Your SlideShare is downloading. ×
Introdução - Psicologia da Educação
Introdução - Psicologia da Educação
Introdução - Psicologia da Educação
Introdução - Psicologia da Educação
Introdução - Psicologia da Educação
Introdução - Psicologia da Educação
Introdução - Psicologia da Educação
Introdução - Psicologia da Educação
Introdução - Psicologia da Educação
Introdução - Psicologia da Educação
Introdução - Psicologia da Educação
Introdução - Psicologia da Educação
Introdução - Psicologia da Educação
Introdução - Psicologia da Educação
Introdução - Psicologia da Educação
Introdução - Psicologia da Educação
Introdução - Psicologia da Educação
Introdução - Psicologia da Educação
Introdução - Psicologia da Educação
Introdução - Psicologia da Educação
Introdução - Psicologia da Educação
Introdução - Psicologia da Educação
Introdução - Psicologia da Educação
Introdução - Psicologia da Educação
Introdução - Psicologia da Educação
Introdução - Psicologia da Educação
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Introdução - Psicologia da Educação

108,456

Published on

Published in: Education, Technology
9 Comments
19 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
108,456
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
8
Actions
Shares
0
Downloads
1,892
Comments
9
Likes
19
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Profª. Drª. Andréa Forgiarini Cechin Universidade Federal de Santa Maria     afcechin@gmail.com
  • 2. 1 ­ ORIGENS DA PSICOLOGIA Até o final do século XIX a Psicologia não existia como disciplina específica. emergiu de duas tradições: a filosofia e as ciências naturais. Os  filósofos  sempre  estiveram  O  sucesso  dessas  ciências  em  interessados  em  compreender  o  desenvolver  experimentos  para  significado  da  experiência  humana  e  desenvolver  explicações  baseadas  muitos  conceitos  básicos  da  no  princípio  da  causalidade  Psicologia  têm  sua  origem  na  levaram  a  Psicologia  a  fazer  o  Filosofia. mesmo. Enquanto  os  filósofos  do  século  XIX  preparavam  o  caminho  para  a  abordagem  experimental  do  funcionamento  da  mente,  os  fisiologistas  buscavam  as  mesmas  respostas  a  partir  de  outro  enfoque  procurando  compreender  os  mecanismos  corporais que estão na base dos processos mentais. No início, a Psicologia procurou conciliar os pontos conflitantes de cada uma dessas  abordagens. Com o tempo, porém, a Psicologia alcança identidade própria.    
  • 3. 2 – HISTÓRIA DA PSICOLOGIA O  primeiro  indício  de  um  campo  distinto  de  pesquisa  conhecido  como  Psicologia foi a adoção do método científico como um recurso para tentar  resolver  problemas  psicológicos.  Durante  esse  período,  manifestaram­se  diversas indicações formais de que essa ciência começava a florescer: 1879 – Wilhelm Wundt implanta o primeiro laboratório de Psicologia do mundo. 1881 – Wundt funda a primeira revista de Psicologia dedicada principalmente a  relatos experimentais. 1887 – Stanley Hall funda o American Journal of Psychology, primeira revista  de Psicologia publicada nos Estados Unidos. 1892  –  Foi  fundada  a  Associação  Psicológica  Americana  (APA)  –  primeira  organização científica e profissional de psicólogos. 1908 – O psicólogo William McDougall definiu a Psicologia, pela primeira vez,  como “ciência do comportamento”.     
  • 4. O que caracteriza uma ciência?  Objeto de estudo específico Utilização do método científico proporciona diretrizes lógicas para avaliar a evidência e  técnicas elaboradas para verificar seus princípios A Ciência (do latim scientia, conhecimento) é o  conjunto de informações sobre a realidade acumuladas  pelas várias gerações de investigadores depois de  devidamente validadas pelo método científico. Também  se designa ciência o processo de recolher e validar  informações sobre a realidade.    
  • 5. CONCEITO DE PSICOLOGIA  Origem grega LOGOS + PSIQUE= estudo acerca da alma ou espírito  Ciência que estuda o comportamento e os processos mentais. Temas  de  interesse:  o  desenvolvimento,  as  bases  fisiológicas  do  comportamento,  a  aprendizagem,  a  percepção,  a  memória,  o  pensamento,  a  linguagem,  a  motivação,  a  emoção,  a  inteligência,  a  personalidade,  o  comportamento  anormal  e  seu  tratamento,  as  influências sociais e o comportamento social.    
  • 6. SUB­CAMPOS DA PSICOLOGIA PSICOLOGIA GERAL Busca  determinar  o  objeto,  os  métodos,  os  princípios  gerais  e  as  ramificações da ciência. PSICOLOGIA FISIOLÓGICA Investiga  o  papel  que  eventos  e  estruturas  fisiológicas  desempenham  no  comportamento. PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO Estuda o desenvolvimento ontogenético, isto é, as mudanças que ocorrem no  ciclo vital de um indivíduo. PSICOLOGIA JURÍDICA Aplica os conhecimentos da Psicologia no campo do Direito.    
