• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Slide: Prosa gótica, Literatura.
 

Slide: Prosa gótica, Literatura.

on

  • 12,198 views

 

Statistics

Views

Total Views
12,198
Views on SlideShare
12,071
Embed Views
127

Actions

Likes
4
Downloads
221
Comments
2

3 Embeds 127

http://agendaturmab.blogspot.com.br 91
http://www.agendaturmab.blogspot.com.br 33
http://agendaturmab.blogspot.com 3

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel

12 of 2 previous next

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • Como faz para salvar?
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • yes, essse sim é o site maluco.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Slide: Prosa gótica, Literatura. Slide: Prosa gótica, Literatura. Presentation Transcript

    • A Prosa GóticaContrapondo-se aos valores racionalistas e materialistas da sociedade burguesa, certos escritores do Romantismo criam uma literatura fantasiosa, identificada com um universo de satanismo, mistério, morte, sonho, loucura, e degradação. Trata-se da literatura de tradição gótica, conhecida também como maldita,que até hoje encontra adeptos na literatura, na música e no cinema.Você já ouviu estes versos, de Rita Lee e Roberto de Carvalho?Venha me beijar, meu doce vampiroÔ, uou, na luz do luarAh, ah, ah, ah, venha sugar o calorDe dentro do meu sangue, vermelho,tão vivo, tão eterno, venenoque mata a sua sedeque me bebe quentecomo um licorbrindando à mortee fazendo amor
    • O vampirismo, o amor, a morte e o ambiente noturno, presentes no texto,são elementos da tradição gótica, introduzida na literatura brasileira pelo paulista Álvares de Azevedo e por outros poetas da segunda geração do Romantismo, marcada pelo byronismo e e pelo mal-do-século. ALVARES DELORD BYRON AZEVEDO BAUDELAIRE
    • Tradição gótica: ao diabo o statusquoA tradição literária gótica érepresentada pela prosa de Álvares deAzevedo, por parte de sua poesia (aface Caliban) e por algumascontribuições de Bernardo Guimarães eJunqueira Freire.Essa produção representa uma rupturanão apenas com os padrões literáriosvigentes, estabelecidos pela primeirageração romântica, mas também comos próprios valores da sociedade.Trata-se, em suma de uma literaturaque afronta o racionalismo e omaterialismo burgueses e opta porzonas escuras e antilógicas dosubconsciente, onde fundem instintosde vida e de morte, libido e terror.
    • A literatura gótica sempre teve um carátermarginal, de acordo com o sentimento demarginalidade experimentado pelosescritores ultrarromânticos que deramorigem a ela em nosso país. Na Europa, tiveram ligações com essatendência Charles Baudelaire, pós-romântico, e Mallarmé, um dos pais doSimbolismo francês; nos Estados Unidos, opoeta e prosador romântico Edgar AllanPoe; no Brasil, os simbolistas Cruz e Sousae Alphonsus de Guimaraes e o pré-modernista Augusto dos Anjos.Da Década de 1960 em diante, o macabrotem encontrado adeptos no cinema, naliteratura e principalmente entre grupos derock, jovens, adolescentes e sociedadesalternativas, que vêem nessa tradição umaforma de protesto contra a ordem social.
    • Álvares de Azevedo: amor e morteA produção gótica-romântica em prosa é representada pelas obras Noite na Taverna, de contos, e Macário, peça teatral, ambas realizações de Álvares de Azevedo.O ambiente noturno e degradado desses textos não tem nenhum vínculodireto com as vivências do escritor, morto precocemente aos 21 anos.São fruto da imaginação fantasiosa do quase adolescente Álvares deAzevedo e da influência exercida sobre ele pelo escritor Lord Byron.
