Your SlideShare is downloading. ×
0
Radio
Radio
Radio
Radio
Radio
Radio
Radio
Radio
Radio
Radio
Radio
Radio
Radio
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Radio

2,173

Published on

Published in: Technology
0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
2,173
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
59
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Fichamento Capitulo 5 : A entrevista como um gênero de texto BALTAR, Marcos. Rádio Escolar: letramentos e gêneros textuais. EDUCS. 2009.
  • 2. Entrevistas <ul><li>Entrevista tem como definição mais geral: uma mediação entre entrevistador, entrevistado e publico sobre um determinado tema. </li></ul><ul><li>Essa interação que compõe uma entrevista, pode se aplicar a uma entrevista midiatica e tambem a entrevistas sociodiscursivas, como por exemplo uma entrevista de emprego. </li></ul><ul><li>Para alguns autores como Ferraretto, Baltar e Medina a entrevista serve como uma forma de mediação entre dois interlocutores, falando sobre determinado tema para um terceiro interlocutor. Para outros autores como Lage, a entrevista é principalmente um meio de obter informaçoes de outras pessoas, nesse sentido a entrevista serve como gênero de notícia. </li></ul>
  • 3. Entrevista radiofônica <ul><li>A diferença entre o rádio e os outros veículos midiáticos é que na mídia radiofônica. Há uma interação muito maior, o jornalista faz diretamente com ouvinte, na maioria das vezes em tempo real, o ouvinte pode telefonar, ir á rádio , participar ativamente da atividade, diferentemente dos outros canais de comunicação. </li></ul><ul><li>O texto no rádio deve dar ao ouvinte a impressão de que o jornalista está falando e não lendo, justamente por ser um veículo imediato, instantâneo e ativo </li></ul>
  • 4. Entrevista radiofônica <ul><li>Ferraretto sugere que a entrevista radiofônica, seja estruturada em: abertura, fase de perguntas e respostas e encerramento. </li></ul><ul><li>A abertura deve consistir numa breve apresentação do entrevistado, do entrevistador e do motivo da entrevista. </li></ul><ul><li>As perguntas devem ser em dialogo com as respostas do entrevistado </li></ul><ul><li>E o encerramento deve ser um agradecimento ao entrevistado ao público e pode haver ou não uma concisa recapitulação dos temas abordados. </li></ul>
  • 5. Entrevista radiofônica <ul><li>O entrevistador tem que sempre ter a preocupação de estar sendo claro para o entrevistado e para os ouvintes. </li></ul><ul><li>A transmissão de rádio tem a característica de ser dinâmica, podendo contar muitas vezes com a participação dos ouvintes em tempo real, pelo telefone. </li></ul><ul><li>Portando o entrevistador sempre tem que manter uma sonoridade natural na transmissão seja ela &quot;ao vivo&quot; ou gravada. </li></ul>
  • 6. Tipos de entrevistas radiofônicas <ul><li>Panorama de classificações para entrevista segundo alguns autores do campo da comunicação e da lingüística. </li></ul><ul><li>Subdivisões em relação aos objetivos e estrutura da entrevista: </li></ul><ul><li>ObjetivosTemática: Entrevistador busca conteúdo informativo. Pode ser um tema específico ou mais de um tema;Biográfica: Tem como finalidade mostrar quem é o entrevistado. </li></ul><ul><li>EstruturaEnquete: Entrevista com vários indivíduos sobre um mesmo assunto;Pingue-Pongue: Perguntas com troca direta entre entrevistador e entrevistado. </li></ul>
  • 7. Tipos de entrevistas radiofônicas <ul><li>Para Prado (1985), </li></ul><ul><li>EntrevistaDireta: Ao vivo;Diferida: Editada, possibilidade de edição. </li></ul><ul><li>Já Lage (2002) divide em: </li></ul><ul><li>EntrevistaRitual: Breve, como função mostrar o entrevistado;Temática: Aborda um tema, o entrevistado fala sobre o tema (supõe-se que tenha autoridade para isso);Testemunhal: Relato do entrevistado sobre algo que ele participou, vivenciou;Em profundidade: Figura do entrevistado e a representação do mundo que ele constrói. </li></ul>
