Your SlideShare is downloading. ×
EXPERIÊNCIAS DE ENSINO DE                                    MATEMÁTICA PARA                              DEFICIENTES VISU...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Ailton painel cbmee

112

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
112
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Ailton painel cbmee"

  1. 1. EXPERIÊNCIAS DE ENSINO DE MATEMÁTICA PARA DEFICIENTES VISUAIS NO BRASIL HOJE Eixo temático: O processo inclusivo: passado, momento atual e perspectivas Ailton Barcelos da Costa – ailton_barcelos@yahoo.com.br – UFSCar/ PPGEEs Maria Stella C. de Alcântara Gil – stellagil@uol.com.br – UFSCar/ PPGEEsCeolin, Machado e Nehring (2009): Depois de 1962, o RECURSOS ACESSÍVEIS, EMPREGADOS NAS EXPERIENCIAS DE ENSINO DE MATEMÁTICAensino de Matemática passou por mudanças PARA DEFICIENTES VISUAISdecorrentes da perspectiva da inclusão de alunos comNEE. Foram necessárias adaptaçõesdidáticas, curriculares e pedagógicas e mudanças noprocesso de formação inicial e continuada; Sorobãn: Material dourado:OBJETIVO: Apresentar alternativas de material para oensino de matemática, de fácil acesso, para professorese estudantes com deficiência visual, em nosso país, nosdias de hoje. Geoplano:MÉTODO: Pesquisa Histórico-bibliográfica.RESULTADOS: O Imperial Instituto dos Meninos Cegos(atual IBC) previa em 1854: ensino de aritmética egeometria; em 1890, o ensino de aritmética, equações Multiplano:do 2º grau, geometria elementar plana e espacial, etrigonometria (Silva, 2010). Apesar da formalização doensino surgir em 1854, com o IBC, existem relatos de BIBLIOGRAFIA:experiências isoladas, que empregaram adaptações de ARAÚJO, L. L.; MARSZAUKOWSKI, F.; MUSIAL, M. Matemáticaatividades de ensino: por meio de descrição, informação e a Deficiência Visual. 9ª Semana de Iniciação Científica, FAFIUV, 2009.tátil, auditiva, olfativa, além da descrição oral dos CEOLIN, T.; MACHADO, A. R.; NEHRING, C. M. O Ensino deesquemas, símbolos e diagramas presentes, que Matemática e a Educação Inclusiva – Uma Possibilidade de Trabalho com Alunos Deficientes Visuais. X Encontro Gaúchopodem ser adaptados e representados em relevo de Educação Matemática - Comunicação(Araújo, Marszaukowski, Musial, 2009). Científica, Ijuí/RS, 2009. SÁNCHEZ, J. E. F. Iniciación al cálculo aritmético con alumnos ciegos y deficientes visuales: algunas aplicabilidades didácticasDISCUSSÃO: As mudanças nas disciplinas oferecidas del "multiábaco abierto móvil de capacidad limitada". Tesis doctoral de la Universidad Complutense deaos estudantes com deficiência visual foram possíveis Madrid, Madrid, 2003.pela criação e emprego de material tridimensional/tátil. SILVA, J. R. O ensino de matemática para alunos cegos: o olhar de uma professora. Dissertação de Mestrado, Universidade Presbiteriana Mackenzi. São Paulo, 2010. Laboratório de Interação Social - LIS

×