• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Unidade 8 final
 

Unidade 8 final

on

  • 4,408 views

 

Statistics

Views

Total Views
4,408
Views on SlideShare
4,408
Embed Views
0

Actions

Likes
2
Downloads
0
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Unidade 8 final Unidade 8 final Presentation Transcript

    • UNIDADE 8: OS AGENTES ECONÓMICOS E OCIRCUITO ECONÓMICO8.1 - Os agentes económicos 8.2 - Fluxos reais e fluxos monetários
    • 8.1 O circuito económico como representação dasrelações entre os agentes económicos No ano lectivo anterior, iniciámos o estudo da Economia com a definição da actividade económica. Assim, estudámos que a actividade económica é todo o esforço desenvolvido pelo homem, com vista à obtenção dos bens de que necessita, para a satisfazer as suas necessidades e aumentar o seu bem-estar. Nesse esforço para satisfazer as necessidades e aumentar o seu bem-estar, englobámos diversas actividades, como a produção, a distribuição, a repartição de rendimentos e o consumo.  produção: processo através do qual se obtêm os bens e serviços;  distribuição: conjunto das operações que permitem encaminhar o produto final até ao consumidor;  repartição: distribuição de rendimentos pelos diversos intervenientes na produção dos bens;  consumo: utilização de bens e serviços na satisfação das necessidades.
    • 8.1 O circuito económico como representação dasrelações entre os agentes económicos Ora, estas actividades económicas estão interligadas, já que têm em vista a mesma finalidade – a satisfação das necessidades do homem, pelo que umas implicam as outras.
    • 8.1 O circuito económico como representação dasrelações entre os agentes económicos Ao estudarmos estes aspectos da actividade económica estudámos como todos nós, de uma forma ou de outra, participamos nela, pelo que podemos concluir que a sociedade é constituída por uma multiplicidade de agentes económicos – conjunto de elementos que intervêm na actividade económica. Estes agentes económicos realizam operações económicas de diversa ordem:  compete às empresas produzir e distribuir bens e serviços necessários à satisfação das necessidades das pessoas;  mas as empresas precisam de trabalho e de iniciativa das famílias;  em troca dos bens vendidos às famílias, as empresas recebem o seu valor em moeda;  esse rendimento é distribuído pelos diversos intervenientes na produção que com ele vão adquirir bens e serviços necessários à satisfação das suas necessidades;  tanto as famílias como as empresas pagam impostos ao Estado;  com o valor desses impostos o Estado procede à satisfação das necessidades colectivas e à redistribuição dos rendimentos pelas famílias mais necessitadas.
    • 8.1 O circuito económico como representação dasrelações entre os agentes económicos São pois os agentes económicos que, ao estabelecerem relações entre si, dão vida à a actividade económica. Percebido como estas actividades económicas se interligam, fácil será de compreender como as relações, que cada agente económico estabelece com os outros agentes económicos, estão também essas relações inter- relacionadas e interdependentes.  Inter-relacionadas, porque são complementares, uma vez que a satisfação das necessidades só é alcançada com a realização de actividades desenvolvidas por vários agentes económicos.  Interdependentes, porque a actividade de cada agente económico depende da realização das actividades de outros agentes económicos.
    • 8.1 O circuito económico como representação dasrelações entre os agentes económicos Por isso, quando nos referimos ao conjunto das relações que os diversos agentes económicos estabelecem entre si, no decorrer da actividade económica, falamos em circuito económico, precisamente para referirmos as relações de interdependência entre eles. Relações de interdependência - todos os fenómenos económicos são interdependentes, o que se exprime através da seguinte expressão anedótica: “Considere qualquer fenómeno económico (preço, rendimento, produção), puxe por ele e os outros vêm atrás…”  Ex.: o aumento do investimento provoca aumento da produção que, por sua vez, estimula o investimento.
    • AGENTES ECONÓMICOS E CIRCUITO ECONÓMICO AGENTE: Famílias FUNÇÃO PRINCIPAL: Consumir CONTRIBUIÇÃO PARA O SISTEMA: Fornecem trabalho, iniciativa, poupança e impostos. Recebem Salários, rendas, juros e lucros
