ANO 11 - NÚMERO 135 - FEVEREIRO 2012                                               w w w.revistaideanews.com.br           ...
2135 roteiro_Revisado FINAL.indd 2   30/01/2012 16:14:37
3135 roteiro_Revisado FINAL.indd 3   30/01/2012 16:14:40
editorial                                        Ricardo Pinto                                                            ...
expediente               “Bem feito é melhor que bem dito.”               Benjamin Franklin               “Para cavalo nov...
especial                                       “Precisa-se de cana”. Foi o que mais se falou e se ouviu du-               ...
especial            composição similar ao da base.                                                               mais rápi...
especial                                                                               deteriora a matéria-prima causando ...
PUBLIQUE               Confiança, durabilidade, controle,                        economia e produtividade.               E...
especial              OS BENEFÍCIOS DO USO DE MATURADORES NA CANA                          ha X R$ 0,50 = R$ 5.200,00     ...
11135 roteiro_Revisado FINAL.indd 11   30/01/2012 16:14:56
especial                                                                                                                  ...
especial           ponsiva à aplicação de maturador, possibilitando a antecipação          colher cana maturada até meio d...
fórum                                               EFEITO NO PREÇO DE COMMODITIES                                        ...
fórum                                     TRÊS FATORES                                                Francisco          M...
tec. industrial                             Artigo mostra aos             Ar tur Cardozo Mathias*                   enquan...
tecnologia industrial           do quando a válvula não estiver contro-         bucha. Este procedimento a cada operação  ...
tecnologia industrial           válvula pode ser auxiliada por este sen-                                                  ...
tecnologia industrial           chave grifo a extremidade superior desta              válvulas que proporcionam a mínima  ...
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA

2,102 views

Published on

1 Comment
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,102
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
30
Comments
1
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Idea News; Cana-de-açúcar; IAC; SAA

  1. 1. ANO 11 - NÚMERO 135 - FEVEREIRO 2012 w w w.revistaideanews.com.br 1135 roteiro_Revisado FINAL.indd 1 30/01/2012 16:32:56
  2. 2. 2135 roteiro_Revisado FINAL.indd 2 30/01/2012 16:14:37
  3. 3. 3135 roteiro_Revisado FINAL.indd 3 30/01/2012 16:14:40
  4. 4. editorial Ricardo Pinto ORGANIZAÇÃO POR PROCESSOS O filho recém-formado em Direito do famoso advogado daquela cidade chega, todo sorridente, para contar uma novidade para o pai: - Papai, papai! Em um dia consegui resolver aquele processo em que você estava trabalhando fazia cinco anos! O pai dá um tapa na cabeça do filho e berra: - Idiota! Esse processo é que pagou a sua faculdade estes últimos cinco anos! Como se vê pela história acima, processo pode ser definido, na área jurídica, como a for- ma de o Judiciário exercer suas funções. Assim, quem quer resolver uma questão junto ao Judiciário (ou prolongar a solução, como no caso acima), propõe um processo judicial. Porém, nosso interesse na palavra processo é outro, mais ligado na sua origem do latim, que define a ação de avançar, de ir para frente (pro + cedere). Quando pensamos em administração de empresas, um processo representa o conjunto de atividades realizadas na geração de resultados (com valor agregado) para o cliente, seja ele interno ou externo, sincronizando insumos, atividades, infraestrutura e referências. Mas no que o conceito de processo nos pode ser útil? Vejamos: é comum em sua empresa você escutar reclamações sobre o funcionamento de determinados serviços, da confusão de papéis dentre diferentes funcionários, da impossibili- dade das pessoas atenderem às prioridades – definidas previamente no planejamento – para se voltarem às infinitas demandas internas e externas que surgem a todo momento? Acontece de os colaboradores se perguntarem se realmente estão fazendo as coisas certas? Para melhor lidar com estas questões que se adota o conceito de processos. As características básicas de um processo são: - compõe-se de uma sucessão de ações, uma sequência de atividades; - desenrola-se no tempo; - ocorre em decorrência de um motivo, uma demanda; - deve seguir um grupo de regras; - termina em um resultado (um produto, um serviço ou um efeito). Assim, reconhecendo e mapeando os processos que são realizados numa empresa, podemos ajudar os envolvidos a compreender como estão sendo utilizados os recursos, as capacidades e os tempos dentro da organização. É possível, desta maneira, averiguar se há desperdícios, retrabalhos, sobreposição de funções, atividades sem responsável ou mesmo gargalos onde as coisas emperram. Uma das ferramentas mais simples e de fácil aplicação para se fazer o mapeamento dos processos é o Diagrama de Blocos. Vale lembrar que é vital que as pessoas que lidam diretamente com cada processo estejam envolvidas no seu mapeamento. Este exercício de descrever cada ação, etapa por etapa, cos- tuma revelar muitas oportunidades de melhoria, mesmo porque provoca a reflexão e a visão mais crítica (pensante e questionadora) do que se faz como rotina. Finalmente, tenha em mente que processos que envolvem pessoas são dinâmicos porque os motivos, as capacidades e as necessidades que norteiam tais processos também são di- nâmicos. Logo, os processos conseguem modificar as pessoas envolvidas neles, assim como elas o fazem nos próprios processos, num ciclo vivo e contínuo, que constantemente deve ser revisado pela organização. 4 4135 roteiro_Revisado FINAL.indd 4 30/01/2012 16:14:43
