Balada Janeiro Fevereiro 2011

595 views
515 views

Published on

Bom Dia,

agora também no facebook o nosso Jornal.

Feliz 4º Dia ;-)

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
595
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Balada Janeiro Fevereiro 2011

  1. 1. P roPriedade : C onvívios F raternos • D ireCtor e r eDaCtor : P. v alente De M atos • F otoCoMPosição e i MPressão : C oraze - s. t. r iba -U l - o. a zeMéis • t el . 256 661460 PUbliCação biMestral - DeP. legal Nº 6711/93 - ano XXXiii - nº 306 - Janeiro/Fevereiro 2011 • assinatUra anUal: 10 o • tirageM: 10.000 eXs. • Preço: 1 o A FAMÍLIA FUNDAMENTO MENSAGEM DO PAPA PARA DEPENDE DE TI DA SOCIEDADE A XXVI JORNADA MUNDIAL Esta manhã ao acordar, desejei ter um bom dia. Meditei e vi que isso dependia muito de mim. Hoje posso queixar-me A família é o lugar onde se aprende a viver o amor incon-dicional, imagem do amor de Deus. Por isso, ela constitui DA JUVENTUDE por que está um dia de chuva, ou posso dar graças a Deus Queridos amigos, renovo-vos o convite a ir à Jornada porque as plantas são regadas grátis.um desafio difícil mas, ao mesmo tempo, aliciante, que faz Mundial da Juventude a Madrid. É com profunda alegria (Continua na pág. 2 BU)dela um lugar de excelência de aprendizagem e preparaçãopara a vida. que espero cada um de vós pessoalmente: Cristo quer tor- nar-vos firmes na Fé através da Igreja. (Continua na pág.3 BU) (Continua na pág. 4 BU) DIA DO SENHOR - PROGRAMA DESEDUZIDOS PELO AMOR DE EDUCAR E TESTEMUNHAR D. MANUEL CLEMENTE CRISTO, TORNAMO-NOS A família, na sua forma materna e paterna, já não ousa NOVAS CRIATURAS contrariar as crianças e permite precocemente, por demis- são ou por omissão, todo o tipo de experiências que dese- Numa altura em que no mundo reina o materialismo, o quilibram o crescimento integral da pessoa. É preciso clare-consumismo e consequente o egoísmo, em que os jovens za e comunhão no exercício do testemunho parental. Ondecontinuam à procura da felicidade em caminhos sem Deus, está um SIM, também pode estar um NÃO.nota-se também neles “sede“ de amor e um grande vazio (Continua na pág. 2 BU)existencial. Para dar resposta aos seus anseios, realizaram-se convívios –Fraternos nas dioceses de Bragança, Santa-rém, Porto, Évora e em Maputo, Moçambique. (Continua na pág. 3,4, e 5 JA) Nos últimos números do Balada da União, foram propos-REUNIÃO DO SECRETARIADO tos alguns dos novos meios e das novas tecnologias ao ser- viço da Evangelização!NACIONAL DOS CONVÍVIOS (Continua na pág. 4 JA) FRATERNOS Todas as dioceses se congratularam com a aprovação dos A LIDERANÇA DOS GRUPOSEstatutos do movimento pela Conferência Episcopal Portu-guesa e todos sentiram acrescida responsabilidade para que DE JOVENSos Convívios-Fraternos possam continuar, agora com maior O líder cristão (conviva) deve ser o primeiro no serviço eentusiasmo e zelo apostólico, a ser uma resposta à pastoral na doação aos outros, dando testemunho coerente daquilojuvenil neste contexto social e religioso em que todos senti- que diz e faz na sua vida pessoal e comunitária.mos, com tristeza, o êxodo dos Jovens da Igreja. (Continua na pág. 3 JA) (Continua na pág. 2 BU) CAMINHOS FALSOS DE DOENÇA E TESTEMUNHO BALADA DA UNIÃO CRISTÃO FELICIDADE O nosso jornal continua a bimestralmente bater à porta Ao princípio era tudo um mar de rosas e dava para disfar- de todos os convivas que o desejam receber neste formato e Na presença da doença, sobretudo de doenças mais gra- çar a minha situação de drogado. Mas, quando quis parar, que generosamente contribuem , na medida das suas possi-ves, sentimo-nos desarmados e não encontramos as pala- porque não há dinheiro que aguente este vício, já não fui a bilidades, para ajudar a custear as despesas da sua publica-vras adequadas e é nestas ocasiões que o silêncio respeitoso tempo. A droga já tomara conta de mim e, como é natural, ção e expedição. Para todos encontra-se na internet em:e compassivo é a melhor atitude que podemos ter. a seguir o interesse pela escola, pais e amigos, tudo desa- (Continua na pág. 3 BU) pareceu. WWW.CONVIVIOSFRATERNOS.COM (Continua na pág. 1 JA) “RECEBESTES DE GRAÇA, DAI DE GRAÇA” (Mt 8,10 ) O MEU AVIVAR DE COMPROMISSO Os jovens que participaram nesta campanha querem, “…todos os fieis cristãos, onde quer que vivam, têm obrigação de manifestar, pelo exemplo da vida e pelo testemunhocom a seu testemunho, despertar esta mesma vontade nou- da palavra, o homem novo de que se revestiram pelo Baptismo, e a virtude do Espírito Santo por quem na confirmaçãotros jovens, para que sejam mais cristãos e tenham também foram robustecidos, de tal modo que os demais homens, ao verem as suas boas obras ,glorifiquem o Pai e compreendamconsciência do mundo que nos rodeia. mais plenamente o sentido genuíno da vida humana e o vínculo universal da comunidade humana” (AC 11). (Continua na pág. 1 JA) www.conviviosfraternos.com
  2. 2. 2 Janeiro/Fevereiro 2011 EDUCAR E TESTEMUNHAR REUNIÃO DO SECRETARIADO NACIONAL DOS CONVÍVIOS FRATERNOS Educar e Testemunhar segundo a Boa-Nova de la da esperança e da comunhão. Não basta ser pai Realizou-se no dia 22 de Janeiro de 2011, O sarau será organizado pela diocese deJesus Cristo é uma verdadeira “emergência” na ou mãe. É preciso ter a humildade para reconhe- na Casa de Nossa Senhora do Carmo, no Bragança e realizar-se-á na Basílica da San-missão da Igreja. cer que educar exige disponibilidade, encontro, Santuário de Fátima, a reunião do Secreta- tíssima Trindade pedindo-se às dioceses Ao longo dos séculos a Igreja exerceu a sua mis- presença e acompanhamento. Também as comu- riado Nacional dos Convívios Fraternos. que nele queiram participar que escolhamsão no campo do ensino. Os discípulos reuniram- nidades cristãs devem exercer essa missão educa- Nela estiveram presentes os Represen- e preparem a sua apresentação tendo emse em torno de Jesus, Mestre da Palavra, pedagogo dora na fé, testemunho e desafiando os jovens a tantes das dioceses de Beja, Évora, Bragan- atenção o espaço em que o sarau se vai re-exímio, porque cheio da sabedoria de Deus-Pai. A colocar os seus dons ao serviço do próximo. ça, Lamego, Viseu, Porto, Portalegre - Cas- alizar.primeira comunidade cristã era assídua ao “ensi- Nesse sentido é para a Igreja um autêntico de- telo Branco, Coimbra, Santarém, Guarda, As meditações dos mistérios do Terço dono dos apóstolos” e ao testemunho que davam do safio criar novos ministérios que se aproximem Setúbal e Leiria, faltando as dioceses de Rosário serão feitas: a primeira pela dioceseamor de Deus. A Igreja, com a graça do Espírito dos dons dos mais novos de modo que as suas Aveiro, Braga, Algarve, Vila Real e Forças de Bragança e as outras, sucessivamente,Santo, com o contributo de homens e mulheres qualidades possam ser acolhidas para o cresci- Armadas. pelas dioceses de Coimbra, Santarém, Portosábios, desde sempre ajudou a desvendar o mis- mento da comunidade. Indico alguns ministérios Depois de dadas as boas vindas aos e Viseu.tério da criação e do homem. possíveis: a utilização das novas tecnologias (pá- presentes pelo Director Nacional do movi- A Festa da Despedida será organizada Estamos numa sociedade e num