Trabalho sobre SSD    Sistemas De Informação - FAC 2
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Trabalho sobre SSD Sistemas De Informação - FAC 2

on

  • 11,105 views

Trabalho sobre SSD - Sistemas de Suporte à Decisão, apresentado dia 19/03/2008, na aula de Sistemas de Informação - na FAC2 sala 1 - Turma de TADS 3º A

Trabalho sobre SSD - Sistemas de Suporte à Decisão, apresentado dia 19/03/2008, na aula de Sistemas de Informação - na FAC2 sala 1 - Turma de TADS 3º A

Statistics

Views

Total Views
11,105
Views on SlideShare
11,064
Embed Views
41

Actions

Likes
0
Downloads
170
Comments
0

1 Embed 41

http://www.slideshare.net 41

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Trabalho sobre SSD    Sistemas De Informação - FAC 2 Trabalho sobre SSD Sistemas De Informação - FAC 2 Presentation Transcript

  • FACULDADE COMUNITÁRIA DE CAMPINAS – UNIDADE II SISTEMAS DE SUPORTE À DECISÃO – SSD CAMPINAS TERÇA-FEIRA, 18 DE MARÇO DE 2008.
  • ADRIELSO PINTO TEDORO RA 0730325 FLÁVIO MARINI RA 0750333 JOÃO BATISTA RODRIGUES RA 0735126 ODAIR JOSÉ ASARIAS RA 6900155 SISTEMAS DE SUPORTE À DECISÃO – SSD Trabalho apresentado à disciplina Sistemas de Informação da Faculdade Comunitária de Campinas – Unidade II, sob a orientação do Professor Michel Bez Fontana. CAMPINAS TERÇA-FEIRA, 18 DE MARÇO DE 2008.
  • SUMÁRIO HISTÓRICO ..................................................................................................................... 3 Surgimento: Anos 60................................................................................................. 3 Conceito: Anos 70..................................................................................................... 3 Explosão: Anos 80 .................................................................................................... 3 Atualidade................................................................................................................. 3 UMA DEFINIÇÃO PARA SSD ...................................................................................... 4 CARACTERÍSTICAS DOS SSD ................................................................................... 4 Vantagens: ................................................................................................................ 5 Desvantagens: ........................................................................................................... 5 SSD – RECURSOS (dependendo da utilização e do escopo) .............................. 5 COMPONENTES DE UM SSD...................................................................................... 6 O BANCO DE MODELOS ............................................................................................. 6 Modelos gráficos:...................................................................................................... 7 Modelos de gerenciamento de projetos:..................................................................... 7 Vantagens da utilização de modelos: ......................................................................... 7 Desvantagens da utilização de modelos:.................................................................... 7 INTERFACE COM O USUÁRIO ................................................................................... 8 TIPOS DE SSD ............................................................................................................... 9 SSD para grandes empresas (suporte a vários gerentes) ............................................. 9 Sistemas SSD individuais.......................................................................................... 9 TOMADA DE DECISÃO E SOLUÇÃO DE PROBLEMA ......................................... 10 Análise e identificação: ........................................................................................... 10 Desenvolvimento de alternativas: ............................................................................ 10 Comparação das alternativas: .................................................................................. 11 Classificação dos riscos:.......................................................................................... 11 Escolha da melhor alternativa:................................................................................. 11 Execução: ............................................................................................................... 11 Fatores para Solução de Problemas ......................................................................... 13 REFERÊNCIAS............................................................................................................. 14 2