  5. 5. expediente “Bem feito é melhor que bem dito.” Benjamin Franklin “Para cavalo novo, cavaleiro velho.” Ditado latino ANO 11 - NÚMERO 135 FEVEREIRO DE 2012 “Concentre-se naquilo que você é bom, delegue todo o resto.” O MELHOR NEGÓCIO COM CONTEÚDO Steve Jobs “Para ser insubstituível, tem de ser diferente.” ESPECIAL Coco Chanel Canavial mais açucarado 6 “A humildade é a realeza sem coroa.” FÓRUM Spencer W. Kimball A crise econômica que tem atingido a Europa e os EUA afetará ou já está “A franqueza faz inimigos, enquanto elogios fazem amigos.” afetando o setor sucroenergético Ditado latino brasileiro? 14 TECNOLOGIA INDUSTRIAL Segurança na operação de válvulas manuais 16 TECNOLOGIA AGRÍCOLA Diretor Geral Redação Diana Nascimento CONSELHO EDITORIAL Ailton António Casagrande Tecnologia reduz impacto nas soqueira 22 28 Ricardo Pinto ricardo@revistaideanews.com.br redacao@revistaideanews.com.br Natália Cherubin Alexandre Ismael Elias Um giro pela Austrália António Carlos Fernandes natalia@revistaideanews.com.br António Celso Cavalcanti Editora Diana Nascimento Jornalista Responsável - Mtb 30.867 Fotografia António Vicente Golfeto Celso Procknor POR DENTRO DA USINA 32 Diana Nascimento Egyno Trento Filho redacao@revistaideanews.com.br Rogério Pinto Geraldo Majela de Andrade Silva Gerente Financeira Projeto Gráfico Guilherme Menezes de Faria Henrique Vianna de Amorim CONJUNTUR A Patrícia Nogueira Díaz Alves Rogério Pinto fone: 11 5686-9044 João Carlos de Figueiredo Ferraz José Pessoa de Queiroz Bisneto Transporte peso-pesado 36 patricia@revistaideanews.com.br rogerio@revistaideanews.com.br José Velloso Dias Cardoso Gerente Comercial Paula Menta Diagramação Fernando A. Ribeiro Luiz Custódio da Cot ta Mar tins Luiz Gustavo Junqueira Figueiredo GESTÃO Luiz Chaves Ximenes Filho paula@revistaideanews.com.br fernando@revistaideanews.com.br Manoel Carlos Azevedo Or tolan Novos desafios para o gestor agrícola: fone: (82) 3313-9258, (82) 9956-1536 (82) 3272-1005 Administração Marcos Guimarães Landell Maurilio Biagi Filho enfoque multidisciplinar e generalista 40 Carolina Gil Osvaldo Alonso carolina@revistaideanews.com.br 46 Paulo Adalber to Zanet ti Gerente de Marketing 8127-0984, 3237-4249 Marlei Euripa Camila Garbino marketing@revistaideanews.com.br Ricardo Pinto DICAS E NOVIDADES marlei@revistaideanews.com.br Rogério António Pereira Tomaz Caetano Cannavam Rípoli fone: (16) 9191-6824, 8127-0984, 3237-4249 Assinaturas Mikeli Silva mikeli.silva@revistaideanews.com.br Assinatura anual (12 edições): R$ RECORTE 50 120,00 - Número avulso: R$ 14,00. Executivos de Contas Karine Arruda karine.arruda@revistaideanews. IDEANews é lida mensalmente por aproximadamente 35.000 executivos, Pedidos devem ser enviados ao endereço abaixo, acompanhados de ATUALIDADES JURÍDICAS 52 profissionais e empresários ligados cheque nominal à RICARDO PINTO E com.br à agroindústria da cana-de-açúcar ASSOCIADOS CONSULTORIA AGRO Marcelo Biatresato marcelo@revistaideanews.com.br do Brasil. INDUSTRIAL LTDA IDEANews não se responsabiliza EXECUTIVO Maycon Monsoy maycon@revistaideanews.com.br CTP e Impressão Gráfica e Editora Modelo pelos conceitos emitidos nos ar tigos assinados. Matérias não solicitadas, Do concreto para os canaviais 55 R. Risso fotografias e ar tes não serão devol- risso@revistaideanews.com.br ISSN 1679-5288 vidas. É autorizada a reprodução das matérias, desde que citada a fonte DROPES 58 Siga-nos no Twit ter: @RevistaIdeaNews RPA Consultoria (16) 3237-4249 Revista IDEANews (16) 3602-0900 Fax RPA Consultoria e Revista IDEANews (16) 3602-0901 Rua Casemiro de Abreu, 950, Vila Seixas, Ribeirão Preto, SP, CEP 14020-060, Brasil www.revistaideanews.com.br 5135 roteiro_Revisado FINAL.indd 5 30/01/2012 16:14:46
  6. 6. especial “Precisa-se de cana”. Foi o que mais se falou e se ouviu du- rante os últimos meses pelo setor sucroenergético que amargou uma quebra histórica em sua última safra. A crescente de- manda do mercado interno, agora a bem vinda e tão esperada abertura norte-americana para o etanol brasileiro, faz com que o setor aperte os passos na corrida em busca da recuperação e produtividade de seus canaviais. Mas só isso não basta. O setor ainda quer um canavial mais açucarado, com mais ATR (Açúcar Total Recuperável). Afinal, o custo de produção do açúcar, etanol, demais derivados e, a viabilidade econômica de sua industrialização, estão intima- mente relacionados com a quantidade de açúcares presentes nos colmos da planta. O acúmulo deste açúcar acontece quando a cana-de-açúcar atinge sua maturação, que inicia de maneira natural de acordo com as condições climáticas. A somatória de baixas tempera- turas mais a baixa umidade (deficiência hídrica) é ideal para o início da maturação. Neste estágio, a cana-de-açúcar armazena a sacarose a partir da base para o ápice da planta. E, à medida que a maturação progride, o teor de sacarose tende a se igua- lar nas diversas partes dos colmos, quando o ápice apresenta 6 6135 roteiro_Revisado FINAL.indd 6 30/01/2012 16:14:48
  7. 7. especial composição similar ao da base. mais rápido. Assim, o produtor tem cana Há algum tempo, o setor começou a com teores de sacarose ideais entre 30 a 40 apostar no uso dos chamados maturado- dias, mais cedo que o processo natural”, res químicos ou reguladores de crescimen- esclarece Azania. to como uma ferramenta que antecipa este Além da antecipação da maturação e processo e ainda promete outros benefí- melhoria de qualidade da matéria-prima, cios à cultura. Sua aplicação, desde então, Benedito Braz, gerente de Desenvolvimen- tem se tornado uma prática cada vez mais to Técnico de Mercado e Marketing em comum e necessária dentro dos canaviais Cana-de-açúcar da Syngenta, diz que o uso brasileiros. do maturador químico ainda pode trazer MAIS AÇÚCAR EM MENOS TEMPO maior flexibilidade no gerenciamento e Segundo Juliano Barela, engenheiro otimização da colheita (corte, carregamen- agrônomo e responsável pelo Desenvolvi- Barela: “a utilização de maturadores na cultura to e transporte). mento de Mercado da Bayer CropScience, de cana tem como objetivo antecipar o cor te e au- Antonio Zatoni Afférri, consultor da mentar a rentabilidade por área, atendendo o atual os maturadores químicos podem alterar o sistema de produção” RPA Consultoria, afirma que a utilização metabolismo e a fisiologia da cana, indu- de maturadores pode trazer ganhos de ATR zindo seu amadurecimento, aumentando a translocação e o ar- de até 15% em média, segundo pesquisas feitas em campo. No mazenamento da sacarose. entanto, para atingir este objetivo, é indispensável provocar di- ”Alguns desses produtos são conhecidos como reguladores minuição no ritmo de crescimento da planta, de tal maneira que vegetais. O principal motivo do uso dessa tecnologia é quando se armazene maior quantidade de sacarose no colmo. o produtor tem interesse em antecipar a colheita da cana, alte- Afférri explica que, aplicando o maturador em dosagem ade- rando o ciclo natural de maturação da variedade em questão e quada em até seis ou 12 semanas, as plantas apresentam cresci- melhorando assim, o gerenciamento de sua colheita. Portanto, a mento entre 10 cm e 25 cm menor, caso não tivesse sido aplicado utilização de maturadores na cultura de cana tem como objetivo o fitorregulador. Se este produto tiver efeito direto na produção antecipar o corte e aumentar a rentabilidade por área, atendendo da cana-de-açúcar, poderia se esperar uma diminuição em tor- o atual sistema de produção”, afirma Barela. no de 3% a 8%. Carlos Alberto Mathias Azania, pesquisador do IAC (Insti- “Entretanto, deve-se ter em conta dois fatores importantes: tuto Agronômico de Campinas), da Secretaria de Agricultura e Parte do maior crescimento, apresentado pelas plantas que não Abastecimento do Estado de São Paulo, diz que o uso do produto receberam maturadores, deve-se ao maior desenvolvimento do pode possibilitar a colheita da cana entre 30 a 40 dias mais ce- palmito (parte jovem da cana em crescimento) o qual é deixado do. Os maturadores interferem também no processo de indução no campo no momento da colheita. Já as plantas que receberam ao florescimento, impedindo que a gema apical se transforme os maturadores, apresentam palmitos muito mais curtos. A ou- em florífera.  