    • AGENTES ECONÓMICOS E CIRCUITO ECONÓMICO AGENTE: Empresas não financeiras FUNÇÃO PRINCIPAL: produzir bens e serviços comercializáveis CONTRIBUIÇÃO PARA O SISTEMA: Fornecem bens e serviços, investimento e impostos. Recebem receitas da venda dos produtos e serviços. Pagam salários, juros, rendas e distribuem lucros
    • AGENTES ECONÓMICOS E CIRCUITO ECONÓMICO AGENTE: Empresas financeiras FUNÇÃO PRINCIPAL: produzir bens e serviços financeirosBancos e seguros CONTRIBUIÇÃO PARA O SISTEMA: Fornecem bens e serviços financeiros, investimento e impostos. Recebem receitas da prestação dos serviços (juros). Pagam salários, rendas, juros e distribuem lucros.
    • AGENTES ECONÓMICOS E CIRCUITO ECONÓMICO AGENTE: Estado (Administrações Públicas) FUNÇÃO PRINCIPAL: produzir bens e serviços não comercializáveis CONTRIBUIÇÃO PARA O SISTEMA: Fornecem bens e serviços não comercializáveis. Recebem receitas da prestação dos serviços (taxas). Pagam salários, rendas, juros. Repartem o rendimento (abonos, subsídios, pensões)
    • AGENTES ECONÓMICOS E CIRCUITO ECONÓMICO AGENTE: Resto do Mundo FUNÇÃO PRINCIPAL: fornecer e adquirir bens e serviços e capitais CONTRIBUIÇÃO PARA O SISTEMA: Fornecem bens e serviços Recebem receitas da venda dos bens e serviços. Pagam pelos bens e serviços adquiridos
    • Resumo Famílias  A função principal das famílias como agente económico consiste em consumir os bens e serviços postos à sua disposição pelas empresas. Isto não significa que os únicos consumidores sejam as famílias. As empresas e o Estado também o são, simplesmente não é essa a sua função principal enquanto intervenientes na actividade económica. Empresas –  As empresas têm como funções principais a produção e a distribuição de bens e serviços. Mas dentro das empresas, há que distinguir as empresas que trabalham nos ramos financeiros (bancos e seguros) das outras empresas que desempenham funções diferentes. Assim sendo, existem: Empresas não financeiras, públicas e privadas, cuja função principal é produzir e distribuir bens e serviços não financeiros; Instituições financeiras, ( bancos e seguradoras) cuja função principal é prestar serviços financeiros. Estado  O Estado, ou Administração Pública, tem como função principal a de proceder à satisfação das necessidades colectivas e a de redistribuir os rendimentos pelas famílias mais necessitadas. Resto do Mundo –  Qualquer país apresenta relações com o exterior, ou Resto Mundo, porque:  compra e vende serviços ao exterior (importações, exportações, turismo, etc.)  recebe e exporta mão-de-obra (imigração e emigração)  contrai e concede créditos a outros países e instituições financeiras estrangeiras.  faz investimentos no estrangeiro e recebe investimentos do estrangeiro.
    • Distinção de macro e micro agente
    • 8.2 fluxos reais e fluxos monetários Conhecendo as funções desempenhadas por cada agente económico e as relações que eles estabelecem, consegue-se ter uma visão global e de conjunto de todas as relações que se estabelecem entre os diferentes agentes a que se dá o nome de fluxo. O fluxo representa uma grandeza económica que foi afectada por um movimento, deslocando- se de um agente para outro.  Por exemplo: os bens produzidos durante um dado período foram adquiridos pelas Empresas ou pelas Famílias; os rendimentos pagos pelas Empresas foram embolsados pelas Famílias. Assim, os fluxos podem ser estudados de duas formas diferentes.  Se considerarmos os bens e serviços que circulam entre os agentes temos os fluxos reais. Se considerarmos a sua contrapartida monetária já temos os fluxos monetários. Assim:  fluxos reais: movimentos de bens e serviços entre os diversos agentes económicos.  fluxos monetários: movimentos dos meios de pagamento entre os diversos agentes económicos.
    • 8.2 fluxos reais e fluxos monetários Para se obter uma visão de conjunto das relações de interdependência, pode-se representar esquematicamente o funcionamento da vida económica sob a forma de circuito. Circuito económico é a representação gráfica dos fluxos que se estabelecem entre os agentes económicos. As constantes do circuito  O circuito económico completo permite-nos visualizar o conjunto complexo de operações económicas que os agentes económicos estabelecem entre si e em simultâneo compreender que existe uma certa homogeneidade nos circuitos que partem do mesmo agente económico. Os fluxos monetários apresentam a vantagem de se poderem comparar. O facto de estarem expressos na mesma unidade de medida (neste caso a moeda) permite comparações, o que não é possível quando as variáveis se encontram expressas em unidades de medida diferentes. A adopção da moeda como unidade de medida permite converter os fluxos reais em fluxos monetários, tornando comparáveis os fluxos entre os diversos agentes.
