Your SlideShare is downloading. ×
0
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Apresentação  Técnica  Base  Inicial
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Apresentação Técnica Base Inicial

2,696

Published on

Published in: Technology, News & Politics
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
2,696
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
55
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. CONTROLE DE FORMIGAS CORTADEIRAS EM POVOAMENTOS FLORESTAIS DEPARTAMENTO TÉCNICO
  • 2. INTRODUÇÃO <ul><li>± 5.4 milhões ha de Floresta Plantada no BR </li></ul><ul><li>(60% Eucalipto, 36% Pinus e 4% outros) </li></ul><ul><li>PIB: US$ 28 bilhões (4% PIB Nacional) </li></ul><ul><li>Empregos Gerados: 6 milhões </li></ul><ul><li>2005: mais de 500 mil ha plantados </li></ul><ul><li>Uso: Carvão, Lenha, Madeira, Celulose, Papel ... </li></ul>
  • 3.   2.Importância Econômica <ul><li>Principal praga dos reflorestamentos brasileiros; </li></ul><ul><li>75% dos custos e do tempo gasto no controle de </li></ul><ul><li>pragas; US$ 70 milhões/ano </li></ul><ul><li>30% dos gastos com a floresta até o 3º ciclo; </li></ul><ul><li>7,41% do preço da madeira em pé. </li></ul>
  • 4. 3. Espécies de Maior Ocorrência em Florestas Plantadas <ul><ul><li>Saúvas </li></ul></ul><ul><li>Atta sexdens rubropilosa (Saúva-limão) </li></ul><ul><li>Atta laevigata (Saúva cabeça-de-vidro) </li></ul><ul><ul><li>Quenquéns </li></ul></ul><ul><li>Acromyrmex crassispinus </li></ul><ul><li>Acromyrmex niger </li></ul><ul><li>Acromyrmex subterraneus </li></ul><ul><li>Acromyrmex coronatus </li></ul>
  • 5. IDENTIFICAÇÃO DE SAÚVAS E QUENQUÉNS Atta Acromyrmex <ul><li>Operárias apresentam três pares de espinhos no tórax </li></ul><ul><li>Operárias apresentam quatro ou cinco pares de espinhos no tórax </li></ul><ul><li>Tamanho geralmente maior (12 a 15mm) </li></ul><ul><li>Tamanho menor que o das saúvas (8 a 10mm) </li></ul><ul><li>Ninho constituído de um monte de terra solta </li></ul><ul><li>Ninho geralmente não apresenta monte de terra solta </li></ul>
  • 6. Atta Acromyrmex <ul><li>Panelas de profundidade de até 8 metros </li></ul><ul><li>Panelas pouco profundas: de 1 a 2 metros </li></ul><ul><li>Colônias maiores e bem visíveis com várias panelas </li></ul><ul><li>Colônias menores, difícil visualização, com poucas panelas </li></ul><ul><li>10 espécies </li></ul><ul><li>20 espécies </li></ul>
  • 7. SAÚVAS QUENQUÉNS
  • 8.  
  • 9.  
  • 10.  
  • 11.  
  • 12. BIOLOGIA <ul><li>- Revoada ou Vôo Nupcial </li></ul><ul><li>- Escavação do novo formigueiro </li></ul><ul><li>- Instalação do novo formigueiro </li></ul><ul><ul><ul><li>Deposição do fungo (cavidade infrabucal) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Ovoposição </li></ul></ul></ul><ul><li>- Fixação do novo formigueiro </li></ul>  1.Fundação da Colônia
  • 13.  
  • 14.   2.Organização Social
  • 15.  
  • 16.   3.Ciclo de Vida Períodos do ciclo Tempo de duração (dias) Período de incubação dos ovos 25 Período larval 22 Período pupal 10 Longevidade máxima do adulto (cortadeira) 120 Longevidade máxima do adulto (soldado) 390
  • 17.  
  • 18.  
  • 19.   4. Densidade e Distribuição de Colônias Atta ssp. Acromyrmex ssp. 0,5 a 5 colônias/ha 0,3 a 2,4 colônias/ha Em plantio de Eucalyptus já se observou 200 colônias/ha
  • 20.   5. Alimentação Servem de substrato para o cultivo do fungo, do qual se alimentam. <ul><li>Não se alimentam das folhas que transportam para a colônia. </li></ul>