tra é que a ação dos maturadores aumenta, apreciavelmente, o “Os produtos paralisam o crescimento dos colmos que não conteúdo de sacarose no terço superior do colmo, o qual se jus- emitem folhas novas.  Nas folhas novas existem os pigmentos do tifica fazer o corte mais alto no momento da colheita. O conte- complexo de citocromos que ‘interpretam’���������������������� a ������������������� diminuição da dura- údo de sacarose, no terço superior dos colmos das plantas sem ção de luz. Com a paralisação do crescimento e o não surgimen- maturadores é muito baixo. Por essas razões, as aplicações de to de folhas novas, a quantidade de citocromos não é suficiente  maturadores não têm porque afetar a produção de cana-de- açú- para interpretar a luz à planta, quebrando um dos fatores envol- car, se o descarte do palmito é feito adequadamente na colheita. vidos para a indução do florescimento a luz. A paralisação do Inclusive, se o descarte do palmito for feito de forma adequada, crescimento permite que a planta gaste menos energia e a ar- deve-se esperar muito mais produção de cana, pois há disponibi- mazene na forma de sacarose. Por isso, o acúmulo de sacarose é lidade de maior colmo útil, o qual pode ser enviado à moenda.” 7 7135 roteiro_Revisado FINAL.indd 7 30/01/2012 16:14:50
  8. 8. especial deteriora a matéria-prima causando o apodrecimento da cana. “A matéria-prima deteriorada tem elevados índices de dextrana, que são extremamente prejudiciais ao processo industrial, diminuin- do significativamente o rendimento operacional da indústria. Outro fator importante são os reflexos na brotação da soqueira da cana. Alguns maturadores diminuem e retardam significati- vamente a brotação da soqueira e seu uso contínuo diminui a longevidade do canavial”, ressalta. CUSTO BENEFÍCIO Azania explica que não existe uma característica específica que determine a necessidade da aplicação. “Depende do plane- Aplicação aérea de maturadores jamento do produtor. Se ele optar por iniciar a safra mais cedo, No entanto, a época de aplicação de produtos químicos, do- deve manejar a cultura com o emprego do maturador. Fisiologica- ses utilizadas e épocas de corte da matéria-prima são alguns dos mente, se for do conhecimento do produtor que as cultivares de fatores que podem influir na eficiência destes produtos. Afférri cana de seus canaviais forem de fácil florescimento, ele também explica que a melhor época para a aplicação seria ao final do deve aplicar os maturadores. Depende do custo beneficio x be- período de desenvolvimento da cultura, sem que esta tenha al- nefício específico de cada produtor. Mas, acredito que como a cançado estado de maturação fisiológica avançada, geralmente, sua aplicação é feita via aérea, pode não ser viável aos médios e C entre dez e 12 meses de idade. pequenos produtores.” M “Aplicações antes dos dez meses apresenta efeito muito se- Para Molinari, a decisão de aplicar maturadores é puramente Y vero no crescimento e depois dos 12 meses, a possibilidade de econômica e tomada em função, principalmente, da receita lí- CM resposta é menor, porque nesta idade a planta já possui maior quida que a cultura proporciona. “É observado que a média dos MY grau de maturação, obtido naturalmente. A cana-de-açúcar, du- teores de sacarose no início e final de safra é reduzida, quando, CY rante o período de crescimento rápido, pode crescer em torno de então, os maturadores podem ser utilizados. Assim, no início de CMY 8 cm a 10 cm por semana, dependendo das cultivares, do solo, safra, a aplicação tem por objetivo o acúmulo de açúcar no terço K do clima e das práticas culturais. Se aplicarmos maturadores, o superior do colmo da cana e, no final de safra, evitar a queda de ritmo de crescimento diminui ainda mais, ao redor de 4 cm/se- teor de sacarose”, opina. mana; este produto, em doses adequadas, não deve conter com- Barela acredita que existem vantagens econômicas em iniciar pletamente o crescimento. A ação de causar efeito drástico no a colheita da cana-de-açúcar antecipadamente, antes de atingir crescimento, não implica necessariamente em aumento maior na o pico de maturação em abril (para a região Centro-Sul), assim concentração de sacarose. Já foram avaliados maturadores que como prolongar a safra até novembro. detiveram completamente o crescimento sem produzir o efeito Renato Ferreira da Rosa, gerente de Planejamento e Tecnologia maturador”, destaca Afférri. Agrícola da Bunge Brasil diz que a viabilidade do uso dos matu- Para Hugo Bruno Molinari, pesquisador PhD da Embrapa radores deve ser avaliada, de acordo com os seguintes critérios: Agronergia, as respostas ao uso destes produ- - Clima da região; tos também estão condicionadas a diversos fa- MAIS ATR - Tipo de solo e ambiente de produção; tores: ambiente, variedades, manejo das ope- A crescente demanda do - Variedade cultivada; rações, época de aplicação, concentração do mercado interno e agora a bem - Produtividade agrícola da cultura; produto ativo e modo de aplicação. Mas alerta: vinda e tão esperada aber tura - Estado fitossanitário da cultura. “O efeito residual de alguns tipos de matura- nor te-americana para o etanol “O custo da aplicação aérea varia de dores pode interferir na brotação das socas.” acordo com o tipo de produto utilizado. O brasileiro, faz com que o setor Manoel Pedrosa, gerente de Marketing da investimento pode ficar entre R$ 40 a R$ aper te os passos na corrida DuPont para cana-de-açúcar conta que alguns 150”, revela. em busca da recuperação e maturadores causam a morte da gema apical da “Olhando do ponto de vista econômico, produtividade de seus canaviais. cana, o que é extremamente prejudicial, pois o uso de maturadores é vantajoso, não so- 8135 roteiro_Revisado FINAL.indd 8 30/01/2012 16:14:52
