de Deus, e reedificálo em três dias”, (Mt 26,60-61). - O silêncio de Jesus Cristo no momento de sua acusação foi profetizado por Isaías: ______________________________ 1 Vide Mateus (26,56).
    • “Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele 1 não abriu a sua boca”, (Is 53,7) . O cumprimento desta profecia encontra-se em Mateus: “E, sendo acusado pelos príncipes dos sacerdotes e pelos anciãos, nada respondeu”, (Mt 27,12). - No Livro de Isaías está profetizado o castigo sofrido por Jesus: “Era desprezado, e o mais rejeitado entre os homens, homem de dores, e experimentado nos trabalhos; e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum”, (Is 53,3). A selvageria sofrida por Jesus Cristo também está tem seu cumprimento no Livro de Mateus: “Então soltou-lhes Barrabás, e, tendo mandado açoitar a Jesus, entregou-o para ser crucificado”, (Mt 27,26). - O desprezo sofrido por Jesus Cristo também foi profetizado em Isaías: “As minhas costas ofereci aos que me feriam, e a minha face aos que me arrancavam os cabelos; não escondi a minha face dos que me afrontavam e me cuspiam”, (Is 50,6); o escárnio sofrido por Jesus foi profetizado no Livro de Salmos: “Mas eu sou verme, e não homem, opróbrio dos homens e desprezado do povo. Todos os que me vêem zombam de mim, estendem os lábios e meneiam a cabeça, dizendo: Confiou no SENHOR, que o livre; livre-o, pois nele tem prazer”, (Sl 22,6-8). . E o cumprimento do desprezo está no Livro de João: “E diziam: Salve, Rei dos Judeus. E davam-lhe bofetadas”, (Jo 19,1-3); já no Livro de Mateus encontra-se o cumprimento do escárnio sofrido: “E da mesma maneira também os príncipes dos sacerdotes, com os escribas, e anciãos, e fariseus, escarnecendo, diziam: Salvou os outros, e a si mesmo não pode salvar-se. Se é o Rei de Israel, desça agora da cruz, e crê-lo-emos. Confiou em Deus; livre-o agora, se o 1 ama; porque disse: Sou Filho de Deus”, (Mt 27,41-43) .
    • - O ódio que sentiriam por Jesus Cristo foi profetizado no Livro de Salmos: “Aqueles que me odeiam sem causa são mais do que os cabelos da minha cabeça; aqueles que procuram destruir-me, sendo injustamente meus inimigos, são poderosos; então restituí o que não furtei”, (Sl 69,5). O cumprimento desta profecia está no Livro de João: “Aquele que me odeia, odeia também a meu Pai. Se eu entre eles não fizesse tais obras, quais nenhum outro tem feito, não teriam pecado; mas agora, viram-nas e me odiaram a mim e a meu Pai. Mas é para que se cumpra a palavra que está escrita na sua lei: Odiaram-me sem 2 causa”, (Jo 15,23-25) . - O Livro de Zacarias também profetiza o momento em que Jesus era pregado na cruz, cujas mãos e pés seriam traspassados e o livro de Isaías profetiza Jesus ao lado de malfeitores na cruz: “(...) e olharão para mim, a quem traspassaram; e pranteá-lo-ão sobre ele, como quem pranteia pelo filho unigênito; e chorarão amargamente por ele, como se chora amargamente pelo primogênito”, (Zc 12,10). “(...) e foi contado com os transgressores; mas ele levou sobre si o pecado de muitos, e intercedeu pelos 3 transgressores”, (Is 53,12) . No Livro de João está o cumprimento da crucificação: “Depois disse a Tomé: Põe aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos; e chega a tua mão, e põe-na no meu lado; e não sejas incrédulo, mas crente”, (Jo 20,27); e no Livro de Lucas o cumprimento de que malfeitores seriam crucificados ao lado de Jesus: “E, quando chegaram ao lugar chamado a Caveira, ali o crucificaram, e aos malfeitores, um à direita e outro à esquerda”, (Lc 23,33)4. ______________________________ 1 Vide João (19,2-3). Salmos (69,4); (109,3-5). 3 Vide Mateus (27,38); Marcos (15,27-28). 4 Vide Salmos (22,16); Zacarias (12,10). 2
