Asma ocupacional clovis botelho

521 views
407 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
521
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
6
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Asma ocupacional clovis botelho

  1. 1. 1Pneumopatias OcupacionaisProf. Dr. Clovis BotelhoUniversidade Federal de Mato GrossoSOCIEDADE BRASILEIRA DE PNEUMOLOGIA E TISIOLOGIAI Curso de Pneumologia na GraduaçãoFaculdade deMedicina da Bahia29 a 31Maio de 2008Objetivos1. Introdução: exposição/nexo causal, histórianatural da doença;2. Asma Ocupacional: definição, classificação,epidemiologia, diagnóstico;3. Pneumoconioses: Fatores de risco4. Silicose: definição e classificação5. Exposição ao Asbesto.6.Conduta nas P.OcupacionaisPneumopatias OcupacionaisAgravos respiratórios relacionados com o ambiente de trabalho:Nexo CausalPrincipais Agentes:Poeiras Inorgânicas e OrgânicasGases Tóxicos, Aerossóis solúveis, Fungos
  2. 2. 2EXPOSIÇÃOVIAS AÉREASPARÊNQUIMAASMA OCUPACIONALDPOC OCUPACIONALPNEUMOCONIOSESP.HIPERSENSIBILIDADECARCINOMASMESOTELIOMAExposição: gases, vapores, partículasSAÚDE EXPOSIÇÃOEFEITOBIOLÓGICOPERÍODO DEINDUÇÃOSINTOMASPRECOCESPERÍODO DELATÊNCIAQUADROCLÍNICOTERAPIADESENLACEDIAGNÓSTICOTRATAMENTOREABILITAÇÃODIAGNÓSTICOPRECOCEVIGILÁNCIAPREVENÇÃOCLÍNICAREINSERÇÃOHISTORIA NATURAL DA DOENÇA
  3. 3. 3Objetivos1. Introdução: exposição/nexo causal, histórianatural da doença;2. Asma Ocupacional: definição, classificação,epidemiologia, diagnóstico;3. Pneumoconioses: Fatores de risco4. Silicose: definição e classificação5. Exposição ao Asbesto.6.Conduta nas P. OcupacionaisAsma ocupacionalObstrução variável das vias aéreas inferioresinduzidas por agentes inaláveis presentes noambiente de trabalho.Causas imunológicas (alérgicas): produtos deorigem animal e vegetal, metais, isocianatos etc.Não imunológicas: substâncias irritantesASMA OCUPACIONAL/ARTASMA OCUPACIONALAsma agravada no localde trabalhoAsma “alérgica”(com período de latência)Asma não “alérgica”(sem período de latência)≠
  4. 4. 4TIPOS DE ASMA OCUPACIONALImunulógica: com período de latência.Mediada por IgE (atopia): substâncias APM: animais, cereais,plantas, látex, enzimas. Substâncias BPM (haptenos): platina,anidridos, antibióticos4 Mediada por Células: Linfócitos T ativados (CD4 ouCD8): substâncias de BPM: isocianatos, níquel, metais durosNão imunológica: Síndrome da disfunção reativa das viasaéreas: reação inflamatória inespecífica: amônia, cloro, TDI, arfrio e endotoxinas (silos)Cascata inflamatórialinfócito TH2Fatorambiental mastócito/ basófiloFcεRI (receptores de alta afinidade)IL-4IL-13plasmócitolinfócito BIgEsintomasalérgicosFator ambiental(re-exposição)HistaminaLeucotrienosProstaglandinasCitocinasmastócito(degranulação)macrófago(célula dendrítica apresentadorade antígeno)IgE - Mediadores inflamatóriosIgEFator ambientalFcεRIEm minutosMediadores lipídicos:ProstaglandinasLeucotrienosEm horasProdução de citocinas:Especificamente IL-4, IL-13Liberação imediataConteúdo dos grânulos:Histamina, TNF-α,Proteases, Heparina
  5. 5. 5• Chiado ou sibilos• Aperto no peito• Tosse• Dispnéia• Hiperresponsividade• Dano epitelial• Proliferação celular• ↑da matriz celular• RemodelamentoInflamaçãoAgudaInflamaçãoCrônicaSintomas Alterações EstruturaisSintomas RespiratóriosASMA OCUPACIONALPrevalência• Espanha (AJRCCM 1996;154:137) 5 a 7%• Austrália (New South Wales) (Occup Med 2006;56:258-262) 9,5%• França (Eur Resp J 2002;19:84-89) 5 a 11%• EUA (Occup Env Med 2002; 59: 505-511) 3 a 4,5Principais ramos de atividade econômica• Indústrias de plásticos (13.3%)• Indústrias de material mecânico, elétrico e eletrônico (13.3%)• Montadoras de veículos (8.3%)• Serviços de limpeza (8.0%)• Indústrias químicas e farmacêuticas (7.6%)• Outras (49.5%)Algranti, Mendonça e Rosa. Anais da IV Semana de Pesquisa, FUNDACENTRO, P.93-7, 2000
