Your SlideShare is downloading. ×
Aterosclerose
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Aterosclerose

410
views

Published on


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
410
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
9
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Aterosclerose A doença cardíaca coronária (DCC) é o estreitamento dos pequenos vasos sanguíneos que fornecem sangue e oxigênio ao coração. A DCC também é chamada de doença arterial coronária. Consulte também: Angina Ataque cardíaco Causas A doença cardíaca coronariana (DCC) ou aterosclerose coronariana é a principal causa de mortes nos Estados Unidos, em homens e mulheres. A aterosclerose é provocada pelo acúmulo de placas nas artérias que levam ao coração. Isso também pode ser chamado de endurecimento das artérias. Material gorduroso ou outras substâncias formam acúmulo de placa nas paredes das artérias coronárias. As artérias coronárias levam sangue e oxigênio para o coração. Este acúmulo causa o estreitamento das artérias. Como resultado, o fluxo de sangue para o coração pode ser reduzido ou interrompido. Um fator de risco para doença cardíaca é algo que aumenta a probabilidade de seu desenvolvimento. Alguns fatores de risco para doença cardíaca não podem ser alterados, mas outros podem. Os fatores de risco para doença cardíaca que você não pode alterar são: A sua idade. O risco de doenças cardíacas aumenta com a idade. Seu sexo. Homens têm um mais risco de desenvolver doenças cardíacas do que mulheres em idade fértil. Após a menopausa, o risco para mulheres é mais próximo ao de homens. Consulte: Doença cardíaca e mulheres Seus genes. Se os seus pais ou outros parentes próximos apresentaram doença cardíaca, você tem maior risco. Sua raça. Afro-americanos, mexicanos-americanos, ameríndios, havaianos e alguns asiáticos-americanos também têm mais risco de problemas cardíacos. Muitos fatores aumentam os riscos de surgimento de doença cardíaca: Diabetes é um grande fator de risco para a doença cardíaca. Hipertensão aumenta os riscos de doença cardíaca e insuficiência cardíaca. Colesterol extra no sangue se acumula dentro das paredes das artérias do coração (vasos sanguíneos). Fumantes correm mais risco de doença cardíaca. Doenças renais crônicas podem aumentar seus riscos. Pessoas com artérias estreitadas em outras partes do corpo (exemplos são derrame e fluxo precário de sangue para as pernas) têm maior probabilidade de apresentar doença cardíaca. Abuso de substâncias (como cocaína) Estar acima do peso A falta de exercícios e sentir-se deprimido ou o acúmulo de estresse são outros fatores de risco. Exames Muitos exames ajudam a diagnosticar a aterosclerose. Geralmente, o médico solicita mais de um exame para teste, para obter um diagnóstico. Os testes para aterosclerose podem incluir: Angiografia/arteriografia coronária um exame invasivo que avalia as artérias coronárias em raios X Angiografia por tomografia computadorizada - uma maneira não invasiva de realizar a angiografia coronária Ecocardiograma Eletrocardiograma (ECG) Tomografia computadorizada por feixe de elétrons, para verificar o nível de cálcio no interior das artérias - quanto mais cálcio, maior o risco de DCC Teste de esforço físico Tomografia computadorizada do coração Angiografia por ressonância magnética Teste de esforço nuclear Sintomas de Aterosclerose Os sintomas da aterosclerose podem ser bastante evidentes, mas, em alguns casos, você pode ter a doença e não apresentar nenhum sintoma. Dor no peito ou desconforto (angina) é o sintoma mais comum da aterosclerose. Você sente essa dor quando o coração não está recebendo sangue ou oxigênio suficientes. O grau da dor varia em cada pessoa.