  • Faculdade Comunitária de Campinas – Unidade II Curso: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas – 3º Semestre Sistemas de Suporte à Decisão HISTÓRICO Surgimento: Anos 60 o Experiências de utilização de modelos sistemáticos quantitativos computadorizados, no apoio ao processo de decisão e planejamento. Conceito: Anos 70 o John Little Explosão: Anos 80 o Empresas e Universidades das atividades associadas á construção e estudo dos DSS, o resultado foi a proliferação do conceito e das aplicações associadas, que emergiram para além do domínio tradicional de aplicação, a gestão. Atualidade o Utilização da tecnologia para produção sistemas onde é possível obter todas as informações on-line e rapidamente e com a capacidade para realizar a sua análise e formatação à mediada das suas necessidades.. Fig. 01 – A evolução dos Sistemas de Suporte à Decisão 3
  • Faculdade Comunitária de Campinas – Unidade II Curso: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas – 3º Semestre Sistemas de Suporte à Decisão UMA DEFINIÇÃO PARA SSD Um Sistema de Suporte à Decisão – SSD (também denominado de Sistema de Apoio à Decisão – SSD) é um conjunto organizado de pessoas, procedimentos, software e banco de dados e dispositivos utilizados para dar suporte à tomada de decisões específicas de um problema. O foco de um SSD está na eficácia da tomada de decisões em face de problemas não-estruturados ou semi- estruturados. Os SSD destinam-se a estruturar melhor esses problemas, de modo a auxiliar o processo decisório. Através de uma interface amigável, os SSD permitem aos gerentes e administradores inserirem o problema não-estruturado, e em seguida, oferecerem modelos analíticos e acesso à base de dados corporativa, de modo a auxiliar esses profissionais na tomada de decisões, através de simulações de soluções, comparação e classificação de riscos, além de fornecer base para uma boa escolha de uma alternativa. Os SSD, embora sejam parcialmente destinados aos níveis mais elevados de gerência (estratégica), são utilizados em todos os níveis. Isso ocorre porque, até certo ponto, os gerentes de todos os níveis defrontam-se com problemas menos estruturados, não-rotineiros. A quantidade e a magnitude dessas decisões aumentam à medida que um gerente galga níveis mais elevados na organização. CARACTERÍSTICAS DOS SSD Uma vez que não há ainda nenhuma definição exata do que é um SSD, surgiu um acordo sobre quais as principais caracteristicas e capacidades de um SSD. 1. Os SSD permitem aos decisores trabalhar com problemas semi- estruturados e não estruturados, pois conseguem juntar o pensamento humano e a informação computadorizada. 2. Deve ser providenciado suporte a vários níveis, desde executivos a gerentes. 3. Deve ser também possivel o trabalho individual ou em grupo. Certos problemas menos estruturados podem necessitar do envolvimento de várias pessoas ou departamentos. 4. Os SSD devem permitir várias decisões independentes ou sequênciais. 5. Devem abranger todas as fases do processo de decisão: identificação, desenho, seleção e implementação. 4
  • Faculdade Comunitária de Campinas – Unidade II Curso: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas – 3º Semestre Sistemas de Suporte à Decisão 6. Devem suportar uma variedade de processos de tomada de decisão. 7. Devem poder ser adaptativos ao longo do tempo, devem ser flexíveis, para que os seus usuários possam acrescentar, eliminar ou mudar certos elementos chave. 8. Devem ser de fácil utilização, com fortes capacidades gráficas e com uma interface usuário que possa aumentar a sua eficiência. 9. Devem tentar melhorar a eficiência das decisões (ao nível da qualidade, tempo, exatidão) em vez de se preocupar com o custo dessas decisões. 10. O decisor tem um controle absoluto sobre todos os passos do processo de tomada de decisão quando está a resolver um problema. O objetivo do SSD é ajudar e não substituir o decisor. 