Slides reuniao expectativa 2

2,501 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,501
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
38
Actions
Shares
0
Downloads
13
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Slides reuniao expectativa 2

  1. 1. CADERNO DE EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM VERSÃO PRELIMINAR
  2. 2. Expectativas de aprendizagem <ul><li>Conhecimentos básicos que espera-se que o aluno domine ao final de cada série. </li></ul><ul><li>Definidas a partir os conteúdos básicos das Diretrizes Curriculares Orientadoras da Educação Básica para a Rede Estadual de Ensino. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Mais um subsídio para o trabalho docente e para o planejamento e acompanhamento das ações da escola. </li></ul>Expectativas de aprendizagem
  4. 4. Importante destacar: a) Não substituem a Proposta Pedagógica Curricular e o Plano de Trabalho Docente. b) Não é mais um elemento do Plano de Trabalho Docente. c) Servem como mais um subsídio para o planejamento do professor, apontando o que é fundamental o aluno saber dentro de cada conteúdo básico.
  5. 5. d) Partem dos conteúdos básicos que estão nas Diretrizes Curriculares Orientadoras da Educação Básica para a Rede Estadual (Parecer CEE/CEB nº 130/10). e) Por estarem relacionadas aos conteúdos básicos, são mais amplas e, por este motivo, não devem ser entendidas como sinônimo de critério de avaliação, uma vez que este deve ser elaborado pelo professor no Plano de Trabalho Docente, de acordo com o conteúdo específico e com o recorte do conteúdo estabelecido pelo professor. Importante destacar:
  6. 6. QUÍMICA
  7. 7. Diretrizes Curriculares : ponto de partida para o trabalho do professor. De onde ele parte com inúmeras possibilidades de procedimentos metodológicos.
  8. 8. <ul><li>CADERNO DE EXPECTATIVAS : PONTO DE CHEGADA DO TRABALHO DO PROFESSOR. É O QUE SE ESPERA DO ALUNO AO FINAL DO PROCESSO. </li></ul>
  9. 9. DISCIPLINA: QUÍMICA <ul><li>Conteúdo Básico : Matéria </li></ul><ul><li>Conteúdos Estruturantes : Matéria e sua natureza, Biogeoquímica e Química Sintética </li></ul>
  10. 10. <ul><li>Conteúdos Específicos : Constituição da matéria; Estados de agregação; Natureza elétrica da matéria; Modelos atômicos; Estudo dos metais. Tabela Periódica. </li></ul>
  11. 11. EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM : Entenda e posicione-se com base na evolução da ciência, frente aos avanços tecnológicos na área da química e as situações sócio-ambientais, compreendendo ciência como construção humana. Compreenda os códigos, símbolos e fórmulas próprios da Química.
  12. 12. Compreenda e traduza conceitos químicos e suas transformações em linguagens discursiva e simbólica. Compreenda a descoberta e a evolução dos modelos atômicos identificando as especificidades e características das partículas fundamentais.
  13. 13. Compreenda o conceito de isótopos e suas aplicações. Reconheça e identifique as principais composições dos ciclos biogeoquímicos e suas relações. Identifique e reconheça a ocorrência e a importância dos processos iônicos.
  14. 14. Reconheça os principais metais e suas ligas, o processo de obtenção, utilização e importância social. Compreenda os estados físicos e reconheça métodos de obtenção de algumas substâncias simples e compostas e seus impactos sócio, político, econômico e ambiental.
  15. 15. BIOLOGIA
  16. 16. Expectativas de aprendizagem São conhecimentos básicos que espera-se que o aluno domine ao final de cada série. Definidas a partir os conteúdos básicos das Diretrizes Curriculares Orientadoras da Educação Básica para a Rede Estadual de Ensino de Biologia. São amplas!