tempo novo gina da internet do arciprestado ou da paróquia); mento, foi feita, pelas dioceses, uma análise pela diocese de Viseu.que exige de nós o esforço contínuo de repensar a elaboração de uma equipa de jornalismo que critica aos actos realizados no XXXVII Con- Organizado o XXXVIII Convívio - Ani-os modelos educativos. O que significa educar? elabore o boletim paroquial e divulgue a fé cristã vívio - Animação Nacional, em 11 e 12 de mação Nacional, foi apresentado à conside-Que educação para hoje? Que projectos educati- na comunicação social; a formação de equipas de Setembro de 2010, para aperfeiçoarmos o ração da Assembleia a necessidade de se or-vos existem? Como educar e para quê? São ques- voluntariado de acção social (tantos jovens for- que estava bem e corrigirmos o que estava ganizar o Secretariado Nacional de acordotões que certamente já foram levantadas e debati- mados em Ciências Sociais!); iniciativas de índole menos perfeito. com o artigo 11º dos Estatutos do movimen-das ao longo desta Jornada de reflexão. cultural onde o pensamento cristão seja apresen- A apreciação geral das dioceses foi posi- to aprovados pela conferência Episcopal Não sem razão se diz que as figuras tradicio- tado com criatividade e originalidade (por exem- tiva congratulando-se todos com a dignida- Portuguesa. Os membros do Conselho pre-nalmente educativas se adaptaram, por via das plo apresentar uma exposição bíblica a partir de, aprumo, alegria e juventude com que se sentes foram unânimes em que o Assistentecircunstâncias do tempo, às correntes pedagó- das artes plásticas ou da pintura com crianças da realizaram todos os actos da peregrinação, Espiritual diocesano deverá fazer parte dogicas do facilitismo e da lei do menor esforço. catequese ou jovens formados em Belas Artes). realçando-se a nível de realização e organi- Secretariado juntamente com os 2 membrosAcomodaram-se aos Não podemos exigir que zação do sarau que foi considerado um dos eleitos pelos Secretariados diocesanos.conselhos de pedago- venham somente à Euca- melhores nos últimos anos. Ficou agendada uma reunião para o diagias centradas na auto- ristia dominical, é preciso Todas as dioceses sentiram a falta da 25 de Junho, também em Fátima, para apre-realização individual que a comunidade acolha “Festa da Despedida” cancelada nesta pe- sentação dos membros eleitos pelas dioce-sem vislumbrar uma com a alegria as várias si- regrinação, por dificuldades postas pelo ses para formar o Secretariado Nacional ecultura da fraternidade nergias e dons ao serviço Santuário, à sua realização no Parque nº2. para as dioceses apresentarem os textos dose da partilha de valo- do Evangelho. Seguidamente iniciou-se a preparação do actos litúrgicos a realizar na Peregrinação.res. Um panorama que Neste compromisso XXXVIII Convívio - Animação, que todos Igualmente foram entregues a todas ascontagiou a Família, a activo e no exercício de concordaram obedecesse à mesma moldu- dioceses, presentes na reunião, exemplaresEscola e a própria Igre- uma cidadania pensante, ra dos anos anteriores, embora este ano com dos Estatutos do movimento para seremja. Assim: permiti que partilhe con- algumas alterações logísticas por não se po- entregues aos sacerdotes. A família, na sua for- vosco uma preocupação, der utilizar o Centro Pastoral Paulo VI por Para que o jornal Balada da União possama materna e paterna, um apelo e um compro- estar em obras. ter mais interesse nas dioceses, ficou tam-já não ousa contrariar misso: Assim a recepção dos peregrinos e a ce- bém decidido que estas nomeariam umas crianças e permi- 1 ) Preocupa-me a re- lebração colectiva da Penitência, ficaram a ou mais convivas para o envio de notíciaste precocemente, por demissão ou por omissão, dução da educação a uma certa demagogia ide- cargo da diocese de Leiria e realizar-se-ão e outros assuntos de interesse para seremtodo o tipo de experiências que desequilibram o ológica. Ultimamente verifica-se uma polarização na Cripta da Basílica. Se for possível fazer- publicados no jornal que continua a ser bi-crescimento integral da pessoa. É preciso clareza da perspectiva economicista da educação. Por se a festa da Ressurreição, esta ficará a car- mestral.e comunhão no exercício do testemunho parental. nosso lado não podemos deixar de dizer que o go da diocese de Viseu. A saudação dos Todas as dioceses se congratularam comOnde está um sim também pode estar um não. ensino privado não pode ser visto como contra- Peregrinos e a Celebração da Palavra na a aprovação dos Estatutos do movimen- A escola, na perspectiva redutora de uma for- ponto do estatal. O ensino privado é ensino pú- Capelinha das Aparições será organizada e to pela Conferência Episcopal Portuguesamação pluricultural, não tem sido capaz de de- blico na medida em que está ao serviço de toda realizada pela diocese do Porto. Às 18H00, e todos sentiram maior responsabilidadelinear um projecto educativo respeitador e pro- a sociedade na formação dos quadros directivos as dioceses realizarão, sobre o tema da Pere- para, que os Convívios-Fraternos possammotor de uma cultura verdadeiramente humana. e do tecido produtivo do nosso país. Certamente grinação “Firme na Fé, digo sim ao Amor”, continuar, agora com maior entusiasmo eImpõe-se a todo o custo uma ideologia educativa que a questão económica não é despicienda mas é uma Celebração Diocesana. zelo apostólico, a ser uma resposta à Pas-estatal com a consequente eliminação silenciosa necessário garantir o direito das famílias poderem As meditações do Terço do Rosário, no toral Juvenil neste contexto social em quede todas as propostas educativas que orientem escolher o modelo educativo para os seus filhos. sábado, serão feitas respectivamente, pelas todos sentimos, com tristeza, o êxodo dospara os valores do testemunho, da autoridade, da 2) Apelo a uma educação integral resultante dioceses de Setúbal, Guarda, Viana do Cas- jovens da Igreja.seriedade, da vontade de trabalho e de iniciativa, de testemunho de vida e da competência técnica telo, Lamego e Évora.da fé e da visão cristã do mundo. de todos aqueles que interagem no acompanha- A Igreja, na sua tarefa irrenunciável de apresen- mento vocacional das crianças e dos jovens. Umatar um projecto educativo à luz do pensamento educação que não seja auto-realização ou funcio- DEPENDE DE TIcristão, nem sempre tem sido capaz de propor nalista mas que eduque as novas gerações para Esta manhã, ao acordar, desejei ter um objectos, ou respeitar a sua dignidade hu-um itinerário de crescimento e de diálogo entre uma cidadania exigente e activa na luta por um bom dia. Meditei e vi que isso dependeria mana e divina.a fé e a razão. A formação dos agentes educativos progresso justo e humano. muito de mim. Hoje posso ser um pessimista que vêda Igreja é urgentíssima porque estamos a perder 3) Como cristãos não podemos deixar de pro- Hoje posso queixar-me porque está um tudo negro, ou ser um optimista que vê ooportunidades únicas de testemunhar com a vida por uma educação católica, universal e diversi- dia de chuva, ou posso dar graças a Deus lado positivo da vida.o anúncio primordial da fé cristã. É tempo de per- ficada, que toque as