  9. 9. PUBLIQUE Confiança, durabilidade, controle, economia e produtividade. Em outras palavras: Valley ® Líder mundial em tecnologia de irrigação.CMYMYYYK • Serviços Valley®, Suporte ao Produto • Sistemas de Transmissão Valley® • Painéis de Controle Valley® • Base Station 2 SM A diferença está em nossos produtos e serviços. • Valley® Irrigação de Precisão 9 135 roteiro_Revisado FINAL.indd 9 30/01/2012 16:14:53
  10. 10. especial OS BENEFÍCIOS DO USO DE MATURADORES NA CANA ha X R$ 0,50 = R$ 5.200,00 - Área aplicada = 80 TCH X 138 Kg ATR = 11.040 Kg ATR/ha x 1 - Aumento do ATR: com isso, se tem uma cana com maior R$ 0,50 = R$ 5.520,00 qualidade e maior valor financeiro; - Diferença: Área aplicada – Área não aplicada = R$ 5.520,00 – 2 - Gerenciamento da colheita: principalmente no início da R$ 5.200,00 = R$ 320,00 safra, onde a maturação é baixa e o crescimento é alto. - Taxa de Retorno = Ganho/Investimento = R$ 320,00/R$ 85,00 Aplica-se o produto para manejar a maturação do canavial em = R$ 3,76 função do momento da colheita; “Ou seja: para cada R$ 1,00 investido têm-se um retorno de R$ 3 - Aumento da Pureza: com maior pureza, a cana apresenta 3,76 em um prazo de 30 a 50 dias”, atestam Beletti e Oliveira. maior teor de sacarose e menor teor de glicose e frutose, o que para a indústria significa maior produção de açúcar, maior TECNOLOGIAS DE MATUR AÇÃO qualidade de açúcar e maior recuperação da fábrica. Um A maioria dos maturadores comercialmente usados, segundo benefício impor tante e com alto resultado econômico. o pesquisador da Embrapa, têm como mecanismos de ação o es- tímulo da biossíntese de etileno e/ou inibição da biossíntese de mente para as usinas, que podem recuperar maior quantidade giberelinas. “Os produtos tradicionalmente usados pertencem ao de açúcar, mas também para os produtores - sejam aqueles pagos grupo dos inibidores de crescimento e/ou ao grupo de compostos por peso, que podem aproveitar maior quantidade de cana, ou com ação herbicida.” aqueles que recebem por rendimento de sacarose, que podem A Bayer desenvolveu o Ethrel. Segundo Barela, o produto obter mais de açúcar”, afirma Afférri. propicia ganhos em acúmulo de açúcar sem afetar o crescimento Marco Beletti, gerente Agrícola e José Carlos de Oliveira, en- vegetativo da cana-de-açúcar. Além de atuar como maturador, genheiro agrônomo, ambos do Grupo Barralcool, contam que o possui tecnologia para o manejo de variedades com potencial de custo de aplicação do produto previsto para 2012 estará em torno isoporização e florescimento dos colmos, garantindo resultados de R$ 85 por ha, sendo R$ 60,00 do custo do produto e R$ 25,00 satisfatórios no campo e na indústria quando aplicado para ini- dos serviços de aplicação. bição de florescimento. “Para saber se há viabilidade econômica faz-se necessário um “Ele estimula a liberação acelerada de etileno no interior das cálculo baseado na taxa de retorno”, dizem. Para exemplificar, plantas. Com o uso, a planta sofre pouca alteração em seu meta- foram simuladas duas situações de área aplicada e não aplicada, bolismo, não prejudicando seu crescimento e o posterior acúmu- considerando uma média de 80 TCH, preço do Kg do ATR de R$ lo de massa verde dos colmos. Dependendo da região produtora 0,50 (Consecana, Janeiro de 2012) e um incremento de 8 pontos pode ser utilizado durante todo o ano. No entanto, a época mais de ATR a mais na área aplicada. Assim, temos: recomendada e que traz melhores resultados no Centro-Sul é no - Área não aplicada = 80 TCH X 130 Kg ATR = 10.400 kg ATR/ inicio de safra, pois é o momento em que a planta está em sua fase vegetativa e de crescimento intenso, com teores de açúcares Af férri: “Do ponto de acumulados reduzidos. O Ethrel proporciona também o benefício vista econômico, o uso de maturadores é vantajoso de uma soqueira mais produtiva no próximo ano e, consequen- não somente para as usinas, que podem recuperar maior temente, aumenta a longevidade do canavial”, destaca. quantidade de açúcar, mas O florescimento da cana-de-açúcar é um dos fatores que geram também para os produtores, sejam aqueles pagos por peso decréscimo de produtividade. Situação que foi vista na última que podem aproveitar maior safra. As perdas são diversas e depende de fatores como varie- quantidade de cana ou aqueles que recebem por rendimento de dade cultivada, região de cultivo, época de corte, clima, entre sacarose” outros. Segundo Barela, variedades floríferas colhidas em meio e final de safra que não sejam inibidas podem gerar perdas de até 30% em massa. “Além da diminuição de peso, em anos mais específicos, ou- tros aspectos de interesse econômico são prejudicados, como a redução da quantidade de ATR/ha, aumento do teor de fibra e o decréscimo da umidade dos colmos. Nesse caso, ocorre prejuízo 10 10135 roteiro_Revisado FINAL.indd 10 30/01/2012 16:14:55
  11. 11. 11135 roteiro_Revisado FINAL.indd 11 30/01/2012 16:14:56
  12. 12. especial resultado, a baixa dose de uso e a pos- operacional da colheita e do transporte, QUANDO USAR? sibilidade de inibir o florescimento se além de interferência no rendimento da A viabilidade do uso dos maturadores deve ser aplicado próximo a diferenciação flo- indústria na extração do caldo.” avaliada, de acordo com os seguintes critérios: ral, evitando a isoporização do colmo A ferramenta desenvolvida pela Syn- • Clima da região; e a perda de açúcares. genta é o Moddus, o Etil Trinexapac, que • Tipo de solo e ambiente de produção; “O glifosato propicia a maturação inibe a produção de ácido giberélico. De acordo com Braz, ao ser absorvido pelas • Variedade cultivada; artificial da cultura da cana-de-açúcar folhas, atua seletivamente na redução • Produtividade agrícola da cultura; na medida em que modifica a partici- • Estado fitossanitário da cultura. pação dos fotoassimilados, deslocando do nível de giberelina ativa, induzindo e acumulando, na forma de sacarose, a planta a uma redução temporária do nos colmos ao invés da utilização desta para o crescimento da ritmo de crescimento, sem afetar o processo da fotossíntese e a planta, podendo promover melhoria no rendimento agroindus- integridade da gema apical. trial. Dependendo da dose aplicada, pode inibir ou matar a ge- “A ação fisiológica é manifestada pela interferência na forma- ma apical de cada colmo da touceira de cana, causando a parada ção da Giberelina Ativa 1 (GA 1), por meio do precursor (GA 20), temporária ou total na produção de matéria vegetal, mas não da via enzima 3 β-Hidroxilase, cujo sintoma morfológico é a inibição fotossíntese; e os açúcares que seriam carreados para o cresci- da elongação dos entrenós superiores da cana, mais precisamen- mento são direcionados ao colmo na forma de sacarose”, destaca. te aqueles que se formam após a aplicação do produto, sem que Segundo Montezuma, as características ambientais e de eficá- afete a produção de massa radicular”, enfatiza Braz. cia, aliadas ao baixo custo, são diferenciais significativos do produ- A DuPont oferece o Sulfometurom Metil, o Curavial, que to.  “O ganho de um ponto de POL% cana na maturação, representa restringe o crescimento e a divisão celular sem interferir no sis- 7,5 kg de açúcar ou 5,6 l de álcool a mais por t; se considerarmos tema mitótico e nem na síntese de DNA. A substância estimula uma média de produção acima de 80 t/ha (foi de 87 t/ha na última a produção de etileno pela ação estressante e estimula ainda, a safra), temos a dimensão do valor desta técnica aplicada.” síntese de fenóis e da antocianina. “Ele age na planta interrompendo a produção de alguns ami- noácidos, o que cessa a produção de proteínas e, consequen- TECNOLOGIA X VARIEDADES Como cada variedade de cana tem uma característica espe- temente, paralisa momentaneamente o crescimento da planta, cífica, de acordo com Barela, existem variedades que têm como favorecendo sua maturação. Os maturadores podem ser utiliza- característica antecipar de maneira mais eficiente o acúmulo de dos durante toda a safra. Como são utilizados na pré-colheita, sacarose quando seu metabolismo é induzido por um maturador. devem ser aplicados via aérea, já que não é possível entrar com “Mas é importante lembrar que essa característica varietal de res- aplicação tratorizada devido ao desenvolvimento do canavial”, posta ao maturador também está ligada ao ciclo de maturação e declara Pedrosa. ao momento de aplicação (época do ano e clima).” Já a Monsanto, possui o registro do produto Montezuma diz que dependendo do momento da varieda- Roundup Original, um herbicida, para uso como de dentro do ano, o PUI (Período Útil de Industrialização), irá maturador. De acordo com Marcelo Montezu- responder mais ou menos ao uso de maturadores. Segundo ele, ma, coordenador de Desenvolvimento Tecno- a estratégia, dependendo do quadro varietal de cada unidade e lógico da Monsanto do Brasil, o diferencial do dos ambientes de produção, é tentar colher as variedades em Roundup como maturador é a consistência de seu melhor momento do ano, considerando biomassa e ATR por Molinari afirma que a quebra das hectare desejados, entendendo a necessidade de fibra e açúcares últimas safras somada à necessi- dade de aumentar a produção de para produção de álcool, açúcar e energia. açúcar/etanol por área é um fator “O limitador à responsividade das cultivares aos maturado- de incentivo à utilização de matura- dores. Contudo, a decisão de apli- res depende, entre outros fatores abióticos (temperatura, preci- car ou não dependerá do grau de capitalização das usinas e da dis- pitação pluvial etc), da genética da planta. Assim, cada grupo posição de investir em canaviais de maturação (precoces, médias e tardias) pode responder de envelhecidos uma forma diferente a produtos. Como exemplo, podemos citar a cultivar mais plantada no Brasil, a RB86-7515. Ela é muito res- 12 12135 roteiro_Revisado FINAL.indd 12 30/01/2012 16:14:57
  13. 13. especial ponsiva à aplicação de maturador, possibilitando a antecipação colher cana maturada até meio de julho. A utilização deste com- do corte para o início de safra em solos de menor retenção de ponente poderá auxiliar no aumento de produtividade dos ca- água”, afirma Molinari. naviais nos próximos anos, pois garante na nossa região uma Rubens Massud Coury, diretor Agrícola da Usina Vale do excelente brotação de soqueiras. Além do uso de maturadores, Verdão, também concorda que a RB86-7515 responde bem aos a empresa tem feito uso de produtos com efeitos fitotônicos no maturadores e diz que apesar de todas as variedades terem uma plantio, gesso, calagem em socas baseados nas análises de solo boa resposta econômica, dependendo da região e época, as va- e melhor adubação e plantio em pivôs.” riedades médias e semi-precoces respondem melhor. Molinari afirma que a quebra das últimas safras somada à Segundo Rosa, as variedades precoces são mais responsivas necessidade de aumentar a produção de açúcar/etanol por área à aplicação dos maturadores, tais como: RB85 5453; RB85 5156; é um fator de incentivo à utilização de maturadores. Contudo, RB96 6928; RB83 5486; RB83 5054; CTC 9 e CTC 7. a decisão de aplicar ou não dependerá do grau de capitalização Beletti e Oliveira verificaram que, no últi- das usinas e da disposição de investir em ca- mo ano (safra 2011), a variedade SP79-1011 OS BENEFÍCIOS DO USO DE naviais envelhecidos. “A escolha adequada de ciclo precoce/médio respondeu pouco MATUR ADORES NA CANA dos materiais responsivos aos maturadores ao uso de maturador, enquanto a variedade é fundamental para auxiliar no aumento de De acordo com Carlos Alber to RB86-7515 de ciclo médio/tardio tem respon- produtividade dos canaviais, uma vez que Mathias Azania, pesquisador dido inesperadamente muito bem. ganhos de até 15% de ATR por área podem do IAC (Instituto Agronômico “O sucesso da safra depende do binômio ser alcançados”, conclui. de Campinas), da Secretaria de ATR x Produtividade. Como estamos passan- Para Azania, nos próximos anos, o ma- do por um momento de baixa produtividade, Agricultura e Abastecimento do nejo com maturador poderá proporcionar  o que deve perdurar pelos próximos dois ou Estado de São Paulo, o uso de colheitas dentro do período mais propí- três anos por conta da alta idade e do esta- maturador pode possibilitar a cio do ano, evitando os meses de maiores do do nosso canavial, podemos investir no colheita da cana entre 30 a 40 chuvas e a consequente entrada de impu- aumento do ATR com uso dos maturadores. dias mais cedo. Os maturadores rezas (terra) junto com a matéria-prima Desta forma melhoramos significativamente inter ferem também no processo na indústria. “Além disso, poderá garan- os resultados econômicos”, conclui Barela. de indução ao florescimento, tir melhor a uniformidade de produção De acordo com Coury, os resultados da impedindo que a gema apical se durante a safra, evitando meses de maior aplicação de maturadores químicos têm si- transforme em florífera. volume de cana e meses com menor vo- do altamente compensadores. “Costumamos lume”, finaliza. 13135 roteiro_Revisado FINAL.indd 13 30/01/2012 16:14:58