    • A narrativa de Noite na Taverna inicia-se em forma de drama. Macário e Satan (personagens do drama Macário, de Álvares de Azevedo)dialogam na primeira cena, em que Satan conduz Macário a uma orgia, a fim deque leia uma página da vida, cheia de sangue e de vinho. Macário observa, da janela de uma taverna, uma sala fumacenta. À roda damesa estão sentados cinco homens ébrios, Os mais revolvem-se no chão. Dormem ali mulheres desgrenhadas, umas lívidas, outras vermelhas edesgrenhadas. Observem que essa cena de abertura tem claros alguns motivos da narrativafrenética, de que já falamos anteriormente, ou se preferirem, romance negro,
    • Ambos os gêneros dão à obra uma veste de caráter perverso. noturno satânico ou demoníaco, relatada por cinco personagens narradores: Solfieri, Bertram, Johann, Gennaro e Cláudius Herman que se caracterizam como personagens do "mal do século", ou seja, homens ébrios e devassos, cultivadores dos vícios e das perdições humanas, enfim, LIBERTINOS. Macário é a testemunha da cena ( uma noite de orgia) cujas histórias nos são narradas em 1ª pessoa.A obra possui:*dimensão fantástica (sonho eembriaguez)*narrativas difusas*ótica de Macário x ótica de Satan*mal personificado*teor sexual mórbido
    • Observe o perfil dos viajantes : Nome do personagem / Perfil da personalidade SOLFIERI libertino e necrófilo _ possuiu uma mulher em estado de catalepsia ( doença em que a pessoa parece morta ) BERTRAM Torna-se um perdido na Espanha, envolve-se com mulher que mata o marido e o filho para provar-lhe o amorGENNARO Estudante de pintura, casado _ apaixona-se pela filha de seu mestre. CLAUDIUS HERMANN Para conquistar uma mulher casada vale-se do ardil de dopá-la. Jogador inveterado JOHANN jovem cuja figura lembra uma donzela pelas formas suaves da expressão facial_ cometerá incesto e fratricídio
    • VEJAMOS ALGUNS TRECHOS:MACÁRIOOnde me levas?SATANA uma orgia. Vais ler uma página davida, cheia de sangue e devinho—que importa?MACÁRIOEu vejo-os. É uma sala fumacenta. Aroda da mesa estão sentadoscinco homens ébrios. Os maisrevolvem-se no chão. Dormem alimulheresdesgrenhadas, umas lívidas, outrasvermelhas .Que noite!
    • Bebamos! nem um canto de saudade!Morrem na embriaguez da vidaas cores! Que importam sonhos, ilusõesdesfeitas? Fenecem como as flores! —Oh! vazio meu copo esta vazio! Olá taverneira, não vês que as garrafas estão esgotadas? Não sabes, desgraçada, que os lábios da garrafa são como os da mulher: só valem beijos enquanto o fogo do vinho ou o fogo do amor os borrifa de lava? —Solfieri! es um insensato! o materialismo é árido como o deserto, e escuro como um túmulo!
    • —Deus! crer em Deus!Quando me falarem emverdades religiosas, emvisões santas, nos desvariosdaquele povo estúpido—eu vosdirei—miséria!miséria! três vezes miséria!Tudo aquilo é falso— mentiramcomo as miragensdo deserto!—Estas ébrio, Johann! Oateísmo é a insânia como...
    • “Invejo as flores que murchando morrem,E as aves que desmaiam-se cantandoE expiram sem sofrer... “ Álvares de Azevedo“Feliz daquele que no livro d’almaNão tem folhas escritas,E nem saudade amarga, arrependida,Nem lágrimas malditas." LEIA MAIS E INFORME-SE...
    • SUGESTÕES DE OBRAS COM TRAÇOS GÓTICOS:LEIA : O retrato de Dorian Gray ( Oscar Wilde ); Histórias Fantásticas (ParaGostar de Ler) ; O médico e o monstro ( Robert Stevenson ) ; Noite na taverna...ASSISTA: Cold mountain ; Frankstein, o terror das trevas; O corvo ; O sextosentido ; Drácula; Entrevista com vampiro...VEJA: Obras de Goya, Delacroix, Rodin, Henry Fuseli...