grandes questões da nossa porque as plantas são regadas grátis. Hoje posso ser um gerador de conflitosguntar se a actual catequese é um itinerário que existência. Educar na fé é seguir a pedagogia de Hoje posso sentir-me triste porque o di- com toda a gente, ou optar por ser umeduca e forma discípulos de Cristo? As famílias Jesus que inicia os discípulos a partir do testemu- nheiro é pouco, ou simplesmente fazer só construtor de paz e amor.sentem-se responsáveis pela catequese dos seus nho relacional com Deus, Seu e nosso Pai. os gastos necessários. Hoje posso nada fazer pela felicidadefilhos? Como temos acompanhado aqueles jovens Por isso, a todos deixo uma palavra de enco- Hoje posso queixar-me da minha dor de dos outros, ou praticar uma ou mais boasque após o crisma não regressam à comunidade? rajamento para darmos razões de esperança às cabeça, ou louvar a Deus porque ainda me acções.O que temos para lhes oferecer? Que novos mi- novas gerações. A vós, pais e educadores na fé, mantém em vida. Hoje posso viver como se Deus não exis-nistérios poderão surgir nas nossas comunidades peço que testemunheis com a vida aquilo que en- Hoje posso chorar porque as rosas têm tisse, ou viver com os pés na terra e o pen-à luz dos dons variados dos nossos jovens? Será sinais, porque vós sois os primeiros responsáveis espinhos, ou alegrar-me porque os espi- samento em Deus.que a proposta de anunciar o Evangelho na co- no crescimento harmonioso e sadio dos vossos nhos têm rosas. Cada dia que nasce apresenta-se comomunidade se resume à presença dominical, a ser filhos. Não desanimeis na bela missão de educar Hoje posso queixar-me porque tenho uma página em branco. Ser um dia mauleitor, acólito ou membro do grupo coral? humanamente aqueles e aquelas que darão conti- de trabalhar, ou alegrar-me porque tenho ou bom, isso dependerá de mim. E tam- Se estes tradicionais lugares de educação estão nuidade à obra da criação de Deus. emprego. bém depende de ti!a perder a sua capacidade de formar teremos de D. Jorge Ortiga, arcebispo de Braga Hoje posso olhar para as pessoas como Pedrosa Ferreiravoltar a acreditar na família como a primeira esco-
  3. 3. Jovens em Alerta www.conviviosfraternos.com Suplemento Do BAlADA DA unIÃo nº 79 • JAneIro/FevereIro/11 • proprIeDADe DA comunIDADe terApêutIcA • n.I.p.c. 503298689 CAMINHOS FALSOS DE FELICIDADE!... CONVÍVIOS RUMO AO FUTURO Nasci com bronquite asmática que, por mi- denado onde estava a trabalhar, fui direitinho NOS DIAS 5 A 7 DE MARÇO 2011lagre, se conseguiu tratar a tempo. ao bairro, para consumir. 1145 – No Seminário do Preciosíssimo San- Até aos meus seis anos, enquanto os meus Foi um ano sempre a descer a pique com a gue para a Diocese de Portalegre e Castelopais trabalhavam, estava em casa de uma se- minha vida, até “bater” mesmo com a cabe- Branconhora, a quem tratava por “ama”. ça lá no fundo do “poço”, como se costuma 1146 – Na Casa de Férias do Gaiato, na Ar- Aos seis anos a minha mãe meteu-me na dizer. Pedi novamente ajuda à comunidade rábida , para jovens da diocese de Setúbal.pré-escola onde estive até ir para a primária. onde estivera, a primeira vez. Fui muito bem 1147 – No Seminário do Fundão, para jo-Nunca fui lá muito bom aluno, mas desenras- recebido novamente. No primeiro mês ainda vens da diocese da Guarda.cava-me sempre, tirava uma nega ou outra, estive em dúvida interrogando-me se era re- 1148 – Na Casa do Clero ,em Bragança ,mas dava sempre para passar de ano. Conse- almente a altura em que eu me queria tratar. para jovens desta diocese.gui terminar a primária, que é até ao quarto Cheguei à conclusão que já chegava de tanto 1149 – Na Casa de Retiros de Viseu, para jovens desta diocese.ano, e fui para o ciclo. Ao princípio custou-me sofrimento, tanto para mim como para as pes- 1150 – Na Casa do Clero, em Vila Real , paraadaptar, mas lá consegui. soas que me rodeavam. conta de mim e, depois, claro, o interesse pela jovens desta diocese Até ao sétimo ano era um jovem correcto, Acabei por interiorizar o tratamento e acei- 1151 – No Seminário de Nossa Senhora decom as minhas responsabilidades, mas, foi escola, amigos e pais começou a perder-se. tar-me com o problema muito sério que tenho Fátima , em Beja , para jovens desta diocesenesse ano, que comecei a juntar-me a com- Desisti da escola para ir trabalhar, para ver com as drogas. 1152 – Em Eirol , Aveiro , para jovens dapanhias menos próprias. Comecei por fumar se arranjava uns trocos para a droga. Ainda E ainda hoje permaneço em tratamento. diocese do Porto.uns cigarritos, e no 9º ano, era já um fumador consegui aguentar bastante tempo na fábrica Muita coisa boa já fiz desde que aqui estou: 1153 – No seminário de Santarém ,para jo-dependente e, como era muito curioso, come- em São João da Madeira, onde era tecelão, consegui um bom emprego com um cargo de vens desta diocese.cei por fumar haxixe. Comecei a ter alguns mas chegou a um ponto que nem trabalhar muita responsabilidade; a nível social tenho 1154 – No Seminário dos Carmelitas , noproblemas em casa, mas sempre na maior, e conseguia. Despedi-me e andei por aí e por tido muito sucesso nos meus relacionamentos Sameiro , para a diocese de Braga.não ligando nem um pouco às consequências ali, a arranjar mil e uma maneiras de fazer com as pessoas e espero continuar no bom ca- 1155 – Em S. Lourenço Palmeiralque me iriam causar mais tarde. dinheiro, desde roubar a vender droga. Reco- minho. Enfim, como se o haxixe não bastasse, jun- mecei a minha degradação. Mas, porque sou ainda muito novo, interro- NOS DIAS 16 A 18 DE ABRIL, 2011tamente com um colega, cocaína e heroína Mas como isso não era vida e sabia que não go-me: será que conseguirei de uma vez por 1156 – Em São Tomé e Príncipe para jovensforam as minhas experiências seguintes. Ao podia durar para sempre, pedi ajuda numa todas libertar-me desta terrível escravidão?!... deste paísprincípio era tudo um mar de rosas. Ainda comunidade terapêutica, em Avanca. Estive “A esperança é a última coisa a perder-se”. abstinente três meses, mas ao final desse tem- NOS DIAS 17 A 20 ABRIL 2011dava para disfarçar, mas quando quis parar, Hugo Correia po decidi ir embora. Andei só um mês limpo 1157 – No Seminário Menor de S. José – Vilaporque não há dinheiro algum que aguente Viçosa.tal vício, já não fui a tempo. A droga já tomara cá fora. Depois de ter recebido o primeiro or- “RECEBESTES DE GRAÇA, DAI DE GRAÇA.” (Mt 8, 10) Um grupo de Convivas de Bragança no Por- Os jovens que participaram nesta campanha de repetir. Mas há que lembrar o mais importante: no amigo Jesus no coração. Celina Afonsoto decidiu partir em missão e, com a boa vonta- querem, com o seu testemunho, despertar esta final do dia tivemos a satisfação de saber que ajuda-de que caracterizam estes jovens, chegámos ao mesma vontade noutros jovens, para que sejam mos muita gente, que aquelas horas ali, que até foram Como não podia deixar de ser, o dia termi-armazém do Banco Alimentar Contra a Fome. mais cristãos e tenham também consciência do divertidíssimas, ajudaram mesmo alguém e isso é a nou com uma alegria indescritível, na celebra-Ao entrarmos, deparámo-nos com uma frase mundo que nos rodeia: melhor recompensa