  14. 14. fórum EFEITO NO PREÇO DE COMMODITIES CONSUMO DE “Com certeza esta crise, cujas proporções e duração ALIMENTOS E ainda está difícil de dimensionar, deve afetar com COMBUSTÍVEL aprofundamento o nível de atividade econômica em “N�������������������������� ão tenha dú��������������� vida de que va- Alexandre todo o mundo e consequentemente no Brasil. Especi- Arnaldo Correa mos sentir alguma coisa. Deve- Figliolino – – sócio-diretor ficamente para o setor sucroenergético um efeito no rá afetar o consumo de alimen- diretor do Itaú da Archer Con- BBA preço do açúcar, assim como de todas as commodi- sulting tos, de combustível. Então, de ties poderá ser sentido������������������������������ , seja por uma potencial redu- maneira geral, reflete não só ção de demanda, seja por uma atuação mais tímida no açúcar como em outras dos fundos nos mercados agrícolas, onde  há tempos commoddities também.” vem tendo uma participação muito importante. Outro efeito nada desprezível é a redução de liquidez global, PAÍS ESTÁ PREPAR ADO face aos ajustes que importantes bancos no mundo, “Sem dúvida nenhuma, já notadamente os europeus, estarão fazendo em função afetou o Brasil, mas não de prejuízos com carregamento de dívida soberana de sabemos qual será a intensi- �������������������� países do Euro. A consequência importante é uma re- Maurilio Biagi dade e dimensão. Aparente- – presidente dução de linhas de crédito que financiam a atividade do Grupo Mau- mente, o Brasil está prepara- de trade, o margeamento de posições em bolsa e o car- bisa do, acho que passamos sem regamento de estoques entre outros. problemas sobre isso.” 14135 roteiro_Revisado FINAL.indd 14 30/01/2012 16:15:00
  15. 15. fórum TRÊS FATORES Francisco MAIORES PREÇOS Oscar Louro “Em função do mundo globalizado em que estamos hoje, Fernandes INTERNACIONAIS DE AÇÚCAR não há como um país estar imune a crises que ocorram em – diretor da “Acredito que os preços internacionais Sucrotec outros países. Contudo, para o setor sucroenergético bra- do açúcar poderiam ter atingido um ní- Ricardo Pinto – sileiro, pelo menos nos próximos três anos, a crise euro- vel maior nesta safra, caso não tivessem diretor da RPA peia e norte-americana atual deverá ter pequeno impacto. surgido todos esses problemas na Eu- Consultoria Primeiro porque o Brasil deverá apresentar baixos cres- ropa. Se estivéssemos num período de cimentos de produção de cana nas safras de 2012/2013, maior estabilidade financeira interna- 2013/2014 e 2014/2015 em função dos atuais canaviais cional, a quebra de produção no Brasil, envelhecidos, fim do primeiro grande ciclo de inauguração no nível que aconteceu, teria sem dú- de usinas que se iniciou em 2005 e momento de preços vida provocado um ‘rally’ de alta que altos de etanol e açúcar que tem dificultado a renovação não se verificou.” em larga escala dos canaviais. Assim, a oferta brasilei- ra se manterá perto da estagnação neste triênio tanto na exportação de açúcar, onde o Brasil tem presença muito Humber to CRÉDITO E RETR AÇÃO DOS Junqueira de forte no mercado internacional - o que estabelece uma Farias, diretor- MERCADOS tendência de manterem-se preços atrativos deste produto -presidente “Entendo que pode atingir por dois da Renuka do para os produtores –, como na produção do etanol para o pontos distintos. Por um lado a questão Brasil mercado doméstico, onde também a demanda manterá os da contração de crédito nos mercados, preços deste combustível pressionados. Além disso, tanto pois o setor sucroalcooleiro é movido a Europa como os Estados Unidos não são os maiores im- a crédito, e por outro existe o aspecto portadores do açúcar brasileiro hoje. No caso do etanol, da retração dos mercados consumido- espera-se que o Brasil exporte volumes significativos e res. Há estudos que mostram uma forte crescentes de etanol para os Estados Unidos, num primeiro correlação entre o consumo de açúcar e momento, e depois para a Europa. Contudo, não se imagi- a evolução do PIB, e na medida em que na que haja tal disponibilidade de importantes volumes o PIB global seja afetado, o consumo de de exportação de etanol a partir do Brasil antes de 2015. açúcar também será.” Finalmente, o capital de investidores europeus e norte- -americanos vem encontrando um refúgio seguro e bas- tante mais remunerador em investimentos aqui no Brasil, Eduardo da DEMANDA DESAQUECIDA Costa Carva- “Pode afetar um pouco pelo consumo até por conta da crise em seus países de origem, com suas lho – trader da Sucden dos principais alimentos. A economia taxas de juros muito baixas e o fantasma do crescimento estava bastante aquecida e agora o con- da inflação de suas moedas. Estes três fatores nos fazem sumidor vai ter que tirar um pouco o crer que o setor sucroenergético brasileiro acha-se num pé do acelerador. Acho que isso pode momento muito propício para construir uma nova fase de desaquecer a demanda que estávamos expansão de seus negócios, razoavelmente alheio à crise esperando.” internacional que se desenha no horizonte.” 15135 roteiro_Revisado FINAL.indd 15 30/01/2012 16:15:01
  16. 16. tec. industrial Artigo mostra aos Ar tur Cardozo Mathias* enquanto um torque inferior pode impe- dir uma vedação completamente estanque. usuários de válvulas nas Alguns problemas podem estar rela- Naquelas de movimento rotativo existe a indústrias do segmento vantagem de o fluido de processo em con- cionados com a eficiência de um processo sucroalcooleiro, além ou a vida útil da válvula. Portanto, a se- tato com o ambiente e vice-versa, ter me- de outros segmentos, gurança na operação de válvulas manuais nor possibilidade, além do desgaste nas alguns cuidados que requer certos conhecimentos por parte do gaxetas ser bem menor. operador sobre o tipo de válvula que está As válvulas de movimento linear, e que devem ser tomados sendo manipulada. Estes conhecimentos são acionadas através de volante, podem para a operação segura ter a vedação influenciada pelo torque, evitam as chances de acidentes durante as de uma válvula com manobras operacionais, além de danos à além do sentido de escoamento do fluxo, acionamento manual. válvula ou uma parada inesperada do pro- total ou parcialmente. Um exemplo é que Também estão alguns cesso para a solução de problemas. nas válvulas do tipo globo, o sentido de O obturador (sede móvel) da válvula escoamento do fluxo é contrário ao senti- problemas que podem pode ter movimento linear ou rotativo. do de fechamento do obturador, com isto ser evitados quando a vedação da válvula é proporcional ao Naquelas de movimento linear, a haste uma operação correta é atravessa todo o corpo e castelo da vál- torque de fechamento do volante ou do realizada vula. Este movimento tem a desvantagem sistema de atuação. Portanto, nestas válvu- de levar partículas do ambiente externo, las, quanto maior for a pressão de