    • Circuito económico entre as famílias e as empresas não financeiras As Famílias fornecem às Empresas o trabalho de que estas precisam para levar a cabo a sua produção e recebem destas os bens e serviços necessários à satisfação das suas necessidades. Os dois fluxos descritos representam o circuito real que se estabelece entre os dois grupos de agentes. Ao circuito real contrapõe-se um circuito monetário, que se constrói juntando, por um lado, todas as despesas das famílias em bens e serviços (consumo de bens e serviços) e por outro lado, todas remunerações pagas pelas empresas aos trabalhadores e aos empresários (salários, rendas, juros e lucros).
    • Relações económicas típicas que envolvem o Estado ou Administração Pública O Estado cobra impostos, contribuições sociais, taxas, multas tanto junto das Famílias, como junto das Empresas. O Estado fornece, nomeadamente, serviços públicos e distribui prestações sociais. O Estado compra de bens às Empresas e que vão ser utilizados pelos funcionários para produzir serviços púbicos. O Estado paga vencimentos aos seus funcionários (às Famílias), paga juros e pede empréstimos.
    • Relações económicas típicas que envolvem as Instituições Financeiras As Instituições Financeiras recebem depósitos das Famílias, das Empresas e da Administração Pública e em contrapartida pagam juros de depósitos e concedem empréstimos e recebem juros desses agentes económicos. As Instituições Financeiras recebem prémios de seguros das Famílias, das Empresas e da Administração Pública e em contrapartida pagam indemnizações a esses agentes económicos. As Instituições Financeiras pagam ordenados aos seus funcionários (Famílias) e ainda pagam impostos e contribuições sociais à Administração Pública.
    • Relações económicas típicas que envolvem o Resto do Mundo Por um lado, essas relações típicas dizem respeito aos movimentos de mercadorias das Empresas não Financeiras, como por exemplo:  - as importações, movimentos de entradas de mercadorias e a correspondente saída de moeda (divisas);  - as exportações, movimentos de saídas de mercadorias e a correspondente entrada de moeda (divisas). Por outro lado, as relações típicas que um país estabelece com o estrangeiro e que passam, directa ou indirectamente pelas Instituições Financeiras, como por exemplo:  se um emigrante enviar dinheiro a familiares em Portugal, é natural que estes o depositem num banco;  se o Estado precisar de um empréstimo estrangeiro, pode fazê-lo através das instituições financeiras;  as empresas quando exportam / importam mercadorias pagam / recebem através dos bancos.
    • Exercício Elabora o circuito económico que se estabelece entre o Estado e as Empresas não Financeiras: 1. Aquisição de equipamento pelo Estado: 50€; 2. Pagamento de impostos ao Estado: 70€; 3. Contribuições para a Segurança Social: 30€; 4. Aquisição de material de secretária pelo Estado: 30€; 5. Aquisição de serviços de transporte pelo Estado: 20€.
    • Exercício Elabora o circuito económico que se estabelece entre o Estado e as Empresas não Financeiras: 1. Aquisição de equipamento pelo Estado: 50; 2. Pagamento de impostos ao Estado: 70; 3. Contribuições para a Segurança Social: 30; 4. Aquisição de material de secretária pelo Estado: 30; 5. Aquisição de serviços de transporte pelo Estado: 20.
    • Relações económicas típicas que envolvem o Resto do Mundo Assim, no final de cada período económico, as diversas instituições financeiras dos diferentes países saldam entre si as diferenças verificadas entre as entradas e as saídas de divisas. Trata-se efectivamente de um único fluxo – fluxo de compensação - que terá um sentido de entrada ou um sentido de saída, conforme o saldo seja positivo ou negativo. A Fixar:  Não existem economias fechadas, por essa razão o circuito económico tem de considerar os fluxos monetários que traduzem as relações do país com o resto do mundo.  Fluxo de compensação  Défice  Superavit
    • Exercicio Circuito económico entre Empresas não financeiras, instituições financeiros e RM 1. Importações 100€ 2. Exportações 90€ 3. Depósitos 5€ 4. Empréstimo 15€ 5. Fluxo de compensação ???
    • O equilíbrio entre Recursos e Empregos O circuito traduz uma situação de equilíbrio económico entre recursos e empregos.  Consumo = Produto  Rendimento = Consumo  Rendimento = Despesas de Consumo = Produto O equilíbrio económico a que nos referimos deve traduzir-se no facto de os fluxos monetários que dão entrada em qualquer agente deverem apresentar, em conjunto, valor igual ao dos fluxos monetários que dele saem.