  17. 17. Tal amplitude permite ao professor desenvolver as especificidades de sua realidade escolar, considerando os documentos norteadores da escola (Projeto Político Pedagógico – PPP, Proposta Pedagógica Curricular – PPC e o Plano de Trabalho Docente- PTD).
  18. 18. As contribuições encaminhadas pelos Estabelecimentos de Ensino foram analisadas pela Equipe de Biologia da Secretaria de Estado da Educação e dos Núcleos Regionais de Educação, discutidas e sistematizadas e, agora, retornam às escolas, em versão preliminar.
  19. 19. O objeto de estudo da disciplina de Biologia está contemplado em todas as expectativas de aprendizagem, bem como a pertinência dos conceitos biológicos e as questões inerentes a sua atualização.
  20. 20. As expectativas não devem ser pensadas como encaminhamentos metodológicos, conteúdos específicos, bem como relações interdisciplinares e/ ou de contexto, uma vez que estas situações devem estar explicitadas no Plano de Trabalho Docente.
  21. 21. CONTEÚDO ESTRUTURANTE ORGANIZAÇÃO DOS SERES VIVOS CONTEÚDOS BÁSICOS: Classificação do seres vivos: critérios taxonômicos e filogenéticos
  22. 22. EXPECTATIVA DE APRENDIZAGEM Espera-se que, ao final do Ensino Médio, o aluno: Identifique e compare as características dos diferentes grupos de seres vivos e dos vírus; Reconheça e compreenda os sistemas de classificação dos seres vivos em reinos, domínios, filogenia, entre outros;
  23. 23. Referência PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação. Diretrizes Curriculares da Educação Básica. Curitiba:SEED/DEB – PR, 2008.
  24. 24. O ENSINO RELIGIOSO NA ESCOLA PÚBLICA
  25. 25. Histórico
  26. 26. <ul><li>http://educarencantando.blogspot.com/2009_03_01_archive.html </li></ul>
  27. 28. O que nos diz a Lei ? (9475/97) (Alteração do art. 33 da LDB nº 9394/96) <ul><li>O Ensino Religioso, de matrícula facultativa, é parte integrante da formação básica do cidadão e constitui disciplina dos horários normais das escolas públicas de ensino fundamental, assegurado o respeito à diversidade cultural religiosa do Brasil, vedadas quaisquer formas de proselitismo . </li></ul>
  28. 29. Proselitismo: <ul><li>Atitudes que visam converter uma ou várias pessoas a uma determinada religião </li></ul><ul><li>Propaganda religiosa </li></ul><ul><li>Atitude de enaltecer uma religião e criticar outra. </li></ul><ul><li>(SEED, 2010 Orientações Pedagógicas para os Anos Iniciais </li></ul>
  29. 30. Deliberação 01/06 – CEE <ul><li>ART. 4º </li></ul><ul><li>§ 1º – O aluno, ou seu responsável, deverá manifestar sua opção em participar das aulas de ensino religioso. </li></ul><ul><li>§ 2º – O aluno, uma vez inscrito, so poderá se desligar por manifestação formal, sua ou do responsável . </li></ul>
  30. 31. <ul><li>ART. 5º – “O estabelecimento deverá providenciar atividades pedagógicas adequadas, sob a orientação de professores habilitados, aos alunos que não optarem pela participação às aulas de ensino religioso .” </li></ul><ul><li>Como proceder??? </li></ul>
