• Save
Teorias da cor   cartografia temática
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Teorias da cor cartografia temática

on

  • 10,315 views

Estudos de teoria da cor.

Estudos de teoria da cor.

Statistics

Views

Total Views
10,315
Views on SlideShare
10,201
Embed Views
114

Actions

Likes
18
Downloads
0
Comments
1

3 Embeds 114

http://www.slideshare.net 86
http://www.eugeniovisual.prtg.eu 23
http://arteduka.ning.com 5

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Teorias da cor   cartografia temática Teorias da cor cartografia temática Presentation Transcript

  • Um pouco de Teoria da Cor baseada na apresentação: CARTOGRAFIA TEMÁTICA Prof. Raul Guimarães
  • A VARIÁVEL VISUAL COR As cores que percebemos são produzidas pela luz. A luz do sol, aparentemente branca, é, na verdade, composta pelas sete cores do arco-irís. Quando a luz do sol ilumina um objeto, algumas dessas cores são absorvidas pelo objeto, enquanto as outras são refletidas na direção dos olhos que as percebem. É esse o fenômeno na direção dos olhos que as percebem. Esse fenômeno nos permite dizer qual a cor dos objetos.
  • A percepção da cor A cor nada mais é que a percepção, por células especializadas da retina, de uma determinada longitude de onda da radiação eletromagnética. A retina possui dois tipos de células: os cones (responsáveis pela percepção da cor) e bastonetes (que não distinguem cor, e são responsáveis pela visão noturna). Os cones especializam-se na captação de uma determinada faixa de longitudes de onda: azul, vermelho ou verde. Quando um fóton excita a retina, os cones respondem dentro de sua faixa de sensibilidade à intensidade da excitação. Esta informação é enviada ao cérebro através do nervo óptico, decodificada e transformada em uma percepção específica. View slide
  • Efeitos psicológicos da cor As cores exercem diferentes efeitos fisiológicos sobre o organismo humano e tendem, assim, a produzir vários juízos e sentimentos. Aparentemente, damos um peso às cores. Na realidade, olhando para cada cor damos um valor-peso, mas é somente um peso psicológico. A cor, elemento fundamental em qualquer processo de comunicação, merece uma atenção especial. É um componente com grande influência no dia a dia de uma pessoa, interferindo nos sentidos, emoções e intelecto. View slide
  • A ação tríplice da cor A cor exerce ação tríplice: a de impressionar, a de expressar e a de construir: • A cor é vista: impressiona a retina. • A cor é sentida: provoca emoção. • A cor é construtiva, pois tendo um significado próprio, possui valor de símbolo, podendo assim, construir uma linguagem que comunica uma idéia, que pode ser de leveza, alegria, sobriedade, etc.
  • A resposta emocional à cor • A resposta emocional à cor é função do contexto cultural do usuário. Em culturas ocidentais há uma certa correlação entre cor e resposta emocional: • Vermelho: perigo, alerta, quente, excitante, paixão, sexo Azul: masculino, frio, calmo, confiável, estável Branco: pureza, honestidade, frio Pastel: feminino, sensibilidade, delicadeza, cálido Laranja: emocional, positivo, jovem Negro: densidade, seriedade, morte, autoridade, poder, estabilidade Rosado: feminino, cálido, jovem Verde: natureza, conforto, positivo (esperança)
  • Fatores de diferenciação das cores • Matiz: é a gradação das cores (o amarelo do azul, o verde do violeta, etc). • A intensidade ou saturação: é a pureza relativa de uma escala de cinzas. Em sua intensidade máxima, as cores são ditas puras, e intensidade é o que determina os matizes mais claros ou escuros. • O tom ou brilho é a escala do claro ao escuro de uma cor em relação a uma escala de cinzas que varia do branco ao preto.
  • Características da cor • O contraste mede a separação entre valores de um determinado matiz Contraste baixo (esq.), normal (centro) e alto (dir.)
  • • O brilho mede a quantidade de cor branca adicionada à cor Brillo bajo (izq.), normal (centro) e alto (der.)
  • • A saturação mede a quantidade de uma determinada cor presente na mistura. Observa as variações de saturação nas cores Totalmente Sem saturação primárias. Saturado
  • Tom ou Brilho • Refere-se ao maior ou menor quantidade de luz presente na cor. Quando se adiciona preto a determinado matiz, este se torna gradualmente mais escuro, e essas graduações são chamadas escalas tonais. Para se obter escalas tonais mais claras acrescenta-se branco.
  • A temperatura das cores • A temperatura das cores, designa a capacidade que as cores têm de parecer quentes ou frias.
