Last fm parte 2

394 views
296 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
394
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
5
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Last fm parte 2

  1. 1. Cristina Maria de QueirozValeria Ferreira de Jesus LaurianoNewton Catalão Mota
  2. 2. A Last.fm originou-se na Inglaterra da fusão em 2005 entre o pluginaudioscrobbler e a plataforma social Last.Fm, que até então era umaespécie de web-rádio.Last.fm é uma mistura de rede social, sistema de recomendação eweb "rádio” que com base nas preferências musicais dos usuários,registradas através do scrobbler, armazena as músicas que ousuário escuta através do computador.
  3. 3. Arquitetura da InformaçãoSegundo Wurman (1991) arquitetura da informação no contexto web éresponsável por criar estruturas de organização da informação, paraque o usuário consiga encontrar e compreender as informações asquais precisa e desempenhar suas tarefas com facilidade.UsabilidadePara Nielsen e Loranger (2007) a usabilidade é um atributo dequalidade relacionado à facilidade do uso de algo. Refere-se à rapidezcom que os usuários podem aprender a usar alguma coisa, aeficiência deles ao usá-la, o quanto lembram daquilo, seu grau depropensão a erros e o quanto gostam de utilizá-la.
  4. 4. AcessibilidadeNa web a acessibilidade corresponde à possibilidade de qualquerpessoa, seja ela portadora de deficiência ou não, conseguir entender,navegar e interagir com o conteúdo de um site.Para o Serpro acessibilidade na Internet significa permitir o acesso àweb por todos, independentemente do tipo de usuário, situação ouferramenta. É criar ou tornar as ferramentas e páginas web acessíveisa um maior número de usuários, inclusive pessoas com deficiências.
  5. 5. Critérios de Avaliação de Usabilidade1- Visibilidade do status do sistema (Feedback) O sistema deve sempre manter os usuários informados sobre o que está acontecendo, através de feedback apropriado em tempo razoável.2- Equivalência do sistema com o mundo real O sistema deve falar a linguagem dos usuários, com palavras, frases e conceitos familiares ao usuário, ao invés de termos orientados aos sistema. Siga as convenções do mundo real, fazendo com que as informações apareçam em uma ordem natural e lógica.3- Controle do usuário e liberdade (navegação) Usuários frequentemente escolhem funções do sistema por engano e vai precisar de uma "saída de emergência" claramente marcado para sair do estado indesejado sem ter que passar por um extenso diálogo.
  6. 6. 4- Consistência e padrões (consistência) Os usuários não devem ter que pensar em palavras diferentes, situações ou ações que significam a mesma coisa.5- Prevenção de erros Ainda melhor do que boas mensagens de erro é um design cuidadoso, que impede que um problema ocorra em primeiro lugar.6- Reconhecer, em vez de relembrar Minimizar a carga do usuário de memória por objetos que fazem, ações e opções visíveis. O usuário não deve ter que se lembrar de informações a partir de uma parte do diálogo para outra. Instruções para a utilização do sistema devem ser visíveis ou facilmente recuperáveis ​sempre que apropriado.7- Flexibilidade e eficiência no uso Aceleradores da tarefa não visíveis a usuários novatos ou com pouca habilidade na utilização do software podem aumentar a velocidade de interação para o usuário experiente, de forma que o sistema possa atender tanto aos usuários experientes quanto aos inexperientes.
  7. 7. 8- Estética e design minimalista Diálogos não devem conter informação que é irrelevante ou raramente necessária. Cada unidade extra de informação em um diálogo compete com as unidades de informação relevantes e diminui sua visibilidade relativa.9- Ajude os usuários a reconhecer, diagnosticar e recuperar de erros As mensagens de erro devem ser expressas em linguagem simples (sem códigos), indicar com precisão o problema e sugerir uma solução construtiva.10- Ajuda e documentação Mesmo que seja melhor do que o sistema pode ser utilizado sem documentação, pode ser necessário fornecer ajuda e documentação. Qualquer informação deve ser de fácil pesquisa, focada na tarefa do usuário, medidas concretas de lista para ser realizada, e não ser muito grande.
  8. 8. Partes da Last.fm analisadasPáginas:• Inicial;• Cadastramento;• Músicas• Comunidades
  9. 9. Consistência epadrões (consistência)Os usuários não devemter que pensar empalavras diferentes,situações ou ações quesignificam a mesmacoisa.