entrada ou qualquer sujeira impregnada na has- e/ou maior for a bitola da válvula, maior te, para dentro da válvula e contaminar o também deverá ser o torque de fechamen- fluido, por exemplo, em válvulas gaveta to, o que poderá exigir um volante do tipo instaladas na sucção de bombas. Em sen- impacto (volante “martelo”). Numa válvu- tido contrário ele pode trazer fluido do la do tipo gaveta o sentido de escoamento processo (tóxico ou corrosivo) e contami- do fluxo e a pressão do fluido, somados nar o ambiente ou até mesmo ferir o ope- com o torque de fechamento do volante, rador. Outras características dessas vál- facilitam a vedação, porém, aumentam o vulas é que o torque de fechamento, além torque de abertura. do posicionamento do obturador, pode ser As válvulas do tipo gaveta devem ser alterado pelo operador. Portanto, quanto abertas completamente até que o “colari- ao torque numa válvula de acionamento nho” de contra-vedação da haste se encos- manual, a experiência do operador pode te à bucha de contra-vedação do castelo. danificar a vedação (principalmente na- Isto permite um aumento na vida útil das quelas que possuem assento resiliente) ou gaxetas. Nas válvulas do tipo globo este outros componentes se este for excessivo, procedimento também deve ser realiza- 16135 roteiro_Revisado FINAL.indd 16 30/01/2012 16:15:02
  17. 17. tecnologia industrial do quando a válvula não estiver contro- bucha. Este procedimento a cada operação pode ser utilizada para visualizar de forma lando o fluxo (válvula totalmente aberta). não compromete a vedação da cunha ou imediata se a válvula está aberta ou fecha- Somente as válvulas do tipo gaveta (com da contra-vedação (entre a haste e o caste- da; naquelas de haste fixa não é possível haste ascendente) e globo, possuem o sis- lo), além de facilitar a próxima operação. esta visualização. tema de contra-vedação na haste e castelo. Instalações inclinadas lateralmente, Uma observação importante é que ape- acima de 20° tendem a dificultar a veda- VÁLVULAS GLOBO sar desta contra-vedação ser um recurso ção, pois não há o “casamento” perfeito Nas válvulas globo (do tipo reta) os mo- adicional previsto no projeto de constru- da cunha (estilo sólida) com os anéis de vimentos de abertura e fechamento do ob- ção da válvula para evitar a pressão direta vedação. Nestas aplicações, pode ser ne- turador também são perpendiculares ao do fluido sobre as gaxetas quando a válvu- cessário um torque maior no fechamento sentido de escoamento do fluxo e a veda- la está totalmente aberta não é recomen- (lembrando que para as válvulas gaveta ção ocorre num plano paralelo a este sen- dada a troca destas gaxetas com a válvula com cunha sólida um alto torque no mo- tido. Em qualquer estilo de válvula globo, em operação. Este recurso adicional só é mento do fechamento posteriormente irá de acionamento manual, o fechamento do encontrado nas válvulas do tipo gaveta e elevar ainda mais o torque de abertura, obturador ocorre sempre em sentido con- globo. além de aumentar os desgastes localiza- trário ao escoamento preferencial do flu- Somente nas válvulas gaveta, e após dos na cunha e anéis e aumentar os va- xo, isto é, sob o obturador. Desta forma, se o fechamento ou abertura total, o volante zamentos). houver vazamentos, estes serão diretamen- deve ser girado no sentido contrário no mí- Toda válvula gaveta (quando nova), te proporcionais à pressão e ao tamanho nimo 1/8 a 1/4 de volta para retirar o aperto após o fechamento, deve apresentar cer- da válvula, e inversamente proporcionais da haste e evitar o travamento da bucha de ta quantidade de rosca acima do volante, ao torque do sistema de atuação. Esta ca- acionamento (ou o empenamento da haste que no mínimo, deve ser igual ao curso de racterística pode exigir um torque maior em aplicações com altas temperaturas) de- desgaste da cunha. durante o fechamento para se obter uma vido à tensão imposta ao conjunto haste e Nas válvulas de haste ascendente, esta vedação estanque, enquanto a abertura da 17135 roteiro_Revisado FINAL.indd 17 30/01/2012 16:15:03
  18. 18. tecnologia industrial válvula pode ser auxiliada por este sen- operação da válvula, principalmente no Foto: Zanardo tido de fluxo, somado com a pressão do momento da abertura, onde fluidos tóxi- fluido. Esta maior exigência no torque nos cos, corrosivos ou sob pressões e tempe- leva a perceber que o diâmetro da haste raturas elevadas podem estar envolvidos. nas válvulas do tipo globo é sempre maior, Uma análise visual do local, e da própria além da distância entre a bucha de acio- válvula, deve ser feita antes de qualquer namento e a área de vedação do anel sede operação. ser menor que nas válvulas gaveta, para a As válvulas do tipo esfera de modelos mesma bitola e mesma classe de pressão. mais antigos tinham a haste montada de Esta característica construtiva impede o fora para dentro e isto permitia que o pró- momento fletor que poderia ser causado prio fluido “empurrasse” a haste para fora por um torque excessivo. da válvula, podendo ferir o operador. As válvulas de projetos mais recentes têm a VÁLVULAS ESFER A, BORBOLETA haste montada de dentro para fora, dando E MACHO maior segurança ao operador. Nas válvulas de movimento rotativo Outras observações que devem ser fei- dos tipos esfera, borboleta convencional tas para a operação segura de válvulas e macho, os movimentos do elemento mó- podem ser: verificar o estado de conser- vel de vedação ocorre através de uma ala- vação dos parafusos e porcas da sobrepos- vanca, até a bitola de 6”, acima deste va- ta quando aplicável; verificar se há vaza- lor o acionamento manual é feito através Válvula Borboleta mentos pela sobreposta antes de acionar de um redutor de engrenagens. Somente a válvula; se o acionamento for feito com nas válvulas borboleta do tipo convencio- naquelas sedes devido às altas velocidades a intenção de fechar a válvula, confirmar nal, até a bitola de 6”, devem ter alavanca de escoamento que ocorrem nesta posição. posteriormente através de drenos que a com trava de posição, isto porque o esco- Na operação das válvulas de movimen- mesma está vedando. amento do fluxo tende sempre a causar to rotativo, a vedação ocorre por posicio- Sempre que o operador perceber algum o auto-fechamento do disco de vedação. namento do obturador, portanto, ele não vazamento pelas gaxetas ele deve acionar Esta característica faz com que o torque pode ser alterado externamente pelo ope- o pessoal de manutenção para que este de abertura aumente linearmente entre as rador (elevado ou reduzido) seja pela ala- vazamento seja corrigido. No vapor d’água posições 40° e 75°. vanca ou por um