    • O equilíbrio entre Recursos e Empregos O interesse na elaboração dos circuitos económicos quando nos estamos a referir a determinado país e a um certo período de tempo, aumenta com a possibilidade de identificação da participação e cada agente económico no valor do produto nacional, da forma como os rendimentos são repartidos pelos factores produtivos (trabalho e capital), bem como da utilização dada ao produto. Podemos, então, identificar numa economia os fluxos que representam os recursos dessa economia e a forma como são utilizados. Se monetarizarmos esses recursos e empregos, obteremos o valor do produto nacional, do rendimento do país e dos seus empregos.
    • O equilíbrio entre Recursos e Empregos Estaremos agora aptos a compreender que este circuito traduz uma situação de equilíbrio económico entre recursos e empregos. Circuitos económicos apresentam algumas insuficiências:  dificuldade de se proceder à representação de todos os fluxos que se estabelecem entre os agentes  impossibilidade prática de confirmar o equilíbrio económico em que o modelo se deve manter.  complexo e de difícil interpretação.
    • O equilíbrio entre Recursos e Empregos O Equilíbrio económico  Fluxos monetários que dão entrada em qualquer agente deverem apresentar, em conjunto, um valor igual ao dos fluxos monetários que dele saem. Sistema de contas  O conjunto das contas dos diversos agentes. Os valores monetários que saem de um agente entram, forçosamente, noutro. Deste modo, quando registamos a saída de um fluxo da conta de um agente (constitui emprego) teremos de registar a entrada desse mesmo fluxo na conta de outro (constitui recurso).
    • Através do sistema de contas podemosconstatar que: Os Empregos de um agente económico são Recursos de outro(s); O total dos Recursos de um agente económico é igual ao total dos Empregos desse mesmo agente; O total dos Recursos de todos os agentes económicos deverá ser igual ao total dos Empregos de todos os agentes, verificando-se assim equilíbrio económico.
    • Exercício Empresas 10. Juros recebidos das Instituições 1. Ordenados pagos às Famílias 500 u.m. Financeiras 10 u.m. 2. Impostos 30 u.m. 11. Despesas de consumo 450 u.m. 3. Importações 100 u.m. 12. Impostos 90 u.m. 4. Poupança (depósito) 20 u.m. 13. Poupança (depósito) 70 u.m. 5. Vendas às Famílias 450 u.m. 6. Vendas à Administração Pública 20 u.m.  Estado 7. Exportações 90 u.m. 15. Impostos recebidos das Instituições Financeiras 10 u.m. 8. Empréstimo recebido das Instituições Financeiras 90 u.m. Famílias 9. Vencimentos recebidos da Administração Pública 100 u.m.
    • Exercício
    • Exercício
    • ExercícioRecursos das Famílias (610) = Empregos das Famílias (610)Recursos das Empresas não-Financeiras (650) = Empregos das Empresas não-Financeiras (650)Recursos das Administrações Públicas (130) = Empregos das Administrações Públicas (130)Recursos das Instituições Financeiras (110) = Empregos das Instituições Financeiras (110)Recursos do Resto do Mundo (100) = Empregos do Resto do Mundo (100)Total dos recursos = 610 + 650 + 130 + 110 + 100Total dos empregos = 610 + 650 + 130 + 110 + 100
    •  Os fluxos realizados pelos agentes económicos da Lusolândia, no último ano, foram os seguintes: 1. as famílias receberam vencimentos no valor de 200 euros e ordenados no valor de 100 euros; 2. as famílias receberam subsídios do Estado no valor de 100 euros e pagaram impostos no valor de 20 euros.; 3. o Estado recebeu 20 euros de impostos das empresas; 4. as empresas não financeira distribuíram lucros pelas famílias no valor de 20 euros; 5. o Estado efectuou compras de bens não financeiros no valor de 50 euros, já as famílias gastaram 120 euros; 6. o pais importou 100 euros e exportou 50 euros;
    • Famílias Empresas Não Fin. Estado 20 200 20 50 200 20 120 100 100 120 100 20 100 20 50 50 20 100 140 420 240 220 350 40 Exterior 50 100 50 100•as empresas não financeiras fizeram depósitos no valor de 120 euros ereceberam juros de 15 euros. As mesmas empresas pagaram juros de 10 eurospelos empréstimos contraídos no valor de 135 euros;•as instituições financeiras pagaram de impostos 20 euros e concederam umempréstimo de 290 euros ao Estado;•as famílias aplicaram as poupanças no valor de 300 euros e receberam juros novalor de 20 euros;
