Revisão - Importação e Transporte Internacional

11,814 views
11,509 views

Published on

Published in: Education, Technology, Business
0 Comments
7 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
11,814
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
66
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
7
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Revisão - Importação e Transporte Internacional

  1. 1. O que é? É o ato de transferir uma mercadoria estrangeira para o nosso país (nacionalização).
  2. 2. BRIC  BRIC (Brasil/Rússia/Índia/China): Criado em novembro de 2001 pelo economista Jim O´Neill, para designar os quatro principais países emergentes do mundo: Brasil, Rússia, Índia e China.
  3. 3. BRIC  Esses quatro países não formam um bloco político (como a União Europeia), nem uma aliança de comércio formal (como o Mercosul e ALCA) e muito menos uma aliança militar (como a OTAN), mas formam uma aliança através de vários tratados de comércio e cooperação assinados em 2002 para alavancar seus crescimentos.
  4. 4. BRIC  A idéia central dos BRICs é ter uma clara divisão de funções. Ao Brasil e à Rússia fica o papel de produtor de alimentos e produtor de petróleo respectivamente. Ambos seriam também fornecedores de matéria prima.  Os negócios de serviços e de manufatura estão principalmente localizados na Índia e China, devido à concentração de mão-de- obra naquele e tecnologia.
  5. 5. Fatores Decisivos na Importação  Menor custo  Melhor qualidade  Taxa do dólar X real  Concorrência  Nacional/internacional  Sobrevivência Ex.: China
  6. 6. Quem pode importar?  Pessoas físicas: não caracteriza comércio (uso pessoal);  Pessoas jurídicas credenciadas.
  7. 7. Etapa Burocrática  Contrato Social (constituir legalmente a empresa)  Credenciamento e Habilitação Siscomex radar:  credenciamento simplificado  credenciamento ordinário  CPF – digital Cuidados na Importação:  Empresa deve estar constituída e habilitada no radar;  Planejar para importar.
  8. 8. Incoterms São termos de vendas internacionais, publicados pela Câmara Internacional de Comércio. São utilizados para dividir os custos e a responsabilidade no transporte entre a figura do comprador e do vendedor. São similares a Convenção das Nações Unidas sobre Contratos Internacionais e Convenção das Nações Unidas para a Venda Internacional de Mercadorias.
  9. 9. Classificação Fiscal  Nomenclatura Comum Mercosul (NCM);  Codificar as mercadorias;  Tornar mais fácil a identificação dos produtos e simplificar a tributação.
  10. 10. Cuidados na Importação  Taxa do dólar X real  Importador . menor taxa = menor custo  Fornecedores  Diferenças culturais  Fuso horário  Feiras internacionais
  11. 11. Importação definitiva e não definitiva Importações Definitivas  A mercadoria estrangeira é nacionalizada. Importações Não Definitivas  A mercadoria tem o retorno ao exterior;  Não ocorre a nacionalização do produto;  Regime aduaneiro especial de admissão temporária;  Podem ser importadas definitivamente;  Não se paga impostos.
  12. 12. Documentos de Importação  Documentos de Importação  Profissionalismo  Manuseio . aprox. 100 pessoas  Alto Custo (erros)
  13. 13. Proforma-Invoice  Documento com a função de proposta comercial (pedido);  Documento elaborado pelo exportador  Normalmente emitido em Inglês ou na língua do país importador.
  14. 14. Invoice ou Fatura Comercial  Tem a finalidade de faturamento;  Equivale à nota fiscal do mercado interno;  Documento emitido pelo exportador.
  15. 15. Packing List ou Romaneio de Embarque  Lista de embarque, demonstra toda a mercadoria carregada;  Documento elaborado pelo exportador;  Auxilia o importador quanto à conferência, ao desembarque e à armazenagem da mercadoria.
  16. 16. Conhecimento de Embarque  Finalidade de confirmar o carregamento da mercadoria;  Emitido pela empresa transportadora;  Documento necessário para liberação da mercadoria pelo importador juntamente com a invoice.
  17. 17. Certificado de Origem  Documento emitido por Federações, Associações;  Tem a finalidade de identificar a origem do produto (Ex.: 50% argentino e 50% americano);  Redução de alíquota de importação conforme o produto importado (NCM) e a origem da mercadoria.
  18. 18. Certificado Fitossanitário  Objetivo: atestar a qualidade dos produtos de origem animal e vegetal importados;  Evitar o envio de pragas;  Brasil: Ministério da Agricultura.
  19. 19. Declaração de Importação (DI)  Procedimento no Brasil;  Documento que inicia o despacho aduaneiro. Comprovante de Importação (CI)  Comprovação da importação da mercadoria;  Emitido via Siscomex.