  • 21. 6. DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA DAS FORMIGAS CORTADEIRAS NO CONTINENTE AMERICANO Latitude 44ºN Latitude 33ºS
  • 22. DANOS CAUSADOS Danos causados por Quenquéns em Eucalipto
  • 23. Danos causados por Saúvas em broto de Eucalipto
  • 24. Danos causados por Saúvas em mudas de Eucalipto
  • 25. Danos causados por Saúvas em Pinus
  • 26. MÉTODOS DE CONTROLE   1. Biológico <ul><li>Insetos (moscas, besouros e percevejos) </li></ul><ul><li>Ácaros </li></ul><ul><li>Aves e Mamíferos (sabiá, pardais, tatu e tamanduá) </li></ul><ul><li>Fungos Patogênicos </li></ul><ul><li>Outros (aranha, escorpiões, e outros) </li></ul>
  • 27.   2. Mecânico <ul><li>Aração </li></ul><ul><li>Gradagem </li></ul><ul><li>Barreiras Físicas </li></ul>  3. Culturas Armadilhas <ul><li>Gergelim </li></ul><ul><li>Mamona </li></ul>  4. Resistência de Plantas
  • 28.   5. Químico
  • 29. <ul><li>Termonebulizador </li></ul>
  • 30. <ul><li>Isca Granulada ATTA MEX-S </li></ul>
  • 31. ATTA MEX-S 1. Composição <ul><li>Polpa Cítrica </li></ul><ul><li>Sulfluramida (ingrediente ativo, 3g/Kg) </li></ul><ul><li>Óleo de Soja </li></ul><ul><li>Aglutinantes </li></ul>
  • 32. 2. Características da Sulfluramida <ul><li>Age por Ingestão (forma lenta) – 50-70% das </li></ul><ul><li>operárias em 24 horas. </li></ul><ul><li>Sem odor, não é repelente e está em baixa concentração no ATTA MEX-S. </li></ul>Rompe o fluxo normal dos prótons nas mitocôndrias Evita formação do ATP Perda da Reserva Energética Morte da formiga
  • 33. 3. Funcionamento do ATTA MEX-S Transporte do ATTA MEX-S para o formigueiro Depositam nos Jardins de Fungos Jardineiras lambem ATTA MEX-S (Início da ingestão pelas operárias) Retiram pequenos pedaços de ATTA MEX-S Início da transmissão 6 horas após a oferta, ocorrendo até 18 horas (50-70% das operárias contaminadas por trofalaxia)
  • 34. Depois de 3 - 4 dias deixam de cortar. Alta mortalidade das operárias, jardineiras e generalistas (Operárias com pouca mobilidade, deixam de cortar as folhas) Após alguns dias desorganização da produção do Fungo Rainha morre por inanição em 40 dias aprox.
  • 35.  
  • 36. 3. Métodos de Aplicação do ATTA MEX-S A- Localizada
  • 37.  
  • 38. Modelo Bombata
  • 39. Modelo Exata
  • 40. Modelo Cilindro PVC
  • 41. Aplicação Mecanizada
  • 42. 5. Utilização dos EPIs São ferramentas de trabalho que visam proteger a saúde do trabalhador rural, que utiliza os Produtos Fitossanitários, reduzindo os riscos de intoxicações decorrentes da exposição.
  • 43.  
  • 44.  
  • 45. 6. Armazenamento do ATTA MEX-S Garantia de Segurança, Qualidade e Eficiência
  • 46.  
  • 47. 7. Devolução das Embalagens <ul><li>Até 1 ano da data da compra </li></ul><ul><li>Após 1 ano (dentro do prazo de validade), é </li></ul><ul><li>facultativo a devolução por 6 meses após o </li></ul><ul><li>término da validade. </li></ul><ul><li>Devolvida no local de compra ou local </li></ul><ul><li>indicado na nota fiscal </li></ul><ul><li>Não transportar com alimentos, animais, </li></ul><ul><li>medicamentos, etc. </li></ul>
  • 48. gradecemos sua atenção e a oportunidade que tivemos de apresentar nossos produtos e serviços. Temos uma equipe treinada aguardando seu contato para dar solução aos seus problemas. Atenciosamente, A Tel.: (16) 3628-1010 - Fax: (16) 3628-1123 DDG: 0800 18 3000 www.unibras.com.br e-mail: atendimento@unibras.com.br

×