11. Os usuários finais devem ser capazes de construir e modificar sistemas simples. Os sistemas mais complicados devem ser construídos com a ajuda de um especialista. 12. Um SSD normalmente utiliza modelos para analisar situações de tomada de decisão. A capacidade de modelização permite experiências com diferentes estratégias sob diferentes configurações. 13. Os SSD devem permitir o acesso a várias fontes, tipos e formatos de dados. Vantagens: Alguns benefícios específicos são atribuídos aos SSD em certos estudos. Esses benefícios incluem : 1. Aumento do número de alternativas examinadas. 2. Uma melhor compreensão do negócio. 3. Resposta rápida a algumas situações inesperadas. 4. Possibilidade de desempenhar análises ad hoc (decisões raras). 5. Novos conhecimentos e aprendizagens. 6. Comunicação melhorada.7. Redução de custos. 8. Melhores decisões. 9. Um trabalho de equipe mais eficaz. 10. Ganho de tempo. 11. Melhor utilização dos recursos de dados. Desvantagens: 1. Problema de ação. 2. Orientação para escolha. 3. Suposição de relevância da resposta do sistema. 4. Transferência de poder ao sistema que não é intencional. 5. Dificuldade de atribuir responsabilidades. SSD – RECURSOS (dependendo da utilização e do escopo) • Suporte nas fases da solução de problemas • Pode incluir inteligência, projeto, escolha, implementação e monitoramento • Suporte nas diferentes freqüências de decisão • Variam desde decisões únicas a decisões repetitivas • Nas decisões repetitivas o SSD é refinado durante o uso 5
  • Faculdade Comunitária de Campinas – Unidade II Curso: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas – 3º Semestre Sistemas de Suporte à Decisão • Suporte para diferentes estruturas de problemas • Problemas altamente estruturados são os problemas diretos, que requerem fatos e relacionamentos conhecidos • Nos problemas semi-estruturados ou não-estruturados os relacionamentos entre os dados nem sempre são claros e estes podem estar em diferentes formatos e sendo difíceis de obter e manipular. • Suporte para diversos níveis na tomada de decisões • Ajuda em diferentes níveis da organização COMPONENTES DE UM SSD O cerne de um SSD é composto por um banco de dados, um banco de modelos e um gerador de SSD. Um SSD típico, além disso, contém uma interface com o usuário, uma conexão com bancos de dados externos e acesso a outros sistemas baseados em computadores. A interface com o usuário de um SSD, chamada de gerenciador de diálogo, possibilita que os tomadores de decisões acessem e manipulem com facilidade o SSD. O acesso a banco de dados externos propicia que o SSD percorra vastos volumes de informações contidas no banco de dados corporativo, permitindo que o SSD recupere informações sobre estoques, vendas, pessoal, produção, finanças, contabilidade e outras áreas. Por fim, o acesso a outros sistemas baseados em computadores permite que o SSD seja ligado a outros sistemas poderosos, inclusive um SPT ou subsistemas de função específica. A figura 1 mostra um modelo conceitual de um SSD. Observe que na figura um usuário interage com a interface, que por sua vez interage com o gerador de SSD. O gerador de SSD atua como um buffer (depósito temporário de dados) entre o usuário e outros componentes do SSD, interagindo com o banco de dados, o banco de modelos e a interface com o usuário ou gerenciador de diálogo. O usuário também é normalmente referido como parte do sistema. Há investigadores que defendem que muitas das contribuições dadas pelos SSD são derivadas da interação intensa que existe entre o computador e o tomador de decisão. Como conceitos sobre bancos de dados e gerenciamento de banco de dados (SGBD) já foram discutidos em apostilas anteriores, começaremos com a discussão sobre banco de modelos. O BANCO DE MODELOS O propósito do banco de modelos de um SSD é proporcionar aos tomadores de decisão acesso a uma variedade de modelos e auxilia-los no processo decisório. O banco de modelos pode incluir um software de gerenciamento de modelos (SGM). A seguir serão discutidos alguns modelos utilizados no banco de modelos. 6