  31. 32. Instrução 13/06 SEED <ul><li>“ A disciplina de Ensino Religioso não constituirá objeto de reprovação e não terá registro de nota ou conceito nos documentos escolares.” </li></ul><ul><li>Como avaliar??? </li></ul>
  32. 33. <ul><li>“ As especificidades de oferta e frequência nesta disciplina não exime o professor de implementar práticas avaliativas que permitam acompanhar o processo de apropriação do conhecimento pelo aluno, tendo como objeto de estudo o Sagrado.” (CEA) </li></ul>
  33. 34. POSTURA DO PROFESSOR
  34. 35. <ul><li>Objeto de FÉ X Objeto de ESTUDO </li></ul><ul><li>Linguagem científica e não religiosa </li></ul><ul><li>“ Despir-se” da sua cultura para entrar em outra </li></ul><ul><li>“ Nestas Diretrizes, repudia-se quaisquer juízos de valor sobre esta ou aquela prática religiosa.” (P.66) </li></ul>
  35. 36. Cuidado!!! <ul><li>Não levar os alunos a vivenciarem práticas de fé, ou estimulá-los para que tenham qualquer crença religiosa, pois a disciplina é ofertada para aqueles que possuem ou não uma religião. </li></ul>
  36. 37. <ul><li>“ Na medida em que uma doutrinação religiosa ou moral impõe um modo adequado de agir e pensar, de forma heterônoma e excludente, ela impede o exercício da autonomia e da criação de novos valores.” (DCE p.46) </li></ul><ul><li>Oração??? </li></ul>
  37. 38. Diretrizes Curriculares Estaduais 2008 <ul><li>5ª série/6º ano: </li></ul><ul><li>Organizações Religiosas </li></ul><ul><li>Lugares Sagrados </li></ul><ul><li>Textos Sagrados </li></ul><ul><li>Símbolos Sagrados </li></ul><ul><li>6ª série/7º ano: </li></ul><ul><li>Festas Religiosas </li></ul><ul><li>Rituais Religiosos </li></ul><ul><li>Temporalidade Sagrada </li></ul><ul><li>Vida e Morte </li></ul>
  38. 39. SENDO ASSIM, QUAL É O VERDADEIRO OBJETIVO DO ENSINO RELIGIOSO?
  39. 40. <ul><li>[email_address] </li></ul><ul><li>www.diaadia.pr.gov.br </li></ul><ul><li>Ensino Religioso </li></ul><ul><li>‘‘ Obrigada pela atenção!’’ </li></ul>
  40. 41. MATEMÁTICA
  41. 42. <ul><li>[...] aprender Matemática é mais do que manejar fórmulas, saber fazer contas ou marcar x nas respostas: é interpretar, criar significados, construir seus próprios instrumentos para resolver problemas, estar preparado para perceber estes mesmos problemas, desenvolver o raciocínio lógico, a capacidade de conceber, projetar e transcender o imediatamente sensível . (PARANÁ, 1990, p. 66) – DCE, p. 46. </li></ul>
  42. 43. <ul><li>Nas Diretrizes assume-se a Educação Matemática como campo de estudos que possibilita ao professor balizar sua ação docente, fundamentado numa ação crítica que conceba a Matemática como atividade humana em construção. (DCE - p. 48) </li></ul>
  43. 44. <ul><li>[...] Cabe ao professor a sistematização dos conteúdos matemáticos que emergem das aplicações, superando uma perspectiva utilitarista , sem perder o caráter científico da disciplina e de seu conteúdo. (DCE, p.48 e 49) </li></ul>