  • 8. Tipos de entrevistas radiofônicas <ul><li>Quanto as Circunstâncias Ocasional: </li></ul><ul><li>Não é programada, assuntos aleatórios; </li></ul><ul><li>Confronto: Repórter despeja acusações e contra-argumentos sobre o entrevistado (batalha entre os dois); </li></ul><ul><li>Coletiva: O entrevistado responde perguntas de vários entrevistadores, de diferentes veículos; </li></ul><ul><li>Exclusiva: Entrevista individual concedida a um só repórter; </li></ul>
  • 9. Tipos de entrevistas radiofônicas <ul><li>-> Quanto à produção da entrevista, o repórter faz uma pesquisa antes, tendo ideia do que vai perguntar. Geralmente, elas têm um tempo marcado, os conceitos vão sendo esclarecidos ao longo da entrevista e é finalizada quando há um consenso na fala do entrevistado. </li></ul><ul><li>O comportamento do entrevistado pode ser: </li></ul><ul><li>- Holístico: Do todo para as partes; </li></ul><ul><li>- Detalhista: Explica todos os itens. </li></ul>
  • 10. Tipos de entrevistas radiofônicas <ul><li>Para Chantler e Harris (1998): </li></ul><ul><li>Tipos de Entrevistas: </li></ul><ul><li>Interpretativa: Entrevistador interpreta fatos que já são conhecidos do público. Entrevista com um especialista que está a par das notícias atuais; </li></ul><ul><li>Emocional: Cobre diferentes formas de manifestações emocionais. Mais complexa; </li></ul><ul><li>De caráter: Tem como eixo a personalidade do entrevistado; </li></ul><ul><li>Noticiosa: Tem como eixo uma informação. Pode ser: estrita, de informação em profundidade e de declarações; </li></ul><ul><li>Coletivas: Todos os repórteres podem fazer uma ou duas perguntas, inclusive pode aproveitar a de outro repórter para a sua rádio; </li></ul><ul><li>De estúdios externos: Normalmente são feitas por telefone. </li></ul>
  • 11. Tipos de entrevistas radiofônicas <ul><li>Balsebre (1998) divide em: </li></ul><ul><li>Entrevistas </li></ul><ul><li>Informativa: Conhecimento dos detalhes de um fato-notícia, por meio da fala do entrevistado; </li></ul><ul><li>Interpretativa: Conhecer a opinião do entrevistado sobre um determinado fato-notícia; </li></ul><ul><li>Emotiva no rádio: Focaliza a emoção do entrevistado sobre um fato. Enfatiza a conotação afetiva da notícia; </li></ul><ul><li>De caráter: Tem como finalidade dar voz a determinados sujeitos relevantes de nossa sociedade, de diversas áreas. Entrevista de personalidade. </li></ul>
  • 12. Entrevista radiofônica escolar <ul><li>-> É trabalhada na escola levando em consideração os objetivos didático-pedagógicos dos professores e o interesse dos estudantes; </li></ul><ul><li>-> O trabalho com entrevista na escola oferece contribuições para a aprendizagem; </li></ul><ul><li>-> Desenvolve habilidades no entrevistador de planejar e redimensionar perguntas já feitas em seu roteiro prévio; permite o desenvolvimento da velocidade de raciocínio, aprimora a capacidade de lidar com o imprevisto, estimula a flexibilidade de pensamento, a pontualidade nas intervenções, entre outros ganhos de desempenho; </li></ul><ul><li>-> É um meio para desenvolver o comportamento interativo verbal dos estudantes (Schneuwly e Dolz, 2004). </li></ul>
  • 13. Sugestão de um trabalho de entrevista na rádio da escola <ul><li>Os alunos da turma escolhem um tema que estão trabalhando no momento (em qualquer disciplina). Na disciplina de Língua Portuguesa, os alunos aprenderão sobre a linguagem radiofônica e o gênero textual entrevista. Em grupos, elaborarão perguntas que devem ser feitas para algum conhecedor do assunto (a “escola” deve convidar alguém). Essa entrevista deve ser gravada e editada em forma de programa para apresentar para as outras turmas da escola. </li></ul>

×