  • 2. Ela pode ser intensa ou semelhante a alguém esmagando seu coração. Essa dor é sentida abaixo do osso do tórax (esterno), e também no pescoço, nos braços, na barriga e na parte superior das costas. Ela geralmente ocorre durante uma atividade ou momento de emoção e desaparece quando o indivíduo descansa ou toma um remédio chamado nitroglicerina. Outros sintomas da aterosclerose incluem falta de ar e fadiga quando o indivíduo realiza atividades (esforço). Mulheres, idosos e indivíduos com diabetes são mais propensos a apresentar sintomas além da dor no peito, como: Fadiga Falta de ar Fraqueza Consulte: Insuficiência cardíaca e seus sintomas Buscando ajuda médica Se você apresenta algum dos fatores de risco da aterosclerose, procure um médico para conversar sobre a prevenção e os possíveis tratamentos. Procure um médico imediatamente, ligue para um serviço de emergência (como 192) ou procure um atendimento de emergência, se você apresentar: O que é Aneurisma cerebral? Sinônimos: Hemorragia subaracnoide, hemorragia cerebral, derrame cerebral Um aneurisma é uma área fraca na parede de um vaso sanguíneo que faz com que o vaso sanguíneo forme uma protuberância ou inche. Quando o aneurisma ocorre em um vaso sanguíneo do cérebro, ele é denominado de aneurisma cerebral. Causas Os aneurismas no cérebro surgem quando há uma região enfraquecida na parede de um vaso sanguíneo. Um aneurisma pode estar presente desde o nascimento (congênito) ou pode se desenvolver mais tarde, como depois que um vaso sanguíneo é lesionado. Existem vários tipos diferentes de aneurismas. Um aneurisma sacular pode variar no tamanho, podendo ter desde alguns milímetros até um centímetro. Os aneurismas saculares gigantes podem ter mais de 2 centímetros. Eles são mais comuns em adultos. Os aneurismas saculares múltiplos são herdados com mais frequência do que os outros tipos de aneurismas. Outros tipos de aneurismas cerebrais consistem no alargamento de um vaso sanguíneo inteiro; ou ainda podem parecer como um "balão" na parte externa de um vaso sanguíneo. Tais aneurismas podem ocorrer em qualquer vaso sanguíneo que alimente o cérebro. Arterioesclerose, traumas e infecções, que podem lesionar a parede do vaso, podem causar esses aneurismas cerebrais. Cerca de 5% da população têm algum tipo de aneurisma cerebral, mas apenas um pequeno número desses aneurismas causam sintomas ou rupturas. Os fatores de risco incluem histórico familiar de aneurismas cerebrais e certos problemas médicos, como doença renal policística, coartação aórtica e pressão alta. Exames Um exame ocular pode mostrar pressão elevada dentro do cérebro (pressão intracraniana elevada), incluindo inchaço do nervo óptico ou sangramento na retina. Um exame do cérebro e do sistema nervoso (neurológico) pode revelar movimento anormal dos olhos, problemas na fala, na força e na sensibilidade. Os seguintes testes podem ser usados para diagnosticar aneurisma cerebral e para determinar a causa do sangramento no cérebro: Angiografia cerebral ou angiografia por tomografia computadorizada espiral da cabeça para revelar a localização e o tamanho do aneurisma Exame de líquido cefalorraquidiano
  • 3. Tomografia computadorizada da cabeça Eletroencefalograma (ECG) Ressonância magnética da cabeça Sintomas de Aneurisma cerebral Uma pessoa pode ter um aneurisma cereral sem apresentar sintomas. Esse tipo de aneurisma pode ser encontrado quando uma ressonância magnética ou uma tomografia computadorizada são feitas por outro motivo. Um aneurisma cerebral pode começar a "vazar" uma pequena quantidade de sangue. Isso talvez cause uma dor de cabeça forte que o paciente pode descrever como "a pior dor de cabeça da minha vida". Outra frase para descrever o aneurisma é uma dor de cabeça sentinela. Isso significa que a dor de cabeça pode ser um sinal de aviso de uma ruptura dias ou semanas depois de a dor de cabeça aparecer pela primeira vez. Os sintomas também podem ocorrer se o aneurisma empurrar estruturas próximas no