  • Faculdade Comunitária de Campinas – Unidade II Curso: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas – 3º Semestre Sistemas de Suporte à Decisão Modelos Financeiros: Os modelos financeiros fornecem análise de fluxo de caixa, taxa interna de retorno e outras análises de investimentos. As planilhas eletrônicas (Excel, por exemplo), são muito utilizadas para essa finalidade. Além disso, podem ser empregados programas mais sofisticados de planejamento e modelagem financeira. Modelos de análise estatística: podem fornecer resumos estatísticos, projeções de tendências, testes de hipóteses entre outros. Esses programas podem calcular a média, desvio padrão, coeficientes de correlação e muitas outras técnicas. Alguns programas estatísticos também têm a capacidade de produzir apresentações gráficas que revelam o relacionamento entre variáveis e quantidades. Modelos gráficos: são pacotes de software que auxiliam os tomadores de decisões a projetar, desenvolver e utilizar apresentações gráficas de dados e informações. Modelos de gerenciamento de projetos: são utilizados para manipular e coordenar grandes projetos e para descobrir tarefas críticas que podem atrasar ou colocar em perigo todo o projeto. Esses modelos podem determinar a melhor maneira de acelerar um projeto pela utilização eficaz de recursos adicionais, como mão-de-obra, dinheiro e equipamentos. Vantagens da utilização de modelos: Os modelos podem ser manipulados e construídos a baixo custo; Agiliza o processo de decisão por ser um procedimento rápido; A modelagem apresenta menos riscos do que a experimentação com sistemas reais e ainda mostra como uma decisão pode impactar todo o sistema. A modelagem também pode proporcionar aos gerentes uma excelente experiência de aprendizagem. Os modelos também são excelentes na previsão de conseqüências futuras. Desvantagens da utilização de modelos: Desperdício de tempo na escolha do modelo; Alguns modelos não simulam sistemas reais, efetuando conclusões falsas ou conduzir a erros. 7
  • Faculdade Comunitária de Campinas – Unidade II Curso: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas – 3º Semestre Sistemas de Suporte à Decisão INTERFACE COM O USUÁRIO A interface com o usuário, também chamada de gerenciador de diálogo, possibilita que os usuários interajam com o SSD para obter informações. Para fornecer informações úteis e pontualmente, a interface com o usuário exige dois recursos. Primeiro, o usuário tem que ser capaz de dizer ao SSD o que é preciso e fornece-lhe todos os dados necessários. Isto é realizado através da linguagem de ação. Segundo, o SSD precisa ter a capacidade de apresentar resultados para o usuário. Isto é conseguido por meio da linguagem de apresentação. A linguagem de ação pode fazer uso de diversos recursos como linguagem natural e de consultas, macros ou programas de shell. Programas de shell permitem telas personalizadas para a entrada de dados. Exemplo: um programa de shell pode ser utilizado para desenvolver uma tela de entrada a fim de capturar dados de um pedido de vendas. O usuário indica os dados como nome e endereço de clientes, itens adquiridos e quaisquer descontos devem ser postos na tela, assim como a aparência das informações a serem exibidas. Os programas shell podem ser baseados em textos ou gráficos. A apresentação de resultados ao usuário pode ser através de gráficos e textos, sendo que essa saída pode ser solicitada pelo usuário, como também o grau de complexidade das informações. Figura 1: Modelo Conceitual de um SSD. Os componentes incluem um banco de modelos, um banco de dados, acesso externo ao banco de dados, acesso a outros sistemas computacionais, interface com o usuário e um gerador de SSD. 8
  • Faculdade Comunitária de Campinas – Unidade II Curso: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas – 3º Semestre Sistemas de Suporte à Decisão TIPOS DE SSD Os Sistemas de Apoio à Decisão (SSD) cobrem uma grande variedade de sistemas, ferramentas e tecnologias. Portanto, de acordo com o tipo de abordagem determinadas ferramentas e tecnologias devem ser aplicadas. SSD para grandes empresas (suporte a vários gerentes) O desenvolvimento de SSD para grandes empresas pode ser muito estimulante, com grandes data wharehouses que supostamente deixam os tomadores de decisão encontrar tudo o que precisam sobre as suas companhias ao nível de momentos das mesmas. A estes tomadores de decisão é permitido pesquisar, filtrar, fazer gráficos ou mapas sobre um qualquer tipo de dados. Um exemplo destes sistemas que por vezes é citado é o Decision Maker’s Workbench (DMW) desenvolvido em 1994 pelo Mervyn’s Department Stores