Your SlideShare is downloading. ×
Cenarios e Perspectivas Abril/2010
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Cenarios e Perspectivas Abril/2010

824
views

Published on

Cenarios e Perspectivas para Soja e Milho no Brasil

Cenarios e Perspectivas para Soja e Milho no Brasil


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
824
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Mercado de Grãos Soja e Milho Cenários e Perspectivas em 2010 Por Anderson Galvão Maringá, Paraná Abril de 2010
  • 2. Agenda • Fatores gerais – Demografia – Retomada do crescimento econômico global – Direcionadores dos custos básicos • Contexto agrícola - soja – Conjuntura global – Conjuntura local – Cenários e perspectivas • Contexto agrícola - milho – Conjuntura global – Conjuntura local – Cenários e perspectivas
  • 3. Até 2015, quase 800 milhões de “bocas” entraram no mercado 8 bilhões 7,3 7 bilhões 6,5 6 bilhões 5 bilhões 4 bilhões 3 bilhões 2 bilhões 1 bilhões 0 bilhões 1950 1955 1960 1965 1970 1975 1980 1985 1990 1995 2000 2005 2010 2015 Fonte:Nações Unidas, “World Urbanization Prospects: The 2006 Revision, 2007 Valores em bilhões de habitantes
  • 4. Após o recuo pós crise, os alimentos voltam a subir A demanda firme sustenta o preço dos alimentos ao redor do mundo Índice de preço de alimentos FMI 300 250 200 +136% -32% 150 100 50 80 82 84 86 88 90 92 94 96 98 00 02 04 06 08 10 Fonte: FMI/ Estatísticas Financeiras Internacionais (Commodity Food Price Index, 2005 = 100, includes Cereal, Vegetable Oils, Meat, Seafood, Sugar, Bananas, and Oranges Price Indices) Elaboração: Céleres Março/2010
  • 5. Como indício da retomada da atividade econômica, fretes marítimos voltam a subir e influenciarão nos custos dos fertilizantes BDI (Baltic Dry Index) BPI (Panamax index) 14.000 12.000 10.000 8.000 6.000 4.000 2.000 0 jan/08 jul/08 jan/09 jul/09 jan/10 jul/10 Fonte: BFE Elaboração: Céleres Abril/2010
  • 6. Demanda aquecida interrompe processo de queda nos preços das commodities básicas 1Q/08 2Q/08 3Q/08 4Q/08 1Q/09 2Q/09 3Q/09 4Q/09 1Q/10 80,0% 60,0% 40,0% 20,0% 0,0% -20,0% -40,0% -60,0% Petróleo Cobre Ouro Prata Soja Milho Arroz Trigo Fonte: Banco Mundial/Pink Sheet Elaboração: Céleres Variação trimestral dos benckmark
  • 7. E o impacto sobre o comportamento dos preços das matérias-primas agrícolas também já se faz sentir 1Q/08 2Q/08 3Q/08 4Q/08 1Q/09 2Q/09 3Q/09 4Q/09 1Q/10 150,0% 100,0% 50,0% 0,0% -50,0% -100,0% DAP Rocha fosfática Cloreto de Potássio SSP Uréia Fonte: Banco Mundial/Pink Sheet Elaboração: Céleres Variação trimestral dos benckmark
  • 8. Agenda • Fatores gerais – Demografia – Retomada do crescimento econômico global – Direcionadores dos custos básicos • Contexto agrícola - soja – Conjuntura global – Conjuntura local – Cenários e perspectivas • Contexto agrícola - milho – Conjuntura global – Conjuntura local – Cenários e perspectivas