  6. 6. 6ASMA OCUPACIONALFarinhas23,3%Isocianatos16,6%Aldeídos5,5%OutrosAgentes43,0%Persulfatos4,1%Látex7,5%Outros41,8%Padeiros23,8%Saúde12,0%Cabeleireiros5,2%Madeiras4,8%Pintores9,0%ONAP (460 casos de AO)(Eur Resp J 2002;19:84-89)DIFICULDADES NA DEFINIÇÃO• Desencadeamento por estímulos inespecíficos• Multicausalidade• Asma pré-existente e atopia• Persistência de sintomas após o afastamentoDiagnósticoHistória clínica compatívelPresença de agente conhecidamento causador deAO em ambiente de trabalhoTestes de função pulmonar– Espirometria– Broncoprovocação– inespecífica– específica– Pico de fluxo expiratório
  7. 7. 7Instrumentos diagnósticos• História 96% - Nexo causal• Função pulmonar 62%• Curvas de pico de fluxo 56%• Testes sorológicos 18%• Provocação brônquica 6%Post WK et al. Stepwise health surveillance...Occup. Environ. Med. 1998;55:119-125CONCLUSÕES• A prevalência de AO é de 5 a 10% das formas de asma.• A prevalência de AO é muito variável, dependo essencialmentedo tipo de atividade econômica desenvolvida em cada região.• Implicações sociais importantes: adaptação X desempregoObjetivos1. Introdução: exposição/nexo causal, histórianatural da doença;2. Asma Ocupacional: definição, classificação,epidemiologia, diagnóstico;3. Pneumoconioses: Fatores de risco4. Silicose: definição e classificação5. Exposição ao Asbesto.6.Conduta nas P. Ocupacionais
  8. 8. 8PNEUMOCONIOSES1. Natureza da partícula2. Tamanho da partícula3. Concentração por m34. Tempo de exposição5. Intensidade da exposição6. Suscetibilidade individualPNEUMOCONIOSESFIBROGÊNICAS: exposição à sílica, asbesto,carvão, poeira mistaNÃO FIBROGÊNICAS: exposição ao ferro,estanho, bário, rocha fosfáticaObjetivos1. Introdução: exposição/nexo causal, histórianatural da doença;2. Asma Ocupacional: definição, classificação,epidemiologia, diagnóstico;3. Pneumoconioses: Fatores de risco4. Silicose: definição e classificação5. Exposição ao Asbesto.6.Conduta nas P. Ocupacionais
  9. 9. 9SILICOSEAgente patogênico = sílica livre (Si02) ou dióxidode silício, na forma livre (quartzo)Aplicações do Silício• Semicondutores;• Transistores;• Chips de computadores;• Célula solar para transformar energia solar em energia elétrica;• Graxas, abrasivos e lubrificantes (silicones);• Componente essencial para vidros em geral (silicatos);• Componente do aço (carbeto de silício, SiC);• Cimento;TOXICIDADE DA SÍLICATamanho da partículaSílica livre ou cristalinaPresença de fratura recente (menos de 6 h)
  10. 10. 10Atividades de riscoMineraçãoIndústria metalúrgicaIndústria navalIndústria de vidroIndústria cerâmicaPedreirasCavadores de poçosFundiçõesSILICOSESILICOSEAgudaCurta latência, meses a 5 anos de exposição maciça à sílica livre:intenso infiltrado inflamatório intersticial.Evolução radiológica dramática, sobrevida menor que 1 ano.Clínica: quadro geral e respiratório extremamente limitante.Grupos mais atingidos: Jateadores de areia, moagem de pedra.SILICOSE AGUDA• NÓDULOS, 1 – 10 mm• PODEM COALESCER E CAVITAR• SUCETIBILITADE PARA TB• SÍLICO-PROTEINOSE
  11. 11. 11SILICOSESub-AgudaMédia latência, em geral após 5 anos de exposição.Presença de nódulos silicóticos/ inflamatório intensoEvolução radiológica rápida, tendência a grandes opacidades.Clínica: sintomas respiratórios precoces e limitantes como a dispnéia.Grupos mais atingidos: Cavadores de Poços e Mineradores de OuroSilicoseForma sub-agudaSILICOSECrônica:Longa latência, geralmente + de 10 anos.Progressão da doença: Fibrose Pulmonar + Nódulos silicóticosClínica pobre, a não ser em estágios mais avançadosGrupos mais atingidos: Indústria Cerâmica, Pedreiras.