que alguém pode ter. Recebi de ção Eucarística.gravada na parede da entrada que nos uniu Amar o próximo é, entre outras coisas, entregar- graça e dou de graça! Henrique Figueiredo Reflectimos segundo o Evangelho de Sãoainda mais ao longo deste dia e nos fez lem- mos uma parte do nosso dia e da nossa energia em O BA vive de diversos contributos de pessoas que Mateus, onde se sublinha que Jesus é o Mes-brar uma música recentemente escrita por uma prol dos nossos irmãos, transmitindo-lhes esperança dão alimentos, que dão serviços, que dão produtos sias, Aquele que realiza em Si tudo o que estavaConviva: “Recebestes de graça, dá de graça.” e solidariedade, sem esperar nada em troca. Neste dia e trabalho. Este ano, foi um enorme prazer partici- predito a seu respeito no Antigo Testamento.Esta acompanhou-nos durante todo o dia, pois de entrega e amizade, senti-me feliz por ver tantos par nesta iniciativa e alimentar esta ideia juntamen- Assim, ele aponta-nos hoje aquela atitude fun-fizemos questão de a cantarolar à medida que voluntários e tantos donativos: afinal ainda há muita te com a Celina, a Paulinha e o Henrique. Foi uma damental do cristão, sobretudo no Advento,executávamos as tarefas incumbidas, dando- bondade! Senti que Jesus nos ajudava nas tarefas que tarde incrível, que nenhum de nos irá esquecer e, sem que tanto faltou a muitos dos homens antes denos ainda mais força e motivação para levar a levávamos a cabo e estava contente connosco; mas dúvida, uma experiência a repetir. Daniela Gon- Cristo: a vigilância, própria de quem está à es-cabo esta missão. senti também que há ainda tantas pessoas que preci- çalves pera para dar acolhimento. Termos tido esta oportunidade de ajudar sam de nós, que devemos estar sempre prontos para Ter participado no BA, não é uma experiência nova “Portanto, vigiai, porque não sabeis em quequem não nos conhece, foi claramente uma colaborar. Temos de ser incansáveis! Senhor Jesus, para mim, já tinha feito voluntariado mas numa ou- dia virá o vosso Senhor Por isso, estai vós tam-bênção de Deus, para que puséssemos a render ajuda-nos a multiplicar a alegria e a chegar a quem tra vertente: a recolher alimentos nas lojas. Este ano bém preparados, porque na hora em que me-alguns dos dons que Ele nos concedeu colocá- mais precisa!... senti ainda mais realização pessoal pois, ter ajudado nos pensais, virá o Filho do homem.”mo-los ao serviço de quem nada tem. Como foi Obrigada por nos dares força e acompanhares na organização dos alimentos recolhidos, tornou-se Esperemos com muita fé e esperança a vindagratificante termos colaborado com o Banco sempre!:) Paulinha Miranda ainda mais maravilhoso e gratificante. Aquilo que do Salvador! Sejamos sempre, junto dos nossosAlimentar (BA) e ajudado a bater todos os re- Bem, no princípio desta experiência eu nem sabia este grupo fez é apenas uma sementinha na imen- irmãos, sem discriminação, uma presença decordes, quer de voluntários, quer de alimentos o que havia de fazer. Havia tanto trabalho e tão bem sidão daquilo que é necessário fazer pelas inúmeras acolhimento solidária e fraterna!recolhidos, que diariamente ajudam inúmeras organizado, que não sabia para onde ir. Mas, à medi- causas que existem. O grande desafio deste mundoinstituições e apoiam milhares de famílias de- da que me fui integrando, comecei a gostar imenso. será: sermos mais disponíveis e incansáveis na ajuda Núcleo de Convivas do Portopendentes do BA para sobreviverem. Foi uma experiência muito interessante que gostaria aos que nada têm, sempre com a presença do nosso Diocese de Bragança-Miranda
  4. 4. 2 Jovens em Alerta Janeiro/Fevereiro 2011 Santarém Moçambique CONFIA NO SENHOR SEDUZIDOS PELO AMOR DE CRISTO, TORNAMO-NOS NOVAS CRIATURAS. Convívio Fraterno n.º 1144 realizado em Santarém “Confia no Senhor, sê forte e corajoso e vida, ame, esteja disponível e seja entrega.confia no Senhor”, foi uma das mensagens E, mesmo quando falha esse chão e o salto éque mais se cruzou comigo ao longo dos três sem rede, Cristo caminha à beira mar e car- Convívio Fraterno 1140 da Diocese de Maputodias. Às vezes, sabe bem uma pausa e este rega-me nos Seus braços. Assim, pude sentirConvívio Fraterno 1144, apesar de ter decor- a beleza dos abraços e dos mimos, porque é Numa altura em que quase no mundo in- deiro Templo do Espírito Santo.rido a um ritmo alucinante, também foi para- também a partir deles que amo. teiro reina o egocentrismo e o individualis- Parecia ou era um “milagre” operado pelogem e oração. Em Equipa, pude aprofundar Nem tudo o que se parte, volta a colar. En- mo, altura em que jovens se encontram na sua Convívio 1140, pois Cristo tinha realmenteesta confiança no Senhor, que Se mostrou em tão, o Senhor pede-me um sonho que junte os maioria mergulhados em falsos cominhos, seduzido 52 jovens com o seu amor, mostran-alguns momentos de silêncio, nas reflexões e, pedaços e dá-me o perdão, dá-me uma nova buscando a felicidade e o amor, nota-se, des- do-lhes o caminho que conduz à verdadeiraainda, nos vários rostos à minha volta. oportunidade de me aproximar e de estreitar te modo, que muitos jovens têm “sede” do felicidade, além de lhes incumbir uma mis- Pessoalmente, este Convívio Fraterno fez- o que nos separa. Por isso, este Convívio Fra- amor e da felicidade, embora desconheçam são, a de semear a paz e espalhar a verdademe, sobretudo, balançar. Balançar entre a mi- terno, foi tempo de encontro, tempo de voltar o caminho (fonte) que os levará à satisfação pelo Mundo. É por isso que Armindo Diman-nha ausência de ritmo e o ritmo que quero a sentir o Seu calor bem perto e a Sua luz, en- da tal sede. de afirmou: “a partir de agora seremos ser-viver. Foi um tempo, também para balanço trar e transformar. “Buscamos a felicidade ”, diziam alguns dos vidores da humanidade, em particular dosde vida, para colocar questões, para saber de Neste Convívio fomos ainda convidados 52 jovens que nos dias 9, 10 e 11 de Dezembro Homens mais necessitados e que se sentemque cor são os sonhos de Deus e para perce- a ser suporte uns dos outros, suporte, sobre- de 2010 participaram do Convívio Fraterno desprezados e abandonados; promotores daber que mesmo antes de nascer, eu já existia tudo, para estes ‘Novos’ que se juntaram à 1140, quando indagados sobre a razão da sua paz, da verdade e do amor, pois foi para issoneles. E, tomar consciência disto, ter uma nossa grande família, que lhe vieram dar um presença naquele lugar. Era de espantar, pois que fomos resgatados pelo amor de Cristo ”.perspectiva da minha existência desta forma pouquinho mais cor, mais luz, mais amor. os semblantes dos jovens oriundos de dife- Entusiasmada, a Sílvia disse: “os falsos ca-tornou-se algo bonito, algo atraente, algo que Que, juntos, saibamos ser sal da terra e luz rentes lugares da cidade de Maputo e da pro- minhos, nos quais buscávamos a felicidade,deixa marca. Apercebi-me, ainda, que Deus do mundo e que saibamos ir pelo mundo víncia com mesmo nome, aparentavam uma ficaram sepultados aqui neste Convívio, poisme pede que ‘invente’ um sonho que seja o mostrar a nossa herança. felicidade extrema. Porquê, estariam eles à tornamo-nos criaturas novas, transformadasmeu