  • 9. O incremento de área nos EUA fica menor do que o esperado pelo mercado e limita uma pressão ainda maior sobre os preços internacionais Oferta e Demanda da Soja nos Estados Unidos 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 -1s Média +1s Área colhida (milhão ha) 29,9 28,8 30,2 26,0 30,2 30,9 31,1 31,1 31,1 Produtividade (t/ha) 2,8 2,9 2,9 2,8 2,7 3,0 2,6 2,8 3,0 Estoque inicial 3,1 7,0 12,1 15,3 5,3 3,4 4,8 4,8 4,8 Produção 85,0 83,4 86,8 72,9 80,7 91,3 81,1 87,3 93,5 Importação 0,2 0,1 0,2 0,3 0,4 0,4 0,4 0,5 0,3 Oferta total 88,2 90,4 99,1 88,4 86,4 95,2 86,3 92,5 98,6 Esmagamento 46,2 47,3 49,2 49,1 45,2 47,1 46,4 47,6 48,0 Outros usos 5,3 5,4 4,3 2,5 2,8 4,7 4,6 4,7 4,8 Consumo doméstico 51,4 52,8 53,5 51,6 48,0 51,8 51,0 52,3 52,8 Exportação 29,9 25,6 30,4 31,5 34,9 38,6 32,8 35,6 40,2 Demanda total 81,3 78,3 83,9 83,2 82,9 90,4 83,9 87,9 93,0 Estoque final 7,0 12,1 15,3 5,3 3,4 4,8 2,4 4,6 5,6 Estoque/Consumo 8,6% 15,4% 18,2% 6,3% 4,1% 5,3% 2,9% 5,3% 6,0% Fonte: USDA/NASS/ERS Dados de Março/2010 Milhões de toneladas
  • 10. Preços da soja buscam um novo patamar. Mas já testaram o “suporte” dos US$ 9,00 por bushel, nível mínimo para a rentabilidade na produção Relação estoque/consumo mundial 19,3% 22,4% 20,0% 23,2% 24,7% 27,9% 23,0% 19,2% 24,2% Fechamento diário Média anual 18,0 16,0 14,0 -16,7% 12,0 +42,7% 10,0 8,0 6,0 4,0 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 Fonte: CBOT fechamento diário 1a posição Valores em US$/bushel (27,216 kg)
  • 11. Câmbio e logística exercem forte pressão sobre os preços domésticos da soja. Preços atuais não cobrem o custo total de produção Preços da soja em MT Preços da soja em GO 2008 2009 2010 2008 2009 2010 60 50 50 40 40 30 30 20 20 10 10 0 0 jan mar mai jul set nov jan mar mai jul set nov Preços da soja no RS Preços da soja em PR 2008 2009 2010 2008 2009 2010 60 60 50 50 40 40 30 30 20 20 10 10 0 0 jan mar mai jul set nov jan mar mai jul set nov Fonte: Céleres Valores em R$/sc
  • 12. Área e clima surpreendem e a produção de soja cresce mais de 15% em relação a 2009 Oferta e Demanda da Soja no Brasil 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 Var (%) Área colhida (mil ha) 23,5 22,3 20,7 21,3 21,5 23,2 7,9% Produtividade (kg/ha) 2,3 2,5 2,8 2,8 2,7 2,9 7,1% Produção (mil ton.) 53,1 54,9 57,8 59,7 58,2 67,2 15,6% Oferta Estoque inicial 3,0 1,4 1,2 2,5 3,1 0,7 -77,6% Produção 53,1 54,9 57,8 59,7 58,2 67,2 15,6% Importação 0,4 0,0 0,1 0,1 0,1 0,1 42,7% Oferta total 56,5 56,4 59,1 62,3 61,4 68,1 10,9% Demanda Esmagamento 29,9 27,5 30,1 31,8 29,3 32,0 9,2% Exportação 22,4 25,0 23,7 24,5 28,6 29,8 4,3% Sementes/Outros 2,8 2,7 2,8 2,8 2,8 3,1 11,2% Demanda total 55,1 55,2 56,6 59,1 60,7 64,9 7,0% Estoque final 1,4 1,2 2,5 3,1 0,7 3,1 346,8% Estoque/Consumo 2,5% 2,1% 4,3% 5,3% 1,2% 4,8% Fonte: Céleres Valores em milhões toneladas Atualizado em Abril/2010
