Dialectica relacional fernando_ilharco (1)
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Dialectica relacional fernando_ilharco (1)

on

  • 509 views

 

Statistics

Views

Total Views
509
Views on SlideShare
509
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Dialectica relacional fernando_ilharco (1) Dialectica relacional fernando_ilharco (1) Document Transcript

  • Dialéctica Relacional Baxter e Montgomery Prof. Doutor Fernando Ilharco Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Ciências Humanas A Tradição Fenomenológica (I)A comunicação como a experiência do “eu” e do “outro” através do diálogo_Experiência subjectiva – a minha própria experiência_Diálogo e entendimento_ Comunicação efectiva: congruência, atitude positiva incondicional,compreensão empática (Rogers)_ Intersubjectividade: comunicar, experimentar e partilhar, em comum(Husserl)_ Comunicação como o ser-no-mundo-com-os-outros. Estamos e somosjá-e-sempre-com-os-outros (Heidegger). 1
  • A Tradição Fenomenológica (II) Inspiração de Mikhail Bakhtin_Intelectual russo que escreveu sobre literatura e filosofiadurante o regime estalinista_A tensão dialéctica é estrutural à experiência humana A_As tensões não têm resolução (oposição a Marx e Hegel);estão sempre em fluxo Bakhtin_As tensões estimulam o diálogo (1895-1975)Baxter e Montgomery: _A tensão dialéctica é natural nas relações _As contradições são inevitáveis e podem ser positivas 2
  • Leslie Baxter e Barbara Montgomery_Leslie Baxter trabalha na Universidade de Iowa;Barbara Montgomery trabalha na Universidade deNew Hampshire_Estudam a comunicação em relações muitopróximas Barbara Montgomery_Dada a complexidade das relações, nãopretendem encontrar leis científicas universais, masconhecer tendências que orientem o início, odesenvolvimento, a manutenção e a ruptura dasrelações Relações PróximasA teoria de Baxter e Montgomery aplica-se a: _relações amorosas _relações familiares _relações d amizade l õ de i d_O conflito é inerente ao ser humano e às relações(contradições, contingências, irracionalidade,diversos mundos)_As relações humanas são dinâmicas, estão emfluxo constante 3
  • Conceito de ContradiçãoCONTRADIÇÃO: interacção dinâmica entre duas tendências interdependentes (princípio dialéctico da unidade) e que se negam uma à outra(princípio dialéctico da negação); são opostas_O conflito é inerente ao ser humano e às relações (contradições,contingências, irracionalidade, diversos mundos) Relações e dialéctica_As relações organizam-se em torno da interacção entre tendênciasopostas e contraditórias_A dialéctica relacional consiste na interacção entre diferentes tensõesque existe nas relações próximas intimidade vs. independência conformidade vs. originalidade autonomia vs. comunidade 4
  • Três Forças Dialécticas (I)_Baxter entrevistou homens e mulheres sobre as suas relações_Identificou 3 forças dialécticas presentes em todas as relaçõesOutros autores já tinham identificado algumas forçaspresentes: _Proximidade (Rogers) _Certeza (Berger) _Abertura (Altman e Taylor)Baxter identificou: _Autonomia _Novidade Novidade _PrivacidadeTensões não são either/or mas both/and: as relações sãocomplexas Três Forças Dialécticas (II)_Dialéctica interna: tensões presentes entre os membros de uma relação_Dialéctica externa: tensões presentes entre os membros de uma relaçãoe a comunidade na qual se inseremBaxter e Montgomery identificam 3 principais tensões para cada um doscasos, mas existem muitas mais. Dialéctica Interna Dialéctica Externa Ligação <> Separação Inclusão <> Exclusão Certeza <> Incerteza Estabilidade <> Inovação ã Abertura <> Isolamento Revelação <> Sonegação …<>… …<>… 5
  • Três Forças Dialécticas (III)LIGAÇÃO <> SEPARAÇÃO / INCLUSÃO <> EXCLUSÃO _É uma das principais tensões das relações (abdicar de autonomia; perder individualidade) _A supremacia de uma das forças prejudica a relação A _Inicial necessidade de exclusão; posterior necessidade de inclusão Três Forças Dialécticas (III)CERTEZA <> INCERTEZA / ESTABILIDADE <> INOVAÇÃO _O mistério e a espontaneidade são positivos na relação _Em relação à comunidade, há pressão para a conformidade e necessidade d ser original e único id d de i i l ú i 6
  • Três Forças Dialécticas (III)ABERTURA <> ISOLAMENTO / EXPRESSÃO <> NÃO EXPRESSÃO _Necessidade simultânea de intimidade e de privacidade _Dilemas sobre o que revelar ou não aos outros (necessidades de d apoio e aprovação dos outros; incertezas) i ã d t i t ) Práticas para Conciliar Tensões DialécticasA melhor forma de lidar com as tensões é o diálogo honesto sobre elasOito Estratégias:_1 Negação: ignorar um dos pólos da tensão; conduz a insatisfação_2 D 2 Desorientação: i i ã impotência f ê i face à tensão; não há diálogo ã ã diál_3 Espiral: alternar entre tensões opostas ao longo do tempo_4 Segmentação: isolar aspectos da relação e identificá-los com umadas forças_5 Equilíbrio: reconhecimento da legitimidade de ambos os opostos;diálogo contínuo; satisfação alternada pois ora “ganha” um ora outro_6 Integração: conciliar forças opostas_7 Reenquadramento: re-contextualização das tensões de forma aminimizar as oposições; solução temporária_8 Reafirmação: reconhecimento da inevitabilidade das tensões;considerar as tensões formas de enriquecer a relação 7
  • Ênfase no Diálogo_Desenvolvimento da teoria: foco nas tensões dialécticas passou a focono diálogo_Inspiração de Bakhtin: sem diálogo não há relaçãoDefinição de DIÁLOGO: _Processo construtivo: P t ti A comunicação mantém e desenvolve a relação (interaccionismo simbólico) _Fluxo dialéctico: As contradições estão em permanente fluxo; este é imprevisível _Momento estético: O diálogo i diál implica respeito pelo outro e pelas posições li it l t l i õ contraditórias de cada um; é uma performance comum _Uterância: Diálogo é um conjunto de uterâncias (comunicação) _Sensibilidade crítica: O diálogo critica o domínio, a opressão e o ignorar o outro Críticas_A teoria será válida? Explica que as relações são complexas, mas… …não tem uma estrutura clara e lógica …não explica o presente nem permite prever o futuro …não apresenta proposições nem axiomas não …não permite generalizações_A teoria é interpretivista: é uma perspectiva global sobre ascontradições e as mudanças das relações na prática quotidiana_As relações são de facto muito complexas: cada força não está apenasem tensão com o seu oposto mas também com todas as outras_Compreender a complexidade das relações e a dificuldade que a suamanutenção representa aumenta a sua valorização.“Sustaining a relationship seems to be a very similar process to riding aunicycle.” Baxter e Montgomery 8