  12. 12. 1212 anos de exposiçãoSilicoseForma crônicaCasca de ovo – patognomônico de silicose
  13. 13. 13Objetivos1. Introdução: exposição/nexo causal, histórianatural da doença;2. Asma Ocupacional: definição, classificação,epidemiologia, diagnóstico;3. Pneumoconioses: Fatores de risco4. Silicose: definição e classificação5. Exposição ao Asbesto.6.Conduta nas P. OcupacionaisExposição ao AsbestoAlterações Pleurais BenignasMesotelioma PleuralCâncer de PulmãoPneumoconiose: AsbestoseExposição ao ASBESTOConstrução: fibrocimento (amianto), elementos isolantes.Têxtil: roupas ou EPI que utilizam amianto (segurança).Plástica: pisos vinílicos, adesivos, tintas e impermeabilizantes.Automotiva: sistemas de freio e embreagem.Mineração: extração e transporte de amianto.
  14. 14. 14Período de Latência - asbesto• Lesões pleurais benignas 15-20a• Asbestose >10a• Câncer de pulmão >30a• Mesoteliomas 30-40aMESOTELIOMALesão: pleura, peritônio e pericárdio.Doença: desfavorável, expectativa de vida de 12 mesesDiagnóstico: Nexo causal, Imagem, biópsia a céu aberto.Exposição: Acima de 30 anos de exposição.Mesotelioma Pleural
  15. 15. 15CT – Mesotelioma PleuralCÂNCER DE PULMÃO• Não há tipo histológico prevalente• Longos períodos de latência• Todos os tipos de asbesto• Não há limite de segurança estabelecido• Efeito sinérgico com tabagismo
  16. 16. 16Pneumoconiose - ASBESTOSEOs sintomas mais precoces: dispnéia aos esforçosTempo de Latência >10 aProva funcional - Padrão predominante restritivoRadiologia – fibrose intersticial 1/3 médio e basesBiópsia – Fibrose peribronquiolar + corpos asbestóticos
  17. 17. 17Corpo asbestótico
  18. 18. 18Corpo asbestóticoObjetivos1. Introdução: exposição/nexo causal, histórianatural da doença;2. Asma Ocupacional: definição, classificação,epidemiologia, diagnóstico;3. Pneumoconioses: Fatores de risco4. Silicose: definição e classificação5. Exposição ao Asbesto.6.Conduta nas P. OcupacionaisSAÚDE EXPOSIÇÃOEFEITOBIOLÓGICOPERÍODO DEINDUÇÃOSINTOMASPRECOCESPERÍODO DELATÊNCIAQUADROCLÍNICOTERAPIADESENLACEDIAGNÓSTICOTRATAMENTOREABILITAÇÃODIAGNÓSTICOPRECOCEVIGILÁNCIAPREVENÇÃOCLÍNICAREINSERÇÃOHISTORIA NATURAL DA DOENÇA
  19. 19. 19PO: PROFILAXIANo ambiente de trabalho:Programa de Proteção RespiratóriaSegurança do trabalhadorProteção Coletiva: ventilação /exaustãoProteção Individual: EPIProteção respiratória individualPO: Conduta legalTipos de Documentos:1. CAT – Comunicação da Doença Profissional de Trabalho.2. Laudo de Exame Médico.3. Resultados dos exames laboratoriais.4. Solicitação de afastamento do trabalho e/ou readaptação oureabilitação profissional.
  20. 20. 20MUITO OBRIGADO !

×