  • 7. PSICOLOGIA ANIMAL OU COMPARADA Estuda  o  comportamento  animal  com  objetivo  de,  comparando­o  ao  ser  humano,  melhor  compreendê­lo  e,  também,  busca  a  compreensão  do  comportamento animal em si. PSICOLOGIA SOCIAL Investiga  todas  as  situações  em  que  a  conduta  humana  é  influenciada  e  influencia a de outras pessoas e grupos. PSICOLOGIA DIFERENCIAL Busca  estabelecer  as  diferenças  entre  os  indivíduos  em  termos  de  idade,  classe  social,  raças,  capacidades,  sexo...  Suas  causas  e  efeitos  sobre  o  comportamento, além de procurar criar e aperfeiçoar técnicas de mensuração  das variáveis consideradas.    
  • 8. PSICOPATOLOGIA Preocupa­se com o comportamento anormal: psicoses, neuroses. PSICOLOGIA APLICADA AO TRABALHO Através  de  informações  psicológicas  é  possível  viabilizar  uma  maior  rendimento no trabalho. PSICOLOGIA APLICADA À MEDICINA Auxilia os profissionais da saúde em suas tarefas de diagnóstico, tratamento  e prevenção de doenças.    
  • 9. 3 – FUNÇÕES E FINALIDADES DA PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO A  Psicologia  da  Educação  se  concentra  no  estudo  psicológico  dos  problemas  cotidianos  da  educação,  dos  quais  se  derivam  princípios,  modelos,  teorias,  procedimentos de ensino e métodos práticos de instrução e avaliação, bem como  métodos  de  pesquisa  apropriados  para  estudar  o  pensamento  e  os  processos  afetivos  dos  estudantes  e  os  processos  cultural  e  socialmente  complexos  das  escolas. Em resumo: A  Psicologia  da  Educação  estuda  os  processos  de  ensino  e  aprendizagem;  aplica  os  métodos  e  teorias  da  Psicologia  e  também  têm  seus  próprios  métodos e teorias.    
  • 10. 4 – ESCOLAS DE PENSAMENTO: marco de desenvolvimento da  Psicologia Moderna O termo escola de pensamento refere­se a um grupo de psicólogos que  se  associam  ideológica  e,  às  vezes,  geograficamente  ao  líder  de  um  movimento.  Geralmente os membros de uma escola trabalham em problemas comuns  e compartilham uma orientação teórica ou sistemática.  No  curso  da  história  da  Psicologia,  desenvolveram­se  diferentes  escolas  de  pensamento,  sendo  cada  qual  um  protesto  efetivo  contra  o  que  a  precedia.  Cada  posição  procura  deixar  bem  claro  o  que  não  é  e  como  difere do sistema teórico antigo.     
  • 11. ESTRUTURALISMO O Estruturalismo é uma modalidade de pensar e um método de análise praticado  nas ciências do século XX, especialmente nas áreas das humanidades. De  um  modo  geral,  o  estruturalismo  procura  explorar  as  inter­relações  (as  "estruturas")  através  das  quais  o  significado  é  produzido  dentro de uma cultura.  O  estruturalismo  define  a  psicologia  como  ciência  da  consciência  ou  da  mente,  definição  herdada  de  Wundt.  Mostra­nos  que  a  mente  seria a soma dos processos mentais.  O  alemão  Wilhelm  Wundt  foi  o  primeiro  psicólogo  a  tornar  a  Psicologia  autônoma  em  relação à Filosofia.  Wilhelm Maximilian Wundt (1832 ­ 1920)    
  • 12. Wundt  (1832­1920) e  seus colegas  eram  chamados  estruturalistas  porque  declaravam  que  as  complexas  experiências  da  mente  eram  verdadeiras  “estruturas”  construídas  a  partir  de  estados mentais simples.  Trabalhavam  sob  a  premissa  de  que  o  primeiro  trabalho  dos  psicólogos  era  explorar  a  “estrutura”  da  consciência  e  Wundt com colegas desenvolver as leis de sua formação. Edward  Titchener  afirmava  que  cada  totalidade  psicológica  compõe­se de elementos. O objetivo da psicologia seria a tarefa  de  descobrir  quais  são  os  elementos  mentais,  o  conteúdo  e  a  maneira pela qual se estrutura.   Titchener  afirma  que,  embora  o  sistema  nervoso  não  seja  a  causa da mente, pode ser usado para explicá­la.    Edward Titchener   
  • 13. Titchener considera que os elementos ou as unidades que compõem o conteúdo da  mente são as sensações, as imagens, as afeições e os sentimentos.  A primeira abordagem por eles adotada foi a análise introspectiva ou  introspeccionismo (“olhar para dentro”). Usa­se a introspecção para chegar a eles, através de uma  observação treinada e preparada para garantir os dois pontos  essenciais de toda a observação: a atenção e o registro do  fenômeno.     
