• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Pós colheita em Frutas: pesquisa, armazenagem e transporte
 

Pós colheita em Frutas: pesquisa, armazenagem e transporte

on

  • 20,165 views

Pós colheita em Frutas: pesquisa, armazenagem e transporte - Dra. Juliana Sanches - Centro de Engenharia e Automação IAC

Pós colheita em Frutas: pesquisa, armazenagem e transporte - Dra. Juliana Sanches - Centro de Engenharia e Automação IAC

Statistics

Views

Total Views
20,165
Views on SlideShare
19,956
Embed Views
209

Actions

Likes
3
Downloads
634
Comments
0

4 Embeds 209

http://www.slideshare.net 111
http://agriculturasp.blogspot.com 96
http://webcache.googleusercontent.com 1
http://www.agriculturasp.blogspot.com 1

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Pós colheita em Frutas: pesquisa, armazenagem e transporte Pós colheita em Frutas: pesquisa, armazenagem e transporte Presentation Transcript

    • Pós-colheita de frutas: armazenamento e transporte JULIANA SANCHES Pesquisadora Científica Instituto Agronômico Centro de Engenharia e Automação jsanches@iac.sp.gov.br
    • PERDAS PÓS-COLHEITA BRASIL: até 50% • grande dimensão territorial • dispersão na produção • distância dos centros de consumo e exportação • demora excessiva na comercialização • produto de baixa qualidade • embalagem inadequada • condições climáticas (calor e umidade) • deficiência da rede de armazenamento • transporte inadequado
    • ATENÇÃO FRUTA É PRODUTO VIVO! Pós-colheita não aumenta a QUALIDADE O que acontece na produção e na colheita, reflete em pós-colheita
    • ARMAZENAMENTO USO DO FRIO o frio não lhe restitui a O alimento deve ser sadio qualidade perdida Mais rápido possível (entre a colheita e o preparo) Não deve ser interrompida
    • ARMAZENAMENTO FRUTA É PRODUTO VIVO! RESPIRAÇÃO Frutos climatéricos e não climatéricos
    • ARMAZENAMENTO EFEITO DE TEMPERATURAS NA RESPIRAÇÃO RESPIRAÇÃO FRUTA TEMPERATURA (°c) (mL.CO2. kg .-1 .h-1) NÃO CLIMATÉRICA 0 1,5 5 4,0 LARANJA 15 9,0 21 15 32 26 38 42 CLIMATÉRICA 7,5 27 10 41 ABACATE 15 73 20 165 25 200
    • ARMAZENAMENTO ETILENO Quando acumulado no interior do ambiente • Aumento da respiração • Estimula as atividades metabólicas • Reduz a vida útil das frutas e hortaliças Cuidado ao armazenar diferentes EFEITO ENVELHECEDOR produtos hortícolas num mesmo ambiente •KMNO4: “seqüestrador” de etileno, mancha o fruto •1-MCP (1-metilciclopropeno): interrompe a formação do etileno
    • ARMAZENAMENTO ODORES produção de associadas ao amadurecimento e aromas voláteis a mistura desses odores INDESEJÁVEL odor produzido por: será absorvido por: abacates abacaxi cebola seca maçã, aipo, pêras cebola verde milho, figo, cogumelos citros carnes, ovos, produtos lácteos gengibre berinjela maçã aipo, carne, cebolas, figos, ovos, produtos lácteos, repolho, cenoura
    • COMPATIBILIDADE DURANTE O ARMAZENAMENTO REFRIGERADO frutas Hort. Lat. peixes carnes aves ovos flores frutas +! Hort. +! +! laticinios - +! + peixes - - - + carnes - - ! - + aves - - ! - + + ovos - +! + - - - + flores - +! - - - - - +! (-) não podem ser armazenados juntos (+) podem ser armazenados juntos (+!) podem ser armazenados juntos, mas nem todos (!) com cuidados especiais, alguns podem ser armazenados juntos