e pela MicroStrategy. Estudos publicados pelos vendedores indicam que o DMW foi amplamente distribuído através da organização Mervyn’s. Supostamente este sistema possui uma capacidade de tomada de decisões para usuários finais a todos os níveis. O sistema tem mais de 850GB de dados e permite análises de performance e de tendências, assim como inventários ou análises de estoque. O DMW utiliza Oracle 7.1 e um MicroStrategy’s DSS Agent. SSD para grandes empresas podem abranger desde sistemas mais simples até sistemas de informação para executivos sofisticados com análises complexas e intensas de dados. Utilizando uma definição de Steven Alter podemos identificar os SSD para grandes empresas primeiramente como sistemas que permitem o acesso imediato a itens de dados específicos. A um nível mais sofisticado encontramos sistemas de análise de dados que tornam mais fácil manipular dados, utilizando ferramentas de análise computadorizadas como pacotes estatísticos, data mining, etc. A definição mais sofisticada da análise destes sistemas para grandes empresas providencia o acesso a bases de dados “decision-oriented” ou data marts, dispositivos e alertas ligados a certos acontecimentos ou variáveis que constituem o data wharehouse. Sistemas SSD individuais Os SSD para usuários individuais não estão a receber o destaque e a atenção que é dada aos SSD para grandes empresas, mas eles conseguem ser bastante úteis. Muitas vezes, utiliza-se planilhas de cálculo como o Excel ou o Lotus 123 para pequenas análises de secretária ou para o desenvolvimento de 9
  • Faculdade Comunitária de Campinas – Unidade II Curso: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas – 3º Semestre Sistemas de Suporte à Decisão aplicações SSD específicas para usuários individuais. Outras vezes torna-se necessário a aquisição de pacotes especializados de SSD para um PC ou mesmo para um servidor. Um exemplo destes pacotes especializados que servem como um desktop DSS é o Expert Choice. O Expert Choice implementa a hierarquia do processo. Este software para Windows pode ser utilizado para suportar um grande número de situações de decisão, incluindo a estruturação de problemas complexos, desenvolvimento de prioridades e alternativas, a medição da consistência dos julgamentos, alocação de recursos, e a condução da análise de custos/benefícios. O programa ajuda na construção de informação relacionada num modelo hierárquico que consiste num objetivo, cenários possíveis, critérios e alternativas. O Expert Choice permite ao tomador de decisão fazer sistematicamente julgamentos sobre a importância relativa de algum critério, ou a preferência para algumas alternativas relativas a outro critério. Existe ainda um outro nível de SSD desktop que estão disponíveis. Podemos encontrar este tipo de sistemas num PC de um simples executivo implementado em Microsoft Access. Modelos de gestão de contas e finanças podem ser implementados como SSD desktop no Microsoft Excel e como componentes programados de SSD para grandes empresas. Em algumas organizações os analistas preparam uma análise financeira usando ferramentas desktop e publicando os seus resultados na intranet da empresa. Uma outra ferramenta de SSD que é implementada em alguns pacotes é a simulação. TOMADA DE DECISÃO E SOLUÇÃO DE PROBLEMA A tomada de decisão consiste na escolha de uma opção ou mais dentre diversas alternativas existentes, seguindo passos previamente estabelecidos e fatalmente culminando numa solução que resolva ou não o problema. Uma tomada de decisão consiste em etapas que se cumpridas, que geralmente são executadas na seguinte seqüência: Análise e identificação: Consiste no levantamento de informação onde o problema está inserido para uma tomada de decisão precisa. Desenvolvimento de alternativas: Criação de possíveis alternativas de resolução para o problema levantado. 10