redutor de engrenagens. saturado o vazamento é progressivo, com Para posições parciais de controle, as Um torque excessivo no fechamento, isto os efeitos erosivos entre a haste e as válvulas de movimento rotativo devem ter o quando este é feito através de alavanca ou gaxetas podem ficar acentuados, e no va- obturador posicionado entre 20° e 70°; para redutor manual de engrenagens, além de por superaquecido ele é invisível, poden- líquidos, a máxima posição deve ser de 60° não melhorar a vedação, pode ainda da- do ferir o próprio operador ou qualquer para evitar a ocorrência de cavitação. Estes nificar a haste, o sistema de acionamento pessoa que trabalhe ou transite próximo posicionamentos devem ser evitados para (eixo pinhão e coroa sem-fim), os limita- à válvula. Um vazamento constante de válvulas que operam com fluidos compres- dores de curso e as sedes. Esta ação irá vapor pelas gaxetas tende a antecipar o síveis, pois, devido às maiores velocidades resultar numa visualização errada do real travamento do sistema de atuação, princi- de escoamento desenvolvidas, podem cau- posicionamento de seu elemento móvel de palmente nas válvulas que raramente são sar acentuados desgastes nas sedes. vedação (esfera, disco ou macho). acionadas. As válvulas do tipo esfera normalmente Para as válvulas instaladas em recal- As válvulas gaveta que possuem haste possuem dois limitadores de curso posi- ques de bombas do tipo diafragma, e an- com rosca ascendente, quando instaladas cionados a 90°, sendo assim eles funcio- tes de ligar a bomba novamente, a válvula próximas às passarelas, devem ter essa ros- nam como uma referência ao operador, deve ser aberta de 5% a 10% para evitar ca protegida para não causar ferimentos indicando quando a válvula está aberta que o ar, contido no espaço entre a bomba a quem possa transitar por estes locais, ou fechada. e a válvula, venha a romper o diafragma. além de ser uma proteção à própria rosca As válvulas do tipo esfera que operam e manter sua lubrificação por mais tempo. com algum tipo de fluido contendo sólidos SEGUR ANÇA NA OPER AÇÃO DE Quando houver qualquer suspeita de em suspensão e possuem sedes em PTFE VÁLVULAS que uma válvula gaveta com haste ascen- também não devem operar em posições O operador deve estar ciente de todos dente (estando na posição totalmente aber- parciais de abertura em função de desgas- os EPIs (Equipamentos de Proteção Indi- ta) possa ter quebrada a cunha na conexão tes por erosão e abrasão que pode ocorrer vidual) que devem ser utilizados para a com a haste, basta apenas girar com uma 18135 roteiro_Revisado FINAL.indd 18 30/01/2012 16:15:04
  19. 19. tecnologia industrial chave grifo a extremidade superior desta válvulas que proporcionam a mínima lada na entrada de uma turbina, no recal- haste. Se a conexão entre ambas estiver queda de pressão quando completamente que de uma bomba ou válvula de controle normal a haste irá girar apenas um pouco abertas, portanto, devem ser abertas len- automática, cujo modo de falha for normal para cada lado devido à folga normal exis- tamente para evitar a ocorrência do golpe fechada, ela deve ser aberta lentamente. tente entre elas. Quando há quebra entre de aríete, causando picos de pressão e que No caso da válvula de controle, uma aber- esses dois componentes a haste gira por não conseguem ser absorvidos por equi- tura rápida da válvula gaveta pode causar completo (360°). pamentos e acessórios instalados a jusan- a abertura da válvula de controle e conse- As roscas, tanto da haste quanto dos te (lado de saída da válvula). As válvulas quentemente, da válvula de segurança. Se prisioneiros da sobreposta, devem ser gaveta têm esta vantagem, principalmente houver válvula de bloqueio à montante e à mantidas lubrificadas para que operações quando acionadas através de volante, pois jusante da válvula de controle automática e ajustes adicionais possam ser realizados os movimentos de abertura ou fechamento (após a válvula de segurança), a válvula de a qualquer momento. Esta lubrificação de- são lentos e proporcionais à bitola da vál- bloqueio à jusante deve ser completamen- ve ser mantida também nas superfícies de vula. Nas válvulas de movimento rotativo, te aberta, antes do reinício do processo. deslizamento entre a bucha de bronze e principalmente quando acionadas através Após a abertura completa desta válvula, a o castelo da válvula. A porca de fixação de alavanca, os movimentos de abertura válvula de bloqueio instalada à montante do volante na bucha de acionamento deve e fechamento podem ser mais rápidos e deve ser aberta lentamente. Na parada do ter seu aperto verificado constantemen- podem provocar tal fenômeno (golpe de processo a válvula de bloqueio à montan- te, principalmente naquelas que possuem aríete). Numa válvula globo tradicional (ti- te da válvula de controle deve ser fechada anel bipartido. Em alguns projetos de vál- po reta), as bruscas mudanças no sentido antes da válvula de bloqueio instalada à vulas gaveta, a falta desta porca de fixa- do fluxo (duas vezes por 90°) dificultam, jusante. Na turbina pode causar choque ção ainda permite o fechamento, porém, porém, não impedem, a ocorrência deste térmico ou arraste de condensado e dani- impede a abertura da válvula. fenômeno, principalmente se houver con- ficar seriamente as palhetas. As válvulas de passagem plena, por densado acumulado. As válvulas do tipo gaveta, e que ope- exemplo, dos tipos gaveta e esfera, são Quando uma válvula gaveta for insta- ram com fluidos que contenham algum O setor sucroenergético está em expansão. A VETRO ajuda sua usina a crescer. Novembro / 2011 Outubro / 2011 • Vários modelos, diâmetros • Capacidades até 40m³ • Diâmetros de 50mm à e capacidades • Modelos Cilíndrico, Elíptico 1000mm, classe de pressão • Resistentes à alta temperatura, e Semi-Elíptico de 2 Kgf/cm² até 32 Kgf/cm², a exposição ao tempo e a corrosão • Resistentes à alta temperatura, rigidez de 2.500 N até 10.000 N • Apresenta alta resistência mecânica. a exposição ao tempo e a corrosão • Resistentes à alta temperatura, • Apresenta alta resistência mecânica. a exposição ao tempo e a corrosão. O setor que mais cresce atualmente é o sucroenergético. Pensando nisso, a Vetro oferece uma ampla linha de produtos em PRFV e RPVC otimizando custos para sua usina. Os tubos, reservatórios e tanques produzidos pela Vetro, possuem leveza que facilitam o manuseio, o transporte, a durabilidade e a alta resistência aos fatores mecânicos e climáticos. Ibaté - SP | PABX 16 3343.1556 comercial@vetro.com.br www.vetro.com.br Soluções Inteligentes em Fibra de Vidro 19135 roteiro_Revisado FINAL.indd 19 30/01/2012 16:15:04

×