    • Famílias Empresas Não Fin. Estado 20 200 20 50 200 20120 100 100 120 100 20300 100 20 50 50 20 20 100 15 290 20 120 135 10440 440 370 370 350 350 Exterior Instituições Fin. 50 100 15 120 135 10 50 100 20 300 290 50 20 50 480 480
    • Conclusão A economia encontra-se em equilíbrio, ou seja, globalmente equilibrada porque os empregos de um agente constituem recursos de outro(s), pelo que no final, o total de recursos é igual ao total de empregos. Num circuito em equilíbrio, a totalidade dos recursos (Rendimento) é igual à totalidade dos empregos (Despesa). Contudo, os agentes económicos não garantem o equilíbrio isoladamente entre recursos e empregos. A economia tende, assim, a longo prazo, para o equilíbrio.
    • O equilíbrio no sistema económico Existirá, no nosso sistema simplificado, equilíbrio entre as produções, as despesas e os rendimentos. Não há produção em excesso em relação ás possibilidades de gasto, como não há também produções efectivas para além das capacidades de produção facultadas às empresas pelos membros da comunidade, como não há gastos diferentes do rendimento. Mas daí se tiram logo algumas conclusões importantes, apesar da simplicidade do esquema teórico em que se baseiam. Por exemplo: não estarão a ser inconsequentes, muitas vezes, os nossos industriais, quando pagam baixíssimos salários e se queixam de que não encontram quem compre os seus produtos porque o mercado é restrito? Outro exemplo: se há uma relação entre as possibilidades de consumo das famílias e a sua capacidade para prestar serviços (o que quer dizer, o rendimento aplica-se em despesa, tem origem na produção), fica muito esclarecido o problema do baixo nível de vida e de consumos em uns países, quando confrontamos com outros – terão fraca produtividade os trabalhadores desses países, seja por falta de qualificações pessoais (analfabetos, sem instrução profissional, sem saúde) seja por má direcção nas empresas, seja por carência e defeitos das máquinas de que dispõe, etc. F. Pereira de Moura, Lições de Economia Explique de que modo é que o nível dos salários em Portugal está relacionado com o “mercado restrito” de que se queixam os nossos industriais. Nos últimos anos, Portugal tem vindo a divergir da UE. Relacione esta afirmação com o conteúdo do texto.
    • Rever conhecimentos: O agente económico é constituído por um indivíduo ou uma entidades que intervém na actividade económica exercendo pelo menos uma função económica; Os agentes económicos são as famílias, as empresas não financeiras, o Estado, as instituições financeiras e o Resto do Mundo; Os agentes económicos estabelecem entre si relações de interdependência; Essas relações de interdependência tornam-se evidentes quando se elaboram circuitos económicos; As operações que se efectuam entre os agentes económicos são representadas através de fluxos: reais e monetários; Cada fluxo que se estabelece entre dois agentes económicos representa um Recurso para um dos agentes e um Emprego para o outro agente; O circuito económico representa gráfica de forma simplificada a actividade económica e coloca em evidência a interdependência e a complementaridade das relações entre os agentes; O conjunto dos recursos é igual ao conjunto dos empregos; Nas economias abertas os agentes económicos residentes no país estabelecem operações económicas com agentes económicos não residentes; Na actividade económica existe sempre uma situação de equilíbrio entre Recursos e Empregos; A economia tende a longo prazo para o equilíbrio; O registo quantificado do conjunto de fluxos monetários numa economia é registado na Contabilidade Nacional; Na Contabilidade Nacional, verifica-se igualdade: Produto=Rendimento=Despesa.
    • 3.2 Famílias: Total dos empregos = 433 000 milhões de eurosTotal dos empregos = 142 000 milhões de euros Total dos recursos = 433 000 milhões de eurosTotal dos recursos = 142 000 milhões de euros 3.3 Famílias:Empresas: a. 62 000 + 5000 + 20 000 milhões de euros.Total dos empregos = 182 000 milhões de euros b. 20 000 milhões de euros.Total dos recursos = 182 000 milhões de euros c. 142 000 milhões de euros.Instituições Financeiras: d. 18 000 + 23 000 = 41 000 milhões deTotal dos empregos = 24 000 milhões de euros euros.Total dos recursos = 24 000 milhões de euros e. 142 000 - 41 000 = 101 000 milhões deAdministração Pública: euros.Total dos empregos = 85 000 milhões de euros f. (7000 : 101 000) × 100 = 6,9%.Total dos recursos = 85 000 milhões de eurosResto do Mundo:Total dos empregos = 60 000 milhões de eurosTotal dos recursos = 60 000 milhões de eurosEconomia: