Your SlideShare is downloading. ×
0
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Engenharia da qualidade
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Engenharia da qualidade

10,892

Published on

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
10,892
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
8
Actions
Shares
0
Downloads
321
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Universidade Federal Rural do Semi-Árido – UFERSADepartamento de Ciências Ambientais e TecnológicasCurso: Bacharelado em Ciência e Tecnologia/Engenhariade Produção Engenharia da Qualidade
  • 2. componentes• Alexandre Henrique Soares de Oliveira;• Telles Dickson de Medeiros.
  • 3. Agenda• Engenharia da Qualidade;• Gestão da Qualidade;• Normalização, Auditoria e Certificação da Qualidade;• Organização Metrológica da Qualidade;• Confiabilidade de Processos e Produtos.
  • 4. O que é qualidade• "Qualidade é tudo aquilo que melhora o produto do ponto de vista do cliente.” (Deming);• "Qualidade é a conformidade do produto às suas especificações.“ (Crosby);• "Qualidade é desenvolver, projetar, produzir e comercializar um produto de qualidade que é mais econômico, mais útil e sempre satisfatório para o consumidor.“ (Ishikawa);• "Qualidade é ausência de deficiências." (Juran);• "Qualidade é a correção dos problemas e de suas causas ao longo de toda a série de fatores relacionados com marketing, projetos, engenharia, produção e manutenção, que exercem influência sobre a satisfação do usuário.” (Feigenbaum).
  • 5. Engenharia da QualidadeQualidade, abordagens de Garvin: • Transcendental; • Baseada no produto; • Baseada no usuário; • Baseada na produção; • Baseada no valor.
  • 6. Quem tem mais qualidade?
  • 7. a qualidade também ésubjetiva
  • 8. Eras da qualidade• Inspeção: Toda produção vistoriada• Controle da Qualidade: (1920) Walter A. Shewhart, implementação do controle estático da produção e o conceito de melhoria contínua. Criou o ciclo PDCA;• Garantia da Qualidade: (1950) Armand Feigenbaum, Controle de Qualidade Total (Total Control Quality – TQC), o diferencial dessa abordagem foi o envolvimento de toda a organização e não a apenas o setor produtivo.
  • 9. Eras da qualidade• Gestão da Japão no período pós-guerra, W. Edwards Deming e Joseph M. Juran participaram da reconstrução do país, onde foram difundidos conceitos de controle estático da produção e da qualidade. O modelo japonês, controle de qualidade por toda a empresa (Company Wide Quality Control – CWQC);• Kaizen, keiretsu
  • 10. Gestão da Qualidadeas principais características da gestão da qualidadesão: • o comprometimento da alta administração; participação dos trabalhadores; • foco nos clientes; • gestão da cadeia de fornecedores; • gerenciamento de processos e melhoria contínua.
  • 11. Gestão da Qualidade• Histórico: reconstrução do japão ;• Deming;• Juran.
  • 12. Princípios da Gestão da Qualidade (Deming)• 1: Estabeleça constância de propósitos para a melhoria do produto e do serviço, objetivando tornar-se competitivo e manter-se em atividade, bem como criar emprego;• 2: Adote a nova filosofia. Estamos numa nova era econômica. A administração ocidental deve acordar para o desafio, conscientizar-se de suas responsabilidades e assumir a liderança no processo de transformação;• 3: Deixe de depender da inspeção para atingir a qualidade. Elimine a necessidade de inspeção em massa, introduzindo a qualidade no produto desde seu primeiro estágio;• 4: Cesse a prática de aprovar orçamentos com base no preço. Ao invés disto, minimize o custo total. Desenvolva um único fornecedor para cada item, num relacionamento de longo prazo fundamentado na lealdade e na confiança;• 5: Melhore constantemente o sistema de produção e de prestação de serviços, de modo a melhorar a qualidade e a produtividade e, consequentemente, reduzir de forma sistemática os custos;
  • 13. • 6: Institua treinamento no local de trabalho;• 7: Institua liderança. O objetivo da chefia deve ser o de ajudar as pessoas e as máquinas e dispositivos a executarem um trabalho melhor. A chefia administrativa está necessitando de uma revisão geral, tanto quanto a chefia dos trabalhadores de produção;• 8: Elimine o medo, de tal forma que todos trabalhem de modo eficaz para a empresa;• 9: Elimine as barreiras entre os departamentos. As pessoas engajadas em pesquisas, projetos, vendas e produção devem trabalhar em equipe, de modo a preverem problemas de produção e de utilização do produto ou serviço;• 10: Elimine lemas, exortações e metas para a mão-de-obra que exijam nível zero de falhas e estabeleçam novos níveis produtividade. Tais exortações apenas geram inimizades, visto que o grosso das causas da baixa qualidade e da baixa produtividade encontram-se no sistema, estando, portanto, fora do alcance dos trabalhadores;
  • 14. • 11: Elimine padrões de trabalho (quotas) na linha de produção. Substitua-os pela liderança; elimine o processo de administração por objetivos. Elimine o processo de administração por cifras, por objetivos numéricos. Substitua-os pela administração por processos através do exemplo de líderes;• 12: Remova as barreiras que privam o operário horista de seu direito de orgulhar-se de seu desempenho. A responsabilidade dos chefes deve ser mudada de números absolutos para a qualidade; remova as barreiras que privam as pessoas da administração e da engenharia de seu direito de orgulharem-se de seu desempenho. Isto significa a abolição da avaliação anual de desempenho ou de mérito, bem como da administração por objetivos;• 13: Institua um forte programa de educação e auto- aprimoramento;• 14: Engaje todos da empresa no processo de realizar a transformação. A transformação é da competência de todo mundo.
  • 15. Prêmios da Qualidade 1951 1987 1991 1992
  • 16. Planejamento e Controle daQualidadeWalter A. Shewhart:• Controle estatístico da Produção (CEP);• Controle estatístico da Qualidade (CEQ).Kaoru Ishikawa; difusão das ferramentas daqualidade
  • 17. Ferramentas da Qualidade• Diagrama de Pareto;• Diagrama de causa-efeito;• Estratificação;• Histograma;• Lista de verificação;• Gráficos de controle;• Diagrama de correlação.
  • 18. Normalização, Auditoria eCertificação para a Qualidade• Para Normalizar é necessário padronizar:
  • 19. Normalização, Auditoria eCertificação para a Qualidade• “Quer jogar! Então mostre que sabe as regras!”
  • 20. Normalização, Auditoria eCertificação para a Qualidade• No total o Rio Grande do Norte possui 42 certificações na NBR ISO 9001:2008;• Desse total 9 delas são da cidade de Mossoró, as demais estão, no geral concentradas na capital Natal.• O estado do Ceará possui 136 empresa certificadas, São Paulo possui 2.147 certificações;• No geral a região Nordeste possui 776 certificações, Sudeste 3.468, Sul 1.268, Centro- oeste 326, Norte 188 certificações.Fonte: Comitê brasileiro da Qualidade CB-25
  • 21. Empresas certificadas deMossoró• CONFECÇÃO POLLYBRINDES LTDAEscopo de Certificação: Confecção de uniformesprofissionais;• CONFIANÇA MUDANÇAS E TRANSPORTES LTDAEscopo de Certificação: Mudanças residenciais ecomerciais, nacionais e internacionais, transporte emovimentação de materiais e equipamentos relacionados àárea petrolífera, produtos químicos, explosivos, transportee armazenamento de medicamentos;• ENGEPETROL LTDAEscopo de Certificação: desenvolvimento, fabricação emanutenção de ferramentas para a indústria petrolífera;Fonte: Comitê brasileiro da Qualidade CB-25
  • 22. Empresas certificadas deMossoró• G&C MANUTENÇÃO E SERVIÇOS LTDA.Escopo de Certificação: Gestão de contratos de prestaçãode serviços;• ITAPETINGA AGRO INDUSTRIAL S/AEscopo de Certificação: Fabricação e venda de cimentoportland.• MM COMÉRCIO DE PARAFUSOS E FERREMENTASLTDA. MM COMÉRCIO DE PARAFUSOS E FERREMENTASLTDAEscopo de Certificação: comercialização de elementos defixação, peças especiais, acessórios, máquinasequipamentos, ferramentas e peças em geral paramontagem e manutenção da indústria petrolífera.Fonte: Comitê brasileiro da Qualidade CB-25
  • 23. Empresas certificadas deMossoró• PINTI METAL MONTAGEM JATEAMENTO E PINTURAEscopo de Certificação: Jateamento e pinturaindustrial;• SOCEL COMÉRCIO DE VEÍCULOS LTDAEscopo de Certificação: Comercialização deAutomóveis e Comerciais Leves e Pós-Vendas;• VIA DIESEL DISTRIBUIDORA DE VEÍCULOS, MOTORES E PEÇAS LTDAEscopo de Certificação: Pós-Vendas de Caminhões eÔnibus.Fonte: Comitê brasileiro da Qualidade CB-25
  • 24. Normalização, Auditoria eCertificação para a Qualidade• “A mais de uma maneira de jogar o mesmo jogo!”• DMAIC (Define; Measure; Analyse; Improve; Control), definir, medir, analisar, melhorar, controlar.
  • 25. Organização Metrológica daQualidade • “Olha Ford, ai mais uma Vez!”:Padronizar para medir;
  • 26. Organização Metrológica daQualidade• Ter certeza dos resultados obtidos é essencial: calibrar e aferir.
  • 27. Organização Metrológica daQualidade• “Falando em metrologia e qualidade, alguém conhece o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia?”
  • 28. Confiabilidade de Processos e Produtos“eu fico com o da direita!”:“Cuidado! Preconceito em alguns casos é crime!” A VolvoCar Corporation pertence a chinesa Geely InternationalCorporation.
  • 29. Confiabilidade deProcessos e Produtos • Afinal, o que é?Segundo Carvalho in Batalha (2008,cap.17 p.72) “Aconfiabilidade pode ser definida como aprobabilidade de um item(produtos, serviço, equipamento) desempenhar afunção requerida, por um intervalo de tempoestabelecido, sob condições definidas de uso(ABNT, 1994, NBR, 5462).”
  • 30. Gráfico Banheira Infância Senilidadefalhas Maturidade tempo
  • 31. Confiabilidade deProcessos e Produtos• A confiabilidade de um produto/serviço deve ser definida, desde os atributos de seu projeto à conformidade em relação ao mesmo, pois é necessário conhecer o produto para definir os padrões que determinarão sua confiabilidade, dentro de sua aplicação.
  • 32. Confiabilidade deProcessos e Produtos• A Nasa na década de 1960, utilizando dos parâmetros de medição de confiabilidade criou um método analítico para determinação e analises de falhas chamado Failure Mode and Effect Analysis – FMEA, análise dos modos e efeitos das falhas, que consiste basicamente na identificação dos modos de falhas potenciais assim como suas causas e efeitos potenciais.
  • 33. Confiabilidade deProcessos e Produtos• Se não tiver alto grau de confibilidade, as vezes nem dá tempo dizer: “Houston! We have a problem!” Explosão do ônibus espacial challenger, 26/01/1986
  • 34. Confiabilidade deProcessos e Produtos• A confiabilidade de um processo e/ou produto/serviço garante a segurança do consumidor e dos colaboradores.
  • 35. Considerações• Não adiantar ter sistemas de gestão e controle da qualidade em todos os processos de uma organização se eles não forem integrados!Não, é?! DonaWhat is now SONY?Matéria Bloomberg/Businessweek 17/11/2011
  • 36. EntrevistaEntrevista relizada com Dr. Joanir Luís Kalnin, coordenador do curso deengenharia de produção da Universidade de Caxias do Sul (UCS), em 11nov. 2011:1. Qual a importância da Engenharia da Qualidade paraa sociedade/organizações?Dr. Kalnin: Uma empresa só consegue ser competitiva se produzirprodutos com qualidade que o mercado em questão exige.Portanto, qualidade é um pré-requisito para encantar os clientes-alvos.2. Quais os desafios principais, que um Engenheiro de produção encontraao atuar nessa área?Dr. Kalnin: O principal desafio é produzir com mais eficiência e eficáciautilizando cada vez menos recursos físicos e humanos, ou seja, otimizandoos processos.3. Onde pode ser aplicada a Engenharia da Qualidade?Dr. Kalnin: Na nossa casa, empresa, rua, no dia a dia, ou seja em todosos lugares podemos utilizar os princípios da qualidade.
  • 37. Entrevista 4. Na sua concepção, Como a Engenharia da Qualidade se relacionacom as demais áreas da Engenharia de Produção (engenharia deproduto, logística, pesquisa operacional...)?Dr. Kalnin: Essa relação é horizontal, ou seja, ela deve estar presente emtoda a cadeia de suprimentos.5. Como ou quais ferramentas, um Engenheiro de Produção podeutilizar para aumentar a confiabilidade de um processo e/ou produto?Dr. Kalnin: Aplicando os 14 princípios da qualidade definidos por Deming eexigir que os padrões da ISO sejam realmente respeitados. 6. Qual a importância da Engenharia da Qualidade para o processode tomada de decisão nas organizações?Dr. Kalnin: Qualidade tem haver com ética, bom senso, respeitar osclientes, ouvi-los e buscar através do lançamento de produtos encantá-los.Portanto, ela é importante para as organizações e sociedade.
  • 38. Entrevista7. No seu ponto de vista, como se encontra ademanda atual de Engenheiros de Produção? essademanda é crescente ou decrescente?Dr. Kalnin: Hoje, está faltando engenheiro emtodas as áreas. Como o Engenheiro de Produção éum gestor com visão interdisciplinar, obviamenteexiste carência desse profissional nas empresas. 8. Qual ou quais áreas da Engenharia de Produçãoapresentam mais carência de Profissionais?DR. Kalnin: Pesquisa operacional, GestãoEconômica e Engenharia do Produto.
  • 39. Introdução ao Conceito de Normalização emGeral e sua Importância na Engenharia Análise histórica da importância da criação deórgãos de normatização e controle na Europa e nomundo. Mostra a criação e a importância dos órgãos denormalização e a utilização de paramentos padronizadosde medidas e especificações de processos. Resultado nafacilitação da integração e comércio tanto no blocoeconômico europeu como no mundial, através dosdiversos tipos de normalização.ALMCINHA, J. A. Introdução ao Conceito de Normalização emGeral e sua Importância na Engenharia. Inegi. Porto, 2005.Disponível em:< http://www.inegi.pt/instituicao/ons/pdf/JASA-1.PDF>. Acesso em: 10 nov. 2011.
  • 40. Aplicação Prática da Técnica do PDCA e das Ferramentas daQualidade no Gerenciamento de Processos Industriais paraMelhoria e Manutenção de Resultados Esse trabalho o foi aplicado em uma metalúrgicada cidade de Juiz de Fora-MG, onde através da utilizaçãodo ciclo PDCA e das principais ferramentas da qualidadecomo: diagrama de Pareto, diagrama de causa-efeito, diagrama de controle dentro outros; possibilitou aidentificação e gargalos na produção e melhoria dosistema de produção garantindo resultados otimizadosda produção. Os mesmo conceitos utilizados nesse trabalhopodem ser aplicados em diversos setores.LEONEL, P. H. Aplicação Prática da Técnica do PDCA e das Ferramentasda Qualidade no Gerenciamento de Processos Industriais para Melhoriae Manutenção de Resultados. UFJF. Juiz de Fora. Jun. 2008. Disponívelem:<http://www.ufjf.br/ep/files/2009/06/tcc_jul2008_pauloleonel.pdf>Acesso em : 10 nov. 2011.
  • 41. Aplicações de Técnicas da Engenharia da Qualidade noAperfeiçoamentos de um Processo de Produção naSuíno Cultura O objetivo principal desse trabalho foi identificaras causa da mortalidade de leitões nasuinocultura, aplicando diretamente as ferramentas daqualidade (folha de controle, diagrama dePareto, diagrama causa-efeito entre outras) e o cicloPDCA no sistema de produção predominante nasuinocultura do Brasil. Após aplicação desta ferramenta foramidentificadas algumas das causa da mortalidade, o quepossibilitou a criação de procedimentos visando amelhoria dos resultados.ORO, S. R. Aplicações de Técnicas da Engenharia da Qualidadeno Aperfeiçoamentos de um Processo de Produção na SuínoCultura. Curitiba. UFPR. 9 set. 2010. Disponível em:<http://dspace.c3sl.ufpr.br/dspace/bitstream/handle/1884/24854/dissertacao_Sheila_Oro.pdf?sequence=1>. Acesso em:14nov. 2011.
  • 42. Uso e qualidade da água subterrâneapara irrigação no Semi-Árido piauiense Este trabalho trata do estudo da utilização equalidade da agua obtida de poços subterrâneos,usados na agricultura no estado do Piauí, utilizandoparâmetros metrológicos e ferramentas estatísticasda qualidade e análise dos sistemas de irrigaçãovigentes na região. A obra mostrou aviabilidade/inviabilidade de alguns poços parautilização na produção agrícola.ANDRADE Jr. A. S. Uso e qualidade da água subterrânea parairrigação no Semi-Árido piauiense. Revista Brasileira deEngenharia Agrícula e Ambiental. Campina Grande. 20 jan.2005. Disponível em:<http://www.scielo.br/pdf/rbeaa/v10n4/v10n4a14.pdf>. Acessoem: 12 nov. 2011.
  • 43. Referências• SLACK, N. et al, Administração da Produção, edição compacta. 1 ed. São Paulo: Atlas, 2006. cap. 17 p. 411-440;• JURAN, J. M. A Qualidade desde o Projeto, Os novos passo para o planejamento da qualidade em produtos e serviços. 1ª ed. São Paulo: Cengage Learning, 1992.• CARVALHO, M. M. Qualidade. In: BATALHA, M. O. (Org). Introdução a Engenharia de Produção. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008 – 3ª reimpressão.• VIEIRA, S. Estatística para Qualidade 1 ed. Rio de Janeiro: Campus, 1999• CAVALHO, M. M. et al. Gestão da qualidade: Teoria e Casos. 1 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.• DEMING, W. E. Qualidade: A Revolução da Administração. Rio de Janeiro: Marques Saraiva, 1990.
  • 44. Referências• ALMACINHA, J. A. Introdução ao Conceito de Normalização em Geral e sua Importância na Engenharia. Inegi. Porto, 2005. Disponível em:< http://www.inegi.pt/instituicao/ons/pdf/JASA-1.PDF>. Acesso em: 10 nov. 2011.• LEONEL, P. H. Aplicação Prática da Técnica do PDCA e das Ferramentas da Qualidade no Gerenciamento de Processos Industriais para Melhoria e Manutenção de Resultados. UFJF. Juiz de Fora. Jun. 2008. Disponível em:< http://www.ufjf.br/ep/files/2009/06/tcc_jul2008_pauloleonel.pdf> Acesso em : 10 nov. 2011.• ORO, S. R. Aplicações de Técnicas da Engenharia da Qualidade no Aperfeiçoamentos de um Processo de Produção na Suíno Cultura. Curitiba. UFPR. 9 set. 2010. Disponível em:< http://dspace.c3sl.ufpr.br/dspace/bitstream/handle/1884/24854/disserta cao_Sheila_Oro.pdf?sequence=1>. Acesso em:14 nov. 2011.• ANDRADE JR. A. S. Uso e qualidade da água subterrânea para irrigação no Semi-Árido piauiense. Revista Brasileira de Engenharia Agrícula e Ambiental. Campina Grande. 20 jan. 2005. Disponível em:< http://www.scielo.br/pdf/rbeaa/v10n4/v10n4a14.pdf>. Acesso em: 12 nov. 2011.

×