chão, que faça dele a minha missão di- Liliana Nabais busca da felicidade? humana e espiritualmente, pelo que, de hojeária e que, assim, saia pela porta da minha CF. Santarém Chegados ao terceiro dia, Cristo, que é o em diante, a nossa identidade será os Cravos verdadeiro caminho que conduz à felicidade, de Cristo à Cruz ”. com o Seu olhar mágico tinha seduzido, por O maior desejo é que as virtudes colhidos meio do convívio, a cada um dos jovens par- pelos jovens participantes neste Convívio, Évora ticipantes, e eles tinham-se deixado seduzir pelo Seu amor. É por isso que, por exemplo, a Ana Domingas afirmou com toda alegria que reinem nos seus corações hoje e por toda eternidade, servindo de ponte a unir as duas margens do rio, para que aqueles que por ele “SEDE DE TI, TENHO NA ALMA” o Convívio trouxera para si e para os outros navegarem, contemplem as maravilhas de uma enorme satisfação, além de ter trazido Deus Criador de todas as coisas e origem de uma emoção positiva e uma grande paz no todo amor. espírito, voltando a ser, deste modo, o verda- Isaías Luís Bragança “O MEU CORAÇÃO, UM BERÇO PARA JESUS” Foi nos dias 16 à noite, 17, 18 e 19 de De- de algo mais, para além do dia-a-dia por ve- zembro que um grupo de cerca de 25 jovens zes tão vazio e cinzento. da Diocese de Bragança, se aventurou na des- Numa época em que o material sufoca o Convívio Fraterno 1145 da Diocese de Évora coberta de três dias que mudariam as suas que realmente é essencial para a vida hu- vidas. mana, o Convívio Fraterno número 1141, Centrado no tema “O meu coração um semeou na vida de cada jovem, o desejo de A alegria foi a tónica dominante no conví- e entrega de querer rejuvenescer o rosto de berço para Jesus”, este Convívio Fraterno, foi fazer do coração um berço onde Jesus pudes-vio fraterno 1145 realizado em Vila Viçosa, na Cristo. Na certeza de que não caminhamos uma vez mais, uma grande graça para a Dio- se nascer verdadeiramente.diocese de Évora! A vontade da procura mo- sozinhos, mas que nos temos uns aos outros cese de Bragança. Em tempo de Advento, o grande presentebilizou 37 jovens para este encontro, do qual e a Deus, ergueram-se vidas novas prontas a O frio que se fez sentir não demoveu a para estes jovens, foi o próprio Deus encar-resultou uma “sede” ainda maior de experi- “evangelizar com coração”. grande vontade de descobrir um sentido nado. O mundo, e concretamente os jovens,mentar com a vida, nesta nova descoberta de Pela equipa coordenadora para a vida e por isso, dos quatro cantos da precisam de encontrar a alegria de seguirJesus. Do compromisso surgiram empenho João Cachaço diocese, surgiram jovens curiosos e sedentos Jesus Cristo de forma radical e sem medos e
  5. 5. Janeiro/Fevereiro 2011 Jovens em Alerta 3 MANTER A TRADIÇÃO Realizou-se no passado dia 15 de Janeiro propriamente da aldeia de São Martinho do de 2011 pelas 21H30, no Teatro Municipal de Peso, e foram adaptadas pelo grupo de jovens Bragança, o “XII Festival Cantares dos Reis”, para o evento. organizado pelo Lions Clube de Bragança que A noite encheu a sala do teatro municipal contou com a presença de 11 grupos de canta- de cor e alegria, neste que já é um evento que res tradicionais vindos de diversos lugares do começa a ter destaque nesta quadra festiva, distrito de Bragança. onde se tem reavivado tradições do nordeste Destes destacamos o grupo de Convivas transmontano no qual os convívios fraternos Fraternos da diocese de Bragança - Miranda, procuram desenvolver as suas actividades que, pela primeira vez, participou neste even- respeitando a identidade, crenças e tradições to, contando com um número elevado de jo- existentes na nossa região. vens que quiseram colaborar nesta iniciativa. As canções interpretadas pelo grupo “Nós Marta Ferreira C.F 820 e pedimos, nós pedimos”e “Em noite tão fria” Pedro Ferreira C.F. 788 Convívio Fraterno 1141 da Diocese de Bragança são tradicionais das terras de Miranda, mais Bragança – Mirandaum Convívio Fraterno, abre caminho a essa continua vivo no meio dos homens.maravilhosa possibilidade. Sempre que quisermos atrever-nos a fazer A festa de encerramento aconteceu na pa- da nossa vida um eco das palavras de vidaróquia dos Santos Mártires, em Bragança, eterna de Jesus, viveremos sempre num ma- ATé BREVE AMIGO Zé!...onde jovens convivas, amigos e familiares ravilhoso tempo de Advento que anunciarádos participantes marcaram presença e onde a vinda do Salvador. Que no coração destes Convivas de Mogadouro da daremos o teu grande cora-se celebrou a alegria de acreditar e seguir Je- jovens, a semente que foi lançada, encontre Diocese de Bragança-Miran- ção e tudo o que de bom nossus Cristo. Uma vez mais, D. António Mon- boa terra para germinar e dar muitos e bons da que participou no Conví- deixaste.tes, Bispo da Diocese, esteve presente reafir- frutos. vio Fraterno n.º 1119. Que a tua alma repou-mando que a Igreja caminha connosco. No Pelo secretariado dos Convívios Fraternos É com tristeza e pesar que se como o teu coração foifinal, a verdadeira festa, a Eucaristia, encheu da Diocese de Bragança vimos partir este amigo, mas bom.os corações de alegria e de esperança e deu- Fabiola Mourinho com a esperança de que ele Estarás sempre no nossonos, uma vez mais, a certeza de que Deus se encontra já no grande e coração!... eterno Convívio Celeste, No dia 29 de Janeiro de junto do Pai. Os convivas de Bragan- ENRAIZADOS E EDIFICADOS 2011 partiu para a casa do Obrigado Zé pelo teu ça-Miranda Pai o nosso amigo Zé Maria exemplo de simplicidade, de Bemposta, do Núcleo de de amor e dedicação. Recor- EM CRISTO, FIRMES NA Fé No passado dia 23 de Janeiro reuniram-se meditação nesse Deus que tanto nos ama e aopela primeira vez o núcleo de convivas da qual devemos louvar infinitamente. Tambémparóquia dos Santos Mártires em Bragança. neste momento tivemos a oportunidade de, A LIDERANÇA DOS GRUPOSA reunião teve lugar as 14h na academia da mais uma vez, fazermos o nosso compromissojuventude pertencente à paróquia. de fidelidade e amor. Novamente em conjunto “Enraizados e edificados em Cristo, Firmes e firmes na fé vivemos o amor do Pai.na fé”, foi o título deste primeiro encontro que,como principal ordem de trabalhos tinha Cris- Que Ele edifique e fortifique em nós a sua casa, onde possa permanecer para sempre DE JOVENS INSPIRADA NAto metaforizado no cimento que solidifica umaparede e a protege de qualquer agressão. como sua morada eterna. LIDERANÇA DE JESUS. Foi, então, neste ambiente de união e har- Cátia Fernandes CF 1130monia, que surgiram algumas dinâmicas de Jesus é considerado o maior dos líderes de sua vida pessoal e comunitária. A liderança Bragança-Miranda todos os tempos. Jesus oferecia testemunho é muito mais eficaz pela acção e pelo exem- não só por palavras mas sobretudo em ac- plo do que simplesmente pelas palavras por ções. Um bom líder deve ser capaz de sedu- vezes vazias de conteúdo. CONVIVAS DE BRAGANÇA zir as pessoas a algum compromisso, Jesus era assim, sabemos que ele tinha discípulos, O líder incentiva e facilita o trabalho em equipa, cedendo total confiança na equipa, CELEBRAM O NATAL DE JESUS! deixaram as suas actividades para acompa- nhá-lo no seu projecto de salvação. Jesus não sendo capaz de perdoar e partilhar alguns erros que possam surgir. O líder delega fun- só influenciou as pessoas há dois mil anos ções nos seus companheiros e com eles deve Sendo este tempo de Natal, uma época que quer nascer nos nossos corações para nos lem- como continua a seduzir com a sua Palavra partilhar e discutir os trabalhos a realizar.nos chama à partilha, à solidariedade e a um brar que há um Deus Menino que quis nascer muitos de nós, nos dias de hoje. Sendo sempre um sinal de Incentivo, de Es-encontro mais íntimo com Jesus Cristo, os e morrer por nosso amor, a Eucaristia do Dia Um líder precisa tratar a todos com consi- perança e de Paz.convivas de Bragança quiseram celebrar o Na- de Natal!