Slide: Memórias de um sargento de milícias, Literatura.
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Slide: Memórias de um sargento de milícias, Literatura.

on

  • 3,473 views

 

Statistics

Views

Total Views
3,473
Views on SlideShare
3,388
Embed Views
85

Actions

Likes
1
Downloads
35
Comments
0

3 Embeds 85

http://agendaturmab.blogspot.com.br 53
http://www.agendaturmab.blogspot.com.br 31
http://agendaturmab.blogspot.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Slide: Memórias de um sargento de milícias, Literatura. Presentation Transcript

  • 1. “Memórias de um Sargento de Milícias”Manuel Antônio de Almeida
  • 2. A VIAGEMLEONARDO MARIA DAS PATACA HORTALIÇAS LEONARDINHO
  • 3. LeonardinhoL Anti-herói : MALANDROA Muita ação- pouca falaM Filho de uma pisadela ede um beliscãod AMORAL
  • 4. Poderíamos classificar aspersonagens das Memórias de umSargento de Milícias de duasmaneiras:1. Personagens ligadas ao plano daordem: Dona Maria, o Compadrebarbeiro e a Comadre parteira — sópara citar os mais relevantes — sãopersonagens que respeitam a ordemvigente, isto é, possuem algumaocupação e, de maneira geral,respeitam a lei. A personagem maisexpressiva desse plano é o MajorVidigal, que persegue os vadios, osbêbados, os briguentos e os festeiros,ou seja, faz valer a ordem;
  • 5. Divisão fictíciaa) o Barbeiro, ainda que seja ligado ao plano da ordem por ter um ofício e por ter acolhido o pequeno herói abandonado pelos pais, conquistou pequeno cabedal tomando posse de uma fortuna que não era sua, ainda jovem;b) o Padre da Sé, embora fosse um representante da Igreja, tinha um caso amoroso com a cigana;c) o Major Vidigal, mesmo perseguindo todos os vadios do plano da desordem, concedeu facilmente a liberdade a Leonardo em troca dos afetos de Maria Regalada. Enfim, qualquer uma das personagens do plano da ordem, ainda que brevemente, transita rapidamente pelo plano da desordem.
  • 6. 2. Personagens ligadas ao plano dadesordem : a cigana, o Chico Juca,todos os que fazem parte do ritualda Fortuna, o Teotônio, piadistaperseguido por Major Vidigal, queacaba se safando com a ajuda deLeonardo, e outros que de algumaforma estão à margem da ordem
  • 7. LuisinhaL “(...)tendo perdido as graças de menina,ainda não tinha adquirido a beleza da moça:era lata , magra, pálida; andava com oqueixo enterrado no peito, trazia aspálpebras sempre baixas, e olhava afurto;tinhas os braços finos ecompridos;(...)andava mal penteada(...)”
  • 8. Major VidigalM “o terror dos malandros”o Ele é a Lei: aplica , pune, cobra ,julga.j Momentos de humilhação:M A) fuga de Leonardinho nas ruas;A B) enterro simbólico;B C) Teotônio : caretas
  • 9. Narrativa de costumes N Profissões populares P Festas F Música- modinhas M Religiosidade R Indumentárias I feitiçarias Realismo? R Camadas populares (retrato social)Romantismo? s Não há maniqueísmoR Final feliz N Herói : Anti-heróiF Aventuras amorosas (Vidinha, H Não há idealizaçãoLuisinha) N Linguagem jornalística:L Passado como tema: “...era no coloquialismotempo do Rei” c Descritivismo(D. João VI) D Caricatura dos padres (anticlericalismo)
  • 10. Além disso, destacam-se na obra o sentimento anti-religioso e anticlericalista, o horror aos padres e odesprezo pelas beatas, a caricatura e a ironia, que sãoingredientes sabidamente caracterizadores do estilorealista:      - ‘O Divino Espírito Santo      E um grande folião,      Amigo de muita carne.      Muito vinho e muito pão.      A cena do clérigo, mestre de cerimônias, noquarto de uma cigana prostituta, em noite de festa e nostrajes em que o autor o coloca é digna de mestres doRealismo, como Eça de Queiroz, por exemplo.