  • Faculdade Comunitária de Campinas – Unidade II Curso: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas – 3º Semestre Sistemas de Suporte à Decisão Comparação das alternativas: Devem ser levantados os prós e os contras de cada alternativa sugerida de resolução do problema e também seus custos. Classificação dos riscos: Levantar o grau de incerteza de cada alternativa. Escolha da melhor alternativa: Feito todas essas etapas, o quot;instrumentoquot; utilizado (executivo/pessoa ou programa/computador) Fará a opção pela melhor resolução do problema, optando pela melhor alternativa. Execução: Com a alternativa escolhida, ela terá de ser executada para que os resultados apareçam. Se os resultados não aparecerem, o ciclo de tomada de decisão deve recomeçar, a fim de que o resultado esperado da alternativa apareça realmente. No ramo dos negócios, um dos maiores elogios que se pode receber consiste em ser reconhecido, por colegas e pares, como um “verdadeiro solucionador de problemas”. A solução de um problema representa uma atividade crítica para qualquer administração. Uma vez identificado o problema, o processo tem início com a tomada de decisão. Um dos modelos mais aceitos de tomada de decisão, foi desenvolvido por Herbert Simon e, divide a fase de tomada de decisão em três estágios: inteligência, projeto e escolha. A primeira fase do processo de solução de problema é o estágio de inteligência, durante o qual são identificados e definidos os problemas em potencial e /ou as oportunidades. Neste momento, recolhe-se a informação relacionada com a causa e com o escopo do problema. Durante este estágio, os recursos e os obstáculos ambientais são investigados. Constitui um procedimento pertinente ao estágio de inteligência, como entregar frutas da região Norte do Brasil na região Sul. A segunda fase é o estágio de projeto, aonde são desenvolvidas soluções alternativas para o problema e avaliada a viabilidade de cada uma delas. Continuando o exemplo anterior, neste estágio devem ser considerar os métodos alternativos de entrega, incluído tempo e custo de transporte. 11
  • Faculdade Comunitária de Campinas – Unidade II Curso: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas – 3º Semestre Sistemas de Suporte à Decisão O último estágio é o estágio de escolha, demanda a solução de um curso de ação. A aparente facilidade do ato de escolha não é tão simples quanto parece à primeira vista. A solução de problema inclui e, mesmo, transcende a tomada de decisão, tambémcorrespondendo ao estágio de implantação, quando se coloca a solução em prática. Desta forma cabe neste estágio determinar como as escolha será cumprida, ou seja, avisar as pessoas responsáveis como devem agir para esta implantação. Finalmente, o processo de solução de problemas atinge o estágio de monitoramento. Neste estágio, os tomadores de decisão avaliam a implementação para verificar, antecipadamente, se os resultados serão alcançados e, ainda para modificar o processo à luz de uma nova informação. Isso pode demandar não só feedback, como um processo de ajusto. Neste caso, pode-se corrigir problemas que não foram detectados quando da escolha da ação a ser executada. A Figura 1 representa o processo de tomada de decisão e, como ele se relaciona com a solução do problema. Fig. 1 - Os estágios da tomada de decisão e seu relacionamento com a solução do Problema. 12
  • Faculdade Comunitária de Campinas – Unidade II Curso: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas – 3º Semestre Sistemas de Suporte à Decisão Fatores para Solução de Problemas Vários fatores são importantes na solução de problemas. Conforme a conscientização desses fatores, maior será a capacidade do gerente em analisar apropriadamente um problema e tomar boas decisões. Esses fatores incluem: • Múltiplos objetivos de decisão; • Surgimento de novas alternativas; • Aumento da concorrência; • Necessidade de criatividade; • Ações políticas e sociais; • Aspectos internacionais; • Tecnologia; • Pressão do tempo. 13
  • Faculdade Comunitária de Campinas – Unidade II Curso: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas – 3º Semestre Sistemas de Suporte à Decisão REFERÊNCIAS Wikipédia – Sistemas de Suporte à Decisão Link: http://pt.wikipedia.org/wiki/Sistema_de_suporte_%C3%A0_decis%C3%A3o Projeto – IRRIGA - Suporte à decisão na agricultura irrigada Link: http://www.valmont.com.br/valley/mestre/manejo_dagua.htm Prof. Dr. Luís Fernando Fortes Garcia – Sistemas de Suporte à Decisão Link: http://www.garcia.pro.br/06-01-DOMBOSCO-Analise1/ Robson Antonio Moreira – Sistemas de Suporte à Decisão Link: http://robson.fjaunet.com.br/fatec/sis_informacao/aulas/pdf/aula_06_si.pdf Ralph M. Stair – Sistemas de Suporte à Decisão Livro: Sistema de Informação - “Uma abordagem gerencial” – 2ª Edição 14