    • ARMAZENAMENTO TEMPERATURA • Maneira de medir o calor • Calor aumenta - velocidade respiratória também aumenta • Dentro da faixa de 0 ° a 30 ° a cada 10° de C C, C aumento na temperatura, a velocidade respiratória pode duplicar, triplicar e até quadruplicar; • Produto destinado ao consumo ‘in natura’ não devem ser congelados.
    • ARMAZENAMENTO ‘CHILLING INJURY’ – DANO POR FRIO FRIAGEM exposição de produtos hortícolas sob temperatura abaixo da recomendada - Perda de sabor; - Amolecimento e afundamento de áreas da superfície; - Colapso e escurecimento da casca e da superfície da polpa; - Amadurecimento desuniforme ou inibição do amadurecimento; - Aparecimento de áreas aquosas sob a casca.
    • Frutas e hortaliças susceptíveis a distúrbios fisiológicos durante o armazenamento refrigerado PRODUTOS Temp. mais baixa que pode ser armaz. sem problemas (°C) Maçãs 2,2 – 3,3 Abacate 4,4 – 12,8 Banana 11,7 – 13,3 Berinjela 7,2 Pepino 7,2 Manga 10,0 – 12,8 melão 7,2 – 10,0 Melancia 4,4 Quiabo 7,2 Mamão 7,2 Abacaxi 7,2 – 10,0 Batata 3,3 Abóbora 12,8 Batata doce 12,8 Tomate maduro 7,2 – 10,0
    • ARMAZENAMENTO UMIDADE - TRANSPIRAÇÃO FRUTAS alto conteúdo de água (70 a 95%) Sempre perdem água, quando: - Conteúdo de água no ar (umidade absoluta) é menor que o conteúdo de água disponível para a evaporação no produto. - A temperatura aumenta. perda de aparência transpiração perda de textura perda de peso Ideal: 85-95% UR
    • ARMAZENAMENTO PALETES DADOS DA EMBALAGEM DADOS DA CARGA NO PALETE N°de caixas por nível Produto N°de níveis por carga Dimensões N°de caixas por carga Material Peso das caixas Peso bruto Peso do palete Peso total Dimensões totais
    • ARMAZENAMENTO PALETES DIMENSÕES (mm) Exemplo de disposição correta de a b caixas sobre o palete 1.200 1.000 c h 100 mm 126 mm a h c b 1
    • ARMAZENAMENTO Algumas técnicas de armazenamento aliadas ao uso do frio Atmosfera Modificada adição ou remoção de gases - composição atmosférica diferente do Atmosfera Controlada ar normal passiva Atmosfera Modificada ativa A composição da atmosfera não é precisamente controlada, aonde as mudanças ocorrem intencionalmente ou não
    • ARMAZENAMENTO As características do produto e a permeabilidade da embalagem são agregadas, Atmosfera Modificada produzindo atmosfera apropriada no interior PASSIVA através do consumo de O2 e produção de CO2 pela respiração Permeabilidade aos gases: O2 entrada CO2 saída A atmosfera no interior da embalagem pode ser Atmosfera Modificada ativamente estabelecida e ajustada (vácuo ATIVA moderado e injeção da mistura gasosa desejada antes da selagem a quente). Remoção e substituição da atm com mistura gasosa desejada – uso de absorvedores (removem CO2, O2 ou etileno). Vantagens: Rápido estabelecimento da atm desejada; Absorvedores de etileno: retardam o aumento climatérico Custos adicionais
    • ARMAZENAMENTO Atmosfera Controlada Respiração em ambientes com baixas concentrações de O2 Ar tem 21% de O2 - menos 10% - a respiração diminui Cuidado – se a concentração de O2 são menores de 2-4% o metabolismo fermentativo substitui o aeróbico. Ar tem 0,03% de CO2 - maior que 0,03% - a respiração diminui Elevadas concentrações de CO2: reduz a sensitividade ao etileno; pode minimizar o crescimento de bactérias e fungos (acima de 10%). Os níveis de O2 e CO2 devem ser estabelecidos para cada produto!!! De maneira geral: 2 a 8% de O2 e 5 a 15% CO2
    • ARMAZENAMENTO TRATAMENTOS ESPECIAIS Quarentenários: Imersão em água quente (moscas das frutas). Adição de fungicida na água de tratamento - opcional. Aplicação de cera; Ozônio; Uso de pré-resfriamento; etc