  • 14. FUNCIONALISMO Surgiu  aproximadamente  20  anos  depois  do  Estruturalismo.  A  escola  era  formada  por  psicólogos  que  estavam  descontentes  com  a  ênfase estruturalista dos estados mentais. Em  vez  de  perguntar  “O  que  é  consciência?”  como  faziam  os  estruturalistas,  eles  perguntavam: Willian James  “Para que serve a consciência?”. Considera  que  o  objetivo  da  Psicologia  é  o  ajustamento  do  organismo  às  demandas  do  meio  que  vive.  A  Psicologia  deve  estudar  as  funções  adaptativas do comportamento e dos processos mentais, e não somente sua  estrutura e composição.     
  • 15. O  principal  interesse  desta  corrente  teórica  residia  na  utilidade  dos  processos  mentais  para  o  organismo,  nas  suas  constantes  tentativas  de  se  adaptar  ao  meio.  O  ambiente  é  um  dos  fatores  mais  importantes  no  desenvolvimento.  James Rowland  Angell Eram chamados funcionalistas porque pretendiam estudar o modo como  os  indivíduos  usavam  a  experiência  mental  no  ajustamento  ao  meio.  Os  funcionalistas  queriam  saber  como  a  mente  funcionava,  e não  como  era  estruturada.  Autores  de  destaque:  Willian  James,  James  R  Angell.  Procuravam  concentrar seus esforços no processo de aprendizagem.    
  • 16. BEHAVIORISMO John  Watson  (1878  ­  1958),  considerado  pai  do  Behaviorismo  fazia  a  seguinte crítica contra o estruturalismo e o funcionalismo: Os fatos da consciência não podiam ser testados  e  reproduzidos  por  todos  os  observadores  treinados,  pois  dependiam  das  impressões  e  idiossincrasias de cada pessoa. Watson tinha por objetivo fazer da psicologia uma  ciência  respeitável  como  as  ciências  físicas.  Sentiu  que  os  psicólogos  deviam  estudar  comportamentos observáveis e adotar métodos  objetivos.     John Watson
  • 17. Os primeiros comportamentalistas aceitavam as seguintes teses: 1  ­  Os  psicólogos  devem  estudar  os  eventos  ambientais  (estímulos)  e  o  comportamento observável (respostas). 2  ­  A  experiência  é  uma  influência  mais  importante  no  comportamento,  nas  aptidões e nos traços do que a hereditariedade.  3 ­ A introspecção deve ser abandonada em benefício de métodos objetivos  (ou seja, experimentação, observação e testes). 4 ­ Os psicólogos devem visar à descrição, explicação, predição e controle do  comportamento. 5 ­ O comportamento de animais inferiores deve ser investigado (juntamente  com  o  comportamento  humano),  pois  os  organismos  simples  são  mais  fáceis de estudar e compreender do que os complexos.    
  • 18. GESTALT O termo Gestalt em alemão significa forma, padrão,  estrutura. Enquanto  o  comportamentalismo  florescia  na  América,  a  psicologia  da  Gestalt  crescia  na  Alemanha. A  psicologia  da  Gestalt  surgiu  em  parte  como  protesto  contra  o  estruturalismo,  sobretudo  contra  a  prática  de  se  reduzir  experiências  complexas a elementos simples. Os psicólogos da Gestalt acreditavam que as experiências traziam consigo  uma característica de totalidade ou de estrutura.    
  • 19.    
  • 20.    
  • 21.    
  • 22.    
  • 23. Quantos rostos você enxerga?            
  • 24. O  que  nós  vemos  e  percebemos  está  relacionado  com  a  totalidade  do  campo de observação. O padrão global de uma experiência é mais importante  do  que  suas  partes  na  determinação  do  significado  e  mesmo em sua aparência. Kurt Lewin Líderes: Kurt Lewin, Wolfgang Kohler, Kurt Koffka  e Max Wertheimer.    
  • 25. PSICANÁLISE Sob  a  liderança  de  Sigmund  Freud  (1856  ­  1939),  os  psicanalistas  procuraram  enfatizar  os  processos mentais inconscientes. Freud  ignorou  os  problemas  da  consciência  e  direcionou  seus  esforços  na  compreensão  e  descrição  do  que  chamou  de    “O  INCONSCIENTE”.  Sigmund Freud  Defendia que este era a primeira fonte de conflito e desordens  mentais  e  que  era  impossível  estudá­lo  pelos  métodos  correntes de introspecção ou experimentação laboratorial.    
  • 26. Para  estudar  esses  fenômenos,  Freud  desenvolveu  a  técnica  da  psicanálise,  baseada  na  interpretação  das  “livres  associações  do  pensamento” e na análise dos sonhos dos pacientes. O  surgimento  da  psicanálise  representou  uma  ruptura  radical,  tanto  no  conteúdo quanto no método. Ao  longo  dos  anos,  a  abordagem  psicanalítica  teve  uma  carreira  tormentosa,  com  muitas  modificações,  reunindo  tanto  adeptos  quanto    desertores.  

×