  • 13. Paridade para a exportação de soja a partir do Oeste do Paraná Entrega abril/2010 Intervalo de Preços Chicago $¢/bu $¢ 900,0 $¢ 950,0 $¢ 1.000,0 $¢ 1.050,0 $¢ 1.100,0 Prêmio/Desconto ($¢/bu) $¢ 20 $¢ 20 $¢ 20 $¢ 20 $¢ 20 Receita F.O.B. ($¢/bu) $¢ 920,0 $¢ 970,0 $¢ 1.020,0 $¢ 1.070,0 $¢ 1.120,0 Receita F.O.B. ($/t) $¢ 338,0 $¢ 356,4 $¢ 374,8 $¢ 393,2 $¢ 411,5 Despesas ($/t) $ (81,30) $ (81,83) $ (82,36) $ (82,89) $ (83,42) Fretes $ (65,34) $ (65,34) $ (65,34) $ (65,34) $ (65,34) Despesas porto $ (6,20) $ (6,20) $ (6,20) $ (6,20) $ (6,20) Taxas/Comissões $ (9,13) $ (9,62) $ (10,12) $ (10,62) $ (11,11) Corretora de câmbio $ (0,63) $ (0,67) $ (0,70) $ (0,74) $ (0,77) Receita líquida ($/t) $ 256,73 $ 274,58 $ 292,42 $ 310,26 $ 328,10 Receita líquida ($/sc) $ 15,4 $ 16,5 $ 17,5 $ 18,6 $ 19,7 Receita líquida (R$/sc) R$ 27,1 R$ 29,0 R$ 30,8 R$ 32,7 R$ 34,7 Fonte: Céleres Atualizado em 23/04/2010, com base F.O.B Paranaguá
  • 14. A safra 2009/10 custa um pouco menos, mas para quem está capitalizado R$/saca 28,0 28,9 29,8 30,6 31,5 32,4 33,3 34,1 35,0 35,9 U$/saca 16,0 16,5 17,0 17,5 18,0 18,5 19,0 19,5 20,0 20,5 Custo (R$/ha) Custo ($/ha) Produtividade equilíbrio, em sacas de soja/ha R$ 1.138 650 40,6 39,4 38,2 37,1 36,1 35,1 34,2 33,3 32,5 31,7 R$ 1.181 675 42,2 40,9 39,7 38,6 37,5 36,5 35,5 34,6 33,8 32,9 R$ 1.225 700 43,8 42,4 41,2 40,0 38,9 37,8 36,8 35,9 35,0 34,1 R$ 1.269 725 45,3 43,9 42,6 41,4 40,3 39,2 38,2 37,2 36,3 35,4 R$ 1.313 750 46,9 45,5 44,1 42,9 41,7 40,5 39,5 38,5 37,5 36,6 R$ 1.356 775 48,4 47,0 45,6 44,3 43,1 41,9 40,8 39,7 38,8 37,8 R$ 1.400 800 50,0 48,5 47,1 45,7 44,4 43,2 42,1 41,0 40,0 39,0 R$ 1.444 825 51,6 50,0 48,5 47,1 45,8 44,6 43,4 42,3 41,3 40,2 Custo menor que 37,4 sacas/hectare Câmbio: R$ 1,75 /US$ Custo entre 37,4 e 43,8 sacas/hectare Custo maior que 43,8 sacas/hectare Fonte: Céleres Atualizado em abril de 2010
  • 15. Nas premissas atuais, reter soja apresenta forte viabilidade, mas tal decisão deve considerar uma estratégia mais ampla de gestão do negócio R$ 40 R$ 38 Cenário base Produto armazenado R$ 36,8 R$ 36 Cenário baixista R$ 34 Cenário altista R$ 32 R$ 31,8 R$ 30 R$ 29,2 R$ 28 R$ 26 R$ 26,9 R$ 24 R$ 22 R$ 20 mar/10 mai/10 jul/10 set/10 nov/10 Fonte: Céleres * Cenário base elaborado em 15/04/2010 com informações dessa data. Base Rondonópolis para o produto no disponível
  • 16. Não há condições para os preços virem abaixo dos US$ 9,00, mas tão pouco se pode esperar por altas expressivas até o final do ano 1ª posição Mercado futuro $ 14,0 $ 13,0 $ 12,0 $ 11,0 $ 10,0 $ 9,0 $ 8,0 $ 7,0 $ 6,0 jan/09 mar/09 mai/09 jul/09 set/09 nov/09 jan/10 mar/10 mai/10 jul/10 set/10 nov/10 jan/11 mar/11 mai/11 Fonte: CBOT Projeções: Céleres Valores em US$/bushel