  • As cores primárias • Cores Primárias: São as cores que não podem ser formadas por nenhuma mistura. São elas azul, amarelo e vermelho.
  • Cores Secundárias • Cores Secundárias: São as cores que surgem da mistura de duas cores primárias.
  • Representação da cor A primeira representação do espectro foi proposta por Sir Isaac Newton, que combinou as cores em um círculo.
  • Efeitos de Contraste • Estudos têm demonstrado que os melhores efeitos de contraste são percebidos por diferença de tonalidade ou brilho. • Na conversão para tons de cinza, algumas cores assumem a mesma tonalidade e se confundem. Este efeito de contraste é importante se é utilizado monitor ou impressora monocromáticos. FIGURA 4 – Ord em Crescente d e Visib ilid ad e se gundo o Co ntraste entre as Cores.
  • Qualidade da visibilidade da cor • Em 1958, Heison, avaliou a qualidade da visibilidade das cores, a uma distância de 180 metros, numa escala de 0 a 100 – amarelo âmbar............95 – amarelo fluorescente. .73 – laranja fluorescente.....69 – laranja......................... 54 – vermelho flourescente.51 – vermelho..................... 35 – azul............................. 26 – verde........................... 24 • Experiências realizadas na Alemanha, revelaram que a tela amarelo âmbar teve um desempenho 4 vezes melhor que uma preto e branco. Na seqüência ao amarelo âmbar segue- se o verde e o azul
  • Contraste e Harmonia • Harmonia das cores: – harmonia das cores opostas ou de contraste: o maior contraste se obtém justapondo cores complementares; a maior superfície é colorida com uma cor quente e a menor com sua cor complementar fria – harmonia das cores análogas ou vizinhas: é o emprego de uma cor e uma ou duas vizinhas; por exemplo: laranja e seus vizinhos, vermelho e amarelo; a cor mais clara usada na superfície maior – harmonia monocromática ou de cor dominante: é o uso de uma única cor, aplicada pura e em vários tons, claros e escuros • Cores Complementares: – Vermelho - Ciano (azul piscina) – Verde - Magenta (lilás) – Azul - Amarelo
  • Cores complementares Cores complementares são as cores opostas no disco de cores. Ex: o vermelho é complementar do verde. O azul é complementar do laranja. As cores complementares são usadas Para dar força e equilíbrio a um trabalho criando contrastes. raramente se usa cores apenas cores complementares em um trabalho, o efeito pode ser desastroso. Ressaltamos que as cores complementares são as que mais contrastes entre si oferecem, sendo assim, se queremos destacar um amarelo, devemos colocar junto dele um violeta.
  • Cores Análogas Cores análogas são as que aparecem lado-a-lado no disco de cores. São análogas porque há nelas uma mesma cor básica. Pôr exemplo o amarelo-ouro e o laranja –avermelhado tem em comum a cor laranja. Elas são usadas para dar a sensação de uniformidade.A composição em cores análogas são consideradas elegantes, e podem ser equilibradas com uma cor complementar.
  • Contrastes • Cores contrastantes São cores que, quando usadas próximas umas das outras, produzem uma sensação de choque. As cores contrastantes são diretamente opostas no disco das cores. Assim, a cor que mais contrasta com o vermelho é o ciano; o mesmo acontece com o azul e o amarelo; e com o magenta e verde. Se a cor é primária, contrasta sempre com a secundária e vice-versa. O resultado estético dessas combinações nem sempre é satisfatório, a não ser que haja interesse em explorar o choque visual produzido por elas. Quando mais forte forem elas, maior será esse impacto.
  • Um bom contraste se obtém entre cores escuras da metade inferior do círculo e cores claras da metade superior. Metade inferior do círculo (abaixo) Metade superior do círculo (acima)
  • Contrastes Aqui um exemplo do uso da cor preto para destacar as demais. Orle Baertling
  • Contrastes de limite A cor central é uma mistura das duas cores laterais. Observe que a faixa central é clareada por cada uma das duas outras cores, mas do lado oposto. No limite com a faixa vermelha, o violeta é clareado pelo vermelho e, no limite com a faixa azul, o violeta é clareado pelo azul.
  • Harmonia das Cores • Outra forma de manter a harmonia de cores é o uso de uma única cor, variando-se a intensidade da mesma, ou seja, dosando-se progressivas quantidades de branco ou preto à cor pura.
  • • Por outro lado, a idéia de ordenação, de valor, pode ser obtida, além de se obter variando-se o matiz da cor, pode ser obtida, utilizando-se o círculo de cores, buscando-se as cores próximas.
  • Harmonias de cores