… pois só assim faz sentido celebrar deração. Quando lemos o Evangelho sabo- O líder deve encarar os conflitos comotal, associando-se ao Centro Social e Paroquial o Natal, colocando no centro da festa o mais reamos o carinho e o Amor que Jesus oferece úteis e essenciais para a resolução dos pro-dos Santos Mártires na sua festa de Natal que importante, Jesus Cristo! a cada uma das pessoas que com Ele cruza o blemas, para tal poderá estimular o debatedecorreu no dia 22 de Dezembro de 2010. Jun- Os vários convivas da Cidade de Bragan- olhar. Basta reflectir no amor com que Jesus entre todos os elementos. Deverá tambémtamente com outros grupos da paróquia que ça e localidades vizinhas, associaram-se aos tratou, por exemplo, com a Samaritana, o orientar a sua vida pelo Evangelho e inspi-desenvolvem várias actividades lúdicas e de convivas do núcleo de S. Tiago desta cidade Zaqueu, os discípulos de Emaús, entre mui- rar-se na liderança de Jesus.formação cristã, e as crianças com as suas dan- para em família celebrarmos o acontecimento tos outros. O líder cristão promove momentos de re-ças e músicas de Natal que foram preparando do Natal de Jesus. Vivemos, animamos e par- Nos nossos grupos de jovens alguns flexão, celebração e de oração, estes momen-durante as suas actividades diárias, o núcleo ticipamos com todo o fervor nesta celebração, acham que o líder tem que ser uma pessoa tos são a alma do grupo que testemunhade Convivas dos Santos Mártires, a quem se terminando com a adoração ao Menino Jesus mandona, liderar envolve dar ordens, mas Jesus no seu dia-a-dia. O Líder cristão (con-associaram outros convivas da cidade, inte- Salvador dos homens. é importante cativar e convencer as pesso- viva) deve no silêncio e na oração oferecer ogrou-se nesta festa distribuindo a sua alegria Foi, sem dúvida, um Natal diferente!… Va- as e não apenas impor as coisas, pois assim seu trabalho a Jesus e de Jesus ser imitadore partilhando animadamente alguns cânticos lorizamos a partilha, o convívio e a família. se conquista respeito, admiração e apoio, no seio do grupo, bem como na comunida-de Natal e mensagem, poemas e encenações, Mas sobretudo se realçou que, em cada Natal, promovendo-se empatias, sendo assim tes- de onde vive. Ser testemunha de Jesus Cris-que nos convidaram a uma reflexão sobre o Jesus renasce para cada um de nós e deve ser temunho coerente do Evangelho. to deverá ser a grande característica de umverdadeiro significado do Natal. Preparando- esse o nosso maior motivo de festejo. O líder cristão (conviva) deve ser o pri- cristão.nos assim para aquele que é o momento mais meiro no serviço e na doação, dando tes- António Silvaimportante da festa daquele que todos os anos Os Convivas de Bragança temunho coerente daquilo que diz e faz na
  6. 6. 4 Jovens em Alerta Janeiro/Fevereiro 2011 Porto “A CASA DE EIROL, UM AUTêNTICO PRESéPIO ” Realizou-se, nos passados dias 27, 29 e 29 de desta descoberta íntima de Jesus, do Seu infini-Dezembro de 2010, em Eirol, o Convívio Frater- to Amor, da Sua infinita bondade e da Sua ple-no n.º 1143, para jovens da zona Sul da Diocese na liberdade. Na sociedade hodierna, materia-do Porto. lista e efémera, Ele ajuda a encontrar o sentido Foram 52 os jovens que, pela primeira da vida.vez, nele participaram aceitando o desafio Foi o sentimento de alegria pela descobertade trocar uns dias de férias bem merecidas e do Amor de Jesus que ficou bem expresso nopassado das mais diversas formas de diver- encerramento em Avanca. Falaram mais altosão ou com a família, para o passarem numa os seus corações mostrando a vontade e a aber-“família” e ambiente diferentes, mas mara- tura para se reconciliarem consigo, com a suavilhosos, junto de amigos e daquele autênti- família e seguirem pelo Caminho seguro queco e verdadeiro Amigo, Jesus, que dá pleno conduz à felicidade.sentido à vida. Certamente interrogar-se- Os casais convivas e alguns convivas emi-iam: será que vale a pena o sacrifício? Será grantes também se associaram a esta grandeque faz sentido neste nosso tempo? festa. Uns estudam, outros trabalham, outros Todos os convivas, familiares e amigos par-desempregados, mas consigo todos traziam Convívio Fraterno n.º 1143 da Diocese do Porto ticiparam, terminando com chave de ouro, namuita alegria, boa disposição, como deve Os seus rostos revelavam a alegria da re- ser-se a mesma pessoa!... Eucaristia, sinal visível da presença espiritual eser próprio de um jovem, como também os compensa do encontro íntimo, com o senti- Descobriram que Deus é Pai e com a Sua mi- especial de Jesus a cada um de nós.seus problemas, as suas angústias, os seus do das suas vidas, Jesus Cristo: o perdão, a sericórdia e infinito Amor acolhe os Seus filhos Termino convidando os novos convivas, osmedos, as suas dúvidas, o seu sofrimento, liberdade, o Amor, a esperança, a tolerância, de braços abertos, fazendo festa por isso. Des- coordenadores e as comunidades, para quetudo aquilo que atormenta o dia-a-dia de o sentido. Assim, pela sua simplicidade, a cobriram também que a vida só tem sentido se todos continuemos empenhados em testemu-um jovem e o pode levar a fazer as seguintes casa de Eirol torna-se um autêntico presépio for útil a Deus e ao próximo, com Jesus. nhar a mensagem de Alegria e Liberdade deperguntas: qual a razão de ser do meu viver? na vida de quem por lá vive esta experiência Neste nosso tempo de crise e falta de es- Jesus a quantos nos rodeiam, quaisquer queO que me falta para eu ser feliz, quando não de convívio. perança, onde é difícil ser-se crente e onde se sejam as situações e ambientes.me falta nada? A estas perguntas e a muitas Jesus está vivo, porque continua a actuar, busca apenas o prazer imediato, o poder e seoutras dúvidas, lenta e silenciosamente, es- marcando definitivamente a vida e a história de esquecem alguns Valores fundamentais, é esta Pela equipa coordenadorates jovens foram encontrando respostas. quem se encontra com Ele, sendo impossível festa que estes convivas irão fazer doravante, Carlos Matos (C.F.492) PLANO DE ACTIVIDADES DA ZONA PASTORAL SUL DA DIOCESE DO PORTO 2011 Janeiro Casais Convivas (reflexão Quaresmal com Via Sa- 19 – Dia Diocesano da Família. Outubro 1 – Dia Mundial da Paz. cra), em Fornos-Feira Julho 2 – Conselho Diocesanos da Pastoral Familiar. 8 – Reunião do SD Casais Convivas. 9 – Reunião do SD Casais Convivas em Souto. 