cérebro ou se romper (ruptura) e causar sangramento no cérebro. Os sintomas dependem da localização do aneurisma, se ele se rompeu e da parte do cérebro que está sendo comprimida, mas podem incluir: Visão dupla Perda da visão Dores de cabeça Dores nos olhos Dores no pescoço Pescoço rígido Uma dor de cabeça forte e súbita é um sintoma de que o aneurisma se rompeu. Outros sintomas de rompimento de um aneurisma são: Confusão, letargia, sonolência ou estupor Queda da pálpebra Dores de cabeça acompanhadas de náusea e vômito Fraqueza muscular ou dificuldade de mobilidade de qualquer parte do corpo Dormência ou diminuição da sensibilidade de qualquer parte do corpo Convulsões Fala prejudicada Rigidez no pescoço (ocasionalmente) Alterações na visão (visão dupla, perda de visão) Observação: o rompimento de um aneurisma é uma emergência médica. Procure ajuda médica imediatamente. Buscando ajuda médica Vá para o pronto-socorro ou ligue para o serviço de emergência local (como 192, no caso de São Paulo) caso ocorra uma dor de cabeça muito forte ou súbita, principalmente se vier acompanhada de náusea, vômito, convulsões ou qualquer outro sintoma neurológico. Busque também a emergência se a dor de cabeça não for comum, principalmente se grave ou "a pior dor de cabeça da vida". Tratamento de Aneurisma cerebral Dois métodos comuns são usados para reparar um aneurisma cerebral:
  • 4. A clipagem é o modo mais comum de reparar um aneurisma. Isso é feito durante a cirurgia no cérebro. Consulte também: Cirurgia cerebral (crâniotomia) O reparo endovascular, muitas vezes usando uma "bobina", é um método menos invasivo para tratar alguns aneurismas. Um aneurisma que se rompe é uma emergência que precisa de tratamento médico e muitas vezes requer cirurgia. O reparo endovascular é o método mais usado quando isso acontece. Mesmo que não ocorram sintomas, seu médico poderá recomendar um tratamento para evitar uma futura ruptura fatal. Nem todos os aneurismas precisam ser tratados imediatamente. Os aneurismas muito pequenos (menos de 3 mm) têm menos probabilidade de se romper. Seu médico o ajudará a decidir se é mais seguro fazer uma cirurgia para bloquear o aneurisma antes que ele abra (ruptura). O paciente pode estar muito doente para se submeter a uma cirurgia ou pode ser muito perigoso tratar o aneurisma devido à sua localização. O tratamento pode consistir em: Repouso total e restrições a atividades Drogas para evitar convulsões Medicamentos para controlar dores de cabeça e pressão arterial Assim que o aneurisma é tratado, pode ser necessário iniciar medidas preventivas contra derrames decorrentes de espasmos dos vasos sanguíneos. Isso pode incluir líquidos intravenosos e certas medicações e pode provocar a elevação da pressão arterial. Expectativas O resultado varia. Os pacientes que entram em coma profundo após o rompimento de um aneurisma geralmente não se recuperam tão bem, quando comparados a pacientes com sintomas menos graves. Normalmente, a ruptura dos aneurismas cerebrais são fatais. Cerca de 25% das pessoas morrem em 24 horas, e outras 25% morrem em cerca de 3 meses. Além disso, dos sobreviventes, mais de 25% apresenta algum tipo de incapacidade permanente. Complicações possíveis Aumento da pressão de líquido no crânio Perda de movimento em uma ou mais partes do corpo Perda permanente de sensibilidade de qualquer parte da face ou do corpo Convulsões Derrame Hemorragia subaracnoide Prevenção Não há maneira conhecida de prevenir a formação de um aneurisma sacular. Tratar a pressão alta pode reduzir a chance de ruptura de um aneurisma. Controlar os fatores de risco da arteriosclerose pode reduzir a probabilidade de alguns tipos de aneurisma. Se descobertos a tempo, aneurismas não rompidos podem ser tratados antes de causarem problemas. A decisão de reparar um aneurisma cerebral não rompido é baseada no tamanho e na localização do aneurisma e na idade e condição de saúde do paciente. Os riscos dessa decisão devem ser muito bem ponderados.

×