  • • Harmonia triádica - Na harmonia triádica, são usadas três cores eqüidistantes no círculo das cores. Um triângulo eqüilátero dentro do círculo das cores indica quais são elas. • Exemplo: amarelo, azul e vermelho, usando apenas cores primárias.
  • • Harmonia analóga - Usando o mesmo círculo cromático (dessa vez sem a ajuda do triângulo), tem-se a harmonia analógica: três cores bem próximas são selecionadas, em que uma delas é tida como predominante. É uma seqüência de cores.
  • • Harmonia complementar - Utiliza cores complementares, como amarelo e violeta, azul e laranja, verde e vermelho. • Harmonia de qualidade - Contraste de claro e escuro, usando as variações de uma mesma cor. Exemplo: uma página inteira em tons de azul, cortada por uma cor forte, que se destaca nessa variação. • Cores quentes X cores frias - Outras combinações envolvem o uso de cores quentes com cores frias. O contraste de uma cor com a outra marca a composição da página.
  • Dicas de combinações • Brinque de combinar. Utilize pequenas amostras, desenhe e use lápis de cor. Faça exercícios. É sério! A prática também é importante. Desenhe um bloco, ou junte alguns retalhos e verifique: você gostou? O que está faltando? Ficou escuro, coloque mais brilho e diminua o contraste. Ficou muito claro? Que tal acrescentar uma "sombra"? O que irá dar harmonia na combinação, não é só a mistura do amarelo com verde, ou do azul com o rosa, é o complemento do esquema inicial, o balanceamento dos valores. Lembre-se: claro, médio e escuro em harmonia. Estude, aprecie e analise a sua combinação e procure saber qual o objetivo que você quer alcançar com o seu esquema de cor: alegria, seriedade, luminosidade, tranqüilidade, inovação, agressividade etc. O círculo cromático é uma boa ferramenta para combinarmos cores, mas lembre-se de que regras podem ser quebradas.
  • Dicas de combinações: • Esquema de Cores Primárias - As cores primárias são cores puras e que merecem atenção e cuidado quando usadas. Complemente com cores neutras. Tríade - É um esquema que usa três cores secundárias eqüidistantes. Por exemplo: verde, violeta, laranja ou então violeta azulado, laranja avermelhado, verde amarelado. A tríade é considerada como um dos esquemas mais harmoniosos na roda de cores. Forma um triângulo isósceles na Roda de Cores.
  • • Esquema de Cores Quentes - Você combina as cores e tonalidades consideradas quentes: amarelo, laranja, vermelho e marrom. Esquema de Cores Frias - Você combina as cores e tonalidades consideradas frias: azul, verde e violeta.
  • • Esquema de Cores Diretamente Complementares - Combinar duas cores diretamente opostas na roda. Uma intensifica a outra. É uma forma de dar início a um esquema. Por exemplo: Laranja é diretamente complementar ao azul, então, comece com azul e laranja e complemente com as tonalidades (claro, médio e escuro), podendo balancear com cores neutras e os bons vizinhos.
  • • Quadricolor - É um esquema que usa duas cores complementares separadas por duas cores adjacentes a elas. É um esquema considerado harmônico, porque contém duas cores diretamente complementares. Por exemplo: Azul, vermelho violeta, laranja, verde amarelado. Formam um retângulo na Roda de Cores.
  • • Esquema Complementar Dividido - É um esquema com 3 cores, sendo que duas são análogas ou adjacentes e a terceira é uma diretamente complementar. Por exemplo: amarelo (complementar) com azul violeta e vermelho violeta (adjacentes).
  • • Esquema Duplo Complementar Dividido - É um esquema onde duas cores diretamente complementares se juntam a duas outras cores separadas mutuamente por uma adjacente. Neste esquema forma-se um retângulo na roda de cores. Por exemplo: verde, vermelho, amarelo e violeta.
  • • Esquema policromático: Usam-se muitas cores da roda de cores. É uma combinação charmosa e alegre. Lembre-se de que ao formar um esquema, necessariamente você não usará apenas as cores dispostas na extremidade da roda de cores, o balanço e a harmonia vêm com o uso das tonalidades (valores): claro-médio-escuro. Cor é responsabilidade emocional.
  • Cores acromáticas ou neutras • Cores Acromáticas: São as cores chamadas neutras: o branco, o preto, as cinzas e os marfins.
  • Bibliografia Da cor à cor inexistente – Israel Pedrosa Editora Universidade de Brasília – 3ª edição Psicodinâmica da cores em comunicação – Modesto Farina Editora Edgar Blucher Ltda – 4ª edição Arte & Percepção Visual – Rudolf Arnheim Editora Livraria Pioneira – 7ª edição www. patches.nom/retalhos – Teoria da cores