  • 17. Estratégias para a soja na safra 2009/10 Fatores de Alta Estratégia de Mercado  Manutenção da demanda global por  Participação contínua no mercado matérias-primas (estipular margem como objetivo);  Correção do preço da soja em face ao valor atual do dólar perante as moedas  Atenção ao período do mercado do mundiais clima nos Estados Unidos  Área menor do que o esperado nos EUA  Chance de alguma volatilidade entre o Fatores de Baixa final de maio e começo de agosto  REAL FORTE!!!!  Uma súbita desaceleração do  Acompanhar o custo de armazenagem consumo, em particular na China e os “momentos” para participar do  Safras recordes simultaneamente nos mercado Estados Unidos e na América do Sul  Estoques chineses estão elevados
  • 18. Agenda • Fatores gerais – Demografia – Retomada do crescimento econômico global – Direcionadores dos custos básicos • Contexto agrícola - soja – Conjuntura global – Conjuntura local – Cenários e perspectivas • Contexto agrícola - milho – Conjuntura global – Conjuntura local – Cenários e perspectivas
  • 19. A relação estoque/consumo de milho no mundo está bem abaixo de sua média histórica, mas houve alguma melhora no último ano Estoque/Consumo Média decenal 50,0% 45,0% 40,0% 35,0% 30,0% 25,0% 20,0% 15,0% 10,0% 5,0% 0,0% Fonte: USDA Elaboração: Céleres Novembro/2009
  • 20. Uma situação um pouco mais confortável nos estoques globais de milho, mas longe de ser um quadro de pleno abastecimento Oferta e Demanda de Milho - Mundo 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 CAGR Área colhida (milhões ha) 145,5 149,4 160,0 157,2 155,4 1,7% Oferta (milhões ton) Estoque inicial 131,6 124,3 109,4 129,9 147,5 2,9% Produção 699,1 713,1 792,4 794,8 805,7 3,6% Importação 80,4 90,3 98,4 82,3 82,3 0,6% Oferta total 911,1 927,7 1.000,2 1.007,0 1.035,5 3,2% Demanda (milhões ton) Exportação 81,0 94,0 98,6 84,4 86,0 1,5% Uso animal 478,1 478,0 497,1 479,7 492,1 0,7% Outros usos 227,8 246,4 274,7 295,4 313,1 8,3% Demanda total 786,8 818,3 870,3 859,5 891,3 3,2% Estoque final 124,3 109,4 129,9 147,5 144,2 3,8% Estoque/consumo 17,6% 15,1% 16,8% 19,0% 17,9% Fonte: USDA Elaboração: Céleres CAGR 5 anos Abril/2010
  • 21. Preço do milho na CBOT fragilizado pela oferta firme nos EUA Produção expressiva nos EUA pressiona preços no longo prazo Relação estoque/consumo mundial 20,2% 20,2% 16,2% 19,1% 17,6% 15,1% 16,8% 19,0% 17,9% Fechamento Diário Média anual 8,0 7,0 6,0 +40,9% 5,0 -29% 4,0 3,0 2,0 1,0 0,0 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 Fonte: CBOT fechamento diário da primeira entrega Valores em US$/bushel (25,4 kg)