  10. 10. Consistência e padrõesReconhecimento de links não ocorre de forma padronizada.
  11. 11. Melhor do que boas mensagens de erro é um design cuidadoso, que impedeque um problema ocorra em primeiro lugar.
  12. 12. Avaliação preliminar de acessibilidadeFoi realizado exame das considerando a navegação por teclado,áudio e cor de exibição.
  13. 13. Página inicialConforme o número deusuários pessoas onlinesintonizadas no momentoda navegação, issodificultara para o usuárioque estiver navegando porteclado, pois será muitodifícil dele conseguir atingiro final da tela pelo TAB,uma vez que, a atualizaçãodos links passa em altavelocidade.
  14. 14. Página de cadastramento
  15. 15. Link de ajuda do Captcha
  16. 16. Página de CadastradoQuando pede-se para cadastrar seja na navegação pelo mouse oupor teclado, você será remetido diretamente para a escolha do nomede usuário, ou seja, um deficiente visual não terá acesso ainformação de que é possível conectar-se pelo facebook.A opção de escutar a Captcha embora existente é de pouca utilidade,uma vez que, a pronuncia não é clara. A imagem Last.fm presente na página de cadastramento possui a função de link que remete para a página inicial, entretanto, na navegação pelo teclado não é possível acessó-lo.
  17. 17. Página comunidadesAcessibilidade e daltonismoDaltonismo é uma deficiência na visão que dificulta a percepção dascores. A anomalia se dá na retina e é congênita, hereditária eincurável. Há casos com efeito temporário, decorrentes do uso deremédios.1- Protanopia (rara) dificuldade de enxergar cores vermelhas;2- Deuteranopia (mais comum) dificuldade de diferenciar cores verdes;3- Tritanopia (extremamente rara) dificuldade de enxergar cores azuis;3- Acromatopsia (extremamente rara) ausência completa da percepçãode cor.
  18. 18. Procuramos avaliar a percepção das cores do site e dos linksapresentados no meio do texto corrido; como os links não sãosublinhados, conforme o tipo de daltonismo, eles pode ficar quaseimperceptíveis a visão do usuário, e devido a combinação dascores, a página pode acarretar um grande cansaço visual para ousuário daltônico.
  19. 19. Visão normal
  20. 20. Visão Protanopia (Deficiências em vermelho)
  21. 21. Visão Deuteranopia (Deficiências em verde)
  22. 22. Visão Tritanopia (Deficiências em azul)
  23. 23. Visão Acromatopsia (Deficiências todas as cores)
  24. 24. Arquitetura da InformaçãoSuporta múltiplas formas para o usuário inscrever-se no site, mas nãoapresenta um padrão na terminologia.
  25. 25. Sobre a Last.fmOrienta o usuário quanto ao assunto site, mas de forma muito sucinta,e no caso da navegação por teclado será a ultima informação que ousuário irá alcançar; ou seja, está mal posicionado na página.
  26. 26. Os construtores de query (corretor ortográfico, pesquisa de radicais),não funcionam em todas as páginas.
  27. 27. Barra de rótulosNão é apresentada da mesma maneira nem na mesma posição napágina inicial e nas demais páginasPágina inicialDemais páginas
  28. 28. Alguns rótulos como Rádio e Tabelas são claros, mas não são significativos.
  29. 29. ConclusãoNa avaliação do site Last.fm foram encontrados vários problemas deusabilidade, acessibilidade e arquitetura, que apesar de nãocomprometerem integralmente o seu acesso e interação,comprometem o aproveitamento amplo de suas funcionalidades. Osusuários, atualmente, se atraem por plataformas que apresentaminterfaces que possibilitem menos esforços possível, independentedesses apresentarem ou não algum tipo de deficiência.
  30. 30. Bibliografia consultadaANDRADE, Antônio Luis Lordelo. Usabilidade de interfaces web: Avaliação heurística nojornalismo on-line. Disponível em: <http://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&id=wiF1jPaV8_IC&q=heuristicas#v=snippet&q=heuristicas&f=false>. Acesso em: 09 jan.2012.Colorblind Web Page Filtro. Disponível em:http://colorfilter.wickline.org/?a=1;r=www.plugmasters.com.br/plugfeed/post/1888/testes-simples-acessibilidade;l=0;j=1;u. Acesso em: 08 jan. 2012.Last.fm. Disponível em: <http://www.lastfm.com.br/>. Acesso em: 07 jan. 2012.NIELSEN, Jakob; LORANGER, Hoa. Usabilidade na Web: projetando websites com qualidade.Rio de Janeiro: Elsevier, 2007. 406p.Serpro. Disponível em: <https://www.serpro.gov.br/>. Acesso em: 08 jan. 2012WURMAN, Richard Saul. Ansiedade de informação. São Paulo: Cultura, 1991. 380p.

×