9 – Reunião do SD Casais Convivas em Souto 8 e 9 – Encontro reflexão – jovens e casais das 29 – Encontro conviva na paróquia de 17 – Dia Diocesano da Juventude. 10 – Convívio Animação de Zona, de encerra- Equipas Coordenad. e responsáveis dos P.Bemposta 24 – PÁSCOA mento das actividades, para Jovens e Ca- núcleos. sais Convivas. Local 22 – Reunião do SD Casais Convivas em Souto. Fevereiro 16 – Reunião da EAZ dos Jovens. Em, Avanca 29 a 31 – 3/11 Convívio Fraterno para Jovens.em Maio Eirol 5 – Jornada Diocesana da Família, no Seminário 7 – Reunião da EAZ dos Jovens em Avanca. de Vilar, no Porto. Agosto Novembro 21 – Encontro das Associações, Movimentos e 12 – Pós convívios-Salão Paroquial. de Loureiro 4 a 6 – 2/11 Convívio Fraterno para Jovens em Eirol 6 – Convívio Animação de Zona para Casais Obras Laicais, no Seminário de Vilar, no 2º. Pós Convívio do 1131 C.F. 6 – Encerramento no Salão Paroquial de COR- Convivas. Porto. 1º. Pós Convívio do 1138 C.F. TEGAÇA. 19 – Encontro conviva na paróquia 21 – Encontro conviva na paróquia de_________ 19 – Reunião da EAZ dos Jovens. 13 a 15 – Convívio Fraterno para Casais em Ei- de_________ 22 – Convívio Animação de Zona para Casais – Encontro conviva na paróquia de Sanfins rol. 26 – Pós convívios no Salão Paroquial de Loureiro Convivas 20 – Convívio Animação de Zona para Casais 15 – Encerramento no Salão Paroquial de Santia- 4º. Pós Convívio do 1138 C.F. 28 – Reunião do SDC Casais Convivas.em Souto 4º. Pós Convívio do 1143 C.F. Convivas. go de Riba-Ul. – Pós convívios no Salão Paroquial de Lourei- 3º. Pós Convívio do 1º C.F. 2011 26 – Reunião do SD Casais Convivas em Souto ro 1º. Pós Convívio do 2º C.F. 2011 3º. Pós Convívio do 1131 C.F. (Eucaristia) Setembro Março Dezembro 2º. Pós Convívio do 1138 C.F. (Eucaristia) 3 – Reunião da EAZ dos Jovens. 5 a 7 – 1/11 Convívio Fraterno para Jovens em Ei- 3 – Reunião do SD Casais Convivas. Em Souto 10 e 11 – XXXVIII Convívio Animação Nacional, rol 3 – Reunião da EAZ dos Jovens. Em Avanca Junho em Fátima. 7 – Encerramento no Salão Paroquial de Cesar 11 – Almoço de Natal com todos os elementos 4 – Reunião da EAZ dos Jovens. Em Avanca 17 – Reunião do SD Casais Convivas em Souto. 12 – Pós convívios das Equipas Coordenadoras dos Jovens e 10 a 12 – Convívio Fraterno para Casais em Eirol – Pós convívios no Salão Paroquial de Loureiro 1º. Pós Convívio do 1143 C.Fno Salão Paro- Casais Convivas e responsáveis dos núcle- 12 – Encerramento no Salão Paroquial de Mostei- 4º. Pós Convívio do 1131 C.F. quial de Loureiro os em Eirol. rô. 3º. Pós Convívio do 1138 C.F. 19 – Reunião da EAZ dos Jovens.em Avanca 19 – Encontro conviva na paróquia de______ 18 – Encontro conviva na paróquia de_________ 3º. Pós Convívio do 1143 C.F. 25 – NATAL – Encontro conviva na paróquia de_______ 2º. Pós Convívio do 1º C.F. 2011 27 a 29 – 4/11 Convívio Fraterno para Jovens. – Pós convívios no Salão Paroquial de Loureiro 24 – Encontro das Associações, Movimentos e Em Eirol Abril 2º. Pós Convívio do 1143 C.F. (Eucaristia) Obras Laicais, no Seminário de Vilar, no Porto. 29 – Encerramento no salão Paroquial de Avanca 2 – Convívio Animação de Zona para Jovens e 1º. Pós Convívio do 1º C.F. 2011 (Eucaristia) DIA DO SENHOR UM PROGRAMA DE D. MANUEL CLEMENTE Nos últimos números do “Balada da aprofundar o sentido e o valor do Domingo. da História da Igreja, e os mais variados docu- tem pequenos apontamentos de reflexão, diá-União” foram propostos alguns dos novos Acontece todos os domingos, entre as 10 e as mentos conciliares e encíclicas. rios muito interessantes, tal como uma rubri-meios e das novas tecnologias ao serviço da 11 horas da manhã. Na mesma página da Renascença (www. ca, “Oração da manhã”, que se encontra aces-evangelização. D. Manuel clemente, com o seu dom único rr.pt), todos os ouvintes têm a oportunidade sível na página da Rádio. Apenas é necessário Nesta edição proponho escutarmos um pro- de comunicação, simples, clara e reflexo da de ouvir os programas já realizados, bastando procurar o espaço Rubricas, e encontrar ora-grama radiofónico, na Rádio Renascença, com sua vida, aproveita para fazer um comentário procurar as edições passadas, tal como co- ção da manhã. Tanto se pode ouvir como lerD. Manuel Clemente, Bispo do Porto, que nos às leituras dominicais. É uma hora, por exce- municar com o D Manuel Clemente, fazendo essas reflexões. Também a recitação diária doconvida a uma vida de fé mais profunda e ver- lência, de ensinamento de Teologia, nas suas perguntas, através do correio electrónico, dia- Terço, directamente de Fátima.dadeira, reflectindo sobre passagens do Novo mais diversas valências. Nestas reflexões, cita, dosenhor@rr.pt. Carlos Matos – CF 492Testamento. Um programa que nos desafia a também, muitos textos de homens e mulheres Aproveito para lembrar que a Renascença
  7. 7. Janeiro/Fevereiro 2011 3 Setúbal DIOCESE DE BRAGA PÓS-CONVÍVIO DO C.F. 1135 PLANO PASTORAL 2010 – 2011 11 e 12 de Setembro - Encontro Nacional (Fáti- 4, 5, 6 e 7 de Março - CONVÍVIO FRATERNO ma) (Encerramento: Famalicão) 24 de Outubro - 1º Encontro dos Cursos de For- 2 de Abril - Dia Diocesano (Local: Vila Verde) mação (Local: Centro Pastoral) 9 de Abril - 2º Encontro Juvenil (Local: Centro 21 de Novembro - 2º Encontro dos Cursos de Pastoral) Formação (Local: Centro Pastoral) 16 de Abril - Pós Convívio (Local: Centro Pas- 4 e 5 de Dezembro - 3º Encontro dos Cursos de toral) Formação (Local: Centro Pastoral) 20, 21 e 22 de Maio - 3º Encontro Juvenil - Inicia 11 de Dezembro - 1º Encontro Juvenil (Local: com a “Noite UPS” (Local: a designar) Centro Pastoral) 4 e 5 de Junho - Retiro “Algo +” - Para quem re- 29 de Janeiro - Visita a um Grupo (Local: Lon- alizou Encontro de Oração em Grupo e deseje gos) aprofundar a experiência. (Local: a designar) A FAMÍLIA, FUNDAMENTO Começámos por participar na missa domi- Conscientes de que um Convívio Fraterno DA SOCIEDADEnical da comunidade do Feijó que nos acolheu é Graça de Deus que se alcança com o traba-e disponibilizou as instalações, muito acolhe- lho de todos, ficou o compromisso da oração A importância da família dade, que se verifica em tantos países ociden-doras para passarmos o dia. Ao padre Francis- pelo próximo convívio do carnaval e também A família é o fundamento indispensável da so- tais, é outro indicador da falta de confiança naco e a toda a comunidade o nosso obrigado. a vontade de anunciar e convidar ouros jo- ciedade de todos os povos e um bem insubsti- vida, na sociedade e na família. Por isso nos Depois do almoço partilhado tivemos um vens a participar. tuível para os filhos, dignos de nascer para a interrogamos: Qual o papel do pai e da mãe?tempo de reflexão e partilha. Estiveram pre- O Pós convívio estendeu-se depois ao fa- vida como fruto do amor e da doação total e Que educação se deve dar às crianças? Comosentes em maioria os convivas do 1135ºCF cebook com a partilha de fotos e de senti- generosa dos pais. A família ocupa um lugar definir, hoje, a família? Para a maioria das pes-mas também de outros convívios anteriores mentos. Movidos pelo Espírito Santos são primário na educação e no crescimento har- soas, baseia-se na relação entre um homeme alguns convivas casais. lançados desafios a novas actividades sem- monioso da pessoa