    • TRANSPORTE Transporte ADEQUADO fundamental na manutenção da qualidade Fatores que afetam a qualidade Cuidados especiais no durante o transporte transporte • Injúrias por amassamento no • Minimizar o manuseio; empilhamento; • Proteção contínua de • Abrasões ou vibrações contra temperatura e umidade relativa; superfícies ásperas durante o • Assegurar boas condições de transporte; higiene ao produto; • Manuseio no carregamento e • Usar veículos refrigerados para Descarregamento; a distribuição • Variações de temperatura, umidade relativa e gases.
    • TRANSPORTE
    • Tecnologia Pós-colheita Instituto Agronômico Centro de Engenharia e Automação Equipe Antônio Loureiro Lino Gláucia M. Dias Juliana Sanches Patrícia Cia Silvia Antoniali
    • Laboratório de Tecnologia Pós-colheita de Frutas, Hortaliças e Plantas Ornamentais – CEA, Jundiaí, SP Inaugurado em julho de 2009
    • Laboratório de Tecnologia Pós-colheita de Frutas, Hortaliças e Plantas Ornamentais - CEA – Jundiaí, SP Inaugurado em julho de 2009 ÁREA DE ATUAÇÃO Desenvolvimento das cadeias de produção de frutas, flores e hortaliças buscando inovações tecnológicas que prolonguem a longevidade pós- colheita, agregando valor e atuando na redução de perdas dos produtos
    • PROJETOS EM DESENVOLVIMENTO EFEITO DE INJÚRIAS MECÂNICAS NA QUALIDADE PÓS- COLHEITA DE FRUTAS CORTE IMPACTO
    • PROJETOS EM DESENVOLVIMENTO APLICAÇÃO DA TÉCNICA DE PROCESSAMENTO DE IMAGENS PARA CLASSIFICAÇÃO DE FRUTAS E HORTALIÇAS
    • PROJETOS EM DESENVOLVIMENTO PÓS-COLHEITA DE FRUTAS DE CAROÇO Pêssegos, nectarinas e ameixas em diferentes regiões de SP • Curva de maturação • Armazenamento refrigerado • Climatizada x não climatizada • Caracterização Financiamento: CNPq e FAPESP
    • PROJETOS EM DESENVOLVIMENTO PÓS-COLHEITA DE MAÇÃ E PÊRA Produção de macieira e pereira em região de baixa incidência de frio em São Paulo • Caracterização • Armazenamento refrigerado
    • PROJETOS EM DESENVOLVIMENTO PÓS-COLHEITA DE UVA DE MESA Redução de perdas de uva de mesa cv. Niagara Rosada através de manejo pré e pós-colheita Efeitos do ácido naftalenoacético, cloreto de cálcio e do manejo pós-colheita na redução das perdas de uva ‘Niagara Rosada’ e ‘Centtennial Seedless’ em diferentes regiões vitícolas do Estado de São Paulo Influência de porta-enxertos na videira ‘Niagara Rosada’ cultivada nas regiões leste e noroeste do estado de São Paulo • Armazenamento refrigerado • Utilização de filmes flexíveis • Irradiação UV-C • Características físicas dos cachos e bagas Financiamento: CNPq e FAPESP
    • PROJETOS EM DESENVOLVIMENTO MÉTODOS ALTERNATIVOS PARA CONTROLE DE DOENÇAS PÓS-COLHEITA DE GOIABAS Estudo de métodos alternativos, potenciais indutores de resistência, para o controle pós-colheita da antracnose (Colletotrichum sp.) em goiabas Financiamento: FAPESP
    • PROJETOS EM DESENVOLVIMENTO CONTROLE DE DOENÇAS PÓS-COLHEITA EM MAMÕES • Efeito de produtos alternativos no controle de antracnose • Produto químico • Conservação pós-colheita • Armazenamento refrigerado e ambiente • Características físicas Financiamento: Iniciativa privada
    • PROJETOS EM DESENVOLVIMENTO PÓS-COLHEITA DE ABACAXI • Região de Guaraçaí • Armazenamento refrigerado • Determinação do ponto de colheita de ‘Smooth Cayenne’ •Transporte – danos mecânicos •Características físicas e químicas de novos cultivares IAC