  20. 20. Certificados de Qualidade São conforme a política do importador e do produto. Licença de Importação: Procedimento no Brasil;  Automática;  Não automática:órgãos anuentes to importado.
  21. 21. Certificado de Expurgo  Objetivo: eliminar as pragas;  Embalagens processadas (MDF, compensados) não precisam do tratamento;  NIMF 15 (Norma Internacional para Medidas Fitossanitárias no15).
  22. 22. Nota Fiscal  Procedimento interno, Brasil;  Transporte de mercadoria (Fábrica - Porto). Órgãos presentes na Importação:  Organização Mundial de Comércio (OMC);  Câmara de Comércio Internacional (CCI);
  23. 23. Órgãos Intervenientes na Importação  Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC);  Secretaria de Comércio Exterior (Secex)  Banco Nacional de Desenvolviment o Econômico e Social (BNDES)  Ministério das Relações Exteriores (MRE)  Ministério da Fazenda (MF)  Secretaria da Receita Federal (SRF)  Banco Central (Bacen)
  24. 24. Impostos  Imposto de Importação (II)  Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI)  Imposto sobre Circulação de Mercadorias (ICMS)  Programa de Integração Social (PIS)  Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social Cofins)
  25. 25. Transporte Internacional O que é Transporte?  Conduzir ou levar de um lugar para outro, pessoas ou mercadorias.  É a atividade logística de movimentação de materiais, produtos e/ou pessoas ao longo da cadeia de abastecimento.
  26. 26. Responsabilidade do Transporte O transporte é responsável pelo fluxo físico de bens ou serviços desde um ponto de origem até um ponto de destino.
  27. 27. Quem são os Atores do transporte?  Embarcadores;  Transportadores;  agênciasde cargas (fretes);  Despachantes.
  28. 28. Fatores que afetam o Modal de Transporte  Distância  Volume  Densidade  Facilidade de acondicionamento  Facilidade de manuseio  Responsabilidade  Mercado
  29. 29. Terceirização  Operador logístico: é o fornecedor de serviços logísticos, especializado em gerenciar todas as atividades logísticas ou parte delas.  Vantagens: reduzir os riscos de investimentos financeiros inerentes associados à propriedade dos ativos logísticos, como caminhões e armazéns.
  30. 30. Transporte  Frete: remuneração pelo serviço contratado de transporte de uma mercadoria.  Valor do Frete: Custo do frete, ou a importância paga pela operação de transporte, que pode ser cobrado pelo peso, volume, tamanho ou valor da mercadoria. Geralmente, o transportador aplica a tarifa que lhe oferecer o maior benefício.
  31. 31. Atividades de Suporte ao Transporte Internacional  Preparação da carga;  Embalagem e acondicionamento  Unitização;  Movimentação nos terminais;  Despacho aduaneiro;  As atividades de suporte acontecem dentro das zonas primárias e/ou secundárias.
  32. 32. Tipos de Transporte  Unitização: Diversos volumes de mercadorias são acondicionados ou arrumados de forma a constituírem unidades maiores, ou são muito grandes para serem movimentados manualmente.  Conteinerização: Um meio pelo qual os produtos são transportados dentro de contêineres, podendo ser intercambiados, carregados e transferidos entre diferentes modalidades de transporte.
  33. 33. International Commercial Terms (Incoterms) Sigla: 3 (três) letras maiúsculas  Facilitador do comércio: 13 cláusulas padronizadas;  Uso não obrigatório; porém, se utilizado, vincula exportador e importador;  Também denominados: Cláusulas de Preços. Os mais utilizados são CIF e FOB.
  34. 34. Tipos de Transporte  Transporte Ferroviário: É um modal indicado para transporte, em percursos longos, de produtos com baixo valor agregado.  Transporte Aeroviário: O transporte aeroviário é realizado por meio de aeronaves (aviões, helicópteros, dirigíveis etc.) Oferece serviços regulares, pontuais . regulados por contratos ou serviços de empresas que contam com seus próprios veículos.
  35. 35. Tipos de Transporte  Transporte Rodoviário: O modal rodoviário é o mais utilizado no mundo, uma vez que é o único a permitir ligações porta a porta. Assim, mesmo no uso de outros modais, o transporte rodoviário sempre estará presente. Oferece diferentes tipos de veículos, adequados para diversos tipos de cargas: veículos fixos ou articulados, cegonheiras, boggies, traillers, pla taformas. O Conhecimento Internacional de Transporte Rodoviário (CRT) é o documento de emissão
  36. 36. Transporte Dutoviário  Realiza a movimentação de produtos líquidos ou gasosos por meio de dutos, tubulações  O maior duto no Brasil é o gasoduto Bolívia- Brasil (3200 Km);  O tempo de trânsito dos dutos é o mais confiável de todos os modais;  A disponibilidade é apenas para empresas que são proprietárias dos dutos - não existem dutos de propriedade de transportadoras.

×