  • 22. A zona de lucro na produção de milho 1ª safra Lucro apenas para aqueles que priorizam a alta tecnologia Preço de venda (saca 60kg) R$/saca 8,8 10,5 12,3 14,0 15,8 17,5 19,3 21,0 22,8 24,5 U$/saca 5,0 6,0 7,0 8,0 9,0 10,0 11,0 12,0 13,0 14,0 Custo (R$/ha) Custo ($/ha) Produtividade equilíbrio, em sacas de milho/ha R$ 1.488 850 170 142 121 106 94 85 77 71 65 61 R$ 1.575 900 180 150 129 113 100 90 82 75 69 64 R$ 1.663 950 190 158 136 119 106 95 86 79 73 68 R$ 1.750 1.000 200 167 143 125 111 100 91 83 77 71 R$ 1.838 1.050 210 175 150 131 117 105 95 88 81 75 R$ 1.925 1.100 220 183 157 138 122 110 100 92 85 79 R$ 2.013 1.150 230 192 164 144 128 115 105 96 88 82 R$ 2.100 1.200 240 200 171 150 133 120 109 100 92 86 Custo menor que 85,5 sacas/hectare Câmbio: R$ 1,75 /US$ Custo entre 85,5 e 145,3 sacas/hectare Custo maior que 145,3 sacas/hectare Fonte: Céleres Atualizado em Abril/2010
  • 23. Mesmo na safrinha, uma situação bastante apertada A logística deficiente penaliza os produtores no Centro-Oeste, mesmo com alta tecnologia Preço de venda (saca 60kg) R$/saca 8,8 10,5 12,3 14,0 15,8 17,5 19,3 21,0 22,8 24,5 U$/saca 5,0 6,0 7,0 8,0 9,0 10,0 11,0 12,0 13,0 14,0 Custo (R$/ha) Custo ($/ha) Produtividade equilíbrio, em sacas de milho/ha R$ 788 450 90 75 64 56 50 45 41 38 35 32 R$ 875 500 100 83 71 63 56 50 45 42 38 36 R$ 963 550 110 92 79 69 61 55 50 46 42 39 R$ 1.050 600 120 100 86 75 67 60 55 50 46 43 R$ 1.138 650 130 108 93 81 72 65 59 54 50 46 R$ 1.225 700 140 117 100 88 78 70 64 58 54 50 R$ 1.313 750 150 125 107 94 83 75 68 63 58 54 R$ 1.400 800 160 133 114 100 89 80 73 67 62 57 Custo menor que 50 sacas/hectare Câmbio: R$ 1,75 /US$ Custo entre 50 e 89,2 sacas/hectare Custo maior que 89,2 sacas/hectare Fonte: Céleres Atualizado em Abril/2010
  • 24. Os altos estoques pressionaram os preços no Brasil e o câmbio não favorece um bom volume de exportação Preços do milho no MT Preços do milho em GO 2008 2009 2010 2008 2009 2010 25 25 20 20 15 15 10 10 5 5 0 0 jan mar mai jul set nov jan mar mai jul set nov Preços do milho em SC Preços do milho no PR 2008 2009 2010 2008 2009 2010 30 25 25 20 20 15 15 10 10 5 5 0 0 jan mar mai jul set nov jan mar mai jul set nov Fonte: Céleres Valores em R$/sc
  • 25. Safras excepcionais geram excedentes de milho no mercado que impedem qualquer movimento de alta mais expressivo no curto e médio prazo Oferta e Demanda de Milho - Brasil 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 Var. Oferta Estoque inicial 5,7 2,9 4,0 3,1 9,9 6,4 -35,7% Produção 34,9 43,4 50,0 56,1 47,1 50,7 7,6% 1ª safra 27,4 32,4 36,2 39,5 31,4 31,7 1,1% 2ª safra 7,6 11,0 13,8 16,6 15,7 18,9 20,5% Importação 0,7 0,9 1,1 0,8 1,1 1,0 -11,7% Substitutos 2,6 2,1 2,2 2,3 2,4 2,4 0,0% Oferta Total 43,9 49,2 57,3 62,2 60,5 60,5 -0,2% Demanda Consumo animal 30,6 30,8 32,9 34,6 35,2 36,7 4,1% Exportação 1,1 4,0 10,9 6,4 7,8 8,5 9,5% ASI 9,3 10,4 10,4 11,4 11,2 11,1 -0,8% Demanda Total 41,0 45,2 54,3 52,3 54,2 56,2 3,8% Estoque final 2,9 4,0 3,1 9,9 6,4 4,2 -34,1% Estoque/Consumo 7,0% 9,0% 5,6% 19,0% 11,8% 7,5% Fonte: Céleres/CONAB/SECEX/ABIMILHO/SINDIRAÇÕES Valores em milhões de toneladas ASI: Alimentos, industrial, sementes, perdas