    • - A intercessão junto a Deus, feita por Jesus pelos seus algozes está profetizada no Livro de Salmos: “Em recompensa do meu amor são meus adversários; mas eu faço oração”, (Sl 109,4); assim como o seu abandono por aqueles que o amavam: “Os meus amigos e os meus companheiros estão ao longe da minha chaga; e os meus parentes se põem à distância”, (Sl 38,11)1. O cumprimento da intercessão de Jesus Cristo por seus algozes se cumpre no Livro de Lucas: “E dizia Jesus: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem (...)”, (Lc 23,34)2; e também o cumprimento da profecia do abandono de Jesus por amigos e familiares: “E todos os seus conhecidos, e as mulheres que juntamente o haviam seguido desde a Galiléia, estavam de longe vendo estas coisas”, (Lc 23,49). - A crucificação de Jesus atrairia multidão e foi profetizada em no Livro de Salmos: “Pois me rodearam cães; o ajuntamento de malfeitores me cercou”, (Sl 22,16); como também a reprovação do povo negando-o com a cabeça: “E ainda lhes sou opróbrio; quando me contemplam, movem as cabeças”, (Sl 109,25). O cumprimento de que a crucificação de Jesus Cristo atrairia uma multidão está no Livro de Lucas: “E o povo estava olhando”, (Lc 23,35); e no Livro de Marcos encontra-se o cumprimento da como a negação do povo a Jesus Cristo: “E os que passavam blasfemavam dele, meneando as suas cabeças, e dizendo: Ah! Tu que derrubas o templo, e em três dias o edificas”, (Mc 15,29)3. - A sede que Jesus sentiria está profetizada no Livro de Salmos: “A minha força se secou como um caco, e a língua se me pega ao paladar; e me puseste no pó da morte”, (Sl 22,15)4. O cumprimento da sede sofrida por Jesus está no Livro de João: “Depois, sabendo Jesus que já todas as coisas estavam terminadas, para que a Escritura se cumprisse, disse: Tenho sede”, (Jo 19,28)5. ______________________________ 1 Vide Isaías (53,12); Salmos (109,4). Vide Hebreus (9,24). 3 Vide Mateus (27,39-40;27,41-44); Marcos (15,29-32); João (19,2-3). 4 Vide Salmos (69,21). 5 Vide João (19,29); Mateus (27,34-48). 2
    • - A profecia de que Jesus seria alimentado com vinagre e fel está no Livro de Salmos: “Deram-me fel por mantimento, e na minha sede me deram a beber vinagre”, (Sl 69,21); assim como a profecia de que seus ossos não seriam quebrados: “Ele lhe guarda todos os seus ossos; nem sequer um deles se quebra”, (Sl 34,20). O cumprimento de que Jesus seria alimentado com vinagre e fel está no Livro de Mateus: “Deram-lhe a beber vinagre misturado com fel; mas ele, provando-o, não quis beber”, (Mt 27,34); e o cumprimento de que seus ossos não seriam quebrados está no Livro de João: “Mas, vindo a Jesus, e vendo-o já morto, não lhe quebraram as pernas”, (Jo, 19,33)1. - A profecia de que uma lança traspassaria o coração de Jesus encontra-se no Livro de Salmos: “(...) o meu coração é como cera, derreteu-se no meio das minhas entranhas”, (Sl 22,14); assim como o sentimento de ter sido abandonado por Deus: “(...) Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? Por que te alongas do meu auxílio e das palavras do meu bramido?”, (Sl 22,1). O cumprimento da profecia de Jesus Cristo ter seu coração traspassado por uma lança está no Livro de João: “Contudo um dos soldados lhe furou o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água”, (Jo 19,34); como também o cumprimento do seu sentimento de abandono se dá no Livro de Marcos: “E, à hora nona, Jesus exclamou com grande voz, dizendo: Eloí, Eloí, lamá sabactâni? que, traduzido, é: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?”, (Mc 15,34). - No Livro de Salmos se encontra a profecia de que Jesus entregaria seu espírito a Deus: “Os meus tempos estão nas tuas mãos; livra-me das mãos dos meus inimigos e dos que me perseguem”, (Sl 31,15). E seu cumprimento encontra-se no Livro de Lucas: “E, clamando Jesus com grande voz, disse: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito. E, havendo dito isto, expirou”, (Lc 23,46). _______________________ 1 Vide João (19,29); Mateus (27,34-48).