  44. 45. Conteúdos Estruturantes: <ul><li>Números e Álgebra </li></ul><ul><li>• Grandezas e Medidas </li></ul><ul><li>• Geometrias </li></ul><ul><li>• Funções ( a partir do 9 o Ano ) </li></ul><ul><li>• Tratamento da informação </li></ul>
  45. 46. Conteúdo Estruturante: GEOMETRIAS <ul><li>Conteúdo Básico: </li></ul><ul><li>Geometria Plana; </li></ul><ul><li>Geometria Espacial </li></ul>Ex: 6º ANO – Ensino Fundamental
  46. 47. Expectativas de Aprendizagem <ul><li>. </li></ul><ul><li>. </li></ul><ul><li>. </li></ul><ul><li>30. Reconheça sólidos geométricos e identifique seus elementos; </li></ul><ul><li>. </li></ul><ul><li>. </li></ul><ul><li>. </li></ul>
  47. 48. Em uma das aulas de matemática, aprendi sobre os poliedros e os corpos redondos. Em seguida, fui ao supermercado. Lá comprei uma caixa de sabão em pó, uma lata de óleo e uma bola. No caixa percebi que os três produtos tinham, respectivamente, a forma de :
  48. 49. <ul><li>a) cubo, cone e circunferência. </li></ul><ul><li>b) paralelepípedo, cone e esfera. </li></ul><ul><li>c) cubo, cilindro e circunferência. </li></ul><ul><li>d) paralelepípedo, cilindro e esfera. </li></ul>
  49. 50. Conteúdo Estruturante: GEOMETRIAS <ul><li>Conteúdo Básico: </li></ul><ul><li>Geometria Plana; </li></ul><ul><li>Geometria Espacial; </li></ul><ul><li>Geometria analítica; </li></ul><ul><li>Geometrias não-euclidianas </li></ul>Ex: Ensino Médio
  50. 51. Expectativas de Aprendizagem <ul><li>. </li></ul><ul><li>. </li></ul><ul><li>. </li></ul><ul><li>229. Calcule área, volume e capacidade de sólidos geométricos; </li></ul><ul><li>. </li></ul><ul><li>. </li></ul><ul><li>. </li></ul>
  51. 53. Como eu resolvo: <ul><li>A questão está pedindo quantos cm² de papelão são necessários para montar uma caixa de sapatos. A figura é um retângulo (caixa com uma tampa). </li></ul><ul><li>Primeiro, vou multiplicar o chão e o teto, conforme os valores (32 x17), multiplicando por 2 ( em cima e embaixo), obtendo a resposta 1,088cm. </li></ul><ul><li>Segundo,vou multiplicar a frente e o fundo, conforme os valores (32 x 10), multiplicando por 2 (em cima e embaixo), obtendo a resposta 640cm. </li></ul>
  52. 54. Continuação de exercício 1 <ul><li>Terceiro, vou multiplicar as laterais, conforme os valores (17 x 10), multiplicando por 2 (2 lados), obtendo a resposta 340cm. </li></ul><ul><li>Quarto, vou multiplicar as laterais da ABA, conforme os valores (32 x 2), multiplicando por 2 (2 lados), obtendo a resposta 128cm. </li></ul><ul><li>Quinto, vou multiplicar a frente e o fundo da ABA, conforme os valores (17 x 2), multiplicando por 2 (frente e atrás), obtendo a resposta 68cm. </li></ul><ul><li>Sexto, agora vou somar todas as respostas obtidas, uma por uma, achando a At = 2.264cm². </li></ul>
  53. 55. HORA ATIVIDADE CONCENTRADA Visando uma melhor organização pedagógica a SEED propõe para o ano de 2012.