  • 26. Intervalo esperado de preços aponta para níveis limite para a rentabilidade na produção do milho, determinados pela paridade de exportação Oeste de Santa Catarina R$ 23,5 R$ 24,4 R$ 24,8 R$ 25,7 R$ 26,7 R$ 15,2 R$ 15,8 R$ 16,5 R$ 17,4 R$ 18,5 Norte do Paraná mai/10 jul/10 set/10 dez/10 mar/11 Base Paranaguá Fonte: Céleres com base em informações de 23/04/10 R$/saca 60 kg
  • 27. Vivemos um momento de mudança de patamar na competitividade da produção de milho Cenário comparativo entre soja e milho no Oeste do Paraná Produção de milho Produção de soja • Rever conceitos Baixa Alta Baixa Alta Produtividade (sc/ha) 125 175 50 60 • Rever o planejamento de Preço (R$/sc) R$ 15,00 R$ 35,00 longo prazo da atividade Receita bruta (R$/ha) R$ 1.875 R$ 2.625 R$ 1.750 R$ 2.100 Custo direto (R$/ha) -R$ 1.400 -R$ 1.800 -R$ 1.200 -R$ 1.500 • Priorizar tecnologia e Margem bruta (R$/ha) R$ 475 R$ 825 R$ 550 R$ 600 crescimento “vertical” Milho: alta x baixa Soja: alta x baixa 73,7% 9,1% Baixa: soja x milho Alta: soja x milho • Novas alternativas 15,8% -27,3% Milho Soja Prós Contra Prós Contra Entender e Maior potencial de ganho na produtividade Menor liquidez Maior liquidez Custo de produção respeitar as crescente Operação simplificada Menor oferta de crédito Oferta de crédito privado Limitação na particularida des de cada com milho Bt no setor privado produtividade Proximidade com o porto O dilema da Armazenagem mais Menor margem por armazenagem simples hectare produtor Maior rentabilidade por Previsibilidade do preço hectare no mercado
  • 28. Estratégias para o milho na safra 2009/10 Fatores de Alta Estratégia de Mercado  Problemas climáticos durante o  Participação contínua no mercado desenvolvimento da safra de inverno (estipular margem como objetivo);  Aumento das exportações no segundo semestre  Estabelecer margem como objetivo de  Desvalorização do real devido ao risco venda político  Atenção a possíveis descasamento de Fatores de Baixa preços na BM&F  REAL FORTE!!!!  Clima favorável a mais uma safra  Acompanhar de perto as vendas inverno “cheia” externas de milho  Aumento da área plantada nos Estados Unidos em 2010/11
  • 29. Contato R. Eng. Hélvio Felice, 119 Uberlândia – MG – 38.411-114 : (34) 3229-1313 : (34) 3229-4949 www.celeres.com.br celeres@celeres.com.br Associada da Arcadia International Membro do ISAAA Empresa associada (Bruxelas, Bélgica)