    • - A profecia de que as vestimentas de Jesus Cristo seriam sorteadas encontra-se no Livro de Salmos: “Repartem entre si as minhas vestes, e lançam sortes sobre a minha roupa”, (Sl 22,18). O cumprimento desta profecia encontra-se no Livro de Marcos: “E, havendo-o crucificado, repartiram as suas vestes, lançando sobre elas sortes, para saber o que cada um levaria”, (Mc 15,24). A Terra envolta em trevas após a morte de Jesus está profetizada no Livro de Amós: “E sucederá que, naquele dia, diz o Senhor DEUS, farei que o sol se ponha ao meio dia, e a terra se entenebreça no dia claro”, (Am 8,9). O cumprimento desta profecia encontra-se no Livro de Mateus: “E desde a hora sexta houve trevas sobre toda a terra, até à hora nona”, (Mt 27,45). - A profecia de que Jesus seria sepultado junto a um indivíduo rico encontra-se no Livro de Isaías: “E puseram a sua sepultura com os ímpios, e com o rico na sua morte; ainda que nunca cometeu injustiça, nem houve engano na sua boca”, (Is 53,9). É no Livro de Mateus que se encontra o cumprimento desta profecia: “E, vinda já a tarde, chegou um homem rico, de Arimatéia, por nome José, que também era discípulo de Jesus. Este foi ter com Pilatos, e pediu-lhe o corpo de Jesus. Então Pilatos mandou que o corpo lhe fosse dado. E José, tomando o corpo, envolveu-o num fino e limpo lençol, E o pôs no seu sepulcro novo, que havia aberto em rocha, e, rodando uma grande pedra para a porta do sepulcro, retirou-se”, (Mt 27,57-60). - No Livro de Salmos encontra-se a profecia da Ressurreição, assim como o fato de que o corpo de Jesus Cristo não sofreria decomposição: “Portanto está alegre o meu coração e se regozija a minha glória; também a minha carne repousará segura. Pois não deixarás a minha alma no inferno, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção”, (Sl 16,9-10).
    • Esta profecia tem seu cumprimento no Livro de Lucas: “Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; apalpai-me e vede, pois um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho”, (Lc 24,39). - A profecia de que Jesus Cristo subiria ao céu encontra-se no Livro de Salmos: “Tu subiste ao alto, levaste cativo o cativeiro, recebeste dons para os homens, e até para os rebeldes, para que o SENHOR Deus habitasse entre eles”, (Sl 68,18). O cumprimento desta profecia encontra-se no Livro de Lucas: “E levouos fora, até Betânia; e, levantando as suas mãos, os abençoou E aconteceu que, abençoando-os ele, se apartou deles e foi elevado ao céu”, (Lc 24,5051)1. _______________________ 1 Vide Atos (3,9).
    • CONSIDERAÇÕES FINAIS Este estudo dedicou-se à abordagem das profecias messiânicas contidas no Velho Testamento, através de diversos profetas, assim como o cumprimento destas no Novo Testamento, destacando a Descendência, o Nascimento, o Magistério, a Paixão e a Ressurreição de Jesus Cristo. Para tanto, em um primeiro momento abordou-se o significado do Pentateuco, os cinco primeiros Livros do Velho Testamento, os quais englobam os livros do Gênesis, Êxodo, Levíticos, Números e Deuteronômio. Em um segundo momento foi abordado as características específicas que destoam o profeta escolhido por Deus, de um homem normal e o significado de profecias messiânicas, aquelas que predizem a vinda do Messias, o Filho de Deus. E em um terceiro momento buscou-se apresentar a maioria das profecias preditas por alguns profetas do Velho Testamento, quanto ao anúncio da vinda e história de Jesus Cristo, assim como o seu cumprimento. Como é de conhecimento de toda humanidade, não somente pelo mundo cristão, acadêmico ou não, que Jesus Cristo veio, viveu entre os homens, aceitou o próprio sacrifício por apenas um único motivo: “O Amor de Deus por sua Criação e a Vontade de ver estabelecida a Paz e o Amor entre os homens” e assim, salvá-los ao mesmo tempo em que extirparia de vez o holocausto para a expiação dos pecados. Os profetas do Velho Testamento sempre especificaram claramente todos os critérios nos quais se enquadraria o Messias, desde antes seu nascimento até o momento de sua Ressurreição, o que absolutamente condiz com toda a vivência de Jesus, como o Filho de Deus, aquele que morreria para limpar os pecados da humanidade, relatado no Novo Testamento. Refutar estas verdades baseando-se nas leis da pura razão é um falso embasamento, pois apenas ressaltaria a ignorância sobre acontecimentos irrefutáveis de mais de dezenas de profetas, apenas para apoiar uma própria e solitária opinião.