  54. 56. <ul><li>Possibilitar aos professores das disciplinas de áreas afins, um momento semanal de discussão sobre os encaminhamentos teórico-metodológicos que embasam a prática pedagógica; </li></ul><ul><li>Possibilitar aos pedagogos maior integração e organização pedagógica junto aos professores; </li></ul>Objetivos Hora atividade concentrada por disciplina
  55. 57. Objetivos Hora atividade concentrada por disciplina <ul><li>Possibilitar a análise discussão e implementação do PPP observando as Diretrizes Curriculares Estaduais Orientadoras da Educação Básica para a Rede Estadual. </li></ul><ul><li>Oferecer formação continuada em horário de trabalho, sem prejuízo pedagógico aos alunos. </li></ul>
  56. 58. Atividades 2011 Equipe de Ensino Núcleo Regional de Educação de Londrina
  57. 59. Programa Acelera <ul><li>Alunos da Rede Municipal de Educação, com distorção idade-série que participaram do Programa em 2010; </li></ul><ul><li>170 alunos – 5ª séries; </li></ul><ul><li>67 alunos – 6ª séries. </li></ul><ul><li>Reuniões Salão Nobre Nre – pedagogos e direção (47 escolas). </li></ul><ul><li>Acompanhamento pedagógico às escolas da Rede Estadual que receberam alunos advindos do Programa (Reunião com professores e pedagogos – in locu). </li></ul>
  58. 60. Oficinas Disciplinares da Educação Básica <ul><li>8 horas de formação destinada aos professores da Rede Estadual, dividido em duas etapas (1º e 2º semestre 2011); </li></ul><ul><li>Participação de 1500 professores. </li></ul>
  59. 61. Reunião Pedagogos <ul><li>Reunião de 8 horas com pedagogos iniciantes (60 participantes) na Rede Estadual de Educação: Organização do Trabalho Pedagógico </li></ul>
  60. 62. Ensino Médio Organizado por Blocos de Disciplinas Semestrais Reunião com todos os professores e pedagogos atuantes nessa oferta (23 escolas); Pauta: Calendário/Organização do tempo escolar; Avaliação/Conselho de Classe; Livro Registro de Classe; Legislação e procedimentos para transferências; Plano de trabalho docente;
  61. 63. Acompanhamento Distorção Idade-Série <ul><li>Junho - Levantamento dos alunos que encontram-se em distorção idade-série de todas as escolas/colégios – AMPARE; </li></ul><ul><li>Outubro – Realização de Reunião para propor encaminhamentos 2011/2012 com as escolas que apresentam índices elevados de distorção idade-série (municípios e Londrina); </li></ul>
  62. 64. Adequação Projeto Político- Pedagógico Reunião com os pedagogos de todas as escolas do NRE de Londrina; Pauta: adequação dos documentos escolares (PPP e Regimento Escolar) para implantação simultânea do Ensino Fundamental de 9 anos em 2012. Participantes: 140 pedagogos.
  63. 65. Reunião Índices Desenvolvimento da Educação Básica <ul><li>Sala de Apoio a Aprendizagem (2º semestre); </li></ul><ul><li>Análise dos descritores a partir dos resultados da Prova Brasil; </li></ul><ul><li>Participantes: 1 40 pedagogos. </li></ul>
  64. 66. Programa PDE Interativo <ul><li>Reunião e acompanhamento das escolas participantes do PDE Interativo 2011 (11 estabelecimentos de ensino municipais e estaduais); </li></ul><ul><li>Acompanhamento do monitoramento das escolas PDE Escola 2010 (60 escolas municipais e estaduais). </li></ul>
  65. 67. Acompanhamento pedagógico Acompanhamento pedagógico junto às escolas e/ou com o setor de Estrutura e Funcionamento e Documentação Escolar in locu, para orientação, autorização, renovação, credenciamento ou reconhecimento para funcionamento dos estabelecimentos de ensino, totalizando 305 visitas técnicas.
  66. 68. Semana Pedagógica <ul><ul><li>Garante a formação e participação de todos os segmentos da escola, com direito a certificação; </li></ul></ul><ul><ul><li>Acompanhar e organizar os trabalhos desenvolvidos na Semana Pedagógica. </li></ul></ul>
  67. 69. Planejamento 2012 – Formação Continuada <ul><li>Para todos os profissionais da educação de 16 horas, em duas etapas 1º e 2º semestre – prevista em calendário; </li></ul><ul><li>Para todos os pedagogos supridos na rede estadual em março de 2012, de 8 horas (SEED); </li></ul><ul><li>Para professores de todas as disciplinas (Hora Atividade Concentrada – vagas limitadas); </li></ul>
  68. 70. Planejamento 2012 – Formação Continuada <ul><li>Para todos os pedagogos iniciantes na Rede Estadual de Educação, com duração de 16 horas; </li></ul><ul><li>Para profissionais atuantes nos Programas de Atividade de Complementação Curricular em Contraturno; </li></ul>

×