humana. É uma verdadeira e uma mulher, mas há quem defenda outros O tema foi a reconciliação. pre movidas pelo sentido da partilha e ajuda escola de humanidade e valores perenes. modelos, como acabamos de referir. Depois da apresentação do tema, reuniões fraterna. O Espírito que nos anima como mo- Ninguém deu o ser a si mesmo. Recebemos Sobre esta crise, declarou o Papa Bento XVI,de grupo e plenário tivemos um momento a vida de outros, vida que cresce e amadurece no Encontro Mundial das Famílias, na cidade vimento está bem presente a suprir as nossasforte de oração junto do sacrário. com as verdades e os valores que aprendemos do México, em Janeiro de 2009: «O trabalho insuficiências. Ficou presente nos nossos corações a ne- na relação e comunhão com os outros. Neste educativo da família vê-se dificultado por um en- Por tudo o que presenciamos só temos que sentido, a família, fundada no matrimónio ganado conceito de liberdade, no qual o caprichocessidade do exame de consciência diário e Louvar o nosso Deus que nunca desiste de indissolúvel entre um homem e uma mulher, e os impulsos subjectivos do indivíduo se exaltamtambém do apoio dum grupo de oração e nós e nos vai ajudando no caminho. expressa esta dimensão relacional, filial e co- até se deixar cada um encerrado na prisão do seupartilha como espaço de crescimento na fé e munitária e é ambiente próprio, onde a pessoa próprio eu».como condição para preparação consciente Um abraço fraterno humana pode nascer com dignidade e desen-duma reconciliação libertadora. Zé volver-se de uma maneira integral. Como superar a crise? Aquele que nasceu e cresceu num ambiente O mais importante para superar a crise que familiar são tem todas as garantias de vir a ser a família atravessa consiste em ter bem claro DOENÇA E TESTEMUNHO CRISTÃO um cidadão útil à sociedade, já que a famí- o papel da família. Sobre este papel, afirmou o lia está na raiz mesma de uma vida digna e Papa actual, na Assembleia do Pontifício Conselho realizada. Por isso, se a família, como célula da Família, em 13 de Maio de 2006: «A família, Para que, nas terras de missão em que o mais enças terminais ou pelo menos graves. Esta básica da sociedade, se debilita, toda a socieda- fundamentada no matrimónio, constitui umurgente é a luta contra a doença, as comunidades proximidade não deve traduzir-se em falsas de fica mais fraca. E a família debilitar-se-á “património da humanidade”, uma instituiçãocristãs saibam testemunhar a presença de Cristo consolações do género de dizer à pessoa doen- quando não tem estabilidade nas suas rela- social fundamental; é a célula vital e o pilar dajunto dos que sofrem. te que foi Deus que lhe mandou a doença, ou ções afectivas. Neste caso, não só não será sociedade, e isto diz respeito a todos os crentes Se é verdade que existem doenças em todo o que agora está a sofrer, mas que no Céu não capaz de dar uma educação baseada nos e não-crentes. Trata-se de uma realidade quemundo, também é verdade que nos territórios se sofre. É certo que no Céu não se sofre, mas valores humanos e evangélicos, como não todos os Estados devem ter na máxima con-tradicionalmente chamados terras de Missão, trata-se de levar uma palavra amiga a quem poderá ajudar a sociedade. sideração porque, como João Paulo II gostavaas doenças têm uma maior incidência, sobre- está a sofrer na terra. A família é o lugar onde se aprende a vi- de reiterar, “o futuro da humanidade passatudo em África, por várias razões, como sejam E a consolação daquele que sofre, no caso ver o amor incondicional, imagem do amor pela família” (Familiaris consortio, 86)».a falta de higiene, a escassez de água e outras de ser cristão, consistirá em dizer-lhe que de Deus. Por isso, ela constitui um desafio É necessário que se promovam, nos Esta-e também por falta de assistência, já que escas- não está só no seu sofrimento, que Cristo é difícil mas, ao mesmo tempo, aliciante, que dos, medidas legislativas e administrativas faz dela um lugar de excelência de aprendi- que apoiem as famílias nos seus direitos ina-seiam médicos e enfermeiros. Existem ainda solidário com ele, que Deus está a sofrer com zagem e preparação para a vida. lienáveis, necessários para realizar a extraor-os grandes lobis internacionais que impedem ele, que aquele que sofre tem um lugar es- Sobre esta importância da família, afirma dinária missão da família.que haja ajudas por outros canais que não sejam pecial no coração de Deus. Com efeito, a o Concílio Vaticano II: «A família é a primeira Pede-se às famílias cristãs que dêem oos deles, já que isso lhes estragaria o negócio. experiência da doença, vivida a partir da fé, escola das virtudes sociais de que as sociedades exemplo que se lhes pede, tanto no amor mú-Isto aplica-se sobretudo ao caso da sida, mas torna-nos capazes de descobrir a misericór- têm necessidade» (Gravissimum educationis, 3). tuo de homem e mulher, como no amor aostambém se pode dizer da malária e tubercu- dia de Deus que está perto de nós para nos filhos e na educação dos mesmos, a fim delose, que infelizmente se tornaram endémicas, dar a sua consolação. A crise da família serem membros úteis da sociedade. Este tes-sobretudo em países africanos. Na presença da doença, sobretudo de do- Em todos os tempos houve crises nas famí- temunho é necessário hoje mais do que nun- É certo que, sobretudo em África, não existe enças mais graves, sentimo-nos desarmados lias, mas a que actualmente atravessa é certa- ca, dados os problemas com que a família seoutra instituição que faça tanto pelos doentes e não encontramos as palavras adequadas e é mente das mais graves dos últimos tempos. debate.e abandonados como a Igreja Católica em inú- nestas ocasiões que o silêncio respeitoso e com- Com efeito, constatamos, particularmente na Oremos intensamente este mês, juntamen-meras obras, como hospitais, hospícios e tan- passivo é a melhor atitude que podemos ter. cultura ocidental, uma crise de identidade da te com o Papa, por este problema tão delica-tas outras formas de ajuda. Mas é necessário Oremos neste mês para que em África e família. A que é que, hoje em dia, podemos do e fundamental. Perguntemo-nos o que jáque todo este apoio se multiplique ainda mais, em todo o mundo o serviço aos doentes seja chamar «família»? fazemos e o que podemos ainda fazer parana quantidade e qualidade. vivido, da parte dos cristãos, como fruto da Além do «modelo tradicional», existem fa- apoiar a família. Invoquemos a inspiração da mílias monoparentais (viver só com o pai ou Sagrada Família de Nazaré, que representa No tratamento da doença não bastam os sua união com o Coração de Jesus. Esta intenção a mãe), famílias fruto de «uniões de facto» o modelo familiar de simplicidade, trabalho,remédios materiais que ataquem essa doença, de oração recorda-nos a relação privilegiada (infelizmente tão comuns), viver com a mãe e unidade… onde Deus Se sente em sua casa.é também necessário ser uma presença amiga que Cristo tinha com os doentes, que se encon- segundo marido, etc. Hoje em dia até se podejunto do doente, sobretudo tratando-se de do- tra no coração mesmo do Evangelho. ter pais homossexuais. O baixo nível de natali- Bento XVI

×